Aplicativo da Igreja de Deus Todo-Poderoso

Ouça a voz de Deus e dê as boas vindas ao retorno do Senhor Jesus!

Convidamos a todos os buscadores da verdade que entrem em contato conosco.

Qual é a diferença entre a vida da igreja na Era da Graça e a vida da igreja na Era do Reino?

0

3. Qual é a diferença entre a vida da igreja na Era da Graça e a vida da igreja na Era do Reino?

Versos da Bíblia para referência:

“Enquanto comiam, Jesus tomou o pão e, abençoando-o, o partiu e o deu aos discípulos, dizendo: Tomai, comei; isto é o meu corpo. E tomando um cálice, rendeu graças e deu-lho, dizendo: Bebei dele todos; pois isto é o meu sangue, o sangue do pacto, o qual é derramado por muitos para remissão dos pecados” (Mateus 26:26-28).

E fui ter com o anjo e lhe pedi que me desse o livrinho. Disse-me ele: Toma-o, e come-o; ele fará amargo o teu ventre, mas na tua boca será doce como mel” (Apocalipse 10:9).

Palavras de Deus relevantes:

Quando, na Era da Graça, Deus retornou ao terceiro céu, a obra de Deus para redimir toda a humanidade já havia entrado em seu ato final. Tudo o que restou na terra foi a cruz que Jesus carregou, o linho fino em que Jesus estava envolto e a coroa de espinhos e o manto escarlate que Jesus vestiu (esses foram os objetos que os judeus usaram para zombar Dele). Ou seja, a obra da crucificação de Jesus provocou um tumulto durante algum tempo e depois as coisas se acalmaram. A partir de então os discípulos de Jesus começaram a levar Sua obra adiante, pastoreando e regando nas igrejas por toda a parte. O conteúdo da obra deles era este: fazer com que todas as pessoas se arrependessem, admitissem seus pecados e fossem batizadas; os apóstolos espalhavam a história confidencial da crucificação de Jesus e o que realmente aconteceu, todos caíam irresistivelmente diante de Jesus para admitir seus pecados; além disso, os apóstolos espalhavam por toda parte as palavras que Jesus disse e as leis e mandamentos que Ele estabeleceu. A partir de então começou a construção de igrejas na Era da Graça. […] Aquele tipo de obra e aquelas palavras persistem até hoje, e é por isso que o que ainda se compartilha nas igrejas religiosas atualmente é aquele tipo de coisa, completamente inalterado.

de ‘Obra e entrada (6)’ em “A Palavra manifesta em carne”

Toda a obra feita pelo homem é a execução de sua obrigação como ser criado e é feita quando movida ou esclarecida pelo Espírito Santo. A direção que tais homens proveem é a de como praticar na vida diária do homem e como o homem deveria agir em harmonia com a vontade de Deus. […] era a de mostrar o caminho. Seja o caminho novo ou antigo, a obra foi feita com base em não exceder os princípios da Bíblia. Se as igrejas locais foram restauradas ou construídas, a obra deles foi a de estabelecer igrejas. A obra que fizeram deu continuidade à obra que Jesus e Seus apóstolos não tinham terminado ou desenvolveram ainda mais na Era da Graça. O que fizeram em sua obra foi restaurar o que Jesus havia pedido das gerações seguintes em Sua obra, tal como manter suas cabeças cobertas, batismo, partir o pão ou tomar o vinho. Poder-se-ia dizer que a sua obra era meramente manter a Bíblia e buscar caminhos somente dentro da Bíblia. Eles não progrediram em nada. Portanto, pode-se ver na obra deles apenas a descoberta de novos caminhos dentro da Bíblia, assim como uma prática melhor e mais realista. Mas não se pode achar a vontade de Deus para o presente na obra deles, muito menos encontrar a nova obra que Deus fará nos últimos dias. Isto ocorre porque o caminho que trilharam ainda era antigo; não houve qualquer progresso nem algo novo. Eles continuaram a preservar o fato da “crucificação de Jesus”, a prática de “pedir às pessoas que se arrependam e confessem seus pecados”, o dito que “aquele que perseverar até o fim será salvo”, e o dito que “o homem é o cabeça da mulher” e que “a mulher deve obedecer ao seu marido”. Além disso, eles mantiveram a concepção tradicional de que “as irmãs não podem pregar e só podem obedecer”.

de ‘O mistério da encarnação (1)’ em “A Palavra manifesta em carne”

O que vocês dizem é obsoleto! Está ascendendo ao trono ou preparando a estatura de se tornar rei; negando o eu ou subjugando o corpo; sendo paciente ou aprendendo lições de todas as coisas; humildade ou amor. Isso não é entoar a mesma velha melodia? Não passa de chamar a mesma coisa por um nome diferente! Seria cobrir a cabeça e partir o pão, impor as mãos e orar e curar os enfermos e expulsar os demônios. Poderia haver alguma obra nova? Poderia haver alguma perspectiva de desenvolvimento?

de ‘Sobre denominações e identidade’ em “A Palavra manifesta em carne”

Pastores e líderes do mundo religioso, por exemplo, confiam em seus dons e posições para realizar sua obra. As pessoas que os seguem por muito tempo acabam infectadas por seus dons e influenciadas por parte do que eles são. Eles se concentram nos dons, habilidades e conhecimento das pessoas e dão atenção a algumas coisas sobrenaturais e a várias doutrinas irrealistas profundas (essas doutrinas profundas são obviamente inatingíveis). Não se concentram em mudar o caráter das pessoas, mas sim em treinar as habilidades de pregação e trabalho delas, aprimorando o conhecimento das pessoas e ricas doutrinas religiosas. Não se concentram em até que ponto o caráter das pessoas mudou ou até que ponto as pessoas entendem a verdade. Não se preocupam com a substância das pessoas, muito menos tentam conhecer os estados normais e anormais delas. Não contradizem ou revelam as noções das pessoas, muito menos corrigem as deficiências ou corrupções delas. A maioria daqueles que os seguem servem através de seus dons naturais e o que eles expressam é conhecimento e verdade religiosa vaga, que não têm relação com a realidade e são totalmente incapazes de dar vida às pessoas.

de ‘A obra de Deus e a obra do homem’ em “A Palavra manifesta em carne”

Sempre que se congregam, essas pessoas religiosas perguntam: “Irmã, como tem passado esses dias?” Ela responde: “Sinto-me em dívida com Deus e incapaz de satisfazer o desejo de Seu coração”. Outra diz: “Também eu estou em dívida com Deus e sou incapaz de satisfazê-Lo.” Essas poucas frases e palavras em si expressam as coisas vis que existem no fundo do coração dessas pessoas. São as palavras mais repulsivas, extremamente repugnantes. A natureza desses homens opõe-se a Deus. Aqueles que se concentram na realidade comunicam o que quer que tenham no coração e se abrem na comunicação. Não há um único exercício falso, nem cortesias nem cordialidades vazias. Eles são sempre francos e não observam regras terrenais. Existem aqueles que são propensos à exibição, mesmo que ela não faça sentido. Quando outro homem canta, ele começa a dançar, sem sequer se dar conta de que o arroz na sua panela já se queimou. Homens desse tipo não são devotos nem respeitáveis, além de ser frívolos ao extremo. Todas essas são manifestações da falta de realidade. Algumas pessoas reúnem-se para conversar sobre as questões da vida no espírito e, ainda que não falem na dívida com Deus, elas guardam amor autêntico por Ele no coração. A dívida que você tem com Deus não tem nada a ver com outras pessoas; você está em dívida com Deus, não com o homem. Então, de que adianta você falar disso para outros o tempo inteiro? Você deve atribuir importância a entrar na realidade, não ao zelo aparente ou à exibição.

de ‘Crer em Deus deve focalizar a realidade, não rituais religiosos’ em “A Palavra manifesta em carne”

A maioria das pessoas põe ênfase especial no comportamento em sua crença em Deus e, como resultado disso, ocorrem mudanças em seu comportamento. Depois de acreditar em Deus, elas param de brigar com os outros, elas param de brigar com as pessoas e insultá-las, elas param de fumar e beber, elas não roubam nenhum bem público – nem que seja só um prego ou uma tábua de madeira – e elas chegam ao ponto de não ir aos tribunais quando sofrem perdas ou são injustiçadas. Sem dúvida, algumas mudanças ocorrem em seu comportamento. Porque, depois de acreditar em Deus, aceitar o verdadeiro caminho faz com que elas se sintam especialmente bem e por terem também provado a graça da obra do Espírito Santo, elas são particularmente fervorosas, não havendo nada que elas não possam abandonar ou fazer. No entanto, depois de ter acreditado por três, cinco, dez ou trinta anos – porque não houve mudança em seu caráter de vida –, no final elas retornam à velha maneira de ser, sua arrogância e soberba crescem e elas começam a lutar por poder e lucro, cobiçam o dinheiro da igreja, fazem tudo o que serve aos seus interesses, anseiam por status e prazeres e tornam-se parasitas da casa de Deus. A maioria dos líderes, em particular, está abandonada. E o que esses fatos provam? Mudanças em nada mais do que comportamento são insustentáveis. Se não houver alteração no caráter da vida das pessoas, mais cedo ou mais tarde o lado maligno delas irá se revelar.

de ‘A diferença entre mudanças externas e mudanças no caráter’ em “Registros das falas de Cristo”

Para seguir a Deus é essencial tudo estar de acordo com as atuais palavras de Deus: quer você procure a entrada na vida ou a satisfação da vontade de Deus, tudo deve estar centrado nas atuais palavras de Deus. Se aquilo em que você comunga e o que você persegue não está centrado nas atuais palavras de Deus, você é estranho às palavras de Deus e totalmente privado da obra do Espírito Santo. Deus quer é pessoas que sigam Seus passos. Por mais maravilhoso e puro que seja aquilo que você compreendeu antes, Deus não o quer, e se você não for capaz de pôr tais coisas de lado, elas serão um enorme obstáculo à sua entrada no futuro. Todos aqueles capazes de seguir a luz atual do Espírito Santo são abençoados. […] “Seguir a obra do Espírito Santo” significa entender a vontade de Deus hoje, ser capaz de agir em conformidade com as atuais exigências de Deus, ser capaz de obedecer e seguir ao Deus de hoje e entrar em concordância com as afirmações mais recentes de Deus. Só alguém assim segue a obra do Espírito Santo e está na corrente do Espírito Santo. Tais pessoas podem não só receber elogios de Deus e ver a Deus como também conhecer o caráter de Deus com base na última obra Dele, bem como conhecer as concepções e a desobediência do homem e a natureza e a substância do homem também com base na última obra Dele; ademais, elas conseguem mudar o seu caráter gradualmente durante o serviço. Somente pessoas como essas são capazes de ganhar Deus e acharam realmente o verdadeiro caminho.

de ‘Conheça a mais nova obra de Deus e siga os passos de Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”

Se alguém consegue verdadeiramente entrar na realidade das palavras de Deus, das questões e das palavras exigidas por Ele, então ele será uma pessoa aperfeiçoada por Deus. Pode-se dizer que a obra e as palavras divinas são totalmente eficazes para esse indivíduo, que as palavras de Deus se tornam a vida dele, ele obtém a verdade e pode viver de acordo com as palavras Dele. Depois disso, a natureza de sua carne, isto é, os fundamentos da sua existência original irão se abalar e desmoronar. Após alguém ter as palavras de Deus como sua vida, ele se torna uma nova pessoa. As Palavras de Deus tornam-se a sua vida; a visão da obra divina, o que Ele requer do homem, Sua revelação do ser humano e os padrões para uma vida real que Deus exige que o homem alcance tornam-se sua vida – ele vive de acordo com essas palavras e verdades e esse indivíduo é aperfeiçoado pelas palavras de Deus. Ele vivencia o renascimento e se torna um novo homem através de Suas palavras.

de ‘Como seguir o caminho de Pedro’ em “Registros das falas de Cristo”

Depois de experimentar até certo ponto, as visões da pessoa sobre a vida, o significado da existência e o fundamento da existência se transformarão completamente. Isto é, você nascerá de novo e se tornará uma pessoa completamente diferente. Isso é incrível! É uma grande transformação; é uma transformação que põe tudo de cabeça para baixo. Você sentirá que fama, lucro, posição, riqueza, prazeres e glória do mundo não importam e que você é capaz de deixar isso tudo sem nenhum esforço. Essa é uma pessoa à semelhança de um ser humano. Aqueles que, no final, chegarem a ser completos serão um grupo como esse. Eles viverão pela verdade, por Deus e por justiça. Essa é a semelhança de uma pessoa.

de ‘Entendendo atributos compartilhados e diferenças na natureza humana’ em “Registros das falas de Cristo”