História nº 1. Uma semente, a terra, uma árvore, a luz do sol, os pássaros e o homem

13 de Dezembro de 2018

Hoje comunicarei sobre um novo tópico com vocês. Que tópico é esse? Seu título é: “Deus é a fonte da vida para todas as coisas”. Esse tópico parece um tanto amplo demais? Parece um pouco além do alcance de vocês? “Deus é a fonte da vida para todas as coisas” — esse tópico pode assolar as pessoas como algo um tanto remoto, mas precisa ser entendido por todos que seguem a Deus, porque está associado inseparavelmente ao conhecimento de Deus de cada pessoa e a ser capaz de satisfazê-Lo e de reverenciá-Lo. É por isso que vou comunicar sobre esse tópico. É bem possível que as pessoas tenham um entendimento simples e prévio desse tópico, ou talvez estejam cientes dele em algum nível. Esse conhecimento ou consciência pode, na mente de algumas pessoas, ser acompanhado por um grau de entendimento simples ou pouco profundo. Outras podem ter tido certas experiências especiais em seu coração que as levaram a um profundo encontro pessoal com esse tópico. Mas tal conhecimento prévio, seja profundo ou superficial, é parcial e não suficientemente específico. Assim, é por isso que escolhi esse tópico para comunicação: ajudar vocês a chegar a um entendimento mais profundo e mais específico. Usarei um método especial para comunicar com vocês sobre esse tópico, um método que não usamos antes, que vocês podem achar um tanto incomum ou meio desconfortável. Mais tarde, vocês saberão o que quero dizer. Vocês gostam de histórias? (Gostamos.) Bem, parece que a Minha escolha de contar histórias é uma boa escolha, já que todos vocês gostam muito delas. Agora, vamos começar. Não há necessidade de vocês tomarem nota. Peço que fiquem tranquilos e não se inquietem. Podem fechar os olhos se sentirem que podem se distrair com o ambiente ou com as pessoas ao redor. Tenho uma história maravilhosa para contar a vocês. Essa é uma história sobre uma semente, a terra, uma árvore, a luz do sol, os pássaros e o homem. Quais são seus personagens principais? (Uma semente, a terra, uma árvore, a luz do sol, os pássaros e o homem.) Deus é um deles? (Não.) Mesmo assim, tenho certeza de que vocês se sentirão revigorados e satisfeitos após ouvirem essa história. Agora, por favor, ouçam em silêncio.

História nº 1. Uma semente, a terra, uma árvore, a luz do sol, os pássaros e o homem

Uma pequena semente caiu na terra. Uma chuva forte caiu e a semente desenvolveu um broto delicado, enquanto suas raízes se aprofundavam lentamente no solo. Com o tempo, o broto cresceu, resistindo a ventos cruéis e chuvas pesadas, testemunhando a mudança das estações conforme a lua aumentava e diminuía. No verão, a terra trazia água de presente para que o broto pudesse resistir ao calor escaldante da estação. E por causa da terra, o broto não foi subjugado pelo calor, e assim a pior quentura do verão passou. Quando veio o inverno, a terra envolveu o broto em seu abraço cálido, e terra e broto se seguraram um ao outro firmemente. A terra aquecia o broto e assim ele sobreviveu ao frio intenso da estação, incólume às tempestades e nevascas. Abrigado pela terra, o broto cresceu valente e feliz; nutrido abnegadamente pela terra, crescia saudável e forte. Felizmente ele cresceu, cantando na chuva, dançando e balançando ao vento. O broto e a terra dependem um do outro…

Os anos se passaram e o broto virou uma árvore grandiosa. Permanecia firme sobre a terra, com galhos robustos revestidos de inúmeras folhas. As raízes da árvore ainda escavavam a terra como tinham feito antes, e agora mergulhavam com profundidade no solo. A terra, que antes protegera o broto diminuto, agora era a fundação para uma árvore poderosa.

Um raio da luz do sol brilhou sobre a árvore. A árvore balançou seu corpo, esticou totalmente os braços e respirou fundo o ar iluminado pelo sol. O solo abaixo respirou ao mesmo tempo com a árvore e a terra se sentiu renovada. Naquele momento, uma brisa fresca soprou adiante dentre os galhos e a árvore tremeu de deleite, agitando-se com energia. A árvore e a luz do sol dependem uma da outra…

As pessoas sentavam-se à sombra fresca da árvore e se deleitavam com a brisa revigorante e perfumada. O ar limpava corações e pulmões e purificava o sangue dentro delas, e seus corpos não ficavam mais entorpecidos nem tensos. As pessoas e a árvore dependem umas das outras…

Um bando de passarinhos cantando pousou nos galhos da árvore. Talvez aterrissassem ali para fugir de um predador, ou para chocar e criar seus filhotes, ou talvez estivessem apenas descansando um pouco. Os pássaros e a árvore dependem uns dos outros…

As raízes da árvore, retorcidas e emaranhadas, penetraram fundo na terra. Com seu tronco, ela abrigava a terra do vento e da chuva, e estendia seus membros para proteger a terra abaixo de seus pés. A árvore fazia assim porque a terra era a sua mãe. Elas se fortalecem e confiam uma na outra, e nunca devem se separar…

E assim essa história termina. Vocês podem abrir os olhos. A história que contei foi sobre uma semente, a terra, uma árvore, a luz do sol, os pássaros e o homem. Tinha apenas umas poucas cenas. Com que sentimentos ela lhes deixou? Quando Eu falo dessa maneira, vocês entendem o que estou dizendo? (Entendemos.) Por favor, falem sobre os seus sentimentos. O que vocês sentiram depois de ouvir essa história? Primeiro, devo lhes dizer que todos os personagens da história podem ser vistos e tocados; são coisas reais, não metáforas. Quero que vocês considerem o que Eu disse. Não há nada esotérico na Minha história, e seus pontos principais poderiam ser expressados em umas poucas frases da história. (A história que ouvimos pinta um belo quadro: uma semente ganha vida e, conforme cresce, ela experimenta as quatro estações do ano: primavera, verão, outono e inverno. A terra nutre a semente em germinação como uma mãe nutriria. Ela aquece o broto no inverno para que ele possa sobreviver ao frio. Depois que o broto virou uma árvore, um raio de sol toca seus galhos, trazendo a ela muita alegria. Vejo que dentre a multiplicidade da criação de Deus a terra também é viva e que ela e a árvore dependem uma da outra. Também vejo o calor generoso que a luz do sol concede à árvore, e vejo pássaros que, apesar de serem criaturas comuns, se juntam à árvore e aos seres humanos em um quadro de perfeita harmonia. Esses são os sentimentos que tive em meu coração conforme ouvi essa história; percebo que todas essas coisas estão vivas de fato.) Bem falado! Alguém tem alguma outra coisa a acrescentar? (Nessa história de uma semente brotando e virando uma árvore grandiosa, vejo a maravilha da criação de Deus. Vejo que Deus criou todas as coisas para se fortificarem e dependerem umas das outras, e que todas as coisas estão conectadas e servem umas às outras. Vejo a sabedoria de Deus, Sua maravilha, e vejo que Ele é a fonte de vida para todas as coisas.)

Tudo que acabei de falar são coisas que vocês já viram. Sementes, por exemplo — elas crescem e viram árvores e, embora possa não ser capaz de ver o detalhe do processo, você sabe que isso acontece, não sabe? Você sabe, também, sobre a terra e a luz do sol. A imagem de pássaros empoleirados em uma árvore é algo que todos já viram, sim? E a imagem de pessoas se refrescando à sombra de uma árvore — isso é algo que vocês todos viram, sim? (Sim.) Então, quando todas essas coisas estão em uma única imagem, que sentimento essa imagem produz? (Um sentimento de harmonia.) Cada uma dessas coisas em tal imagem vem de Deus? (Sim.) Já que vêm de Deus, Deus sabe o valor e o significado da existência terrena de todas essas coisas diferentes. Quando Deus criou todas as coisas, quando planejou e criou cada coisa, Ele o fez com intenção; e quando Ele criou essas coisas, cada uma foi imbuída de vida. O ambiente que Ele criou para a existência da humanidade, como descrito na nossa história, é aquele onde as sementes e a terra dependem umas das outras, onde a terra pode nutrir as sementes e as sementes estão ligadas à terra. Esse relacionamento foi ordenado por Deus no início da Sua criação. A cena de uma árvore, luz do sol, pássaros e humanos é uma descrição do ambiente de vida que Deus criou para a humanidade. Primeiro, a árvore não pode sair da terra, nem pode ficar sem a luz do sol. Então, qual foi o propósito de Deus em criar a árvore? Podemos dizer que é apenas para a terra? Podemos dizer que é apenas para os pássaros? Podemos dizer que é apenas para as pessoas? (Não.) Qual é a relação entre eles? A relação entre eles é de fortalecimento mútuo, interdependência e inseparabilidade. Isso quer dizer que a terra, a árvore, a luz do sol, os pássaros e as pessoas contam uns com os outros para a existência e nutrem uns aos outros. A árvore protege a terra e a terra alimenta a árvore; a luz do sol provê à árvore, enquanto a árvore ganha ar puro a partir da luz do sol e reduz o calor escaldante do sol sobre a terra. No fim, quem se beneficia disso? A humanidade, não é? Esse é um dos princípios que sustenta o ambiente no qual a humanidade vive, o qual Deus criou; é como Deus concebeu para ser desde o início. Embora essa imagem seja simples, nela podemos ver a sabedoria de Deus e Sua intenção. A humanidade não pode viver sem a terra, ou sem as árvores, muito menos sem os pássaros e a luz do sol. Não é assim? Embora seja só uma história, o que ela retrata é um microcosmo da criação de Deus dos céus, da terra e de todas as coisas e Seu presente de um ambiente no qual a humanidade possa viver.

Foi para a humanidade que Deus criou os céus, a terra e todas as coisas, assim como um ambiente para habitar. Primeiro, o ponto principal que nossa história falou é o fortalecimento mútuo, a interdependência e a coexistência de todas as coisas. Sob esse princípio, o ambiente de existência da humanidade está protegido; ele pode existir e ser sustentado. Por causa disso, a humanidade pode prosperar e se reproduzir. A imagem que vimos era a de uma árvore, a terra, luz do sol, pássaros e pessoas reunidos. Deus também estava nessa imagem? Ninguém O viu lá, certo? Mas viu a regra do fortalecimento mútuo e da interdependência das coisas na cena; nessa regra pode-se ver a existência e a soberania de Deus. Deus usa tal princípio e tal regra para preservar a vida e a existência de todas as coisas. Desse modo, Ele provê a todas as coisas e à humanidade. Essa história está conectada ao nosso tema principal? De modo superficial, parece não estar, mas, na realidade, a regra com a qual Deus criou todas as coisas e Sua maestria sobre todas as coisas estão intimamente relacionadas a Ele ser a fonte de vida para todas as coisas. Esses fatos são inseparáveis. Agora vocês estão começando a aprender alguma coisa!

Deus comanda as regras que governam a operação de todas as coisas; Ele comanda as regras que governam a sobrevivência de todas as coisas; Ele controla todas as coisas, e as estabelece tanto para fortificar umas às outras quanto para depender umas das outras, de modo que não pereçam nem desapareçam. Só assim a humanidade pode continuar a existir; só assim pode viver sob a orientação de Deus em tal ambiente. Deus é o mestre dessas regras de operação e ninguém pode interferir com elas, nem pode mudá-las. Só o Próprio Deus conhece essas regras e só o Próprio Deus as gerencia. Quando as árvores brotarão; quando choverá; quanto de água e de nutrientes a terra fornecerá às plantas; em que estação as folhas cairão; em que estação as árvores darão frutos; quantos nutrientes a luz do sol fornecerá às árvores; o que as árvores exalarão após terem sido alimentadas pela luz do sol — todas essas coisas foram preordenadas por Deus quando Ele criou todas as coisas, conforme as regras que ninguém pode violar. As coisas que Deus criou, sejam vivas ou, aos olhos do homem, não vivas, repousam em Sua mão, onde Ele as controla e reina sobre elas. Ninguém pode mudar nem violar essas regras. Quer dizer, quando criou todas as coisas, Deus predeterminou que, sem a terra, a árvore não poderia assentar raízes, brotar e crescer; que, se não tivesse árvores, a terra então secaria; que a árvore se tornaria o lar dos pássaros e um local onde eles possam se abrigar do vento. Uma árvore pode viver sem a luz do sol? (Não.) Nem poderia viver só com a terra. Todas essas coisas são para a humanidade, para a sobrevivência da humanidade. Da árvore, o homem recebe ar puro, e o homem vive sobre a terra, que é protegida pela árvore. O homem não pode viver sem a luz do sol nem sem os diversos seres vivos. Embora essas relações sejam complexas, você precisa lembrar que Deus criou as regras que governam todas as coisas de modo que elas possam fortalecer umas às outras, depender umas das outras e coexistir. Em outras palavras, cada coisa simples que Ele criou tem valor e significado. Se criasse alguma coisa sem significado, Deus a faria desaparecer. Esse é um dos métodos que Deus usa para prover a todas as coisas. A que as palavras “prover a” se referem nessa história? Deus rega a árvore todos os dias? A árvore precisa da ajuda de Deus para respirar? (Não.) “Prover a” se refere aqui à gestão de Deus de todas as coisas após sua criação; é suficiente que Deus as gerencie após estabelecer as regras que as governam. Uma vez que a semente é plantada na terra, a árvore cresce sozinha. As condições para seu crescimento foram todas criadas por Deus. Deus criou a luz do sol, a água, o solo, o ar e o ambiente ao redor; Deus criou o vento, a geada, a neve, a chuva e as quatro estações. Essas são as condições de que a árvore precisa para crescer, e essas são as coisas que Deus preparou. Então, Deus é a fonte desse ambiente de vida? (Sim.) Deus tem de contar cada folha das árvores todos os dias? Não! Deus não precisa ajudar a árvore a respirar nem acordar a luz do sol todos os dias, dizendo: “Agora é hora de brilhar sobre as árvores”. Ele não precisa fazer isso. A luz do sol brilha por si mesma quando é hora de brilhar, em concordância com as regras; ela aparece e brilha sobre a árvore, e a árvore absorve a luz do sol quando precisa absorver, e quando não precisa a árvore ainda vive dentro das regras. Vocês podem não ser capazes de explicar esse fenômeno com clareza, mas, apesar de tudo, é um fato que qualquer um pode ver e confirmar. Tudo que você precisa fazer é reconhecer que as regras que governam a existência de todas as coisas vêm de Deus, e saber que Deus é soberano sobre o crescimento e a sobrevivência de todas as coisas. Você entende, não entende?

Agora, essa história contém o que as pessoas chamam de metáfora? É uma personificação? (Não.) Eu contei uma história real. Cada espécie de coisa viva, tudo que tem vida, é governada por Deus; cada coisa viva foi imbuída de vida por Deus quando foi criada; a vida de toda coisa viva vem de Deus e segue o curso e as leis que a dirigem. Isso não requer que o homem o altere, nem requer ajuda do homem; é uma das formas pelas quais Deus provê a todas as coisas. Vocês entendem, não entendem? Vocês acham necessário que as pessoas reconheçam isso? (Sim.) Então, essa história tem algo a ver com biologia? Está relacionada de alguma forma a um campo do saber ou a um ramo da aprendizagem? Não estamos discutindo biologia e certamente não estamos conduzindo uma pesquisa biológica. Qual é a ideia principal da nossa conversa? (Deus é a fonte da vida para todas as coisas.) O que vocês viram na criação? Vocês viram árvores? Viram a terra? (Sim.) Viram a luz do sol, não viram? Viram pássaros empoleirados nas árvores? (Vimos.) A humanidade está feliz em viver em tal ambiente? (Sim.) Ou seja, Deus usa todas as coisas — as coisas que Ele criou — para manter e proteger o lar da humanidade, seu ambiente de vida. Desse modo, Deus provê à humanidade e a todas as coisas.

O quanto vocês gostam do estilo dessa conversa, da maneira como estou comunicando? (É fácil de entender e há exemplos da vida real.) Não são palavras vazias que Eu falo, são? As pessoas precisam dessa história para entender que Deus é a fonte da vida para todas as coisas? (Sim.) Nesse caso, vamos passar para a nossa história seguinte. A próxima história é um pouco diferente em conteúdo, e o foco também é um pouco diferente. Tudo que aparece nessa história é algo que as pessoas podem ver com seus olhos na criação de Deus. Agora, começarei Minha próxima narração. Por favor, ouçam em silêncio e vejam se vocês conseguem imaginar o que quero dizer. Após a história, farei algumas perguntas para ver o quanto vocês aprenderam. Os personagens dessa história são uma grande montanha, um pequeno riacho, um vento forte e uma onda gigantesca.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único VII’ em “A Palavra manifesta em carne

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado