O que está por trás de tentar ser original

01 de Agosto de 2022

Por Li Zhi, China

Em 2019, eu estava produzindo vídeos na igreja. Visto que eu tinha cumprido esse dever por muito tempo e tinha alguma experiência e habilidades, eu era eficiente nesse dever. Meus irmãos me tinham em alta estima, os irmãos de outro grupo me procuravam quando se deparavam com problemas, e, às vezes, até o supervisor me fazia perguntas técnicas. Tudo isso me deixava muito feliz. Eu achava que, embora não fosse necessariamente um perito nesse trabalho, entre os irmãos no meu grupo, eu era o melhor em termos de habilidades profissionais e achava que era um talento valioso.

Um dia, duas supervisoras recém-eleitas vieram se informar sobre nosso trabalho. Quando eu soube que as habilidades profissionais delas eram inferiores às minhas, inconscientemente me senti superior. Inesperadamente, elas apontaram alguns problemas quando viram alguns dos meus trabalhos. Aquilo me incomodou muito. Foi vergonhoso. Por isso, não quis aceitar a sugestão delas. Pensei: “Suas habilidades são melhores do que as minhas? Se vocês apontarem meus problemas, o que meus irmãos pensarão de mim? Dirão que um membro sênior do grupo não consegue fazer nada? Não mesmo. Não posso aceitar a sugestão. Vou refutá-la”. Então pesquisei informações sobre o trabalho e refutei completamente a sugestão das supervisoras na frente de todos. As duas supervisoras disseram: “Se nossa sugestão for inapropriada, então faremos como sugere”. Quando disseram isso, fiquei muito orgulhoso e achei que tinha reavido minha imagem. Mais tarde, as supervisoras se abriram sobre o estado delas durante uma reunião, dizendo que se sentiam constrangidas no nosso grupo. Mesmo que vissem problemas, não ousavam apontá-los porque temiam ser rejeitadas. Na época, eu fazia ideia de que eu era meio arrogante, mas não refleti de verdade sobre mim mesmo. Um tempo depois, uma nova supervisora, a irmã Xiang, foi designada para acompanhar nosso trabalho. O calibre e as habilidades profissionais dela eram muito bons e ela aprendia rapidamente. Lembro que, certa vez, um novo membro do grupo, o irmão Wang, teve problemas num vídeo que estava produzindo, e vários de nós discutimos, mas não encontramos uma solução. Então alguém sugeriu que esperássemos pela irmã Xiang e pedíssemos a opinião dela. Fiquei muito surpreso quando a irmã Xiang conseguiu apontar diretamente o problema-chave. Fiquei chocado e pensei: “Você encontrou o problema que eu não consegui identificar, o que o irmão Wang pensará de mim agora?”. Fiquei um pouco insatisfeito com isso, mas então a irmã Xiang me perguntou o que eu achava do problema. A fim de preservar minha imagem, eu menti, dizendo: “Você está certa, foi exatamente o que pensei”. Então a irmã Xiang sugeriu uma solução. Achei que era uma ideia boa, mas ainda não fiquei contente. Pensei: “Você percebeu o problema e agora já sugeriu uma revisão. Isso não me faz parecer pior do que você? Como meus irmãos me verão agora? Como minha imagem sobreviverá a isso? Não. Vou encontrar uma solução melhor. Não posso permitir que meus irmãos me menosprezem”. Então escrutinei cuidadosamente o plano da irmã Xiang e achei que, embora o plano dela fosse válido, ainda havia algumas falhas. Eu disse: “Irmã, pensei na sua solução de antes. Não há nada de novo nela e requer muitas mudanças…” Não demorou, e eu tinha desacreditado toda a sugestão da irmã Xiang. Na época, a irmã Xiang sentiu que algo estava errado, então, confusa, ela me perguntou: “Por que sinto que você sempre recusa minhas sugestões, em vez de tentar resolver o problema?”. Tentei justificar-me imediatamente. Eu disse: “Não faço isso. Só acho que há algo de errado com seu plano, não estou rejeitando sua sugestão”. Depois disso, sugeri uma solução nova, o irmão Wang gostou do meu plano e finalmente usou minha ideia. Quando vi isso, fiquei feliz, como se tivesse ganho uma batalha. Achei que agora meus irmãos saberiam que eu era melhor do que a supervisora. No dia seguinte, a irmã Xiang se abriu sobre o estado dela. Ela disse que o trabalho estava difícil e que não sabia o que fazer. Ela também me disse: “Desde que sou sua parceira em nosso dever, sinto que não consigo fazer nenhum trabalho e que não ajudo seu grupo profissionalmente. Sinto que não valho nada quando estou com você. Não sinto isso quando estou com os outros irmãos”. Ela também apontou meu problema, dizendo: “Neste tempo juntos, acho que você se exibe em tudo que faz. Você não oferece acréscimos nem melhoras às ideias dos outros e não quer ajudar nem apoiar as pessoas a entrar nos princípios. Em vez disso, nega os outros e se exibe, como se os outros fossem inúteis e sempre piores do que você. Isso constrange os outros, como se tudo que fazem fosse errado. Se isso continuar, você acabará detendo poder no grupo. Você está trilhando a senda de um anticristo!”. Na época, outra irmã também disse que eu manifestava isso. Mas não absorvi nada disso naquele momento. Não tentei me justificar por fora, mas, por dentro, me senti muito magoado. Pensei: “Estou trilhando a senda do anticristo? Eu constranjo meus irmãos? Isso não é me atacar? O que meus irmãos pensarão de mim?”. Depois disso, o trabalho finalizado do irmão Wang com base no meu plano foi escolhido para ser usado, por isso me senti ainda mais desafiador e pensei: “Ainda acha que trilho a senda do anticristo e que constranjo as pessoas? Então, como é que consigo produzir obras até o fim?”. Já que eu sempre recusava os conselhos da irmã Xiang, ela deixou de dá-los depois disso.

Pouco tempo depois, o irmão Wang fez uma sugestão, que me pareceu sensata, mas havia alguns problemas com ela. Pensei: “Se agirmos de acordo com seu plano, terei que fazer modificações e acréscimos. Vou parecer incompetente. Não dá. Preciso pensar numa sugestão melhor e mais inovadora, para que ele veja minha competência. Depois, quando entregarmos à supervisora, ela terá uma impressão ainda melhor de mim”. Assim, ignorei a ideia do irmão Wang e desenvolvi um plano novo. Quando o irmão Wang ficou sabendo, ele não entendeu. Eu lhe disse: “Se seguíssemos a sua sugestão, haveria muitos problemas…” E quando ele viu que havia tantos problemas na sugestão dele, ficou perdido. Achou que era ruim em seu trabalho e ficou negativo. Na época, pensei: “Já que você não quer aceitar meu conselho, pode achar um jeito de resolver os problemas sozinho”. Então, depois disso, fui trabalhar nas minhas tarefas. Mas, naquele tempo, eu sentia que minha linha de raciocínio não era clara e que eu não era muito eficiente em meu dever. Por muito tempo, nosso grupo não conseguiu finalizar as obras. Depois de um tempo, a irmã Xiang veio investigar nossos problemas e desvios. O irmão Wang disse: “Eu fiz uma sugestão, mas o irmão Li disse que havia problemas demais para usá-la, por isso desisti. Depois, o irmão Li deu uma sugestão, mas há materiais que não consigo encontrar e minhas habilidades limitadas não estão à altura da tarefa”. Então a irmã perguntou se ele se sentia constrangido por mim. Quando a irmã Xiang fez essa pergunta, pensei: “O que isso tem a ver comigo se ele não consegue finalizar um trabalho? Eu expliquei, ele não consegue fazer, e o problema é meu? Por que está mirando em mim? Há pouco tempo, você me expôs dizendo que eu tinha o comportamento de um anticristo. Agora, o irmão Wang não consegue fazer seu trabalho e você volta a dizer que o problema sou eu. É porque você não gosta de mim? A ineficácia do trabalho é responsabilidade minha? Não posso deixar isso passar. Devo falar também sobre os seus problemas. Assim você talvez pare de me acusar e me envergonhar”. Quando a irmã Xiang foi embora, eu disse ao irmão Wang: “Recentemente, percebi que a irmã Xiang não faz trabalho prático nem apresenta sugestões profissionais úteis. Precisamos lembrá-la para que ela possa refletir. Caso contrário, isso pode prejudicar nosso trabalho”. Quando eu disse isso, o irmão Wang também desenvolveu um preconceito contra a irmã Xiang. Depois disso, outra supervisora, a irmã Zheng, visitou o nosso grupo, e eu disse a ela o que pensava da irmã Xiang. Eu disse que a irmã não era séria em seu trabalho, que o grupo não finalizava um vídeo havia muito tempo, mas que ela não resolvia problemas práticos etc. Quando a irmã Zheng ouviu isso, ela me perguntou se eu tinha alguma opinião sobre a irmã Xiang. Pensei numa resposta astuta rapidamente. “Não, não tenho nenhuma opinião específica”. Mas quando disse isso, de repente, entrei em pânico e me senti sombrio e deprimido espiritualmente. Não dormi bem naquela noite. Sentia que tinha cometido o mal e que havia sido abandonado por Deus. Fui tomado por um senso de culpa. Eu tinha um preconceito contra a irmã Xiang, mas afirmei o contrário. Não era uma mentira? Eu também era responsável pelo estado do trabalho, mas levei o irmão Wang a acusar a irmã Xiang e a julgá-la sem fundamento. Eu não estava atacando-a só para me vingar? Vi que eu estava cometendo o mal.

Depois disso, nossa líder viu que eu tinha atacado o irmão Wang e as supervisoras, de modo que ficaram negativos, o que afetou seriamente o trabalho de vídeos. Que nunca aceitei lembretes nem ajuda e que até ataquei a irmã Xiang. Com base em meu comportamento, fui dispensado. Depois de dispensado, não consegui sentir a presença de Deus e vivi em escuridão. Orei a Deus muitas vezes, dizendo: “Deus! Meus irmãos me expuseram por trilhar a senda do anticristo, mesmo assim, não tenho conhecimento de mim mesmo. Não sei onde errei. Deus, por favor, esclarece-me e guia-me a conhecer a mim mesmo”. Depois de orar, encontrei uma passagem da palavra de Deus em que Ele revela os anticristos. Deus disse: “Os métodos dos anticristos são sempre pouco convencionais e pretensiosos quando eles fazem as coisas. Por mais correta que seja a sugestão do outro, ele sempre a rejeitará. Mesmo que a sugestão de outra pessoa seja consistente com as ideias dele, se o anticristo não a propuser primeiro, ele se recusará definitivamente a aceitá-la ou a implementá-la. Em vez disso, o anticristo fará de tudo para menosprezar, negar e condenar a sugestão até que a pessoa que a apresentou sinta que a ideia está errada e admita isso. Só então o anticristo para. Os anticristos gostam de se engrandecer e de menosprezar os outros para que os outros os adorem e os coloquem no centro das coisas. Os anticristos só permitem que eles mesmos floresçam e que os outros sirvam apenas de pano de fundo que lhes permite destacar-se. Os anticristos acreditam que tudo que dizem e fazem é certo, enquanto tudo que os outros dizem e fazem é errado. Muitas vezes, eles apresentam novos pontos de vista para negar os pontos de vista e práticas de outras pessoas, eles criticam e encontram problemas nas opiniões de outras pessoas e interrompem ou rejeitam os planos de outras pessoas, para que todos sejam obrigados a ouvi-los e a agir de acordo com os métodos deles. Eles utilizam esses métodos e meios para negar, atacar você continuamente e levá-lo a crer que você não é suficientemente bom, para que você se torne cada vez mais submisso a eles e os admire, até que finalmente você esteja completamente sob o controle deles. Esse é o processo por meio do qual os anticristos subjugam e controlam as pessoas” (‘Eles confundem, atraem, ameaçam e controlam as pessoas’ em “Expondo os anticristos”). A palavra de Deus me mostrou que os anticristos são sempre inconvencionais, sempre se exibem, negam e menosprezam os outros para alcançar seu objetivo de se destacar da multidão e fazer com que as pessoas os admirem. Com o passar do tempo, aqueles que cooperam com eles caem num estado negativo, sentem que são inferiores aos anticristos, sempre lhes obedecem e finalmente se sentem controlados por eles. Meu comportamento não era igual ao de um anticristo? Do fundo do coração, desprezei e menosprezei as duas supervisoras anteriores. Quando viram alguns problemas no vídeo que produzi, temi que os outros deixassem de me admirar, por isso inventei várias razões para rejeitar as sugestões delas. Como resultado, as supervisoras se sentiram constrangidas por mim. Mesmo quando a irmã Xiang, que tinha habilidades profissionais, identificou problemas-chave em nosso trabalho e deu conselhos razoáveis para as revisões, eu não aceitei. Achava que, se eu a ouvisse, ninguém me notaria e os outros não me admirariam, então procurei erros no plano dela numa tentativa de menosprezá-la e desacreditá-la. Depois, apresentei minha “ideia brilhante” e fizemos as coisas do meu jeito. Por fora, eu operava sob o estandarte de melhorar nosso trabalho, mas meu propósito real era provar que eu era melhor do que a supervisora, para que os outros me admirassem. Quando discuti a sugestão do irmão Wang com ele, descartei o plano como inútil só para me exibir, o que o deixou passivo e incapaz de finalizar trabalhos. A igreja arranjou para que eu cooperasse com meus irmãos em meu dever, para que pudéssemos aprender com os pontos fortes de cada um. Se a sugestão de alguém fosse boa e sensata, deveríamos melhorar a sugestão, para que todos pudessem dar o seu melhor e ter êxito à própria maneira, o que beneficiaria o trabalho de vídeos. Mas, para que as pessoas me admirassem e me apoiassem, eu sempre apresentava ideias inconvencionais, me exibia, negava e menosprezava os outros e nunca permitia que os outros exercessem um papel em seus deveres, o que fez com que meu parceiro e as supervisoras se sentissem inúteis, caíssem em negatividade e fossem incapazes de cumprir seus deveres. A essência daquilo que fiz não era oprimir pessoas? Eu sempre me exibia e oprimia os outros e os levava a achar que não conseguiam se virar sem mim e que deviam me ouvir em tudo, de modo que meu parceiro e as supervisoras não se envolviam no trabalho do grupo. Eu não estava estabelecendo um reino independente? Se não tivesse sido dispensado, eu nunca teria percebido meu problema. Estavadormente demais!

Mais tarde, li outra passagem da palavra de Deus. “O apreço que os anticristos têm por seu status e prestígio vai além do das pessoas normais e é algo de dentro de seu caráter e essência; não é um interesse temporário nem o efeito transitório de seu ambiente — é algo de dentro de sua vida, de seus ossos, e é, portanto, sua essência. Isso quer dizer que, em tudo que um anticristo faz, sua primeira preocupação é seu status, seu prestígio, nada mais. Para um anticristo, status e prestígio são sua vida e seu objetivo vitalício. Em tudo que faz, sua primeira consideração é: ‘O que acontecerá com meu status? E com meu prestígio? Fazer isso me dará prestígio? Elevará meu status na mente das pessoas?’. Essa é a primeira coisa em que ele pensa, e é prova suficiente de que ele tem o caráter e a essência de um anticristo; se não fosse assim, ele não consideraria esses problemas. […] Muitas vezes eles ponderam sobre tais coisas em seu coração, ponderam sobre como podem construir um lugar para si na casa de Deus, como podem ter uma reputação elevada na igreja, para que as pessoas escutem quando eles falam, e os apoiem quando eles agem, e os sigam para onde quer que eles vão; para que tenham uma voz na igreja, uma reputação, para que desfrutem de benefícios e tenham status — eles ponderam sobre tais coisas com frequência. Isso é o que essas pessoas buscam. Por que estão sempre pensando nessas coisas? Depois de lerem as palavras de Deus, depois de ouvirem sermões, eles realmente não entendem nada disso, eles realmente não são capazes de discernir tudo isso? As palavras de Deus e a verdade realmente não são capazes de mudar suas noções, ideias e opiniões? De forma alguma é o que ocorre. O problema começa com eles, é totalmente porque eles não amam a verdade, porque, em seu coração, eles estão cansados da verdade e, como resultado, não são nem um pouco receptivos para a verdade — algo que é determinado por sua natureza e essência” (‘Eles só cumprem seu dever para se distinguir e alimentar seus próprios interesses e ambições; eles nunca levam em consideração os interesses da casa de Deus e até traem esses interesses em troca de glória pessoal (parte 3)’ em “Expondo os anticristos”). A palavra de Deus me mostrou que anticristos valorizam sobretudo status e reputação. Adoram ser admirados, apoiados e ter um lugar no coração dos outros. Quando as coisas acontecem, eles consideram primeiro seu status e reputação. Não consideram o trabalho da casa de Deus nem os sentimentos de seus irmãos, nem pensam em como Deus os vê e nas consequências de continuar assim. Analisando os comportamentos dos anticristos, percebi que eu estava em perigo. Eu vinha fazendo vídeos por muito tempo, tinha alguma experiência e algumas conquistas e tinha ganho a admiração dos meus irmãos e supervisores, por isso achava que era superior aos outros e gostava da sensação de ser admirado e apoiado. Quando as supervisoras apontaram os problemas no nosso trabalho ou fizeram uma sugestão apropriada, entrei em crise. Temi perder a admiração dos outros e meu senso de presença no grupo, então, para proteger meu status e reputação, menosprezei meus irmãos, rejeitei as sugestões deles e apresentei minhas “ideias brilhantes” para me exibir. Eu não considerei os sentimentos dos meus irmãos, como cultivar pessoas nem como beneficiar o trabalho da igreja. Tudo que importava era eu poder exibir meu talento. A irmã Xiang viu que eu estava trilhando a senda errada, por isso ela apontou meu problema para me lembrar e ajudar, mas eu não só me recusei a refletir sobre mim mesmo, achei que meu status e reputação tinham sido prejudicados e desenvolvi hostilidade e até ódio contra a irmã. A fim de preservar status e reputação, aproveitei os problemas da irmã Xiang e a julguei pelas costas. Também enganei e envolvi o irmão Wang, para que ele tivesse um preconceito contra a irmã Xiang. Até julguei e ataquei a irmã Xiang sob o pretexto de ajudá-la. Vi que, a fim de manter meu status e reputação, eu era capaz de qualquer coisa. Fui tão cruel e desprezível! Essa era a senda do anticristo! Se isso continuasse, mesmo que, por ora, eu ganhasse a admiração dos meus irmãos, que bem isso me traria? Eu acabaria cometendo muitos feitos malignos diante de Deus, perderia qualquer chance de ganhar a verdade e de ser salvo, e, no fim, eu só poderia ser condenado e punido por Deus. Eu era igual a Paulo. Ele sempre queria ser visto e admirado e sempre dizia palavras altivas e vazias e falava doutrinas para se exibir. Em suas cartas, menosprezou Pedro e se exaltou, trouxe todos para diante de si e foi descarado a ponto de dizer que ele vivia como Cristo, o que levou as pessoas a o tratarem como Deus. No fim, ele ofendeu o caráter de Deus e foi amaldiçoado e punido por Ele. Eu não estava trilhando a senda errada de Paulo? Quando percebi isso, fiquei com medo. Pensei de novo em como cometi o mal para proteger meu status e reputação. Depois de formar um conchavo para julgar e atacar a irmã Xiang, eu me senti sombrio e incomodado, e sempre havia uma sensação de que um desastre estava prestes a acontecer. O que eu fiz não ofendeu o caráter de Deus? Se eu me recusasse a me arrepender, Deus me rejeitaria e me expulsaria! Nesse momento, percebi como era prejudicial a minha busca por status e reputação!

Depois disso, li na palavra de Deus: “Se alguém diz que ama a verdade e busca a verdade, mas, em essência, o objetivo que ele busca é, distinguir-se, exibir-se, fazer com que as pessoas o admirem, realizar os próprios interesses, e ele cumpre seu dever não para obedecer ou satisfazer a Deus, mas para alcançar prestígio e status, então sua busca é ilegítima. Assim sendo, quando se trata do trabalho da igreja, as suas ações são um obstáculo ou o ajudam a avançar? Elas são claramente um obstáculo; elas não o avançam. Todos que levantam a bandeira de fazer o trabalho da igreja, mas buscam seu prestígio e status pessoais, administram uma operação própria, criam seu grupinho, seu próprio reino pequeno — esse tipo de pessoa está cumprindo seu dever? Todo trabalho que eles fazem interrompe, perturba e prejudica o trabalho da igreja. Qual é a consequência da sua busca por status e prestígio? Em primeiro lugar, isso afeta como o povo escolhido de Deus come e bebe a palavra de Deus e como entende a verdade, isso impede sua entrada na vida, o impede de entrar na trilha certa da fé em Deus e o leva para a senda errada — o que prejudica os escolhidos e os leva à ruína. E o que isso acaba por fazer ao trabalho da igreja? É desmantelamento, interrupção e depreciação. Essa é a consequência produzida pela busca das pessoas por fama e status. Quando cumprem o seu dever dessa forma, isso não pode ser definido como trilhar a senda de um anticristo? Quando Deus pede que as pessoas deixem de lado status e prestígio, não é que Ele está privando as pessoas do direito de escolha; pelo contrário, é porque, enquanto buscam status e prestígio, as pessoas prejudicam o trabalho da igreja, interrompem a entrada na vida dos irmãos e irmãs, e até exercem uma influência sobre como os outros comem e bebem as palavras de Deus normalmente e compreendem a verdade, e assim alcançam a salvação de Deus. O que é ainda mais sério é que, quando as pessoas buscam seu prestígio e status, esse comportamento e essas ações podem ser caracterizados como cooperação com Satanás para prejudicar e obstruir, ao máximo, o progresso normal da obra de Deus e impedir que a vontade de Deus seja normalmente realizada entre Seu povo escolhido. Elas estão deliberadamente se opondo e discutindo com Deus. Essa é a natureza da busca das pessoas por status e prestígio. O problema com a busca das pessoas por seus interesses é que os objetivos que elas buscam são os objetivos de Satanás — são objetivos perversos e injustos. Quando as pessoas buscam interesses pessoais tais como prestígio e status, elas involuntariamente se tornam uma ferramenta de Satanás, se tornam um canal para Satanás e, além disso, se tornam uma personificação de Satanás. Elas exercem um papel negativo na igreja; no que diz respeito ao trabalho da igreja, à vida normal de igreja e à busca normal do povo escolhido de Deus, o efeito que elas têm é perturbar e prejudicar; elas têm um efeito negativo” (‘Eles só cumprem seu dever para se distinguir e alimentar seus próprios interesses e ambições; eles nunca levam em consideração os interesses da casa de Deus e até traem esses interesses em troca de glória pessoal (parte 1)’ em “Expondo os anticristos”). A palavra de Deus me mostrou claramente que buscar status, reputação e admiração era trilhar uma senda de perversidade. Quando as supervisoras começaram, elas tinham que acompanhar o trabalho de vários grupos, e precisavam aprender e dominar os princípios e habilidades de vários deveres. Confrontadas com dificuldades, elas podem estudar, identificar problemas e dar sugestões, o que é algo bom e benéfico para o trabalho da igreja. A fim de proteger meu status e reputação, não as apoiei nem cooperei com o trabalho delas, para buscar a verdade juntos e cumprir bem nosso dever, e ainda neguei e menosprezei as sugestões delas e as ataquei até se tornarem negativas, recuarem e não ousarem me dar conselhos ao ponto de sentirem que não serviam como supervisoras. O irmão Wang também tinha acabado de começar em seu dever, por isso precisava de mais apoio e ajuda. Mas, a fim de me exibir, não ajudei meu irmão sugerindo melhorias para a sugestão dele. Em vez disso, rejeitei seu plano como inútil, o que o constrangeu, o deixou negativo e perdido em relação ao que fazer. Vi que tudo que eu fazia era destrutivo e ruinoso. Eu atacava os outros até eles ficarem negativos e não queria cooperar com o trabalho da casa de Deus, o que impediu que o trabalho da igreja avançasse. Isso não era exatamente o que Satanás quer? Só então percebi que minha busca por status e reputação se baseava em prejudicar os interesses da casa de Deus.

Naquele período, por meio de reflexão espiritual, vi como essa minha busca só causou danos ao trabalho da igreja e prejudicou meus irmãos. Me senti muito negativo por causa disso. “Expus o caráter de um anticristo, isso não fazia de mim um anticristo autêntico? Sou tão corrupto que certamente não poderei ser salvo. Será que minha senda de crença em Deus chegou ao fim?”. Em minha dor, orei a Deus: “Deus! A fim de fazer com que as pessoas me admirassem, fiz coisas malignas e perturbei o trabalho da casa de Deus. Vejo que estava trilhando a senda errada e me sinto muito negativo e sinto que não posso ser salvo. Deus! Por favor, guia-me para que eu possa escapar do meu estado negativo”. Depois de orar, li uma passagem das palavras de Deus: Deus diz: “Você deve ser capaz de perceber e identificar claramente os anticristos. Deve ser capaz de distinguir as várias manifestações deles, e, ao mesmo tempo que distinguir essas coisas, deve também ter clareza com relação a quantas áreas da sua natureza e sua essência são as mesmas que as dos anticristos, pois vocês dois são os tipos de pessoas que foram corrompidos por Satanás; mas enquanto os anticristos são usados por Satanás como vestimentas e se tornaram um escoadouro para Satanás, você é o tipo de pessoa que foi corrompido por Satanás e ainda tem esperança de salvação. […] Então, com que mentalidade você deve aceitar esses fatos e manifestações? Deve aplicá-los a si mesmo e reconhecer que você tem a natureza e a essência de um anticristo, e depois deve refletir sobre o que daquilo que é manifestado e revelado em você não é diferente do que é manifestado e revelado nos anticristos. Primeiro reconheça esses fatos; não finja nem tente se camuflar. A senda que você trilha é a senda dos anticristos. Não seria contrariar os fatos dizer que você é um anticristo; é simplesmente que a casa de Deus ainda não identificou você como tal e ainda lhe dá uma chance de se arrepender. Você entende? Primeiro aceite e reconheça, e depois venha para diante de Deus e seja disciplinado e comprometido; não saia da luz da presença de Deus e da Sua proteção. Dessa forma, quando agir, por um lado, você será obrigado por senso e consciência, e, além disso, você será iluminado e guiado pelas palavras de Deus, o que também o obrigará; por outro lado, o Espírito Santo também o guiará e arranjará para que as pessoas, os assuntos e os objetos que o cercam o instiguem e disciplinem. Como Deus o instigará? Deus opera de muitas maneiras. Às vezes, Deus lhe dá um sentimento claro no seu coração, e você tem um senso claro de que deve aceitar restrição, e não ser desobediente, e de que, quando comete erros, você envergonha Deus e envergonha a si mesmo diante dos outros, e assim você se controla. E será que isso não o protege? Essa é uma das formas com que Deus opera. Às vezes, Deus o repreenderá a partir de dentro: Ele lhe dará palavras claras, você será informado de que agir assim é vergonhoso e desprezível para Deus e que isso trará maldições e condenação; haverá palavras claras que o repreenderão, e você saberá que elas se aplicam a você. E qual é o objetivo de repreendê-lo dessa forma? Serve para lhe dar um sentimento na sua consciência: quando tiver esse sentimento, você estará atento ao impacto, às consequências e à sua vergonha, e você controlará suas ações e seu comportamento. Depois de experimentar muito dessa forma, você descobrirá que, embora esses caracteres corruptos possam estar enraizados nas pessoas, quando as pessoas conseguem aceitar a verdade e reconhecer claramente os caracteres corruptos pelo que são, elas podem então renunciar à carne conscientemente. Quando as pessoas conseguem pôr a verdade em prática, seus caracteres satânicos podem ser purificados e mudados. O caráter satânico do homem não é indestrutível nem imutável; quando você aceitar a verdade e conseguir pô-la em prática, seu caráter satânico será naturalmente destruído e substituído” (‘Eles se exaltam e dão testemunho de si mesmos’ em “Expondo os anticristos”). As palavras de Deus me confortaram muito e me comoveram. Pensei que, por ser tão corrupto, Deus certamente me odiaria e não me salvaria, mas senti a compreensão e misericórdia de Deus nas Suas palavras. Entendi também que aqueles que realmente têm a essência de um anticristo nunca se arrependem de verdade. Se você consegue perceber que está trilhando a senda de um anticristo e se arrepende de verdade, você pode ser salvo. Também aprendi que a salvação de uma pessoa depende da senda que ela trilha. A palavra de Deus apontava uma senda de prática para mim. Contanto que admitamos nossa corrupção, não finjamos nem nos disfarcemos, nos abramos conscientemente aos nossos irmãos para nos expor, e confiemos em Deus e renunciemos a nós mesmos quando queremos buscar status e reputação, Deus nos guiará e ajudará a nos livrarmos dos nossos caracteres corruptos. Na palavra de Deus, vi a esperança de mudar meu caráter. Eu ainda podia mudar! Senti que tinha fé em Deus novamente. Também senti o amor de Deus de forma prática: Quando cometi o mal para preservar status e reputação, Deus arranjou que meus irmãos me podassem e lidassem comigo e usou as palavras Dele para me guiar a conhecer a mim mesmo, mostrando-me meus feitos malignos e a senda errada que eu escolhera, para que eu pudesse me arrepender. Tudo isso era o amor e a salvação de Deus. Senti que Deus estava me ensinando face a face, como um pai rígido ou uma mãe amorosa. A salvação de Deus foi muito real! Quando entendi a vontade de Deus, eu não quis mais buscar status e reputação. Só quis buscar uma mudança de caráter e não frustrar as esperanças de Deus para mim. Depois disso, escrevi uma carta para a irmã Xiang, em que me abri para ela sobre minhas intenções na época e pedi perdão a ela. Então, quando a supervisora percebeu que eu tinha refletido e mudado um pouco, ela pediu que eu continuasse a produzir vídeos.

Depois dessa experiência de fracasso, eu me lembrava com frequência a não fazer as coisas como antigamente, e tinha muito medo de buscar status e reputação, de tentar me exibir e cometer um mal que causasse interrupção. Mas quando as coisas realmente aconteciam, eu ainda achava difícil renunciar a mim mesmo e só conseguia praticar após lutar comigo mesmo. Lembro-me de que, uma vez, o irmão Wang fez um vídeo. Achei que a sugestão dele era razoável, mas ainda havia muitos problemas. Na época, pensei: “Se eu conseguir pensar numa sugestão melhor, quando estiver finalizada, receberei a maior parte do mérito, e a supervisora saberá que eu tenho as melhores ideias”. Assim, rejeitei a sugestão do irmão Wang e apresentei uma ideia inovadora. Quando o irmão Wang ouviu isso, ele não soube o que fazer e ficou perdido. Não ousou continuar com a sugestão dele, mas também não tinha certeza se minha sugestão funcionaria, por isso ficou preso onde estava. Tudo isso foi muito frustrante para mim. Pensei: “Sou o líder do grupo. Por que você não me ouve?”. Quis apresentar ainda mais razões para rejeitar a sugestão dele. Mas, naquele momento, comecei a me sentir incomodado. Eu estava cometendo o mesmo erro, não estava? Era exatamente o que eu tinha feito no passado. Para me exibir, eu sempre rejeitava os outros, o que perturbava o trabalho da igreja. Senti que Deus estava me observando e sabia que o caráter justo de Deus não deve ser ofendido. Fiquei com medo, então orei a Deus e pedi que Ele me amaldiçoasse. Eu disse: “Deus! Meu caráter corrupto é sério demais. Sempre nego os outros e me exibo para que os outros me admirem. Deus! Por favor, amaldiçoa meu caráter corrupto e guia-me para a senda da busca da verdade”. Depois de orar, li uma passagem da palavra de Deus. Deus diz: “Se você insiste em seguir o caminho dos anticristos, e segui-lo até o fim, e ainda assim não acha que isso é um problema, e não está disposto a arrepender-se, e teimosamente continua a agir da mesma maneira, competindo com os líderes e obreiros por proeminência e lucro, tentando ser mais excepcional do que todos os outros, diferente de todos os outros, melhor do que todos os outros, não importa com quem você esteja, então isso é um problema: se você busca teimosamente prestígio e status e se recusa a se arrepender, você é um anticristo e está fadado a ser punido. As palavras de Deus, a verdade, a consciência e o bom senso — se nada disso fizer algo em você, então você está fadado a acabar como um anticristo, está fora do alcance da salvação, fora do alcance da libertação! Se as pessoas podem ou não ser salvas e se podem ou não trilhar a senda de temer a Deus e de evitar o mal depende de se o arrependimento verdadeiro se expressa nelas uma vez que tenham conhecido a si mesmas e da sua atitude em relação à verdade e do caminho que escolhem. Se você não abandona a senda dos anticristos, e opta por satisfazer as próprias ambições e os desejos, e desafiar abertamente a verdade e resistir a Deus, não existe ajuda para você” (‘Eles se exaltam e dão testemunho de si mesmos’ em “Expondo os anticristos”). As palavras de Deus são muito claras. Deus nos salva se conseguirmos nos arrepender de verdade após conhecer a nós mesmos. Minha corrupção era profunda, e eu sempre expunha meu caráter satânico, portanto, tudo dependia de eu trair minhas intenções incorretas e praticar a verdade. Pensei: “Não posso mais falar e agir conforme meu caráter corrupto. Devo fazer o oposto, renunciar ao meu status e à minha imagem e cumprir meu dever com os pés no chão. Já que a sugestão do irmão Wang era razoável, eu não deveria rejeitá-la de imediato. Deveria oferecer melhorias e refinamentos e fazer o possível para transformá-la num produto finalizado. Essa é a razão que eu devia ter e o meu dever a ser cumprido. É também o que Deus quer ver”. Quando reconheci isso, não rejeitei mais a sugestão do irmão Wang. Em vez disso, apontei problemas na proposta dele e fiz sugestões que achava que ajudariam. Agora ele tinha uma senda e aceitou de bom grado minhas sugestões e as usou. Depois de praticar assim, me senti especialmente em paz e seguro. Posteriormente, quando coisas semelhantes aconteciam, embora ainda expusesse isso, eu conseguia orar a Deus, renunciar a mim mesmo e aceitar conselhos sensatos dos meus irmãos. Aos poucos, descobri que cada irmão tem pontos fortes. Também consigo enxergar algum valor nas propostas dos outros e oferecer sugestões para melhorar essas propostas. Também encorajo meus irmãos a fazerem as coisas do jeito deles. Ao cooperar assim, meus irmãos se sentem mais relaxados e à vontade e eu também me sinto muito mais seguro. Graças a Deus!

O alarme dos últimos dias já tocou e grandes desastres já começaram. Você quer dar as boas-vindas ao retorno do Senhor e ter a chance de receber a proteção de Deus com sua família?

Conteúdo relacionado

Um suplício de doença

Por Zhongxin, ChinaDeus Todo-Poderoso diz: “Meus feitos são maiores em número que os grãos de areia nas praias e Minha sabedoria supera a...

Conecte-se conosco no Messenger