O ciclo de vida e morte dos seguidores de Deus

13 de Dezembro de 2018

Em seguida, vamos falar do ciclo de vida e morte daqueles que seguem a Deus. Isso diz respeito a vocês, então prestem atenção: primeiro, pensem em como os seguidores de Deus podem ser categorizados. (Os escolhidos de Deus e os servidores.) Há de fato duas categorias: os escolhidos de Deus e os servidores. Primeiro vamos falar sobre os escolhidos de Deus, dos quais existem apenas alguns. A que se referem os “escolhidos de Deus”? Depois que criou todas as coisas e a humanidade veio a existir, Deus selecionou um grupo de pessoas que O seguiriam; e essas são simplesmente chamadas de “os escolhidos de Deus”. Existiae um escopo e significado especial para a seleção dessas pessoas por Deus. O escopo é especial no sentido de que era limitada a alguns poucos seletos, que devem vir quando Ele fizer uma obra importante. E qual é a importância? Visto que eram um grupo selecionado por Deus, a importância é grande. Isto é, Deus deseja tornar essas pessoas completas e aperfeiçoá-las, e, uma vez que Sua obra de gerenciamento terminar, Ele ganhará essas pessoas. Essa importância não é grande? Assim, esses escolhidos são de grande importância para Deus, pois são aqueles que Deus pretende ganhar. Enquanto os servidores — bem, vamos tirar uma pausa por um momento do tema da predestinação de Deus e falar primeiro de suas origens. Um “servidor” é literalmente aquele que serve. Aqueles que servem são transitórios; eles não o fazem a longo prazo nem para sempre, mas são contratados ou recrutados temporariamente. A origem da maioria deles é que eles foram selecionados dentre os incrédulos. Eles vieram para a terra quando foi decretado que eles assumiriam o papel de servidores na obra de Deus. Eles podem ter sido animais em sua vida anterior, mas também podem ter sido incrédulos. Essas são as origens dos servidores.

Vamos falar mais sobre povo escolhido de Deus. Quando morre, ele vai para um local completamente diferente dos incrédulos e de várias pessoas de fé. É um lugar onde eles são acompanhados por anjos e mensageiros de Deus; é um lugar que é administrado pessoalmente por Deus. Embora o povo escolhido de Deus não seja capaz de contemplar a Deus com seus próprios olhos nesse lugar, ele é diferente de qualquer outro lugar no reino espiritual; esse é um local diferente, para onde essa parcela de pessoas vai depois de morrer. Quando morrem, elas também são submetidas a uma investigação rigorosa pelos mensageiros de Deus. E o que é investigado? Os mensageiros de Deus investigam as sendas que essas pessoas trilharam ao longo de sua vida em sua crença em Deus, para ver se elas alguma vez se opuseram a Deus ou não, ou se O amaldiçoaram durante esse tempo, e se cometeram ou não quaisquer pecados graves ou maldade. Essa investigação decidirá a a questão de se uma pessoa específica recebe a permissão de ficar ou se deve partir. A que se refere “partir”? E a que se refere “ficar”? “Sair” significa se, com base em seu comportamento, elas permanecem entre as fileiras dos escolhidos de Deus; ter a permissão de “ficar” significa que elas podem permanecer entre aquelas que serão completadas por Deus durante os últimos dias. Para aqueles que ficam, Deus tem arranjos especiais. Durante cada período de Sua obra, Ele enviará tais pessoas para atuar como apóstolos ou para realizar a obra de reavivar ou cuidar das igrejas. No entanto, as pessoas que são capazes de tal obra não reencarnam tão frequentemente quanto os incrédulos, que renascem geração após geração; em vez disso, elas são devolvidas à terra de acordo com as exigências e os passos da obra de Deus e não reencarnam com frequência. Então, há regras para quando elas reencarnam? Elas vêm uma vez a cada tantos anos? Elas vêm com tal frequência? Elas não vêm. Tudo isso se baseia na obra de Deus, nos seus passos e em Suas necessidades, e não há regras definidas. A única regra é que, quando Deus realizar o estágio final de Sua obra durante os últimos dias, todas essas pessoas escolhidas virão e essa vinda será sua última reencarnação. E por que isso? Isso se baseia no resultado a ser alcançado durante o último estágio da obra de Deus — pois durante esse último estágio da obra, Deus completará completamente esses escolhidos. O que isso significa? Se, durante essa fase final, essas pessoas forem completadas e aperfeiçoadas, então elas não reencarnarão como antes; seu processo de ser humano terá chegado a um final completo, assim como seu processo de reencarnação. Isso tem relação com aqueles que ficarão. Então, para onde irão aqueles que não podem ficar? Aqueles que não receberem a permissão de ficar terão seu próprio destino apropriado. Acima de tudo, como resultado dos seus malfeitos, dos erros que cometeram e dos pecados que cometeram, eles também serão punidos. Depois de terem sido punidos, Deus ou fará arranjos para enviá-los para o meio dos incrédulos de acordo com as circunstâncias ou arranjará que eles vão para o meio das várias pessoas de fé. Em outras palavras, há dois desfechos possíveis para eles: uma é serem punidos e, talvez, viverem entre as pessoas de determinada religião após reencarnarem, e a outra é tornar-se incrédulos. Se eles se tornarem incrédulos, perderão todas as oportunidades; no entanto, se eles se tornarem pessoas de fé — se, por exemplo, eles se tornarem cristãos — ainda terão a chance de retornar às fileiras do povo escolhido de Deus; existem aí relações muito complexas. Resumindo, se um dos escolhidos de Deus fizer algo que ofenda a Deus, ele será punido como todo mundo. Tomem Paulo, por exemplo, de quem falamos anteriormente. Paulo é um exemplo de uma pessoa que está sendo punida. Vocês têm ideia do que Eu estou falando? O escopo dos escolhidos de Deus é fixo? (É, em grande parte.) A maior parte é fixa, mas uma pequena parte dele não é fixa. Por quê? Aqui Eu Me referi à razão mais óbvia: cometer o mal. Quando as pessoas cometem o mal, Deus não as quer, e quando Deus não as quer, Ele as lança no meio de várias raças e tipos de pessoas. Isso os deixa sem esperança e dificulta seu retorno. Tudo isso tem relação com o ciclo de vida e morte dos escolhidos de Deus.

Esse próximo tema diz respeito ao ciclo de vida e morte dos servidores. Acabamos de falar sobre as origens dos servidores; isto é, sobre o fato de que eles reencarnaram depois de terem sido incrédulos e animais na sua vida anterior. Com a chegada do último estágio da obra, Deus selecionou dentre os incrédulos um grupo de tais pessoas, e esse grupo é especial. O objetivo de Deus ao escolher essas pessoas é que elas sirvam a Sua obra. “Serviço” não é uma palavra que soa muito elegante nem está alinhada com os desejos de todos, mas nós devemos ver a quem ela visa. A existência dos servidores de Deus tem um significado especial. Ninguém mais poderia desempenhar o seu papel, pois eles foram eleitos por Deus. E qual é o papel desses servidores? É servir aos escolhidos de Deus. Seu papel é, em grande parte, prestar serviço à obra de Deus, cooperar com ela e acomodar a conclusão dos Seus escolhidos. Independentemente de estarem trabalhando, realizando algum aspecto da obra ou executando certas tarefas, qual é a exigência de Deus a esses servidores? Ele é muito rigoroso em Suas exigências a elae? (Não, Deus só pede que sejam leais.) Os servidores também devem ser leais. Independentemente de sua origem ou do motivo pelo qual Deus escolheu você, você deve ser leal a Deus, a qualquer comissão que Deus lhe confia e ao trabalho pelo qual você é responsável e pelos deveres que você desempenha. Quando aos servidores que são capazes de ser leais e satisfazer a Deus, qual será seu desfecho? Eles poderão permanecer. É uma bênção ser um servidor que permanece? O que significa permanecer? Qual é o significado dessa bênção? Quanto ao status, eles não parecem semelhantes aos escolhidos de Deus; eles parecem ser diferentes. Mas, na verdade, o que eles desfrutam nesta vida não é o mesmo que os escolhidos de Deus? No mínimo, é o mesmo nesta vida. Vocês não negam isso, negam? As declarações de Deus, a graça de Deus, a provisão de Deus, as bênçãos de Deus — quem não desfruta dessas coisas? Todo mundo desfruta de tal abundância. A identidade de um servidor é a daquele que presta serviço, mas, para Deus, ele é um entre todas as coisas que Ele criou; é simplesmente que o papel dele é o de servidor. Sendo que ambos são criaturas de Deus, existe alguma diferença entre um servidor e um dos escolhidos de Deus? Efetivamente, não há. Nominalmente falando, há uma diferença; em substância e em termos do papel que desempenham, há uma diferença — mas Deus não trata esse grupo de pessoas injustamente. Então, por que essas pessoas são definidas como servidoras? Vocês devem ter algum entendimento disso! Os servidores vêm do meio dos incrédulos. Assim que mencionamos que eles vêm do meio dos incrédulos, fica evidente que eles compartilham de um passado ruim: eles são todos ateus e o foram também no passado; eles não criam em Deus e eram hostis a Ele, à verdade e a todas as coisas positivas. Eles não acreditavam em Deus nem em Sua existência. Assim, eles são capazes de entender as palavras de Deus? É justo dizer que, em grande medida, eles não são. Assim como os animais são incapazes de compreender as palavras humanas, os servidores não podem entender o que Deus está dizendo, o que Ele exige ou por que Ele faz tais exigências. Eles não entendem; essas coisas são incompreensíveis para eles, e eles permanecem não iluminados. Por essa razão, essas pessoas não possuem a vida da qual temos falado. Sem a vida, as pessoas podem entender a verdade? Elas estão equipadas com a verdade? Elas têm a experiência e o conhecimento das palavras de Deus? (Não.) Tais são as origens dos servidores. No entanto, já que Deus torna essas pessoas servidoras, ainda há padrões para as Suas exigências a elas; Ele não as despreza nem é superficial com elas. Embora elas não compreendam Suas palavras e não possuam a vida, Deus ainda as trata de forma amável e ainda há padrões quando se trata de Suas exigências a elas. Vocês acabaram de falar sobre esses padrões: ser leal a Deus e fazer o que Ele diz. Em seu serviço, você deve servir onde for necessário e deve servir até o fim. Se você puder ser um servidor leal, for capaz de servir até o fim e for capaz de cumprir a comissão confiada a você por Deus, então, você viverá uma vida de valor. Se puder fazer isso, você será capaz de permanecer. Se você fizer um pouco mais de esforço, se você se esforçar um pouquinho mais, conseguir dobrar seus esforços para conhecer Deus, puder falar um pouco sobre conhecer a Deus, puder dar testemunho Dele e, além disso, se você puder entender algo da Sua vontade, puder cooperar com a obra de Deus e for um tanto atento à vontade de Deus, então você, como servidor, experimentará uma mudança na sorte. E qual será essa mudança na sorte? Você não será mais simplesmente capaz de permanecer. Dependendo de sua conduta e suas aspirações pessoais e de suas buscas, Deus fará de você um dos escolhidos. Essa será sua mudança de sorte. Para os servidores, qual é a melhor coisa em relação a isso? É que eles podem se tornar um dos escolhidos de Deus. Se isso acontecer, isso significa que eles não reencarnarão mais como animais, como acontece com os incrédulos. Isso é bom? É, e é também uma boa notícia. Isso significa que servidores podem ser moldados. Não ocorre que, para um servidor, uma vez que Deus o tenha predestinado para servir, ele o fará para sempre; isso não é necessariamente assim. Deus lidará com ele e responderá a ele de uma maneira que condiga à conduta individual dessa pessoa.

No entanto, há servidores que são incapazes de servir até o fim; há aqueles que, durante o seu serviço, desistem no meio do caminho e abandonam a Deus, e há também pessoas que cometem múltiplas transgressões. Há até aqueles que causam um prejuízo tremendo e trazem perdas tremendas à obra de Deus, e há até mesmo servidores que amaldiçoam a Deus e assim por diante. O que indicam essas consequências irremediáveis? Qualquer ato maligno desse tipo significará o término de seu serviço. Porque sua conduta durante o seu serviço foi pobre demais e porque você foi longe demais, uma vez que Deus vê que seu serviço não está à altura do padrão, Ele o excluirá de sua elegibilidade para servir. Ele não permitirá mais que você sirva; Ele removerá você de diante dos Seus próprios olhos e da casa de Deus. Não é que você não quer servir? Você não está constantemente querendo fazer o mal? Você não é consistentemente infiel? Bem, há uma solução fácil: você será privado de sua elegibilidade para servir. Para Deus, privar um servidor de sua elegibilidade para servir significa que o fim desse servidor foi proclamado, e ele não será mais elegível para servir a Deus. Deus não precisará mais do serviço dessa pessoa e, não importando que coisas boas ela diga, essas palavras serão em vão. Quando as coisas chegarem a esse ponto, essa situação se tornará irremediável; servidores como esses não terão como voltar atrás. E como Deus lida com servidores como esses? Ele simplesmente os impede de servir? Não. Ele meramente impede que eles permaneçam? Ou Ele os coloca de lado e espera que eles deem meia-volta? Ele não faz isso. Na verdade, Deus não é tão amoroso quando se trata dos servidores. Se uma pessoa tem esse tipo de atitude em seu serviço a Deus, como resultado dessa atitude, Deus a privará de sua elegibilidade para servir e mais uma vez a lançará de volta para o meio dos incrédulos. E qual é o destino de um servidor que foi lançado de volta para o meio dos incrédulos? É o mesmo que o dos incrédulos: ele reencarnará como um animal e receberá a mesma punição dos incrédulos no mundo espiritual. Além disso, Deus não terá qualquer interesse pessoal na punição dessa pessoa, pois tal pessoa não tem mais qualquer relevância para a obra de Deus. Esse não é apenas o fim da sua vida de fé em Deus, mas também o fim do seu próprio destino, como também a proclamação do seu destino. Assim, se os servidores servirem mal, eles mesmos terão que suportar as consequências. Se um servidor é incapaz de servir até o fim ou é privado de sua elegibilidade para servir no meio do caminho, então ele será lançado para o meio dos incrédulos — e se isso acontecer, ele será tratado da mesma maneira como gado, da mesma forma com são tratadas as pessoas sem intelecto ou racionalidade. Quando Eu o coloco dessa forma, você consegue entender, sim?

O acima mencionado é como Deus maneja o ciclo de vida e morte dos Seus escolhidos e dos servidores. Depois de ouvirem isso, como vocês se sentem? Alguma vez Eu já falei sobre o tema dos escolhidos de Deus e dos servidores? Na verdade, Eu já falei, mas vocês não se lembram. Deus é justo em relação aos Seus escolhidos e aos servidores. Em todos os aspectos, Ele é justo. Estou certo? Existe algum lugar em que você possa encontrar falhas nisso? Não há pessoas que dirão: “Por que Deus é tão tolerante com os escolhidos? E por que Ele é apenas um pouquinho tolerante com os servidores?” Alguém quer defender os servidores? “Deus pode dar mais tempo aos servidores e ser mais paciente e tolerante com eles?” É correto articular tal pergunta? (Não, não é.) E por que não? (Porque, na verdade, já fomos favorecidos pelo mero ato de termos sido feitos servidores.) Os servidores realmente foram favorecidos simplesmente por terem permissão de servir! Sem o título de “servidores” e sem o trabalho que eles fazem, onde estariam essas pessoas? Estariam entre os incrédulos, vivendo e morrendo com o rebanho. De que grandes graças eles gozam hoje, tendo permissão de comparecer diante de Deus e de vir para a casa de Deus! Essa é uma graça tão tremenda! Se Deus não tivesse dado a você a oportunidade de servir, você nunca teria a chance de comparecer diante Dele. Para dizer o mínimo, mesmo que você seja um budista e alcançou a fruição, no máximo, você não passa de um serviçal no mundo espiritual; você nunca se encontrará com Deus, nem ouvirá a Sua voz nem as Suas palavras, nem sentirá o Seu amor por você nem Suas bênçãos, nem nunca poderá ficar face a face com Ele. As únicas coisas que os budistas têm diante deles são tarefas simples. Eles não podem conhecer a Deus, apenas acatam e obedecem, enquanto os servidores ganham muito durante este estágio da obra! Em primeiro lugar, eles são capazes ficar face a face com Deus, de ouvir Sua voz, de ouvir Suas palavras e experimentar as graças e bênçãos que Ele concede às pessoas. Além disso, eles são capazes de apreciar as palavras e as verdades concedidas por Deus. Os servidores verdadeiramente ganham tanto! Assim, se você, como servidor, não conseguir nem mesmo fazer um esforço apropriado, Deus ainda manterá você? Ele não pode manter você. Ele não pede muito de você, mas você não faz nada do que Ele pede de modo apropriado; você não aderiu ao seu dever. Assim, sem dúvida, Deus não pode manter você. Tal é o caráter justo de Deus. Deus não mima, mas também não discrimina você. Esses são os princípios pelos quais Deus age. Deus trata todas as pessoas e criaturas desse jeito.

Quando se trata do mundo espiritual, se os vários seres nele fizerem algo errado ou se não fizerem seu trabalho corretamente, Deus também tem os éditos e decretos celestiais correspondentes para lidar com eles; isso é absoluto. Portanto, durante a obra de gerenciamento de vários milhares de anos de Deus, alguns cumpridores de dever que cometeram transgressões foram exterminados, enquanto alguns — até o dia de hoje — ainda estão sendo detidos e punidos. É isso que deve ser enfrentado por cada ser no mundo espiritual. Se fizerem algo errado ou cometerem o mal, eles são punidos — e isso é igual à abordagem de Deus aos Seus escolhidos e os servidores. Assim, tanto no mundo espiritual como no mundo material, os princípios pelos quais Deus age não mudam. Não importa se você consiga ver ou não as ações de Deus, seus princípios não mudam. Durante o tempo todo, Deus teve os mesmos princípios em Sua abordagem a tudo e em Seu manejo de todas as coisas. Isso é imutável. Deus será amável para com aqueles entre os incrédulos que vivem de maneira relativamente correta e assegurará oportunidades para aqueles em cada religião que se comportarem bem e não praticarem o mal, permitindo-lhes desempenhar seu papel em todas as coisas gerenciadas por Deus e fazer o que devem fazer. Semelhantemente, entre os que seguem a Deus e entre Seu povo escolhido, Deus não discrimina ninguém de acordo com esses Seus princípios. Ele é amável para com todos que são capazes de segui-Lo sinceramente, e Ele ama a todos que sinceramente O seguem. É só que, para esses vários tipos de pessoas — os incrédulos, as várias pessoas de fé e os escolhidos de Deus — aquilo que Ele lhes concede varia. Veja os incrédulos, por exemplo: embora eles não acreditem em Deus e Deus os veja como animais, entre todas as coisas, cada um deles tem comida para comer, um lugar próprio e um ciclo normal de vida e morte. Aqueles que praticam o mal são punidos, e aqueles que fazem o bem são abençoados e recebem a bondade de Deus. Não é assim que é? Quanto às pessoas de fé, se forem capazes de cumprir rigorosamente os seus preceitos religiosos, renascimento após o renascimento, então, após todas essas reencarnações, Deus finalmente fará Sua proclamação a elas. Da mesma forma, para vocês hoje, estejam vocês entre os escolhidos de Deus ou entre os servidores, Deus também os alinhará e determinará o desfecho de vocês de acordo com os regulamentos e decretos administrativos que Ele estabeleceu. Entre esses tipos de pessoas, os diferentes tipos de pessoas de fé — isto é, aqueles que pertencem às várias religiões — Deus lhes deu espaço para viver? Onde estão os judeus? Deus interferiu em sua fé? Ele não interferiu, certo? E o que dizer dos cristãos? Ele tampouco interferiu neles. Ele lhes permite obedecer aos seus próprios procedimentos, Ele não fala com eles nem lhes dá qualquer esclarecimento e, além disso, não revela nada a eles. “Se você acha que está certo, então creia dessa maneira”. Os católicos acreditam em Maria, e foi por meio dela que as novas foram transmitidas a Jesus; tal é a sua forma de crer. Deus alguma vez corrigiu sua fé? Deus os deixa de rédea solta; Ele não lhes dá atenção e lhes concede certo espaço para viver. No que diz respeito aos muçulmanos e budistas, Ele não é igual? Ele também estabeleceu limites para eles e permite que eles tenham seu próprio espaço de vida, sem interferir em suas respectivas crenças. Tudo está bem-ordenado. E o que vocês veem em tudo isso? Que Deus possui autoridade, mas não abusa dela. Deus arranja todas as coisas em perfeita ordem e ele o faz de maneira ordenada, e nisso estão Sua sabedoria e onipotência.

Hoje, tocamos num tópico novo e especial, num tópico que diz respeito a assuntos do mundo espiritual, que representa um aspecto da administração e do domínio de Deus sobre aquele reino. Antes de entenderem essas coisas, vocês poderiam ter dito: “Tudo que tem a ver com isso é um mistério e nada tem, a ver com nossa entrada na vida; essas coisas estão dissociadas de como as pessoas realmente vivem, e nós não precisamos entendê-las nem desejamos ouvi-las. Eles não têm absolutamente nenhuma conexão com conhecer a Deus”. Agora, vocês acham que há um problema com esse tipo de pensamento? Ele está correto? (Não.) Esse pensamento não está correto e apresenta sérios problemas. A razão disso é que, se você desejar compreender como Deus governa sobre todas as coisas, você não pode simplesmente e apenas entender o que seu modo de pensar consegue compreender; você também deve entender um pouco do outro mundo, que pode ser invisível para você, mas que está inextricavelmente ligado a este mundo que você pode ver. Isso diz respeito à soberania de Deus e diz respeito ao tema “Deus é a fonte de vida para todas as coisas”. É informação sobre isso. Sem essa informação, haveria falhas e deficiências no conhecimento das pessoas a respeito de como Deus é a fonte de vida para todas as coisas. Assim, pode-se dizer que o que falamos hoje completou nossos tópicos anteriores, como concluiu também o conteúdo de “Deus é a fonte da vida para todas as coisas”. Tendo entendido isso, vocês são agora capazes de conhecer a Deus por meio desse conteúdo? E o mais importante é que, hoje, Eu passei para vocês uma informação muito crucial referente aos servidores. Eu sei que vocês realmente gostam de ouvir sobre tópicos como esse e que vocês realmente se importam com essas coisas. Portanto, vocês se sentem satisfeitos com o que Eu falei hoje? (Sim, estamos satisfeitos.) Algumas das outras coisas podem não ter deixado uma impressão muito forte em vocês, mas o que Eu tenho dito sobre os servidores causou uma impressão particularmente forte, pois esse tópico diz respeito à alma de cada um de vocês.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único X’ em “A Palavra manifesta em carne

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.

Conteúdo relacionado

O que é o mundo espiritual?

Quanto ao mundo material, sempre que as pessoas não entendem certas coisas ou fenômenos, elas podem procurar informações pertinentes ou...