Aplicativo da Igreja de Deus Todo-Poderoso

Ouça a voz de Deus e dê as boas vindas ao retorno do Senhor Jesus!

Convidamos a todos os buscadores da verdade que entrem em contato conosco.

Podemos entrar no reino dos céus, agora que nossos pecados foram perdoados?

166

He Jun, Sichuan

Domingo, 5 de agosto de 2018. Nublado.

Hoje, depois da reunião, um irmão veio me procurar com o semblante extremamente preocupado. Ele disse que Deus exige que as pessoas sejam santificadas, mas que ele muitas vezes peca involuntariamente, e perguntou se ele vive sempre assim no pecado, poderá entrar no reino dos céus quando o Senhor vier? Eu lhe disse que o Senhor Jesus foi crucificado e tomou sobre Si todos os nossos pecados, pagando o preço com Sua vida. Eu disse que nossos pecados haviam sido perdoados devido à nossa fé no Senhor Jesus, que Ele não mais nos via como pecadores e que, contanto que pudéssemos abandonar tudo e nos despender, trabalhar arduamente pelo Senhor e suportar até o final, seríamos arrebatados para o reino dos céus quando o Senhor retornasse. Depois de me ouvir dizer isso, o irmão não pareceu ter obtido a resposta que queria e partiu com um ar um tanto desapontado. Ao observá-lo se afastar, senti algumas emoções muito complexas. Na verdade, eu não tinha as mesmas preocupações desse irmão? Pensando em como eu havia acreditado no Senhor por muitos anos, mas muitas vezes estivera preso ao pecado e vivera numa condição na qual eu pecava durante o dia e confessava à noite, eu também não queria continuar vivendo dessa maneira. Mas eu realmente não era capaz de superar o pecado e, assim, frequentemente orava ao Senhor e aprofundava minha leitura das escrituras. Porém, eu nunca consegui resolver o problema dos meus pecados. O Senhor é santo, então Ele recomendaria alguém como eu, tão repleto de pecado?

Terça-feira, 7 de agosto de 2018. Nublado.

Hoje eu discuti com minha esposa por um assunto trivial, e sinto tanto remorso quanto angústia. Por que estou repetindo novamente os erros do passado? Esta noite eu chorei quando orei ao Senhor e confessei meus pecados, e depois de ter orado, ainda me senti aborrecido. Pensei nos ensinamentos do Senhor: “Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo” (Mateus 22:37-39). Essas palavras nos pedem, primeiramente, para amar a Deus com todo o coração e toda a alma, e, em segundo lugar, para amar os outros como a nós mesmos; irmãos e irmãs devem encorajar uns aos outros, ser tolerantes e pacientes uns com os outros e dar conforto e consolo uns aos outros. Isso é algo que devemos fazer como cristãos, e só assim podemos viver vidas que glorificam o Senhor e dão testemunho Dele. Mas ao longo dos últimos anos de minha crença no Senhor, nem ao menos atendi a essa simples exigência: em casa, às vezes minha esposa e eu brigamos por questões banais; na igreja, quando irmãos e irmãs dizem coisas que fazem com que eu me sinta humilhado, começo a sentir preconceito contra eles, e às vezes até os ignoro. Na maior parte do tempo eu oro dizendo que desejo amar ao Senhor, mas quando acontece algo desagradável em casa ou ocorre algum acidente, eu ainda interpreto mal a situação e culpo o Senhor, pensando: “Eu me despendi pelo Senhor, então por que Ele não me protege?…” Ah, nada do que eu faço atende às exigências do Senhor nem está de acordo com a Sua vontade. Embora muitas vezes eu ore ao Senhor, ainda peco com frequência e não consigo controlar isso, por mais que eu deseje. Muitas vezes eu penso: “Embora os meus pecados tenham sido perdoados devido à minha crença no Senhor, ainda assim eu sempre peco e desagrado a Ele. Se eu continuar dessa maneira, poderei entrar no reino dos céus quando o Senhor vier? Como posso parar de cometer pecados?”

Recentemente, tenho consultado a Bíblia com frequência e procurado muitas vezes os pastores e presbíteros, mas até agora não obtive uma resposta satisfatória. Esse problema está diretamente ligado à importante questão de saber se eu poderei ou não entrar no reino dos céus, e não consigo esquecer o assunto, por mais que eu tente. O Senhor disse: “Pedí, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei e abrir-se-vos-á” (Mateus 7:7). Eu acredito que, contanto que eu tenha um coração que busca a verdade, o Senhor certamente me iluminará.

Domingo, 12 de agosto de 2018. Céu encoberto.

Esta manhã, depois de orar sinceramente ao Senhor como de costume, eu abri a Bíblia e comecei minhas devoções espirituais. Então li um versículo de Apocalipse que fez meu coração se agitar: “E não entrará nela coisa alguma impura, nem o que pratica abominação ou mentira; mas somente os que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro” (Apocalipse 21:27). A Bíblia está nos dizendo claramente que aqueles de nós que não foram purificados não poderão entrar nele, e esse “nele” não se refere ao reino dos céus? Depois li o capítulo 7, versículo 21 do evangelho de Mateus: “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.” E também João 8:34-35: “Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é escravo do pecado. Ora, o escravo não fica para sempre na casa; o filho fica para sempre.” Ao contemplar esses versículos das escrituras, pensei que, embora eu tenha orado ao Senhor e lido a Bíblia todos os dias durante todos esses anos de minha crença no Senhor e tenha frequentemente divulgado o evangelho e trabalhado, abandonado coisas e me despendido por Ele, ainda assim cometo pecados conscientemente, eu peco e depois confesso, e não consigo aderir aos ensinamentos do Senhor nem praticar o que o Ele exige. Claramente não sou uma pessoa que faz a vontade do Pai celestial, muito menos uma pessoa que foi purificada, portanto, ainda poderei entrar no reino dos céus? O reino dos céus é o reino de Deus, e Ele é santo, então como é que alguém que está coberto de imundície e que peca constantemente poderá algum dia estar qualificado para entrar no reino dos céus e viver junto a Deus? Parece que entrar no reino dos céus não é tão simples quanto imaginávamos!

Segunda-feira, 13 de agosto de 2018. Nublado a ensolarado

Hoje encontrei o irmão Zheng, a quem eu não via há muito tempo, e fiquei muito feliz em vê-lo. Enquanto conversávamos, mencionei a coisa que vinha me intrigando esse tempo todo. Depois que lhe contei sobre o assunto, o irmão Zheng comungou comigo, dizendo: “Os pecados do homem foram perdoados quando o Senhor Jesus foi crucificado, e quando cremos no Senhor, nossos pecados são perdoados e nós somos salvos. Mas o que significa exatamente dizer que nossos pecados são perdoados? Se pudermos entender essa questão, saberemos por que ainda cometemos pecados mesmo depois de crer no Senhor e ter nossos pecados perdoados. Quando se trata de saber se poderemos ou não entrar no reino dos céus, primeiramente temos de analisar o contexto por trás da aparição e obra do Senhor Jesus. Ao final da Era da Lei, o homem estava sendo cada vez mais corrompido por Satanás e cometia cada vez mais pecados, tanto é que não havia mais nenhuma oferta pelo pecado que ele pudesse fazer que bastasse para expiar seus pecados, e as pessoas corriam o risco de serem condenadas e sentenciadas à morte pela lei da época. Nessa conjuntura, Deus se tornou carne como o Senhor Jesus e foi crucificado na cruz como uma oferta pelo pecado do homem, e assim os pecados do homem foram perdoados de uma vez por todas. Depois disso, contanto que as pessoas orassem, confessassem e se arrependessem em nome do Senhor, seus pecados eram perdoados e elas não eram mais submetidas à condenação e punição da lei. Deus também não via mais o homem como pecador, e as pessoas podiam orar a Ele e invocá-Lo diretamente e desfrutar da graça abundante de Deus e da Sua provisão da verdade. A partir disso, é possível ver que nossos pecados foram perdoados devido à nossa crença no Senhor, e é esse o significado de ‘nossos pecados foram perdoados’, é simplesmente que Deus perdoou nossos pecados de violar Suas leis e mandamentos e de contrariar Sua palavra. Ou seja, o Senhor não se lembrará de nossos atos pecaminosos de violar e ofender as leis de Deus. Mas nosso caráter satânico e nossa natureza pecaminosa, que nos levam a pecar, não foram perdoados por Deus, e é precisamente porque nossa natureza pecaminosa e caráter satânico, que O desafiam, continuam a existir que ainda somos capazes de cometer pecados frequentemente. Portanto, é possível ver que nossa natureza pecaminosa é algo que é extremamente desafiador a Deus e contrário à verdade, e se nós não resolvermos nossa natureza pecaminosa, será impossível resolver o problema dos pecados do homem, e poderemos até cometer pecados piores do que violar a lei, e entrar no reino dos céus estará totalmente fora de questão. A Bíblia afirma claramente: ‘Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em todo o vosso procedimento; porquanto está escrito: Sereis santos, porque eu sou santo’ (1 Pedro 1:15-16). ‘Porque se voluntariamente continuarmos no pecado, depois de termos recebido o pleno conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados, mas uma expectação terrível de juízo, e um ardor de fogo que há de devorar os adversários’ (Hebreus 10:26-27). ‘Porque o salário do pecado é a morte’ (Romanos 6:23). A partir desses versículos, eu percebi que, se nossa natureza pecaminosa não for resolvida e se continuarmos a viver numa condição em que pecamos durante o dia e confessamos à noite, embora possamos crer no Senhor até o fim, ainda assim pereceremos, pois Deus é santo e a humanidade, que é imunda e corrompida, é indigna de receber Suas bênçãos e promessas e será incapaz de entrar em Seu reino”.

Neste exato momento meu coração está bem mais alegre, e eu entendo que a questão de nossos pecados terem sido perdoados significa apenas que o Senhor nos perdoou por nossos atos pecaminosos de violar as leis de Deus. Mas ainda não resolvemos nossa natureza pecaminosa que O desafia, portanto, não é de se admirar que eu não consiga resolvê-la, por mais que eu deseje, se vivo diariamente em um estado de pecar durante o dia e confessar à noite! Graças ao Senhor! A comunhão que recebi hoje foi muito clara, e sinto que as nuvens se afastaram e finalmente posso ver o céu azul. Quando eu estava de saída, o irmão Zheng me deu um livro e disse que toda a sua compreensão vinha da leitura desse livro, e eu me senti feliz.

Quarta-feira, 15 de agosto de 2018. Céu limpo.

Graças ao amor de Deus tenho me sentido muito bem nos últimos dias. A partir da leitura do livro que o irmão Zheng me deu, passei a compreender muitas verdades que eu não compreendia antes, e ele desfez minha confusão e perplexidade de muitos anos. Eu li no livro: “Pois, na Era da Graça, os demônios eram expulsos do homem com a imposição das mãos e pela oração, mas os caracteres corruptos dentro do homem ainda permaneciam. O homem foi curado de sua doença e teve seus pecados perdoados, mas quanto a como exatamente o homem seria purificado dos caracteres satânicos corruptos dentro dele, essa obra ainda estava por ser feita. O homem foi apenas salvo e teve seus pecados perdoados por sua fé, mas a natureza pecaminosa do homem não foi extirpada e ainda permaneceu dentro dele. Os pecados do homem foram perdoados por meio da agência do Deus encarnado, mas isso não significa que o homem não tenha mais pecado dentro de si. Os pecados do homem podiam ser perdoados através da oferta pelo pecado, mas quanto a como exatamente se pode fazer o homem não pecar mais, e como sua natureza pecaminosa pode ser extirpada completamente e transformada, ele não tem como resolver esse problema” (de ‘O mistério da encarnação (4)’ em “A Palavra manifesta em carne”). “Você só sabe que Jesus descerá durante os últimos dias, mas como exatamente Ele descerá? Um pecador como você, que acaba de ser redimido, e não foi mudado ou aperfeiçoado por Deus, pode ser segundo o coração de Deus? Para você, você que ainda é do seu antigo eu, é verdade que você foi salvo por Jesus, e que você não é contado como pecador por causa da salvação de Deus, mas isso não prova que você não é pecador e não é impuro. Como você pode ser santo se não foi mudado? Internamente, você é assolado por impurezas, é egoísta e ignóbil, mas ainda deseja descer com Jesus – quem dera você ter tanta sorte! Você pulou uma etapa em sua crença em Deus: você foi meramente redimido, mas não foi mudado. Para você ser segundo o coração de Deus, Deus deve fazer pessoalmente a obra de mudar e limpar você; se você é apenas redimido, será incapaz de alcançar a santidade. Dessa forma, você não será qualificado para compartilhar as boas bênçãos de Deus, pois você perdeu um passo na obra de Deus de gerenciar o homem, que é o importante passo de mudar e aperfeiçoar. Assim, você, um pecador que acaba de ser redimido, é incapaz de herdar diretamente a herança de Deus” (de ‘Sobre denominações e identidade’ em “A Palavra manifesta em carne”).

Ao ler essas palavras e depois pensar no que o irmão Zheng havia me comunicado, de repente tudo ficou claro para mim. Acontece que o Senhor Jesus realizou apenas a obra de redenção da humanidade, permitindo assim que nossos pecados fossem perdoados e que fôssemos salvos por meio de nossa crença; o que Ele não fez foi a obra de purificar e mudar totalmente o homem. Embora o Senhor tenha perdoado nossos pecados, Ele não nos absolveu de nossa natureza satânica, e nossos carácteres satânicos interiores, tal como arrogância, egoísmo, falsidade e maldade, continuaram a existir. Essas coisas são mais profundas e obstinadas do que o pecado, e, a menos que essa natureza satânica que desafia a Deus e esses caracteres corruptos sejam resolvidos, continuaremos involuntariamente a cometer pecados e desafiar a Deus. Isso me fez pensar em como sempre vivemos no pecado. Por exemplo, em nossas relações com os outros, sempre queremos tirar proveito deles e não sair perdendo em nada; quando nos deparamos com outras pessoas que são melhores do que nós, muitas vezes expressamos os caracteres corruptos de ciúme e desobediência; não dizemos nada quando alguém nos desagrada, mas nosso coração se enche de ódio por ele; quando Deus nos agracia, nós nos sentimos felizes, mas quando Ele não nos agracia, nós O culpamos, tanto é que, quando ocorrem catástrofes naturais ou calamidades criadas pelo homem, concepções sobre Deus brotam dentro de nós, e em casos sérios podemos até mesmo negar e trair a Ele… Vivemos diariamente nesse círculo vicioso de pecar, confessar e depois pecar novamente, como disse o apóstolo Paulo: “Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; com efeito o querer o bem está em mim, mas o efetuá-lo não está” (Romanos 7:18). Se o Próprio Deus não tivesse vindo realizar a obra de purificação e mudança do homem, nenhum de nós seria capaz de se livrar das amarras e restrições do pecado, seríamos vencidos pelo pecado, seguiríamos as tendências malignas do mundo, cobiçaríamos os prazeres do pecado e nada do que vivêssemos teria um mínimo sequer de humanidade normal. Mesmo as pessoas que creem em Deus a vida inteira ou os líderes religiosos que conhecem bem a Bíblia e têm um conhecimento enciclopédico das escrituras são assim – nenhum deles consegue se livrar das amarras do pecado. Assim, mesmo que pudéssemos ter nossos pecados perdoados mil vezes, dez mil vezes, ainda assim não estaríamos qualificados para entrar no reino dos céus.

Graças ao Senhor! Essas palavras são tão preciosas e resolveram essa questão que me intrigou por tanto tempo. Então, como exatamente podemos nos livrar do pecado? Esse livro indicará uma maneira de fazer isso? Preciso continuar lendo…

Quinta-feira, 16 de agosto de 2018. Céu encoberto a ensolarado

À tarde, o sol conseguiu brilhar por entre de nuvens espessas. Estou em minha biblioteca, continuando a leitura do livro.

Dou graças à iluminação e orientação de Deus! Encontrei nesse livro o caminho para me livrar das amarras do pecado: “Os pecados do homem foram perdoados, e isso foi por causa da obra da crucificação de Deus, mas o homem continuou a viver no caráter satânico corrupto antigo. Sendo assim, o homem deve ser completamente salvo de seu caráter satânico corrupto para que a natureza pecaminosa do homem seja completamente extirpada para nunca mais se desenvolver, permitindo, assim, que o caráter do homem seja transformado. Isso requer que o homem entenda a senda do crescimento na vida, entenda o caminho da vida e entenda o caminho para mudar seu caráter. Além disso, requer que o homem aja de acordo com essa senda, para que o caráter do homem possa ser mudado paulatinamente e que ele possa viver sob o brilho da luz, para que tudo o que ele faça esteja de acordo com a vontade de Deus, para que ele possa eliminar o seu caráter satânico corrupto e para que possa libertar-se da influência das trevas de Satanás, emergindo, assim, completamente do pecado. Só então o homem receberá a salvação completa” (de ‘O mistério da encarnação (4)’ em “A Palavra manifesta em carne”). “Salvar o homem plenamente da influência de Satanás não exigiu apenas que Jesus tomasse os pecados do homem como oferta pelo pecado, mas também exigiu que Deus fizesse uma obra maior para livrar o homem completamente de seu caráter, que foi corrompido por Satanás. E assim, depois que os pecados do homem foram perdoados, Deus voltou para a carne para guiar o homem até a nova era e começou a obra do castigo e julgamento, e esta obra tem trazido o homem a um reino superior. Todo aquele que se submete ao Seu domínio desfrutará de uma verdade maior e receberá bênçãos maiores. Eles viverão verdadeiramente na luz e ganharão a verdade, o caminho e a vida” (de ‘Somente aquele que experimenta a obra de Deus verdadeiramente crê em Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”).

Ao ler essas duas passagens, de repente eu vi a luz: acontece que se nós quisermos nos livrar das amarras e restrições de nosso caráter satânico e corrupto, teremos de aceitar a obra de julgamento de Deus nos últimos dias, e assim nosso caráter corrupto poderá ser mudado e purificado, e só então estaremos qualificados para ver o rosto de Deus, alcançar Sua salvação completa e viver para sempre em Seu reino. Não pude deixar de pensar em algo que o Senhor Jesus disse: “Ainda tenho muito que vos dizer; mas vós não o podeis suportar agora. Quando vier, porém, aquele, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá o que tiver ouvido, e vos anunciará as coisas vindouras” (João 16:12-13). E estas profecias na Bíblia também me vieram à mente: “Porque já é tempo que comece o julgamento pela casa de Deus” (1 Pedro 4:17). “Que pelo poder de Deus sois guardados, mediante a fé, para a salvação que está preparada para se revelar no último tempo” (1 Pedro 1:5). Acontece que, muito tempo atrás, o Senhor Jesus profetizou que Ele viria novamente nos últimos dias e realizaria Sua obra de julgamento a fim de purificar e mudar totalmente nosso caráter corrupto e permitir que ganhássemos todas as verdades e alcançássemos a salvação completa de Deus. Mas eu era tão ignorante e cego; não fiz o esforço de contemplar nem buscar a vontade do Senhor em Suas palavras, mas, ao invés disso, me apeguei às minhas concepções e imaginações, acreditando que o Senhor Jesus havia tomado sobre Si os nossos pecados, que nossos pecados já haviam sido perdoados e que, contanto que abandonássemos tudo para seguir o Senhor, poderíamos entrar no reino dos céus. Agora parece que, se o problema de cometermos pecados não for resolvido, com nossos corpos repletos de imundície e corrupção, no fim das contas, seremos incapazes de entrar no reino dos céus, exatamente como diz nesse livro: “Você deve saber que tipo de pessoa Eu desejo; a quem é impuro não se permite entrar no reino, a quem é impuro não se permite macular o solo santo. Ainda que possa ter feito muito trabalho e trabalhado por muitos anos, no fim, se você ainda é deploravelmente imundo; é intolerável para a lei do céu que você deseje entrar no Meu reino! Desde a fundação do mundo até hoje, nunca ofereci fácil acesso ao Meu reino àqueles que Me bajulam. Esta é uma regra celestial, e ninguém pode infringi-la!” (de ‘O sucesso ou o fracasso dependem da senda que o homem percorre’ em “A Palavra manifesta em carne”).

Essas palavras têm autoridade e poder, e eu compreendo que Deus é tanto misericordioso quanto amoroso, porém Ele é também o Deus justo e santo. Deus não permite que o homem imundo e corrompido entre em Seu reino, e se nossa natureza pecaminosa não for purificada e mudada, então, mesmo que nossos pecados tenham sido perdoados e aparentemos fazer algumas boas ações e abandonarmos tudo, nos despendermos e trabalharmos pelo Senhor, nosso sonho de entrar no reino dos céus permanecerá apenas um sonho para sempre!

As nuvens realmente se afastaram, e agora vejo a luz do sol! Finalmente eu sei que aqueles entre nós que alcançaram a salvação do Senhor só tiveram os pecados perdoados e foram redimidos, mas não se livraram do pecado. Nós ainda temos de aceitar a obra de julgamento de Deus nos últimos dias e ser purificados, e só então estaremos qualificados para entrar no reino dos céus e alcançar a vida eterna. Isso cumpre precisamente o que foi profetizado no livro de Apocalipse: “E não entrará nela coisa alguma impura, nem o que pratica abominação ou mentira; mas somente os que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro” (Apocalipse 21:27). Agradeço ao Senhor, pois finalmente sei como me livrar do pecado!

Conteúdo Relacionado