Discernindo as pessoas com base nas palavras de Deus

11 de Junho de 2024

Por Xiang Wang, China

Recentemente, ouvi de Meng Jie, minha supervisora, que Li Ping não aceitava a verdade, sempre analisava demais as pessoas e as coisas e perturbava a vida de igreja, e que os irmãos se comunicaram com ela e a ajudaram, mas mesmo assim ela não mudou de atitude. Meng Jie me pediu para escrever uma avaliação sobre ela. Fiquei um pouco surpresa. Eu não esperava que Li Ping chegaria a esse ponto. No início, tive dificuldade em aceitar. A família de Li Ping cria no Senhor havia gerações. Ela serviu ao Senhor na igreja em sua adolescência e aceitou este estágio da obra de Deus por mais de vinte anos. Agora, ela estava com pouco mais de cinquenta anos e ainda não era casada. Sua renúncia e despendimento, exercendo restrição e suportando o sofrimento, pareciam ser a verdadeira fé em Deus. Agora, ela estava sendo definida como uma não crente por analisar excessivamente pessoas e coisas. Isso não era um pouco duro demais? Pensando em quando eu havia interagido com Li Ping no passado, sua humanidade não parecia ruim; ela apenas discutia sobre o certo e o errado quando surgiam problemas. Pessoas assim não deveriam ter a chance de permanecer na igreja e prestar serviço? Mais tarde, ouvi Meng Jie dizer que, com base no comportamento persistente de Li Ping, já havia sido determinado que ela era uma não crente. Além disso, ela me lembrou de me examinar para ver o que me impedia de perceber Li Ping, e me instruiu a buscar a verdade para resolver o problema.

Mais tarde, trabalhei conscientemente esse problema em minha busca, e pensei em todas as vezes que Li Ping e eu interagimos. Em 2019, Li Ping e eu fomos parceiras no desempenho do dever. Naquela época, uma irmã do nosso grupo, Yingxin, não estava trabalhando bem com Li Ping. Yingxin queria conversar sobre isso com Li Ping, porém ela se recusou. Yingxin ficou um pouco negativa, e quando a líder perguntou sobre o estado dela e de Li Ping, Yingxin afirmou com sinceridade que as duas não estavam trabalhando bem juntas. Li Ping achou que sua reputação foi prejudicada pelo fato de Yingxin ter dito isso, e passou a ter um forte preconceito contra Yingxin. Posteriormente, ela distorceu os fatos e disse que Yingxin havia deliberadamente apresentado uma queixa contra ela na intenção de excluí-la do grupo. Antes de uma reunião, Yingxin sugeriu que primeiro falássemos sobre nossos estados e depois fizéssemos uma leitura concentrada das palavras de Deus com base em nossos estados. Li Ping achou que Yingxin estava se dirigindo a ela e dizendo que ela não prestava atenção suficiente na entrada na vida, e então disse com raiva que eles não tinham tempo suficiente para isso. Houve também uma reunião de revisão na qual Yingxin disse que os resultados do trabalho da igreja vinham caindo recentemente e lembrou a todos nós que deveríamos procurar as razões por trás disso. Mais uma vez, Li Ping pensou que se tratava dela, e disse, impetuosamente: “Se você acha que eu sou má, denuncie-me à supervisora e peça minha transferência”. Passamos um tempo em comunhão com ela e não conseguimos discutir o trabalho normalmente. Nessa época, a irmã Luo Wen tinha acabado de entrar no grupo, e quando surgiam dificuldades e problemas em seu trabalho, ela sempre consultava Yingxin. Li Ping viu que Luo Wen tinha grande consideração por Yingxin, e, então, disse na cara de Luo Wen que Yingxin estava usando meios escusos para conquistá-la, e lhe disse para excluir Yingxin. Quando ouviu isso, Luo Wen ficou tão furiosa que começou a chorar. Ela não achava fácil trabalhar com Li Ping e não queria mais desempenhar seu dever aqui. Li Ping não só não refletiu sobre si mesma, como também disse que, se Luo Wen quisesse ir embora, a decisão era dela. Às vezes, discutíamos o trabalho juntas na sala, e Li Ping ficava desconfiada e pensava que estávamos falando mal dela pelas costas. Por causa disso, muitas vezes ela não concordava com as irmãs do grupo. Na verdade, esses estados dela vinham ocorrendo havia muito tempo. Nossa supervisora a acompanhou e a ajudou várias vezes, mas ela nunca mudou de atitude. Nessa época, eu tinha acabado de entrar no grupo, e me comuniquei com ela e disse que ela deveria se concentrar em buscar a verdade e aprender lições, só que ela discutia sobre certo e errado e inventava desculpas para si mesma. Fiquei muito confusa. Ela cria em Deus havia anos, então por que não aceitava nada de Deus quando as coisas lhe aconteciam e, em vez disso, sempre procurava razões externas e analisava demais as pessoas e as coisas? Então pensei: “Talvez ela esteja apenas em um estado ruim no momento. Se nós comunicarmos e a ajudarmos mais, ela poderá reverter seu estado e não analisar tanto as pessoas e as coisas”. Mais tarde, já que Li Ping e Yingxin não trabalhavam bem juntas, nossa supervisora me colocou com Li Ping num mesmo grupo. No início, não achei que, depois de se separar de Yingxin, Li Ping ainda se concentraria tanto nela, mas toda vez que eu mencionava Yingxin, Li Ping voltava a falar de assuntos relacionados a ela e os recontava. Suas palavras eram cheias de julgamentos implícitos sobre Yingxin. No entanto, eu não conseguia ver sua essência claramente, e achava que sua incapacidade de superar isso era apenas temporária, que talvez ela superaria com o passar do tempo. Mais tarde, Li Ping foi transferida para outro grupo para desempenhar seu dever. Os irmãos relataram que ela ainda estava agindo assim, que sempre que algo tocava em seu orgulho, ela causava uma confusão sem fim e não conseguia trabalhar bem em conjunto com outras pessoas. E ela influenciava os estados dos outros e atrasava o trabalho do grupo. Nossa supervisora comunicou-se com ela várias vezes e disse-lhe que se concentrasse em buscar a verdade e aprender lições, mas ela nunca aceitava isso e persistia em se defender, causando interrupções e perturbações no trabalho. Até ser dispensada, ela continuou debatendo sobre certo e errado, e não estava refletindo sobre si mesma, nem tentando se conhecer.

Mais tarde, ouvi irmãos falarem sobre alguns dos comportamentos dela. O comportamento de analisar excessivamente as pessoas e as coisas realmente chamava muito a atenção. Ela não apenas fazia com que as pessoas se sentissem constrangidas, mas também perturbava o trabalho da igreja. Eu pensava: “Como Deus classifica esses comportamentos?”. Com relação a esse problema, li algumas palavras relevantes de Deus: “Não é vil que algumas pessoas gostem de buscar pelo em ovo e entrar em becos sem saída sempre que algo acontece com elas? Isso é um problema grande. Pessoas lúcidas não cometem esse erro, mas é assim que são as pessoas absurdas. Elas sempre imaginam que os outros estão dificultando as coisas para elas, que os outros deliberadamente lhes dão trabalho, por isso elas sempre hostilizam outras pessoas. Isso não é um desvio? Elas não fazem esforço quando se trata da verdade, preferem fazer comentários mesquinhos sobre coisas sem importância quando algo acontece com elas, exigem explicações, tentam salvar sua honra, e sempre usam soluções humanas para abordar essas questões. Esse é o maior obstáculo para a entrada na vida. Se acreditar em Deus desse jeito, ou praticar desse jeito, você nunca alcançará a verdade, porque você nunca vem para diante de Deus. Você nunca vem para diante de Deus para receber tudo que Deus estabeleceu para você, tampouco você usa a verdade para abordar tudo isso, em vez disso, você usa soluções humanas para abordar as coisas. Portanto, aos olhos de Deus, você se afastou demais Dele. Não somente seu coração se afastou Dele, todo o seu ser não vive em Sua presença. É assim que Deus vê aqueles que sempre analisam demais as coisas e buscam pelo em ovo. […] Eu lhes digo que, qualquer que seja o dever que um crente em Deus desempenha — não importa se ele cuida de assuntos externos ou desempenha um dever relacionado aos vários trabalhos ou áreas especializadas da casa de Deus —, se ele não vem para diante de Deus com frequência e não vive em Sua presença, se ele não ousa aceitar Seu escrutínio e não busca a verdade de Deus, ele é um não crente e não é diferente de um incrédulo(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Só vivendo frequentemente diante de Deus pode-se ter um relacionamento normal com Ele”). “Para assuntos que envolvem fama, ganhos ou reputação, elas insistem em esclarecer quem está certo ou errado, quem é superior ou inferior, e argumentam para provar seu ponto. Os outros não querem ouvir isso. Eles dizem: ‘Você pode falar isso de forma mais simples? Você pode ser mais direto? Por que você tem que ser tão trivial?’. Os pensamentos delas são muito enrolados e complicados, e elas vivem uma vida muito exaustiva, sem perceber os problemas subjacentes. Por que não podem buscar a verdade e ser honestas? Porque são avessas à verdade e não querem ser honestas. Então, elas dependem de quê, na vida? (Filosofias para os tratos mundanos e métodos humanos.) Depender dos métodos humanos para agir tende a levar a resultados em que a pessoa acaba sendo ridicularizada ou que revelam um lado feio dela. E assim, diante de uma análise mais minuciosa, suas ações, as coisas que passam o dia inteiro fazendo estão, todas elas, relacionadas a reputação, fama, ganho e vaidade. É como se estivessem vivendo numa rede, elas precisam racionalizar ou inventar desculpas para tudo, e estão sempre falando em defesa própria. Seu raciocínio é complicado, elas falam muitos absurdos, suas palavras são emaranhadas demais. Elas estão sempre discutindo sobre o que é certo e errado, elas nunca chegam ao fim. Se não estiverem tentando obter fama, estão competindo por status e reputação, e nunca há um momento em que não estão vivendo por essas coisas. E qual é a consequência última? Elas podem ter obtido fama, mas todas estão fartas e cansadas delas. As pessoas enxergaram o que elas realmente são, perceberam que carecem da verdade realidade, que não são pessoas que acreditam sinceramente em Deus. Quando os líderes e os obreiros ou outros irmãos e irmãs usam algumas palavras para podá-las, elas se recusam teimosamente a aceitar, insistem na tentativa de racionalizar ou inventar desculpas, e tentam culpar outra pessoa. Durante as assembleias elas se defendem, começam a discutir e causam confusão entre os escolhidos de Deus. Em seu coração, pensam: ‘Realmente não há lugar para mim argumentar o que falo?’. Que tipo de pessoa é essa? É alguém que ama a verdade? É alguém que acredita em Deus? Quando ouve alguém dizer algo que não está de acordo com as suas intenções, ele sempre quer argumentar e exige uma explicação; fica enrolado com quem está certo e quem está errado, não busca a verdade e não trata a questão de acordo com a verdade princípio. Não importa quão simples seja a questão, ele tem que complicar tanto — ele só está pedindo encrenca, ele merece estar tão exausto assim!(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Parte 3”). Por meio das palavras de Deus, entendi que aqueles que analisam demais as pessoas e as coisas reconhecem doutrinariamente que Deus tem soberania sobre tudo e que suas circunstâncias diárias são organizadas por Ele. Mas, quando confrontados com essas circunstâncias reais, eles não as aceitam de Deus, nem buscam a verdade, nem aprendem lições. Em vez disso, acreditam que alguém está dificultando as coisas para eles, e, para resgatar seu orgulho e sua reputação, eles sempre debatem erros e acertos, causando uma confusão sem fim. Tudo o que eles causam aos outros e ao trabalho da igreja são perturbações. A essência dessas pessoas é a dos não crentes. Por exemplo, veja o caso de Li Ping. Quando ela era parceira de Yingxin, era evidente que as duas não estavam trabalhando bem juntas e que isso já havia afetado seus deveres. Yingxin relatou a situação real à líder, na esperança de obter ajuda, mas Li Ping não aceitou isso de Deus, em vez disso, pensou que Yingxin estava fazendo uma reclamação contra ela. Depois disso, ela sempre vigiava Yingxin de perto. Quando se reunia ou discutia sobre o trabalho, se Yingxin apontava algum problema ou dava uma sugestão razoável, Li Ping não conseguia abordar o assunto corretamente e acreditava que Yingxin estava se dirigindo a ela e, assim, se opunha deliberadamente a Yingxin. Ela até causava problemas de propósito, dizendo que, se achávamos que ela não era boa, devíamos dizer à líder que a transferisse para outro dever. Tudo isso nos fazia sentir constrangidos e afetava a vida e o trabalho da igreja. A irmã Luo Wen tinha acabado de entrar no grupo e não estava familiarizada com os princípios e as habilidades profissionais, por isso foi conversar com Yingxin. Li Ping suspeitava que Luo Wen a desprezava e estava tomando o partido de Yingxin e a excluindo. Quando as irmãs discutiam o trabalho juntas normalmente, Li Ping também suspeitava que todo mundo a estava julgando pelas costas, e até guardava rancor intencionalmente das pessoas e era difícil com elas. Isso fazia com que as pessoas não conseguissem desempenhar seus deveres normalmente. Na verdade, todas essas coisas eram bastante comuns e simples, coisas que pessoas normais seriam capazes de entender se pensassem um pouco. Mas ela analisava demais as pessoas e as coisas e ficava toda confusa; seus pensamentos eram extremamente complicados. No final, todos comunicavam as palavras de Deus e a ajudavam, mas ela nunca demonstrava nenhuma intenção de buscar. Em vez disso, inventava desculpas, defendia-se e discutia sobre o certo e o errado, tentando provar seu ponto de vista.

No passado, eu sempre achei que o fato de ela analisar demais as pessoas e as coisas era um estado ruim temporário. Agora eu via que ter uma revelação corrupta momentânea e ter a essência de um não crente são coisas diferentes. É como algumas pessoas que têm manifestações de análise excessiva de pessoas e coisas, mas apenas nesse momento não conseguem entender a intenção de Deus em algumas questões específicas. Ou inventam desculpas e se defendem para salvar a pele, mas ao orar e buscar ou usar a comunhão e a ajuda dos irmãos, elas passam a entender a intenção de Deus e deixam de analisar tanto. Pessoas como essas aceitam a verdade e não têm a essência dos não crentes. Por outro lado, pessoas que são não crentes não aceitam nada de Deus, não importa o que lhes aconteça. Mesmo que seja uma questão muito pequena que os outros conseguem entender facilmente, elas sempre analisam pessoas e coisas e são incapazes de aceitar a comunhão e a ajuda dos irmãos. Isso revela que elas são avessas à verdade por natureza e compreendem as coisas de forma ilógica. Pensando no comportamento de Li Ping, era exatamente assim que ela estava quando se associou a Yingxin há uns dois ou três anos. Por fim, ela e Yingxin acabaram se separando e, embora, aparentemente, não parecesse tão óbvio que ela estava discutindo sobre certo e errado, toda vez que Yingxin era mencionada, ela começava a debater certo e errado mais uma vez. Era evidente que ela não havia largado esse assunto. Não importava com quem ela estava fazendo parceria, sempre que algo envolvia seu orgulho e status, ela contestava sem parar, só causando perturbações às pessoas. Depois de vários anos, ela ainda continuava assim; não havia arrependimento nem mudança alguma. Sua essência era a de uma não crente que analisava demais as pessoas e as coisas.

Antes, eu acreditava que, como Li Ping parecia estar entusiasmada, doando para a caridade e ajudando as pessoas, e era capaz de renunciar e se despender, isso significava que sua humanidade era boa e que ela deveria ter outra chance. Mais tarde, percebi que eu não sabia como discernir entre a humanidade boa e a ruim. Então, li algumas das palavras de Deus sobre esse assunto. Deus diz: “Quando coisas diferentes acontecem às pessoas, há todos os tipos de manifestações nelas que mostram a diferença entre humanidade boa e humanidade ruim. Então, quais são os critérios para medir a humanidade? Como deve ser avaliado o tipo de pessoa que alguém é e se ele pode ou não ser salvo? Isso depende de se ele ama a verdade e se ele é capaz de aceitar e praticar a verdade. Todas as pessoas têm noções e rebeldia dentro de si, todas elas têm caracteres corruptos, e por isso elas encontrarão momentos em que o que Deus exige vai contrariar seus interesses, e elas deverão fazer uma escolha — essas são coisas que todas elas experimentarão frequentemente, ninguém pode evitá-las. Todas terão também momentos em que interpretarão Deus errado e terão noções sobre Deus, ou terão queixas sobre Ele e serão resistentes ou rebeldes a Ele — mas visto que as pessoas têm atitudes diferentes em relação à verdade, a forma com que a abordam é diferente. Algumas pessoas nunca falam das suas noções, mas buscam a verdade e as resolvem por conta própria. Por que não falam delas? (Elas têm um coração que teme a Deus.) É verdade: elas têm um coração que teme a Deus. Temem que falar disso terá um efeito negativo, e apenas tentam resolver isso no seu coração, sem afetar mais ninguém. Quando encontram outras pessoas num estado semelhante, elas usam suas experiências para ajudá-las. Isso é ser bondoso. As pessoas de coração bondoso são amorosas para com os outros, estão dispostas a ajudar os outros a resolver as dificuldades deles. Há princípios quando elas fazem as coisas e ajudam os outros, elas ajudam os outros a resolver problemas para beneficiá-los, e não dizem nada que não seja benéfico para eles. Isso é amor. Tais pessoas têm um coração que teme a Deus, e suas ações são sábias e baseadas em princípios. Esses são os critérios para avaliar se a humanidade das pessoas é boa ou ruim(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “A atitude que o homem deveria ter para com Deus”). Por meio das palavras de Deus, eu entendi que as pessoas com boa humanidade amam a verdade, estão dispostas a aceitar a verdade e têm um coração bondoso. Ao se relacionarem com os outros, essas pessoas podem se colocar no lugar deles e pensar em como falar e agir para edificá-los. Se elas têm noções sobre Deus ou desenvolvem preconceitos contra as pessoas, não dão vazão a isso de forma imprudente. Em vez disso, são capazes de buscar a verdade para resolvê-los. Elas não dizem coisas que não sejam benéficas para as pessoas. Esse tipo de pessoa tem um coração temente a Deus e tem princípios em suas palavras e ações. Essas são pessoas com boa humanidade. Comparando esse comportamento ao de Li Ping com base nas palavras de Deus, toda vez que algo envolvia sua reputação e seu status, ela descarregava seu descontentamento. Não considerava se suas palavras magoariam os irmãos ou as consequências que elas poderiam trazer. Quando os outros apontavam seus problemas, ela não aceitava de forma alguma e, depois disso, se agarrava a isso e não largava. Li Ping cria em Deus há mais de 20 anos; será que ela realmente não entendia nada disso? No passado, eu só olhava para seu exterior. Eu achava que, por ela crer em Deus há muito tempo, ser calorosa para com as pessoas, ser capaz de renunciar e se despender, e frequentemente fazer doações para a caridade e ajudar as pessoas, ela devia ter uma boa humanidade. Mas quando as pessoas realmente lhe apontavam problemas e se comunicavam com ela, ela não aceitava isso de forma alguma e, além disso, invertia as coisas e atacava e julgava os outros. Isso não era boa humanidade de verdade.

Por meio da exposição das palavras de Deus, ganhei um pouco de discernimento da humanidade de Li Ping e seu comportamento de não crente. No entanto, ao lembrar que ela creu em Deus por décadas e foi capaz de renunciar, se despender e suportar o sofrimento, e que agora ela seria removida, senti certa compaixão por ela. Mais tarde, li uma passagem das palavras de Deus: “Algumas pessoas dizem: ‘Se alguém come e bebe das palavras de Deus e comunga sobre a verdade todo dia, se é capaz de fazer seu dever normalmente, se faz o que a igreja arranja e nunca causa perturbação nem interrupção — e, embora haja vezes em que viola as verdades princípios, ele não o faz conscientemente ou com intenção — isso não demonstra que ele está buscando a verdade?’. Essa é uma boa pergunta. Muitas pessoas têm essa ideia. Em primeiro lugar, vocês devem entender se alguém poderia alcançar um entendimento da verdade e ganhar a verdade ao praticar consistentemente dessa maneira. Compartilhem seus pensamentos. (Embora seja correto praticar dessa maneira, parece mais seguir os moldes de um ritual religioso — é seguir regras. Isso não pode levar a um entendimento da verdade nem ao ganho da verdade.) Então, que tipo de comportamento é esse, na verdade? (É um comportamento superficialmente bom.) Gosto dessa resposta. É meramente um comportamento bom que resulta depois que uma pessoa vem a acreditar em Deus, no fundamento da consciência e da razão dessa pessoa, uma vez que ela foi influenciada por vários ensinamentos bons e positivos. Mas nada mais é do que bom comportamento e está longe de ser a busca da verdade. Qual, então, é a raiz desse bom comportamento? O que dá origem a ele? Ele é originado da consciência e da razão da pessoa, da sua moralidade, dos sentimentos favoráveis que tem em relação a acreditar em Deus e do seu autodomínio. Já que é um bom comportamento, não tem relação alguma com a verdade, e essas certamente não são a mesma coisa. Ter um bom comportamento não é o mesmo que praticar a verdade, e se uma pessoa se comporta bem não significa que ela tem a aprovação de Deus. Bons comportamentos e praticar a verdade são duas coisas diferentes — elas não têm relação alguma uma com a outra. Praticar a verdade é a exigência de Deus e está inteiramente de acordo com Suas intenções; bom comportamento provém da vontade do homem e carrega consigo as intenções e os motivos do homem — é algo que o homem considera como bom. Embora não sejam atos malignos, os bons comportamentos contravêm as verdades princípios e nada têm a ver com a verdade. Não importa quão bons sejam esses comportamentos nem quanto se conformem às noções e imaginações do homem, eles não têm nenhuma relação com a verdade. Assim, nenhuma quantidade de bons comportamentos pode obter a aprovação de Deus. Já que bom comportamento é definido dessa forma, é claro que bons comportamentos não estão relacionados à prática da verdade. Se as pessoas fossem classificadas em tipos de acordo com seu comportamento, então esses bons comportamentos seriam, no máximo, ações de trabalhadores leais e nada mais. De forma alguma eles estão relacionados à prática da verdade nem à submissão verdadeira a Deus. São apenas um tipo de comportamento e são totalmente irrelevantes para a mudança de caráter das pessoas, para a sua submissão à verdade e aceitação da verdade, para temer a Deus e evitar o mal ou para quaisquer outros elementos práticos que realmente envolvam a verdade. Por que, então, são chamados de bons comportamentos? Segue aqui uma explicação, e naturalmente é também uma explicação da essência dessa questão. É que esses comportamentos provêm apenas das noções das pessoas, de suas preferências, de sua vontade e de seus esforços por motivação própria. Eles não são manifestações do arrependimento que vem com ganhar o autoconhecimento verdadeiro ao aceitar a verdade e o julgamento e o castigo das palavras de Deus, nem são os comportamentos ou ações de praticar a verdade que surgem quando as pessoas tentam se submeter a Deus. Vocês entendem isso? Significa que esses bons comportamentos não envolvem de forma nenhuma uma mudança no caráter de uma pessoa, ou aquilo que resulta de passar pelo julgamento e castigo das palavras de Deus, ou o arrependimento verdadeiro que resulta de vir a conhecer o caráter corrupto de alguém. Eles certamente não estão relacionados à verdadeira submissão do homem a Deus e à verdade; menos ainda estão relacionados a ter um coração de temor e amor a Deus. Bons comportamentos nada têm a ver com essas coisas; são meramente algo que vem do homem e algo que o homem vê como bom. Mas existem muitas pessoas que veem esses bons comportamentos como um sinal de que alguém está praticando a verdade. Esse é um erro grave, uma opinião e um entendimento absurdos. Esses bons comportamentos só são uma atuação de cerimônia religiosa e agir sem se envolver. Eles não têm a menor relação com a prática da verdade. Deus pode não os condenar diretamente, mas Ele não os aprova de jeito nenhum; isso é certo(A Palavra, vol. 6: Sobre a busca da verdade I, “O que significa buscar a verdade (1)”). Ponderando sobre as palavras de Deus, entendi que o fato de Li Ping crer no Senhor por mais de dez anos e aceitar a obra de Deus dos últimos dias por mais de vinte anos, e sempre se despender com entusiasmo, abandonar sua família e desistir de sua carreira durante esse tempo era tudo exemplo de entusiasmo e bom comportamento superficiais. Isso não estava à altura do padrão de praticar a verdade. Depois de passarem a crer em Deus, muitas pessoas exibem um bom comportamento, mas porque sua natureza não é a de amar a verdade e por não conseguirem aceitar o julgamento e o castigo das palavras de Deus, sua vida caráter não muda em nada, mesmo depois de anos de crença em Deus. Essas pessoas ainda serão abandonadas e excluídas por Deus no final. Exibir um bom comportamento não significa que a pessoa está praticando a verdade. Se a pessoa simplesmente exibe um bom comportamento, mas nunca aceita ou pratica a verdade, então essa pessoa é capaz de resistir a Deus quando ou onde quer que seja. É como na religião, em que havia muitas pessoas que acreditaram no Senhor por toda a vida, trabalhando duro, renunciando e se despendendo. No entanto, quando Deus Todo-Poderoso, Cristo dos últimos dias, veio para fazer a obra, expressar a verdade e salvar a humanidade, eles O condenaram, resistiram a Ele e O rejeitaram. Eles torceram o nariz para as verdades que Ele expressou. Não importava quão bom comportamento eles exibissem, Deus não os aprovava. Ele os condenou como pessoas que resistiam a Deus. Pensei nos fariseus, que serviam a Jeová Deus no templo e viajavam por terra e mar para pregar e trabalhar. Aos olhos dos outros, seu comportamento era muito bom, e eles não tinham nenhuma falha, mas quando o Senhor Jesus apareceu para fazer a obra, eles resistiram a Ele, e O condenaram e até O crucificaram. Sua natureza essência era odiar a verdade e Deus. O Senhor Jesus os condenou como sendo da laia da serpente, e, no final, todos eles foram punidos e amaldiçoados por Deus. Com isso, entendi que ao olhar apenas para o bom comportamento superficial das pessoas sem discernir sua atitude em relação à verdade, era tão fácil ser enganado!

Mais tarde, pensei: “Então, como exatamente pessoas reveladas como não crentes, como Li Ping, deveriam ser consideradas? Quais pessoas podem permanecer na igreja para prestar serviço e quais devem ser removidas? Que princípios isso envolve?”. Li esta passagem da palavra de Deus: “Se forem descrentes, não crentes, mas estiverem dispostas a labutar e puderem ser obedientes e se submeter, então, mesmo se elas não buscam a verdade, não as incomode e não as remova. Em vez disso, permita que continuem labutando, e, se puder ajudá-las, então as ajude. Se elas não desejarem nem labutar e começarem a ficar desleixadas e a cometer atos malignos, então fizemos tudo que era necessário. Se quiserem ir embora, deixe-as ir, e não sinta saudade delas depois que elas se foram. Elas estão no ponto em que deveriam partir, e tais pessoas não merecem sua piedade, pois são descrentes. O que é mais lamentável é que há algumas pessoas que são incrivelmente tolas, que sempre guardam sentimentos pessoais em relação àqueles que são mandados embora, que sempre sentem saudade deles, que falam em nome deles, que lutam em defesa deles e que até choram, oram e suplicam por eles. O que vocês pensam do que essas pessoas fazem? (É tão tolo.) Por que é tolo? (Aqueles que vão embora são descrentes, não aceitam a verdade e simplesmente não merecem oração, não merecem saudade. Só aqueles a quem Deus dá oportunidades e que têm esperança de ser salvos merecem as lágrimas e as orações dos outros. Se alguém ora por um descrente ou por um diabo, então é muito tolo e ignorante.) Um aspecto é que eles não acreditam verdadeiramente que existe um Deus — eles são descrentes; outro aspecto é que a natureza essência dessas pessoas é a de um não crente. Qual é o significado implicado aqui? É que elas não são pessoas, de maneira alguma, mas que sua natureza essência é a de um diabo, de Satanás, e que essas pessoas se opõem a Deus. É assim que as coisas são em relação à natureza essência delas. Mas há outro aspecto, e é que Deus seleciona pessoas, não diabos. Então, diga-Me, esses diabos são o povo escolhido de Deus e são selecionados por Deus? (Não.) Eles não são o povo escolhido de Deus, então, se você sempre tem envolvimentos emocionais com essas pessoas e fica triste ao vê-las partir, isso não faz de você um tolo? Isso não faz você se opor a Deus? Se você não tem sentimentos profundos por irmãos verdadeiros e, mesmo assim, abriga sentimentos profundos por esses diabos, então o que você é? No mínimo, você está confuso, não vê as pessoas de acordo com as palavras de Deus, ainda não se comporta com o ponto de vista correto, e não lida com as questões com princípios. Você é uma pessoa confusa(A Palavra, vol. 6: Sobre a busca da verdade I, “Como buscar a verdade (4)”). Com relação a como as pessoas reveladas como não crentes deveriam ser consideradas, Deus fala muito claramente. Se elas forem obedientes, submissas e estiverem dispostas a prestar serviço, então, mesmo que não busquem a verdade, podem continuar prestando serviço, desde que não causem interrupções ou perturbações. Se elas não prestam serviço adequadamente, são perfunctórias ou praticam o mal e interrompem ou perturbam o trabalho da igreja, não aceitam nem se arrependem quando os irmãos as expõem e as podam, e causam mais perdas do que ganhos ao desempenhar o dever, elas devem ser expurgadas. Deus salva o homem, e a consciência do homem deveria ter um critério. Mesmo que a pessoa não busque a verdade, pelo menos ela não deveria causar interrupções ou perturbações. A essência de todos os que são capazes de fazer o mal e de interromper e perturbar o trabalho da casa de Deus é a de diabos e Satanás. Mesmo que essas pessoas permaneçam na igreja, elas não servirão a um propósito. A igreja precisa ser limpa deles. Comparei isso ao comportamento de Li Ping: ela creu em Deus por muitos anos e, depois que lhe aconteceram essas coisas, não buscou a verdade, e insistiu em analisar excessivamente as pessoas e as coisas, perturbando os irmãos e o trabalho da igreja. Os irmãos se comunicaram com ela e a ajudaram muitas vezes, mas ela não despertou nem se arrependeu nem um pouco. Sua natureza essência era de aversão e ódio à verdade, e ela era uma não crente exposta. Li Ping ser expurgada da igreja revelaria completamente a justiça de Deus. No passado, quando se tratava de julgar Li Ping, eu não a julgava com base nas palavras de Deus, mas em minhas próprias noções e imaginações. Eu achava que, pelo fato de ela ser capaz de renunciar, despender-se, suportar o sofrimento, restringir-se e demonstrar bom comportamento, ela era alguém que tinha verdadeira fé em Deus. Portanto, com minhas boas intenções, eu queria fazer com que ela permanecesse na igreja. Eu era cega demais! Deus nunca disse que todos os que exibem bom comportamento têm fé verdadeira em Deus. Deus avalia as pessoas com base em sua natureza essência e sua atitude em relação à verdade, bem como a senda que elas sempre percorreram. A obra de Deus já chegou ao estágio final de classificar as pessoas de acordo com seus tipos. Pessoas que amam e podem aceitar a verdade, pessoas que são avessas a ela e a odeiam, pessoas que são trigo e pessoas que são joio — Deus vai revelar todas elas. Os não crentes, as pessoas malignas e os anticristos que são avessos à verdade e a odeiam serão todos excluídos por Deus. Agora, eu ainda era capaz de sentir compaixão por Li Ping, que se revelou uma não crente; eu não estava me opondo a Deus e resistindo a Ele? Eu fui muito tola, realmente! Tenho que discernir e rejeitá-la em meu coração e apresentar à igreja prontamente seus comportamentos de não crente para salvaguardar o trabalho da casa de Deus. Eu não podia mais ficar confusa!

Logo depois, apresentei à igreja os comportamentos de não crente de Li Ping, e, em pouco tempo, ela foi removida. Vivenciando esse processo de remoção de Li Ping, ganhei um pouco de discernimento em relação aos não crentes, e também um pouco de compreensão das visões falaciosas dentro de mim. Entendi que uma pessoa não tem fé verdadeira em Deus só porque exibe um bom comportamento. Se alguém não ama ou não aceita a verdade, mais cedo ou mais tarde, será revelado e excluído. Vi que só era correto discernir as pessoas com base nas palavras de Deus.

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

Um renascimento

Por Yang Zheng, Província de Heilongjiang Eu nasci em uma família rural pobre, que tinha uma forma de pensar bem antiquada. Eu era vaidoso...

Deveres não têm hierarquia

Por Karen, Filipinas Antes de crer em Deus Todo-Poderoso, eu costumava ser elogiada por meus professores. Eu sempre queria ser o centro das...

Depois que fui denunciada

Por Judy, Coreia do Sul Um dia, em 2016, de repente, recebi uma carta que me denunciava. Ela tinha sido escrita por duas irmãs que eu tinha...

Conecte-se conosco no WhatsApp