Aplicativo da Igreja de Deus Todo-Poderoso

Ouça a voz de Deus e dê as boas vindas ao retorno do Senhor Jesus!

Convidamos a todos os buscadores da verdade que entrem em contato conosco.

Após a ressurreição de Jesus Cristo, qual era o significado de Sua aparição ao homem?

73

Na Bíblia, está escrito: “Enquanto ainda falavam nisso, o próprio Jesus se apresentou no meio deles, e disse-lhes: Paz seja convosco. Mas eles, espantados e atemorizados, pensavam que viam algum espírito. Ele, porém, lhes disse: Por que estais perturbados? e por que surgem dúvidas em vossos corações? Olhai as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; apalpai-me e vede; porque um espírito não tem carne nem ossos, como percebeis que eu tenho. E, dizendo isso, mostrou-lhes as mãos e os pés. Não acreditando eles ainda por causa da alegria, e estando admirados, perguntou-lhes Jesus: Tendes aqui alguma coisa que comer? Então lhe deram um pedaço de peixe assado, o qual ele tomou e comeu diante deles” (Lucas 24:36-43). Sempre que leio esses versículos, sinto inveja de Pedro, João e os outros. Quando Jesus estava realizando Sua obra na Judeia, Ele sempre estava com Seus discípulos de dia e de noite e, após Sua ressurreição, Ele cuidou deles assim como tinha feito antes, e Ele apareceu a eles, lhes expôs as Escrituras e lhes deu ensinamentos. Pedro e os outros tiveram a sorte de terem sido escolhidos pelo Senhor como Seus discípulos e puderam ouvir os ensinamentos do Senhor Jesus com seus próprios ouvidos – eram tão abençoados! Depois, eu li as palavras de Deus e vim a entender que, na verdade, a vontade do Senhor Jesus estava por trás de Sua aparição ao homem após Sua ressurreição e que esse ato encapsulava ainda mais a onipotência e a sabedoria de Deus. Eu vim a reconhecer de verdade que a aparição do Senhor Jesus ao homem após Sua ressurreição foi realmente muito significativa!

As palavras de Deus dizem: “A primeira coisa que o Senhor Jesus fez depois da ressurreição foi permitir que todos O vissem, para confirmar que Ele existia e confirmar o fato da Sua ressurreição. Além disso, isso restaurou Seu relacionamento com as pessoas tal como era antes, quando Ele operava na carne, e Ele era o Cristo que elas podiam ver e tocar. Dessa forma, um dos resultados é que as pessoas não tinham dúvidas de que o Senhor Jesus havia ressuscitado da morte depois de ter sido pregado na cruz, e não havia dúvida alguma na obra do Senhor Jesus para redimir a humanidade. E outro resultado é que o fato de o Senhor Jesus aparecer para as pessoas após a ressurreição e permitir que elas O vissem e O tocassem fixaram solidamente a humanidade na Era da Graça. A partir de então, as pessoas não puderam voltar à era anterior, a Era da Lei, devido ao ‘desaparecimento’ ou ‘deserção’ do Senhor Jesus, mas continuariam avançando, seguindo os ensinamentos do Senhor Jesus e a obra que Ele havia realizado. Assim, uma nova fase na obra da Era da Graça foi formalmente iniciada, e as pessoas que antes estavam sob a lei saíram formalmente da lei a partir de então e entraram em uma nova era, com um novo começo. São esses os múltiplos significados do aparecimento do Senhor Jesus para a humanidade após a Sua ressurreição” (de “A obra de Deus, o caráter de Deus e o Próprio Deus III”).

Depois de ler as palavras de Deus, finalmente entendi que existiam dois significados por trás da aparição do Senhor Jesus ao homem durante 40 dias após a Sua ressurreição. O primeiro era que Ele veio para dizer ao homem que Deus tinha encerrado a Era da Lei e que Ele tinha iniciado a Era da Graça e guiaria a humanidade para a nova era. O outro significado é que Deus fez isso a fim de capacitar as pessoas a afirmarem que o Senhor Jesus era o Próprio Deus encarnado e, assim, fortalecer sua fé em Deus.

1. O Senhor Jesus foi ressuscitado e apareceu ao homem para levá-lo para a nova era e estabelecê-lo firmemente na Era da Graça

O Senhor Jesus inaugurou a Era da Graça e encerrou a Era da Lei. Ele expressou o caminho de “Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus” (Mateus 4:17), e realizou muitos milagres, como curar os enfermos, expulsar demônios, fazer o coxo andar e o cego ver etc., para que as pessoas pudessem desfrutar da graça abundante que vinha de Deus. Mas as pessoas daquele tempo não conheciam a obra de Deus e não tinham nenhum entendimento verdadeiro de que Jesus era a encarnação de Deus. Quando o Senhor Jesus foi crucificado, as pessoas simplesmente não estavam cientes de que isso significava que Deus tinha completado a obra da redenção e, assim, elas caíram em negatividade e fraqueza. As pessoas começaram a duvidar da identidade do Senhor Jesus, e algumas até voltaram para o templo e começaram a observar a lei do Antigo Testamento. Dessa forma, as pessoas ainda corriam o perigo de serem mortos pela lei por seus pecados, e a obra que o Senhor Jesus realizou para redimir a humanidade permanecia inacabada. O Senhor Jesus sondou o mais profundo do coração do homem e entendeu perfeitamente as suas necessidades e falhas. Por isso, após Sua ressurreição, Ele apareceu e falou primeiro aos Seus discípulos, fez contato real com eles e os capacitou a reconhecer que Ele realmente tinha retornado dos mortos e que Ele tinha realizado Sua obra para redimir a humanidade e tinha iniciado a nova era. Depois disso, a humanidade deixou a lei para trás e entrou numa nova era – a Era da Graça. Sob a orientação da obra e das palavras do Senhor Jesus, as pessoas começaram a praticar de acordo com Seus ensinamentos, carregaram a cruz e seguiram o Senhor e Seu ensinamento de “Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura” (Marcos 16:15). Assim, começaram a espalhar o evangelho do reino celestial e deram testemunho do nome do Senhor Jesus para que todas as pessoas pudessem aceitá-lo e alcançar Sua salvação. Hoje, o evangelho do Senhor Jesus se estendeu pelo mundo inteiro, e isso é completamente o resultado da aparição de Jesus ao homem após Seu retorno dos mortos. Isso nos mostra como foi significativa a Sua aparição ao homem após a Sua ressurreição!

2. A aparição do Senhor Jesus ao homem após Sua ressurreição o capacitou a afirmar que Ele era a encarnação do Próprio Deus, fortalecendo assim a sua fé Nele

As palavras de Deus dizem: “Durante o tempo em que o Senhor Jesus operou na carne, a maioria dos Seus seguidores não podia confirmar a Sua identidade e as coisas que Ele dizia. Quando Ele foi levantado na cruz, a atitude de Seus seguidores foi de expectativa; quando Ele foi pregado na cruz até o momento em que foi colocado na sepultura, a atitude das pessoas para com Ele foi de desapontamento. Durante esse tempo, as pessoas já haviam começado a passar, em seu coração, da dúvida para a negação das coisas que o Senhor Jesus havia dito durante o tempo em que viveu na carne. E quando Ele saiu da sepultura e apareceu às pessoas, uma a uma, a maioria das pessoas que O viram com seus próprios olhos ou ouviram as notícias de Sua ressurreição aos poucos passaram da negação para o ceticismo. Quando o Senhor Jesus fez Tomé colocar a mão no lado do Seu peito, no momento em que o Senhor Jesus partiu o pão e comeu em frente à multidão após a ressurreição, e depois comeu peixe assado na frente deles, só então eles verdadeiramente aceitaram o fato de que o Senhor Jesus é o Cristo na carne. Vocês poderiam dizer que era como se esse corpo espiritual de carne e osso diante daquelas pessoas estivesse despertando cada um deles de um sonho: o Filho do homem de pé diante deles era Aquele que existira desde tempos imemoriais. Ele tinha uma forma, era de carne e osso, e Ele já tinha vivido e comido com a humanidade por longo tempo… Nesse momento, as pessoas sentiram que a existência Dele era tão real, tão maravilhosa; ficaram alegres e felizes, e ao mesmo tempo cheios de emoção. A Sua reaparição permitiu que as pessoas realmente enxergassem a Sua humildade, sentissem a Sua proximidade e o Seu anseio, Seu apego à humanidade. Essa breve reunião fez com que as pessoas que viram o Senhor Jesus sentissem como se houvesse passado toda uma vida. O coração delas, perdido, confuso, amedrontado, ansioso, desejoso e entorpecido, encontrou conforto. Não estavam mais duvidosos nem desapontados, pois sentiam que agora havia esperança e algo em que confiar. O Filho do homem de pé diante deles estaria por trás deles por toda a eternidade, Ele seria a sua torre forte, seu refúgio para todos os tempos” (de “A obra de Deus, o caráter de Deus e o Próprio Deus III”).

As palavras de Deus deixam claro outro significado da aparição do Senhor Jesus ao homem após a Sua ressurreição. O Senhor Jesus encarnou entre os homens e realizou Sua obra durante três anos e meio, e muitos aceitaram Sua salvação e seguiram o Senhor. A maioria das pessoas, porém, não tinha um entendimento verdadeiro de que o Senhor Jesus era Cristo e o Próprio Deus. Portanto, quando o Senhor Jesus estava prestes a ser crucificado, essas pessoas viram os eventos se desdobrar, começaram a duvidar em seu coração e perguntaram a si mesmas: o Senhor Jesus é verdadeiramente Deus? Se Ele é Cristo e o Próprio Deus, como, então, Ele pôde ser capturado pelas autoridades romanas, ser flagelado e zombado pelos soldados e então crucificado? Principalmente quando o Senhor Jesus foi cravado na cruz, elas se sentiram profundamente decepcionadas por Ele e negaram que Ele era a encarnação do Próprio Deus, negando também as palavras que Ele tinha expressado e acreditando em vez disso que Jesus morreria como qualquer homem comum e não poderia sobreviver. O Senhor Jesus sabia que as pessoas tinham pouca fé, que não conheciam o Senhor e que um número ainda maior de pessoas ficaria fraco e abatido por causa de Sua crucificação. Portanto, quando o Senhor Jesus retornou dos mortos, Ele fez contato com Seus discípulos e falou com eles, Ele expôs as Escrituras e comungou com eles, comeu com eles e permitiu que Tomé tocasse Suas mãos e Seu lado etc. A partir das palavras que o Senhor Jesus falou e dos atos que Ele realizou após Sua ressurreição, Seus discípulos afirmaram que Jesus realmente tinha ressuscitado e sabiam que Ele era o mesmo Senhor que tinha comido, permanecido e compartilhado a vida como eles antes, que Ele era o mesmo Senhor que tinha pregado a eles, que os tinha sustentado e guiado, que os amava da mesma maneira como os tinha amado antes, que Ele cuidava deles e não os tinha abandonado e que Ele estava bem ali com eles. O Senhor Jesus era a encarnação do Próprio Deus, o Deus eterno, o apoio eterno do homem, a torre forte e o refúgio do homem. Apesar de ter sido crucificado, o Senhor Jesus era o guardião das chaves para a vida no além e tinha o poder de retornar para a vida, pois Ele era o Próprio Deus único… Depois disso, as pessoas não se sentiram mais perdidas ou perplexas e não duvidaram mais do Senhor Jesus, mas, em vez disso, foram capazes de acreditar e confiar em Deus do fundo do seu coração. Isso foi inteiramente o resultado de o Senhor Jesus aparecer aos Seus discípulos e falar com eles após Seu retorno dos mortos.

A partir desses dois significados atribuídos à aparição do Senhor Jesus ao homem após Sua ressurreição, eu finalmente vi que Ele tinha despertado o coração das pessoas pela maneira como Ele tinha aparecido a elas e que Ele também nos capacitou a experimentar o cuidado e amor de Deus por nós. Esse tipo de cuidado e amor não é apenas algum tipo de lenda – é fato. Isso nos permite perceber também que Deus nos considera como Seus parentes; Ele sempre esteve com o homem e nunca nos deixou, pois Deus criou o homem a fim de nos ganhar, e Ele espera que ouçamos Suas palavras, obedeçamos a Ele e O adoremos absolutamente e nos tornemos de uma só mente com Ele. Portanto, quer o Senhor Jesus estivesse realizando Suas obras e falando Suas palavras na carne, quer Ele aparecesse ao homem no Espírito após Sua ressurreição, Ele sempre cuidou da humanidade e se preocupou principalmente com aqueles que O seguiam. Isso foi porque o homem não tem a capacidade de vencer o pecado, e, sem a orientação de Deus e sem a provisão da verdade, o homem não tem como se livrar de sua corrupção e alcançar a verdadeira salvação de Deus. Em nossos equívocos, acreditamos que Deus nos deixou após completar a obra da redenção e que Ele não nos deu mais nenhuma atenção depois disso. Mas a verdade não é como nós a imaginamos. O Senhor Jesus realizou Sua obra de redimir a humanidade, mas Ele não abandonou o homem. Ele ainda está com o homem, assim como esteve antes, cuidando de nós, provendo para nós e nos guiando; o Senhor Jesus é a nossa ajuda e nosso apoio quando necessitamos Dele, e não importa como Ele nos apareça, Ele sempre estará conosco! É exatamente como dizem as palavras de Deus: “Embora o Senhor Jesus tivesse ressuscitado, Seu coração e Sua obra não haviam deixado a humanidade. Ele disse às pessoas, com a Sua aparição, que qualquer que fosse a forma em que Ele existisse, Ele acompanharia as pessoas, andaria com elas e estaria com elas em todos os momentos e em todos os lugares. E em todos os momentos e em todos os lugares, Ele proveria para a humanidade e a pastorearia, permitiria que as pessoas O vissem e O tocassem, e garantiria que elas nunca mais se sentiriam desamparadas. O Senhor Jesus também queria que as pessoas soubessem disso: a vida delas neste mundo não está sozinha. A humanidade conta com o cuidado de Deus, Deus está com ela; as pessoas sempre podem se apoiar em Deus; Ele é a família de cada um dos Seus seguidores. Contando com Deus para se apoiar, a humanidade não será mais solitária nem desamparada, e aqueles que O aceitarem como oferecimento pelos seus pecados não mais estarão presos ao pecado” (de “A obra de Deus, o caráter de Deus e o Próprio Deus III”).

Na verdade, cada um de nós que crê no Senhor Jesus pode ver que, na senda da crença em Deus, sempre que nos deparamos com tentações como dinheiro, fama ou fortuna, o Senhor nos protege e nos capacita a evitá-las e superá-las; sempre que nos deparamos com reveses e fracassos, o Senhor nos guia com Suas palavras, Ele nos dá fé e força, capacitando-nos a sermos fortes; quando encontramos dificuldades na nossa vida, o Senhor é sempre a nossa ajuda quando necessitamos dela, abrindo caminhos para nós; quando provações nos sobrevêm e experimentamos sofrimento, as palavras do Senhor devidamente nos iluminam e guiam, capacitando-nos a entender a vontade de Deus e a sentir paz e alegria em nosso espírito… Podemos realmente sentir que Deus está do nosso lado, guiando e nos acompanhando a cada dia, capacitando-nos a entender a verdade e a Sua vontade…

O amor do Senhor me comove tanto, e agora entendo melhor por que o Senhor Jesus apareceu ao homem durante 40 dias após Sua ressurreição, comendo na presença de Seus discípulos, expondo as Escrituras e comungando com eles, impondo-lhes muitas exigências etc. Cada coisa que o Senhor Jesus disse ou fez transbordava de grande cuidado e atenção, e todos os Seus atos e palavras foram extraordinariamente significativos. Através da leitura das palavras de Deus, tenho agora um entendimento mais profundo da aparição de Jesus ao homem após Sua ressurreição. Graças a Deus!

Conteúdo Relacionado