O fruto de compartilhar o evangelho

20 de Janeiro de 2022

Por Chuxin, Coreia do Sul

Um tempo atrás, conheci uma cristã filipina on-line, chamada Teresa. Ao conhecê-la melhor, vi que ela tinha fé verdadeira no Senhor. Ela disse que os cultos na igreja não estavam lhe dando nada e que via cada vez mais crentes seguirem tendências seculares. Sua igreja lhe parecia desolada, e ela queria achar uma com a obra do Espírito Santo. Disse também que queria ler mais das palavras de Deus, conhecê-Lo e viver uma vida nova. Vendo seu anseio espiritual, eu queria muito compartilhar o evangelho com ela para que ela pudesse ouvir a voz de Deus e se juntar à Sua casa. Uma vez, perguntei o que ela queria de sua fé. Ela disse: “Quero ir para o reino de Deus e estar com Ele para sempre, mas sou uma pecadora, não sou digna de Seu reino”. Eu lhe disse que devemos entender os padrões do reino de Deus se quisermos entrar e perguntei se ela gostaria de saber mais. Muito entusiasmada, ela disse: “Com certeza!” Vi que ela era uma crente verdadeira que queria buscar, e eu estava ansiosa para testemunhar sobre a obra de Deus dos últimos dias. Mas deu a hora de ela ir pro trabalho, e tivemos que encerrar nosso bate-papo.

Ela estava muito ocupada no emprego, trabalhando desde cedo até tarde da noite, e, depois do trabalho, ela estava exausta e precisava descansar. O pouco tempo que lhe restava na semana, ela gastava indo aos cultos, então não tínhamos muita chance de conversar. Sempre que entrava em contato, ela estava no trabalho, não tínhamos tempo para conversar. Comecei a perder o ânimo depois de um tempo. Fiquei pensando que precisávamos nos comunicar on-line, pois não estávamos no mesmo país, então, se ela não tivesse tempo para estar on-line, como eu compartilharia a obra de Deus dos últimos dias com ela? Comecei a pensar que minhas mãos estavam atadas, que devia esquecer isso. Talvez outra pessoa compartilharia o evangelho com ela. Quando estava prestes a desistir, lembrei-me de algo que Deus disse. “Você está ciente do fardo sobre seus ombros, da sua comissão e da sua responsabilidade? Onde está seu senso de missão histórica? Como você servirá adequadamente como mestre na próxima era? Você tem um forte senso do papel de mestre? Como explicaria o mestre de todas as coisas? Será que é mesmo o mestre de todas as criaturas vivas e de todas as coisas físicas no mundo? Quais são os seus planos para o progresso da próxima fase da obra? Quantas pessoas estão à sua espera para que você seja seu pastor? A sua tarefa é pesada? Elas são pobres, lastimáveis, cegas e perdidas, lamentando na escuridão — onde está o caminho? Como elas anseiam para que a luz, como uma estrela cadente, desça repentinamente e disperse as forças da escuridão que oprimem a humanidade há tantos anos! Quem pode saber a extensão de sua esperança ansiosa, e como anelam, dia e noite, por isso? Mesmo num dia em que a luz passa brilhando, essas pessoas profundamente sofridas permanecem presas em um calabouço escuro sem esperança de libertação; quando deixarão de chorar? Terrível é o infortúnio desses espíritos frágeis, que nunca receberam descanso e que, há muito tempo, são mantidos presos nesse estado por laços impiedosos e história congelada. E quem já ouviu o som dos seus lamentos? Quem já contemplou seu estado miserável? Alguma vez já lhe ocorreu como o coração de Deus está entristecido e ansioso? Como Ele pode suportar ver a humanidade inocente, que Ele criou com Suas próprias mãos, sofrer tamanho tormento? Afinal de contas, os seres humanos são as vítimas que foram envenenadas. E, embora o homem tenha sobrevivido até hoje, quem poderia saber que a humanidade foi, há muito tempo, envenenada pelo maligno? Você se esqueceu de que é uma das vítimas? Em nome de seu amor a Deus, você não está disposto a se esforçar para salvar esses sobreviventes? Você não está disposto a dedicar toda a sua energia para retribuir ao Deus que ama a humanidade como Sua própria carne e sangue?” (‘Como você deve cuidar de sua missão futura’ em “A Palavra manifesta em carne”). Refletindo sobre as palavras de Deus, eu me senti muito mal. Eu não tinha feito de tudo para compartilhar o evangelho com ela, e nem tinha lhe contado que o Senhor Jesus já tinha voltado. Ela tinha fé sincera no Senhor e desejava entender Sua vontade, mas estava em escuridão espiritual, sem sustento. Logo quando estava precisando de ajuda, eu estava desistindo dela. Quando, então, ela ouviria a voz de Deus? Agora que os desastres estão aumentando, se eu não desse testemunho da obra de Deus imediatamente, ela poderia perder a salvação. Eu me senti ainda pior e orei a Deus: “Deus, sei que tudo é possível para Ti. Se ela é uma das Tuas ovelhas, quero fazer tudo em meu poder para compartilhar o evangelho. Por favor, guia-me”. Depois de orar, lembrei-me de repente que ela não tinha tempo, mas poderíamos combinar uma hora para orarmos juntas. Então perguntei a ela e ela concordou na hora. Combinamos um horário às cinco e pouco da manhã. Na época, eu estava muito ocupada com meu dever e trabalhava até as duas ou três toda noite. Pensei que mal conseguiria dormir se tivesse que acordar tão cedo. Mas eu disse a mim mesma que, se eu me preocupasse com conforto físico, Teresa demoraria para vir para diante de Deus. Eu sabia que isso era errado. Lembrei-me de que Deus disse: “A carne pertence a Satanás. Nela há desejos extravagantes, ela só pensa em si mesma, quer aproveitar o conforto, se deleitar com o lazer, chafurdar na preguiça e ociosidade e, tendo satisfeito isso até certo ponto, você acabará sendo engolido por ela” (‘Apenas amando a Deus é que verdadeiramente se crê em Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”). Eu sabia que satisfazer a carne era satisfazer Satanás. Eu falharia em dar testemunho e em cumprir o meu dever e perderia a chance de dar testemunho da obra de Deus dos últimos dias. Fiz uma oração, disposta a renunciar à carne e pagar um preço para compartilhar o evangelho com ela e trazê-la para a casa de Deus. Começamos nossa reunião de oração matinal, e quando fiz uma oração sincera por ela, esperando que ela teria mais tempo para comungarmos sobre as palavras de Deus, muito séria, ela me disse: “Sinto como você é genuína. Obrigada por sua oração. Estou muito comovida”. Ouvi-la dizer isso foi emocionante, e vi que as pessoas podem sentir quando alguém é realmente genuíno. Em silêncio, decidi perante Deus que eu faria de tudo para trazer Teresa para a casa Dele. Então sugeri a ela que arrumássemos um tempo para comungar sobre a Bíblia. Ela concordou e conseguiu abrir espaço para uma comunhão de 30 minutos diários e mencionou de novo que ela queria saber como entrar no reino de Deus.

Conversamos sobre isso na nossa comunhão no dia seguinte. Eu disse: “Todo crente quer entrar no reino, o que, então, devemos fazer? Devemos ouvir o Senhor. O Senhor Jesus disse: ‘Nem todo o que Me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de Meu Pai, que está nos céus’ (Mateus 7:21). O Senhor foi muito claro. A chave para entrar no reino dos céus é fazer a vontade de Deus. O que isso significa? Em termos simples, fazer a vontade de Deus é colocar as palavras do Senhor em prática e seguir Seus mandamentos. Significa distanciar-se do pecado e colocar as palavras de Deus em prática e amar e se submeter a Deus de coração. Pessoas que sempre mentem, pecam e resistem a Deus e se opõem às Suas exigências não estão fazendo Sua vontade, então são dignas de entrar no reino dos céus?” Ela disse: “Não. Estamos sempre mentindo, pecando com nossas palavras, e mais pessoas estão seguindo tendências mundanas, correndo atrás de dinheiro. Não adoramos a Deus de verdade e nem os pastores são uma exceção. Como podemos entrar no reino desse jeito?” Respondi: “Sim. Fomos redimidos pelo Senhor Jesus e nossos pecados foram perdoados, mas continuamos mentindo e pecando. Pecamos de dia, confessamos à noite. A Bíblia diz: ‘A santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor’ (Hebreus 12:14). Não somos dignos do reino desse jeito. Mas todos sabemos que Deus ama o homem e quer que todos nós sejamos salvos, entremos em Seu reino e vivamos em Sua luz. Como, então, Deus faz isso acontecer? A Bíblia diz: ‘Assim também Cristo, oferecendo-se uma só vez para levar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que O esperam para salvação’ (Hebreus 9:28). O Senhor retorna nos últimos dias para nos salvar, para nos libertar dos grilhões do pecado, para fazer de nós pessoas que se submetem a Deus e fazem Sua vontade, para que sejamos salvos e possamos entrar no reino”. Ela ficou muito animada ao ouvir isso e disse: “Eu adoraria parar de pecar. Como Deus nos salva do pecado?” Eu lhe enviei alguns versículos das Escrituras. O primeiro foi: “Santifica-os na verdade, a Tua palavra é a verdade” (João 17:17). Depois estes: “Vi na destra do que estava assentado sobre o trono um livro escrito por dentro e por fora, bem selado com sete selos. Vi também um anjo forte, clamando com grande voz: Quem é digno de abrir o livro e de romper os seus selos? […] Não chores; eis que o Leão da tribo de Judá, a raiz de Davi, venceu para abrir o livro e romper os sete selos” (Apocalipse 5:1-5). Eu disse: “O Senhor disse que Ele usaria a verdade para santificar a humanidade, e Apocalipse e o livro de Daniel dizem que um livro selado será aberto nos últimos dias. Esse livro se refere às novas palavras professadas por Deus nos últimos dias, e essa é a verdade que santificará a humanidade. Só o próprio Deus pode abrir o livro selado e expressar a verdade para salvar o homem. O Senhor professa muitas verdades para nos purificar e mudar quando Ele vem nos últimos dias para nos salvar do pecado. O livro de Apocalipse também diz várias vezes: ‘Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas’ (Apocalipse Capítulos 2, 3). Deus falará às igrejas nos últimos dias. Só temos de prestar atenção à Sua voz. Não podemos acolher o Senhor se não ouvirmos Sua voz, e essa é a nossa única chance de sermos purificados e salvos, de sermos dignos do reino”.

A essa altura da comunhão, Teresa me perguntou: “Por que o Senhor teria que professar novas palavras nos últimos dias? Li a Bíblia durante toda a vida, e ela me deu fé e me ensinou muito, ensinando-me tolerância, paciência e perdão. Parece-me que a Bíblia basta, e nosso pastor sempre diz que todas as palavras de Deus estão na Bíblia, que nada além disso é a palavra de Deus”. Vi que Teresa tinha algumas noções sobre o Senhor falando nos últimos dias, que ela não aceitava isso, então não refutei diretamente o que ela disse. Compartilhei minha própria experiência com ela. Disse: “Eu costumava pensar igual. Pensava que tudo que o Senhor disse estava na Bíblia e que não haveria palavras novas de Deus além disso. Mas depois ouvi um irmão mencionar algo que o Senhor disse que me levou a ver tudo de outro jeito. O Senhor Jesus disse: ‘Ainda tenho muito que vos dizer; mas vós não o podeis suportar agora. Quando vier, porém, Aquele, o Espírito da verdade, Ele vos guiará a toda a verdade’ (João 16:12-13). Isso era algo que o Senhor disse aos Seus discípulos na época. Disse que tinha muito mais para compartilhar, mas que as pessoas careciam de estatura e não o suportariam. Ele deve falar mais nos últimos dias para levar as pessoas a entender e entrar em todas as verdades, para que possamos ser libertos das amarras do pecado e ser plenamente salvos”. Então me lembrei de um bom exemplo para compartilhar com ela. “Imagine uma criancinha. Quando ela é nova e sua mãe está lhe ensinando a falar e andar, ela a instruiria a ganhar bem para que pudesse cuidar de mamãe e papai? É claro que não. Ela seria jovem demais para entender isso, naquela idade, seus pais só lhe dirão as coisas que ela pode entender. Então, quando crescer e aprender mais, eles lhe dirão mais sobre a vida, como encontrar um emprego e ter uma família. Foi assim que o Senhor Jesus fez a obra de redenção na Era da Graça com base nas necessidades das pessoas, expressando o caminho do arrependimento, ensinando as pessoas a ser humildes e tolerantes, a tomar sobre si uma cruz, a perdoar os outros setenta vezes sete vezes. Mas havia outras coisas que o Senhor não disse às pessoas — todas as verdades para purificar e salvar a humanidade. Essas, guardou para quando o Senhor voltar nos últimos dias, e esse é o livro selado profetizado no livro de Apocalipse. Durante esses dois mil anos, ninguém leu esse livro, pois ele só foi aberto quando o Senhor voltou nos últimos dias. Você acha que seria possível as palavras desse livro estarem na Bíblia?” Sincera, ela disse: “Não poderiam estar na Bíblia”. Compartilhei essa comunhão com ela mais algumas vezes, até ela dizer que entendia.

Mas no dia seguinte, quando voltei a mencionar que o Senhor falaria nos últimos dias, ela disse que todas as palavras do Senhor para os últimos dias deveriam estar na Bíblia. Primeiro, achei que não tinha ouvido bem e confirmei com ela. Era o que ela tinha dito. Fiquei tão decepcionada e pensando. De fato, ela não tinha entendido de verdade. Fiquei muito desanimada. Pensei que, para começar, era muito difícil combinar um horário com ela, e agora ela ainda não entendia mesmo depois de eu explicar várias vezes. Ela seria capaz de entender isso? Eu não disse nada, mas comecei a pensar em bater em retirada. Mas então percebi que não foi que ela não captou nada da nossa comunhão. Colocar alguém numa gaveta tão rapidamente não estava alinhado com a vontade de Deus. De repente, lembrei disto nas palavras de Deus: “Deus lhe deu o dever de espalhar o evangelho; você deve tratar cada alvo de evangelização que encontrar com amor e paciência da melhor forma que puder, suportar qualquer adversidade necessária, espalhar o evangelho de forma responsável, comunicar a verdade com clareza e ser capaz de prestar contas de todas as suas ações para Deus. Essa é a atitude com a qual você deve cumprir seus deveres” (‘Propagar o evangelho é o dever a que todos os crentes estão moralmente obrigados’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”). “Se um alvo de evangelização fizer uma pergunta repetidamente, como você deve responder? Você não deve se importar em gastar tempo e esforço para respondê-la, em pensar em todo meio possível de resolver a pergunta dele, até que ele entenda e não pergunte novamente. Você então terá cumprido sua responsabilidade, e seu coração estará isento de culpa. Isso significa estar isento de culpa da parte deles? Não, não significa. Você estará isento de culpa da parte de Deus porque esse dever, essa responsabilidade, foi confiada a você por Deus” (‘Propagar o evangelho é o dever a que todos os crentes estão moralmente obrigados’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”). Senti vergonha de mim quando pensei naquilo que Deus exige. Eu só tinha comungado poucas vezes, mas não queria continuar tentando porque ela ainda não tinha abandonado suas noções. Eu não estava sendo amorosa. Eu também tive muitas noções quando me converti, mas os irmãos comungaram comigo incansavelmente e oraram por mim até eu abrir mão dessas noções e vir para diante de Deus para aceitar Sua salvação. Isso foi por causa do amor e da tolerância de Deus. Por que eu não era capaz de comungar com ela com paciência quando estava compartilhando o evangelho? Com muita vergonha, orei a Deus: “Ó Deus, se ela for uma de Tuas ovelhas, por favor, guia-me. Farei tudo que posso para cooperar Contigo”. Depois de orar, pensei em como a Bíblia tinha sido o fundamento de fé da Teresa por todos esses anos. Era compreensível que ela não aceitaria tudo de imediato quando ouvisse que as novas palavras de Deus para os últimos dias não estão na Bíblia. Pensei em conversar com ela sobre isso sob outra perspectiva. Depois disso, compartilhei algumas passagens das palavras de Deus com ela. “O Próprio Deus é vida e a verdade, e Sua vida e verdade coexistem. Aqueles que são incapazes de ganhar a verdade jamais ganharão vida. Sem a orientação, o apoio e a provisão da verdade, você ganhará apenas a letra e a doutrina e, além disso, morte. A vida de Deus está sempre presente, e Sua verdade e vida coexistem. Se você não consegue achar a fonte de verdade, não ganhará o alimento de vida; se você não pode ganhar a provisão de vida, certamente não terá verdade alguma e, assim, para além de imaginações e noções, a totalidade do seu corpo não será nada além de carne — sua carne fétida. Saiba que as palavras de livros não contam como vida, os registros da história não podem ser adorados como a verdade, e as regras do passado não podem servir como relato das palavras faladas atualmente por Deus. Só o que é expressado por Deus quando Ele vem para a Terra e vive entre os homens é a verdade, vida, vontade de Deus e Seu atual modo de operar” (‘Só Cristo dos últimos dias pode dar ao homem o caminho de vida eterna’ em “A Palavra manifesta em carne”). “O fato que desejo explicar aqui é este: aquilo que Deus é e tem é eternamente inexaurível e infinito. Deus é a fonte da vida e de todas as coisas; Ele não pode ser sondado por nenhum ser criado. Por fim, devo continuar a lembrar a todos: jamais delimitem Deus em livros, palavras ou em Suas declarações passadas de novo. Só existe uma palavra para descrever a característica da obra de Deus: nova. Ele não gosta de percorrer sendas velhas nem de repetir Sua obra; além do mais, Ele não quer que as pessoas O adorem delimitando Ele a certo escopo. Esse é o caráter de Deus” (‘Posfácio’ em “A Palavra manifesta em carne”). Depois disso, comunguei com ela: “Deus é a fonte de toda verdade, e Sua sabedoria é infinita. Deus pode sempre expressar mais verdades com base nas necessidades do homem. Como Ele poderia estar limitado ao que a Bíblia diz? Isso não é confinar Deus ao que a Bíblia contém?” Então lhe contei aquela fábula chinesa sobre um sapo no fundo de um poço. Eu disse: “Havia um sapo que vivia no fundo de um poço e só conseguia ver o céu pela abertura do poço, por isso, pensava que o céu só era do tamanho daquela abertura. Então, um dia, choveu tanto durante uma tempestade que ele conseguiu sair do poço. Ele viu a vastidão ilimitada do céu, que ele era muito maior do que a abertura do poço. Percebeu que não tinha visto o céu inteiro porque estivera no fundo do poço”. Eu disse que tinha me sentido igual e que meu entendimento de Deus tinha sido muito raso. Deus é tão grande e nós somos tão pequenos. Deus é ilimitado e abundante, e jamais podemos saber o que Ele tem e é por meio do nosso raciocínio. Como poderíamos delimitar Deus? O Senhor Jesus disse: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida” (João 14:6). Deus é a fonte da verdade. Perguntei a ela se Deus poderia expressar mais verdades do que as que estão na Bíblia, coisas ainda mais elevadas, tudo que as pessoas necessitam nos últimos dias. Ela disse: “É claro que Ele pode”. Pude ver que suas noções estavam começando a ceder, seu coração estava se abrindo. Enviei-lhe aquele mesmo versículo: “Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas” (Apocalipse 2:7). Eu lhe disse que o que o Espírito diz às igreja é precisamente o que o Senhor diz quando Ele retorna nos últimos dias. E a Bíblia tem um registro daquilo que Deus disse e fez na Era da Lei e na Era da Graça. Quando perguntei se as novas palavras expressadas pelo Senhor quando Ele retornar poderiam já estar na Bíblia, ela sorriu e disse: “Agora entendo. As palavras do Senhor quando Ele retornar não estão na Bíblia, e Deus pode professar palavras fora da Bíblia”. Ela estava muito comovida e disse que as pessoas não entendem Deus muito bem. Ela queria ler mais das palavras de Deus e entendê-Lo melhor.

Fiquei tão animada ao ver que Teresa estava pronta para aceitar que o Senhor retornará e falará de novo. Então perguntei a ela: “Já que o Senhor retornará e falará mais, que meio você acha que Ele usará para Suas declarações?” Ela disse: “Por meio do Espírito”. Eu lhe disse que eu costumava pensar igual, mas que tinha investigado as Escrituras com os irmãos e visto que elas dizem: “Pois, assim como o relâmpago, fuzilando em uma extremidade do céu, ilumina até a outra extremidade, assim será também o Filho do homem no Seu dia. Mas primeiro é necessário que Ele padeça muitas coisas, e que seja rejeitado por esta geração” (Lucas 17:24-25). Dizem também: “Como aconteceu nos dias de Noé, assim também será nos dias do Filho do homem” (Lucas 17:26). e “Ficai também vós apercebidos; porque numa hora em que não penseis, virá o Filho do homem” (Mateus 24:44). Eu disse: “Todos esses versículos dizem que o Senhor retornará como ‘o Filho do homem’. O Filho do homem significa que Ele nasce do homem e tem humanidade normal. Ele não seria chamado assim se Ele estivesse em forma espiritual. Deus Jeová tinha forma espiritual, por isso não foi chamado assim. Isso significa que o Senhor retorna na carne nos últimos dias. Se Ele viesse num corpo espiritual ressurreto, vindo sobre uma nuvem e aparecendo abertamente a todos, todos se prostrariam, tremendo de medo e ninguém ousaria rejeitá-Lo. Como, então, as palavras do Senhor ‘Primeiro é necessário que Ele padeça muitas coisas, e que seja rejeitado por esta geração’ se cumpririam?” Parecia que Teresa estava ponderando algo, então eu lhe perguntei: “Por que o Senhor decidiria vir na carne nos últimos dias e não como Espírito?” Ela balançou a cabeça. Eu disse: “As pessoas não podem ver nem tocar Deus em forma espiritual. Se um corpo espiritual aparecesse de repente e falasse, o que você sentiria?” As pessoas teriam medo e ficariam confusas. Deus quer que todos sintam medo quando Ele fala conosco? É claro que não. E a humanidade corrupta é contaminada demais; não somos dignos de ver o Espírito de Deus. Ver o Espírito de Deus nos mataria. Depois de explicar tudo isso, li mais das palavras de Deus para ela. “A salvação do homem por Deus não é feita diretamente usando o método do Espírito e a identidade do Espírito, pois o Seu Espírito não pode ser tocado nem visto pelo homem, nem pode o homem se aproximar. Se Ele tentasse salvar o homem diretamente, na maneira do Espírito, o homem seria incapaz de receber Sua salvação. E Deus não se vestisse com a forma externa de um homem criado, não haveria como o homem receber essa salvação. Pois o homem não tem como se aproximar Dele, assim como ninguém podia chegar perto da nuvem de Jeová. Somente por Se tornar um ser humano criado, isto é, colocando Sua palavra no corpo de carne em que Ele está para Se tornar, pode Ele pessoalmente introduzir a palavra em todos os que O seguem. Só então o homem pode ver e ouvir pessoalmente Sua palavra e, além disso, entrar na posse de Sua palavra, e por esse meio, ser totalmente salvo. Se Deus não Se tornasse carne, ninguém de carne e osso seria capaz de receber tal grande salvação, nem uma única pessoa seria salva. Se o Espírito de Deus operasse diretamente entre os homens, toda a humanidade seria golpeada, senão, sem ter como entrar em contato com Deus, ela seria levada cativa por completo por Satanás” (‘O mistério da encarnação (4)’ em “A Palavra manifesta em carne”). “Essa era a vantagem de Deus Se tornar carne: Ele podia aproveitar o conhecimento da humanidade e usar a linguagem humana para falar com as pessoas e para expressar a Sua vontade. Ele explicou, ou ‘traduziu’ para o homem a Sua profunda e divina linguagem, que as pessoas tinham dificuldade para compreender, em linguagem humana, de uma maneira humana. Isso ajudou as pessoas a compreender a Sua vontade e saber o que Ele queria fazer. Ele também podia ter conversas com as pessoas partindo do ponto de vista humano, usando a linguagem humana, e comunicar-Se com as pessoas de uma maneira que elas compreendiam. Podia até mesmo falar e operar usando a linguagem e o conhecimento humano, de modo que as pessoas pudessem sentir a bondade e a proximidade de Deus, pudessem enxergar o Seu coração” (‘A obra de Deus, o caráter de Deus e o Próprio Deus III’ em “A Palavra manifesta em carne”). Então continuei minha comunhão: “Deus decidiu vir na carne e viver uma vida real no nosso meio para que pudesse estar mais perto de nós e prover-nos com a verdade para nos salvar. É como pais com seu filho. Um pai desejaria que seu filho tivesse medo toda vez que o visse?” É claro que não. Então eu lhe disse: “Pais nunca desejariam que seu filho tivesse medo, se escondesse sempre que os visse, e quanto a Deus? Se Deus só falasse dos céus, teríamos medo e recuaríamos diante Dele. Deus não quer que recuemos, que sintamos que é difícil estar perto Dele, então o retorno do Senhor é igual a quando o Senhor Jesus veio. Ele veio na carne, como Filho do homem normal e comum, Ele comia e bebia com Seus discípulos e sempre ajudava a resolver seus problemas e confusões. Ver o Deus vivo e verdadeiro realmente viver entre os homens nos ajuda a nos sentir mais próximos de Deus. Deus também pode usar nossa língua para expressar a verdade, para nos sustentar e nutrir. Pode usar exemplos e analogias para que entendamos melhor a Sua vontade, e assim fica mais fácil para nós entender e entrar na verdade. O amor de Deus por nós é tão prático, tão precioso! Ao Se tornar carne, Deus tolera humilhação e sofrimento enormes para falar e operar para que nós entendamos a verdade, sejamos libertos do pecado e salvos plenamente. Essa é Sua maior salvação para a humanidade corrupta”. A essa altura, os olhos de Teresa se encheram de lágrimas. Ela disse: “Agora entendo. O Senhor está retornando em forma encarnada. Também quero que Deus venha na carne. Ele nos ama tanto. Não somos dignos disso”. Fiquei comovida ao ver como Teresa estava emocionada e me lembrei de algo que Deus disse: “Você é capaz de comunicar o caráter expresso por Deus em cada era de maneira concreta, em uma linguagem que transmite apropriadamente o significado da era? Você, que experimenta a obra de Deus dos últimos dias, é capaz de descrever o caráter justo de Deus em detalhe? Você consegue dar testemunho sobre o caráter de Deus de forma clara e correta? Como você transmitirá aquilo que viu e vivenciou àqueles crentes religiosos lastimáveis, pobres e devotos que têm fome e sede de justiça e estão a sua espera para que você os pastoreie?” (‘Como você deve cuidar de sua missão futura’ em “A Palavra manifesta em carne”). “Para dar testemunho da obra de Deus, você deve depender de sua experiência, conhecimento e do preço que você pagou. Só assim você pode satisfazer a Sua vontade” (‘Aqueles que hão de ser aperfeiçoados devem passar pelo refinamento’ em “A Palavra manifesta em carne”). Lembrei-me do tempo em que compartilhava o evangelho. Em geral, eu só compartilhava teorias com as pessoas e nunca refletia sobre se eu tinha um entendimento genuíno de Deus, se eu podia compartilhar testemunho de minhas experiências pessoais. Essa experiência me mostrou que compartilhar o evangelho não é só falar com outras pessoas, mas é uma chance de eu conhecer Deus melhor. Eu podia sentir o amor de Deus por meio da minha comunhão com Teresa. Se Ele não tivesse vindo para operar e falar na carne, não teríamos como entender a verdade nem como purificar nossos caracteres corruptos. Acabaríamos destruídos nos desastres. Quanto mais refletia sobre isso, mais sentia como é grande o amor de Deus por nós. Então Teresa disse: “A comunhão de hoje é totalmente nova para mim. Realmente ganhei tanto disso”.

Fiquei muito feliz ao ouvi-la dizer isso e lhe disse: “O Senhor Jesus já retornou como Deus Todo-Poderoso encarnado. Deus Todo-Poderoso expressou novas palavras e está fazendo a obra de julgamento dos últimos dias para purificar e salvar plenamente a humanidade. Isso cumpre as profecias bíblicas, incluindo ‘Porque já é tempo que comece o julgamento pela casa de Deus’ (1 Pedro 4:17). e ‘Porque o Pai a ninguém julga, mas deu ao Filho todo o julgamento’ (João 5:22)”. Teresa ficou muito animada ao ouvir que o Senhor já tinha retornado, mas também estava confusa. Ela me perguntou: “O Senhor Jesus já perdoou nossos pecados quando foi crucificado. Por que o Senhor teria que retornar e fazer a obra de julgamento para salvar o homem nos últimos dias?” Li para ela algumas das palavras de Deus. Deus Todo-Poderoso diz: “Embora tenha feito muita obra entre os homens, Jesus apenas completou a redenção de toda a humanidade e tornou-Se oferta pelo pecado do homem; Ele não livrou o homem de todo o seu caráter corrupto. Salvar o homem plenamente da influência de Satanás não exigiu apenas que Jesus Se tornasse a oferta pelo pecado e carregasse os pecados do homem, mas também exigiu que Deus fizesse uma obra maior ainda para livrar o homem completamente de seu caráter satanicamente corrompido. E assim, agora que o homem teve seus pecados perdoados, Deus voltou para a carne para guiar o homem até a nova era e começou a obra de castigo e julgamento. Esta obra tem trazido o homem a um reino superior. Todo aquele que se submete ao Seu domínio há de desfrutar de uma verdade maior e de receber bênçãos maiores. Eles hão de viver verdadeiramente na luz e de ganhar a verdade, o caminho e a vida” (‘Prefácio’ em “A Palavra manifesta em carne”). “Você só sabe que Jesus descerá durante os últimos dias, mas como exatamente Ele descerá? Um pecador como vocês, que acaba de ser redimido, e não foi mudado ou aperfeiçoado por Deus, pode ser segundo o coração de Deus? Para você, você que ainda é do seu antigo eu, é verdade que você foi salvo por Jesus, e que você não é contado como pecador por causa da salvação de Deus, mas isso não prova que você não é pecador e não é impuro. Como você pode ser santo se não foi mudado? Internamente, você é assolado por impurezas, é egoísta e ignóbil, mas ainda deseja descer com Jesus — como você poderia ser tão sortudo? Você pulou uma etapa em sua crença em Deus: você foi meramente redimido, mas você não foi mudado. Para você ser segundo o coração de Deus, Deus deve fazer pessoalmente a obra de mudar e limpar você; se você é apenas redimido, será incapaz de alcançar a santidade. Dessa forma, você não será qualificado para compartilhar as boas bênçãos de Deus, pois você perdeu um passo na obra de Deus de gerenciar o homem, que é o importante passo de mudar e aperfeiçoar. Você, um pecador que acaba de ser redimido, é, portanto, incapaz de herdar diretamente a herança de Deus” (‘Sobre denominações e identidade’ em “A Palavra manifesta em carne”). Depois de ler as palavras de Deus, eu disse: “O Senhor Jesus nos redimiu. O que essa redenção alcançou? Fomos redimidos dos nossos pecados de modo que não somos mais punidos por violarmos a lei. Foi isso que a obra de redenção do Senhor Jesus realizou. Nossos pecados são perdoados por meio da nossa fé no Senhor, mas ainda não conseguimos deixar de mentir e pecar o tempo todo. Vivemos no ciclo vicioso de pecar de dia, confessar à noite, sem poder escapar dos grilhões do pecado. Por quê? Porque não nos livramos da nossa natureza pecaminosa. Essa natureza pecaminosa é como um tumor maligno dentro de nós. Se não for removida, podemos ser perdoados mil vezes, dez mil vezes, mas jamais seremos libertos do pecado ou dignos do reino. É por isso que o Senhor precisa retornar e fazer a obra de julgamento. Essa obra de julgamento é para resolver nossa natureza pecaminosa para que possamos ser libertos dos grilhões do pecado e ser purificados e salvos completamente”.

Teresa ficou muito feliz ao ouvir isso e disse: “Você pode falar sobre a obra de julgamento? Como Deus realiza esse julgamento para nos salvar do pecado?” Li para ela uma passagem das palavras de Deus. “Cristo dos últimos dias usa uma variedade de verdades para ensinar o homem, expor a substância do homem e dissecar suas palavras e ações. Essas palavras abrangem várias verdades: o dever do homem, como o homem deveria obedecer a Deus, como o homem deveria ser leal a Deus, como o homem deve viver a humanidade normal, bem como a sabedoria e o caráter de Deus e assim por diante. Essas palavras são todas dirigidas à substância do homem e ao seu caráter corrupto. Em especial, essas palavras que expõem como o homem desdenha de Deus são faladas em relação a como o homem é a corporificação de Satanás e uma força inimiga contra Deus. Ao realizar Sua obra de julgamento, Deus não torna clara a natureza do homem simplesmente com algumas palavras; Ele também expõe, trata e poda a longo prazo. Todos esses métodos diferentes de exposição, tratamento e poda não podem ser substituídos por palavras comuns, mas pela verdade que o homem absolutamente não possui. Apenas métodos desse tipo podem ser chamados de julgamento; só por meio de julgamento desse tipo é que o homem pode ser subjugado e completamente convencido em relação a Deus e, além disso, ganhar verdadeiro conhecimento de Deus. O que a obra de julgamento produz é o entendimento do homem da verdadeira face de Deus e da verdade sobre a própria rebelião. A obra de julgamento permite que o homem ganhe bastante entendimento da vontade de Deus, do propósito da obra de Deus e dos mistérios que lhe são incompreensíveis. Também permite que o homem reconheça e conheça sua essência corrupta e as raízes de sua corrupção, bem como descubra a fealdade do homem. Esses efeitos são todos produzidos pela obra de julgamento, pois a essência dessa obra é, de fato, a obra de revelar a verdade, o caminho e a vida de Deus a todos aqueles que têm fé Nele. Essa obra é a obra de julgamento realizada por Deus” (‘Cristo realiza a obra do julgamento com a verdade’ em “A Palavra manifesta em carne”). Depois de ler isso, eu disse: “Nos últimos dias, Deus realiza Seu julgamento com palavras para expor a natureza satânica do homem de resistir a Deus. Ele revela nossas expressões do nosso caráter satânico e da nossa resistência a Deus para aprendermos a verdade de quão profundamente Satanás nos corrompeu e vermos também o caráter santo e justo de Deus. Quando somos julgados, castigados, podados e tratados pelas palavras de Deus, vemos todos os caracteres satânicos que revelamos, como nossa arrogância, enganação, egoísmo e ganância. Podemos ser capazes de fazer sacrifícios por Deus, mas quando algo acontece que não gostamos, quando ficamos doentes ou enfrentamos desastre, entendemos Deus errado e O culpamos. Esse julgamento é o único jeito de vermos que, embora façamos sacrifícios a Deus, é só por bênçãos e recompensas e para entrar no reino. Estamos fazendo um trato com Deus. Não temos submissão verdadeira a Deus, muito menos amor verdadeiro. Por meio do julgamento e castigo das palavras de Deus e daquilo que é revelado pelas coisas que nos acontecem, vemos a verdade da nossa corrupção e passamos a odiá-la. Também experimentamos o caráter santo e justo de Deus que não tolera nenhuma ofensa e desenvolvemos reverência e submissão a Deus. Esse é o único jeito de vermos quão profundamente Satanás nos corrompeu. Sem o julgamento e castigo de Deus nos últimos dias, jamais seríamos capazes de ver a verdade da nossa corrupção ou de ser libertos dela. Jamais teríamos amor nem obediência a Deus. É igual a alguém que está doente, se ele não souber que há algo de errado com ele, ele não buscará tratamento nem saberá de que tratamento precisa, e assim não melhorará. Mas se ele for ao médico, o médico poderá lhe dizer o que há de errado, o que está causando aquilo e como tratá-lo, e ele ficará melhor se seguir o conselho do médico. Assim Deus julga a humanidade com suas palavras nos últimos dias para resolver nossa natureza pecaminosa e nossos caracteres corruptos e satânicos. Devemos aceitar esse julgamento e castigo para sermos libertos do pecado, nos livrarmos dos nossos caracteres satânicos corruptos, sermos salvos por Deus e entrarmos no reino dos céus”. Àquela altura, Teresa disse: “Agora entendo. A obra de julgamento é Deus nos purificando e nos salvando. Quero escapar dessa vida de pecar e confessar, então devo aceitar o julgamento e a purificação de Deus”. Depois disso, assistimos a alguns filmes evangelísticos e lemos muitas das palavras de Deus Todo-Poderoso. Teresa me disse: “Essas palavras têm tanta autoridade e poder. São tremendas. Essa é a voz de Deus! Deus Todo-Poderoso é mesmo Jesus retornado. Ele é o Senhor que voltou para nos purificar e salvar!” Então me perguntou com urgência: “Onde consigo uma cópia das palavras de Deus Todo-Poderoso? Onde posso comungar com outros crentes em pessoa?” Eu disse que poderia apresentá-la a membros da igreja local e lhe enviei a versão on-line de “A Palavra manifesta em carne”. Ela ficou muito animada — e arregalou os olhos e disse que queria receber o livro e ler as palavras de Deus Todo-Poderoso o quanto antes.

Vendo que ela ficou tão animada ao acolher o Senhor, senti muita gratidão pelo esclarecimento e orientação de Deus que permitiram que Teresa ouvisse a voz de Deus e entrasse em Sua casa. Dois ou três dias depois, ela me contou que tinha contado à sua amiga mais próxima que o Senhor já tinha retornado, mas a amiga a alertou a não crer nisso. Seu pastor também ligou para ela e a ameaçou, dizendo que ela seria expulsa da igreja por isso. Ela disse: “Tenho certeza de que Deus Todo-Poderoso é Cristo dos últimos dias pois Suas palavras são a verdade, e só Cristo pode expressar a verdade. Ele é Jesus retornado. Eu não serei afetada por minha amiga, e o pastor não pode me impedir”. Ela também disse: “Tenho procurado uma igreja real por anos, mas sempre me decepcionei. Nenhuma delas nutria, e cada vez mais membros estão seguindo tendências mundanas. Eu estava me sentindo impotente. Sou tão grata a Deus. Nunca sonhei que ouviria a voz de Deus e acolheria o Senhor. Finalmente encontrei a igreja de Deus”. Ela estava muito emocionada e pude ver lágrimas em seus olhos — ela parecia tão esperançosa. Fiquei muito comovida. Vi que, quando uma das ovelhas de Deus ouve Sua voz, ela O seguirá e manterá sua fé por mais que Satanás interfira. Mas pensando em como eu tinha me desanimado e quis desistir ao encontrar um obstáculo, disposta a descartá-la, quase desistindo de compartilhar meu testemunho com ela sobre a obra de Deus dos últimos dias, eu me enchi de remorso e culpa. Vi também como só Deus realmente nos ama e cuida de nós, pois quando eu estava prestes a desistir, as palavras de Deus me esclareceram a tempo para que eu visse minha rebeldia e entendesse a urgência da vontade de Deus de salvar o homem. Então pude trabalhar com Deus para dar testemunho a Teresa sobre a obra de Deus nos últimos dias.

Isso foi uma experiência profunda também para mim que compartilhar o evangelho é ajudar a salvar pessoas. É usar meus sentimentos e experiências reais para dar testemunho da obra de Deus, para trazer alguém que anseia pela vinda do Senhor, que está nas trevas do mundo, para a casa de Deus. Nada é mais significativo. Vi também a alegria e emoção de alguém que realmente anseia pelo retorno do Senhor quando ouve Sua voz e O acolhe. E pude sentir como Deus espera que mais crentes verdadeiros venham para diante Dele e recebem Sua salvação. Há tantas pessoas mais neste mundo que estão vivendo em trevas, ansiando pela vinda de Deus. Deus está cheio de tristeza, e Ele anseia por elas. Senti ainda mais que compartilhar o evangelho é minha responsabilidade, é meu chamado. Também jurei a Deus que, não importa quais obstáculos encontre, eu confiarei Nele e cumprirei meu dever de compartilhar o evangelho. Compartilharei testemunho com base em meu entendimento verdadeiro de Deus e trarei Suas ovelhas para diante Dele, para que elas possam receber a graça da Sua salvação nos últimos dias.

O alarme dos últimos dias já tocou e grandes desastres já começaram. Você quer dar as boas-vindas ao retorno do Senhor e ter a chance de receber a proteção de Deus com sua família?

Conteúdo relacionado

Não temo mais o poder

Por Xiaohan, China Em fevereiro, a irmã Wang, uma líder de igreja, trouxe a irmã Song para a reunião do meu grupo e a apresentou como uma...

Conecte-se conosco no Messenger