Enfrentando doença novamente

20 de Janeiro de 2022

Por Yang Yi, China

Comecei a crer no Senhor Jesus em 1995. Depois de me converter, uma doença cardíaca, que tinha me atormentado por anos, se resolveu milagrosamente. Eu era tão grata ao Senhor e dava esmolas com frequência. Três anos depois, recebi uma bênção ainda maior de Deus quando aceitei a obra de Deus Todo-Poderoso nos últimos dias e acolhi o retorno do Senhor. Por meio da leitura das palavras de Deus, descobri como Deus expressa a verdade e faz a obra de julgamento nos últimos dias para purificar e salvar a humanidade, guiando as pessoas para um destino lindo. Pensei: Devo me despender, sofrer, fazer sacrifícios e praticar boas obras para Deus se eu quiser Suas bençãos e alcançar um bom destino. Então comecei a espalhar o evangelho e a servir como anfitriã de vez em quando e dava tudo para fazer o que podia. Até doava qualquer dinheiro extra a irmãos que viviam em adversidade. Certa vez, enquanto espalhava o evangelho, fui presa pela polícia, torturada e até condenada à prisão. Mesmo assim, nunca traí a Deus, nunca fui um judas. Achei que tinha feito tantas boas obras e que Deus certamente me abençoaria. Então, em 2018, minha doença cardíaca de 20 anos atrás reapareceu, e eu tive hipertensão e fui internada duas vezes. Pensei: Não importa o que aconteça, não posso me queixar. Deveria me submeter aos arranjos e orquestrações de Deus. Para minha surpresa, depois de apenas duas semanas, eu me recuperei e recebi alta do hospital. Eu estava profundamente grata a Deus. Pensei que, já que não tinha me queixado a despeito de adoecer e até continuei a cumprir meu dever após receber alta, eu era realmente leal e obediente a Deus.

Então, em fevereiro de 2019, do nada, minha doença cardíaca e hipertensão voltaram. Muito pior do que antes. Logo depois, fui diagnosticada com diabetes e estava com uma hérnia de disco muito séria. Não podia cuidar de mim mesma — tinha de comer deitada, e precisava que minha nora me carregasse até o banheiro. Ficava deitada o dia todo e mal tinha forças para falar ou piscar os olhos. Certa noite, minha condição piorou de repente e meu peito doeu tanto que eu tinha medo até de respirar — como se tudo terminaria se eu respirasse. A dor durou cerca de meia hora, e achei que poderia morrer a qualquer momento. A dor era muito grande, e eu pensei: “estou tão doente que mal tenho forças para piscar os olhos — será o fim? Se eu morrer, como entrarei no reino? Jamais compartilharei das bênçãos do reino nem vislumbrarei sua paisagem deslumbrante. Está tudo acabado para mim?”. Quanto mais refletia, pior me sentia. Orei, mas não consegui entender a intenção de Deus. Com o passar do tempo, a agonia implacável da doença me fez perder a vontade de viver. Mas eu também sabia que morrer não era a intenção de Deus para mim. Sem saber o que fazer, inconscientemente comecei a fazer exigências a Deus: “Quando vou melhorar? Todas as irmãs da minha idade que conheço são mais saudáveis do que eu, mas eu não me despendi nem contribuí menos do que elas. Dei tanto para Deus, Gastei pouco para poder doar aos irmãos necessitados. Cumpri ativamente cada dever que pude. Mesmo quando fui detida, presa e sofri tanto, nunca neguei nem traí a Deus. Eu não fiz boas obras suficientes? Por que Deus não me abençoa, me protege e me dá um corpo forte?”. Eu estava me queixando o tempo todo e meu coração estava nas trevas.

Mais tarde, só quando meu coração começou a doer ainda mais, eu vim para diante de Deus para orar e buscar. Orei a Deus, dizendo: “Ó Deus, meu problema cardíaco de repente piorou. Não entendo Tua intenção e não sei como devo experimentar isso. Amado Deus, não quero me rebelar nem me opor a Ti. Por favor, esclarece-me e guia-me para que eu possa aprender com essa experiência”. Depois de orar, uma passagem da palavra de Deus me veio à mente: “Como se deve experimentar o início de uma doença? Você deve vir para diante de Deus para orar e buscar entender Sua vontade e examinar o que, exatamente, você fez de errado ou quais caracteres corruptos estão dentro de você que você não consegue resolver. Você não pode resolver seus caracteres corruptos sem dor. As pessoas devem ser temperadas pela dor; somente então deixarão de ser dissolutas e viverão diante de Deus a todo momento. Quando confrontadas com sofrimento, as pessoas vão sempre orar. Não pensarão em comida, roupa ou diversão; vão orar, em seu coração, e examinar se fizeram algo de errado durante esse tempo. Na maioria das vezes, quando as pessoas são acometidas de uma doença séria ou alguma enfermidade incomum, e ela lhe causa grande dor, essas coisas não acontecem por acaso; esteja você doente ou saudável, a vontade de Deus está por trás de tudo” (‘Veja todas as coisas através dos olhos da verdade’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”). Depois de ponderar sobre as palavras de Deus, eu entendi Sua intenção mais claramente. Deus não estava usando essa doença para tirar minha vida, nem estava me fazendo sofrer sem razão. A doença era Seu jeito de expor meu caráter corrupto e de me ensinar um lição — era a maneira de Deus de me salvar. Eu não deveria entender Deus errado nem culpá-Lo; deveria refletir sobre mim mesma.

Algumas passagens da palavra de Deus me ajudaram a entender melhor meu estado na época. “Quantos creem em Mim apenas para que Eu possa curá-los. Quantos creem em Mim apenas para que Eu possa usar Meus poderes para expulsar espíritos impuros de seu corpo e quantos creem em Mim simplesmente para que possam receber paz e alegria de Mim. Quantos creem em Mim apenas para exigir de Mim maior riqueza material. Quantos creem em Mim apenas para passar esta vida em paz e estar sãos e salvos no mundo por vir. Quantos creem em Mim para evitar o sofrimento do inferno e receber as bênçãos do céu. Quantos creem em Mim apenas em busca de conforto temporário, mas não buscam ganhar nada no mundo por vir. Quando Eu fiz descer Minha fúria sobre o homem e tomei toda a alegria e paz que ele outrora possuía, o homem se tornou duvidoso. Quando Eu dei ao homem o sofrimento do inferno e recuperei as bênçãos do céu, a vergonha do homem se transformou em raiva. Quando o homem Me pediu para curá-lo, Eu não lhe dei atenção e senti repulsa por ele; o homem apartou-se de Mim para buscar, ao contrário, a senda do curandeirismo e da feitiçaria. Quando Eu tirei tudo que o homem tinha exigido de Mim, todos desapareceram sem deixar vestígios. Assim, Eu digo que o homem tem fé em Mim porque Eu concedo graça demais e há muitíssimo mais a ganhar” (‘O que você sabe sobre a fé?’ em “A Palavra manifesta em carne”). “O relacionamento do homem com Deus é meramente de um interesse próprio nu e cru. É um relacionamento entre um receptor e um doador de bênçãos. Para colocar de forma mais clara, é semelhante ao relacionamento entre empregado e empregador. O empregado trabalha apenas para receber as recompensas concedidas pelo empregador. Não há afeto em tal relacionamento, apenas transação. Não há amar nem ser amado, apenas caridade e misericórdia. Não há entendimento, apenas indignação suprimida e engano. Não há intimidade, apenas um abismo intransponível” (‘O homem só pode ser salvo em meio ao gerenciamento de Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”). “Eu sempre medi o homem com um padrão muito rigoroso. Se sua lealdade vem com intenções e condições, então Eu prefiro não ter nada da sua suposta lealdade, porque abomino aqueles que Me enganam por meio de suas intenções e Me extorquem com condições. Eu só desejo que o homem seja absolutamente leal a Mim e que faça todas as coisas pelo bem de — e para provar — uma palavra: fé” (‘Você é um verdadeiro crente em Deus?’ em “A Palavra manifesta em carne”). As palavras de julgamento de Deus cortaram meu coração como uma faca afiada. Senti tanta vergonha e, imediatamente, caí em mim. Comecei a refletir sobre mim mesma — qual tinha sido meu objetivo em todos meus anos de crença? Lembrei-me de como, após me converter, eu ajudava sempre que via meus irmãos em adversidade, cumpria quaisquer deveres na igreja da melhor forma possível, e mesmo detida, presa e torturada pelo PCCh, nunca traí a Deus. Achava que tinha realmente feito muitas boas obras. Mas por meio da revelação das palavras de Deus e da exposição por meio dos fatos, percebi que eu não tinha me despendido nem dado para me submeter e satisfazer a Deus, mas para ganhar Sua graça e bênçãos, preservar um corpo saudável e alcançar um bom destino. Então, quando fiquei doente pela primeira vez, pensei que, já que tinha me despendido tanto por Deus, Ele não me deixaria morrer e assim não O culpei. Na segunda vez, quando meu estado piorou ainda mais e eu não pude cuidar de mim mesma, enquanto lutava com sofrimento prolongado e a ameaça da morte, percebi que minhas chances de ganhar as bênçãos do reino dos céus eram pequenas e me arrependi de ter me despendido no passado. Até usei sacrifícios passados e dispêndios para discutir e argumentar com Deus. Eu estava negociando, enganando e usando Deus — estava muito longe de realmente me despender por Ele! Refleti sobre por que eu tinha sido tão insensata. Como revelaram as palavras de Deus, eu tinha a ideia equivocada de que, por ter me despendido e dado para Deus, Deus deveria me abençoar e me dar um corpo saudável e um bom destino, como no mundo secular, onde se considera justo compensar com base no trabalho prestado. Eu via meu sofrimento e sacrifícios como capital que eu poderia usar para trocar com Deus por um bom destino, e quando não recebi, meu coração se encheu de acusação e protesto. Eu era tão insensata! Deus é santo e justo — Ele quer que nós demos com sinceridade. Mas eu, com meus motivos desprezíveis, queria fazer um trato com Deus. Estava enganando e resistindo a Ele. Se não me arrependesse logo, Deus Se enojaria comigo e me eliminaria.

Orei a Deus e busquei entender a fonte do problema por meio das palavras de Deus. Mais tarde, li duas passagens das palavras de Deus. Deus Todo-Poderoso diz: “Todos os humanos corruptos vivem para si mesmos. Cada um por si e o diabo pega quem fica por último — esse é o resumo da natureza do homem. As pessoas creem em Deus por causa de si mesmas; abandonam coisas, despendem-se para Deus e são fiéis a Deus, mas ainda assim fazem todas essas coisas para si mesmas. Em suma, tudo é feito para o propósito de ganhar bênçãos para si mesmas. Na sociedade, tudo é feito pelo benefício pessoal; crer em Deus é algo que se faz apenas para ganhar bênçãos. É para ganhar bênçãos que as pessoas se desfazem de tudo e conseguem suportar muito sofrimento: tudo isso é evidência empírica da natureza corrupta do homem” (‘A diferença entre mudanças externas e mudanças no caráter’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”). “Quanto ao que é o veneno de Satanás, isso pode ser completamente expresso em palavras. Por exemplo, se você pergunta: ‘Como as pessoas devem viver? Para quê devem vier?’ as pessoas responderão: ‘É cada um por si e o diabo pega quem fica por último’. Esse simples provérbio expressa a raiz exata do problema. A filosofia de Satanás se tornou a vida das pessoas. Não importa o que as pessoas busquem, elas o fazem para si mesmas — e assim só vivem para si mesmas ‘É cada um por si e o diabo pega quem fica por último’ — isso é a vida e a filosofia do homem e representa também a natureza humana. Essas palavras de Satanás são precisamente o veneno de Satanás e, quando as pessoas o internalizam, ele se torna a natureza delas. A natureza de Satanás é exposta por meio dessas palavras; elas o representam completamente. Esse veneno se torna a vida das pessoas bem como o fundamento de sua existência, e a humanidade corrupta tem sido constantemente dominada por esse veneno por milhares de anos” (‘Como trilhar a senda de Pedro’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”). As palavras de Deus revelaram a essência real da minha natureza. A razão pela qual eu fazia transação com Deus, O enganava e usava era porque eu tinha sido corrompida por Satanás. Meus pensamentos e noções tinham sido influenciados pelos venenos de Satanás. Eu vivia de acordo com a lógica e princípios satânicos como: “Cada um por si e o demônio pega quem fica por último” e “Nunca fique em desvantagem”, agindo sempre por interesse próprio e despendendo-se por Deus apenas para fazer um trato com Ele. Eu estava sempre querendo receber algo de Deus e trocar meus pequenos dispêndios pelas bênçãos de Deus. Eu vivia segundo o veneno de Satanás e era egoísta, baixa e só buscava ganho pessoal. Quando não recebia bênçãos ou benefícios, eu até culpava Deus. Eu não tinha um pingo de humanidade! Pensei em como, a fim de salvar a humanidade, Deus, em Sua primeira encarnação, tinha sofrido a crucificação para redimir toda a humanidade e, em sua segunda encarnação, veio para o país do grande dragão vermelho e foi perseguido pelo PCCh e condenado e rejeitado pelo mundo religioso. Deus suportou enorme sofrimento e humilhação e ainda expressou a verdade para nos regar e suprir. Deus nunca pediu que déssemos algo para Ele, mas sempre Se despendeu silenciosamente pela humanidade. Quanto a mim, eu não pensava em retribuir o amor de Deus e até exigi que Deus me desse Suas bênçãos e um bom destino. Quando não recebi o que queria, eu culpei Deus. Onde estava minha consciência? Eu mal era digna de ser chamada humana, muito menos merecia entrar no reino de Deus. Depois de perceber tudo isso, eu odiei a mim mesma e também me senti muito grata a Deus. Se não tivesse adoecido, ficado de cama e sentido a ameaça da morte, eu nunca teria refletido sobre mim mesma e teria continuado trilhando a mesma senda equivocada, teria sido abandonada e expulsa por Deus, sem mesmo saber o que tinha acontecido. Deus Se compadeceu e não me deixou seguir aquela senda equivocada, Ele usou o julgamento e castigo de Suas palavras e o refinamento da doença para me despertar e fazer com que eu refletisse sobre mim mesma e me voltasse para Deus. Tudo isso era parte da salvação de Deus e de Seu amor por mim. Fiquei muito comovida e orei a Deus: “Amado Deus! Vejo agora que essa doença faz parte da Tua salvação e do Teu amor por mim. Estou disposta a me submeter. Somente por meio desse julgamento, castigo, provação e refinamento consigo identificar meus motivos errados como uma crente e começar a mudar meu caráter corrupto. Estou disposta a mudar minhas buscas e noções errantes e cumprir meu dever como uma criatura de Deus”.

Mais tarde, vi esta passagem das palavras de Deus: “Não há correlação entre o dever do homem e se ele é abençoado ou amaldiçoado. O dever é o que o homem deve cumprir; é sua vocação providencial, e não deveria depender de recompensa, condições ou razões. Só então ele está fazendo o seu dever. Ser abençoado é quando alguém é aperfeiçoado e desfruta das bênçãos de Deus após experimentar julgamento. Ser amaldiçoado é quando o caráter de alguém não muda depois de ter experimentado castigo e julgamento, é quando não experimenta ser aperfeiçoado, mas, sim, punido. Mas, independentemente de ser abençoados ou amaldiçoados, os seres criados devem cumprir seu dever, fazer o que devem fazer e fazer o que são capazes de fazer; isso é o mínimo que uma pessoa, uma pessoa que busca a Deus, deveria fazer. Você não deve fazer o seu dever apenas para ser abençoado e não deve se recusar a agir por medo de ser amaldiçoado. Deixe-Me dizer-lhes uma coisa só: o desempenho do homem de seu dever é o que ele deve fazer e, se ele é incapaz de desempenhar seu dever, então isso é a sua rebeldia” (‘A diferença entre o ministério de Deus encarnado e o dever do homem’ em “A Palavra manifesta em carne”). Agora entendo — sou um ser criado. Doar e me despender por Deus é certo e correto, é meu dever. Não deveria fazer exigências a Deus, mas eu, com meus motivos desprezíveis, queria que Deus me desse bênçãos e um bom destino em troca de meus dispêndios. Eu era tão insensata. Deus me deu vida — não importa se Ele me deu ou não um corpo saudável e um bom destino, ainda assim devo seguir a Deus e me despender por Ele em meus deveres, assim como uma criança deve sempre respeitar seus pais, independentemente de como os pais a tratem e se pode ou não herdar uma propriedade. Pois isso são responsabilidades e deveres. Embora ainda não tivesse me recuperado e me sentisse horrível, deixei de entender Deus errado e de culpá-Lo. Não importava se me recuperasse ou não, eu estava disposta a me submeter aos arranjos e orquestrações de Deus.

O que é uma boa obra e que tipo de despender-se e doar ganhará o elogio de Deus, no passado, eu sempre julgava isso com base em minhas próprias noções e imaginações, mas isso não se conforma à vontade de Deus. Mais tarde, só após encontrar um padrão de julgamento nas palavras de Deus, eu adquiri clareza sobre o que constitui uma boa obra. As palavras de Deus dizem: “Qual é o critério pelo qual os feitos de uma pessoa são julgados como sendo bons ou maus? Depende de, em seus pensamentos, expressões e ações, você possuir o testemunho de pôr a verdade em prática ou não e de você viver a realidade da verdade. Se não tiver essa realidade ou não a viver, então sem dúvida você é um malfeitor. Como Deus vê os malfeitores? Seus pensamentos e atos externos não dão testemunho de Deus, tampouco envergonham nem derrotam Satanás; em vez disso, envergonham a Deus e estão repletos de marcas que fazem Deus ficar envergonhado. Você não está testificando de Deus, não está se despendendo por Deus, nem está cumprindo sua responsabilidade e suas obrigações em relação a Deus; em vez disso, está agindo para o próprio bem. Qual é a implicação de ‘para o próprio bem’? Para Satanás. Por isso, no fim, Deus dirá: ‘Apartai-vos de Mim, vós que praticais a iniquidade’. Aos olhos de Deus, você não fez boas ações; mas, ao contrário, seu comportamento se tornou maligno. Em vez de receber a aprovação de Deus, você será condenado. O que alguém com tal crença em Deus busca ganhar? Tal crença não seria em vão no final?” (‘Dê seu real coração a Deus e você poderá obter a verdade’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”). “Já que tem certeza de que esse caminho é verdadeiro, você precisa segui-lo até o fim; você precisa manter sua devoção a Deus. Uma vez que já viu que o Próprio Deus veio à terra para aperfeiçoá-lo, você deveria entregar seu coração inteiramente a Ele. Se você ainda pode segui-Lo não importa o que Ele faça, mesmo se Ele determina um desfecho desfavorável para você no fim, isso é manter sua pureza diante de Deus. Oferecer um corpo espiritual santo e uma virgem pura para Deus significa guardar um coração sincero diante de Deus. Para a humanidade, sinceridade é pureza e a capacidade de ser sincero para com Deus é manter a pureza” (‘Você deveria manter sua devoção a Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”). Depois de ler as palavras de Deus, eu entendi que Deus quer que as pessoas sejam sinceras, que se sacrifiquem por Deus sem pedir nada em troca e pratiquem a verdade e deem testemunho de Deus em nossos deveres. É isso que significa boas obras. Eu tinha um entendimento distorcido das boas obras. Pensava que, contanto que me despendesse, sofresse e fizesse sacrifícios, eu estaria acumulando boas obras e Deus Se lembraria. Então lembrei de como, na Era da Graça, o Senhor Jesus tinha elogiado a pobre viúva que fez uma oferta. Para a maioria, pareceu que ela tinha doado apenas algumas moedas sem muito valor, mas Deus não Se importa com o quanto as pessoas doam, Ele Se importa com sua intenção. A viúva tinha fé genuína em Deus — não estava tentando fazer um trato ou uma troca, por isso ganhou o elogio de Deus. Eu tinha me despendido e doado muitas, muitas vezes mais do que a viúva tinha dado, por que, então, Deus não me elogiou? Deus não estava enojado com meus dispêndios, Ele estava enojado com meus motivos astutos e minha enganação. Eu não estava sendo sincera com Deus; minha doação era transacional e impura. Não importava o quanto desse dessa forma, nunca seria considerado uma boa obra. Depois de perceber a vontade de Deus, orei a Ele, dizendo que, não importava se eu me recuperasse ou não ou se tivesse um bom destino, ainda assim eu me despenderia sinceramente por Deus para retribuir o Seu amor. Mais tarde, minha hérnia de disco não melhorou e minha doença cardíaca ficava retornando, mas minha doença não me restringia mais e eu não era mais reprimida por meu desejo de bênçãos — pude comer e beber regularmente as palavras de Deus, participar de reuniões e cumprir meu dever da melhor maneira possível.

Tive a oportunidade de aceitar a obra de Deus nos últimos dias e tive a boa fortuna de ouvir a voz de Deus — tudo isso foi Deus abrindo uma exceção para me exaltar. Por meio da exposição e do julgamento das palavras de Deus, entendi como eu tinha sido tão corrompida por Satanás que eu mal parecia um ser humano. Somente agora ganhei alguma razão e obediência diante de Deus. Agora que passei por essas mudanças, mesmo que eu morra, eu não terei vivido em vão. Quando abri mão do meu desejo de bênçãos e parei de ser impedida por minha doença, me senti muito mais fundamentada. Mais tarde, não busquei tratamento para minha doença, mesmo assim melhorei aos poucos. Agora consigo ficar sentada e escrever num computador e tenho praticado escrever artigos para dar testemunho de Deus. Consigo cuidar de mim mesma agora. Agradeço a Deus do fundo do meu coração por usar minha doença para me ensinar uma lição e me mostrar Sua salvação e Seu amor por mim. Lembrei-me de uma passagem das palavras de Deus. “Em sua crença em Deus, o que as pessoas buscam é obter bênçãos para o futuro; esse é o objetivo delas em sua fé. Todas as pessoas têm essa intenção e essa esperança, mas a corrupção na natureza delas deve ser resolvida por meio de provações. Em quaisquer aspectos que você não esteja purificado, esses são os aspectos nos quais você deve ser refinado — esse é o arranjo de Deus. Deus cria um ambiente para você, forçando-o a ser refinado ali para que você possa conhecer a sua própria corrupção. No fim, você chega a um ponto no qual preferiria morrer e desistir de seus esquemas e desejos, e se submeter à soberania e ao arranjo de Deus. Portanto, se não têm vários anos de refinamento, se não suportam certa quantidade de sofrimento, as pessoas não serão capazes de se livrar do cativeiro da corrupção da carne em seus pensamentos e em seu coração. Em quaisquer aspectos que você ainda esteja sujeito ao cativeiro de Satanás, em quaisquer aspectos que você ainda tenha desejos próprios e exigências próprias, esses são os aspectos nos quais você deveria sofrer. Só por meio do sofrimento as lições podem ser aprendidas, lições essas que significam ser capaz de ganhar a verdade e entender a vontade de Deus” (‘Como se deve satisfazer a Deus em meio a provações’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”).

O alarme dos últimos dias já tocou e grandes desastres já começaram. Você quer dar as boas-vindas ao retorno do Senhor e ter a chance de receber a proteção de Deus com sua família?

Conteúdo relacionado

Não temo mais o poder

Por Xiaohan, China Em fevereiro, a irmã Wang, uma líder de igreja, trouxe a irmã Song para a reunião do meu grupo e a apresentou como uma...

Em meio à provação da morte

Por Xingdao, Coreia do SulDeus Todo-Poderoso diz: “Deus veio operar na terra para salvar a humanidade corrupta — não há falsidade nisso;...

Entre em contato conosco pelo WhatsApp