Deus cria, governa e administra tudo inteiramente para a sobrevivência da humanidade

14 de Abril de 2020

As duas histórias que acabei de contar, embora um pouco incomuns no conteúdo e na forma de expressão, contadas, como foram, de uma maneira um tanto especial, foram a Minha tentativa de usar uma linguagem direta e uma abordagem simples para ajudá-los a ganhar e aceitar algo mais profundo. Esse foi o Meu único objetivo. Nessas pequenas histórias e nas imagens que elas pintaram, Eu quis que vocês vissem e acreditassem que Deus é soberano sobre toda a criação. O objetivo de contar essas histórias é lhes permitir ver e conhecer os feitos infinitos de Deus dentro dos limites finitos de uma história. Em relação a quando vocês entenderão plenamente e atingirão esse resultado em si mesmos — isso depende de suas experiências próprias e de sua busca própria. Se você é alguém que busca a verdade e procura conhecer a Deus, essas coisas servirão como um lembrete cada vez mais eficaz; elas lhe darão uma consciência profunda, uma clareza em seu entendimento, que gradualmente se aproximará dos feitos reais de Deus, com uma proximidade que será sem distância e sem erro. No entanto, se você é alguém que não busca conhecer a Deus, então essas histórias não podem lhes causar nenhum mal. Simplesmente as considerem histórias reais.

Vocês ganharam algum entendimento dessas duas histórias? Em primeiro lugar, essas duas histórias estão separadas da nossa discussão anterior da preocupação de Deus para com a humanidade? Existe uma conexão inerente? É verdade que no bojo dessas histórias vemos os feitos de Deus e a consideração total que Ele dedica a tudo que planeja para a humanidade? É verdade que tudo que Deus faz e tudo que Ele pensa são para o bem da existência da humanidade? (Sim.) O pensamento e a consideração diligentes de Deus para com a humanidade não são muito evidentes? A humanidade não tem de fazer nada. Deus preparou o ar para as pessoas — tudo que elas precisam fazer é respirá-lo. As hortaliças e as frutas que elas comem estão disponíveis de imediato. De norte a sul, de leste a oeste, cada região tem os próprios recursos naturais. Os diferentes cultivos regionais e as frutas e hortaliças foram todos preparados por Deus. No ambiente maior, Deus criou todas as coisas se fortificando mutuamente, interdependentes, se fortalecendo mutuamente, se neutralizando mutuamente e coexistindo. Esse é Seu método e Sua regra para manter a sobrevivência e a existência de todas as coisas; dessa forma, a humanidade tem sido capaz de crescer em segurança e serenamente nesse ambiente de vida, de se multiplicar de uma geração para a seguinte, até os dias atuais. Quer dizer, Deus traz equilíbrio para o ambiente natural. Se Deus não fosse soberano e não estivesse no controle, o ambiente, mesmo que ainda tivesse sido criado por Deus, estaria além da capacidade de alguém de manter e sustentar em equilíbrio. Em alguns lugares não há ar e a humanidade não consegue sobreviver em tais lugares. Deus não permitirá que você vá até eles. Então, não vá além dos limites adequados. Isso é para a proteção da humanidade — há mistérios ali. Cada aspecto do ambiente, a longitude e a amplitude da terra, toda criatura da terra — tanto vivas quanto mortas — foram concebidos e preparados por Deus com antecedência. Por que essa coisa é necessária? Por que aquela coisa é desnecessária? Qual é o propósito de ter essa coisa aqui e por que aquela coisa deveria ir para lá? Deus já pensou em todas essas perguntas e não há necessidade de as pessoas pensarem nelas. Existem alguns tolos que sempre pensam em mover montanhas, mas, em vez de fazer isso, por que não mudar para as planícies? Se você não gosta de montanhas, por que mora perto delas? Isso não é tolice? O que aconteceria se você movesse aquela montanha? Furacões e ondas enormes viriam e o lar das pessoas seria destruído. Isso não seria estupidez? As pessoas só são capazes de destruição. Elas não conseguem nem manter o único lugar que têm para viver e mesmo assim querem prover a todas as coisas. Isso é impossível.

Deus permite que a humanidade gerencie todas as coisas e tenha domínio sobre elas, mas o homem faz um bom trabalho? O homem destrói tudo que pode. Ele não é simplesmente incapaz de manter tudo que Deus criou para ele em sua condição original — ele fez o oposto e destruiu a criação de Deus. A humanidade moveu as montanhas, reivindicou terra dos mares e transformou as planícies em desertos onde ninguém consegue viver. Mas é no deserto que o homem criou a indústria e construiu bases nucleares, semeando destruição por toda parte. Agora, os rios não são mais rios, o mar não é mais o mar… Uma vez que a humanidade perturbou o equilíbrio do ambiente natural e suas regras, seu dia de desastre e morte não está longe; é inevitável. Quando acontecer um desastre, a humanidade conhecerá a preciosidade de tudo que Deus criou para ela e quão importante é para a humanidade. Para o homem, viver em um ambiente cujos ventos e chuvas chegam no tempo certo é como viver no paraíso. As pessoas não percebem que isso é uma bênção, mas no momento em que perderem tudo elas verão o quanto é raro e precioso. E uma vez que esteja acabado, como alguém o traria de volta? O que as pessoas poderiam fazer se Deus fosse relutante em criá-lo novamente? Existe algo que vocês pudessem fazer? (Não, não existe nada.) Na verdade, há algo que vocês podem fazer. É muito simples — quando Eu lhes disser o que é, vocês saberão imediatamente que é viável. Como é que o homem se viu nesse estado atual da existência? É por causa de sua ganância e destruição? Se o homem parar essa destruição, seu ambiente de vida não se endireitará gradualmente? Se Deus não faz nada, se Deus não deseja mais fazer algo pela humanidade — quer dizer, se Ele não intervier nessa questão — então, a melhor solução da humanidade seria interromper toda a destruição e permitir que o ambiente de vida volte a seu estado natural. Pôr um fim em toda essa destruição significa pôr um fim na pilhagem e na devastação das coisas que Deus criou. Fazer isso permitiria que o ambiente no qual o homem vive se recuperasse aos poucos, enquanto fracassar em fazê-lo resultaria em um ambiente ainda mais odioso para a vida, cuja destruição se aceleraria com o tempo. Minha solução é simples? É simples e viável, não é? Simples, de fato, e viável para algumas pessoas — mas ela é viável para a grande maioria das pessoas na terra? (Não é.) Para vocês, pelo menos, é viável? (Sim.) O que é que faz vocês dizerem “sim”? Pode-se dizer que ele vem de uma fundação de entendimento dos feitos de Deus? Pode-se dizer que sua condição é a obediência à soberania e ao plano de Deus? (Sim.) Existe um modo de mudar as coisas, mas esse não é o tópico que estamos discutindo agora. Deus é responsável por toda vida humana e é responsável até o fim. Deus provê a você e mesmo se, nesse ambiente destruído por Satanás, você tiver ficado doente ou contaminado ou violado, isso não importa — Deus proverá a você e Deus deixará você continuar a existir. Vocês têm fé nisso? (Sim.) Deus não permite que um ser humano morra levianamente.

Agora, vocês chegaram a sentir um pouco da importância de reconhecer Deus como a fonte de vida para todas as coisas? (Sim, chegamos.) Que sentimentos vocês têm? Contem-Me. (No passado, nunca pensamos em conectar as montanhas, os mares e os lagos às ações de Deus. Foi só ouvir a comunicação de Deus hoje que entendemos que essas coisas têm os feitos e a sabedoria de Deus dentro delas; vemos que, mesmo quando começou a criar todas as coisas, Deus já havia imbuído cada coisa com um destino e Sua boa vontade. Todas as coisas estão se fortificando mutuamente e são interdependentes, e a humanidade é a beneficiária final. O que ouvimos hoje parece muito novo e original — sentimos como as ações de Deus são reais. No mundo real, em nossa vida diária e em nossos encontros com todas as coisas, vemos que é assim.) Vocês viram isso verdadeiramente, não viram? Deus não provê à humanidade sem uma fundação sólida; Sua provisão não é só umas poucas palavras breves. Deus tem feito muito, e até as coisas que você não vê são todas para seu benefício. O homem vive neste ambiente, com todas as coisas que Deus criou para ele, onde as pessoas e todas as coisas dependem umas das outras. Por exemplo, as plantas exalam gases que purificam o ar, e as pessoas respiram o ar purificado e se beneficiam dele; mas algumas plantas são venenosas para as pessoas, enquanto outras plantas neutralizam as plantas venenosas. Essa é uma maravilha da criação de Deus! Mas vamos deixar esse tópico de lado por enquanto; hoje, nossa discussão foi principalmente sobre a coexistência do homem e o restante da criação, sem a qual homem não pode viver. Qual é a importância da criação de Deus de todas as coisas? O homem não pode viver sem o restante, da mesma forma que o homem precisa do ar para viver — se fosse colocado num vácuo, você logo morreria. Esse é um princípio muito simples que mostra que o homem não pode existir separadamente do restante da criação. Então, que atitude o homem deveria ter em relação a todas as coisas? Uma atitude que as estime, que as proteja, faça um uso eficiente delas, não as destrua, não as desperdice e não as mude por um capricho, pois todas as coisas provêm de Deus, todas as coisas são Sua provisão à humanidade e a humanidade precisa tratá-las de modo consciente.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único VII’ em “A Palavra manifesta em carne

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.

Conteúdo relacionado