Por que a obra de Deus dos últimos dias é feita na China e não em Israel?

05 de Maio de 2018

Versos da Bíblia para referência:

“Mas desde o nascente do sol até o poente é grande entre as nações o meu nome, […] diz Jeová dos exércitos” (Malaquias 1:11).

“Porque, assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até o ocidente, assim será também a vinda do Filho do homem. Onde houver um cadáver, aí se reunirão os abutres. O retorno de Cristo em glória” (Mateus 24:27-28).

Palavras de Deus relevantes:

Um estágio da obra das duas eras passadas aconteceu em Israel; outro, na Judeia. De modo geral, nenhum estágio dessa obra saiu de Israel, e cada um deles foi realizado em meio ao povo escolhido inicialmente. Como resultado, os israelitas acreditam que Deus Jeová é Deus somente dos israelitas. Por causa da obra de Jesus na Judeia, onde Ele consumou a obra da crucificação, os judeus consideram-No o Redentor do povo judeu. Para eles, Ele é Rei unicamente dos judeus, não de qualquer outro povo; Ele não é o Senhor que redime os ingleses, nem o Senhor que redime os americanos, mas é o Senhor que redime os israelitas; e foram os judeus quem Ele redimiu em Israel. Na verdade, Deus é o Mestre de todas as coisas. Ele é o Deus de toda a criação. Ele não é o Deus somente dos israelitas, nem somente dos judeus; Ele é o Deus de toda a criação. Os dois estágios anteriores de Sua obra aconteceram em Israel, o que gerou certas concepções nas pessoas. Elas acreditam que Jeová realizou Sua obra em Israel, que o próprio Jesus realizou a Sua obra na Judeia e, além disso, que Ele se encarnou para realizar a obra — e, seja como for, a obra não se estendeu para além de Israel. Deus não operou nos egípcios nem nos indianos; Ele só operou nos israelitas. As pessoas formam, então, várias concepções e delineiam a obra de Deus dentro de determinado escopo. Elas dizem que, quando Deus opera, Ele o deve fazer em meio ao povo escolhido e em Israel; exceto pelos israelitas, Deus não opera em mais ninguém, nem há qualquer escopo maior de Sua obra. Elas são particularmente rigorosas quando se trata de manter o Deus encarnado “na linha”, não permitindo que Ele vá além das fronteiras de Israel. Ora, não são todas estas apenas concepções humanas? Deus fez os céus, a terra e todas as coisas, além de toda a criação; como Ele poderia restringir Sua obra apenas a Israel? Se assim fosse, qual seria o objetivo de toda a Sua criação? Ele criou o mundo todo e realizou o Seu plano de gestão de seis mil anos não apenas em Israel, mas também em cada pessoa do universo. Independentemente de viverem na China, nos Estados Unidos, no Reino Unido ou na Rússia, todas as pessoas descendem de Adão; todas foram feitas por Deus. Nenhuma delas pode escapar dos vínculos da criação e nenhuma delas pode se desvincular do rótulo de “descendente de Adão”. Todas elas são criaturas de Deus, todas são progenitura de Adão, e todas são os descendentes corruptos de Adão e Eva. Não são só os israelitas que são criação de Deus, mas todas as pessoas; no entanto, algumas foram amaldiçoadas, e outras foram abençoadas. Há muitas coisas agradáveis em relação aos israelitas; Deus operou neles no início por serem o povo menos corrompido. Os chineses nem se comparam a eles; são muito inferiores. Portanto, Deus operou inicialmente em meio ao povo de Israel, e o segundo estágio de Sua obra só foi realizado na Judeia — o que gerou muitas concepções e regras em meio aos homens. Na realidade, se fosse agir de acordo com as concepções humanas, Deus seria somente o Deus dos israelitas e, assim, seria incapaz de estender Sua obra às nações gentias porque seria apenas o Deus dos israelitas, e não o Deus de toda a criação. As profecias dizem que o nome de Jeová seria magnificado em meio às nações gentias e que ele seria propagado às nações gentias. Por que isso foi profetizado? Se Deus fosse somente Deus dos israelitas, Ele só operaria em Israel. Além disso, Ele não propagaria esta obra e não faria tal profecia. Uma vez que, de fato, fez esta profecia, Ele certamente estenderá Sua obra às nações gentias, a toda nação e a todas as terras. Já que declarou isso, Ele deve cumprir; este é o Seu plano, pois Ele é o Senhor que criou os céus, a terra e todas as coisas, e o Deus de toda a criação. Independentemente de Ele operar em meio aos israelitas ou por toda a Judeia, a obra que Ele faz é a obra de todo o universo e de toda a humanidade. A obra que Ele faz hoje na nação do grande dragão vermelho — numa nação gentia — ainda é a obra de toda a humanidade. Israel pôde ser a base de Sua obra na terra; semelhantemente, a China também pode ser a base de Sua obra em meio às nações gentias. Ele não cumpriu agora a profecia de que “o nome de Jeová será magnificado em meio às nações gentias”? O primeiro passo de Sua obra em meio às nações gentias é esta obra, a obra que Ele faz na nação do grande dragão vermelho.

Extraído de ‘Deus é o Senhor de toda a criação’ em “A Palavra manifesta em carne

Se o Salvador chegasse durante estes últimos dias, se Ele ainda fosse chamado de Jesus e uma vez mais nascesse na Judeia e lá fizesse a Sua obra, então isso provaria que Eu somente criei o povo de Israel e somente redimi o povo de Israel e que Eu nada tenho a ver com os gentios. Isso não contradiria as Minhas palavras de que “Eu sou o Senhor que criou os céus e a terra e todas as coisas”? Eu deixei a Judeia e faço Minha obra entre os gentios porque não sou simplesmente o Deus do povo de Israel, mas o Deus de todas as criaturas. Eu apareço entre os gentios durante os últimos dias porque não sou somente Jeová, o Deus do povo de Israel, mas, além disso, porque Eu sou o Criador de todos os Meus escolhidos dentre os gentios. Eu não só criei Israel, o Egito e o Líbano, mas todas as nações gentias além de Israel. Por isso, Eu sou o Senhor de todas as criaturas. Eu meramente usei Israel como ponto de partida para Minha obra, usei a Judeia e a Galileia como fortalezas de Minha obra redentora e agora uso as nações gentias como base a partir da qual encerrarei toda a era. Realizei dois estágios de obra em Israel (os dois estágios da obra da Era da Lei e da Era da Graça) e tenho realizado dois outros estágios de obra (a Era da Graça e a Era do Reino) pelas terras além de Israel. Dentre as nações gentias, farei a obra de conquista e assim concluirei a era.

Extraído de ‘O Salvador já voltou sobre uma “nuvem branca”’ em “A Palavra manifesta em carne”

A obra de Jeová foi a criação do mundo, foi o início; este estágio da obra é o fim e a conclusão da obra. No início, a obra de Deus foi realizada entre os escolhidos de Israel e ela foi o alvorecer de uma nova época no mais santo de todos os lugares. O último estágio da obra é realizado no mais impuro de todos os países, para julgar o mundo e levar ao fim da era. No primeiro estágio, a obra de Deus foi feita no mais brilhante de todos os lugares, enquanto o último estágio é realizado no mais tenebroso de todos os lugares, e essas trevas serão expulsas, a luz surgirá e todo o povo conquistado. Quando as pessoas deste lugar mais impuro e mais tenebroso de todos tiverem sido conquistadas e toda a população tiver reconhecido que existe um Deus, que é o verdadeiro Deus, quando cada pessoa tiver sido totalmente convencida, esse fato será utilizado para realizar a obra de conquista em todo o universo. Este estágio da obra é simbólico: uma vez concluída a obra desta era, a obra de seis mil anos de gerenciamento chegará a um fim completo. Uma vez que aqueles que estão no mais tenebroso de todos os lugares tiverem sido conquistados, é evidente que também será assim em todos os outros lugares. Como tal, apenas a obra de conquista na China carrega um simbolismo significativo. A China incorpora todas as forças das trevas, e o povo da China representa todos aqueles que são da carne, de Satanás e de carne e sangue. O povo chinês foi o mais corrompido pelo grande dragão vermelho, que tem a mais forte oposição a Deus, cuja humanidade é mais baixa e impura e, por isso, ele é o arquétipo de toda a humanidade corrupta. Isso não quer dizer que os outros países não tenham problema nenhum; as noções do homem são todas iguais e, embora as pessoas desses países possam ser de bom calibre, se não conhecem a Deus, então devem se opor a Ele. Por que os judeus também se opuseram e desafiaram a Deus? Por que os fariseus também se opuseram a Ele? Por que Judas traiu Jesus? Na época, muitos dos discípulos não conheciam Jesus. Por que, depois que Jesus foi crucificado e ressuscitou, as pessoas ainda não acreditaram Nele? A desobediência do homem não é toda igual? É só que as pessoas da China são utilizadas como exemplo, e quando elas forem conquistadas, se tornarão exemplo e modelo e servirão de referência para os outros. Por que Eu sempre disse que vocês são um adjunto do Meu plano de gerenciamento? É nas pessoas da China que a corrupção, a impureza, a injustiça, a oposição e a rebeldia se manifestam mais completamente e se revelam em todas as suas variadas formas. Por um lado, elas são de baixo calibre e, por outro, sua vida e mentalidade são atrasadas, e seus hábitos, ambiente social, família de nascimento — todos são baixos e os mais atrasados. Seu status também é baixo. A obra é simbólica neste lugar, e após esta obra de teste ter sido realizada em sua totalidade, a obra subsequente de Deus será muito melhor. Se este estágio da obra puder ser concluído, então a obra subsequente, nem é preciso dizer. Uma vez que esta etapa da obra tiver sido realizada, um grande êxito terá sido plenamente alcançado, e a obra de conquista por todo o universo terá chegado totalmente ao fim. De fato, assim que a obra entre vocês tiver sido bem-sucedida, isso será equivalente a um sucesso em todo o universo. Essa é a importância do porquê faço vocês servirem de modelos e exemplos. Rebelião, oposição, impureza, injustiça — tudo isso é encontrado nessas pessoas, e nelas está representada toda a rebeldia da humanidade. Elas são realmente demais. Assim, elas são apresentadas como o epítome da conquista e, uma vez conquistadas, se tornarão, naturalmente, exemplo e modelo para as outras pessoas.

Extraído de ‘A visão da obra de Deus (2)’ em “A Palavra manifesta em carne”

Deus fez deste grupo de pessoas o único foco de Sua obra em todo o universo. Ele sacrificou todo o sangue de Seu coração por vocês; Ele reivindicou e lhes entregou toda a obra do Espírito em todo o universo. É por isso que digo que vocês são os afortunados. Além disso, Ele transferiu Sua glória de Israel, Seu povo escolhido, para vocês, e Ele tornará o propósito do Seu plano plenamente manifestado por meio deste grupo. Portanto, vocês são os que receberão a herança de Deus e, ainda mais que isso, vocês são os herdeiros da glória de Deus. Talvez todos vocês se lembrem destas palavras: “Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós cada vez mais abundantemente um eterno peso de glória”. Vocês todos ouviram essas palavras antes, mas nenhum de vocês entendeu o seu sentido real. Hoje, vocês estão profundamente conscientes de seu verdadeiro significado. Essas palavras serão cumpridas por Deus durante os últimos dias, e elas serão cumpridas naqueles que foram brutalmente perseguidos pelo grande dragão vermelho na terra na qual ele repousa enrolado. O grande dragão vermelho persegue a Deus e é inimigo Dele, e assim, nesta terra, aqueles que creem em Deus são assim sujeitos à humilhação e à opressão, e as palavras de Deus são cumpridas em vocês, este grupo de pessoas, como resultado. Por ter sido iniciada em uma terra que se opõe a Deus, toda a obra de Deus enfrenta obstáculos tremendos, e o cumprimento de muitas de Suas palavras leva tempo; assim, as pessoas são refinadas como resultado das palavras de Deus, o que também é parte do sofrimento. É tremendamente difícil para Deus realizar a Sua obra na terra do grande dragão vermelho — mas é por meio dessa dificuldade que Deus realiza um estágio da Sua obra, tornando manifestas Sua sabedoria e Seus feitos maravilhosos, e usando esta oportunidade para completar este grupo de pessoas. É por meio do sofrimento das pessoas, por meio do seu calibre e por meio de todos os caracteres satânicos das pessoas desta terra imunda que Deus realiza a Sua obra de purificação e conquista, para que, a partir daí, Ele possa ganhar glória, e para que Ele possa ganhar aqueles que darão testemunho de Seus feitos. Tal é o significado inteiro de todos os sacrifícios que Deus fez por este grupo de pessoas. Ou seja, é através daqueles que se opõem a Ele que Deus faz a obra de conquista, e somente assim o grande poder de Deus pode se tornar manifesto. Em outras palavras, somente aqueles na terra impura são dignos de herdar a glória de Deus, e somente isso pode salientar o grande poder de Deus. Por isso é que digo que é da terra impura e daqueles que vivem nela que a glória de Deus é ganha. Tal é a vontade de Deus. O estágio da obra de Jesus foi o mesmo: Ele só podia ser glorificado entre os fariseus que O perseguiam; se não fosse pela perseguição dos fariseus e pela traição de Judas, Jesus não teria sido ridicularizado nem caluniado, muito menos crucificado, e assim não poderia ter ganhado glória. Onde Deus opera em cada era, e onde Ele realiza Sua obra na carne, é onde Ele ganha glória e onde ganha aqueles que pretende ganhar. Esse é o plano da obra de Deus, é o Seu gerenciamento.

No plano de Deus de vários milhares de anos, duas partes da obra são realizadas na carne: primeiro vem a obra da crucificação, pela qual Ele é glorificado; a outra é a obra de conquista e aperfeiçoamento nos últimos dias, pela qual Ele é glorificado. Esse é o gerenciamento de Deus. Por isso, não considerem a obra de Deus, ou a comissão que Deus outorga a vocês, como uma questão simples. Vocês são todos herdeiros do mais excessivo e eterno peso de glória de Deus, e isso foi especialmente ordenado por Ele. Das duas partes de Sua glória, uma é manifesta em vocês; a totalidade de uma parte da glória de Deus lhes foi concedida, para que possa ser a sua herança. Essa é a forma como Deus exalta vocês, e também é o plano que Ele predeterminou muito tempo atrás. Dada a grandeza da obra que Deus realizou na terra em que o grande dragão vermelho habita, se essa obra tivesse sido deslocada para outro lugar, há muito tempo ela teria gerado grandes frutos e teria sido prontamente aceita pelo homem. Além disso, essa obra seria bem mais fácil de aceitar para aqueles clérigos do Ocidente que creem em Deus, pois a etapa da obra realizada por Jesus serve como precedente. É por isso que Deus é incapaz de alcançar essa etapa da obra de glorificação em qualquer outro lugar; sendo amparada pelas pessoas e reconhecida pelas nações, ela não pode se estabelecer. Essa é precisamente a significação extraordinária que tal etapa da obra encerra nesta terra.

Extraído de ‘A obra de Deus é tão simples quanto o homem imagina?’ em “A Palavra manifesta em carne”

Em muitos lugares, Deus profetizou que Ele ganhará um grupo de vencedores na terra de Sinim. Já que é no Oriente do mundo que os vencedores devem ser ganhos, o local em que Deus finca o pé em Sua segunda encarnação é sem dúvida a terra de Sinim, o local exato em que o grande dragão vermelho descansa enrolado. Lá, Deus ganhará os descendentes do grande dragão vermelho para que ele seja completamente derrotado e envergonhado. Deus vai despertar essas pessoas, cujo fardo de sofrimento é tão pesado, vai acordá-las até que estejam completamente sem sono e fazê-las sair do nevoeiro e rejeitar o grande dragão vermelho. Elas despertarão de seu sonho, reconhecerão o grande dragão vermelho pelo que ele realmente é, se tornarão capazes de entregar seu coração inteiro a Deus, se insurgirão contra a opressão das forças das trevas, se levantarão no Oriente do mundo e se tornarão prova da vitória de Deus. Só dessa maneira Deus ganhará glória. Por essa razão unicamente, Deus trouxe a obra que chegou ao fim em Israel para a terra onde o grande dragão vermelho descansa enrolado e, quase dois mil anos depois de partir, encarnou novamente para continuar a obra da Era da Graça. Ao olho nu do homem, Deus está inaugurando uma nova obra na carne. Mas do ponto de vista de Deus, Ele está continuando a obra da Era da Graça, mas só depois de um interregno de alguns milhares de anos, e somente com uma alteração no local e no programa de Sua obra.

Extraído de ‘Obra e entrada (6)’ em “A Palavra manifesta em carne”

Não importa se você é norte-americano, britânico ou de qualquer outra nacionalidade, você deveria ultrapassar as restrições de sua própria nacionalidade, transcendendo a si mesmo, e ver a obra de Deus pela perspectiva de um ser criado. Dessa forma, você não irá impor limitações às pegadas de Deus. Isso ocorre porque hoje, muitos imaginam ser impossível que Deus apareça em determinada nação ou entre um certo povo. Quão profundo é o significado da obra de Deus e como é importante a aparição de Deus! Como as noções e os pensamentos do homem podem avaliá-los? Portanto, digo que você deveria romper com suas noções de nacionalidade e etnia de modo a poder buscar a aparição de Deus. Somente assim você não ficará limitado às próprias noções; somente dessa forma você estará qualificado para acolher a aparição de Deus. Do contrário, você permanecerá na escuridão eterna e não ganhará nunca a aprovação de Deus.

Deus é o Deus de toda a raça humana. Ele não Se considera propriedade privada de nenhuma nação ou povo, mas vai realizando Sua obra como planejou, livre de restrições impostas por qualquer forma, nação ou povo. Talvez você nunca tenha imaginado essa forma, ou talvez sua atitude para com essa forma seja de negação, ou talvez a nação em que Deus Se revele e o povo entre o qual o faça sejam simplesmente discriminados por todos e aconteça de simplesmente eles serem os mais retrógrados da terra. No entanto, Deus tem Sua sabedoria. Com Seu grande poder e por meio de Sua verdade e Seu caráter, Ele verdadeiramente ganhou um grupo de pessoas que são de uma só mente com Ele, e um grupo de pessoas que Ele desejou tornar completo — um grupo conquistado por Ele, que, tendo enfrentado toda sorte de provações e tribulações e todo tipo de perseguição, é capaz de segui-Lo até o fim. O objetivo da aparição de Deus, livre das restrições de qualquer forma ou nação, é permitir que Ele possa completar a obra como a planejou. Isso é igual a quando Deus Se tornou carne na Judeia; Seu objetivo era completar a obra da crucificação para redimir toda a raça humana. No entanto, os judeus acreditavam que era impossível para Deus fazer isso, achavam impossível que Deus pudesse Se tornar carne e assumir a forma do Senhor Jesus. O “impossível” deles tornou-se a base na qual condenaram Deus e se opuseram a Ele e, por fim, levou à destruição de Israel. Muitas pessoas, hoje, cometeram um erro semelhante. Elas proclamam com todas as forças a aparição iminente de Deus, mas, ao mesmo tempo, condenam Sua aparição; o “impossível” delas mais uma vez restringe a aparição de Deus aos limites da imaginação delas. E assim tenho visto muitas pessoas caírem na risada ao se depararem com as palavras de Deus. Mas tal riso é de algum modo diferente da condenação e blasfêmia dos judeus? Vocês não são reverentes na presença da verdade, muito menos sua atitude é de anseio pela verdade. Tudo que fazem é examinar negligentemente e esperar com uma despreocupação displicente. O que vocês podem ganhar por examinar e aguardar assim? Acham que vão receber orientação pessoal de Deus? Se você não é capaz de discernir as declarações de Deus, como pode estar qualificado para testemunhar a aparição de Deus? Onde quer que Deus apareça, ali a verdade é expressada, e ali estará a voz de Deus. Apenas os que são capazes de aceitar a verdade podem ouvir a voz de Deus e apenas tais pessoas estão qualificadas para testemunhar a aparição de Deus. Deixe de lado suas noções! Aquiete-se e leia estas palavras cuidadosamente. Se você anseia pela verdade, Deus o iluminará e você entenderá Sua vontade e Suas palavras. Deixem de lado suas opiniões sobre o “impossível”! Quanto mais as pessoas acreditam que algo é impossível, mais provável é que isso ocorra, pois a sabedoria de Deus se eleva acima dos céus, os pensamentos de Deus são mais elevados que os pensamentos do homem e a obra de Deus transcende os limites do pensamento e das noções do homem. Quanto mais algo for impossível, mais há verdade para ser buscada; quanto mais algo estiver além das noções e da imaginação do homem, mais irá conter a vontade de Deus. Pois onde quer que Deus Se revele, Deus ainda é Deus e Sua substância nunca mudará por conta do local ou modo de Sua aparição. O caráter de Deus continua o mesmo, onde quer que estejam Suas pegadas; não importa onde estejam as pegadas de Deus, Ele é o Deus de toda a humanidade, assim como o Senhor Jesus não é apenas o Deus dos israelitas, mas é também o Deus de todos os povos da Ásia, Europa e América e, mais ainda, é o único Deus em todo o universo. Vamos então buscar a vontade de Deus, descobrir Sua aparição em Suas declarações e manter o ritmo de Seus passos! Deus é o caminho, a verdade e a vida. Suas palavras e Sua aparição existem simultaneamente, e Seu caráter e pegadas estão abertos para a humanidade o tempo todo. Caros irmãos e irmãs, espero que vocês possam ver a aparição de Deus nestas palavras, que comecem a seguir Seus passos à medida que caminham adiante rumo a uma nova era e entrem no lindo e novo céu e na linda e nova terra que Deus preparou para aqueles que aguardam Sua aparição.

Extraído de ‘A aparição de Deus inaugurou uma nova era’ em “A Palavra manifesta em carne”

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.

Conteúdo relacionado

As diferenças entre o caminho do arrependimento na Era da Graça e o caminho da vida eterna nos últimos dias

As palavras proferidas por Deus nesta era são diferentes daquelas proferidas durante a Era da Lei e, assim, também diferem das palavras proferidas durante a Era da Graça. Na Era da Graça, Deus não fez a obra da palavra, mas simplesmente descreveu a crucificação a fim de redimir toda a humanidade. A Bíblia apenas descreve porque Jesus deveria ser crucificado, os sofrimentos a que Ele foi submetido na cruz, e como o homem deveria ser crucificado por Deus. Durante aquela era, toda a obra feita por Deus centrou-se em torno da crucificação. Durante a Era do Reino, Deus encarnado profere palavras para conquistar todos aqueles que Nele creem. Esta é “a Palavra que aparece na carne”; Deus veio durante os últimos dias para fazer esta obra, o que significa dizer que Ele veio para realizar o real significado da Palavra que aparece na carne.

As diferenças essenciais entre a salvação na Era da Graça e a salvação na Era do Reino

Na Era da Graça, Jesus fez uma boa quantidade desse tipo de obra, como curar enfermidades, expulsar demônios, impor as mãos sobre o homem para orar pelo homem e abençoar o homem. No entanto, agir assim novamente não teria sentido nos dias atuais. O Espírito Santo operou dessa maneira naquele tempo, pois era a Era da Graça, e havia graça suficiente para o homem desfrutar. Não lhe foi pedido qualquer tipo de pagamento e enquanto ele tivesse fé, ele receberia a graça. Todos foram tratados com muita gentileza. Agora, a era mudou e a obra de Deus progrediu ainda mais; é por meio de Seu castigo e julgamento que a rebeldia do homem e as coisas impuras dentro do homem serão purificadas.

As diferenças entre a vida da igreja na Era da Graça e na Era do Reino

Sempre que se congregam, essas pessoas religiosas perguntam: “Irmã, como tem passado esses dias?”. Ela responde: “Sinto-me em dívida com Deus e incapaz de satisfazer o desejo de Seu coração”. Outra diz: “Também eu estou em dívida com Deus e sou incapaz de satisfazê-Lo”. Essas poucas frases e palavras em si expressam as coisas vis que existem no fundo do coração dessas pessoas. São as palavras mais repulsivas, extremamente repugnantes. A natureza desses homens opõe-se a Deus. Aqueles que se concentram na realidade comunicam o que quer que tenham no coração e se abrem na comunicação. Não há um único exercício falso, nem cortesias nem cordialidades vazias. Eles são sempre francos e não observam regras terrenais.

O que Deus promete àqueles que alcançaram a salvação e àqueles que foram aperfeiçoados

Imagine que você seja capaz de trabalhar para Deus, mas não obedeça a Deus e não consiga amar a Deus autenticamente. Desse modo, você não só não terá cumprido o dever de uma criatura de Deus, como também será condenado por Deus porque é alguém que não possui a verdade, que é incapaz de obedecer a Deus e que é desobediente a Deus. Você só se interessa em trabalhar para Deus e não tem interesse em pôr a verdade em prática nem em conhecer-se. Você não compreende nem conhece o Criador, não obedece nem ama o Criador. Você é alguém inerentemente desobediente a Deus, e pessoas assim não são prezadas pelo Criador.