As consequências de trabalhar com teimosia

20 de Janeiro de 2022

Por Zhao Yang, China

Fui eleito para servir como líder de igreja em 2016. Quando assumi aquele dever, senti muita pressão, pois não entendia a verdade e não tinha percepção das coisas, assim, quando os irmãos se depararam com problemas, eu não sabia com ajudá-los com minha comunhão. Também não sabia como considerar os princípios quando nomeava pessoas para certos deveres, por isso estava sempre orando a Deus e buscando a verdade para entender os princípios. Também procurava colegas quando não entendia bem alguma coisa. Ao longo do tempo, progredi em minha capacidade de avaliar pessoas e situações e fui capaz de nomear irmãos para deveres apropriados com base em seus pontos fortes pessoais. Uma vez, um irmão que trabalhava comigo quis conversar comigo sobre a irmã Xia, líder de uma equipe evangelística, que fazia mal o seu dever e era muito passiva, dizendo que ela estava atrasando seu trabalho. Ele sugeriu substituí-la como líder de equipe. Eu pensava que ela era de um calibre ótimo e era realmente capaz no trabalho dela, então, embora mostrasse alguma corrupção, se ela recebesse um pouco de ajuda e fizesse algumas mudanças, ela não teria nenhum problema naquela posição. Eu expus e dissequei o estado da irmã Xia, a podei e lidei com ela. Depois de algumas sessões de comunhão, vi que a atitude dela em relação ao seu dever tinha mudado um pouco. Ela estava sendo mais proativa e também mais esmerada. Pouco depois, ela foi promovida para um dever mais importante. Depois disso, fiquei elogiando a mim mesmo e pensei: “Fui eu que tive a ideia correta. Foi bom não termos demitido ela. Conseguimos cultivar uma pessoa talentosa na casa de Deus. Parece que tenho algum discernimento decente”. A partir de então, parei de discutir nomeações e demissões com aquele irmão, pensando que eu era mais experiente, que conseguia lidar com qualquer assunto sozinho. Dois anos passaram voando, e me tornei cada vez mais hábil em fazer arranjos para o trabalho da igreja. Pensando que tinha uma ótima percepção das coisas, estava ficando cada vez mais arrogante.

Na época, não percebi que eu não estava num estado bom. Então, um dia, recebi uma carta de um líder, dizendo que a irmã Zhang da nossa igreja tinha voltado após ser demitida do dever dela em outra igreja. Eu devia organizar a participação dela em reuniões. Fiquei pensando que, em minhas interações com a irmã Zhang, eu tinha visto sua arrogância, que repreendia as pessoas com intolerância e que era difícil conviver com ela. Supus que ela não tinha mudado de verdade. Pouco depois, tantos recém-convertidos se juntavam à nossa igreja que era urgente ter alguém no dever de rega. O irmão Liu, que trabalhava comigo, disse que esteve numa reunião com a irmã Zhang e que ela havia ganhado algum autoconhecimento e arrependimento desde sua demissão, além disso, já tinha regado novos membros antes e era eficiente. Ele sugeriu que ela fizesse alguma rega enquanto continuasse sua autorreflexão para que nosso trabalho não atrasasse. No instante em que ele sugeriu a irmã Zhang, pensei que era uma ideia péssima, que ele não a conhecia de verdade e que ela não era alguém que buscava a verdade. Ela só falava sobre ter algum entendimento, e ele achava que ela havia se arrependido. Eu achei que ele carecia de percepção e não tinha nem um pouco de discernimento. Com voz firme, respondi: “Conheço a irmã Zhang. Ela é arrogante e tende a ser condescendente com as pessoas. É difícil trabalhar com ela. Além disso, ela não veio a conhecer a si mesma nem mudou, caso contrário, não teria sido demitida. Não acho que seja uma boa escolha. Não podemos deixá-la assumir esse dever”. O irmão Liu disse então: “Não podemos ser exigentes demais. Ela é um pouco arrogante, mas realmente aprendeu algo sobre si mesma por meio dessa experiência de ser demitida e foi capaz de se arrepender pelas coisas que fez. Agora ela é moderada ao falar e convive bem com os outros. Houve alguma mudança na arrogância dela. Devemos tratar as pessoas apropriadamente”. Fiquei um pouco chateado quando ele disse isso. Eu pensei que ele era novo naquele dever e não sabia do que estava falando e que simplesmente deveria concordar comigo. Respondi mais enfaticamente: “A situação da irmã Zhang não está perfeitamente clara? Não formo uma opinião casual sobre as pessoas, mas consigo ver que ela não é uma boa escolha para esse dever e que não devemos deixá-la fazer a rega”. Irmão Liu não disse mais nada, vendo que eu já tinha tomado minha decisão.

Depois de um tempo e visto que faltavam pessoas para fazer a rega, alguns dos recém-convertidos deixaram de participar das reuniões porque não tinham recebido apoio a tempo. Quando uma líder veio ver o que estava acontecendo, ela e o irmão Liu foram conversar com a irmã Zhang, e quando voltaram, o irmão Liu disse: “A casa de Deus precisa urgentemente de pessoas que reguem. Vimos que a irmã Zhang tem autoconhecimento real e está disposta a se arrepender e mudar. Ela foi demitida, mas nunca fez nada que fosse muito terrível. Ela só é um pouco arrogante e ainda pode ser cultivada, contanto que aceite a verdade e mude. Não devemos definir alguém para sempre pelo que fizeram uma vez, devemos dar-lhe uma chance de se arrepender. Nós conversamos sobre isso, e a irmã Zhang deve assumir o dever de rega”. Quando o ouvi recomendando a irmã Zhang mais uma vez para essa posição, pensei: “Fui absolutamente claro sobre isso da última vez, e como poderia ela ter mudado em tão pouco tempo? Tenho servido como líder por muito tempo e sei avaliar as pessoas, por que, então, não aceita minha opinião? Assim não poderá errar!”. Expliquei minha posição mais uma vez, de forma muito enfática, e, ao ver a teimosia com que me agarrava à minha ideia, a líder me disse severamente: “Obtivemos uma boa ideia sobre a irmã Zhang. Conversamos com ela e ouvimos sua comunhão, e ela tem alguma autorreflexão e autoconhecimento. Ela está pronta para se arrepender e mudar. Devemos dar um dever a ela — ela deve ter a chance de se arrepender. Não podemos definir as pessoas com base em seu comportamento no passado. Você diz que ela é arrogante, mas desde quando pessoas arrogantes são impedidas de se desenvolver na casa de Deus? A irmã Zhang é apta para o trabalho de rega e existe uma necessidade urgente para isso agora. Você está insistindo em sua opinião de que ela não deve ser usada. Isso não é teimoso e ditatorial? A nomeação de pessoas dentro da igreja deve passar por você. Não podem cumprir um dever sem sua aprovação. Você é arrogante e autoconfiante demais. Ao fazer o que bem lhe agrada, você não vê que está impedindo o trabalho da casa de Deus e sua cultivação de pessoas talentosas?”. Ouvir a líder lidar comigo desse jeito me deixou aborrecido, mas também resisti a isso. Ainda achava que tinha muita experiência e que sempre tive um bom senso referente a pessoas, portanto, eu não podia estar errado em relação à irmã Zhang. Mas já que todos discordavam de mim, eu não podia ficar me opondo. Então, relutantemente, eu disse: “Já que vocês dois viram alguma mudança nela, vamos lhe dar uma chance na rega. Se não funcionar, podemos substituí-la”.

Em casa, refleti sobre como a líder tinha me repreendido e me senti bastante inconfortável. Com base naquilo que ela disse, eu não estava cometendo o mal e trabalhando contra Deus? Isso era uma coisa muito séria. Mas então pensei que eu tinha refletido bastante sobre minha decisão de não nomear a irmã Zhang para aquele cargo, por que, então disseram aquilo sobre mim? Onde é que eu tinha errado? Então orei a Deus, buscando: “Deus, está sendo difícil aceitar como essa irmã me criticou. Não sei como entender a mim mesmo nisso ou em que aspecto da verdade eu devo entrar. Por favor, mostra-me o caminho”. Depois da minha oração, li isto nas palavras de Deus: “O que significa ser ‘arbitrário e precipitado’? Significa, ao encontrar um problema, agir da forma que achar melhor, sem um processo de pensar, negligente ao que os demais dizem. Ninguém pode fazer você entender, e ninguém pode mudar sua opinião, de modo que você não pode ser nem minimamente convencido; você se mantém firme e, mesmo quando o que os outros dizem faz sentido, você não escuta e acredita que o seu modo é o certo. Mesmo que seja, você não deveria dar ouvidos às sugestões dos outros? Entretanto, você não dá ouvidos. As outras pessoas vão chamá-lo de teimoso. Quão teimoso? Tão teimoso que dez bois não conseguiriam recuá-lo — teimoso de morrer, arrogante e obstinado ao extremo, o tipo que não vê a verdade até que esteja bem na sua cara. Essa teimosia não chega ao nível da obstinação? Você faz o que quer, tudo o que pensa fazer, e não ouve ninguém. Se alguém lhe dissesse que algo que você está fazendo não está de acordo com a verdade, você diria: ‘Eu o farei, esteja de acordo com a verdade ou não. Se não estiver de acordo com a verdade, lhe darei tal e tal motivo, ou essa e aquela justificativa. Eu farei você me ouvir. Estou certo disso’. Outros podem dizer que o que você está fazendo é perturbador, que levará a sérias consequências, que é prejudicial aos interesses da casa de Deus — mas você não lhes dá ouvidos e oferece ainda mais do seu raciocínio: ‘Isto é o que eu estou fazendo, quer você goste ou não. Eu quero fazer assim. Você está completamente errado, e eu estou completamente justificado’. Talvez você esteja de fato justificado, e o que está fazendo não venha a ter consequências graves — mas que caráter é esse que você está revelando? (Arrogância.) Uma natureza arrogante o torna teimoso. Quando têm esse caráter teimoso, as pessoas não tendem a ser arbitrárias e precipitadas?” (A comunhão de Deus). “Como Deus trata cada pessoa? Algumas pessoas são de estatura imatura, são jovens ou acreditam em Deus há pouco tempo. Deus pode ver essas pessoas como sendo nem ruins nem maliciosas por natureza e essência; elas simplesmente são um tanto ignorantes, ou lhes falta calibre, ou estão sujeitas a um excesso de restrições e ainda não entenderam a verdade, ainda não entraram na vida e, por isso, têm dificuldade de parar de fazer algumas coisas tolas ou de cometer alguns atos ignorantes. Mas Deus não se concentra na tolice passageira das pessoas; Ele vê apenas seu coração. Se elas estão determinadas a buscar a verdade, então estão indo na direção certa, e quando esse é seu objetivo, Deus as está observando, esperando por elas e dando-lhes tempo e oportunidades que permitem que elas entrem. Não é o caso que Deus as derruba com um golpe, tampouco Ele Se agarra a uma transgressão que cometeram uma vez e Se recusa a soltar; Ele nunca tratou as pessoas dessa forma. Dito isso, se as pessoas tratarem umas às outras dessa maneira, isso não mostra seu caráter corrupto? Isso é precisamente o seu caráter corrupto. Você deve observar como Deus trata pessoas ignorantes e tolas, como Ele trata pessoas de estatura imatura, como Ele trata as manifestações normais do caráter corrupto da humanidade e como Ele trata aqueles que são maliciosos. Deus trata pessoas diferentes de maneiras diferentes, e tem também várias maneiras de administrar a miríade de condições de pessoas diferentes. Você deve entender essas verdades. Uma vez que você tiver entendido essas verdades, você saberá como experimentá-las e tratará as pessoas de acordo com os princípios” (‘A fim de ganhar a verdade, você deve aprender com as pessoas, questões e coisas ao seu redor’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”). Comecei a refletir sobre mim mesmo com base nas revelações das palavras de Deus. Eu pensava que tinha alguma experiência geral em nomear pessoas e que compreendia os princípios. Especialmente quando uma pessoa escolhida por mim era bem-sucedida em seu dever, eu sentia que eu tinha discernimento e era perspicaz. Eu queria tirar vantagem disso e me sentia muito satisfeito comigo mesmo e não ouvia a sugestão de ninguém. Quando o irmão Liu teve um entendimento real da situação da irmã Zhang e disse que ela havia ganhado algum autoconhecimento desde sua demissão, que ela estava pronta para se arrepender e mudar, e me exortou a tratar as pessoas com imparcialidade, eu me recusei a ouvi-lo. Eu a coloquei numa gaveta com base em como a tinha visto antes, pensando que ela era arrogante, não buscava a verdade e não tinha mudado, de modo que não poderia assumir o dever de rega. Mas, na verdade, Deus nunca disse nada disso. E a casa de Deus nunca arranjou as coisas desse jeito. Contanto que alguém seja capaz de entender visões da verdade e de alcançar resultados no dever de rega, ele pode ser cultivado e treinado. Nem mesmo aquelas pessoas que cometeram transgressões muito sérias têm sido condenadas diretamente pela casa de Deus. Se elas conseguem aceitar a verdade, refletir sobre si mesmas, arrepender-se dos erros cometidos e estão dispostas a mudar, a casa de Deus pode continuar a cultivá-las e usá-las. Não importa que tipo de caráter corrupto alguém revele ou o que tenha feito para interromper o trabalho da casa de Deus, contanto que não seja uma pessoa maligna nem um anticristo, Deus lhe dará oportunidades de cumprir um dever e aprender na maior medida possível. Isso é o amor e a salvação de Deus. Eu não entendia o caráter de Deus nem os princípios de como as pessoas são treinadas na casa de Deus. Eu não estava vendo os pontos fortes da irmã Zhang, mas me recusava a esquecer a corrupção que ela havia exibido no passado, definindo-a arbitrariamente e me recusando a nomeá-la para o dever de rega. Isso fez com que os recém-convertidos não fossem regados a tempo e interrompeu o trabalho da casa de Deus. Isso não era cometer o mal? Cheio de arrependimento, vim para diante de Deus e orei: “Deus, sou tão arrogante e autoconfiante. Não quero mais ser teimoso em meu dever. Estou pronto para me arrepender e mudar”.

Na próxima reunião com a irmã Zhang, eu a ouvi discutindo sua autorreflexão e seu autoconhecimento e vi que ela realmente tinha se arrependido de um jeito prático. Senti uma vergonha e culpa ainda maiores. Depois de assumir o dever de rega, a irmã Zhang foi sincera e assumiu responsabilidade por ele, e os irmãos que ela regava faziam progresso. Mais tarde, ela foi promovida a administrar o trabalho de rega de várias igrejas. Ao vê-la indo tão bem em seu dever, fiquei ainda mais envergonhado. Odiei como eu tinha sido arrogante, como a tinha definido arbitrariamente, recusando-me a nomeá-la para um dever e atrasando o trabalho da casa de Deus. Percebi que eu não possuía a verdade e que não tinha nenhuma percepção das coisas. Eu entendia alguns métodos e regras com base na minha experiência, mas o trabalho da igreja não pode ser feito confiando apenas nisso. Depois daquele incidente, abordei a tarefa de nomear pessoas para deveres com mais cuidado, e quando minha teimosia levantava a cabeça e eu queria ter a última palavra, eu orava e renunciava a mim mesmo, colocava a verdade em prática e ouvia o que os outros tinham a dizer.

Pensava que tinha alguma entrada nessa prática, mas, para a minha surpresa, algo aconteceu depois que me expôs de novo. Seis meses depois, alguns membros que tratavam dos assuntos gerais da igreja estavam sendo impedidos pela família e não eram capazes de cumprir seu dever. Precisávamos substituí-los com urgência. Estudei o caso e encontrei algumas irmãs que eram responsáveis e sabiam lidar com várias situações, mas havia algumas questões de segurança relacionadas a elas. Mas então pensei que, já que não iriam cumprir um dever na área local, não haveria problema se elas assumissem o dever. Realmente precisávamos de mais pessoas e eu não tinha encontrado candidatos melhores, então decidi usá-las por ora e substituí-las quando aparecesse alguém melhor. Quando contei ao irmão Liu que queria que a irmã Zhao cuidasse dos assuntos gerais na igreja, sua resposta foi: “Devemos seguir todos os princípios ao selecionar as pessoas. Não podem trabalhar para a igreja se houver algum risco à segurança. Não acredito que a irmã Zhao seja uma boa escolha para esse dever. Devemos seguir os princípios”. Quando vi que ele não concordava comigo, eu discordei dele, dizendo: “Mas não temos uma necessidade urgente? Não acha que está sendo temeroso demais? É verdade que ela é conhecida na região como uma crente, mas já se passaram anos desde que a polícia a tem monitorado. Além disso, ela tem coragem e sabedoria. Sei disso sobre ela. Creio que não temos um candidato melhor a esta altura. Já se passaram mais de dez dias, e não encontrei ninguém para esse dever. Não podemos seguir as regras cegamente em nosso dever”. Ele me ouviu, então insistiu: “Nomear alguém para um dever que representa um risco viola os princípios. Devemos colocar a segurança em primeiro lugar”. Eu descartei tudo que ele estava dizendo e insisti em usar a irmã Zhao. Depois disso, arranjei para que a irmã Liu, que também representava um risco, trabalhasse na entrega de correspondência. Não demorou, e o Partido Comunista começou a investigar crentes sob o pretexto de verificar registros residenciais. A irmã Zhao era conhecida por crer em Deus, a polícia passou a suspeitar dela e a vigiá-la enquanto ia e vinha do lugar que tinha alugado porque não pôde apresentar sua identidade. Então outra pessoa, que lidava com os assuntos da igreja e com quem ela tivera contato, também foi implicada e monitorada, e, como resultado, as linhas de comunicação de várias igrejas foram impactadas. Todos perderam contato por mais de vinte dias, o que deixou suspensos alguns trabalhos urgentes. Nem mesmo algumas tarefas para lidar com as consequências de incidentes puderam ser completadas.

Quando a líder soube disso e descobriu que eu tinha insistido em nomear alguém com riscos de segurança, ela lidou comigo severamente: “Você está sendo arrogante e teimoso mais uma vez. É sempre arbitrário em seu dever e viola os princípios. Dessa vez, isso causou danos sérios ao trabalho da casa de Deus. Você fez o que o grande dragão vermelho espera fazer, mas não consegue por conta própria. Isso não é servir como ajudante de Satanás, interrompendo e sabotando o trabalho da casa de Deus? Com base em sua conduta consistente, decidimos removê-lo de seu dever”. Ouvir isso foi como levar um tapa na cara e me deixou totalmente perplexo. Pensei: “Acabou. Cometi um grande mal. E se os irmãos e irmãs que foram implicados forem presos? Se forem, eu realmente cometi uma coisa terrível”. Quanto mais pensava, com mais medo ficava. Estava atormentado pela culpa. Era como uma faca enfiada no coração, e eu não me senti motivado a fazer nada. Vivi nessa miséria dia após dia, orando a Deus e reconhecendo meus erros repetidas vezes: “Deus, sou arrogante demais, presunçoso demais. Minha teimosia causou um dano incrível ao trabalho da casa de Deus. Estou disposto a aceitar qualquer punição que queiras me dar, mas, por favor, protege aqueles irmãos de serem presos”. Depois, soube que aqueles membros da igreja foram transferidos a tempo e escaparam de ser presos. Finalmente, pude soltar um suspiro de alívio.

Depois disso, refleti sobre mim mesmo. Por que eu era sempre tão teimoso em meu dever? De onde vinha aquilo? Li estas palavras de Deus em “Somente buscando a verdade pode-se alcançar uma mudança no caráter.” “Se você realmente possui a verdade em seu interior, a senda que trilhar será naturalmente a correta. Sem a verdade, é fácil praticar o mal, e você o praticará a despeito de si mesmo. Por exemplo, se arrogância e presunção existissem dentro de você, você acharia impossível abster-se de desafiar Deus; você se sentiria compelido a desafiá-Lo. Não faria isso de propósito; você o faria sob o domínio de sua natureza arrogante e vaidosa. Sua arrogância e vaidade fariam com que você desprezasse a Deus e O visse como um ser sem importância; fariam você se exaltar, colocar-se constantemente na vitrine e, finalmente, fariam você se sentar no lugar de Deus e dar testemunho de si mesmo. Você transformaria as próprias ideias, os próprios pensamentos e as próprias noções em verdades a serem adoradas. Veja quanto mal é feito pelas pessoas sob o domínio da natureza arrogante e vaidosa delas!” (“Registros das falas de Cristo dos últimos dias”). As palavras de Deus me mostraram que minha repetida conduta arbitrária em meu dever vinha de eu ser controlado por uma natureza arrogante e presunçosa. Com esse tipo de natureza, eu não podia deixar de cometer o mal e resistir a Deus. Ela me controlava, por isso eu me achava demais e sentia que era melhor do que todos os outros, que eu estava mais certo do que os outros, que eu devia ter a última palavra nos assuntos da igreja. Quando fixava minha mente em algo, eu me recusava a vê-lo de outra forma e não ouvia ninguém. Até queria que as pessoas obedecessem às minhas ideias como se fossem verdades-princípio. Eu sabia que aquelas duas irmãs representavam um risco e não deveriam estar cumprindo aqueles deveres, e eu mesmo tinha receios em relação a isso, mesmo assim não consegui renunciar a mim mesmo e buscar a vontade de Deus. Não quis ouvir os alertas dos outros e ignorei as repreensões e a orientação do Espírito Santo. Teimosamente nomeei duas pessoas que não eram seguras, causando um dano muito sério ao trabalho da casa de Deus. Se eu tivesse tido o menor desejo de buscar a verdade, se eu tivesse ouvido as sugestões do irmão Liu, não haveria consequências tão terríveis. Senti tanto remorso e culpa quando percebi tudo isso e odiei minha arrogância e teimosia. O Partido Comunista nunca para de tentar minar a obra de Deus, usando todos os tipos de táticas para oprimir e prender Seu povo escolhido. E eu tinha arbitrariamente violado os princípios, decidindo nomear pessoas inseguras para assumir deveres, o que fez com que outros membros da igreja fossem monitorados. Isso não era trabalhar indiretamente para Satanás, servindo como o ajudante do Partido Comunista para sabotar a obra de Deus? Aqueles irmãos e irmãs teriam sido detidos e presos sem o cuidado e a proteção de Deus. Então eu realmente teria cometido um grande mal. Esse pensamento me assustou cada vez mais. A igreja tinha permitido que eu servisse como líder, e a vontade de Deus nisso era fazer com que eu praticasse a verdade e fizesse as coisas de acordo com os princípios, que eu arranjasse posições para os irmãos e irmãs para as quais eram apropriados. Dessa forma, poderiam aproveitar seus pontos fortes e preparar seus próprios bons atos. Mas eu pensava que ter um pouco de experiência como líder significava que eu era algo especial. Eu não valorizava muito as outras pessoas e não tinha Deus em meu coração. Não estava nem levando a sério as verdades-princípios da casa de Deus, mas fazia o que queria. Eu era arrogante a ponto de perder toda razão. Pensei em todos aqueles anticristos que tinham sido expulsos da igreja. Eles eram incrivelmente arrogantes, tratando Deus com desdém e ignorando as verdades-princípio da casa de Deus. Eles eram ditatoriais e arbitrários em seu dever e interromperam seriamente o trabalho da casa de Deus. No fim, cometeram tanto mal que foram removidos da igreja. Eu sabia que, se meu caráter arrogante não fosse resolvido, mais cedo ou mais tarde eu estaria trilhando a senda de um anticristo e seria eliminado por Deus. Na época, a ideia de viver segundo minha natureza arrogante me assustava. Embora tivesse cometido um mal tão grande, a casa de Deus ainda não tinha me expulsado, mas só me removido do meu dever, e Deus até me esclareceu e guiou com Suas palavras, dando-me uma chance de refletir e conhecer a mim mesmo, de me arrepender e mudar. Eu podia sentir o amor de Deus e tinha tantos remorsos. Eu estava pronto para me arrepender e mudar. Depois disso, comecei a buscar uma prática e como entrar nela para que eu pudesse mudar.

Li esta passagem das palavras de Deus: “Como, então, você resolve sua arbitrariedade e sua precipitação? Quando tem uma ideia, você a conta aos demais e diz o que pensa e acredita sobre esse assunto, e depois se comunica com todos a respeito. Primeiro, você pode explicar sua opinião e buscar a verdade; esse é o primeiro passo a pôr em prática a fim de dominar esse caráter de ser arbitrário e precipitado. O segundo passo acontece quando outras pessoas dão opiniões divergentes — que prática você pode adotar para abster-se de ser arbitrário e precipitado? Primeiro, precisa ter uma atitude de humildade, deixar de lado o que acredita ser certo e permitir que todos tenham comunhão. Mesmo que acredite que seu caminho esteja correto, você não deveria continuar insistindo nele. Isso, antes de tudo, é uma espécie de avanço; mostra uma atitude de buscar a verdade, de negar-se e de satisfazer a vontade de Deus. Uma vez que tenha essa atitude, ao mesmo tempo que não se atém à sua opinião, você ora. Como não distingue o certo do errado, você permite que Deus lhe revele e diga que coisa é a melhor e mais adequada a fazer. Quando todos se unem em comunhão, o Espírito Santo traz todo o esclarecimento. Deus ilumina as pessoas de acordo com um processo, que, às vezes, simplesmente avalia a sua atitude. Se sua atitude for de autoafirmação rígida, Deus ocultará Sua face de você e Se fechará para você; Ele o exporá e garantirá que você fique em um beco sem saída. Se, por outro lado, sua atitude for correta, se não for insistente no próprio jeito, nem hipócrita, nem arbitrária e precipitada, mas uma atitude de busca e aceitação da verdade, então, quando você se comunicar com o grupo e o Espírito Se puser a operar entre vocês, talvez Ele o leve ao entendimento por meio das palavras de alguém. Às vezes, quando o Espírito Santo ilumina uma pessoa, Ele a leva a entender o cerne de uma questão com apenas algumas palavras ou frases. Você percebe, nesse instante, que tudo a que tem se apegado está errado e, no mesmo instante, entende o modo mais adequado de agir. Tendo atingido esse nível, você evitou com sucesso fazer o mal, trilhar a senda errada e suportar as consequências de um erro? Como tal coisa é alcançada? É alcançada por meio de um coração que obedece e busca. Depois de conseguir isso, então, no final, você agirá apropriadamente e terá satisfeito a vontade de Deus” (A comunhão de Deus). Depois de ler isso, entendi que, para resolver arrogância e teimosia, o mais importante é ter um coração reverente a Deus e uma atitude de buscar a verdade. Não posso insistir em minha própria perspectiva quando as coisas aparecem, mas devo discutir as coisas com os outros, e se alguém tem uma opinião diferente, devo primeiro aceitá-la, depois orar a Deus, buscar a verdade e colocar os princípios em prática. Devo cooperar em harmonia com os irmãos. Esse é o modo de ganhar a orientação de Deus. Se eu me agarrar com teimosia ao meu próprio pensamento, não tenho como ganhar a obra do Espírito Santo. Não terei percepção de nada e causarei interrupção no meu dever. Refleti sobre como eu tinha cometido tanto mal por causa da minha natureza arrogante e por não ter um lugar para Deus em meu coração. Isso vinha de querer ser senhor e mestre de tudo, de não trabalhar bem com outros. Quando percebi isso, decidi em silêncio não ser mais tão teimoso quando as coisas aparecessem, mas buscar e comunicar-me mais com outros. Ouvir qualquer ideia que estivesse alinhada com as verdades-princípio.

A igreja me designou para servir como líder de equipe de rega depois disso. Eu fiquei muito grato e valorizei aquele dever. Eu estava sempre me advertindo que tinha de aprender a lição do meu fracasso e que não podia deixar minha natureza arrogante tornar-me teimoso novamente. Quando surgiam problemas, eu procurava os irmãos para discutir as coisas com eles. Certa vez, recebi uma carta de um líder que dizia que devíamos encontrar algumas pessoas apropriadas para o dever de rega. Ao analisar o caso, senti que a irmã Su seria uma boa escolha, mas, de acordo com a avaliação dos outros, ela possuía uma natureza arrogante e não aceitava as dicas e a ajuda dos irmãos. Diante disso, achei que ela não aceitaria a verdade, então não era alguém que devia ser cultivada. Então percebi que eu estava novamente definindo alguém arbitrariamente, e, mais uma vez, me lembrei de algo que Deus disse: “Não chegar a um veredito é uma manifestação de pessoas não sendo hipócritas, e não insistir é uma manifestação de pessoas tendo racionalidade; se, além disso, você for capaz de obedecer, você será capaz de alcançar colocar a verdade em prática” (“Registros das falas de Cristo dos últimos dias”). Eu sabia que não devia insistir em ter a última palavra de novo, mas que devia discutir isso com o irmão que trabalhava comigo e ouvir o que tinha a dizer. Quando lhe expliquei minha posição, ele respondeu: “Com base nessas avaliações, parece que a irmã Su é muito arrogante, mas percebi que tudo isso se baseia na corrupção que ela revelou no passado. Não sabemos se ela não ganhou algum autoconhecimento. Não devemos reprimir uma pessoa talentosa. Vamos pedir que ela escreva uma autorreflexão e então pedir a opinião dos irmãos que têm contato mais próximo com ela. Podemos dar uma olhada em tudo isso e ver se ela é uma boa candidata para esse dever. Essa abordagem é mais segura”. Parecia-me que sua sugestão concordava com as verdades-princípio. Se eu a definisse como inapta para ser cultivada com base nas opiniões de alguns irmãos, isso seria apressado demais. Deveríamos analisar o tipo de arrogância que ela mostrava. Se fosse uma arrogância insensata e cega e uma recusa total de aceitar a verdade, então ela não poderia assumir aquele dever. Se ela tivesse algum calibre, mas era um pouco arrogante e conseguisse conhecer a si mesma e mudar após ser podada e tratada, isso revelaria uma corrupção normal. Além disso, as pessoas que disseram aquilo sobre ela haviam trabalhado com ela no passado, portanto, devíamos ver o que as pessoas que tinham contato com ela agora tinham a dizer. Obter uma visão mais ampla seria mais correto. Quando recebemos a autorreflexão da irmã Su e as avaliações dos outros irmãos, vimos que ela havia desenvolvido alguma prática e entrada e que era alguém que buscava a verdade. Nós a recomendamos para aquele dever de rega. Desde então, sempre que preciso escolher alguém para um dever específico, não sou mais arrogante, fazendo o que quero e tomando a decisão sozinho, mas mantenho uma atitude de buscar e ouvir as sugestões dos outros. Também oro e busco as verdades-princípio. Com esse tipo de prática, estou em paz e livre de receios. Fui capaz de ter essa mudança somente graças ao julgamento e castigo das palavras de Deus.

O alarme dos últimos dias já tocou e grandes desastres já começaram. Você quer dar as boas-vindas ao retorno do Senhor e ter a chance de receber a proteção de Deus com sua família?

Conteúdo relacionado

O dano causado por se exibir

Por Ruoyu, EspanhaAlguns anos atrás, eu estava cumprindo dever de rega com alguns irmãos e irmãs de idade semelhante. Eles eram tão...

Conecte-se conosco no Messenger