Renunciando à riqueza: uma jornada pessoal

14 de Outubro de 2023

Por Zhang Tao, China

Eu nasci numa família rural. Quando eu era pequeno, nossa família era tão pobre que até conseguir o suficiente para comer era uma luta e todos nos menosprezavam. Eu pensava: “Quando crescer, ganharei muito dinheiro e facilitarei a vida para a minha família, então as pessoas não nos menosprezarão nem zombarão de nós”. Pouco tempo depois, minha mãe adoeceu e tivemos que usar todas as nossas economias. Amigos e parentes temiam que pedíssemos seu dinheiro, por isso inventavam desculpas para nos evitar. Justamente quando não víamos saída, minha tia pregou o evangelho do Senhor Jesus para nós. Milagrosamente, minha mãe se recuperou após encontrar o Senhor, e foi quando também comecei a crer. Embora ainda fosse jovem na época, meu sonho de ficar rico nunca mudou. Para ganhar dinheiro e fama, aos 13 anos de idade, comecei a vender fósforos, cigarros e sementes de girassol na feira; aos 15, instalei barracas por toda parte; e, aos 18, comecei a me aventurar no comércio de madeira. Mas já que eu não tinha capital suficiente, meu irmão me levou até a casa de um colega no município para emprestar dinheiro. Vi essa família rica com todos esses eletrodomésticos, que comia melancia e usava ar-condicionado no verão, e eu os invejei profundamente. Na nossa casa, nós não tínhamos nem ventilador. Por mais calor que fizesse, só podíamos usar leques e só tínhamos água do poço para matar nossa sede. Por que nossas famílias eram tão diferentes? Os ricos viviam bem — quando eu seria capaz de viver como eles? A partir de então, meu desejo de levar uma vida no topo se intensificou. Quando me casei, eu ainda não ganhava muito dinheiro com meu trabalho. Minha esposa e eu íamos a outros lugares para trabalhar e ganhar um dinheirinho extra pedalando uma bicicleta-táxi. Mas os anos passaram, e o que ganhávamos mal bastava para sobreviver.

Foi em fevereiro de 2000. Eu vi algumas pessoas ganhando muito dinheiro como agentes comerciais no mundo da moda e eu também quis entrar nisso. Aos poucos, fui fazendo carreira até me tornar agente geral da província. No início, os clientes não vinham para fazer encomendas, então comecei a ir de porta em porta para apresentar meus produtos. Para manter o negócio, eu cuidava de tudo pessoalmente: eu comprava os produtos, cobrava dos clientes, embrulhava e enviava as encomendas… Eu trabalhava quase 16 horas todos os dias. Muitas vezes, eu nem tinha tempo para comer. Mas após alguns anos de muito trabalho, finalmente comecei a ganhar algum dinheiro. Comprei um carro e uma casa, e meus colegas, amigos e parentes admiravam e elogiavam minhas habilidades. As pessoas me cumprimentavam para onde quer que eu fosse. Quando ia para casa no ano novo lunar, pessoas de todos os lugares me olhavam com admiração e me chamavam de “chefão” para onde quer que fosse. Todos esses elogios me deixavam muito feliz e me levavam a achar que todo esse sofrimento valia a pena. Mas por estar ocupado o ano inteiro, eu comia irregularmente e desenvolvi uma doença estomacal séria sempre que eu comia. Por causa do meu trabalho excessivo durante muito tempo, um dos discos lombares se deformou e, às vezes, minhas mãos ficavam entorpecidas ou se contraíam, mas, para aumentar meu negócio e ganhar mais dinheiro, eu ignorei minha saúde e continuei trabalhando. Às vezes, eu achava que meu corpo não suportaria, mas quando eu via como os números cresciam ano após ano e que a empresa gerava mais de um milhão de yuans por ano, eu esquecia minha doença e continuava trabalhando. Num ano, nossa filial ocupou o segundo lugar nas vendas nacionais e nós recebemos mais de 300.000 yuans em bônus. Todos os outros agentes me olhavam com inveja. Então a empresa estabeleceu uma meta de venda ainda mais alta para mim e exigiu que eu me esforçasse para ser o número 1. Essa era a meta que eu também vinha tentando alcançar, pois quanto melhor fosse meu desempenho, mais eu ganharia e maior seria meu bônus. Eu receberia a admiração dos outros para onde quer que fosse e minha reputação também aumentaria. Mas justamente quando eu estava muito satisfeito comigo mesmo e me esforçando para ser o número 1, minha saúde piorou. Meu estômago ficava se manifestando, minha coluna doía com frequência e eu não conseguia ficar de pé por muito tempo. Fui a um hospital para fazer exames, e o médico me disse: “Seu disco lombar se deformou. Você precisa descansar mais e trabalhar menos. Se não seguir o meu conselho, é provável que a compressão dos nervos resulte numa paralisia”. Eu estava tão ocupado na época, quando eu poderia descansar? Fiquei arrastando meu corpo debilitado enquanto trabalhava. A primeira coisa em que pensava quando acordava era como ganhar dinheiro, e, depois de um dia corrido, eu caía no sono assim que encostava a cabeça no travesseiro. Minha esposa dizia que eu dava mais valor ao dinheiro do que à vida. Durante o dia, eu trabalhava tanto que me esquecia da minha condição, mas, à noite, deitado na cama, quando não conseguia dormir e ficava me revirando por causa da dor, eu pensava: “Já ganhei algum dinheiro, minha vida está mais confortável e sou admirado pelos outros, mas estou caindo aos pedaços e ainda nem cheguei aos 40. Quem sabe em que estado estarei quando ficar velho”. A dor da minha condição física, a pressão mental, além da enganação e da rivalidade na minha vida profissional, me traziam dor e exaustão insuportáveis. Por que minha riqueza não me deixava feliz? Eu não sentia paz nem calma interior e não havia nada em que eu pudesse realmente confiar. Eu realmente tinha vivido toda a minha vida vazio e sofrendo, correndo atrás de dinheiro e renome? Era essa a vida que eu queria?

Em minha dor e confusão, minha esposa e eu aceitamos o evangelho de Deus Todo-Poderoso dos últimos dias em 2009. Ao ler a palavra de Deus e viver a vida de igreja, eu entendi que Deus encarnou nos últimos dias para expressar verdades e fazer a obra de julgar e purificar as pessoas e que só aqueles que aceitam Seu julgamento e purificação podem ser conduzidos a um destino bom. Minha esposa e eu logo adquirimos certeza da obra de Deus dos últimos dias. Eu lia a palavra de Deus avidamente todos os dias, desfrutando da rega de Sua palavra. Meu coração se encheu de paz e alegria. Na época, eu me perguntei: “No passado, eu só queria ser rico e levar uma vida feliz, mas depois de ganhar dinheiro, por que eu sofria e me sentia vazio em vez de ficar feliz?”. Li uma passagem da palavra de Deus Todo-Poderoso que resolveu minha confusão. Deus Todo-Poderoso diz: “Há um segredo enorme em seu coração, do qual você nunca esteve ciente, pois você vive em um mundo sem luz. Seu coração e seu espírito foram arrancados pelo maligno. Seus olhos estão obscurecidos pela escuridão, e você não consegue ver nem o sol no céu nem aquela estrela cintilante da noite. Seus ouvidos estão obstruídos com palavras enganosas, e você não ouve a voz estrondosa de Jeová nem o som das águas que fluem do trono. Você perdeu tudo que é seu por direito, tudo que o Todo-Poderoso lhe concedeu. Você entrou em um mar de aflição sem fim, sem força para salvar a si mesmo, sem esperança de sobrevivência, e tudo que faz é luta e correria… Desse momento em diante, você foi condenado a ser afligido pelo maligno, longe das bênçãos do Todo-Poderoso, fora do alcance das provisões do Todo-Poderoso, andando por uma estrada sem volta. […] Você não tem ideia de onde veio, por que nasceu ou por que vai morrer. Você considera o Todo-Poderoso como um estranho; não conhece Suas origens, muito menos tudo que Ele fez por você. Tudo que vem Dele se tornou odioso para você; você não o estima nem conhece seu valor. Você anda ao lado do maligno desde o dia em que recebeu a provisão do Todo-Poderoso. Você tem resistido por milhares de anos de tempestades e tormentas com o maligno, e tem ficado com ele contra o Deus que foi a fonte da sua vida. Você não sabe nada de arrependimento, muito menos que chegou à iminência de perecer. Você esqueceu que o maligno o seduziu e o afligiu; você esqueceu seus inícios. Assim, o maligno o tem afligido a cada passo do caminho até o dia de hoje. Seu coração e seu espírito estão entorpecidos e decaídos. Você parou de reclamar das vexações do mundo do homem; não acredita mais que o mundo é injusto. Menos ainda você se liga para se o Todo-Poderoso existe. Isso é porque você, há muito tempo, considerou que o maligno é o seu verdadeiro pai e não consegue ficar longe dele. Esse é o segredo em seu coração(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “O suspirar do Todo-Poderoso”). O homem foi feito por Deus, e nós costumávamos viver sob Seu cuidado e proteção. Mas devido a enganação e corrupção de Satanás, o homem traiu a Deus e se afastou Dele, sem fazer ideia de quais são o valor e o sentido da vida, ele consentiu com a busca maligna de Satanás por riqueza, renome e prazer terreno e viveu dentro do abuso de Satanás. Eu tinha sido influenciado pela influência de Satanás. Eu só queria ficar rico e viver no topo, e na busca por mais dinheiro, eu negligenciei meu corpo. Embora minha condição me causasse dor insuportável, eu não perdia nenhuma chance de ganhar dinheiro. Eu estava levando uma vida vazia e dolorosa, graças às trapaças e danos de Satanás. Deus encarnou mais uma vez nos últimos dias para emitir verdades, para salvar o homem da influência de Satanás, para permitir que o homem escape do dano e da corrupção de Satanás e conduzir o homem a um bom destino. Graças à salvação de Deus e à Sua misericórdia por mim, eu tive a sorte de poder acolher o retorno do Senhor e ouvir a voz do Criador. Depois disso, aos poucos, eu me afastei de assuntos comerciais e passei mais tempo em reuniões e lendo a palavra de Deus. Aos poucos, comecei a entender algumas verdades. O fato de Deus Todo-Poderoso expressar verdades nos últimos dias e fazer a obra de julgamento é o estágio final do plano de gerenciamento de seis mil anos de Deus, e aqueles que não aceitarem o julgamento de Deus nos últimos dias e não forem purificados perecerão nos desastres e serão punidos no fim. Mas havia muitos à minha volta eu ainda não tinham ouvido a voz de Deus e que não tinham acolhido o retorno do Senhor. Isso me preocupava muito. E quando via outros pregando o evangelho e testificando de Deus, enquanto eu continuava emaranhado em assuntos da empresa e não cumpria um dever, eu sentia que estava decepcionando Deus, mas eu não sabia o que fazer. Assim, eu trouxe meus pensamentos e problemas para diante de Deus em oração, pedindo que Ele me orientasse nessa situação.

Depois de orar, li uma passagem da palavra de Deus. Deus Todo-Poderoso diz: “Você está ciente do fardo sobre seus ombros, da sua comissão e da sua responsabilidade? Onde está seu senso de missão histórica? Como você servirá adequadamente como mestre na próxima era? Você tem um forte senso do papel de mestre? Como explicaria o mestre de todas as coisas? Será que é mesmo o mestre de todas as criaturas vivas e de todas as coisas físicas no mundo? Quais são os seus planos para o progresso da próxima fase da obra? Quantas pessoas estão à sua espera para que você seja seu pastor? A sua tarefa é pesada? Elas são pobres, lastimáveis, cegas e perdidas, lamentando na escuridão — onde está o caminho? Como anseiam para que a luz, como uma estrela cadente, desça repentinamente e disperse as forças da escuridão que oprimem a humanidade há tantos anos! Quem pode saber a extensão de sua esperança ansiosa, e como anelam, dia e noite, por isso? Mesmo num dia em que a luz passa brilhando, essas pessoas profundamente sofridas permanecem presas em um calabouço escuro sem esperança de libertação; quando deixarão de chorar? Terrível é o infortúnio desses espíritos frágeis, que nunca receberam descanso e que, há muito tempo, são mantidos presos nesse estado por laços impiedosos e história congelada. E quem já ouviu o som dos seus lamentos? Quem já contemplou seu estado miserável? Alguma vez já lhe ocorreu como o coração de Deus está entristecido e ansioso? Como Ele pode suportar ver a humanidade inocente, que Ele criou com Suas próprias mãos, sofrer tamanho tormento? Afinal de contas, os seres humanos são as vítimas que foram envenenadas. E, embora o homem tenha sobrevivido até hoje, quem poderia saber que a humanidade foi, há muito tempo, envenenada pelo maligno? Você se esqueceu de que é uma das vítimas? Em nome de seu amor a Deus, você não está disposto a se esforçar para salvar esses sobreviventes? Você não está disposto a dedicar toda a sua energia para retribuir ao Deus que ama a humanidade como Sua própria carne e sangue? No fim das contas, como você interpretaria ser usado por Deus para viver sua vida extraordinária? Você realmente tem a determinação e a confiança para viver a vida significativa de uma pessoa piedosa, que serve a Deus?(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Como você deve cuidar de sua missão futura”). Senti a vontade urgente de Deus em Sua palavra. A obra de Deus de salvar a humanidade concluirá em breve, mas ainda há tantos que não ouviram Sua voz nem acolheram Sua aparição e que ainda sofrem em escuridão, especialmente aqueles que têm acreditado no Senhor por muitos anos. Eles têm esperado que a aparição e obra do Senhor Jesus os salve da escuridão, mas, por terem sido enganados por pastores e presbíteros, eles ainda não acolheram o retorno do Senhor e precisam desesperadamente que alguém lhes testifique da obra de Deus dos últimos dias e os conduza para diante de Deus para aceitarem Sua salvação. Como um ser criado, eu devo ter razão e uma consciência, devo obedecer à vontade de Deus para retribuir Seu amor e devo trazer mais pessoas para diante Dele para que aceitem Sua salvação. Essa é a causa mais justa e meu dever e obrigação inabalável. Confrontado com a vontade e as exigências de Deus, eu sabia que, se eu permanecesse indiferente e incapaz de retribuir o amor de Deus, isso seria sem razão nem consciência e eu não seria digno de ser chamado de humano. Percebi o tamanho da minha responsabilidade e quis pregar o evangelho com urgência. Assim, conversei com minha esposa sobre entregar a empresa para que eu tivesse mais tempo e energia para buscar a verdade e cumprir um dever. Ela me disse: “Desfrutamos de tanto da graça e da bênção de Deus nesses anos, devemos fazer de tudo para espalhar o evangelho do reino. Se não assumirmos a responsabilidade e trabalharmos com Deus para retribuir Seu amor por meio de um dever, nós O decepcionaremos e nossa consciência não conseguirá lidar com isso”. Essas palavras da minha esposa reforçaram minha decisão de abrir mão da empresa. Mas quando voltei e vi os funcionários embalando e despachando produtos, eu tive uma sensação repentina de perda por essa empresa que eu tinha construído com minhas mãos. Não tinha sido fácil construí-la a esse ponto e a adquirir todos esses bens, por isso relutei em passá-la para outra pessoa. Lembrei-me dos meus anos pedalando uma bicicleta-táxi, labutando e sendo tratado como um animal de carga e pensei em como, depois de tantos anos de trabalho duro, eu tinha agora uma empresa própria, tinha construído uma grande base de clientes e garantido uma renda estável. Se eu realmente abrisse mão da empresa, eu não perderia toda a minha fonte de renda e gastaria rapidamente as minhas economias até que não sobrasse nada? Eu acabaria vivendo a mesma vida de sofrimento de antigamente? As pessoas não só deixariam de me admirar, elas me menosprezariam. Mas gastar meus dias fazendo negócios e ganhando dinheiro não me deixava tempo para cumprir um dever e eu não conseguia me acalmar diante de Deus. Como eu poderia alcançar a verdade com esse tipo de fé? Mais tarde, pensei numa solução. Eu delegaria a empresa a dois gerentes que cuidariam da administração e do gerenciamento, de modo que a empresa ainda pertenceria a mim. Desse jeito, após pagar seus dividendos de gerenciamento, eu ainda receberia 1,6 milhões de yuans por ano. Eu teria uma renda estável e tempo para cumprir um dever. Eu mataria dois coelhos com uma cajadada só, certo? Mas mais tarde eu fiquei com medo de eles se juntarem contra mim. Então, eu não só não teria nenhuma renda, eu também perderia o valor inicial da empresa. Isso não seria esfregar sal nas minhas feridas? Quando pensei nisso, não consegui entregar a empresa.

Levei a questão da entrega da empresa para diante de Deus em oração: “Deus! Quero cumprir bem o meu dever para retribuir Teu amor, mas tenho medo de ficar pobre se eu entregar minha empresa. Estou entre a cruz e a espada e não sei o que fazer. Por favor, guia-me a encontrar uma senda de prática”. Depois disso, li uma passagem da palavra de Deus. Deus diz: “Se Eu colocasse algum dinheiro na frente de vocês neste momento e lhes desse a liberdade de escolher — e se Eu não os condenasse por sua escolha — então a maioria de vocês escolheria o dinheiro e abandonaria a verdade. Os melhores entre vocês desistiriam do dinheiro e escolheriam a verdade, com relutância, enquanto os intermediários pegariam o dinheiro com uma das mãos e a verdade com a outra. O rosto verdadeiro de vocês não se tornaria evidente? Ao escolher entre a verdade e qualquer coisa à qual vocês são leais, todos vocês fariam essa escolha, e sua atitude permaneceria a mesma. Não é assim? Não existem muitos entre vocês que têm oscilado entre o certo e o errado? Em disputas entre positivo e negativo, preto e branco, vocês certamente estão cientes das escolhas que fizeram entre família e Deus, filhos e Deus, paz e ruptura, riquezas e pobreza, status e normalidade, ser apoiado e ser descartado etc. Entre uma família pacífica e uma família rompida, vocês escolheram a primeira e o fizeram sem qualquer hesitação; entre riquezas e dever, vocês novamente escolheram as primeiras, faltando-lhes até mesmo a vontade de retornar para a costa; entre luxo e pobreza, vocês escolheram o primeiro; ao escolher entre seus filhos, filhas, esposas e maridos e Eu, vocês escolheram os primeiros; e entre noção e verdade, vocês, mais uma vez, escolheram a primeira. Confrontado com todos os tipos dos seus atos malignos, Eu simplesmente perdi a fé em vocês. Simplesmente Me espanta que seu coração seja tão resistente a ser amolecido. Aparentemente, muitos anos de dedicação e esforço nada Me trouxeram senão seu abandono e desespero, mas Minhas esperanças para vocês crescem a cada dia, pois Meu dia foi completamente revelado diante de todos. No entanto, vocês persistem em buscar coisas sombrias e malignas, e se recusam a largar o controle sobre elas. Qual, então, será seu desfecho? Alguma vez vocês já consideraram isso com cuidado? Se fossem solicitados a escolher novamente, qual, então, seria sua atitude? Ainda seria a mesma de antes? Vocês ainda Me trariam decepção e tristeza miserável? Seu coração ainda possuiria o mínimo de calor? Vocês continuariam sem saber o que fazer para confortar Meu coração? Neste momento, o que vocês escolhem? Vocês se submeterão às Minhas palavras ou estarão cansados delas?(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “A quem você é leal?”). Senti que eu estava face a face com Deus e que Ele estava me perguntando se eu escolheria riqueza ou a verdade. Deus esperava uma resposta minha, mas eu tinha escolhido a riqueza. Pensando nisso, eu me enchi de culpa. Pensei em alguns dos meus irmãos. Quando entenderam a vontade de Deus, eles conseguiram renunciar a tudo para seguir a Deus, cumprir um dever e espalhar o evangelho do reino. Mas quanto a mim, minha fé só consistia em reuniões e a leitura da palavra de Deus. Eu não cumpria o dever de um ser criado e me sentia despido de razão e consciência. Eu não queria adiar meu dever, mas também não queria perder minha fonte de renda. Eu era como Deus revelava: “os intermediários pegariam o dinheiro com uma das mãos e a verdade com a outra”. Eu queria ter tudo, por isso não podia ganhar nenhuma verdade. No fim, eu acabaria sendo expulso por Deus. Pensei na fuga da esposa de Ló de Sodoma. Ela foi transformada numa coluna de sal porque não conseguiu renunciar à riqueza e olhou para trás, tornando-se um símbolo de vergonha. Em que eu era diferente dela? Lembrei-me do que o Senhor Jesus disse: “Ninguém que lança mão do arado e olha para trás é apto para o reino de Deus(Lucas 9:61). Deus tinha me dado inúmeros bens e tinha me alimentado e vestido, mas eu ainda cobiçava riqueza e não cumpria um dever. Eu era igual a uma cobra que tenta comer um elefante, nunca satisfeito! Eu estava disposto a lutar e dar a minha vida por riqueza, mas não queria dar nada pela verdade. Eu era indigno do reino de Deus. Mais tarde, li uma passagem da palavra de Deus: “Despertem, irmãos! Despertem, irmãs! Meu dia não pode se atrasar; tempo é vida, e recuperar tempo é salvar vida! O tempo não está distante! Se falharem no vestibular, vocês poderão estudar e repeti-lo tantas vezes quanto quiserem. No entanto, Meu dia não tolerará outro atraso. Lembrem-se! Lembrem-se! Eu exorto vocês com essas boas palavras. O fim do mundo se desenrola diante dos seus olhos, e grandes desastres se aproximam rapidamente. O que é mais importante: sua vida ou seu sono, sua comida, bebida e roupas? Chegou a hora de vocês pesarem essas coisas. Não fiquem mais em dúvida e não fujam da certeza!(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Declarações de Cristo no princípio, Capítulo 30”). Cada uma das palavras de Deus me tocou e me perguntou se a vida ou a riqueza era mais importante. Nos últimos dias, Deus encarnou para emitir verdades e fazer a obra de julgamento. Essa era uma boa chance de cumprir meu dever, de ganhar a verdade e de ser aperfeiçoado por Deus. Se eu perdesse essa chance, eu me arrependeria para sempre. Quando viessem os grandes desastres, de que me serviriam todos os meus bens? Eu não acabaria morrendo mesmo assim? Então levei o assunto da entrega da empresa para diante de Deus em oração mais uma vez e decidi entregar a empresa, pedindo que Deus abrisse uma senda para mim.

Meu sogro se enfureceu quando descobriu que eu estava entregando a empresa. Ele fez uma careta para mim, dizendo: “Você está disposto a entregar essa empresa pela qual você trabalhou tanto a outra pessoa? A empresa está gerando mais de dois milhões de yuans por ano; não permitirei que você a entregue a outra pessoa!”. Fiquei abalado quando ele disse isso. Os negócios tinham superado minhas expectativas e tinham sido muito bons naquele ano e poderiam melhorar ainda muito mais. Se eu simplesmente entregasse a empresa e nós gastássemos todas as nossas economias, quem dentre nossos amigos e parentes ainda nos respeitaria? Eu pensei em delegar as responsabilidades e em ficar com algumas ações para que recebêssemos ainda alguns dividendos todo ano. Eu apresentei minha proposta à minha esposa, que me disse: “Sugiro que você desista de tudo para que sua mente não fique presa às ações. Assim você terá energia para buscar a verdade e seu dever não se atrasará. Quando os desastres vierem, nenhum dinheiro poderá nos salvar. Você precisa ter clareza em relação a isso”. Ela continuou: “A coisa mais importante que devemos fazer agora é gastar mais tempo buscando a verdade. Ganhar a verdade e preparar boas obras é mais importante do que riqueza material”. Meus filhos também apoiaram essa opinião e disseram que eu devia entregar a empresa. Fiquei remoendo isso por vários dias. Eu levei o assunto para diante de Deus em oração: “Deus! Sei em teoria que Tu decides se uma pessoa vive uma vida em riqueza ou em pobreza, mas está sendo muito difícil para mim renunciar à minha riqueza. Por favor, dá-me fé para tomar a decisão certa”.

Depois disso, li uma passagem da palavra de Deus. Deus diz: “Todo dia, vocês calculam como conseguir algo de Mim. Todo dia, vocês contam quanta riqueza e quantas coisas materiais ganharam de Mim. Todo dia, vocês esperam que mais bênçãos recaiam sobre vocês para que possam aproveitar, em maiores quantidades e de mais alto padrão, as coisas que podem ser desfrutadas. Não sou Eu quem está nos seus pensamentos a cada momento, nem a verdade que vem de Mim, mas seu esposo ou sua esposa, seus filhos, suas filhas, e as coisas que vocês comem e vestem. Vocês pensam em como podem ganhar um prazer ainda maior, ainda mais elevado. Mas até quando já encheram a barriga até se empanturrar, vocês não continuam sendo um cadáver? Mesmo quando, externamente, vocês se adornam com trajes tão bonitos, vocês não continuam sendo um cadáver ambulante sem vida? Vocês trabalham duro em favor do estômago até surgirem mechas cinzas nos seus cabelos, no entanto, não sacrificam nem um fio de cabelo pela Minha obra. Vocês estão constantemente em movimento, sobrecarregando o corpo e atormentando o cérebro pelo bem da sua carne, e por seus filhos e filhas — no entanto, nenhum de vocês demonstra qualquer preocupação ou cuidado com a Minha vontade. O que é que vocês ainda esperam ganhar de Mim?(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Muitos são chamados, mas poucos são escolhidos”). A palavra de Deus revelava meu estado exato. Eu sempre hesitava ao decidir entre riqueza e dever. Eu sempre queria garantir meus bens materiais antes de considerar despender-me por Deus. Vi que eu estava muito confuso em minha fé e que eu não me despendia sinceramente por Deus. Deus opera com todo Seu coração para salvar a humanidade e até dá Sua vida por nós. Mas eu nunca dediquei todo meu coração a Deus. Nunca entendi nem obedeci à Sua vontade. Para mim, riqueza era mais importante do que qualquer outra coisa. Vi que eu tinha sido muito egoísta! Lembrei-me de que o Senhor Jesus disse: “Pois que aproveita ao homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua vida? ou que dará o homem em troca da sua vida?(Mateus 16:26). Não importa quanto dinheiro eu ganhasse, quanta riqueza material eu desfrutasse ou quanta admiração ganhasse, se eu não ganhasse a verdade nem mudasse meu caráter corrupto, o que tudo isso valeria? Eu não pereceria mesmo assim? Nenhum dinheiro poderia salvar minha vida nem comprar uma chance de ser salvo. Lembrei-me de um empreendedor de fama mundial que tinha bens em nações no mundo inteiro e cujas empresas o enriqueciam a cada segundo. Ele era muito rico, viajava pelo mundo e desfrutava de uma vida de prazer material, mas por mais riqueza e bens que obtivesse, ele se sentia vazio. Ele não conseguia encontrar valor nem sentido na vida, por isso ele se matou pulando no oceano. Quanto mais buscamos riqueza e renome, mais nos sentimos espiritualmente aflitos e vazios, e, no fim, isso destrói a pessoa. Pensei em como eu costumava trabalhar sem parar o dia todo como uma máquina por dinheiro e renome e como eu tinha adoecido por causa disso. Eu não conseguia comer nem dormir direito e vivia em dor constante. Deus veio para fazer a obra de julgar o homem nos últimos dias, mas eu temia cair em pobreza e ser menosprezado. Eu não conseguia renunciar ao meu dinheiro. Não importava quanto dinheiro eu ganhasse, se eu perdesse a verdade e minha chance de ser salvo, que sentido todo esse dinheiro teria? Nos últimos dias, Deus encarnou para emitir verdade e fazer a obra de julgamento. Deus espera que mais pessoas se apresentem e espalhem Seu evangelho para que aqueles que anseiam por Sua aparição ouçam a Sua voz e retornem para diante Dele como o Criador. Deus espera ainda mais que nós sejamos purificados e transformados por meio da Sua obra e que, no fim, nós sejamos salvos por Ele. Mas eu não entendia a vontade urgente de Deus e me agarrava ao meu dinheiro. Eu era tão tolo e cego! O que eu devia fazer era renunciar a tudo para me despender por Deus e buscar a verdade. Isso é o que realmente importa. Eu ignorei a oposição veemente do meu sogro e transferi minha empresa para meu irmão.

Desde então, não me preocupo mais com o gerenciamento da empresa. O fardo e a pressão de todos esses anos desapareceram de repente, minha vida ganhou alguma regularidade e, aos poucos, mas milagrosamente, eu fui curado das várias doenças que tinham me atormentado. Isso foi a graça de Deus. Eu me juntei às fileiras dos obreiros evangelísticos e trabalhei em harmonia com os outros espalhando e testificando do evangelho do reino de Deus. Eu me senti tão realizado ao viver assim. Em experiências posteriores, por meio do julgamento e da exposição das palavras de Deus, vi claramente a raiz da minha incapacidade de renunciar à riqueza em minha fé. Deus Todo-Poderoso diz: “‘O dinheiro faz o mundo girar’ é uma filosofia de Satanás. Ela prevalece em meio à humanidade inteira, em cada sociedade humana; você poderia dizer que é uma tendência. Isso é porque ela foi incutida no coração de cada pessoa que a princípio não aceitava esse dito, mas então o aceitou tacitamente quando entrou em contato com a vida real e começou a sentir que essas palavras eram de fato verdadeiras. Isso não é um processo de Satanás corromper o homem? […] Satanás usa o dinheiro para tentar as pessoas e as corrompe para que adorem dinheiro e venerem coisas materiais. E como essa adoração do dinheiro se manifesta nas pessoas? Vocês acham que não poderiam sobreviver neste mundo sem nenhum dinheiro, que mesmo um só dia sem dinheiro seria impossível? O status das pessoas está baseado em quanto dinheiro elas têm, e o mesmo vale para o respeito que exigem. As costas do pobre estão curvadas de vergonha, enquanto os ricos desfrutam do seu status elevado. Eles assumem uma postura ereta e altiva, falam alto e vivem com arrogância. O que esse ditado e essa tendência trazem às pessoas? Não é verdade que muitas pessoas fazem qualquer sacrifício na busca de dinheiro? Muitas pessoas não perdem sua dignidade e integridade na busca de mais dinheiro? Muitas pessoas não perdem a oportunidade de cumprir seu dever e seguir a Deus por causa do dinheiro? Perder a chance de ganharem a verdade e serem salvas não é a maior de todas as perdas para as pessoas? Satanás não é sinistro ao usar esse método e esse ditado para corromper o homem a tal ponto? Esse não é um ardil malicioso? […] Então, você consegue sentir quando é enganado e corrompido por Satanás? Não consegue. Se você não pode ver Satanás de pé bem na sua frente nem sentir que é Satanás que atua nas sombras, você é capaz de enxergar a maldade de Satanás? Você pode saber como Satanás corrompe a humanidade? Satanás corrompe o homem em todos os momentos e em todos os lugares. Satanás torna impossível que o homem se defenda contra essa corrupção e faz com que o homem seja impotente contra ela. Satanás faz com que você aceite seus pensamentos, seus pontos de vista e as coisas más que advêm dele em situações em que você não está ciente e quando você não reconhece o que está acontecendo com você. As pessoas aceitam essas coisas e não fazem nenhuma exceção a elas. Elas as estimam e se agarram a elas como a um tesouro; elas deixam essas coisas manipulá-las e brincar com elas; é assim que as pessoas vivem sob o poder de Satanás e, inconscientemente, obedecem a Satanás, e a corrupção do homem por Satanás se torna cada vez mais profunda(A Palavra, vol. 2: Sobre conhecer a Deus, “O Próprio Deus, o Único V”). A palavra de Deus revelava a sociedade como ela é hoje e meu estado verdadeiro. Desde a infância, venenos satânicos como “o dinheiro move o mundo”, “uma pessoa com dinheiro é mais alta do que uma pessoa sem dinheiro”, “dinheiro não é tudo, mas, sem ele, você não consegue fazer nada”, tinham me influenciado e me levado a valorizar dinheiro mais do que qualquer outra coisa. Eles me levaram a pensar que ter dinheiro era tudo, que, se você tivesse dinheiro, você poderia viver em tranquilidade material e andar de cabeça erguida, que você seria apoiado, respeitado e elogiado para onde quer que fosse, e que isso era um jeito digno de viver que valia a pena. Eu achava que, sem dinheiro, as pessoas o desrespeitariam e criticariam, portanto, em minha opinião, dinheiro era o objetivo que mais valia a pena a ser buscado. No início, eu quebrava a cabeça para encontrar jeitos de ganhar dinheiro e conquistar clientes, usando bajulação e inverdades adocicadas, sem jamais descansar. Isso me deixou cansado, exausto e até doente. Eu não conseguia descansar nem por um dia, e, como resultado, meu corpo ficou destruído. Eu tive todos os tipos de problemas de estômago e na coluna inteira que me causou tanta dor que eu não conseguia dormir nem comer direito. Mas mesmo nessa condição, eu continuei trabalhando para ganhar dinheiro. Eu vivia segundo o código de sobrevivência de Satanás e me tornei egoísta e ganancioso. Tornei-me escravo do dinheiro. Satanás usou dinheiro e renome para me corromper totalmente. Eu ser capaz de desistir da empresa e do dinheiro para cumprir um dever foi o resultado do esclarecimento e da orientação da palavra de Deus. Sou muito grato a Deus por me salvar. Devo aproveitar essa oportunidade rara e cumprir meu dever para retribuir o amor de Deus.

Depois disso, li algumas passagens da palavra de Deus que me motivaram bastante. Deus diz: “Como alguém que é normal e que busca o amor a Deus, a entrada no reino para se tornar integrante do povo de Deus é o verdadeiro futuro de vocês e é uma vida de valor e importância máximos; ninguém é mais abençoado do que vocês. Por que digo isso? Porque aqueles que não creem em Deus vivem para a carne, e vivem para Satanás, mas hoje vocês vivem para Deus e vivem para fazer a vontade de Deus. É por isso que Eu digo que a vida de vocês é de máxima importância(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Conheça a mais nova obra de Deus e siga os Seus passos”). “Neste momento, cada dia que vocês vivem é crucial e é de suma importância para o seu destino e sua sina, assim, vocês devem apreciar tudo que vocês têm hoje e valorizar cada minuto que passa. Devem conseguir o máximo de tempo possível para dar a si mesmos os maiores ganhos, para que não tenham vivido esta vida em vão(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “A quem você é leal?”). A palavra de Deus me mostrou com clareza ainda maior que minha escolha de desistir do negócio, de seguir a Deus e de cumprir um dever é a senda certa na vida e que isso é o jeito mais significativo e digno de viver. Hoje, sei finalmente que fé e dever são naturais e certos e que eles são as missões da vida de uma pessoa. A jeito mais digno e significativo de viver é obedecer à vontade de Deus, e Ele abençoará e comemorará isso mais do que qualquer outra coisa. Não existem muitas chances de buscar a verdade em meu dever agora. Devo aproveitar cada dia, ler mais a palavra de Deus, pregar o evangelho e trabalhar muito para retribuir o amor de Deus e consolar Seu coração no tempo que me resta.

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

Depois da morte do meu filho

Por Wang Li, China Um dia, em junho de 2014, minha filha me ligou inesperadamente e disse que meu filho tinha levado um choque elétrico...

Leave a Reply

Conecte-se conosco no Messenger