Enxergando a maldade do pastor

04 de Fevereiro de 2022

Por Xiaoci, Myanmar

Conheci uma irmã na internet em setembro de 2020. Ela me disse que o Senhor Jesus retornou como Deus Todo-Poderoso e que está expressando verdades para fazer a obra de julgamento. Fiquei animado ao ouvir que o Senhor tinha retornado e comecei a participar de reuniões on-line e a investigar a obra de Deus Todo-Poderoso. Por meio da leitura das palavras de Deus Todo-Poderoso, aprendi sobre a raiz de como Satanás corrompe o homem, os três estágios de obra para salvar o homem, os mistérios da encarnação, a obra de julgamento de Deus dos últimos dias e outras verdades das quais nunca tinha ouvido falar. Nesse período de busca e investigação, adquiri certeza de que Deus Todo-Poderoso é o Senhor Jesus retornado e me filiei à Igreja de Deus Todo-Poderoso. Eu amava o sustento de ler as palavras de Deus diariamente e me sentia espiritualmente nutrido como nunca. Em comparação, os sermões do meu pastor sempre falavam das mesmas coisas, eram secos e entediantes, careciam de luz. Não eram edificantes, então parei de ir aos cultos da igreja.

Então, em fevereiro de 2021, houve um golpe militar em Mianmar, e a internet foi cortada. Não pude mais participar das reuniões on-line. Não demorou, e alguns irmãos vieram ao meu vilarejo e disseram que queriam organizar reuniões locais. Na época, 20 pessoas participavam delas. Mas, depois de algumas reuniões, alguém nos denunciou ao pastor local. Ele começou a contar às pessoas, na igreja, que estávamos participando de reuniões on-line, e não na igreja, e que não obedecíamos ao clero. Ele mentiu, dizendo que estávamos organizando uma facção própria. E mandou que ninguém se envolvesse conosco. Quase todos no nosso vilarejo eram cristãos, e adoravam o pastor e lhe obedeciam. Por causa dos ataques e julgamentos dele, todos ficaram sabendo da nossa fé em Deus Todo-Poderoso, e todos, até nossos parentes, amigos e vizinhos, começaram a nos repreender por não irmos à igreja ou não obedecermos mais ao pastor, dizendo que era algo terrível. Para onde quer que eu fosse, todos apontavam o dedo para mim, e a minha família também se opôs à minha fé em Deus Todo-Poderoso. Fiquei angustiado. Eu sempre tivera um ótimo relacionamento com meus amigos e vizinhos, sempre nos ajudávamos, mas agora eles me tratavam como um inimigo. A fé é uma liberdade pessoal. Estávamos só praticando nossa fé sem fazer nada de ilegal. Por que o pastor nos julgaria e condenaria e faria com que todos nos rejeitassem? Logo caí numa depressão e então orei a Deus: “Deus, o pastor está nos atacando, e todas as pessoas próximas estão me rejeitando. Estou péssimo. Deus, não entendo por que me tratam desse jeito. Por favor, ilumina-me para que eu possa entender isso e escapar da minha depressão”. Então eu me lembrei de uma passagem das palavras de Deus. Deus Todo-Poderoso diz: “Deus faz sua obra, Deus cuida de uma pessoa, olha para essa pessoa, e, enquanto isso, Satanás segue cada um de Seus passos. A quem quer que Deus favoreça, Satanás também observa, seguindo atrás dele. Se Deus quer essa pessoa, Satanás faz tudo em seu poder para obstruir Deus, usando vários artifícios malignos para tentar, interromper e destruir a obra que Deus faz, tudo isso com intuito de atingir seu objetivo oculto. Qual é esse objetivo? Ele não quer que Deus ganhe ninguém; todos aqueles que Deus quer, ele os quer para si mesmo, quer ocupá-los, controlá-los, para comandá-los para que eles o adorem, para que se juntem a ele para cometer atos malignos. Não é esse o motivo sinistro de Satanás? […] Ao guerrear contra Deus e ficar andando atrás Dele, o objetivo de Satanás é demolir toda a obra que Deus quer realizar, para ocupar e controlar aqueles a quem Deus quer ganhar, para extinguir completamente aqueles a quem Deus quer ganhar. Se eles não são extintos, então eles se juntam às posses de Satanás para serem usados por ele — esse é seu objetivo” (‘O Próprio Deus, o Único IV’ em “A Palavra manifesta em carne”). Isso me ajudou a ver que a tentativa do pastor de nos impedir de seguir Cristo dos últimos dias era uma batalha espiritual. Deus expressa verdades para julgar e purificar as pessoas nos últimos dias. Para salvar e formar um grupo de crentes verdadeiros. Mas Satanás é inimigo de Deus e usa todo tipo de táticas para obstruir e prejudicar a obra de Deus para que as pessoas abandonem e traiam a Deus e vivam sob o poder de Satanás. Para poder controlá-las, e, no fim, elas serão punidas no inferno juntamente com ele. Vi que o clero da igreja era ajudante de Satanás. Ele ouviu que o Senhor tinha retornado, mas em vez de investigar, impedia os outros de fazê-lo. Seus sermões não nutriam o espírito, mas ele não permitia que as pessoas buscassem o caminho verdadeiro. Quando viu que paramos de ir à igreja e de segui-lo, o clero nos condenou e caluniou, querendo que traíssemos Deus Todo-Poderoso e voltássemos para a igreja para nos controlar. E assim perderíamos a salvação de Deus dos últimos dias. Quando percebi isso, eu disse a mim mesmo que não devia cair no truque de Satanás. Eu não podia desistir de Deus Todo-Poderoso para segui-los; devia permanecer firme.

Depois disso, alguns dos recém-convertidos e daqueles que exploravam a obra de Deus dos últimos dias fraquejaram e se afastaram. Embora todos à nossa volta protestassem, os demais não pararam de fazer reuniões. O pastor ficou enfurecido quando descobriu e ordenou que alguns obreiros da igreja visitassem a minha casa, insistindo que eu fosse até a casa do pastor. Eu me irritei com isso, pensando que eu só estava adorando a Deus e comungando e que isso era liberdade minha. Por que o pastor ficava tentando obstruir meu caminho? Eu até queria ouvi-lo, para ver o que ele achava que eu estava fazendo de errado. Naquela noite, fui até a casa do pastor e levei também alguns irmãos e irmãs. Outros membros do clero estavam lá. O pastor disse: “Fiquei sabendo de suas reuniões on-line. Como seu clero, é nossa responsabilidade alertá-los contra qualquer outra senda”. Eu respondi: “Ouvimos seus sermões, mas não estamos traindo o Senhor. O Senhor Jesus retornou e está fazendo um novo passo da obra —” Ele nem me deixou terminar e me interrompeu, irritado: “Já basta! Não vamos ouvir mais nenhuma palavra disso. Você tem que fazer uma escolha agora. Você continuará crendo em outro Deus ou voltará para a nossa igreja?”. Enquanto falava, ele abriu um caderno em que tinha anotado o nome de todos nós. Ele disse em tom de ordem: “Se forem continuar ouvindo os sermões deles, coloquem um ‘x’ junto ao seu nome; caso contrário, risquem-no. Vocês viverão num mundo de dor se não me ouvirem! Não faremos nada para seus casamentos, funerais ou nascimentos em sua família, nada disso. Não ajudaremos com nenhum arranjo”. Ninguém disse nada. Eu hesitei um pouco, pensando que, se não escrevesse nada, mesmo assim o pastor encontraria jeitos de obstruir a minha fé. Se eu marcasse meu nome, o clero nunca mais ajudaria minha família com nenhum arranjo. Esses eram antigos costumes do vilarejo e eram muito importantes para todos e não deviam ser ignorados, e todos no vilarejo ouviam o clero. Se ele não aparecesse, ninguém mais apareceria, e ninguém ajudaria. Todos me rejeitariam? Mas eu sabia que o Senhor tinha retornado, então, se eu riscasse meu nome e voltasse para a igreja, isso não seria negar e trair a Deus? Naquele momento, eu não sabia o que fazer, então pedi a orientação de Deus. E me lembrei de algo que o Senhor Jesus tinha dito: “Ninguém que lança mão do arado e olha para trás é apto para o reino de Deus” (Lucas 9:61). Verdade. Sou um crente, um seguidor. Na fé, devemos reverenciar a Deus, submeter-nos à Sua obra e ficar em paz com Ele. Como eu poderia me chamar de crente se desse mais valor ao pastor do que a Deus? Como poderia ser apto para o reino? Então orei: “Ó Deus, quero dar testemunho de Ti hoje. Não importa o que aconteça, quero seguir a Ti”. Isso me deixou bem mais calmo, e, com firmeza, fiz um ‘x’ junto ao meu nome. Alguns dos outros fizeram o mesmo; só uma irmã riscou o nome dela. Furioso, o pastor disse: “Essa é sua escolha. A partir de agora, estamos em sendas diferentes. Seus assuntos não são mais da nossa conta”.

Em casa, minhas preocupações voltaram. Em geral, sempre que algo acontecia com uma família no nosso vilarejo, pedíamos que o pastor orasse por nós e conduzisse os ritos religiosos. Não poderíamos fazer nada disso se o pastor não se importasse mais conosco, e todos nos rejeitariam e atacariam. Eu não sabia quais outras táticas eles usariam para nos impedir de praticar a nossa fé ou quando tudo teria fim. Pensar em tudo isso era muito doloroso para mim, e eu não sabia como passar por isso. Imediatamente, fiz uma oração: “Deus, posso ver como é fraca a minha estatura. Sempre me preocupo com a calúnia e rejeição dos outros. Tenho medo de encarar isso e me sinto fraco. Deus, por favor, guia-me nesta situação”. Depois disso, procurei uma irmã na internet para receber rega e lhe contei o que eu estava vivenciando. Ela me enviou uma passagem das palavras de Deus. Deus Todo-Poderoso diz: “Depois de receber o testemunho de Jó após o fim de suas provações, Deus determinou que Ele ganharia um grupo — ou mais de um grupo — de pessoas como Jó, mas determinou nunca mais permitir que Satanás atacasse ou abusasse de qualquer outra pessoa usando os meios pelo qual tentara, atacara e abusara de Jó, apostando com Deus; Deus não permitiu que Satanás voltasse a fazer tais coisas ao homem, que é fraco, tolo e ignorante — foi o bastante que Satanás tivesse tentado Jó! Não permitir que Satanás abuse das pessoas de qualquer maneira que quiser é a misericórdia de Deus. Para Deus, foi o bastante que Jó tivesse sofrido a tentação e o abuso de Satanás. Deus não permitiu que Satanás voltasse a fazer tais coisas, pois a vida e tudo das pessoas que seguem a Deus são regidos e orquestrados por Deus, e Satanás não tem o direito de manipular os escolhidos de Deus à vontade — vocês devem estar claros sobre esse ponto! Deus Se importa com a fraqueza do homem e entende sua tolice e ignorância. Embora, para que o homem pudesse ser completamente salvo, Deus tem que entregá-lo a Satanás, Deus não está disposto a ver o homem jamais tido como um tolo e abusado por Satanás e Ele não quer ver o homem sempre sofrendo. O homem foi criado por Deus, e que Deus governe e arranje tudo relacionado ao homem é ordenado pelo Céu e reconhecido pela terra; essa é a responsabilidade de Deus e é a autoridade pela qual Deus governa todas as coisas! Deus não permite que Satanás abuse e maltrate o homem à vontade, Ele não permite que Satanás empregue vários meios para desviar o homem e, além disso, Ele não permite que Satanás intervenha na soberania de Deus sobre o homem, nem permite que Satanás atropele e destrua as leis pelas quais Deus governa todas as coisas, para não falar da grande obra de Deus de gerenciar e salvar a humanidade! Aqueles que Deus deseja salvar, e aqueles que são capazes de testemunhar de Deus, são o núcleo e a cristalização da obra do plano de gerenciamento de seis mil anos de Deus, bem como o preço de Seus esforços em Seus seis mil anos de obra. Como Deus poderia casualmente dar essas pessoas a Satanás?” (‘A obra de Deus, o caráter de Deus e o Próprio Deus II’ em “A Palavra manifesta em carne”). As palavras de Deus me mostraram que, não importa o que enfrentamos, Deus permite que isso aconteça e que tudo está em Suas mãos. Sem Sua permissão, não importa quão selvagem Satanás seja ou quanto ele queira nos machucar, ele não pode fazer nada. Deus estava permitindo que todas essas coisas difíceis acontecessem. Ele estava me testando e também me salvando. Ele esperava que eu fosse igual a Jó e desse testemunho nessa situação. Era também para que eu aprendesse a confiar em Deus nesse ambiente e experimentasse Sua obra e palavras e desenvolvesse fé verdadeira em Deus. Mas eu estava preso na rede de Satanás. Eu queria proteger meus relacionamentos com os outros e não ser rejeitado e caluniado. Eu sempre temia que algo ruim acontecesse. Não entendia a vontade de Deus. Eu me acalmei e orei: “Ó Deus, agora entendo que Tu estás permitindo tudo isso. É para me salvar e purificar, para aperfeiçoar a minha fé. Estou pronto para dar testemunho de Ti. Mas a minha estatura é tão baixa! Por favor, ajuda-me a fortalecer a minha fé, para eu passar por isso”.

Eu achava que, já que tinha feito a escolha de seguir Deus Todo-Poderoso, o pastor me deixaria em paz e eu poderia me reunir normalmente. Em vez disso, por causa da agressão e dos julgamentos do pastor, os outros moradores continuaram interrompendo. Riam de nós, nos caluniavam e gritavam conosco na frente da nossa família, dizendo que estávamos violando as regras do vilarejo e não seguindo os ritos religiosos. Diziam que, se continuássemos crendo, eles nos denunciariam ao governo para que fôssemos presos. Minha família não aguentou o estresse. Brigavam o tempo todo e queriam que eu desistisse da minha fé. Os outros também sofriam pressão da parte das suas famílias. Alguns foram expulsos e não podiam nem entrar na própria casa. O pastor espalhava mentiras, dizendo que estávamos com todos esses problemas em casa só porque não obedecíamos ao clero e não íamos à igreja. E, também, ele queria interrogar os dois irmãos que tinham vindo para nos regar. Fiquei fora de mim de raiva. O clero estava virando a verdade de ponta-cabeça. Sem esses ataques, não teríamos esses problemas. Mais tarde, uma irmã disse àqueles dois irmãos de rega que era melhor não voltar, para evitar algum perigo. Todos estavam negativos e fracos nessa época, e carecíamos de motivação para realizar reuniões ou cumprir nosso dever. Também senti certa fraqueza quando vi tudo isso. Eu não sabia como ajudar e apoiar os irmãos e, de repente, senti que a senda da fé era difícil demais. Eu não entendia. Éramos apenas crentes que se reuniam e liam as palavras de Deus. Por que não nos deixavam em paz, e estavam determinados a nos forçar a seguir uma senda sem destino? Em minha dor, clamei a Deus: “Deus, tenho me sentido tão fraco e não consigo acalmar meus sentimentos. Como posso permanecer nessa senda de fé? Por favor, esclarece-me e guia-me”. Então me lembrei de algo que o Senhor Jesus disse: “Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós, me odiou a Mim. Se fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu; mas, porque não sois do mundo, antes Eu vos escolhi do mundo, por isso é que o mundo vos odeia” (João 15:18-19). De repente, entendi que eles nos odiavam e oprimiam porque odiavam a vinda de Deus e estavam lutando contra Deus. Deus encarnou nos últimos dias, expressando verdades para Sua obra de julgamento para purificar e salvar a humanidade. Sua aparição e obra estão expondo pessoas mundanas. Elas não amam a verdade, mas a odeiam e odeiam Deus. Acreditam num Deus vago no céu, e é por isso que estão julgando e condenando a obra e as palavras de Deus na carne. Quando o Senhor Jesus veio operar, os líderes judeus se recusaram a aceitar as verdades que Ele expressava, e fizeram de tudo para condená-Lo e blasfemar contra Ele. Os crentes judeus os seguiram, rejeitando o Senhor, e, no fim, pregaram-No na cruz. Este mundo é tão maligno! Mas quanto mais sofriam a rejeição e a condenação mundana das forças religiosas, mais claro ficava que esse era o caminho verdadeiro, a obra de Deus. Isso redobrou meu desejo de permanecer nessa senda!

Quando os irmãos souberam o que estava acontecendo, me enviaram uma passagem de Deus Todo-Poderoso. Deus Todo-Poderoso diz: “Não fique desanimado, não seja fraco, e Eu esclarecerei as coisas a você. A estrada para o reino não é tão fácil; nada é assim simples! Vocês querem que as bênçãos venham a vocês facilmente, não querem? Hoje, todos terão provações amargas para enfrentar. Sem tais provações, o coração amoroso que vocês têm por Mim não se tornará mais forte e vocês não terão um amor verdadeiro por Mim. Mesmo se essas provações consistirem simplesmente de circunstâncias menores, todos devem passar por elas; só a dificuldade das provações é que variará de uma pessoa para outra. As provações são uma bênção Minha, e quantos de vocês vêm com frequência diante de Mim e imploram de joelhos as Minhas bênçãos? Crianças tolas! Sempre pensam que umas poucas palavras auspiciosas contam como Minha bênção, porém não reconhecem que o amargor é uma das Minhas bênçãos. Aqueles que compartilham do Meu amargor certamente compartilharão da Minha doçura. Essa é a Minha promessa e a Minha bênção para vocês. Não hesitem em comer e beber e desfrutar Minhas palavras. Quando as trevas passam, a luz se concentra. A hora mais escura é a que precede o amanhecer; depois desse momento, o céu clareia aos poucos e então o sol surge. Não tenha medo nem fique tímido” (‘Capítulo 41’ das Declarações de Cristo no princípio em “A Palavra manifesta em carne”). Fiquei tão comovido quando li isso! Estávamos seguindo a nova obra de Deus, sendo impedidos pelo clero e tratados injustamente pelos moradores do vilarejo. Isso era inevitável. Pois as pessoas são tão corrompidas por Satanás, e o mundo é tão escuro e maligno. Nenhuma delas acolhe a vinda do Senhor. Seguir a Deus não é fácil. Para entrar no reino de Deus e ganhar Sua aprovação, devemos experimentar esse tipo de perseguição e adversidade. Deus é nossa retaguarda e sempre está conosco. Não havia nada que eu devesse temer. Eu só devia orar e confiar em Deus, e Ele certamente nos guiaria para superar as perturbações do pastor. Lembrei-me das experiências dos irmãos chineses que eu tinha visto em filmes e vídeos. Eles são oprimidos, caçados e monitorados pelo governo chinês e podem ser presos a qualquer momento. Suas famílias também são afetadas, e eles perdem seus bens e empregos. Muitos deles são jogados na prisão e torturados brutalmente. Sofrem tanto, mas conseguem confiar em Deus e dar testemunho da derrota de Satanás. Então pensei em como Deus sofreu em Suas duas encarnações. Quando o Senhor Jesus encarnou e veio para a Terra para redimir a humanidade, Ele foi condenado e blasfemado pelo povo judeu e, no fim, foi crucificado. Nos últimos dias, Deus encarnou novamente, e está expressando verdades para salvar a humanidade. Ele sofre resistência, condenação, rejeição e a blasfêmia do regime de Satanás e das forças dos anticristos do mundo religioso. Deus sofre tanto para salvar a humanidade que o meu sofrimento irrisório nem merecia ser mencionado. Deus é santo, e todo o Seu sofrimento é para o bem da nossa salvação. Meu sofrimento servia para que eu ganhasse a verdade e fosse salvo, portanto era algo que eu devia suportar. Embora essa experiência tenha sido dolorosa para mim, eu ganhei certo discernimento do clero e agora tinha mais fé em Deus. Deus realmente usa ambientes penosos para nos comunicar a verdade e aperfeiçoar a nossa fé. É uma bênção de Deus! Eu me acalmei bastante depois de descobrir a vontade de Deus e saí da minha nuvem de depressão. Então me apressei em organizar uma reunião para todos os meus irmãos que ainda estavam presos num estado negativo. Todos puderam entender a vontade de Deus por meio da nossa comunhão, ganharam fé para continuar seguindo a Deus e não se sentiram mais deprimidos. Começamos a levar uma vida de igreja normal, compartilhando o evangelho e dando testemunho, e todos estavam motivados.

Mas o clero continuou fazendo de tudo para nos impedir. Uma vez, quando o marido de uma irmã morreu por causa de uma doença, toda a família dela a pressionou para pedir perdão ao pastor para que ele ajudasse com orações e ritos fúnebres. O clero explorou essa oportunidade para pressioná-la a desistir de sua fé em Deus Todo-Poderoso e voltar para a igreja. Fiquei com tanta raiva! Ela já estava chorando a morte do marido, mas o clero estava jogando sal na ferida, pressionando-a a admitir o erro, só para levá-la de volta à igreja e fazer com que ela os seguisse. Isso foi tão desprezível! Um pastor de nível superior veio falar conosco e disse muitas coisas, condenando e blasfemando contra Deus. Ele nos urgiu várias vezes a desistir da nossa fé. Mas nós já tínhamos discernimento, e isso não nos impactou. Quando o clero e os líderes do vilarejo viram que estávamos firmes, fizeram com que os outros moradores nos isolassem e excluíssem, dizendo: “Essas pessoas se recusam a nos ouvir, então deixem que tenham sua fé. Fiquem de olho em seus filhos, mantenham-nos longe dessa gente. Qualquer um que tiver contato com eles ou pergunte sobre sua fé afetará toda a sua família, e nós não os ajudaremos com nada”. Também criaram um grupo especial de jovens, formado pelos jovens da igreja, para nos monitorar. Qualquer um que tivesse contato conosco seria interrogado na casa do pastor. Isso me ajudou a ver sua postura contrária a Deus com mais clareza. Eles controlavam rigidamente os crentes e não permitiam que viessem para diante de Deus e ouvissem Sua voz. Pensei nos fariseus. Quando o Senhor Jesus veio, Sua obra e palavras eram cheias de autoridade, mas eles não buscaram nem investigaram. Temendo que os crentes seguissem o Senhor Jesus e que eles perdessem seu status e sustento, fizeram de tudo para condená-Lo e até O pregaram na cruz. Os crentes estavam em suas garras, e eles só permitiam que as pessoas os adorassem, recusando-se a devolver a Deus Suas ovelhas. Eram servos maus, e os pastores e presbíteros de hoje não são diferentes deles. Lembrei-me das palavras do Senhor que os condenam: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque fechais aos homens o reino dos céus; pois nem vós entrais, nem aos que entrariam permitis entrar” (Mateus 23:13). “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque percorreis o mar e a terra para fazer um prosélito; e, depois de o terdes feito, o tornais duas vezes mais filho do inferno do que vós” (Mateus 23:15). O clero de hoje é igual aos fariseus do passado. São servos maus que obstruem a senda para o reino. É como diz Deus Todo-Poderoso: “Existem aqueles que leem a Bíblia em igrejas majestosas e a recitam o dia inteiro, mas nem um deles entende o propósito da obra de Deus. Nem um deles é capaz de conhecer Deus; menos ainda pode qualquer um deles estar de acordo com a vontade de Deus. Todos eles são pessoas inúteis e vis, cada uma se empinando para repreender a Deus. Eles intencionalmente se opõem a Deus mesmo quando carregam o estandarte Dele. Afirmando ter fé em Deus, ainda comem a carne e bebem o sangue do homem. Todas as pessoas assim são diabos que devoram a alma do homem, demônios chefes que deliberadamente se interpõem aos que tentam entrar na senda certa e pedras de tropeço que impedem os que buscam a Deus. Elas podem parecer ter uma ‘constituição robusta’, mas como os seus seguidores podem saber que não passam de anticristos que levam as pessoas a ficarem contra Deus? Como os seus seguidores podem saber que esses anticristos são diabos vivos dedicados a devorar as almas humanas?” (‘Todos os que não conhecem a Deus são pessoas que se opõem a Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”). Os clérigos não só não querem investigar a nova obra de Deus, mas quando descobrem que alguém a investiga, fazem de tudo para impedir, temendo que os crentes seguirão Deus Todo-Poderoso e deixarão de adorar e seguir a eles e de dar ofertas para eles. Estavam usando antigos costumes do vilarejo e ritos tradicionais para controlar as pessoas, obrigando-as a voltar para a igreja. Alegavam ser crentes, mas não tinham reverência alguma por Deus. São demônios por natureza que odeiam a Deus e a verdade. São pedras de tropeço na nossa senda para o reino. Eu sabia que Deus tinha permitido toda essa opressão para desenvolver nosso discernimento, para que pudéssemos escapar do controle do clero religioso. Os ataques do clero não foram capazes de me manter num estado negativo; na verdade, fortaleceram a minha fé. Também fui capaz de escapar das restrições e continuar a compartilhar o evangelho e dar testemunho. Com o tempo, alguns dos meus amigos e parentes também começaram a ganhar discernimento sobre o comportamento do clero e alguns deles aceitaram a obra de Deus Todo-Poderoso dos últimos dias. Isso me mostrou que a sabedoria de Deus é exercida com base nos truques de Satanás. A opressão e os obstáculos dos pastores ajudaram a separar as cabras das ovelhas. Alguns acompanharam o clero em sua oposição, mas outros vieram a discernir a essência real dele. Ouviram a voz de Deus e se voltaram para Deus. A obra de Deus é milagrosa! Essa experiência me ensinou que toda situação tem a vontade de Deus. É tudo de que precisamos e tudo é para nos salvar e aperfeiçoar. Resolvi que, não importava o que eu encarasse no futuro, eu estaria disposto a me submeter aos arranjos de Deus e a confiar Nele. Graças a Deus Todo-Poderoso!

O alarme dos últimos dias já tocou e grandes desastres já começaram. Você quer dar as boas-vindas ao retorno do Senhor e ter a chance de receber a proteção de Deus com sua família?

Conteúdo relacionado

Voltando à trilha certa

Por Chen Guang, Estados UnidosDeus Todo-Poderoso diz: “Servir a Deus não é tarefa fácil. Aqueles cujo caráter corrupto permanece inalterado...

Conecte-se conosco no Messenger