Denunciando uma líder falsa: uma luta pessoal

20 de Janeiro de 2022

Por Gan Xiao, China

Em agosto do ano passado, fui transferida para uma igreja diferente depois de ser demitida do meu dever. Percebi que o irmão Liang apareceu na minha primeira reunião com uma hora de atraso. A irmã Tan, a líder da igreja, também estava lá. Pensei: “Os irmãos e irmãs dizem que o irmão Liang é desleixado e faz o que quer em seu dever e sempre se atrasa para as reuniões. Ele apareceu muito tarde na reunião de hoje, então a irmã Tan deveria comungar com ele sobre esse problema”. Só que ela tratou isso de forma muito casual e não disse nada. Durante a reunião, outro irmão falou sobre como ele se sentia restringido pelo dinheiro e parecia estar muito abatido. Alguns de nós encontraram algumas palavras de Deus e as relacionaram ao nosso entendimento e experiência, mas a irmã Tan, a líder da igreja, não compartilhou nenhuma comunhão. Não estava assumindo nenhuma responsabilidade, mas estava agindo sem se envolver, sem ajudar ninguém com seus problemas. Eu queria dizer isso a ela. Mas então pensei que, já que era minha primeira reunião ali, eu poderia não ter uma visão completa, eu deveria esperar e observar. Fiquei perplexa ao ver que, nas reuniões seguintes, tudo permanecia igual. Às vezes, ela encerrava uma reunião rapidamente após lermos algo das palavras de Deus e não fazia esforço nenhum em sua comunhão. Eu pensava que a parte principal do dever de um líder era guiar os irmãos na comunhão sobre as palavras de Deus, para que eles entendessem a verdade e entrassem na realidade das palavras de Deus. Mas a irmã Tan não estava assumindo a liderança na comunhão e não tratava dos problemas das pessoas. Isso não é abandono do dever? Eu queria dizer algo, mas temia que ela não aceitaria, que ela diria que eu era arrogante e que deveria estar refletindo sobre mim mesma depois de perder meu dever em vez de me intrometer nos assuntos dos outros. Pensando nisso, decidi esquecer o assunto e me concentrar em mim mesma.

Um mês depois, fui transferida para a equipe editorial e fui designada a outras duas reuniões de grupo. Fiquei surpresa ao descobrir que os membros dessas reuniões não se concentravam em comungar sobre as palavras de Deus nem em falar sobre suas próprias experiências. Às vezes, só ficavam conversando casualmente. Senti que a qualidade da vida da igreja está diretamente relacionada a quem lidera aquela igreja e que a entrada na vida dos irmãos estaria comprometida se isso continuasse, então mencionei isso à irmã Tan. Ela resistiu completamente e até insistiu que a qualidade da vida da igreja era problema dos irmãos. Pensei sobre ela não querer refletir sobre si mesma, mas jogar toda a responsabilidade sobre os outros membros da igreja. Nem como líder da igreja ela queria aceitar a verdade nem ouvir as sugestões dos irmãos, e ela não assumia um fardo pela vida da igreja. Como poderia guiar outros a entender a verdade ou a entrar na verdade-realidade? Isso só podia prejudicar os irmãos. Senti que deveria falar com ela sobre isso de novo. Mas quando estava prestes a dizer algo, comecei a me preocupar. Na última vez, ela não só não aceitou, como foi arrogante. O que adiantaria eu me repetir? Ela era uma líder de igreja, então, se eu falasse novamente com ela, ela poderia dizer que eu estava ultrapassando meus limites e então guardar mágoas contra mim. Pensei que deveria ficar de boca fechada. Não me senti confortável com isso, mas, no fim, decidi não dizer nada. Alguns dias depois, a irmã Tan me contou que ela tinha lidado com irmãos numa reunião e então descreveu vividamente como tinha lidado com eles. Fiquei surpresa ao ouvir aquilo — como podia carecer de tanta autopercepção? A vida da igreja era indisciplinada porque ela era irresponsável e descuidada como líder de igreja. Como podia culpar os outros por isso? Só podar e lidar com as pessoas sem qualquer comunhão sobre a verdade não resolve nada. Eu queria mencionar seus problemas mais uma vez, mas, vendo como estava indignada, não achei que ela o aceitaria muito bem. Eu tinha acabado de ser demitida do meu dever, que direito tinha eu de mencionar seus problemas? Além disso, dávamos de cara uma com a outra o tempo todo, as coisas ficariam difíceis para mim na igreja se eu a ofendesse. Então, se ela se recusasse a me dar um dever, eu temia perder minha chance de ser salva. Decidi não dizer nada, e não chamar atenção, viver uma vida de igreja e cumprir meu próprio dever.

Fui para a reunião da equipe evangelística mais tarde, e eles estavam dizendo que, quando a irmã Tan era responsável pelo trabalho evangelístico, ela nem se reunia com eles por um tempo. Também disseram que não conseguiam tratar dos problemas dos recém-convertidos que, como resultado, pararam de participar das reuniões. Pensei: “O trabalho evangelístico é tão importante, mas a irmã Tan não acompanha seus problemas nem faz nada para resolvê-los. Isso é muito irresponsável! A irmã Tan tem uma participação direta na desistência dos recém-convertidos porque eles não estão recebendo rega nem sustento!” Sentia que era um problema muito sério e que devia conversar com ela diretamente. Uns dias depois, vi a irmã Tan e mencionei o problema da equipe evangelística, e ela jogou toda a culpa nos ombros dos irmãos. Ela parecia não assumir responsabilidade nenhuma. Eu também disse que, ao não fazer nada para tratar dos problemas práticos como líder da igreja, ela não estava cumprindo seu dever e que isso prejudicaria o trabalho da casa de Deus e seria um desserviço aos irmãos. Mas ela só fez uma cara feia e se recusou a responder. Ela não estava fazendo trabalho prático, não estava assumindo um fardo pelo seu dever e nunca aceitava a verdade. Eu sabia que isso fazia dela uma líder falsa e que eu deveria relatar isso a um líder superior para que ela fosse removida daquela posição o quanto antes. Mas eu hesitei. Se eu comunicasse a situação e ela descobrisse, será que ela diria que eu a perseguia e me opunha a ela intencionalmente? Não seria tão ruim se ela fosse demitida, caso contrário, eu não apenas a ofenderia? Ficaria muito difícil para mim permanecer naquela igreja. Se ela me mandasse para casa e eu não pudesse cumprir um dever, isso significaria que eu perderia a chance de ser salva. Então todos os meus anos de fé não teriam sido em vão? Então decidi não denunciar os seus problemas e simplesmente me agarrar ao dever que tinha na época. Mas quando decidi lidar com isso desse jeito, não me senti nada bem. Eu sabia que a irmã Tan era uma líder falsa, mas guardei segredo. Isso não era defender o trabalho da casa de Deus. Eu estava num dilema, então vim para Diante de Deus e orei: “Ó Deus, tenho visto os problemas da irmã Tan e gostaria de denunciá-la para proteger o trabalho da casa de Deus, mas tenho algumas ressalvas. Temo que ela ficará ofendida e se vingará de mim. Por favor, guia-me para que eu possa superar essas forças sombrias e praticar a verdade”. Depois disso, vi um vídeo com uma leitura das palavras de Deus. Deus Todo-Poderoso diz: “Qual é a atitude que as pessoas devem ter em termos de como tratar um líder ou obreiro? Se o que um líder ou obreiro faz é certo, então você pode lhes obedecer; se o que eles fazem é errado, então você pode expô-los e até se opor a eles e expressar uma opinião diferente. Se eles forem incapazes de fazer trabalho prático e forem revaldos como um falso líder, falso obreiro ou anticristo, então você pode se recusar a aceitar sua liderança e também pode denunciá-los e expô-los. Entretanto, alguns entre o povo escolhido de Deus não entendem a verdade e são especialmente covardes; então não ousam fazer nada. Eles dizem: ‘Se o líder me expulsar, para mim acabou; se ele fizer com que todos me exponham ou abandonem, então eu não serei mais capaz de crer em Deus. Se eu deixar a igreja, então Deus não vai me querer e não me salvará. A igreja representa Deus!’. Essas formas de pensar não afetam a atitude de tal pessoa em relação a essas coisas? Poderia realmente ser verdade que, se o líder o expulsar, você não pode mais ser salvo? A questão de sua salvação depende da atitude de seu líder em relação a você? Por que tantas pessoas têm tal grau de temor? Se, assim que alguém que é um falso líder ou anticristo o ameaça, você não ousa denunciar aos superiores e até garante que, dali em diante, você terá o mesmo modo de pensar que o líder, então você não está perdido? Esse é o tipo de pessoa que busca a verdade? Não só você não ousa expor tal comportamento perverso como pode ser cometido por anticristos satânicos, mas, ao contrário, você lhes obedece e até toma as palavras deles como verdade, às quais você se submete. Esse não é o epítome da estupidez? Então, quando você é prejudicado, isso não é o que você merece? Deus fez com que você fosse prejudicado? Você mesmo desejou isso para si mesmo. Você tomou um anticristo para que fosse seu líder e o tratou como se fosse um irmão ou irmã — e isso é culpa sua. Qual é a atitude com a qual se deve tratar um anticristo? Ele deve ser exposto e combatido. Se você não consegue fazer isso sozinho, então muitas pessoas devem se unir e denunciá-lo. Quando descobriram que certos líderes e obreiros em posições mais altas estavam trilhando a senda de um anticristo, fazendo os irmãos e as irmãs sofrer, não fazendo um trabalho real e cobiçando os benefícios do status, algumas pessoas assinaram uma petição para remover esses anticristos. Que trabalho fantástico fizeram essas pessoas! Isso mostra que algumas pessoas entendem a verdade, que possuem certa estatura e que não são nem controladas nem enganadas por Satanás. Isso prova também que anticristos e falsos líderes não detêm uma posição dominante na igreja, e não ousam mostrar seu ser verdadeiro de forma demasiadamente clara em qualquer coisa que digam ou façam. Se revelarem a si mesmos, há pessoas para monitorá-los, identificá-los e rejeitá-los” (‘Eles tentam conquistar as pessoas’ em “Expondo os anticristos”). Isso realmente iluminou meu coração. Quando identificamos um falso líder na igreja, não devemos ser servis e ser impedidos por eles a cada passo, mas devemos nos manifestar e expô-los, denunciá-los aos líderes superiores. Essa é a vontade de Deus. Eu sabia que a irmã Tan não fazia trabalho prático, que ela era uma líder falsa, mas não ousava me manifestar sobre seu problema porque eu o via sob a perspectiva errada. Pensava que o líder tem o direito de decidir se eu teria um dever ou não e que, se a ofendesse, eu poderia perder meu dever e então não seria salva. Na verdade, porém, quem impera na casa de Deus são a verdade e o Próprio Deus. Se eu tenho um dever ou se sou salva, isso cabe a Deus, não a um líder individual. Mesmo se um líder falso assumisse controle sobre a igreja por um tempo e eu fosse oprimida, isso seria temporário. Deus vê tudo e o Espírito Santo revelará tudo, assim os falsos líderes e anticristos serão expostos e eliminados mais cedo ou mais tarde. Percebi que eu não entendia o caráter justo de Deus, que eu tinha medo de ofender os outros, mas não de ofender a Deus. Deus não tinha um lugar no meu coração. Que tipo de crente era eu? Vi como eu era tola. Eu pensava que, já que eu não era líder, eu não tinha o direito de criticá-la e que as pessoas me diriam que deveria cuidar da minha própria vida. Não era a maneira correta de encarar isso. Como membro da casa de Deus, não importa se eu for demitida para fazer devocionais e refletir sobre mim mesma ou se eu tiver um dever — se eu descubro um líder falso na casa de Deus, a minha responsabilidade e obrigação é denunciá-lo. Isso é defender o trabalho da casa de Deus e é uma coisa positiva. Também é assumir responsabilidade pela vida dos irmãos, e isso nunca é ultrapassar meus limites nem interferir, sobretudo, não é ser arrogante e colocar-se num pedestal. Vi como tinha sido absurda a minha perspectiva.

Essa percepção me fez refletir sobre por que eu tinha tanto medo de expor um falso líder. Qual era a raiz verdadeira do problema? Li esta passagem das palavras de Deus em minha busca: “Consciência e razão deveriam ser os componentes da humanidade de uma pessoa. Ambos são os mais fundamentais e importantes. Que tipo de pessoa é essa que não possui consciência e não tem a razão da humanidade normal? Em termos gerais, é uma pessoa à qual falta humanidade, uma pessoa de humanidade extremamente pobre. Analisemos isso de perto. Quais manifestações de humanidade perdida essa pessoa exibe, de modo que as pessoas digam que ela não tem humanidade? Quais características tais pessoas possuem? Quais manifestações específicas apresentam? Tais pessoas são superficiais em suas ações e se mantêm afastadas de tudo que não lhes diz respeito diretamente. Elas não consideram os interesses da casa de Deus, nem mostram consideração pela vontade de Deus. Não assumem nenhum fardo de dar testemunho de Deus nem de cumprir seus deveres e elas não têm senso de responsabilidade. […] Existem até pessoas que, ao ver um problema no desempenho de seu dever, permanecem em silêncio. Elas veem que os outros estão causando interrupções e perturbações, mas não fazem nada para impedi-los. Não consideram minimamente os interesses da casa de Deus, nem pensam nada sobre os próprios deveres ou responsabilidades. Elas falam, agem, se destacam, aplicam esforço e despendem energia só para a própria vaidade, prestígio, posição, interesses e honra” (‘Dê seu real coração a Deus e você poderá obter a verdade’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”). “A maioria das pessoas deseja buscar e praticar a verdade, mas, na maior parte do tempo, só têm a determinação e o desejo de fazê-lo; sai verdade não se tornou sua vida. Como resultado, quando deparam com forças malignas ou encontram pessoas perversas e más cometendo atos malignos ou falsos líderes e anticristos fazendo coisas de uma maneira que viole princípios — assim fazendo com que a obra da casa de Deus sofra perdas e prejudicando os escolhidos de Deus — elas depois perdem a coragem de se manifestar e se pronunciar. O que significa quando você não tem coragem? Significa que você é tímido ou inarticulado? Ou é que você não entende completamente e portanto não tem confiança para se pronunciar? Não é nada disso; é que você está sendo controlado por vários tipos de caracteres corruptos. Um desses caracteres é astúcia. Você pensa primeiro em si mesmo, pensando: ‘Se eu me pronunciar, como isso me beneficiará? Se eu me pronunciar e desagradar alguém, como conviveremos no futuro?’ Essa é uma mentalidade astuta, certo? Isso não é o resultado de um caráter astuto? Outro é um caráter egoísta e mau. Você pensa: ‘O que uma perda dos interesses da casa de Deus tem a ver comigo? Por que deveria me importar? Não tem nada a ver comigo. Ainda que eu veja ou ouça acontecer, não preciso fazer nada. Não é responsabilidade minha — não sou um líder’. Essas coisas estão dentro de você, como se tivessem brotado de sua mente inconsciente e como se ocupassem posição permanente em seu coração — elas são o caráter satânico corrupto do homem. […] Seu caráter satânico corrupto controla você. Não é nem mestre de sua boca. Mesmo que queira falar honestamente, você não consegue nem ousa fazê-lo. Não é capaz de fazer nem dizer as coisas que deveria fazer e dizer, nem de assumir uma fração minúscula da responsabilidade que deveria assumir. De mãos e pés atados por seu caráter satânico corrupto, não está nem um pouco no controle. Seu caráter satânico corrupto lhe diz o que dizer, e você diz; ele lhe diz o que fazer, então você o faz” (‘Só aqueles que praticam a verdade são tementes a Deus’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”). “Você nunca busca a verdade, menos ainda a pratica. Você apenas continua orando, consolidando sua determinação, fazendo resoluções, prestando juramentos. E em que isso tudo tem resultado? Você ainda é um bajulador; você não provoca ninguém nem ofende ninguém Se uma questão não for de seu interesse, fica fora dela e pensa: ‘Não direi nada sobre coisas que não tenham a ver comigo, e isso sem exceção. Se alguma coisa puder prejudicar meus próprios interesses, meu orgulho ou meu autorrespeito, não darei nenhuma atenção a nada disso e abordarei tudo isso com cautela; não devo agir precipitadamente. O prego que se salienta é atingido primeiro, e eu não sou tão tolo assim!’ Você está totalmente sob o controle de seus caracteres corruptos de maldade, astúcia, dureza e detestação da verdade. Eles estão acabando com você, e tornou-se ainda mais difícil aguentá-los do que o Arco Dourado usado pelo Rei Macaco. Viver sob o controle de um caráter corrupto é tão exaustivo e excruciante!” (‘Só aqueles que praticam a verdade são tementes a Deus’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”). As palavras de Deus me ajudaram a entender que o medo de expor um falso líder vinha de viver filosofias satânicas como “deixe as coisas seguirem se não a afetarem pessoalmente”; “cale-se para se proteger e busque somente fugir da culpa” e “cada um por si e o demônio pega quem fica por último”. Esses venenos satânicos tinham se tornado parte da minha natureza, por isso eu estava sempre tentando proteger meus próprios interesses sem pensar na casa de Deus. Eu tinha me tornado cada vez mais desprezível, egoísta e astuta. Eu via claramente que a irmã Tan não fazia trabalho prático e não aceitava a verdade, que ela era uma líder falsa. O comportamento dela já tinha impactado seriamente o trabalho da igreja e a entrada na vida dos irmãos, então eu devia trazer isso à luz. Mas eu temia uma reação dela caso ela se ofendesse e temia perder minha chance de cumprir um dever, por isso não ousava denunciá-la. Queria proteger minha reputação e meu destino futuro, então assisti a como o trabalho da igreja e a entrada na vida dos irmãos sofriam com uma atitude de não me intrometer, fingindo-me de cega diante de uma líder falsa. Eu estava do lado de Satanás, mimando e abrigando uma falsa líder que estava interrompendo o trabalho da igreja. Eu estava vivendo segundo os venenos de Satanás, zelando apenas por mim mesma, carecendo de devoção a Deus, desprovida de consciência e razão. Eu era uma lacaia de Satanás e não vivia nenhuma semelhança humana. Vi que natureza egoísta, astuta e maligna eu tinha. Quando tudo isso ficou claro para mim, senti que devia muito a Deus e odiei como eu estava sendo egoísta e inescrupulosa. Eu queria denunciar a irmã Tan imediatamente e parar de machucar o coração de Deus. Então, eu contei à líder superior tudo sobre os problemas da irmã Tan, mas alguns dias se passaram, e a líder não me disse nada sobre como tinha lidado com a situação. Fiquei um tanto ansiosa. Se essa líder falsa não fosse demitida logo, isso poderia atrasar o trabalho da casa de Deus, então pensei em escrever de novo para saber o que estava acontecendo. Mas então pensei que, se eu mencionasse isso de novo, aquela líder poderia pensar que eu estava me metendo em coisas demais. Já que eu tinha feito minha parte, talvez eu tivesse cumprido minhas responsabilidades e não devesse me preocupar com o resto. Mas esse pensamento não me deixou à vontade e não consegui fechar um olho naquela noite.

Certa manhã, li isto nas palavras de Deus: “Se uma igreja não tiver ninguém que esteja disposto a praticar a verdade e ninguém que possa ser testemunha de Deus, então essa igreja deve ser completamente isolada e suas conexões com outras igrejas precisam ser rompidas. Isso é chamado de ‘enterrar a morte’; é isso que significa expulsar Satanás. Se uma igreja tiver diversos valentões e eles forem seguidos por ‘pequenas moscas’ que carecem inteiramente de discernimento, e se os congregados, mesmo depois de terem visto a verdade, ainda forem incapazes de rejeitar as amarras e a manipulação desses valentões, então todos aqueles tolos serão eliminados no fim. Essas pequenas moscas poderiam não ter feito nada terrível, mas são ainda mais enganosas, ainda mais escorregadias e evasivas, e todos os que forem assim serão eliminados. Nem um permanecerá! Aqueles que pertencem a Satanás serão devolvidos a Satanás, enquanto aqueles que pertencem a Deus certamente irão em busca da verdade; isso é decidido pela natureza deles. Que todos aqueles que seguem Satanás pereçam! Nenhuma piedade será mostrada a tais pessoas. Que todos os que buscam a verdade sejam providos e possam ter prazer na palavra de Deus para o contentamento de seu coração. Deus é justo; Ele não mostraria favoritismo a ninguém. Se você for um diabo, então será incapaz de praticar a verdade; se você for alguém que busca a verdade, então é certo que não será levado cativo por Satanás. Isso está além de qualquer dúvida” (‘Um alerta para aqueles que não praticam a verdade’ em “A Palavra manifesta em carne”). As palavras de Deus me mostraram que Seu caráter é santo e justo e não tolera ofensa. Ele não permite que falsos líderes e anticristos interrompam o trabalho da igreja e impeçam a entrada na vida dos irmãos. Deus odeia aqueles que não praticam a verdade nem defendem os interesses da igreja quando falsos líderes e anticristos aparecem. Eles entendem a verdade, mas não a praticam, em vez disso, só pensam em seus próprios interesses. São pessoas muito astutas, e elas serão eliminadas se não se arrependerem. Eu via que a irmã Tan era uma líder falsa, e agora que a líder acima dela não estava reagindo de imediato, Eu precisava continuar falando e levar isso a cabo. Mas eu só queria me proteger e ignorar tudo que não me impactasse pessoalmente. Em vez de denunciar uma líder falsa, eu estava permitindo que ela corresse solta dentro da igreja e interrompesse seu trabalho. Isso era ficar do lado de Satanás e participar na perversidade de uma líder falsa. Eu não parecia ter feito algo terrível, mas se eu não praticasse a verdade nem protegesse o trabalho da casa de Deus diante de problemas, eu só poderia ser eliminada no fim. Quando percebi isso, Realmente me arrependi de não ter denunciado a irmã Tan mais cedo, e eu sabia que devia parar de colocar meus interesses em primeiro lugar e de permitir que uma líder falsa continuasse a comprometer o trabalho da igreja. Mais tarde, li isto nas palavras de Deus: “Em tudo o que fizer, você deve examinar se suas intenções são corretas. Se você é capaz de agir segundo as exigências de Deus, então seu relacionamento com Ele é normal. Esse é o padrão mínimo. Examine suas intenções e, se você descobrir que surgiram intenções incorretas, seja capaz de dar as costas para elas e agir segundo as palavras de Deus; assim, você se tornará alguém correto diante de Deus, o que demonstra que seu relacionamento com Ele é normal e que tudo aquilo que você faz é em prol de Deus, e não de si mesmo. Em tudo o que fizer ou disser, seja capaz de acertar seu coração e ser justo em suas ações, e não seja guiado pelas suas emoções, nem aja de acordo com a própria vontade. Esses são os princípios pelos quais os crentes em Deus devem se conduzir” (‘Como está seu relacionamento com Deus?’ em “A Palavra manifesta em carne”). As palavras de Deus me mostraram o caminho adiante. Como crentes, devemos falar e agir de acordo com o que Deus exige e aceitar Seu escrutínio. Quando descobrimos que nossos motivos pessoas estão errados, devemos renunciar a nós mesmos e praticar a verdade. Essa é a vontade de Deus. A líder superior demorou para lidar com o problema da irmã Tan, e embora eu desconhecesse a razão por trás disso, isso era um teste para mim para ver se eu conseguia deixar de lado meus interesses pessoais e defender as verdades-princípio. Eu devia continuar trazendo isso à luz e denunciar a irmã Tan para proteger os interesses da casa de Deus. Então mencionei a situação à líder superior mais uma vez e ressaltei as consequências perigosas de não demitir uma líder falsa Ela respondeu e disse que, nos últimos dias, ela teve de tratar de alguns assuntos urgentes, mas que ela demitiria a irmã Tan imediatamente, de acordo com os princípios. Foi um grande alívio para mim quando vi aquela resposta e descobri que a única maneira de ter paz é colocar a verdade em prática.

Não demorou, e a irmã Tan foi removida de seu dever e outro líder foi eleito para assumir o trabalho da igreja. A vida de igreja retornou ao normal depois de um tempo, e todo o nosso trabalho começou a andar. Fiquei muito feliz ao ver esse resultado, mas senti alguma culpa e remorso. Depois de perceber uma líder falsa, eu não tinha colocado a verdade em prática e a denunciado em tempo oportuno, mas só tinha pensado em meus interesses pessoais. Eu tinha mostrado um caráter satânico egoísta e astuto, que impactou o trabalho da casa de Deus. Vi como viver segundo os caracteres satânicos corruptos e não praticar a verdade é realmente praticar o mal, e tudo isso é condenado e desprezado por Deus. Também vi como é sábia a obra de Deus, e ver essa líder falsa na igreja me ajudou a desenvolver discernimento. Também experienciei o grande dano que uma líder falsa na igreja pode causar aos escolhidos de Deus, e que demiti-la é uma manifestação do caráter justo de Deus. Além disso, é a proteção e salvação para os escolhidos de Deus. Vi que, na casa de Deus, Cristo e a verdade imperam, e nenhum indivíduo pode dar as ordens. Não importa quão alta seja a posição de alguém, se ele não praticar a verdade e não faz o que Deus exige, ele nunca conseguirá se estabelecer na casa de Deus. Será eliminado no fim. Somente colocar as palavras de Deus em prática e fazer as coisas de acordo com os princípios está alinhado com Sua vontade.

O alarme dos últimos dias já tocou e grandes desastres já começaram. Você quer dar as boas-vindas ao retorno do Senhor e ter a chance de receber a proteção de Deus com sua família?

Conteúdo relacionado

Afrouxando os laços que unem

Por Cuibai, ItáliaAs palavra de Deus dizem: “Pelo bem do seu destino, vocês devem buscar ser aprovados por Deus. Ou seja, já que reconhecem...

Como deixei de ser convencido

Por Mo Wen, EspanhaEu me lembro de que, em 2018, eu estava cumprindo um dever evangelístico na igreja e acabei assumindo a responsabilidade...

Conecte-se conosco no Messenger