Qual é a substância de Deus encarnado? O Senhor Jesus é o Filho de Deus ou Ele é o Próprio Deus? Como Cristo dos últimos dias conclui a era antiga?

As profecias sobre o retorno do Senhor basicamente já foram cumpridas. O dia do Senhor já chegou. O Senhor retornará nos últimos dias descendo em uma nuvem para que todos possam ver, ou Ele encarnará no Filho do homem e descerá em segredo?

Versos da Bíblia para referência:

Eis que vem com as nuvens, e todo olho o verá, até mesmo aqueles que o traspassaram; e todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele (Apocalipse 1:7).

Eis que venho como ladrão (Apocalipse 16:15).

Pois, assim como o relâmpago, fuzilando em uma extremidade do céu, ilumina até a outra extremidade, assim será também o Filho do homem no seu dia. Mas primeiro é necessário que ele padeça muitas coisas, e que seja rejeitado por esta geração (Lucas 17:24-25).

“Há milhares de anos, o homem tem desejado poder testemunhar a chegada do Salvador. O homem tem desejado contemplar Jesus, o Salvador, sobre uma nuvem branca, descendo pessoalmente entre aqueles que têm anelado e ansiado por Ele há milhares de anos. O homem tem desejado que o Salvador retorne e seja reunido ao povo, isto é, que Jesus, o Salvador, volte para o povo de quem Ele tem estado separado por milhares de anos. E o homem espera que Ele realize novamente a obra redentora que realizou entre os judeus, seja compassivo e amoroso para com o homem, perdoe os pecados do homem, leve os pecados do homem e até mesmo leve todas as transgressões do homem e o liberte do pecado. Eles desejam que Jesus, o Salvador, seja o mesmo que antes: um Salvador amável, afável e venerável, que jamais se ire contra o homem e que jamais o repreenda. Este Salvador perdoa e leva todos os pecados do homem, e até mesmo morre na cruz pelo homem mais uma vez. […] Em todo o universo, todos aqueles que conhecem a salvação de Jesus, o Salvador, têm desesperadamente ansiado pela súbita chegada de Jesus Cristo, para que se cumpram as palavras Dele quando estava na terra: ‘Eu virei assim como parti’. O homem crê que, após a crucificação e a ressurreição, Jesus voltou aos céus sobre uma nuvem branca e tomou o Seu lugar à destra do Altíssimo. O homem imagina que, semelhantemente, Jesus descerá novamente sobre uma nuvem branca (essa nuvem se refere à nuvem sobre a qual Jesus voltou para os céus), em meio àqueles que têm desesperadamente ansiado por Ele há milhares de anos, e que Ele terá a imagem e as roupas dos judeus. Depois de aparecer aos homens, Ele lhes concederá alimentos, fará com que água viva jorre do interior deles e habitará entre eles, cheio de graça e amor, vivo e real. E assim por diante. Mas Jesus, o Salvador, não o fez; Ele fez o oposto do que o homem imaginou. Ele não chegou entre aqueles que haviam ansiado por Sua volta e não apareceu sobre a nuvem branca a todos os homens. Ele já chegou, mas o homem não O conhece, e permanece ignorante de Sua chegada. O homem está apenas O aguardando, sem propósito, inconsciente de que Ele já desceu sobre uma ‘nuvem branca’ (a nuvem que é o Seu Espírito, as Suas palavras e todo Seu caráter e tudo o que Ele é), e está agora entre um grupo de vencedores que Ele irá formar durante os últimos dias.”

“Jesus disse que Ele chegaria como Ele partiu, mas você conhece o verdadeiro significado de Suas palavras? Pode ser que Ele tenha falado sobre vocês a esse grupo? Tudo o que você sabe é que Ele chegará como Ele partiu, em uma nuvem, mas você sabe exatamente como o Próprio Deus faz a obra Dele? Se você fosse realmente capaz de ver, como se explicam as palavras que Jesus proferiu? Ele disse: ‘Quando o Filho do homem vier nos últimos dias, Ele mesmo não saberá, os anjos não saberão, os mensageiros no céu não saberão e toda a humanidade não saberá. Só o Pai saberá, isto é, somente o Espírito saberá’. Mesmo o Próprio Filho do homem não sabe, mas você é capaz de ver e saber? Se você fosse capaz de saber e ver com seus próprios olhos, essas palavras não teriam sido ditas em vão? E o que Jesus disse na época? ‘Daquele dia e hora, porém, ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho, senão só o Pai. Pois como foi dito nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem… Por isso ficai também vós apercebidos; porque numa hora em que não penseis, virá o Filho do homem’. Quando esse dia chegar, o próprio Filho do homem não saberá. O Filho do homem se refere à carne encarnada de Deus, uma pessoa normal e comum. Nem mesmo o Próprio Filho do homem sabe, então como você pode saber?”

Se o homem não reconhecer o Deus encarnado, ele será incapaz de acolher o Senhor. É o mesmo caso de quando o Senhor Jesus veio pela primeira vez para realizar Sua obra e ninguém O reconheceu. Mas o que é a encarnação? Qual é a substância da encarnação?

Versos da Bíblia para referência:

“E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade” (João 1:14).

Eu estou no Pai, e que o Pai está em mim (João 14:10).

Eu e o Pai somos um (João 10:30).

“O significado de encarnação é que Deus aparece na carne, e Ele vem para trabalhar entre os homens de Sua criação na imagem de uma carne. Assim, para Deus Se encarnar, Ele precisa primeiro ser carne, carne com humanidade normal; isso, no mínimo, deve ser verdade. De fato, a implicação da encarnação de Deus é que Deus vive e trabalha na carne, Deus, em Sua essência, se torna carne, se torna um homem.”

Encarnação significa que o Espírito de Deus Se torna carne, isto é, Deus Se torna carne; a obra que Ele faz na carne é a obra do Espírito, que é realizada na carne, expressa pela carne. Ninguém, exceto a carne de Deus, pode cumprir o ministério do Deus encarnado; isto é, somente a carne encarnada de Deus, essa humanidade normal — e ninguém mais — pode expressar a obra divina. Se, durante a Sua primeira vinda, Deus não tivesse humanidade normal antes da idade dos vinte e nove anos — se, assim que nascesse, Ele pudesse fazer milagres, se, tão logo aprendesse a falar, pudesse falar a língua do céu, se, no momento em que pusesse os pés na terra pela primeira vez, Ele pudesse apreender todos os assuntos mundanos, discernir os pensamentos e intenções de cada pessoa — então tal pessoa não poderia ser chamada um homem normal, e tal carne não poderia ser chamada carne humana. Se esse tivesse sido o caso com Cristo, então o significado e a essência da encarnação de Deus teriam sido perdidos. Que Ele possuiu a humanidade normal prova que Ele era Deus encarnado na carne; o fato de que Ele passou por um processo de crescimento humano normal demonstra ainda que Ele era uma carne normal; além disso, Sua obra é prova suficiente de que Ele era a Palavra de Deus, o Espírito de Deus tornando-Se carne. Deus Se torna carne por causa das necessidades da obra; em outras palavras, esse estágio da obra precisa ser feito na carne, feito na humanidade normal. Esse é o pré-requisito para “o Verbo Se tornar carne”, para “a Palavra Se manifestar na carne”, e é a verdadeira história por trás das duas encarnações de Deus.

“Porque Ele é um homem com a essência de Deus, Ele está acima de qualquer um dos humanos criados, acima de qualquer homem que pode realizar a obra de Deus. E assim, entre todos aqueles que possuem uma casca humana como a Dele, entre todos aqueles que possuem humanidade, somente Ele é o Próprio Deus encarnado — todos os outros são humanos criados. Ainda que todos tenham humanidade, os humanos criados são nada além de humanos, enquanto o Deus encarnado é diferente: em Sua carne Ele não apenas tem humanidade, mas, o que é mais importante, tem divindade. Sua humanidade pode ser vista na aparência externa de Sua carne e em Sua vida diária, mas Sua divindade é difícil de perceber. Porque Sua divindade somente é expressa quando Ele tem humanidade e não é tão sobrenatural quanto as pessoas a imaginam ser, ela é extremamente difícil para as pessoas verem. […] uma vez que Deus Se torna carne, Sua essência é uma combinação de humanidade e divindade. Essa combinação é chamada de Próprio Deus, Próprio Deus na terra.”

“O Filho do homem encarnado expressou a divindade de Deus através de Sua humanidade e transmitiu a vontade de Deus para a humanidade. E através da expressão da vontade e do caráter de Deus, Ele também revelou às pessoas o Deus que não pode ser visto ou tocado no reino espiritual. O que as pessoas viram foi o Próprio Deus, tangível e em carne e osso. Assim, o Filho do homem encarnado tornou coisas como a identidade, o status, a imagem e o caráter do Próprio Deus e o que Ele tem e é concretas e humanizadas. Embora a aparência externa do Filho do homem tivesse algumas limitações em relação à imagem de Deus, Sua essência e o que Ele tem e é eram plenamente capazes de representar a identidade e o status do Próprio Deus — havia apenas algumas diferenças na forma de expressão. Não importa se é a humanidade do Filho do homem ou a Sua divindade, não podemos negar que Ele representava a Própria identidade e status de Deus. Durante essa época, porém, Deus operava através da carne, falava a partir da perspectiva da carne e Se postava diante da humanidade com a identidade e o status do Filho do homem, e isso deu às pessoas a oportunidade de encontrar e experimentar as verdadeiras palavras e obra de Deus em meio à humanidade. Também permitiu que as pessoas tivessem uma percepção da Sua divindade e grandeza em meio à humildade, que ganhassem também uma compreensão preliminar e uma definição preliminar da autenticidade e da realidade de Deus.”

A maioria das pessoas que creem no Senhor acredita que o Senhor Jesus é o Filho de Deus. Essa crença se baseia no que foi escrito na Bíblia. No entanto, algumas pessoas testemunham que Cristo é o Próprio Deus. Então, o Cristo encarnado é o Filho de Deus? Ou Ele é o Próprio Deus?

Versos da Bíblia para referência:

“Respondeu-lhe Jesus: Há tanto tempo que estou convosco, e ainda não me conheces, Felipe? Quem me viu a mim, viu o Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai? Não crês tu que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo, não as digo por mim mesmo; mas o Pai, que permanece em mim, é quem faz as suas obras. Crede-me que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim; crede ao menos por causa das mesmas obras (João 14:9-11).

Eu e o Pai somos um (João 10:30).

“Quando Jesus chamou Deus no Céu pelo nome de Pai ao orar, isto foi feito somente da perspectiva de um homem criado, somente porque o Espírito de Deus havia Se vestido de uma carne comum e normal e tinha a capa exterior de um ser criado. Mesmo que dentro Dele estivesse o Espírito de Deus, Sua aparência exterior ainda era a de um homem comum; em outras palavras, Ele Se tornou o ‘Filho do homem’, do qual todos os homens, inclusive o Próprio Jesus, falaram. Dado que Ele é chamado o Filho do homem, Ele é uma pessoa (seja homem ou mulher, em qualquer caso, alguém com a aparência exterior de um ser humano) nascida em uma família normal de pessoas comuns. Portanto, Jesus chamar Deus no céu pelo nome de Pai era igual a como vocês inicialmente O chamavam de Pai; Ele fez isso da perspectiva de um homem da criação. […] Por maior que fosse a autoridade de Jesus na terra, antes da crucificação, Ele era apenas um Filho do homem, governado pelo Espírito Santo (isto é, Deus), e um dos seres criados da terra, porque Ele ainda tinha que completar Sua obra. Portanto, Ele chamar Deus no céu de Pai era unicamente Sua humildade e obediência. O dirigir-Se a Deus (isto é, o Espírito no céu) de tal maneira, no entanto, não prova que Ele é o Filho do Espírito de Deus no céu. Pelo contrário, é simplesmente que a perspectiva Dele é diferente, não que Ele seja uma pessoa diferente. A existência de pessoas distintas é uma falácia!”

“Ainda há aqueles que dizem: ‘Deus não declarou expressamente que Jesus era Seu Filho amado?’ Jesus é o amado Filho de Deus, em quem Ele Se compraz — isso foi certamente declarado pelo Próprio Deus. Isso foi Deus testemunhando de Si Mesmo, apenas de uma perspectiva diferente, aquela do Espírito no Céu testemunhando de Sua própria encarnação. Jesus é Sua encarnação, não Seu Filho no céu. Você compreende? As palavras de Jesus ‘Eu estou no Pai, e o Pai está em Mim’, não indicam que Eles são um só Espírito? E não é por causa da encarnação que Eles foram separados entre o Céu e a terra? Na verdade, Eles ainda são um; não importa o que aconteça, é simplesmente Deus testemunhando de Si Mesmo. Devido à mudança nas eras, às exigências da obra e às diferentes etapas de Seu plano de gestão, o nome pelo qual o homem O chama também varia. Quando Ele veio para realizar a primeira etapa da obra, Ele só poderia ser chamado de Jeová, pastor dos israelitas. Na segunda etapa, o Deus encarnado só poderia ser chamado de Senhor e Cristo. Mas naquela época, o Espírito no céu declarou apenas que Ele era o Filho amado de Deus, e não fez menção de Ele ser o único Filho de Deus. Isso simplesmente não aconteceu. Como Deus poderia ter um filho único? Então, Deus não teria Se tornado homem? Porque Ele era a encarnação, foi chamado o amado Filho de Deus e, com isso, veio o relacionamento entre Pai e Filho. Foi simplesmente por causa da separação entre o céu e a terra. Jesus orou da perspectiva da carne. Como Ele Se revestiu de uma carne de humanidade tão normal, é da perspectiva da carne que Ele disse: ‘Minha casca exterior é a de um ser criado. Desde que Eu me revesti de uma carne para vir a esta terra, estou agora muito, muito distante do céu’. Por esta razão, Ele só podia orar a Deus, o Pai, da perspectiva da carne. Esse era Seu dever e aquilo de que o Espírito encarnado de Deus deveria ser dotado. Não se pode dizer que Ele não é Deus simplesmente porque orou ao Pai a partir da perspectiva da carne. Embora Ele seja chamado de Filho amado de Deus, Ele ainda é o Próprio Deus, pois é apenas a encarnação do Espírito, e Sua substância ainda é o Espírito.”

“O Deus encarnado é chamado de Cristo e Cristo é a carne vestida pelo Espírito de Deus. Essa carne é diferente de qualquer homem que é da carne. Essa diferença existe porque Cristo não é de carne e sangue, mas é a encarnação do Espírito. Ele tem tanto uma humanidade normal como uma divindade completa. Sua divindade não é possuída por nenhum homem. Sua humanidade normal sustenta todas as Suas atividades normais na carne, enquanto Sua divindade realiza a obra do Próprio Deus. Seja Sua humanidade ou divindade, ambas se submetem à vontade do Pai celestial. A substância de Cristo é o Espírito, isto é, a divindade. Portanto, Sua substância é a do Próprio Deus, […] Dado que Deus Se torna carne, Ele alcança Sua substância dentro da Sua carne, […] E já que Deus Se torna carne, Ele opera na identidade de Sua carne; uma vez que Ele vem na carne, Ele termina, na carne, a obra que deve realizar. Seja o Espírito de Deus ou o de Cristo, ambos são o Próprio Deus e Ele realiza a obra que deve realizar e desempenha o ministério que Ele deve desempenhar.”

Durante a Era da Graça, Deus encarnou e realizou a obra de redenção. Nos últimos dias, Deus encarnou e está realizando a obra de julgamento. Qual é o verdadeiro significado de Deus ter encarnando duas vezes?

Versos da Bíblia para referência:

“Assim também Cristo, oferecendo-se uma só vez para levar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação” (Hebreus 9:28).

No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus (João 1:1).

“A primeira encarnação foi para redimir o homem do pecado, para redimi-lo por meio do corpo de carne de Jesus, isto é, Ele salvou o homem da cruz, mas o caráter satânico corrupto ainda permaneceu dentro do homem. A segunda encarnação não é mais para servir como uma oferta pelo pecado, mas, em vez disso, salvar totalmente aqueles que foram redimidos do pecado. Isso é feito de modo que aqueles que são perdoados possam ser libertos de seus pecados e ser completamente limpos, e por alcançar um caráter transformado, libertar-se da influência das trevas de Satanás e retornar para diante do trono de Deus. Só dessa maneira o homem pode ser plenamente santificado. […] É por meio da encarnação de Deus que o homem recebe a salvação completa de Deus e não diretamente do Céu em resposta às suas orações. Pois, sendo o homem da carne, ele não tem como ver o Espírito de Deus e muito menos como se aproximar de Seu Espírito. Tudo com que o homem pode entrar em contato é com a carne encarnada de Deus; e somente por meio disso o homem é capaz de entender todas as palavras e todas as verdades e receber a salvação completa. A segunda encarnação será suficiente para remover os pecados do homem e purificá-lo completamente. Daí, com a segunda encarnação, toda a obra de Deus na carne será concluída e a importância da encarnação de Deus será completada.”

“Jesus realizou uma etapa da obra que apenas cumpriu a substância de ‘o Verbo estava com Deus’: a verdade de Deus estava com Deus, e o Espírito de Deus estava com a carne e era inseparável Dele, isto é, a carne de Deus encarnado estava com o Espírito de Deus, que é a prova maior de que Jesus encarnado foi a primeira encarnação de Deus. Esse estágio da obra cumpriu o significado interno de ‘a Palavra se torna carne’, deu um significado mais profundo a ‘o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus’ e permite que você acredite firmemente nas palavras ‘No princípio era o Verbo’. Isso significa que, no momento da criação, Deus possuía palavras, Suas palavras estavam com Ele e eram inseparáveis Dele, e a era final torna ainda mais claro o poder e autoridade de Suas palavras, e permite ao homem ver todo o Seu Verbo — ouvir todas as Suas palavras. Assim é a obra da era final. […] Porque essa é a obra da segunda encarnação — e a derradeira vez em que Deus Se torna carne —, ela completa integralmente o significado da encarnação, revela completamente toda a obra de Deus na carne, e encerra a era do ser de Deus na carne.”

“‘No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus, e o Verbo Se fez carne’. Esta (a obra do aparecimento da Palavra na carne) é a obra que Deus realizará nos últimos dias, é o capítulo final de todo o Seu plano de gerenciamento e, assim, Deus tem que vir à Terra e manifestar Suas palavras encarnado. Aquilo que é feito hoje, aquilo que será feito no futuro, aquilo que é realizado por Deus, o destino final do homem, aqueles que serão salvos, aqueles que serão destruídos, e assim por diante — esta obra que deve ser alcançada no final foi declarada com clareza, e é tudo para realizar o verdadeiro significado da Palavra que aparece na carne. Os decretos administrativos e a constituição que foram emitidos anteriormente, aqueles que serão destruídos, aqueles que entrarão em repouso — essas palavras devem todas ser cumpridas. Esta é principalmente a obra realizada por Deus encarnado durante os últimos dias. Ele faz as pessoas entenderem aonde pertencem os predestinados por Deus e aonde pertencem aqueles que não são predestinados por Deus, como Seu povo e filhos serão classificados, o que acontecerá com Israel, o que acontecerá com o Egito — no futuro, cada uma dessas palavras será cumprida. As etapas da obra de Deus estão se acelerando. Deus usa a palavra como o meio para revelar ao homem o que deve ser feito em todas as eras, o que deve ser feito pelo Deus encarnado dos últimos dias e Seu ministério que deve ser realizado, e estas palavras são todas para realizar o verdadeiro significado da Palavra que aparece na carne.”

As duas encarnações de Deus testificam que “Cristo é a verdade, o caminho e a vida”. Como devemos reconhecer a essência de Cristo como a verdade, o caminho e a vida?

Versos da Bíblia para referência:

No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus (João 1:1-2).

Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim (João 14:6).

As palavras que eu vos tenho dito são espírito e são vida (João 6:63).

“Deus continua Suas declarações, empregando vários métodos e perspectivas para nos admoestar sobre o que fazer, ao mesmo tempo em que dá voz ao Seu coração. Suas palavras carregam o poder da vida, nos mostram o caminho que devemos trilhar e nos permitem entender o que é a verdade. […] Ninguém além Dele pode conhecer todos os nossos pensamentos, ou ter tal compreensão de nossa natureza e substância, ou julgar a rebeldia e a corrupção da humanidade, ou falar conosco e operar entre nós dessa maneira em nome de Deus do Céu. Ninguém além Dele é dotado com a autoridade, a sabedoria e a dignidade de Deus; o caráter de Deus e o que Ele tem e é se revelam Nele em sua totalidade. Ninguém além Dele pode nos mostrar o caminho e nos trazer a luz. Ninguém além Dele pode revelar os mistérios que Deus não revelou desde a criação até hoje. Ninguém além Dele pode nos salvar da escravidão de Satanás e de nosso próprio caráter corrupto. […]

“Deus continua Suas declarações, empregando vários métodos e perspectivas para nos admoestar sobre o que fazer, ao mesmo tempo em que dá voz ao Seu coração. Suas palavras carregam o poder da vida, nos mostram o caminho que devemos trilhar e nos permitem entender o que é a verdade. […] Ninguém além Dele pode conhecer todos os nossos pensamentos, ou ter tal compreensão de nossa natureza e substância, ou julgar a rebeldia e a corrupção da humanidade, ou falar conosco e operar entre nós dessa maneira em nome de Deus do Céu. Ninguém além Dele é dotado com a autoridade […]

“O caminho da vida não é algo que qualquer pessoa possa ter nem é fácil de ser obtido por todos. Isso é porque a vida só pode vir de Deus, o que quer dizer, somente o Próprio Deus possui a substância de vida, não há caminho de vida sem o Próprio Deus e assim só Deus é a fonte de vida e o manancial inesgotável de água viva da vida. Desde que criou o mundo, Deus tem feito muita obra envolvendo a vitalidade da vida, tem feito muita obra que traz vida ao homem e tem pagado um grande preço para o homem poder ganhar vida, pois o Próprio Deus é vida eterna e Ele é o caminho pelo qual o homem é ressuscitado. […]
[…] só Deus possui o caminho de vida. Já que Sua vida é imutável, também é eterna; já que só Deus é o caminho de vida, assim o Próprio Deus é o caminho de vida eterna.”

Leitura Relacionada

Cristo dos últimos dias traz vida e traz o duradouro e perpétuo caminho de verdade. Essa verdade é a senda pela qual o homem ganhará vida e a única senda pela qual o homem há de conhecer Deus e ser aprovado por Deus. Se você não busca o caminho de vida providenciado por Cristo dos últimos dias, jamais ganhará a aprovação de Jesus e nunca estará qualificado para adentrar a porta do reino dos céus, pois é tanto um fantoche quanto um prisioneiro da história.

Cristo dos últimos dias traz vida e traz o duradouro e perpétuo caminho de verdade. Essa verdade é a senda pela qual o homem ganhará vida e a única senda pela qual o homem há de conhecer Deus e ser aprovado por Deus. Se você não busca o caminho de vida providenciado por Cristo dos últimos dias, jamais ganhará a aprovação de Jesus e nunca estará qualificado para adentrar a porta do reino dos céus, pois é tanto um fantoche quanto um prisioneiro da história.

A Bíblia prediz que o retorno do Senhor nos últimos dias concluirá a era. Como a encarnação de Deus para realizar a obra de julgamento põe fim na crença da humanidade no Deus vago e na idade das trevas do domínio de Satanás?

Versos da Bíblia para referência:

“Acontecerá nos últimos dias que se firmará o monte da casa de Jeová, será estabelecido como o mais alto dos montes e se elevará por cima dos outeiros; e concorrerão a ele todas as nações. Irão muitos povos, e dirão: Vinde, e subamos ao monte de Jeová, à casa do Deus de Jacó, para que nos ensine os seus caminhos, e andemos nas suas veredas; porque de Sião sairá a lei, e de Jerusalém a palavra de Jeová. E ele julgará entre as nações, e repreenderá a muitos povos; e estes converterão as suas espadas em relhas de arado, e as suas lanças em foices; uma nação não levantará espada contra outra nação, nem aprenderão mais a guerra. Vinde, ó casa de Jacó, e andemos na luz de Jeová” (Isaías 2:2-5).

“A chegada do Deus encarnado dos últimos dias trouxe um fim à Era da Graça. Ele veio principalmente para proferir Suas palavras, para usar palavras para tornar o homem perfeito, iluminar e esclarecer o homem, e remover o lugar do Deus vago dentro do coração do homem. Esta não é a etapa da obra que Jesus realizou quando Ele veio. Quando Jesus veio, realizou muitos milagres, curou enfermos e expulsou demônios, e realizou a obra da redenção da crucificação. Como consequência, em suas concepções, o homem acredita que é assim que Deus deveria ser. Pois, quando Jesus veio, Ele não realizou a obra de remover a imagem do Deus vago do coração do homem; quando Ele veio, foi crucificado, curou os doentes e expulsou demônios, e difundiu o evangelho do reino dos céus. Em um aspecto, a encarnação de Deus nos últimos dias remove o lugar ocupado pelo Deus vago nas concepções do homem, de modo que não existe mais a imagem do Deus vago no coração do homem. Através de Suas palavras reais e obra real, Seu movimento por todas as terras e a obra excepcionalmente real e normal que Ele realiza entre os homens, Ele faz com que o homem conheça a realidade de Deus e remove o lugar do Deus vago no coração do homem. Em outro aspecto, Deus usa as palavras ditas por Sua carne para tornar o homem completo e realizar todas as coisas. Esta é a obra que Deus realizará nos últimos dias.”

“O Deus encarnado encerra a era quando somente as costas de Jeová apareciam à humanidade e também conclui a era da crença da humanidade no Deus vago. De modo particular, a obra do último Deus encarnado traz toda humanidade para dentro de uma era que é mais realista, mais prática e mais agradável. Ele não somente conclui a era da lei e doutrina; mais importante, Ele revela à humanidade um Deus que é verdadeiro e normal, que é justo e santo, que destrava a obra do plano de gerenciamento, demonstra os mistérios e destino da humanidade, que criou a humanidade, encerra a obra do gerenciamento e que tem permanecido escondido por milhares de anos. Ele encerra de vez uma era de incertezas, Ele conclui a era na qual toda a humanidade desejava ver a face de Deus, mas era incapaz disso, Ele encerra a era na qual toda a humanidade servia a Satanás e conduz toda a humanidade por todo o caminho para uma era completamente nova. Tudo isto é o resultado da obra de Deus na carne em vez do Espírito de Deus.”

“Enquanto Minhas palavras são consumadas, o reino é gradualmente formado na terra e o homem retorna gradualmente à normalidade e, portanto, está estabelecido na terra o reino em Meu coração. No reino, todo o povo de Deus recupera a vida do homem normal. Foi-se o inverno gelado, substituído por um mundo de cidades de primavera, onde é primavera o ano todo. Já não são pessoas confrontadas com o triste, miserável mundo do homem, já não suportam o frio do mundo do homem. As pessoas não lutam umas com as outras, os países não entram em guerra uns contra os outros, já não há a carnificina e o sangue que flui da carnificina; todas as terras estão cheias de felicidade, e todos os lugares estão repletos de calor entre os homens. Eu ando em todo o mundo, Eu desfruto do alto do Meu trono, vivo entre as estrelas. E os anjos Me oferecerem novas músicas e novas danças. Suas próprias fragilidades já não fazem com que lágrimas corram de seus rostos. Já não ouço, diante de Mim, o som dos anjos chorando, e ninguém mais se queixa de dificuldades para Mim. Hoje, todos vocês vivem diante de Mim; amanhã, todos vocês vão existir em Meu reino. Não é essa a maior bênção que Eu concedo ao homem?”

Pergunta: Você testemunha que Deus, ao encarnar nos últimos dias, iniciou a Era do Reino, encerrando a era antiga do governo de Satanás. O que gostaríamos de perguntar é: como a obra de julgamento de Deus Todo-Poderoso nos últimos dias encerrou a era sombria da crença da humanidade num Deus vago e o governo de Satanás? Por favor, compartilhe sua comunhão detalhada.

Resposta: Na obra de julgamentos de Deus Todo-Poderoso nos últimos dias, Ele expressou todas as verdades para purificar e salvar a humanidade. Ele também revelou à humanidade todos os mistérios do plano de gerenciamento de Deus, Sua vontade, Seus arranjos para o destino final da humanidade etc. Isso preencheu completamente a lacuna entre Deus e o homem, permitindo que a humanidade estivesse como que face a face com Deus. Tal obra de Deus Todo-Poderoso realmente encerrou a era em que as pessoas acreditavam num Deus vago e encerrou também a era do mal e das trevas do governo de Satanás e de sua corrupção da humanidade. A obra de Deus Todo-Poderoso é verdadeiramente a obra de encerrar uma era e de inaugurar uma nova era. Leiamos algumas passagens de Suas palavras.
“Só hoje, quando Eu venho pessoalmente entre os homens e profiro as Minhas palavras, é que o homem tem um pouco de conhecimento de Mim, removendo o lugar para ‘Mim’ em seus pensamentos, criando, em vez disso, um lugar para o Deus prático em sua consciência. […]

Resposta: Na obra de julgamentos de Deus Todo-Poderoso nos últimos dias, Ele expressou todas as verdades para purificar e salvar a humanidade. Ele também revelou à humanidade todos os mistérios do plano de gerenciamento de Deus, Sua vontade, Seus arranjos para o destino final da humanidade etc. Isso preencheu completamente a lacuna entre Deus e o homem, permitindo que a humanidade estivesse como que face a face com Deus. Tal obra de Deus Todo-Poderoso realmente encerrou a era em que as pessoas acreditavam num Deus vago e encerrou também a era do mal e das trevas do governo de Satanás e de sua corrupção da humanidade. A obra de Deus Todo-Poderoso é verdadeiramente a obra de encerrar uma era e de inaugurar uma nova era. Leiamos algumas passagens de Suas palavras.
“Só hoje, quando Eu […]