Quem me deu minha liberdade?

20 de Janeiro de 2022

Por Ruizhi, China

Quando decidi me converter, meu marido disse que ter fé era maravilhoso e, às vezes, me acompanhava nas reuniões. Então, em 28 de maio de 2014, o Partido Comunista inventou o caso de Zhaoyuan e jogou a culpa na Igreja de Deus Todo-Poderoso. Os rumores estavam em todas as mídias — TV, rádio e jornais. Foi uma época terrível. Muitos irmãos e irmãs foram presos. Numa tarde, quando voltei de uma reunião, Meu marido disse com voz aflita: “Ah, você voltou! Você foi denunciada por crer em Deus!” Meu coração parou como se tivesse levado um tiro, então perguntei: “Como você soube disso?” Ele baixou a voz e disse: “Hoje de manhã, no trabalho, meu líder de unidade de trabalho e a Comissão de Inspeção Disciplinar me chamaram para uma reunião que era sobre sua religião. Disseram que o Comitê Central tinha designado a Igreja de Deus Todo-Poderoso uma ‘xie jiao’ muito tempo atrás e agora estava realmente fechando o cerco nela. Na nação inteira, cidades, fábricas e negócios e os lares das pessoas estão sendo revistados buscando crentes em Deus Todo-Poderoso. Todos os crentes serão expulsos. Também disseram que os membros do Partido não podem ter religião, e se forem descobertos, perderão seus empregos públicos, não haverá universidade para seus filhos, nem escola militar nem empregos públicos”. Ele disse que sua colega, a senhora Zhao, era uma crente. Ela não só foi demitida, seu marido também foi expulso de seu serviço público. E, embora seu filho tivesse notas excelentes em seus exames de admissão, o garoto não foi aceito pela faculdade. Meu marido me contou que, se eu continuasse crendo, isso prejudicaria toda a nossa família. Então ficou em silêncio por um tempo, depois disse com grande seriedade: “Tenho refletido sobre isso por muito tempo. Crer em Deus Todo-Poderoso não é bom para nós. Pelo bem da nossa família, decidi desistir disso. Se você continuar acreditando, pratique isso em casa. Nunca fora de casa. Se você for denunciada de novo por crer em Deus Todo-Poderoso, toda a nossa família sofrerá juntamente com você”. Sabem, para ser totalmente honesta, foi algo muito inesperado. No início, não soube o que fazer. Eu estava muito agitada. Entendi que a postura do meu marido em relação a isso era sua última palavra e, assustado com as ameaças do Partido, ele não ousava mais acreditar. Ele também não queria que eu acreditasse nem cumprisse o meu dever. Mas eu não podia NÃO acreditar em Deus. Eu tinha certeza de que esse é o caminho verdadeiro, que isso é a aparição e obra de Deus. Ele está expressando verdades para purificar e salvar a humanidade. Eu TINHA de acreditar. Mas então pensei: eu já tinha sido denunciada à polícia e meu marido não me apoiava. Se eu continuasse cumprindo meu dever, certamente eu enfrentaria obstáculos, e se fosse presa, minha família seria implicada. Achei que pararia de ir às reuniões e de cumprir meu dever; praticaria em casa. Provavelmente, isso seria mais seguro para nós. E talvez salvaria nossa família. Mas essa ideia fez com que me sentisse muito culpada. Alguns recém-convertidos estavam sendo seduzidos pelos rumores e mentiras espalhados pelo Partido Comunista, por isso precisavam de comunhão sobre a verdade para os ajudar e os apoiar. Se eu não saísse e cumprisse meu dever, eu não seria uma desertora que fugia da batalha? Isso não estava alinhado com a vontade de Deus. Eu não podia ignorar minha consciência. Lembrei-me que as coisas não eram tão simples quanto tinha pensado e não podia ser precipitada. Fui conversar com a minha líder, a irmã Li, para buscar com ela.

A caminho, fiquei remoendo isso o tempo todo. Meu marido costumava dizer que “fé é ótimo” e ele me apoiava no cumprimento do meu dever. Mas, de repente, ele deu ouvidos ao seu líder e parou de crer. E não queria que eu acreditasse. Foi uma mudança tão repentina. Depois de muita reflexão, percebi que eu temia como isso impactaria sua vida e posição. Era autopreservação. Isso me deixou muito desconfortável e pensei: “O homem foi criado por Deus, e ter fé e adorar a Deus é correto e natural. Por que o Partido não permite que as pessoas tenham fé? Por que a fé causaria problemas para o futuro de toda a sua família? A Constituição Nacional não garante liberdade de crença para todos? Por que, então, o Partido está freneticamente oprimindo os crentes?” Eu estava muito confusa. A irmã Li me fez ler uma passagem das palavras de Deus. “Em uma sociedade obscura como esta, onde os demônios são impiedosos e desumanos, como o rei dos demônios, que mata pessoas sem piscar um olho, poderia tolerar a existência de um Deus que é amável, bondoso e também santo? Como poderia aplaudir e comemorar a chegada de Deus? Lacaios! Retribuem bondade com ódio, há muito desdenham de Deus, abusam de Deus, são selvagens ao extremo, não têm a menor consideração por Deus, saqueiam e pilham, perderam toda a consciência, contrariam toda consciência e tentam os inocentes à insensatez. Ancestrais dos antigos? Líderes adorados? Todos eles se opõem a Deus! Sua interferência deixou tudo que está debaixo do céu em estado de escuridão e caos! Liberdade religiosa? Direitos e interesses legítimos dos cidadãos? São todos truques para encobrir o pecado! […] Por que erguer um obstáculo tão impenetrável para a obra de Deus? Por que usar diversos truques para enganar o povo de Deus? Onde estão a verdadeira liberdade e os direitos e interesses legítimos? Onde está a justiça? Onde está o conforto? Onde está a ternura? Por que usar esquemas ardilosos para enganar o povo de Deus? Por que usar força para suprimir a vinda de Deus? Por que não permitir que Deus circule livremente pela terra que Ele criou? Por que perseguir Deus até que Ele não tenha mais onde descansar a Sua cabeça? Onde está o calor entre os homens? Onde estão as boas-vindas entre as pessoas? Por que causar um anseio tão desesperado em Deus? Por que fazer Deus clamar vez após outra? Por que forçar Deus a se preocupar com Seu amado Filho? Nesta sociedade obscura, por que seus cães de guarda deploráveis não permitem que Deus venha e vá livremente no meio do mundo que Ele criou?” (A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Obra e entrada (8)”). Depois da leitura, a irmã Li disse isto: “Deus Todo-Poderoso veio nos últimos dias para expressar verdades para purificar e salvar a humanidade. Muitos crentes verdadeiros ouviram a voz de Deus e aceitaram Deus Todo-Poderoso, mas o Partido teme que as pessoas ganhem fé em Deus e o rejeitem. Ele usa todos os tipos de táticas para condenar e blasfemar contra a Igreja de Deus Todo-Poderoso, prendendo e perseguindo cristãos loucamente e envolvendo gerações de famílias de cristãos. Inventa rumores para blasfemar e caluniar a Igreja, para enganar as pessoas para que elas se unam a ele contra Deus, para alcançar seu objetivo selvagem de manter seu governo ditatorial. O Partido é um bando de demônios malignos que odeiam e resistem a Deus. No exterior, alegam apoiar a liberdade de religião, mas isso só é uma mentira para manipular as pessoas do mundo. Agora, esse caso de Zhaoyuan de 28 de maio é o PCCh criando um caso falso para condenar e difamar a Igreja de Deus Todo-Poderoso, e sua tática tem sido destruir quaisquer dissidentes. Mas não importa quão selvagem possa ser, o Partido ainda é um objeto de serviço nas mãos de Deus. Deus permite que ele aja dessa forma para que você possa ganhar discernimento sobre ele, para que você possa ver sua essência maligna e não seja seduzida por ele. No fim, você será capaz de rejeitar Satanás totalmente e de se voltar para Deus. Essa é a salvação de Deus”. As palavras da irmã Li me ajudaram a entender a essência maligna do PCCh de odiar a Deus e a verdade. Estava usando o futuro do meu marido e do meu filho para me ameaçar para que eu traísse a Deus. Eu não negociaria com Satanás! Não importava como o Partido me oprimisse ou como meu marido obstruísse meu caminho, eu devia ter fé e seguir a Deus e cumprir o meu dever.

Sim, naquela mesma noite, mas ele não quis saber. Ele até disse: “Trabalhei dentro desse sistema por todos esses anos e vi o PCCh inventar inúmeros casos falsos e injustos. Eu não sei mais do que você? Mas a China é um país autocrático, e foi na China que nascemos. Você deve seguir a política do Partido Comunista. Caso contrário, será punida. Os fracos não podem derrotar os fortes. Eu costumava pensar que sua fé era uma coisa muito boa, que ela só colocava as pessoas na senda certa. Nunca imaginei que seria sancionada pelo Partido que as pessoas perdessem seu emprego, fossem detidas, presas ou até mesmo espancadas até a morte. As consequências são sérias demais. Se você insistir em crer, não é só você que pode ser presa. Eu, eu não conseguirei manter meu emprego, e então o que comeríamos? O que beberíamos? Nosso filho nunca entrará na faculdade, nunca trabalhará no serviço público nem frequentará a escola militar. Você realmente arruinaria todo o futuro do seu filho em nome do seu Deus?”. Ouvi-lo dizer essas coisas me deixou enfurecida e, ao mesmo tempo, terrivelmente angustiada. Se eu continuasse praticando minha fé, eu poderia ser demitida do meu emprego, o emprego do meu marido não estaria seguro e nosso filho nunca frequentaria a faculdade. Nossa vida como família e o futuro do meu marido e do meu filho sofreriam. Nossa família seria destruída e tudo seria culpa minha. Como os encararia depois disso? Fiquei me revirando na cama naquela noite; não consegui dormir nem por um segundo. Naquele momento, fiz uma oração silenciosa e pedi ajuda a Deus; Pedi que Ele me guiasse, protegesse meu coração e me mostrasse o caminho.

Mais tarde, li isto nas palavras de Deus: “O coração e o espírito do homem são guardados na mão de Deus, tudo de sua vida é observado pelos olhos de Deus. Não importa se você acredita nisso ou não, todas as coisas, vivas ou mortas, vão se transformar, mudar, se renovar e desaparecer de acordo com os pensamentos de Deus. Tal é a maneira pela qual Deus preside sobre todas as coisas” (A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Deus é a fonte da vida do homem”). Depois de ler isso, senti uma grande vastidão se abrir dentro de mim. Percebi que Deus governa sobre tudo e que o coração e o espírito humanos estão inteiramente ao Seu alcance, tanto quanto o destino e futuro do meu marido e do meu filho. Se meu marido perderia seu emprego ou não, se nosso filho entraria na faculdade ou não — Deus não tinha a última palavra? Isso não poderia ser orquestrado por nenhum humano. Além disso, ter fé era seguir a senda correta na vida e eu não tinha feito nada contra a lei. Se minha família fosse envolvida nisso, isso seria culpa do Partido Comunista. Seria por causa da maldade do Partido. Quando entendi isso, fiz uma oração a Deus, colocando o futuro do meu marido e do meu filho em Suas mãos. Eu me senti um pouco melhor depois de fazer a oração. Então, completamente serena, eu disse ao meu marido: “O homem foi criado por Deus e é correto acreditarmos Nele e O adorarmos. Não posso desistir da minha fé para preservar nossa família. Isso seria trair a Deus. Não posso me voltar contra Deus, não posso prejudicá-Lo. Você não acredita mais porque tem medo do Partido, de perder seu emprego. Essa é a sua escolha. Mas tenho certeza de que Deus Todo-Poderoso é o Deus verdadeiro, e desfrutei tanto da Sua graça e das suas provisões da verdade. Não posso ser ingrata e dar as costas para Ele. Além disso, Deus governa sobre o destino da humanidade, e tudo está em Suas mãos. Não importa se eu for expulsa ou não, se você for demitido, se nosso filho poderá entrar na faculdade, tudo está nas mãos de Deus e nenhum humano tem a última palavra”. Meu marido não gostou de ver que eu não faria o que ele queria que eu fizesse, então ele levantou sua voz e disse: “Não me importo com o que você diz. Você não pode sair para as reuniões. Pratique sua fé em casa”. Respondi: “Como isso seria fé sem ir às reuniões? Isso é jeito de ganhar a verdade? Fé nominal é ser um incrédulo. Você pode estar no comando de todos os assuntos da nossa família, mas não posso fazer o que você diz quando se trata da minha fé”. Ao ver como eu estava determinada, ele saiu batendo a porta de raiva e sumiu.

Quando voltei de uma reunião naquela noite, nossa sala estava cheia de gente. Meu pai, que já passou dos 80 anos, estava sentado ali, meu tio, meu cunhado, minha irmã e meu irmão estavam todos olhando para mim. Quando meu pai me viu, ele ficou com muita raiva, apontando para mim com uma mão, apoiando-se no sofá com a outra: “Você foi para uma reunião, não foi? Como pôde fazer isso? O Partido está prendendo cristãos feito louco! Não se importa em ser presa? O que acontecerá com seu filho se você for presa? Como todos sobreviverão? A partir de amanhã, você está proibida de sair de casa! Estarei aqui para vigiar você!” Meu tio pareceu tão desanimado quando soltou um suspiro e disse: “O ataque contra os cristãos na China é sério agora. Que bom lhe fará manter sua fé? Se você for presa, todos nesta família serão implicados. Não pode fazer a coisa certa para sua família?” Meu irmão, de olhos arregalados, disse: “O Partido quer aniquilar a Igreja de Deus Todo-Poderoso. Minha unidade de trabalho está monitorando os movimentos de todos os funcionários e todos são suspeitos. Como você tem a audácia de sair em tempos assim? Você não tem medo? Medo de ser presa? A partir de amanhã, não irei trabalhar. Ficarei aqui para vigiar você”. E meu cunhado acrescentou: “Em tudo que você fez, nossa família sempre tem sido sua primeira preocupação. Tenho muito respeito por você; sempre admirei sua consciência. Mas agora você parece uma pessoa totalmente diferente. Por que não nos ouve? Mesmo que não pense em si mesma, pelo menos pense nesta família! Se algo acontecer com você, isso impactará todos nesta sala. Não podemos permitir que você destrua toda a nossa família. A partir de amanhã, eu seguirei você em meu carro para onde quer que você vá”. Foi um vai e vem. Era como numa daquelas denúncias públicas na Revolução Cultural. Quando vi para onde isso estava indo, eu disse severamente: “Eu ouvirei todos vocês em qualquer outro assunto. Mas em tudo que diz respeito à minha fé, tenho meus limites e não posso fazer isso. Deus Todo-Poderoso é o único Deus verdadeiro e, nos últimos dias, Ele expressou verdades para salvar a humanidade. Essa é uma oportunidade única na vida. Qualquer um sem fé, que não aceite a verdade, acabará caindo no grande desastre nos últimos dias. Tenho compartilhado o evangelho com vocês, e vocês sabem que fé é uma coisa boa. Por que, então, vocês não acreditam, mas seguem o Partido, tentando fazer com que eu traia a Deus? Será que tudo isso realmente é para o meu próprio bem? Vocês não conseguem distinguir entre o bem e o mal, o certo do errado. Vocês só seguem o PCCh, opondo-se a Deus. Se não se arrependerem, vocês irão para o Inferno e serão punidos juntamente com ele”. Eles não tiveram mais nada a dizer. Todos foram embora, exceto meu pai idoso, que ficou para ficar de olho em mim como tinha prometido. Na manhã seguinte, eu estava me preparando para sair de bicicleta, mas meu pai se agarrou à minha bicicleta para me impedir. Meu irmão também começou a vir todos os dias para garantir que eu não saísse. Certa manhã, quando tentei sair, ele pegou um banco e estava prestes a me bater com ele — bem nas costas, mas acabou jogando-o no chão enfurecido, quebrando-o em duas partes. Vendo minha família agir dessa maneira foi muito decepcionante para mim. Que tipo de “entes queridos” eram eles? Costumávamos ser uma grande família feliz — como deveria ser, mas a opressão pelo Partido Comunista os tinha levado a me tratar como se eu fosse um inimigo. Meu coração começou a fraquejar, e pensei: “Quando esses dias terríveis terão um fim? Se eu parar de ir para as reuniões, eles deixarão de me tratar assim”. Àquela altura, percebi que eu estava caindo num dos truques de Satanás. Satanás explorava meus afetos para fazer com que eu traísse a Deus. Eu sabia que não podia cair nessa. Então orei a Deus, pedindo que Ele me guiasse a entender a Sua vontade para que eu pudesse dar testemunho Dele.

Numa reunião, a líder encontrou uma passagem que tratava desse meu problema. “Quando as pessoas ainda precisam ser salvas, suas vidas são frequentemente perturbadas e até mesmo controladas por Satanás. Em outras palavras, pessoas que não foram salvas são prisioneiras de Satanás, elas não têm liberdade, elas não foram renunciadas por Satanás, elas não estão qualificadas ou têm o direito de adorar a Deus, e elas são perseguidas de perto e violentamente atacadas por Satanás. Essas pessoas não têm felicidade de que falar, não têm direito a uma existência normal de que falar e, além disso, não têm dignidade de que falar. Somente se você se levantar e lutar contra Satanás, usando sua fé em Deus e obediência e temor a Deus como armas para lutar uma batalha de vida ou morte com Satanás, de modo que você derrote completamente a Satanás e o faça se retirar e virar um covarde sempre que o vir, de modo que ele abandone completamente seus ataques e acusações contra você — somente então você será salvo e liberto. Se você está determinado a romper totalmente com Satanás, mas não está equipado com as armas que o ajudarão a derrotar Satanás, então você ainda estará em perigo; conforme o tempo passa, quando você tiver sido tão torturado por Satanás que não haja uma gota de força em você, no entanto, você ainda não for capaz de dar testemunho, ainda não se libertou completamente das acusações e ataques de Satanás contra você, então você terá pouca esperança de salvação. No final, quando a conclusão da obra de Deus for proclamada, você ainda estará nas garras de Satanás, incapaz de se libertar, e assim você nunca terá uma chance ou esperança. A implicação, então, é que tais pessoas estarão completamente no cativeiro de Satanás” (A Palavra, vol. 2: Sobre conhecer a Deus, “A obra de Deus, o caráter de Deus e o Próprio Deus II”). Depois da comunhão dela, entendi que o PCCh estava fazendo tudo em seu poder para perturbar e interromper a obra de Deus, até iludindo os membros da minha família com rumores selvagens para que ficassem do lado do Partido, atacando e oprimindo minha fé. Ele queria me controlar e alterar minha senda para que eu deixasse de seguir a Deus e acabasse punida no Inferno com eles. Se eu seguisse Satanás, preocupada com minha família, desistisse de praticar minha fé, eu estaria caindo nos truques de Satanás. Satanás me pegaria e eu perderia qualquer chance de ser salva. O fato de que minha família me tratava como seu inimigo porque eu acreditava em Deus significava que eles eram seguidores do grande dragão vermelho e eram seus fantoches. Eu não podia permitir que Satanás vencesse. Eu devia confiar em Deus, dar testemunho e derrotar Satanás. Depois disso, minha família decidiu que eu era um caso perdido e relaxou. Continuei cumprindo meu dever.

Foi em agosto de 2018. Eu tinha um dever fora da cidade. Quando voltei para casa, meu marido me disse: “Xiaoyu, com quem você compartilhou o evangelho antes, estava sendo procurada por crer em Deus Todo-Poderoso. A polícia me procurou no meu emprego e fez perguntas. Meu chefe me perguntou se você e eu tínhamos alguma conexão com ela e se eu sabia onde ela estava agora. O marido dela me liga todos os dias perguntando sobre ela, dizendo que a razão pela qual eles se separaram foi porque você pregou o evangelho a ela. Fiquei acordado a noite toda, preocupado com você. Temo que você será presa. E então o que acontecerá com nossa família? Como sobreviveremos?” Quando ouvi essas palavras, também fiquei ansiosa. Então, com lágrimas nos olhos, ele disse: “Você precisa mesmo acreditar em Deus? Isso é tão importante para você? Você deve escolher agora. Escolherá Deus ou escolherá sua família?” Fiquei devastada e, naquele momento, não suportei me separar de nenhum dos dois. De um lado estava meu marido, com quem tinha convivido por mais de 20 anos, e do outro lado estava Deus, que tinha me dado a vida. Eu não sabia o que dizer. Rapidamente orei a Deus para proteger meu coração. Depois da oração, eu disse a ele: “Se você me obrigar a escolher entre os dois, Escolherei Deus”. Ele disse: “Já que você escolhe Deus, nós nos divorciaremos. Se você me quiser, terá de desistir da sua fé para que possamos ter uma vida feliz”. Respondi: “Deus criou o homem, então o homem deve seguir a Deus. Já que escolhi a fé, Seguirei Deus até o fim. Você está livre para não ter fé e eu não o obrigarei, mas escolher ter fé é minha liberdade. Quanto ao divórcio, respeito sua decisão”. Ao ouvir isso, ele não falou mais comigo.

Quando nosso filho voltou para casa nas férias de inverno, ele me disse: “O papai diz que você se recusa a desistir de sua fé em Deus, e é por isso que ele está se divorciando de você. Não quero que vocês se divorciem, quero que nossa família permaneça junta”. Isso partiu meu coração. Pensei sobre o divórcio real. Nós três não estando mais juntos, não tendo uma família feliz — isso seria difícil para o meu filho. Não havia como preservar a família se eu praticasse a minha fé. Isso era tão angustiante para mim. Então me lembrei destas palavras de Deus. “Em cada passo da obra que Deus faz no interior das pessoas, externamente ela parece consistir em interações entre pessoas, como se nascida de arranjos humanos ou de interferência humana. Mas nos bastidores, cada passo da obra e tudo o que acontece é uma aposta feita por Satanás diante de Deus e requer que as pessoas permaneçam firmes em seu testemunho a Deus. Veja quando Jó foi provado, por exemplo: nos bastidores, Satanás estava fazendo uma aposta com Deus, e o que aconteceu a Jó foram os feitos dos homens e a interferência dos homens. Por trás de cada passo da obra que Deus faz em vocês está a aposta de Satanás com Deus — por trás disso tudo há uma batalha. […] Quando Deus e Satanás lutam no reino espiritual, como você deve satisfazer a Deus e como você deve permanecer firme em seu testemunho a Ele? Você deve saber que tudo que acontece com você é uma grande provação e é o momento em que Deus precisa que você dê testemunho” (A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Apenas amando a Deus é que verdadeiramente se crê em Deus”). As palavras de Deus me fizeram perceber que parecia que meu filho estava pedindo uma família plena e feliz, mas, na verdade, era Satanás me tentando. Satanás estava se aproveitando das minhas emoções para fazer com que eu traísse a Deus, mas Deus estava usando isso para testar a minha fé, para ver quão genuína era e se eu conseguiria dar testemunho do lado de Deus. Em minha busca, li outra passagem: “Você deve sofrer dificuldades pela verdade, deve se entregar à verdade, deve suportar humilhação pela verdade e, para ganhar mais da verdade, você deve passar por mais sofrimento. É isso que você deve fazer. Você não deve jogar a verdade fora em favor de uma vida familiar pacífica nem deve perder a dignidade e integridade da sua vida por causa de um prazer momentâneo. Você deve buscar tudo que é belo e bom e buscar uma senda na vida que seja mais significativa” (A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “As experiências de Pedro: seu conhecimento de castigo e julgamento”). As palavras de Deus me deram força. Eu sabia que era significativo sofrer pela verdade. Se eu abandonasse Deus por causa dos meus sentimentos pela família, minha vida não teria sentido. Eu viveria sem dignidade. Pensei em como o Partido usou meu marido e minha família para me coagir a desistir da minha fé. Até me senti fraca algumas vezes, pensando em desistir do meu dever, em ficar com minha família, em fazer concessões a Satanás, mas Deus sempre estava ao meu lado como minha força, esclarecendo-me com Suas palavras, guiando-me para a verdade, ajudando-me a perceber a essência do PCCh contrária a Deus para que eu não fosse mais enganada por ele. Isso era o amor e a salvação de Deus. Eu não podia trair a Deus por sentimentalismo, mas devia buscar a verdade para viver uma vida com significado. Então eu disse ao meu filho: “Seu pai quer o divórcio porque teme que minha fé impactará a vida de vocês. Não quero envolver você, mas ter fé é a senda correta na vida e eu não posso desistir dela. Mas você deve saber que não sou eu que está destruindo a nossa família — é o PCCh”. Ele não me respondeu.

Dias depois, meu marido me entregou os documentos do divórcio. Tudo que havíamos construído durante 25 anos chegou ao fim, meu coração doeu. Então orei a Deus: “Deus, sei que isso aconteceu com Tua permissão. Por favor, protege meu coração e dá-me força”. Mais tarde, lembrei-me das palavras de Deus: “Crentes e incrédulos não são compatíveis; elas se opõem uns aos outros.” “Qualquer um que não acredite em Deus encarnado é demoníaco e, mais ainda, será destruído. […] Qualquer um que não reconhece Deus é um inimigo; isto é, qualquer um que não reconhece Deus encarnado — esteja ele fora ou dentro dessa corrente — é um anticristo! Quem é Satanás, quem são os demônios, quem são os inimigos de Deus se não os que resistem e que não acreditam em Deus?” (A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Deus e o homem entrarão em descanso juntos”). Meu marido me restringiu repetidas vezes, temendo perder seu emprego e ele voltou meu filho e minha família contra mim para impedir que eu acreditasse. Ele quis o divórcio quando não conseguiu me convencer, obrigando-me a escolher entre Deus e a família. Ele escolheu o Partido Comunista para proteger seus interesses pessoais. Ele estava na senda da destruição. Eu escolhi seguir a Deus, ganhar a verdade, que é a senda para o reino dos céus. Estávamos em sendas diferentes. Vivendo desse jeito — não havia como poderíamos ter continuado tendo um casamento feliz. Em retrospectiva, o divórcio foi a coisa certa e libertaria ambos de nós. Ele não precisava mais temer que eu lhe causaria problemas, e eu podia me concentrar em meu dever. Eu assinei os documentos de divórcio.

Tenho cumprido meu dever evangelístico durante todo esse tempo, e embora ainda sejamos perseguidos por ter fé na China e sempre estejamos em perigo de ser presos ou de perder nossa vida, jamais me arrependi de ter feito essa escolha. Continuarei espalhando o evangelho, dando testemunho e seguindo a Deus até o fim!

O alarme dos últimos dias já tocou e grandes desastres já começaram. Você quer dar as boas-vindas ao retorno do Senhor e ter a chance de receber a proteção de Deus com sua família?

Conteúdo relacionado

Entre em contato conosco pelo WhatsApp