Um dever não é moeda de troca para bênçãos

01 de Agosto de 2022

Por Xiaochen, China

Eu sempre tenho sido suscetível a doenças. Aos onze anos de idade, recebi o diagnóstico de anemia aplástica, portanto, meu sistema imunológico é muito fraco, meu corpo é fraco, meus membros são fracos e alguns passos já me cansam. Quando meu estado é sério, fico praticamente de cama. Meu médico disse que, quando meu estado era fraco, eu podia contrair uma infecção por causa da minha imunidade fraca, o que resultaria em febre alta, e se eu me machucasse, o sangramento poderia não parar e eu correria risco de vida. Depois de aceitar a obra de Deus Todo-Poderoso nos últimos dias, minha condição melhorou e eu também cumpri um dever na igreja. Muitos anos passaram, e eu não experimentei nenhum sintoma da minha doença. Vi que isso era a bênção de Deus e agradeci a Deus de coração.

Mais tarde, comecei a trabalhar na produção de vídeos para a casa de Deus. Quando pensava em como esses filmes davam testemunho da obra de Deus, eu sentia que esse trabalho era muito significativo. Ao mesmo tempo, pensava que, se trabalhasse muito e me despendesse por Deus e fizesse vídeos bons que testificam de Deus, eu teria uma parte nessas boas obras importantes, e que eu não só ganharia a proteção e bênçãos de Deus, mas que seria salvo por Deus e sobreviveria ao grande desastre. Pensar nessas coisas me levava a trabalhar ainda mais em minhas habilidades profissionais e nos princípios e a produzir mais obras que testificam de Deus. Sempre que um vídeo era publicado e eu via um clipe que tinha ajudado a produzir, meu coração se enchia de alegria e eu sentia ainda mais motivação em meu dever. A fim de alcançar resultados ainda melhores, eu buscava informações e estudava habilidades relacionadas e discutia as coisas com meus irmãos. Às vezes, as conversas iam até às três da manhã, e eu já estava fraco, então ficar acordado até tarde era demais para o meu corpo. Pensando bem, porém, eu não tivera nenhum problema com meu corpo havia anos e ficar acordado para estudar era para cumprir melhor o meu dever. Eu também tinha sido produtivo em meu dever, por isso tinha certeza de que Deus me protegeria. Contanto que cumprisse meu dever, alcançasse e contribuísse mais, eu tinha uma grande esperança de ser salvo. Mesmo que sofresse mais agora, isso valia a pena.

Um dia, meu supervisor me disse: “Irmão, entendemos que seu estado físico não é muito bom. Sua carga de trabalho é pesada, e tememos que, se você continuar, sua condição possa piorar. Por que não vai ao hospital fazer um check-up? Se tudo estiver normal, você poderá continuar com seu dever aqui. Se sua saúde não estiver boa, você pode ir para casa e se recuperar e fazer o que puder enquanto se tratar”. Mas, na época, não consegui me submeter e não consegui acalmar meu coração. Pensei: “Esse é um tempo crítico no nosso dever, e meus irmãos estão cumprindo seus deveres ativamente para acumular boas obras. Se houver um problema com meu corpo agora, não poderei acumular boas obras nesse dever importante, e não terei boas obras nem resultados. Quando a obra de Deus terminar, o que terei a oferecer a Deus? Eu não serei expulso por Deus? Não cairei em calamidade?”. Também pensei que eu tinha produzido algumas obras nos últimos anos, assim, se fosse para casa para me recuperar e não pudesse continuar nesse dever, isso não seria desistir do preço que eu tinha pago ao longo dos últimos anos? Vi que meus parceiros tinham uma saúde boa, não tinham essas preocupações e conseguiam cumprir seu dever com seu espírito em paz, mas eu estava prestes a perder tudo. Quanto mais pensava, mais negativo me sentia. Meu futuro era sombrio, e eu perdi o interesse em meu dever. Mais tarde, orei a Deus: “Deus! Estou tão triste e negativo e tenho muitas queixas e equívocos. Não consigo me tirar desse estado. Por favor, me esclarece para que eu possa entender a Tua vontade e meu caráter corrupto e me submeter aos Teus arranjos e orquestrações”.

Depois disso, li estas palavras de Deus: “Atualmente, a maioria das pessoas está neste tipo de estado: ‘A fim de ganhar bênçãos, preciso me despender por Deus e pagar um preço por Ele. A fim de ganhar bênçãos, preciso abandonar tudo por Deus; preciso completar o que Ele me confiou e desempenhar bem o meu dever’. Isso é dominado pela intenção de ganhar bênçãos, o que é um exemplo de despender-se inteiramente pelo propósito de obter recompensas de Deus e ganhar uma coroa. Tais pessoas não têm a verdade no coração e seu entendimento certamente consiste apenas em poucas palavras de doutrina com as quais elas se exibem para onde quer que vão. A senda delas é a de Paulo. A crença de tais pessoas é um ato de labuta constante e, lá no fundo, elas sentem que, quanto mais fizerem, mais isso provará sua lealdade a Deus; que, quanto mais fizerem, certamente Ele ficará mais satisfeito e que, quanto mais fizerem, mais merecerão que uma coroa lhes seja concedida diante de Deus e maiores serão as bênçãos que ganharão. Elas pensam que, se puderem suportar sofrimento, pregar e morrer por Cristo, se sacrificarem a própria vida e se conseguirem completar todos os deveres que Deus lhes confiou, estarão entre aqueles que ganham as maiores bênçãos — e uma coroa certamente lhes será concedida. Isso é precisamente o que Paulo imaginava e buscava; é exatamente a senda que ele trilhou, e foi sob a orientação de tais pensamentos que ele trabalhou para servir a Deus. Tais pensamentos e intenções não têm origem numa natureza satânica? É como os humanos mundanos, que acreditam que, enquanto estiverem na Terra, precisam buscar conhecimento e que somente após obtê-lo podem destacar-se da multidão, tornar-se oficiais e ter status; acreditam que, uma vez que tiverem status, poderão realizar suas ambições e levar seu lar e negócio a determinado nível de prosperidade. Não são os incrédulos, todos eles, que trilham essa senda? Aqueles que são dominados por essa natureza satânica só podem ser iguais a Paulo em sua fé. Eles pensam: ‘Devo renunciar a tudo e despender-me por Deus; devo ser fiel diante Dele, e um dia definitivamente receberei grandes recompensas e grandes coroas’. Essa é a mesma atitude das pessoas mundanas que buscam coisas mundanas; elas não são nem um pouco diferentes, e estão sujeitas à mesma natureza. Quando as pessoas têm esse tipo de natureza satânica, lá fora no mundo, elas buscarão obter conhecimento, aprendizado, status e destacar-se da multidão; se acreditarem em Deus, buscarão obter grandes coroas e grandes bênçãos. Se as pessoas não buscarem a verdade quando acreditam em Deus, certamente seguirão essa senda; isso é um fato imutável, é uma lei natural. A senda que pessoas que não buscam a verdade trilham é diametralmente oposta à de Pedro(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Como trilhar a senda de Pedro”). A palavra de Deus revelou o meu estado. Eu achava que suportar adversidade e pagar um preço em meu dever para contribuir a minha parte ao trabalho de espalhar o evangelho do reino garantiria que eu fosse elogiado e abençoado por Deus e, no fim, eu seria recompensado e salvo por Deus. Para alcançar esse objetivo, eu ficava acordado sem me queixar sobre o quanto eu sofria, mas quando pareceu que eu não poderia continuar por razões físicas, vi meu desejo de ser abençoado destruído, de modo que minha vontade de cumprir meu dever se foi e eu não quis despender nada. Vi que sempre tentara fazer transações em minha crença em Deus. Eu queria ser usado em funções importante e produzir obras como meio de pedir graça e bênçãos de Deus. Eu estava sempre disposto a sofrer e me despender, mas só com a intenção de ganhar bênçãos. Eu estava enganando e usando Deus. Minhas intenções eram desprezíveis! Pensando nisso, percebi que não devia mais resistir a esse ambiente. Eu devia me submeter, buscar a verdade e resolver as impurezas em minha crença em Deus e caracteres corruptos.

Depois disso, fui ao hospital fazer o exame. Havia várias taxas sanguíneas que estavam abaixo do padrão, e a contagem de placas estava muito abaixo do normal. O médico disse que eu poderia sofrer uma hemorragia se não me cuidasse. Meu supervisor e meus irmãos sugeriram que eu ficasse em casa por um tempo e continuasse meu dever após a minha recuperação. Depois, fui para casa para completar o tratamento e voltava para exames de vez em quando. Alguns meses passaram, mas minha saúde não melhorou, e eu fiquei um pouco ansioso e procurei um médico especializado em medicina chinesa tradicional. O médico idoso disse: “Sua recuperação será lenta. Sua condição é séria e levará tempo para melhorar”. Fiquei muito decepcionado ao ouvir o médico dizer isso. Achava que, após voltar para casa e me recuperar, eu poderia retomar o trabalho de vídeos quando melhorasse. Mas eu estava em tratamento havia quase um ano. Por que eu não estava melhorando? Naquele ano, a casa de Deus produziu muitos vídeos e filmes, mas eu não pude participar na produção por causa de razões físicas. Eu temia que não seria capaz de cumprir esse dever de novo no futuro. Sem boas obras suficientes, eu ainda poderia ser salvo quando a obra de Deus terminasse? Quanto mais pensava, mais negativo ficava. A caminho de casa, vi as folhas sendo levadas pelo vento e me senti igual a essas folhas caídas, que não havia esperança para mim. Perdi toda esperança e me senti desolado e comecei a reclamar. Por que eu tinha essa doença e meus outros irmãos estavam saudáveis? Se eu improvisasse em meu dever e causasse perturbação e interrupção ou me tornasse ineficiente, não cumprindo o meu dever, eu poderia reverter as coisas me arrependendo e mudando. Mas minha saúde ruim é uma condição congênita e não é algo que posso mudar por meio de muito trabalho. Quando pensei nisso, me senti como que abandonado por Deus, o que me deixou muito triste e miserável. Quando cheguei em casa, eu me senti igual a uma bola murcha e nada conseguia me animar. Pensei: “Minha doença é assim. Nada pode mudar isso. Se não consigo ter parte em trabalho importante, que esperança tenho de ser salvo?”. Comecei a desistir de tudo. Todos os dias, eu assistia TV e filmes seculares e conversava com pessoas on-line. Eu me afastei de Deus e meu espírito foi ficando cada vez mais sombrio e vazio. Um dia, percebi de repente: “Meu estado não é igual ao de um incrédulo? Em que estou sendo igual a um crente em Deus? Sou nada além de um descrente! Se eu continuar sendo tão decadente, eu só ficarei cada vez mais depravado e, eventualmente, Deus me expulsará”. Com isso em mente, fiquei um pouco assustado. Eu sabia que não devia continuar assim. Eu devia refletir sobre mim mesmo e buscar a verdade para resolver meus problemas.

Depois disso, li uma passagem da palavra de Deus. “Nada é mais rebelde do que quando as pessoas não aceitam a verdade. E nada é mais perigoso para elas. Se essas pessoas são permanentemente incapazes de aceitar a verdade, então são incrédulos — e assim que as suas esperanças de serem abençoadas forem destruídas, elas se afastarão de Deus. Qual é a razão disso? (O que elas buscam é ser abençoadas e usufruir das graças de Deus.) Elas acreditam em Deus, mas não buscam a verdade; para elas, a salvação é apenas um ornamento, não é mais do que palavras bonitas. O que elas buscam no seu coração é ser recompensadas, ser coroadas, receber benefícios, elas desejam receber cem vezes nesta vida e a vida eterna na era vindoura, e se não recebem essas coisas, elas deixam de acreditar, seu rosto verdadeiro é exposto, e elas se afastam de Deus. No seu coração, aquilo em que acreditam não é a obra de Deus, nem são as verdades expressas por Deus. O que elas buscam não é a salvação, muito menos o cumprimento do dever de uma criatura de Deus; em vez disso, elas não são diferentes de Paulo: desejam grandes bênçãos, deter muito poder, usar uma coroa maravilhosa, estar em pé de igualdade com Deus — essas são as suas ambições e seus desejos. E então, sempre que certos benefícios ou vantagens podem ser ganhos da casa de Deus, elas os disputam e começam a falar de ‘senioridade’. O que elas pensam é: ‘Tenho direito a isso, devo ter a minha parte, devo lutar por isso’. Seu coração se acalma pensando nisso. Elas se veem nas posições superiores da casa de Deus, e por isso acreditam que tais benefícios lhes são devidos. […] É claro que o seu coração já foi dominado por essas coisas que elas buscam, e também é claro que o que normalmente buscam de forma alguma se conforma à verdade. Não importa quanto trabalhem, seus objetivos e motivações são iguais aos de Paulo: elas desejam receber a coroa e se agarram firmemente aos seus objetivos e motivos, e nunca abrem mão deles. Independentemente da forma com que a verdade lhes é comungada, independentemente da forma com que elas são tratadas e podadas, independentemente da forma com que são expostas e dissecadas, elas se recusarão obstinadamente a renunciar aos seus motivos de serem abençoadas. E quando não recebem a aprovação de Deus, quando veem destruídas as suas esperanças de serem abençoadas, elas se tornam negativas e regressivas, abandonam o seu dever e dão no pé. Não cumprem verdadeiramente o seu dever na divulgação do evangelho do reino, nem prestaram um bom serviço, o que demonstra inteiramente que não têm fé verdadeira em Deus, e que estão sem obediência verdadeira, e que são desprovidas de experiências ou testemunho reais, que não passam de um lobo em pele de ovelha; em última análise, um incrédulo convicto é assim totalmente desnudado e expulso, sua fé em Deus finalmente chega ao fim(A Palavra, vol. 4: Expondo os anticristos, “Eles só cumprem seu dever para se distinguir e alimentar seus próprios interesses e ambições; eles nunca levam em consideração os interesses da casa de Deus e até traem esses interesses em troca de glória pessoal (parte 5)”). A palavra de Deus revelou minhas intenções desprezíveis. Embora concordasse ficar em casa para me comportar, em meu coração, eu ainda esperava recuperar-me rapidamente e continuar produzindo vídeos. Quando não obtive os resultados desejados após tantos tratamentos, achei que não tinha esperança de cumprir um dever importante, meu desejo de obter bênçãos estava arruinado e não havia motivação para crer em Deus. Eu me senti perdido, desequilibrado e achava que Deus era injusto comigo, então comecei a desistir de mim mesmo. Eu não queria mais ler as palavras de Deus e não queria orar a Deus. Eu dava vazão à insatisfação com Deus buscando tendências mundanas. Acreditava em Deus e cumpria meu dever só para ganhar bênçãos. Sem poder ganhar bênçãos, eu me tornei hostil contra Deus. Tudo que eu manifestava era o caráter maligno de Satanás e não tinha consciência nem senso. Isso provava que todo o meu esforço anterior era falso e pretendia enganar a Deus. Em todos os meus anos de crença em Deus, Deus proveu tanta verdade e me deu tanta graça. Sem a proteção de Deus, eu teria morrido havia muito tempo, mas eu não só não agradeci nem retribuí a Deus, eu me queixei da injustiça de Deus e por Ele não me dar um corpo saudável. Eu era insensato e carecia de qualquer humanidade!

Pensando nisso, senti remorso e ódio de mim mesmo. Eu queria resolver meus motivos de ganhar bênçãos e parar de desobedecer a Deus, então orei a Deus para buscar e li esta passagem da palavra de Deus. “Já que ser abençoado não é um objetivo legítimo a ser buscado pelas pessoas, o que é um objetivo legítimo? A busca da verdade, a busca de mudanças de caráter e ser capaz de obedecer a todos os arranjos e orquestrações de Deus: esses são os objetivos que as pessoas devem buscar. Digamos, por exemplo, que ser podado e tratado faz com que você tenha noções e equívocos e se torne incapaz de obediência. Por que você não consegue obedecer? Porque sente que o seu destino ou o seu sonho de ser abençoado foi desafiado. Você se torna negativo e perturbado e tenta se livrar do cumprimento do seu dever. Qual é a razão disso? Há um problema com a sua busca. Então, como isso deve ser resolvido? É imperativo que você abandone imediatamente essas ideias equivocadas e busque imediatamente a verdade para resolver o problema do seu caráter corrupto. Você deveria dizer a si mesmo: ‘Não devo desistir, ainda devo cumprir o dever que uma criatura de Deus deve cumprir, e deixar de lado o meu desejo de ser abençoado’. Quando você renuncia ao desejo de ser abençoado, um peso é tirado dos seus ombros. E você ainda é capaz de negatividade? Mesmo que ainda haja momentos em que é negativo, você não permite que isso o controle, e no seu coração você continua a orar e a lutar, mudando o objetivo da sua busca de ser abençoado e de ter um destino para a busca da verdade, e pensa: ‘A busca da verdade é o dever de uma criatura de Deus. Entender certas verdades hoje — não existe colheita maior, essa é a maior bênção de todas. Mesmo que Deus não me queira, e eu não tenha um bom destino, e as minhas esperanças de ser abençoado sejam destruídas, eu continuarei cumprindo devidamente o meu dever, sou obrigado a isso. Seja qual for a razão, ela não afetará o cumprimento do meu dever, não afetará o meu cumprimento da comissão de Deus; esse é o princípio que orienta a minha conduta’. E ao fazer isso, você não transcendeu os grilhões da carne?(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Somente na busca da verdade há entrada na vida”). Na época, por meio da leitura da palavra de Deus, entendi por que eu me queixava e me tornei negativo e perdi meu autocontrole quando meu desejo de ganhar bênçãos foi arruinado. A raiz do problema era minha opinião incorreta sobre a busca. O que eu buscava era bênçãos e um bom destino, por isso meu futuro e destino me constrangiam. No momento em que meu desejo de bênçãos foi arruinado, eu me tornei passivo para continuar. Meu desejo de bênçãos era forte demais. Eu sou um ser criado. Não importa se eu recebo bênçãos e tenho um bom destino, devo cumprir meu dever mesmo assim. Mesmo que não ganhe bênçãos, se eu cumprir meu dever e responsabilidades, pelo menos eu não teria remorsos. Pensando nisso, meu coração se iluminou. Eu devia praticar segundo a senda apontada pela palavra de Deus, renunciar ao meu desejo de bênção, mudar minhas opiniões de busca equivocadas e cumprir meu dever da melhor forma possível. E mesmo que minha condição piorasse, eu não devia culpar Deus. Essa é a razão que um ser criado devia possuir. Percebi que, se não pudesse cumprir outros deveres, eu podia praticar a redação de artigos em casa, escrever sobre meu conhecimento e experiências e compartilhar com meus irmãos nas reuniões. Desse jeito, eu também estaria testificando de Deus e cumprindo meu dever. Depois de praticar assim, eu me senti muito aliviado e menos constrangido por meu destino e futuro.

Um ano depois, fui ao hospital para pegar remédios, e o médico disse: “Sua doença está curada. Você não precisa mais tomar remédios. Basta você prestar mais atenção em seu corpo e não se esgotar”. Quando o médico disse isso, fiquei muito animado e não pude parar de agradecer a Deus. A fim de me mudar e purificar, Deus tinha arranjado tantas pessoas e coisas para eu experimentar. Pensando nisso, eu me senti ainda mais indigno da salvação de Deus. Mais tarde, li outra passagem das palavras de Deus: “Eu decido o destino de cada pessoa não com base na idade, senioridade, quantidade de sofrimento, muito menos o grau em que ela causa compaixão, mas de acordo com ela possuir ou não a verdade. Não há outra escolha além dessa(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Prepare boas ações suficientes para o seu destino”). Exatamente. Deus determina o desfecho das pessoas com base em se elas têm a verdade, e aqueles que não ganham a verdade no fim não podem ser salvos. Se eu não buscar a verdade nem mudança de caráter, então, por mais que me despenda ou contribua, no fim, se meus caracteres corruptos não são purificados, eu não posso ser salvo. A despeito disso, eu ainda queria enganar a Deus para receber bênçãos por meio de muito trabalho. Isso não é um absurdo? Isso nada mais era do que sonhar acordado. Dessa vez, por fora eu parecia ter perdido minha chance de cumprir meu dever devido à doença, mas, por meio da minha doença, minhas opiniões equivocadas e meu caráter corrupto foram revelados, o que me permitiu mudar as coisas a tempo e me concentrar em buscar a verdade. Essa era a grande proteção de Deus para mim. Pensando nisso, senti muito remorso e uma grande dívida, então me ajoelhei diante de Deus e orei: “Deus, desejo reverter minhas opiniões falaciosas sobre a busca. Não quero mais buscar bênçãos nem recompensas. Não importa o dever que eu cumpra no futuro, desejo buscar a verdade, buscar mudança de caráter e cumprir meu dever para Te satisfazer”.

Depois, li algumas das palavras de Deus, e meu coração se iluminou um pouco mais sobre como lidar com meu dever. As palavras de Deus dizem: “Para cumprir seu dever adequadamente, não importa quantos anos você acreditou em Deus, quanta coisa você fez em seu dever, nem quantas contribuições você fez na casa de Deus, muito menos importa o quanto você seja experiente em seu dever. A principal coisa que Deus olha é a senda que uma pessoa trilha. Em outras palavras, Ele olha para a atitude de alguém em relação à verdade e aos princípios, a direção, a origem e o ímpeto por trás das ações de alguém. Deus se concentra nessas coisas; são elas que determinam a senda que você trilha(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Qual o desempenho adequado do dever?”). “Os homens pensam que todos os que fazem uma contribuição para Deus devem ser recompensados e que, quanto maior a contribuição, maior a garantia de se receber o favor de Deus. A essência do ponto de vista do homem é transacional e ele não procura ativamente cumprir o seu dever como criatura de Deus. Para Deus, quanto mais as pessoas buscam um amor verdadeiro a Deus e a completa obediência a Deus, o que também implica procurar cumprir o seu dever como criaturas de Deus, mais elas são capazes de obter a aprovação de Deus. O ponto de vista de Deus é exigir que o homem recupere seu dever e sua condição originais. O homem é uma criatura de Deus, então não deve se exceder fazendo quaisquer exigências de Deus e não deve fazer nada além de cumprir o seu dever como criatura de Deus. Os destinos de Paulo e de Pedro foram mensurados de acordo com o fato de eles terem sido capazes ou não de cumprir o seu dever como criaturas de Deus, não segundo o tamanho de sua contribuição; os destinos deles foram determinados de acordo com o que eles buscaram desde o princípio, não de acordo com a quantidade de trabalho que fizeram nem com o apreço de outras pessoas por eles. Portanto, procurar cumprir ativamente o dever como criatura de Deus é a senda para o sucesso; buscar a senda do verdadeiro amor a Deus é a senda mais correta; buscar mudanças no antigo caráter, bem como buscar o amor puro a Deus é a senda para o sucesso. Tal senda para o sucesso é a senda da recuperação tanto do dever original quanto da aparência original de uma criatura de Deus. Ela é a senda da recuperação e também é o objetivo de toda a obra de Deus, do início ao fim(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “O sucesso ou o fracasso dependem da senda que o homem percorre”). Depois de ler as palavras de Deus, entendi que, na casa de Deus, não existe dever superior ou inferior. A salvação das pessoas não depende do tipo de dever que fazem, da importância de seu trabalho nem daquilo que alcançam. Contanto que você busque a verdade, cumpra o dever de um ser criado e alcance uma mudança em seu caráter, você pode ganhar a verdade e ser salvo por Deus. Buscar ser eficiente em seu dever e contribuir para a casa de Deus não é errado em si. Contanto que sua intenção seja testificar de Deus e você for capaz de buscar a verdade e de agir de acordo com os princípios em seu dever, você pode ganhar a aprovação de Deus. Cumprir um dever não é uma ferramenta para lucrar, nem é moeda de troca para recompensas, é a responsabilidade de um ser criado. Não importa se sou abençoado ou não, eu cumprirei o meu dever. Depois disso, a casa de Deus arranjou um dever apropriado para mim com base em minha condição física.

Agora, meu futuro e destino não me constrangem tanto, e, não importa o dever que eu cumpra, eu sei que ganhar a verdade é a coisa mais importante. Não importa se eu tenha um final bom no futuro, se eu puder cumprir minhas responsabilidades em meu dever, eu me sentirei à vontade e em paz. Graças a Deus!

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

Desatando os nós do coração

Por Chunyu, China Aconteceu na primavera passada, quando eu estava em dever evangelístico na igreja. Na época, a irmã Wang foi eleita...

A história de Joy

Por Joy, Filipinas No passado, sempre tratei as pessoas com base em emoções. Contanto que as pessoas fossem boas para mim, eu era boa para...

Conecte-se conosco no Messenger