Acorrentada

26 de Março de 2022

Por Li Mo, China

Em 2004, aceitei a obra de Deus Todo-Poderoso dos últimos dias, e logo depois fui denunciada por espalhar o evangelho. Naquele dia, eu estava trabalhando no hospital, e minha colega me disse que o diretor do hospital estava me procurando. Entrei no escritório do diretor e vi dois policiais de uniforme ali. Eles me disseram: “Alguém denunciou que você acredita na Relâmpago do Oriente e tem pregado o evangelho por toda parte. A Relâmpago do Oriente é um alvo-chave de uma operação nacional, e todos os crentes da Relâmpago do Oriente são criminosos políticos que serão sentenciados à prisão!” Também me ameaçaram, dizendo que, se eu continuasse crendo em Deus, eles poderiam me tirar do meu emprego a qualquer momento, e que, mesmo se fosse trabalhar, eu não seria paga por isso. Até o emprego do meu marido e o direito do meu filho à universidade, ao serviço militar ou a viagens ao exterior seriam afetados. Disseram que, se me pegassem pregando o evangelho, eu seria jogada na prisão. Na época, fiquei um pouco preocupada. Pensei: “Se eu não desistir da minha crença em Deus, a polícia não dará sossego. Se eu perder o emprego e os negócios do meu marido forem afetados, como sobreviveremos no futuro? E se eu for presa e mandada para a prisão, quem cuidará do meu filho novo? Se o futuro do meu filho fosse afetado pela minha crença em Deus, eu lhe deveria demais…” Quanto mais pensava nisso, mais agitada ficava. Clamei pela proteção de Deus. Naquele momento, lembrei-me de uma passagem da palavra de Deus. “Desde o momento em que chega a este mundo chorando, você começa a cumprir seu dever. Para o plano de Deus e para Sua ordenação, você desempenha seu papel e começa a sua jornada de vida. Não importa o seu passado, não importa a jornada à sua frente, ninguém pode escapar das orquestrações e dos arranjos do Céu, e ninguém está no controle do próprio destino, pois apenas Aquele que governa todas as coisas é capaz de tal obra” (‘Deus é a fonte da vida do homem’ em “A Palavra manifesta em carne”). Contemplei a palavra de Deus, então entendi: o destino de todos está sob a soberania de Deus. O que acontece com a nossa família está nas mãos de Deus, nenhuma pessoa pode decidir isso. Deus é o Criador, e é natural e correto que as pessoas creiam em Deus e O adorem. A polícia queria usar nossos empregos e o futuro do meu filho para me ameaçar, para me forçar a abandonar o caminho verdadeiro e trair a Deus. Isso era tão desprezível! Na época, decidi que, não importando o que minha vida viesse a ser no futuro, eu jamais cederia a Satanás. Então os policiais pediram que eu denunciasse meus irmãos, mas eu me recusei, e eles tiveram que ir.

Depois disso, voltaram muitas vezes para o hospital para perguntar se eu ainda acreditava em Deus ou espalhava o evangelho. Às vezes, eu estava no meio de uma cirurgia, mas não importava quão urgente fosse, eles a interrompiam. Isso começou a me irritar. Pensei: “Eu só acredito em Deus e sigo a senda correta e não cometi nenhuma maldade, por que, então, a polícia não para de me assediar, de modo que nem consigo trabalhar em paz?” As investigações constantes causaram um tumulto no hospital inteiro. Meus colegas me viam como uma pessoa perigosa. Alguns falavam sobre mim pelas minhas costas, e alguns até me perguntaram diretamente: “O que você fez ao acreditar em Deus? Por que a polícia vem o tempo todo para investigar você? Sua crença em Deus trouxe a polícia para a nossa porta. Isso é coisa séria”. A atitude do diretor em relação a mim também mudou. Ele costumava me levar a sério, mas depois daquele incidente, sempre que me via, ele me perguntava: “Você não saiu por aí pregando, saiu?” Também mandou que deixasse o celular ligado 24 horas por dia, para que estivesse sempre à disposição. Certa vez, o diretor me disse: “A polícia veio muitas vezes à sua procura por causa da sua crença em Deus. Não acredite mais em Deus. Você sempre trabalhou bem, e todos têm uma opinião boa a seu respeito. Não arruíne seu futuro por causa de sua crença em Deus. Não vale a pena. Se você for presa ou coisa pior, como seu chefe, não será fácil explicar isso…” Durante aquele período, confrontada todos os dias com a supervisão constante do meu chefe e os olhares estranhos dos meus colegas, eu fiquei deprimida e miserável. Orei a Deus para pedir fé e força e pedi que Ele me ajudasse a permanecer firme nesse ambiente. Então li uma passagem da palavra de Deus: “O grande dragão vermelho persegue a Deus e é inimigo Dele, e assim, nesta terra, aqueles que creem em Deus são assim sujeitos à humilhação e à opressão […]. Por ter sido iniciada em uma terra que se opõe a Deus, toda a obra de Deus enfrenta obstáculos tremendos, e o cumprimento de muitas de Suas palavras leva tempo; assim, as pessoas são refinadas como resultado das palavras de Deus, o que também é parte do sofrimento. É tremendamente difícil para Deus realizar a Sua obra na terra do grande dragão vermelho — mas é por meio dessa dificuldade que Deus realiza um estágio da Sua obra, tornando manifestas Sua sabedoria e Seus feitos maravilhosos, e usando esta oportunidade para completar este grupo de pessoas” (‘A obra de Deus é tão simples quanto o homem imagina?’ em “A Palavra manifesta em carne”). A palavra de Deus me mostrou Sua vontade. A China é um país governado pelo Partido Comunista e é o lugar que mais resiste a Deus. Aqueles que acreditam em Deus na China inevitavelmente serão perseguidos e humilhados, mas Deus usa o Partido Comunista como servidor para aperfeiçoar nossa fé e assim formar um grupo de vencedores. Essa é a sabedoria de Deus. Pensei em como, por eu acreditar em Deus e seguir a senda correta, eu era assediada e monitorada pela polícia e também suportava humilhação e crítica por parte dos meus colegas e amigos, e percebi que estava sendo perseguida pela justiça e que era uma coisa gloriosa. Quando entendi isso, eu me senti um pouco melhor e prometi a mim mesma que, por mais que o Partido Comunista tentasse me impedir e perseguir, eu seguiria Deus até o fim.

Durante aquele tempo, meu marido estava numa viagem de negócios em outra região. Eu temia que ele se preocuparia comigo, então nunca lhe contei. Em janeiro de 2005, ele voltou de sua viagem de negócios, e quando ficou sabendo, ele ficou muito alarmado. Com uma expressão séria, ele me disse: “O governo disse que pessoas que acreditam em Deus Todo-Poderoso são criminosos políticos e podem ser presos a qualquer momento, e se o PCCh pegar você, eles a espancarão até ficar semimorta e arruinará a vida da sua família”. Ele disse que o futuro do nosso filho e de seus negócios seriam afetados e pediu que eu parasse de crer em Deus Todo-Poderoso. Pensei: “A crença do meu marido no Senhor é somente nominal. Na verdade, ele não entende nada. É normal que esteja preocupado. O Partido Comunista persegue os crentes em Deus tanto e até vai atrás dos membros da nossa família. Quem não ficaria com medo?” Também pensei em como ele tinha viajado a negócios durante todo esse tempo. Eu não tivera tempo de testificar da obra de Deus Todo-Poderoso dos últimos dias para ele, então deveria usar essa oportunidade para ler mais da palavra de Deus Todo-Poderoso com ele. Comunguei muito com ele. Ele nem quis ouvir. Ele só disse superficialmente: “Nossa vida está indo bem, que tal simplesmente desfrutarmos da graça do Senhor Jesus? Não precisamos aceitar a obra de julgamento”. Ele temia ser implicado se eu fosse presa, então começou a tentar me impedir de acreditar em Deus. Depois disso, ele começou a me vigiar de perto. Se eu não voltasse para casa assim que saía do trabalho, ele me ligava para perguntar onde estava e me mandava voltar para casa, e parou de sair à noite para se encontrar com seus amigos. Em vez disso, ficava sentado em casa me vigiando. Quando chegava a hora de sair para as reuniões, ele intencionalmente pedia minha ajuda com alguma coisa. Basicamente tentou de tudo para me impedir de crer em Deus ou de cumprir os meus deveres. No início, eu me senti muito restringida, mas, mais tarde, lembrei-me de uma passagem da palavra de Deus. Deus diz: “Você precisa possuir Minha coragem dentro de si e precisa ter princípios quando se tratar de enfrentar parentes que não creem. Por Minha causa, porém, você também não precisa se render a quaisquer forças das trevas. Confie em Minha sabedoria para trilhar o caminho perfeito; não permita que quaisquer conspirações de Satanás se consolidem” (‘Capítulo 10’ das Declarações de Cristo no princípio em “A Palavra manifesta em carne”). Quando ponderei sobre a palavra de Deus, entendi que, por fora, meu marido estava tentando impedir minha crença em Deus, mas os truques de Satanás estavam por trás disso, e eu não devia ceder a Satanás. Mais tarde, encontrei desculpas para evitar o monitoramento do meu marido, e fui a reuniões e cumpri meus deveres secretamente. Ao mesmo tempo, também buscava oportunidades para conversar com meu marido, esperando que ele buscasse e investigasse a obra de Deus Todo-Poderoso. Mas, repetidas vezes, meu marido evitou isso, dizendo que ele acreditaria quando padres e freiras começassem a acreditar. Também pediu que eu não fosse a reuniões nem espalhasse o evangelho para evitar que fosse presa. Vi que meu marido não estava interessado na verdade nem em acolher a vinda do Senhor, então parei de conversar com ele sobre isso. Pensei: “Não importa o que aconteça, devo crer em Deus e cumprir meu dever. Não posso ser restringida por ele”.

No passado, ele costumava viajar a negócios depois do Ano Novo chinês, mas, naquele ano, não foi a lugar nenhum. Certo dia, de repente, ele se ajoelhou no chão e implorou, chorando: “Você vai a reuniões e sai para pregar o evangelho muitas vezes. Se você for detida e jogada na prisão, como sobreviveremos no futuro? O que acontecerá com esta família, com nosso filho? Você deve pensar na nossa família, no futuro do nosso filho…” Eu nunca tinha visto meu marido chorar em todos esses anos. Ao vê-lo chorar e implorar de joelhos, eu me senti muito mal e também comecei a chorar. Para confortá-lo, eu disse: “Tudo está nas mãos de Deus. Se eu serei presa, o que acontecerá com nosso filho no futuro, tudo isso está nas mãos de Deus. Tudo que podemos fazer é confiar em Deus para vivenciarmos as coisas. Não deveríamos nos preocupar tanto”. Com lágrimas nos olhos, meu marido balançou a cabeça e disse: “A polícia já encontrou você. Se continuar acreditando assim, você será presa mais cedo ou mais tarde, e então tudo estará arruinado”. Vendo meu marido em tamanha angústia, fiquei muito triste e ressentida. Tudo isso era culpa do Partido Comunista! Acreditamos em Deus e pregamos o evangelho para que as pessoas possam aceitar a salvação de Deus nos últimos dias e sobreviver ao desastre. Isso é salvar pessoas e nada é mais justo, mas o Partido Comunista tenta freneticamente impedir-nos e perturbar-nos. Não é nada senão um grupo de satãs e demônios que resistem a Deus! As palavras de Deus dizem: “Ancestrais dos antigos? Líderes adorados? Todos eles se opõem a Deus! Sua interferência deixou tudo que está debaixo do céu em estado de escuridão e caos! Liberdade religiosa? Direitos e interesses legítimos dos cidadãos? São todos truques para encobrir o pecado! […] Por que erguer um obstáculo tão impenetrável para a obra de Deus? Por que usar diversos truques para enganar o povo de Deus? Onde estão a verdadeira liberdade e os direitos e interesses legítimos? Onde está a justiça? Onde está o conforto? Onde está a ternura? Por que usar esquemas ardilosos para enganar o povo de Deus?” (‘Obra e entrada (8)’ em “A Palavra manifesta em carne”). Por fora, o Partido Comunista promove liberdade religiosa, na verdade, porém, usa todos os tipos de métodos para oprimir e prender aqueles que acreditam em Deus e até usa emprego e família para obrigas as pessoas a negarem a Deus e a traí-Lo. É tão desprezível! Se não fosse a perseguição pelo Partido Comunista, meu marido não tentaria me impedir por medo. Não importa para onde a mão maligna do Partido Comunista se estenda, ela traz desastre. Naquele momento, meu marido estava seguindo o Partido Comunista e me pressionando a desistir da minha crença em Deus para proteger seu trabalho e família, por isso eu não podia ouvi-lo.

Depois disso, meu marido leu também muito da calúnia do Partido Comunista contra a Igreja de Deus Todo-Poderoso on-line, praticamente parou de viajar a negócios e ficou em casa para me vigiar. Também ficava perguntando por aí para descobrir com quem eu tinha contato e para quem eu ligava. Ele até foi à companhia de telecomunicação para imprimir meu histórico de seis meses e então me perguntou sobre cada número. Para me monitorar, ele me levava e pegava no trabalho todos os dias e me seguia para onde quer que eu fosse. Eu me senti como se estivesse acorrentada, sem nenhuma liberdade. Eu não podia viver a vida da igreja nem cumprir o meu dever, o que me deixou muito triste, então me aproveitava do desleixo do meu marido para escapar e pregar o evangelho. Quando meu marido descobriu, ele disse, irritado: “Se você consegue sair e pregar o evangelho mesmo enquanto eu a vigio, então não tenho como ajudá-la. O Partido Comunista detém o poder agora. Se você continuar a crer desse jeito, você será presa em algum momento, e esta família será destruída. Então, vamos nos divorciar. Você poderá acreditar o que quiser depois do divórcio e não prejudicará nosso filho nem qualquer outra pessoa”. Quando ouvi que ele queria o divórcio, eu não pude acreditar. Tudo que eu fazia era crer em Deus. Como isso chegou a ponto de um divórcio? Todos os nossos anos não contavam nada? Pensei em como minha família perfeitamente saudável seria separada pelo Partido Comunista e me senti péssima. Era um fato que não suportava aceitar. Orei a Deus: “Deus, por favor, dá-me fé e força, para que eu possa permanecer forte neste ambiente”. Depois de orar, lembrei-me desta passagem da palavra de Deus. “Fé e amor máximos são exigidos de nós neste estágio da obra. Podemos tropeçar ao menor descuido, pois este estágio da obra é diferente de todos os anteriores: o que Deus está aperfeiçoando é a fé da humanidade, que é invisível e intangível. O que Deus faz é converter palavras em fé, em amor e vida. As pessoas devem chegar a um ponto em que tenham suportado centenas de refinamentos e tenham fé maior que a de Jó. Elas devem suportar um sofrimento incrível e todos os tipos de tortura sem jamais abandonar a Deus. Quando são obedientes até a morte e têm grande fé em Deus, então este estágio da obra de Deus está completo” (‘A senda… (8)’ em “A Palavra manifesta em carne”). Contemplei a palavra de Deus e então entendi que, em Sua obra dos últimos dias, Deus usa Suas palavras e várias provações e refinamento para aperfeiçoar a fé das pessoas. Pensei nas tentações de Jó por Satanás. Ele perdeu seus filhos e bens de um dia para o outro e então seu corpo se cobriu de chagas. Em meio a tamanha provação, Jó nunca se queixou de Deus, mas continuou a louvar o nome de Deus. Permaneceu firme e testificou de Deus em sua provação. Então refleti sobre mim mesma. Minha família estava se separando por causa da perseguição pelo Partido Comunista e eu já estava reclamando. Vi que minha estatura era muito baixa e que eu não dava nenhum testemunho. Quando pensei nisso, senti muito remorso, então orei a Deus para prometer que, mesmo que meu marido se divorciasse, eu não desistiria da minha crença em Deus.

Inesperadamente, depois de alguns dias, meu marido pediu perdão a mim e disse que estava errado. Disse que não deveria ter mencionado o divórcio e que se sentira obrigado pelo Partido Comunista. Depois de um tempo, meu marido me disse de repente: “Se não posso convencê-la, eu me juntarei a você em sua crença em Deus Todo-Poderoso”. Eu também fiquei muito surpresa na época. Pensei que ele realmente tinha refletido sobre isso, então lemos a palavra de Deus juntos em casa. Uma semana depois, ele pediu que o levasse a uma reunião. Pensei que seu comportamento era um pouco estranho e não concordei. Fiquei surpresa quando ele se voltou contra mim e disse: “Se você não me levar a uma reunião, não acreditarei”. Ele também disse que fez isso para me convencer a mudar de opinião. Só então percebi que meu marido estava fingindo acreditar em Deus e que seu propósito era descobrir o local das nossas reuniões para que ele pudesse me monitorar e controlar. Eu não esperava que meu marido fosse fazer tal coisa. Depois disso, nós dois entramos numa guerra fria. Um dia, eu estava lendo a palavra de Deus em casa, quando meu marido começou a bater na porta, dizendo: “Não posso mais viver assim. Como nós dois chegamos a esse ponto?” Abri a porta, e ele veio para cima de mim como um louco, agarrou meu pescoço e gritou comigo: “Por que está tão determinada em crer em Deus Todo-Poderoso? Sua família e seu filho não são importantes para você? São realmente menos importantes do que o Deus em que acredita?” Estava tão sufocada que não podia respirar e, desesperada, clamei a Deus para que Ele me salvasse. Eu lutei, e ele me soltou. Na época, fiquei muito magoada e também muito decepcionada. Mais tarde, li uma passagem da palavra de Deus. “Por que o marido ama a esposa? Por que a esposa ama o marido? Por que os filhos são obedientes aos pais? Por que os pais amam tanto seus filhos? Que tipo de intenções as pessoas abrigam de fato? Sua intenção não é satisfazer seus próprios planos e desejos egoístas?” (‘Deus e o homem entrarão em descanso juntos’ em “A Palavra manifesta em carne”). Quando contemplei a palavra de Deus, eu me perguntei: “Meu marido realmente me ama?” Lembrei-me de todos os nossos anos de casamento. Meu marido conhecia melhor do que qualquer um os sacrifícios que eu tinha feito pela nossa família e sabia que eu acreditava no Senhor desde minha infância e que vivia na expectativa da vinda do Senhor, mas quando aceitei o Senhor, ele não só não me apoiou, mas ficou do lado do Partido Comunista e se opôs a mim para proteger seus interesses, me ameaçou com divórcio e até me sufocou cruelmente. Não existia o mínimo de respeito entre marido e esposa. Como isso podia ser chamado de amor verdadeiro? Também pensei em como, embora meu marido acreditasse no Senhor Jesus, ele só o fazia para exigir graça. Ele não ansiava nem um pouco pela vinda do Senhor. Quando Deus veio nos últimos dias para expressar a verdade e fazer a obra da salvação, temendo ser preso pelo Partido Comunista e regime de Satanás, ele não aceitou a nova obra de Deus e seguiu o Partido Comunista ao me obrigar a parar de acreditar. Vi que meu marido não era um verdadeiro crente em Deus. Era um incrédulo. As palavras de Deus dizem: “Crentes e incrédulos não são compatíveis; eles se opõem uns aos outros” (‘Deus e o homem entrarão em descanso juntos’ em “A Palavra manifesta em carne”). Meu marido e eu não estávamos trilhando a mesma estrada, portanto, não podia permitir que ele me restringisse.

Depois disso, meu marido me ameaçou várias vezes com o divórcio para me forçar a parar de crer em Deus. Quando pensei que poderia realmente perder minha família, ainda não suportei abrir mão. Na época, orei a Deus todos os dias pedindo que Ele me guiasse. Certo dia, vi uma passagem da palavra de Deus. “Como alguém que é normal e que busca o amor a Deus, a entrada no reino para se tornar integrante do povo de Deus é o verdadeiro futuro de vocês e é uma vida de valor e importância máximos; ninguém é mais abençoado do que vocês. Por que digo isso? Porque aqueles que não creem em Deus vivem para a carne, e vivem para Satanás, mas hoje vocês vivem para Deus e vivem para fazer a vontade de Deus. É por isso que Eu digo que a vida de vocês é de máxima importância. Somente esse grupo de pessoas, que foram escolhidas por Deus, é capaz de viver uma vida de máxima importância — mais ninguém na terra é capaz de viver uma vida de tal valor e significado” (‘Conheça a mais nova obra de Deus e siga os Seus passos’ em “A Palavra manifesta em carne”). Eu costumava pensar que ter uma família feliz, uma relação amorosa com meu marido e satisfazer minhas necessidades materiais era a definição de felicidade e que viver assim era significativo. Mas agora vi claramente que o tal do amor entre marido e esposa só se baseia em não interferir nos interesses pessoais um do outro. Como diz o ditado: “Casais casados são pássaros do amor até que a adversidade os faz voar em direções opostas”. No passado, quando eu trabalhava muito pela família e marido, meu marido se importava muito comigo, mas agora que eu acreditava em Deus, ele viu que seus interesses estavam em perigo, então ele começou a me perseguir e queria se divorciar de mim. Francamente, o tal do amor entre marido e esposa é simplesmente um usar o outro. Que felicidade poderia existir nesse tipo de vida? Pensei em como ele me monitorou ao longo dos últimos meses e como me proibiu de ir às reuniões e de cumprir meus deveres. Eu não podia me encontrar com meus irmãos e irmãs, meu coração não estava em paz quando eu lia a palavra de Deus em casa e tive que pensar em jeitos de lidar com meu marido quando eu saía para pregar o evangelho. Eu não tinha nenhuma liberdade, como se estivesse amarrada e sendo sufocada por uma corda invisível, e se as coisas continuassem assim, não só a minha vida sofreria, eu também perderia a chance de ganhar a verdade e a salvação de Deus. Não valia a pena. Foi quando percebi de forma cada vez mais clara que o amor conjugal da vida de família não era felicidade real. Eu só poderia viver uma vida significativa buscando a verdade e cumprindo os deveres de um ser criado. Também me lembrei das palavras do Senhor Jesus: “Quem ama o pai ou a mãe mais do que a mim não é digno de mim; e quem ama o filho ou a filha mais do que a mim não é digno de mim. E quem não toma a sua cruz, e não segue após mim, não é digno de mim” (Mateus 10:37-38). Pensei nos muitos santos ao longo das eras e em como, a fim de executar a comissão de Deus, eles renunciaram ao lar, à carreira e cruzaram oceanos para pregar o evangelho e dar testemunho de Deus, suportando sofrimento e até desistindo de sua vida. Seu testemunho ganhou a aprovação de Deus. Deus predestinou que eu nasceria nos últimos dias e me escolheu para vir até Ele para que eu pudesse ganhar Sua salvação. Esta é uma oportunidade incrivelmente rara e é a graça e exaltação de Deus para mim. Se eu não conseguisse cumprir meus deveres por causa das restrições do meu marido, eu deveria demais a Deus e não teria nenhuma consciência! Percebendo isso, fiz um juramento de que agiria como os santos do passado e renunciaria a tudo, que seguiria a Deus e cumpriria os deveres de um ser criado.

Certa noite, depois de voltar de uma reunião, eu abri a porta e vi que muitas pessoas tinham vindo para a minha casa, meus colegas e os amigos e parentes do meu marido. No instante que me viram, todos eles tentaram me persuadir a desistir de crer em Deus. Alguns disseram que viram transmissões na TV de que o Partido Comunista tinha detido muitos crentes em Deus Todo-Poderoso, e alguns deles foram condenados a dez anos no mínimo. Outros disseram que crentes em Deus Todo-Poderoso não seriam apenas condenados à prisão quando detidos, muitos ficavam aleijados ou eram mortos em detenção e suas famílias também sofriam. Alguns também repetiram as falácias e os rumores do Partido Comunista para difamar a Igreja e disseram que crentes em Deus abandonam suas famílias. Tudo isso me deixou muito irritada. Se não fosse pela perseguição pelo Partido Comunista, minha família e amigos não se oporiam nem me atacariam desse jeito. O Partido Comunista distorce os fatos e espalha rumores, para que as pessoas que não conhecem os fatos resistam a Deus e sejam condenadas por Deus, e, no fim, elas serão destruídas juntamente com ele. Ele não é nada senão maligno! Com tudo isso em mente, eu os refutei: “Se vocês não entendem o que significa crer em Deus, não falem absurdos sobre isso. Vocês sabem por que eu insisto em crer em Deus a despeito dos riscos? Porque o Salvador veio e expressou muita verdade para salvar as pessoas, para nos ajudar a escapar da influência de Satanás e do desastre. Essa é uma oportunidade incrivelmente rara! O Partido Comunista não permite que as pessoas acreditem em Deus, ele oprime e persegue freneticamente as pessoas que creem em Deus, detém e prende tantas pessoas. Há tantas pessoas que não podem voltar para casa, tantas que ficaram aleijadas e que foram espancadas até a morte, e tantos cristãos cujos lares foram destruídos. Tudo isso não é feito do Partido Comunista? Obviamente, é o Partido Comunista que persegue pessoas que acreditam em Deus e que destrói famílias cristãs, mas ele vira tudo de ponta-cabeça e diz que os crentes em Deus estão abandonando suas famílias. Isso não é trocar o certo pelo errado? Vocês não só não odeiam o PCCh, mas estão tentando me impedir de crer em Deus. Vocês não conhecem a diferença entre certo e errado? A senda de crer em Deus foi minha própria escolha. Mesmo que seja presa, estou determinada a seguir Deus Todo-Poderoso”. Quando viram que não me convenceriam, decidiram que tudo que podiam fazer era ir embora. Impotente, meu marido me disse: “Parece que ninguém consegue mudar sua opinião, então vamos nos divorciar. Você acredita em Deus Todo-Poderoso, e o governo lança ataques contra pessoas como você. Quando isso acontecer, você perderá seu emprego e talvez até a sua vida. Mas nós queremos continuar vivos, então parece que não temos outra escolha. O Partido Comunista coloca as pessoas contra a parede”. Fiquei um pouco triste ao ouvir isso, mas estava ciente de que tinha chegado a hora de escolher. Escolhi crer em Deus, seguir a Deus e ganhar a verdade e a vida, e meu marido escolheu seguir o Partido Comunista para proteger seu emprego e futuro. Só podíamos seguir caminhos separados. Na época, orei a Deus: “Deus, não importa em que tipo de ambiente eu me encontre, eu Te seguirei até o fim”.

Na manhã seguinte, meu marido e eu fomos ao cartório de registro civil para finalizar o processo de divórcio, encerrando doze anos de vida conjugal. Desde então, tenho sido capaz de ir a reuniões e de cumprir meus deveres normalmente e tenho me sentido firme e em paz. Acredito que a única vida significativa é cumprir os deveres de um ser criado.

Anterior: Encruzilhada

O alarme dos últimos dias já tocou e grandes desastres já começaram. Você quer dar as boas-vindas ao retorno do Senhor e ter a chance de receber a proteção de Deus com sua família?

Conteúdo relacionado

O julgamento é o amor de Deus

Por Sien, Estados Unidos As palavras de Deus dizem: “Por fim, qual é o testemunho que o homem dá de Deus? O homem testifica que Deus é o...

Conecte-se conosco no Messenger