Cumprir um dever nada tem a ver com senioridade

01 de Agosto de 2022

Por Shangjin, Coreia do Sul

Tenho participado da gravação de hinos por vários anos. Visto que eu acreditava em Deus havia bastante tempo, alguns irmãos me procuravam antes de gravar os hinos para que eu comungasse meu entendimento das letras dos hinos da palavra de Deus. Às vezes, um líder de grupo pedia aos irmãos jovens que comungassem comigo a palavra de Deus. Com o passar do tempo, descobri que, em relação à comunhão da palavra de Deus, eu tinha ganho a aprovação dos meus irmãos e do líder de grupo, e eu fiquei muito feliz. Embora meu canto fosse o pior, meu entendimento da palavra de Deus era um dos melhores entre meus irmãos. Para ganhar a admiração dos meus irmãos, sempre que pediam que eu compartilhasse meu entendimento das letras de um hino, eu as contemplava com antecedência e encontrava algum vídeo ou comunhão relacionado às letras como referência. Desse jeito, meu entendimento poderia ser mais elevado do que o dos outros. Além disso, embora dissesse a todos que minha capacidade de receber era limitada e que todos nós devíamos comungar apenas o que entendíamos, quando os outros comungavam, eu não ouvi com atenção. Em vez disso, eu só pensava em como compartilhar um entendimento mais singular do que os outros. Às vezes, eu pedia que os irmãos comungassem primeiro, então, depois de sua comunhão, eu apontava as falhas e lhes dizia como eu entendia as letras dessa música. Quando terminava, alguns irmãos diziam felizes: “Sua comunhão é tão útil para nós”. Outros diziam: “Tenho pouca experiência e pouco entendimento da palavra de Deus. No future, pedirei sua comunhão antes de cada música que gravarmos”. Depois de ouvir essas coisas, embora os lembrasse de não confiar em outros e que eles deviam fazer o esforço de contemplar a palavra de Deus, no meu coração, eu me apreciava inconscientemente.

Houve também algumas reuniões em que falamos sobre o discernimento de anticristos, e alguns irmãos me disseram: “Irmão, temos um entendimento superficial das palavras de Deus que revelam anticristo e não conseguimos discernir com base na situação real. Por favor, comungue conosco!”. Em tais momentos, eu dizia pouco, mas sentia uma superioridade no meu coração. Achava que acreditava em Deus havia muito tempo, que tinha conhecido muitas pessoas e experimentado muitas coisas, por isso tinha um entendimento mais profunda da palavra de Deus do que meus irmãos. Depois disso, eu comungava incidentes de anticristos que enganaram pessoas que tinha ouvido antes. Quando vi que todos me ouviam intensamente, eu gostei muito da sensação de ser valorizado. Aos poucos, descobri que alguns irmãos raramente ponderavam o significado das letras dos hinos e simplesmente aguardavam minha comunhão. Eu estava entorpecido na época e não sabia refletir sobre mim mesmo. Eu só tinha uma sensação vaga de que isso era inapropriado. Até achava que o que eu comungava era apenas como eu entendia a palavra de Deus e que isso era útil para os meus irmãos, portanto, não deveria ser um problema. Por isso, não refleti muito sobre isso. E assim, antes que o percebesse, eu me coloquei num pedestal.

Uma vez, antes da gravação, uma irmã mais jovem me disse: “Irmão, conte-nos uma história bíblica relacionada a esse hino!”. Para deixar a história mais vívida, quando falava, eu imitava o tom das palavras de Deus Jeová. Assim que disse algumas palavras, me senti muito desconfortável. Pensei: “É inapropriado que eu imite o tom das palavras de Deus?” Mas, afinal de contas, eu estava fazendo isso para ajudar a colocar as pessoas no estado de gravação, por isso achei que não seria um problema. No entanto, após falar apenas por pouco tempo, a irmã jovem me disse: “Irmão, você está me deixando com sono”. Quando ouvi-la dizer isso, senti um calor no meu rosto e parei de falar imediatamente. Já que ninguém estava na melhor condição naquele momento, a qualidade da gravação foi ruim, mas eu não refleti sobre mim mesmo. Naquela noite, de repente, meus problemas estomacais se manifestaram. Mesmo após tomar o remédio, continuei sentindo dor no meu estômago de vez em quando. Mais ou menos às duas da noite, senti uma dor violenta no meu estômago. Era tão doloroso que fiquei me revirando na cama. Era como se pudesse morrer a qualquer momento. Naquele momento, lembrei-me claramente das palavras de Deus: “Mas qualquer doença séria — quando você é derrubado por uma doença e, do nada, a vida se torna insuportável — esse tipo de sensação ou doença não acontece por acaso” (‘Na fé em Deus, ganhar a verdade é absolutamente crucial’ em “As declarações de Cristo dos últimos dias”). Por meio do lembrete da palavra de Deus, percebi que o ataque repentino dessa doença não era um acaso, aconteceu com a permissão de Deus, então refleti sobre o que eu tinha exposto recentemente. Percebi que, antes da gravação, a fim de contar a história bíblica mais vividamente e fazer com que os irmãos me admirassem, eu tinha imitado o tom da voz de Deus. Fiquei chocado diante das minhas ações. Lembrei-me das palavras de Deus: “Devem reverenciar o testemunho de Deus. Não devem ignorar a obra de Deus nem as palavras de Sua boca. Não devem imitar o tom nem os objetivos das declarações de Deus” (‘Os mandamentos da nova era’ em “A Palavra manifesta em carne”). “Deveria vigiar seus passos para evitar transgredir os limites estabelecidos para você por Deus. Se transgredir, isso o levará a se colocar na posição de Deus e a falar palavras presunçosas e pomposas, e assim você se tornará detestado por Ele” (‘Os mandamentos da nova era’ em “A Palavra manifesta em carne”). Quando pensei nisso, fiquei com muito medo. Deus nos lembrou muito tempo atrás que devemos permanecer em nossa posição, ter cuidado com a nossa língua e nunca imitar o tom das declarações de Deus, caso contrário seremos odiados por Deus. Mesmo assim, para que as pessoas me admirassem, imitei o tom de Deus. Eu não estava me colocando na posição de Deus ao fazer isso? Isso é algo que ofende seriamente o caráter de Deus. Só então percebi que isso era a disciplina de Deus para mim. Rapidamente, orei a Deus. “Deus, sou tão descarado. A fim de ganhar a admiração dos meus irmãos, imitei o tom da Tua voz para me exibir. Fui tão arrogante que perde toda razão. Deus, desejo me arrepender e pedir que Tu me leves a conhecer a mim mesmo”. Fiquei refletindo, orando e buscando com Deus, e, sem que eu percebesse, minha dor diminuiu um pouco.

Depois disso, eu me perguntei como eu podia fazer tal coisa. Em minha reflexão, li uma passagem das palavras de Deus. Deus Todo-Poderoso diz: “Hoje, vocês enfrentam um problema muito grande. Que problema é esse? É que, já que vocês são capazes de pregar um pouco de doutrina, têm uma compreensão de certos ditados espirituais e conseguem falar um pouco sobre suas experiências de conhecerem a si mesmos, vocês acham que entendem a verdade, que sua fé em Deus alcançou certo nível, que vocês estão acima da maioria das pessoas. Mas, na verdade, vocês não entraram na realidade da verdade, e sem pessoas que os apoiem e provejam para vocês, sem pessoas que comunguem a verdade com vocês e guiem vocês, vocês parariam e se tornariam dissolutos. Vocês são incapazes de empreender o trabalho de testificar de Deus, não são capazes de completar a comissão de Deus, mas, por dentro, vocês ainda têm uma opinião elevada sobre si mesmos, acham que entendem mais do que a maioria das pessoas — mas, na verdade, vocês carecem de estatura, vocês não entraram na realidade da verdade e ficaram arrogantes só porque são capazes de entender algumas palavras e frases de doutrina. Assim que as pessoas entram nesse tipo de estado, quando acham que já ganharam a verdade, e se tornam complacentes, em que tipo de perigo elas se encontram? Se um falso líder ou anticristo convincente realmente aparecer, sem dúvida alguma, vocês serão enganados e começarão a segui-lo. Isso é perigoso, não é? Vocês tendem a ser arrogantes, presunçosos e complacentes — nesse caso, vocês não se desviarão de Deus? Vocês não darão as costas a Deus e seguirão seu próprio caminho? Sem a realidade da verdade, vocês não serão capazes de testificar de Deus; vocês só testificarão e se gabarão de si mesmos — e então não estarão em perigo, também? […] Vocês podem ter cumprido seus deveres por vários anos, mas não houve nenhum progresso discernível em sua entrada na vida, vocês só entendem algumas doutrinas superficiais e não têm conhecimento verdadeiro do caráter e da essência de Deus, não têm percepções que mereçam ser mencionadas — e se essa for a sua estatura hoje, o que estarão propensos a fazer? Que extravasões de corrupção terão? (Arrogância e presunção.) Sua arrogância e presunção se intensificarão ou permanecerão inalteradas? (Elas se intensificarão.) Por que se intensificarão? (Porque acreditaremos que somos altamente qualificados.) E em que se baseia essa alta qualificação que as pessoas acreditam ter? Em quando anos têm cumprido certo dever, em quanta experiência ganharam, não é? E sendo esse o caso, vocês não passarão a pensar gradativamente em termos de senioridade? Por exemplo, certo irmão tem acreditado em Deus por muitos anos e cumpriu um dever por muito tempo, portanto, é o mais qualificado a falar sobre esse dever; certa irmã está aqui há pouco tempo e, embora tenha um pouco de calibre, ela não é experiente no cumprimento desse dever e não tem acreditado em Deus há muito tempo, portanto, é a menos qualificada a falar. A pessoa mais qualificada a falar pensa: ‘Já que tenho senioridade, isso significa que o desempenho do meu dever está à altura do padrão e minha busca alcançou seu pico, e não há nada que eu deva buscar ou em que deva entrar. Tenho cumprido bem esse dever, basicamente completei esse trabalho, Deus deveria estar satisfeito’. E dessa forma, ela começa a ficar complacente. Isso indica que ela entrou na realidade da verdade? Ela parou de fazer qualquer progresso. Ela ainda não ganhou a verdade nem a vida e ainda assim se acha altamente qualificada e fala em termos de senioridade, esperando pela recompensa de Deus. Isso não é a extravasão de um caráter arrogante? Quando as pessoas não são ‘altamente qualificadas’, elas sabem ser cautelosas, elas se lembram de que não devem cometer erros; assim que se acham altamente qualificadas, elas ficam arrogantes, começam a ter uma opinião elevada de si mesmas e são propensas a ser complacentes. Em momentos assim, não é provável que peçam a Deus recompensas e uma coroa como fez Paulo? (Sim.) Qual é a relação entre o homem e Deus? Essa não é uma relação entre o Criador e seres criados. Não é nada mais do que um relacionamento transacional. E quando esse é o caso, as pessoas não têm relacionamento com Deus, e provavelmente Deus lhes ocultará Sua face — o que é um sinal perigoso” (‘Só com o temor de Deus é possível trilhar a senda da salvação’ em “As declarações de Cristo dos últimos dias”). Depois de ler a palavra de Deus, eu a comparei com meu estado. Depois de iniciar meu dever no grupo de hinos, quando via muitos irmãos ao meu redor que acreditavam em Deus havia pouco tempo, inconscientemente, comecei a achar que eu tinha senioridade. Achava que eu tinha acreditado em Deus por muito tempo, o que me tornava o sênior no meu grupo. Assim me coloquei numa posição elevada. Sempre que interagia com meus irmãos, eu achava que tinha mais experiência e senioridade da que eles. Quando comungávamos nosso entendimento das letras, eu já tinha decidido que eles tinham pouca experiência, um entendimento superficial da palavra de Deus e que não havia muita luz nem entendimento em sua comunhão, assim, quando comungavam, eu nunca os ouvia com cuidado. Sempre deixava meus irmãos comungar primeiro para então falar de algum entendimento que eles não percebiam, gerando a impressão de que eu sabia melhor do que todos. A partir desses meus pensamentos, vi que minha natureza era arrogante demais. Eu via meus anos de crença em Deus e de ouvir sermões como capital, usava isso para me exibir sem sentir nenhuma culpa. Eu não tinha nenhum senso de vergonha! Pensei em como eu conseguia falar do meu pouco entendimento da palavra de Deus. Isso não era graças ao esclarecimento do Espírito Santo? Mas em vez de exaltar e testificar de Deus, eu tentava roubar a glória de Deus e usava a obra do Espírito Santo como capital para me exibir. Eu era realmente descarado!

Mais tarde, lembrei-me das palavras de Deus. “A verdade é a vida do Próprio Deus; ela representa o Seu caráter, Sua essência e o que Ele tem e é. Se você diz que, tendo alguma experiência e conhecimento, você tem a verdade, você alcançou a santidade? Por que você ainda revela corrupção? Por que não consegue discernir entre diferentes tipos de pessoas? Por que não consegue testificar de Deus? Mesmo que entenda algumas verdades, você pode representar Deus? Consegue viver o caráter de Deus? Você pode ter um pouco de experiência, conhecimento e luz sobre certo aspecto da verdade, mas o que você pode prover às pessoas é extremamente limitado e não pode durar muito tempo, porque o seu entendimento e a luz que você obteve não representam a essência da verdade e não representam a verdade em sua totalidade. Representam apenas um lado ou um pequeno aspecto da verdade, é apenas um nível que pode ser alcançado pelos seres humanos e ainda está longe da essência da verdade. Esse pouquinho de luz, esclarecimento, experiência e conhecimento nunca poderá tomar o lugar da verdade. Mesmo que todas as pessoas experimentassem uma verdade e todas as suas experiências e conhecimento fossem reunidos, isso não alcançaria a totalidade e a essência nem mesmo de uma única linha dessa verdade. […] Algumas pessoas dizem que têm a verdade assim que entendem o significado textual da palavra de Deus. Isso não é absurdo? Tanto em termos de luz como de conhecimento, há uma questão de profundidade. As realidades da verdade em que uma pessoa pode entrar durante uma vida inteira de crença são limitadas. Portanto, só porque você possui algum conhecimento e luz, isso não significa que você possui as realidades da verdade. A coisa principal que você deve analisar é se essa luz e esse conhecimento tocam a essência da verdade. Isso é o mais importante. Algumas pessoas acham que possuem a verdade quando conseguem lançar luz ou oferecer um pouco de entendimento superficial. Isso as deixa felizes, então elas se tornam presunçosas e convencidas. Na verdade, ainda estão longe de entrar na realidade da verdade. Que verdade as pessoas poderiam possuir? Pessoas que detêm a verdade podem cair a qualquer momento e em qualquer lugar? Detendo a verdade, como elas ainda podem desafiar e trair Deus? Se você alegar que tem a verdade, isso prova que a vida de Cristo está dentro de você — então isso é terrível! Você se tornou o Senhor, você se tornou Cristo? Essa é uma afirmação absurda, inteiramente inferida pelas pessoas; pertence às noções e imaginações humanas e não é uma posição sustentável com Deus” (“As declarações de Cristo dos últimos dias”, Parte 3). A palavra de Deus é muito clara. Mesmo que uma pessoa tenha algum conhecimento da verdade, isso só representa sua experiência pessoal. Não pode prover para a vida das pessoas e jamais pode substituir a verdade! Confrontado com a verdade, um pouco de conhecimento humano só é uma gota no oceano. É simplesmente insignificante. Sem Deus para expressar a verdade e sem o esclarecimento do Espírito Santo, jamais conheceríamos a verdade. Muito menos teríamos entendimento prático da verdade. O fato de eu ter um pouco de entendimento da palavra de Deus era porque eu ouvira muita comunhão e experiência dos outros nas reuniões. Eu tinha aprendido alguma doutrina ouvindo a comunhão de outras pessoas. Mesmo que minha comunhão tivesse algum esclarecimento, não era conhecimento real que eu tinha ganho praticando a verdade e experimentando as palavras de Deus, era simplesmente as palavras de outros que eu tinha aprendido. A despeito disso, eu usava essas coisas como capital para me exibir, gabando-me descaradamente na frente dos meus irmãos e desfrutando da sensação de ser admirado. Eu era totalmente insensato! Eu tinha acreditado em Deus por muito tempo, mas mal tinha colocado algo da verdade em prática. Eu me contentava em ter um entendimento superficial da palavra de Deus e até o tratava como capital, achando que eu entendia muito mais e tinha percepção maior das palavras de Deus do que os outros, mas, na verdade, eu estagnava na minha entrada na vida e na minha busca da verdade. Eu era tão ignorante!

Um dia, durante meus devocionais, li uma passagem da palavra de Deus que revela anticristos que me ajudou a entender um pouco mais sobre mim mesmo. As palavras de Deus dizem: “A essência do comportamento dos anticristos é usar vários meios e métodos o tempo todo para alcançar seu objetivo de ter status, de conquistar as pessoas e fazer com que elas os sigam e venerem. É possível que, nas profundezas do coração, não estejam disputando de forma deliberada a humanidade com Deus, mas uma coisa é certa: mesmo quando não disputam com Deus pelos humanos, ainda desejam ter status e poder entre os homens. Mesmo se chegar o dia em que percebam que estão disputando com Deus por status e se contenham um pouco, ainda empregam vários métodos para buscar status e prestígio; está claro para eles em seu coração que eles garantirão status legítimo, conquistando a aprovação e a admiração dos outros. Em resumo, embora tudo que os anticristos fazem pareça englobar um desempenho de seus deveres, a consequência disso é enganar as pessoas, fazer com que elas os adorem e sigam — nesse caso, cumprir seu dever desse jeito é exaltar e testificar de si mesmo. Sua ambição por controlar as pessoas — e por ganhar status e poder na igreja — nunca mudará. Esse é um anticristo absoluto. Não importa o que Deus diga ou faça e não importa o que Ele peça às pessoas, os anticristos não fazem o que devem fazer nem cumprem seus deveres de uma forma que condiga com as palavras e exigências de Deus, nem desistem de sua busca por poder e status como resultado de entender Suas declarações e um pouco do significado da verdade; a ambição e os desejos deles ainda permanecem, eles ainda ocupam seu coração e controlam todo o seu ser, dirigindo seu comportamento e seus pensamentos e determinando a senda que trilham. Esses são anticristos legítimos” (‘Eles confundem, atraem, ameaçam e controlam as pessoas’ em “Expondo os anticristos”). A partir da revelação da palavra de Deus, ganhei algum conhecimento e discernimento da essência do que os anticristos fazem. Não importa quão zelosamente os anticristos trabalhem, se despendam, sofram, paguem um preço ou ajudem seus irmãos por amor, seus motivos são sempre os mesmos. Tudo que fazem é para ganhar o favor de seus irmãos como meio para alcançar seu objetivo de ganhar a admiração e adoração das pessoas. Eles usam vários meios para se exibir e assim trazer as pessoas para diante de si mesmos sem que os outros percebam. A essência daquilo que os anticristos fazem é igual à do arcanjo. Sempre querem ter uma posição alta e competir com Deus por status e pessoas. Sua ambição por status e poder nunca muda. Eu usei essas manifestações dos anticristos para considerar minhas ações. Embora não pretendesse competir com Deus pelas pessoas, quando comungava com os outros, eu sempre pensava em como comungar para que os outros me admirassem e adorassem. Até queria que me procurassem quando tinham dificuldades em entender as palavras de Deus. A fim de alcançar esse objetivo, investi muito esforço em entender as letras dos hinos secretamente. Visto que eu não exaltava nem testificava a Deus, nem guiava meus irmãos a confiarem em Deus, seu coração se afastou cada vez mais de Deus e eles não confiavam mais em Deus para contemplar as letras. Em vez disso, esperavam pela minha comunhão. Eu não estava trazendo todos para diante de mim mesmo? Eu estava trilhando a senda do anticristo! Após crer por tantos anos, embora pudesse discutir um pouco de entendimento da palavra de Deus, meu caráter de vida não tinha mudado nem um pouco. Externamente, eu não ousava competir descaradamente com Deus por status e pessoas, mas, no coração, eu nunca tinha desistido da busca por status e reputação. No ambiente certo, eu me exibia sem querer para ganhar a admiração das pessoas. Eu era lamentável. Depois de anos de crença em Deus, eu só conseguia falar de doutrina e não possuía nenhuma realidade, ainda assim achava arrogantemente que eu era bom. Eu não tinha nenhuma autoconsciência. Pensei nos irmãos jovens à minha volta. Embora alguns acreditassem em Deus havia pouco tempo e seu entendimento da palavra de Deus fosse superficial, eles buscavam com paixão. Uma vez que entendiam a palavra de Deus, conseguiam praticá-la imediatamente e entrar nela em sua vida, e quando revelavam caracteres corruptos, eles buscavam a verdade para resolvê-los. Quanto mais me comparava com eles, mais envergonhado ficava. Eu não era nada, mas sempre exibia minha senioridade na frente dos meus irmãos. Eu era muito descarado! Dessa vez, se Deus não tivesse usado a doença para me lembrar e disciplinar, eu teria trilhado a senda de resistir a Deus sem nem mesmo perceber!

Mais tarde, li algumas passagens da palavra de Deus. “Como uma das criaturas, o homem deve guardar sua própria posição, e se comportar conscienciosamente. Obedientemente guarde aquilo que lhe é confiado pelo Criador. Não aja indevidamente, nem faça coisas além de sua capacidade ou que são abomináveis para Deus. Não tente ser grande nem se tornar um super-homem nem estar acima dos outros, nem busque tornar-se Deus. É isso que as pessoas não devem desejar ser. Querer se tornar grande ou um super-homem é absurdo. Querer se tornar Deus é ainda mais vergonhoso; é repugnante e desprezível. O que é louvável, e o que as criaturas devem valorizar acima de tudo, é se tornar uma criatura verdadeira; esse é o único objetivo que todas as pessoas devem perseguir” (‘O Próprio Deus, o Único I’ em “A Palavra manifesta em carne”). “Este é o tipo de atmosfera que você deve ter dentro da igreja: todos se concentrando na verdade e se esforçando para alcançá-la. Não importa quão velhos ou jovens as pessoas sejam, nem se são ou não crentes veteranos. Tampouco importa se eles têm calibre alto ou baixo. Essas coisas não importam. Diante da verdade, todos são iguais. As coisas que você deve observar são quem fala corretamente e em conformidade com a verdade, quem pensa nos interesses da casa de Deus, quem suporta o maior fardo no trabalho da casa de Deus, quem entende a verdade com maior clareza, quem compartilha um senso de justiça, e quem está disposto a pagar o preço. Tais pessoas devem ser apoiadas e aplaudidas por seus irmãos e irmãs. Essa atmosfera de retidão que vem da busca da verdade deve prevalecer dentro da igreja; dessa forma, você terá a obra do Espírito Santo, e Deus concederá bênçãos e orientação” (‘Ter uma semelhança humana requer cumprir seu dever apropriadamente, de todo o coração, mente e alma’ em “As declarações de Cristo dos últimos dias”). A palavra de Deus me mostrou que Deus quer que nos comportemos e cumpramos nossos deveres como seres criados com os pés no chão. Essa é a busca que as pessoas devem ter e a racionalidade que as pessoas devem possuir. Eu não deveria ter exibido minha senioridade. Não importa por quanto tempo eu acredite em Deus e quantos deveres tenha cumprido na igreja, nem quanta experiência e conhecimento da palavra de Deus eu tenha, sempre serei um ser criado e devo buscar a verdade e cumprir meu dever em pé de igualdade com meus irmãos. Esse é o único jeito de receber a obra do Espírito Santo.

Quando entendi a vontade de Deus, eu tive alguma direção sobre a senda que eu devia trilhar no futuro. Depois disso, quando comungava as letras ou em reuniões com meus irmãos, eu não me exibia mais cegamente e ouvia com atenção a comunhão de todos. Descobri que alguns mostravam luz e esclarecimento ao falarem sobre suas experiências e conhecimento que eu não entendia, e isso me deixou ainda mais envergonhado. No passado, eu sempre achava que minha comunhão era a mais profunda, mas agora vi que eu não era melhor em comungar do que meus irmãos. Eu era arrogante e me achava demais, por isso sempre me via como o melhor e não conhecia meu próprio tamanho. Eu sabia que devia permanecer em minha posição, ouvir mais a comunhão dos outros e aprender a aceitar o esclarecimento e a luz de Deus. Era o único jeito de crescer.

Então, uma tarde, um irmão me enviou uma mensagem pedindo que eu compartilhasse meu entendimento das letras de dois hinos, mas, por falta de tempo, eu não tive tempo para estudá-las antecipadamente. Fiquei muito preocupado: “Se minha comunhão for ruim, o que meus irmãos pensarão de mim?” Naquele momento, percebi que eu queria usar a comunhão da palavra de Deus para ganhar a admiração das pessoas de novo, então orei a Deus, dizendo que eu queria renunciar às minhas intenções erradas. Depois disso, eu disse ao meu irmão: “Eu também não entendo bem os dois hinos, eu não sei muito, mas podemos comungar juntos”. Quando voltei minha mente para a direção certa, vi a orientação de Deus, recebi alguma inspiração da comunhão do meu irmão e, com base em sua comunhão, falei um pouco sobre minhas percepções. Dessa forma, complementamos um ao outro, e, enquanto comungávamos, nosso coração se iluminou.

Experimentei de verdade que, quando não nos exibimos e quando comungamos a verdade em pé de igualdade com os irmãos, recebemos a obra do Espírito Santo e nosso coração se alivia e fica à vontade. Graças a Deus!

O alarme dos últimos dias já tocou e grandes desastres já começaram. Você quer dar as boas-vindas ao retorno do Senhor e ter a chance de receber a proteção de Deus com sua família?

Conteúdo relacionado

Derrotando Satanás na batalha

Por Chang Moyang, Província de Henan As palavras de Deus Todo-Poderoso dizem: “Quando você se rebelar contra a carne, inevitavelmente,...

Liberta dos laços da inveja

Por Joylin, Filipinas Eu tinha acabado de aceitar a obra de Deus Todo-Poderoso dos últimos dias em janeiro de 2018. Logo recebi um dever...

Conecte-se conosco no Messenger