Lições aprendidas por meio de fracassos e contratempos

01 de Agosto de 2022

Por Chengxin, Coreia do Sul

Durante o tempo em que eu servia como líder de igreja, Wang Hua liderava o meu trabalho. Ela falava muito sobre como administrava o trabalho da igreja. Sendo responsável não só pelo trabalho da igreja dela, mas também supervisionando o trabalho de várias outras, os líderes superiores a elogiavam por ser sábia, por ter calibre bom e por ser uma líder habilidosa. Ela dizia que a razão pela qual era bem-sucedida no trabalho era porque ela se concentrava em sua entrada pessoal na vida. Também dizia que, na escola, gostava de escrever redações e era uma boa escritora, por isso sua correspondência com os líderes e obreiros raramente precisava ser revisada, e ela conseguia comunicar problemas complexos em prosa clara e eloquente. Ela dizia que Deus tinha lhe concedido essas habilidades e que agora ela as estava usando. Fiquei com inveja quando ela me disse isso e admirei seu calibre bom, seu desempenho impressionante e sua busca pela verdade.

Mas após trabalharmos juntas por dois meses, percebi que ela costumava ficar na casa de sua anfitriã em vez de participar das reuniões. Perguntei: “Por que você não vem às reuniões?”. E ela: “Eu como e bebo das palavras de Deus e me equipo com a verdade, para poder comungar as palavras de Deus com os outros e resolver os problemas deles”. Pensei: “Agora é a hora para espalhar o evangelho, e o trabalho evangelístico é sua responsabilidade principal. Mas, num momento tão corrido, você fica em casa. Não está deixando de fazer trabalho prático e aproveitando os benefícios do seu status?”. Mas então pensei: “O calibre dela é tão bom, ela tem sido líder por tanto tempo, e até os líderes superiores dizem que ela tem calibre bom, sabedoria e capacidade de trabalhar. Mesmo que ela aproveite um pouco os benefícios do próprio status, e daí? Todos nós temos corrupção. É perfeitamente normal manifestá-la de vez em quando. Devo parar de pensar essas coisas”. E assim, esqueci o assunto e a vida continuou. Naquele tempo, alguns obreiros e eu estávamos realizando reuniões com cada grupo para fornecer comunhão e motivar todos no trabalho evangelístico. Quanto mais comungava, mais lúcida eu ficava. Ganhei alguma clareza sobre os princípios de espalhar o evangelho e uma senda de prática. Informamos Wang Hua sobre os resultados que tínhamos obtido nas reuniões, mas, para a nossa surpresa, ela não pareceu impressionada e, com um sorriso forçado, disse: “Essas coisas que fizeram deviam ter sido feitas por aqueles que espalham o evangelho. Esse tipo de trabalho é coisa de criança. Nas reuniões, vocês devem se concentrar em comungar a busca da verdade e a entrada na vida. Assim, o sucesso no trabalho evangelístico virá naturalmente”. Mas, na época, eu ainda não a discernia, e, depois de ouvir isso, não ousei insistir na minha opinião. Eu me sentia num dilema e perdida, sem saber como proceder. Se eu não fizesse o que ela dizia e algo desse errado e afetasse o trabalho evangelístico, os irmãos diriam que a culpa era minha. Interromper e obstruir o trabalho evangelístico é um tipo de maldade. Ser substituída seria uma punição leve e, num caso mais sério, eu poderia ser expulsa. “Esqueça!”, pensei. “Farei o que ela diz!”

No dia seguinte, durante uma reunião, quando os outros levantaram alguns problemas práticos que tinham encontrado ao espalhar o evangelho, não ajudei a analisar os problemas e a encontrar resoluções de acordo com as situações reais que eles enfrentavam. Em vez disso, ignorei esses problemas e questões e perguntei o que eles tinham aprendido sobre si mesmos com esses problemas. Eu também disse que, só se nos concentrarmos na entrada na vida, podemos alcançar resultados. Quando ouviram isso, os irmãos só olharam uns para os outros. Estavam visivelmente frustrados. Ninguém disse uma palavra. As reuniões continuaram desse jeito por alguns dias. Quanto mais eu comungava assim, mais cansada ficava. Minha comunhão era entediante e enfadonha, eu não tinha muito a dizer e carecia de direção ao conduzir as reuniões. Eu me sentia péssima, e nossas reuniões careciam da obra do Espírito Santo. Meus obreiros também sentiam o mesmo. Mais tarde, procuramos Wang Hua para comungar com ela. Levantamos nossa preocupação de que trabalhar assim parecia ser problemático. Mas Wang Hua insistiu em sua crença de que, contanto que comungássemos sobre a entrada na vida, o trabalho evangelístico seria eficiente. Também disse que éramos inexperientes e carecíamos de percepção, só nos concentrávamos no nosso trabalho e não buscávamos a verdade. Depois de ouvir isso, fiquei perdida de novo e não soube como proceder. Pensei: “Ela tem calibre bom, dirige tantos projetos diferentes e os líderes superiores a têm em alta-estima. Devemos fazer o que ela diz! Afinal, meu calibre é baixo, não tenho experiência e percepção e sou inferior a ela em todos os sentidos”. Assim, acabei seguindo as ordens dela.

Naquele tempo, outras igrejas estavam dobrando seus resultados na propagação do evangelho, mas a nossa estava piorando os resultados em vez de melhorar. Eu fiquei péssima e não fazia ideia de como proceder. Foi quando realizaram uma reunião de obreiros. Quando os líderes das outras igrejas ouviram por que a nossa igreja não tinha alcançado resultados bons na propagação do evangelho, eles criticaram Wang Hua por se aproveitar dos benefícios da posição dela e não fazer trabalho prático. Não, não aceitou. Ela começou a chorar e tentou defender-se. Disse que não era só culpa dela que os resultados do trabalho evangelístico estavam ruins, e que outros obreiros também eram culpados. Tentamos comungar com ela e dizer-lhe que ela devia refletir sobre as ações dela, mas ela não quis aceitar e continuou chorando e fazendo drama, interrompendo totalmente a reunião. Quando vi aquilo, pensei: “Nós comungamos e lideramos o trabalho evangelístico de acordo com os arranjos de trabalho, mas você ficou nos obstruindo e dizendo que devíamos nos concentrar na entrada na vida. Não foi o que você disse? Você negligenciou a solução de problemas práticos no trabalho evangelístico, alegando que deveríamos ‘nos concentrar na entrada na vida’. Não foi o que você fez? Os fatos da questão são evidentes. Você não só não reconhece o que fez, como tenta culpar os outros. Você não está se recusando a aceitar a verdade?”. Pensei em informar aos líderes superiores sobre a situação dela para que julgassem se ela era a pessoa certa. Mas então me ocorreu de que, talvez, ela só estivesse num estado ruim, e que ao ser tratada, tomou como um ataque ao seu status e dignidade, razão pela qual ela teve uma reação tão forte. Se ela tivesse só caído num estado ruim e eu relatasse a situação dela aos líderes superiores, talvez pensariam que eu carecia de verdade e discernimento e era incapaz de tratar as pessoas justamente. E se Wang Hua descobrisse e pensasse que eu estava dificultando as coisas para ela? Ela me isolaria e dificultaria as coisas para mim? Tentaria me substituir por causa disso? Achei que deveria comungar com ela primeiro antes de decidir. Quando comungássemos com ela e tivéssemos um discernimento correto, eu ainda poderia denunciá-la.

No segundo dia de reunião dos obreiros, ouvi Wang Hua julgar a parceira de uma irmã na frente dessa irmã, gerando conflito entre as duas. Eu a lembrei, dizendo: “Essas duas irmãs já estavam tendo alguns mal-entendidos. Comungar desse jeito só atiçará o fogo. Como esperar que elas colaborem depois disso?”. Ela não quis aceitar e se defendeu: “Tudo que eu disse é verdade. Sou uma pessoa honesta, falo como vejo as coisas e digo o que penso”. Eu disse: “Isso não é falar como você vê as coisas. O jeito como você descreveu essa irmã não foi fatual nem objetivo, você estava julgando. Você não considerou como aquilo que disse poderia prejudicar essa irmã nem que efeito poderia ter sobre o trabalho da igreja. Tudo que pode resultar disso é que o relacionamento delas se deteriore, e elas serão incapazes de colaborar. Isso é semear discórdia”. Para a minha surpresa, ela respondeu: “Não sou igual a algumas pessoas que não dizem o que pensam, que sempre são ambíguas, não são transparentes no trabalho e são escorregadias e astutas”. Ela estava atacando as pessoas com insinuações pouco veladas. Ela tinha uns problemas sérios. Na época, eu quis denunciá-la, mas então pensei: “Tudo que fiz hoje foi dar-lhe algumas sugestões e ela me atacou imediatamente. Se soubesse que relatei os problemas dela, ela se irritaria e buscaria vingança? Ela já disse que me achava escorregadia e astuta. E se continuasse a reverter os fatos, me acusasse de ser astuta e me substituísse? A polícia do Partido Comunista ainda está me perseguindo, não posso voltar para casa. Se eu fosse substituída e não pudesse voltar para as reuniões em casa, para onde iria?”. Naquela noite, eu me senti péssima, meus pensamentos correram soltos e eu não consegui fechar os olhos naquela noite. No fim, decidi não denunciá-la. Então, na manhã seguinte, bati a cabeça no balaústre do meu beliche com tanta força que fiquei tonta. Criei dois galos grandes que só desapareceram após alguns dias. Pensei: “Deus está me disciplinando?”. Mas, na época, eu estava confusa e espiritualmente entorpecida, então não refleti sobre mim mesma. Naqueles dias, eu andava feito um zumbi e achava que tinha perdido a obra do Espírito Santo.

Para a minha surpresa, logo após a reunião de obreiros, alguns irmãos enviados pelos líderes superiores vieram investigar a situação de Wang Hua e eu lhes contei tudo que sabia. Os irmãos lidaram comigo severamente: “Você sabia que havia um problema, por que não relatou o que viu? Mesmo se não entendesse a substância do problema, você poderia pelo menos relatar o que tinha visto, o que sabia, e os detalhes do comportamento dela aos líderes superiores. Você sabia que devia relatar os problemas dela, mas, a fim de se proteger, você negligenciou a orientação do Espírito Santo, não praticou a verdade e não protegeu nem um pouco os interesses da casa de Deus. Você é realmente egoísta e desprezível!”. Senti remorso e arrependimento depois de ser tratada e podada desse jeito e fiquei muito envergonhada. Orei a Deus, dizendo: “Ó Deus! Sei que não protegi os interesses da Tua casa, mas não sei onde errei. Por favor, esclarece-me e guia-me a conhecer a mim mesma. Estou disposta a me arrepender”.

Depois disso, deparei-me com esta passagem das palavras de Deus: “Em seu trabalho, líderes e obreiros da igreja devem dar atenção a dois princípios: um é fazer seu trabalho exatamente de acordo com os princípios estipulados pelos arranjos de trabalho, sem jamais violar aqueles princípios e nem basear seu trabalho em qualquer coisa que eles possam imaginar ou em qualquer uma de suas próprias ideias. Em tudo que fazem, devem demonstrar preocupação pelo trabalho da igreja, sempre colocando em primeiro lugar os interesses dela. Outra coisa — e isso é absolutamente crucial — é que, em todas as coisas, eles devem se concentrar em seguir a orientação do Espírito Santo e fazer tudo em observação estrita das palavras de Deus. Se eles ainda forem capazes de ir contra a orientação do Espírito Santo ou se seguirem teimosamente as suas próprias ideias e fizerem as coisas de acordo com sua própria imaginação, então suas ações constituirão uma resistência gravíssima a Deus. Voltar suas costas com frequência para o esclarecimento e a orientação do Espírito Santo só levará a um beco sem saída. Se eles perderem a obra do Espírito Santo, eles não serão capazes de trabalhar; e mesmo que, de alguma forma, consigam trabalhar, não realizarão nada” (‘Os princípios de trabalho mais importantes para líderes e obreiros’ em “As declarações de Cristo dos últimos dias”). Ao ponderar as palavras de Deus, percebi que o que Deus exige de líderes e obreiros em seu trabalho é que eles trabalhem exatamente de acordo com os arranjos de trabalho e sigam os princípios da casa de Deus. E se seguirem seu próprio caminho, contra os princípios e a orientação do Espírito Santo, insistindo teimosamente em suas ideias no trabalho, isso constitui resistência severa a Deus. Só então percebi por que eu tinha perdido a obra do Espírito Santo e caído na escuridão. Lembrando-me de como eu tinha visto Wang Hua não ir à igreja nem fazer trabalho evangelístico, percebi que isso violava os arranjos de trabalho. Depois de fazer o que ela disse, perdi a obra do Espírito Santo e não consegui alcançar resultados. Mas já que acreditava que ela tinha calibre bom e era uma líder eficiente, fui cúmplice dela em violar os arranjos de trabalho, e o trabalho evangelístico sofreu como resultado. Vi que Wang Hua não queria refletir sobre si mesma por mais que errasse, que ela até virava a mesa e atacava os outros e não aceitava a verdade. Mas por temer ofendê-la e ser substituída, eu não relatei o problema dela, e deixei de corrigir minha conduta mesmo após ser disciplinada por Deus. Violei os arranjos de trabalho e a orientação do Espírito Santo, insistindo em minha resistência a Deus. Como Deus não ocultaria Sua face de mim? Eu não ganhava esclarecimento das palavras de Deus, não tinha nada a dizer em minha comunhão, deixei de encontrar uma senda em meus deveres e caí em escuridão completa. Como dizem as palavras de Deus, eu estava num beco sem saída. Eu não tinha sido confrontada com o caráter justo de Deus?

Mais tarde, quando refleti sobre tudo isso, deparei-me com esta passagem das palavras de Deus: “Quando surge confusão, você é afligido por dificuldades? Isso significa que você é afligido por dificuldades e enfrenta uma escolha. E se você não enxergar qual é a fonte desse problema, não haverá como resolver o problema. Quando surgem tais circunstâncias, líderes e obreiros devem avaliar a situação geral e as opiniões e atitudes da maioria das pessoas e então relatar isso ao Alto e buscar uma resposta, a fim de resolver o problema rapidamente. Vocês se deparam com confusão com frequência? (Sim.) Deparar-se com frequência com confusão é um problema. Se algo acontecer e você não souber qual é o jeito certo de lidar com isso, e alguém sugerir uma solução que soe sensata para você e então outra pessoa sugerir outra solução que você também acha ser sensata, e você não conseguir ver qual solução é a mais apropriada — se as opiniões de todos variarem e ninguém for capaz de entender quais são a raiz e a essência do problema —, ocorrerão deslizes na solução do problema. E assim, se quiserem que o problema seja resolvido, é essencial, muito importante, chegar à fonte e à essência. Se os líderes e os obreiros não conseguirem identificar a diferença, se forem incapazes de compreender a essência do problema, se não forem capazes de chegar à conclusão correta, eles deverão relatar isso prontamente ao Alto e buscar uma resposta; isso é altamente necessário, não é criar tempestade em copo d’água. Se o problema não puder ser resolvido, haverá consequências sérias, que impactarão o trabalho da igreja — isso deve estar claro para vocês” (Identificando falsos líderes). Por meio da leitura das palavras de Deus, percebi que, quando encontramos problemas em nossos deveres, como conflitos entre obreiros, que não sabemos resolver ou quando vemos problemas com pessoas em funções importantes, mas não enxergamos claramente e não sabemos como resolver, gerando confusão e outros problemas, devemos relatar isso aos líderes superiores em tempo oportuno e buscar resolução. Relatar problemas não é igual a ficar procurando erros nas pessoas nem delatá-las, e não é criar tempestade em copo d’água; o objetivo é ajudar a resolver problemas que as pessoas não conseguem entender sozinhas, impedir atrasos no trabalho e na entrada das pessoas na vida. Quanto a mim, não importava quantos problemas eu encarasse ou quão sérios fossem, eu preferia atrasar o trabalho e prejudicar a entrada dos irmãos na vida a relatar problemas se isso ameaçasse meus interesses ou minhas perspectivas futuras. Quando vi que Wang Hua estava violando os arranjos de trabalho e deixando de supervisionar o trabalho evangelístico, embora não entendesse completamente o problema, eu senti que algo estava errado, que ela estava passando do limite e que eu devia relatar a situação dela aos líderes superiores. Mas temi que, se eu não cumprisse as ordens dela, eu seria responsabilizada, por isso fiz o que ela mandou. Quando Wang Hua criou um escândalo após ser podada e tratada, embora não soubesse se ela estava apenas num estado ruim ou se ela rejeitava e desprezava a verdade na essência dela, eu poderia ter feito um relato em tempo oportuno e pedido que os líderes superiores enviassem alguém para investigar e discernir, a fim de não atrasar o trabalho da casa de Deus porque a pessoa errada estava sendo usada. Mas meu medo era que, se eu estivesse errada, os líderes superiores achariam que eu carecia de discernimento e que Wang Hua me oprimiria mais tarde, por isso fiquei adiando a denúncia do problema dela. Se eu fosse responsável e protegesse o trabalho da casa de Deus, então, entendendo ou não a essência do problema e a verdade, eu não teria sido constrangida por nada e teria encontrado um jeito de proteger os interesses da igreja. Em vez disso, a fim de me proteger, fiquei olhando passivamente e me desculpei dizendo que a denunciaria assim que tivesse discernimento. Mas se eu esperasse até ter discernimento, não seria tarde demais? O trabalho evangelístico não seria afetado ainda mais? Foi aí que percebi como é importante buscar a verdade quando estamos confusos e enfrentamos dificuldades. Ser dedicado à proteção do trabalho da casa de Deus é muito importante.

Para me proteger, fiquei adiando denunciar os problemas de Wang Hua e isso causou muitos danos sérios ao trabalho evangelístico. Fiquei muito arrependida. Mais tarde, deparei-me com algumas passagens em que Deus expõe os anticristos. “Como o egoísmo e a vileza dos anticristos se manifesta? Em tudo que beneficia seu status ou reputação, eles se esforçam para fazer ou dizer o que for necessário e suportam voluntariamente qualquer sofrimento. Mas quando se trata do trabalho arranjado pela casa de Deus ou quando se trata de trabalho que beneficia o crescimento na vida dos escolhidos de Deus, eles o ignoram totalmente. Mesmo quando malfeitores interrompem, interferem e cometem todos os tipos de males, afetando assim seriamente o trabalho da igreja — eles permanecem passivos e despreocupados, como se isso nada tivesse a ver com eles. E se alguém descobre e denuncia os atos perversos de um malfeitor, eles dizem que não viram nada e fingem ignorância” (‘Excurso Quatro: Resumindo a qualidade da humanidade de anticristos e a essência de seu caráter (parte 1)’ em “Expondo os anticristos”). “Algumas pessoas não entendem muitas verdades. Eles não entendem os princípios em nada que fazem, e quando encontram problemas, não conhecem a maneira certa para lidar com eles. Como as pessoas devem praticar nessa situação? O padrão mais baixo é agir de acordo com a consciência — isso é o mínimo. Como você deve agir de acordo com a consciência? Aja com sinceridade seja digno da bondade de Deus, de Deus ter lhe dado esta vida e esta oportunidade dada por Deus de alcançar a salvação. Isso é agir de acordo com a consciência? Uma vez que tenha cumprido esse mínimo de padrões, você terá obtido proteção e não cometerá erros graves. Você não fará coisas que desobedeçam a Deus tão facilmente nem fugirá de suas responsabilidades, nem será suscetível a agir de maneira superficial. Também não será tão propenso a tramar por sua posição, fama, fortuna e futuro. Esse é o papel que a consciência exerce. Consciência e razão deveriam ser os componentes da humanidade de uma pessoa. Ambos são os mais fundamentais e importantes. Que tipo de pessoa é essa que não possui consciência e não tem a razão da humanidade normal? Em termos gerais, é uma pessoa à qual falta humanidade, uma pessoa de humanidade extremamente pobre. Entrando em maiores detalhes: quais manifestações de humanidade perdida essa pessoa exibe? Tente analisar quais características são encontradas em tais pessoas e quais manifestações específicas elas apresentam. (Elas são egoístas e más.) Pessoas egoístas e más são superficiais em suas ações e se mantêm afastadas de tudo que não lhes diz respeito diretamente. Elas não consideram os interesses da casa de Deus, nem mostram consideração pela vontade de Deus. Não assumem nenhum fardo de dar testemunho de Deus nem de cumprir seus deveres e elas não têm senso de responsabilidade. […] Existem pessoas que não assumem nenhuma responsabilidade, não importa o dever que estão cumprindo. Elas não relatam problemas que descobrem aos seus superiores, também. Quando veem pessoas que se intrometem e perturbam, fazem vista grossa. Quando veem pessoas perversas cometendo o mal, não tentam impedir. Não consideram nem minimamente os interesses da casa de Deus nem o que é seu dever e responsabilidade. Quando cumprem seu dever, pessoas desse tipo não fazem nenhum trabalho real; são bajuladores que anseiam por conforto; falam e agem apenas para o bem da própria vaidade, reputação, status e interesses e certamente dedicarão seu tempo e esforço a qualquer coisa que os beneficie” (‘Ao dar o coração a Deus, pode-se obter a verdade’ em “As declarações de Cristo dos últimos dias”). Por meio da leitura das palavras de Deus, percebi que, em nossos deveres, enfrentaremos problemas que nem sempre entendemos e não sabemos resolver, mas aqueles com humanidade protegem os interesses da casa de Deus honestamente. Aqueles sem consciência e razão só consideram seu próprio status, dignidade e interesses pessoais. Eles não relatam problemas que observam e são egoístas e desprezíveis. Eu era exatamente assim. Eu tinha adiado relatar como Wang Hua vinha interrompendo o trabalho da casa de Deus a fim de preservar meu status, reputação e perspectivas futuras. Meu lema eram os venenos satânicos “proteja-se e fuja da culpa” e “quando você sabe que algo está errado, é melhor dizer menos”. Eu temia que, ao relatar os problemas de Wang Hua, eu seria oprimida ou substituída, então inventei algumas desculpas razoáveis, como: “Todos têm corrupção”, “Talvez ela só esteja num estado ruim” e “Relatarei o problema quando entender melhor”. Essas desculpas podem parecer certas, mas, na verdade, eu só estava tentando me proteger e me esquivar da responsabilidade. Eu só me importava com meu status, reputação, perspectivas futuras e destino e não considerava o trabalho da casa de Deus nem protegia os interesses Dele. Eu era muito egoísta e desumana. Eu estava mordendo a mão que me alimentava! Eu tinha perdido a obra do Espírito Santo e estava passando pelo castigo de Deus. Isso era a justiça Dele.

Mais tarde, refleti sobre por que eu ficava adiando denunciar os problemas de Wang Hua: outro aspecto disso era que eu não tinha discernimento dela. Por meio da exposição das palavras de Deus, ganhei discernimento e entendimento do comportamento de Wang Hua. Deus diz: “Seu método de se exaltar e testificar de si mesmas é exibir-se e depreciar os outros. Elas também dissimulam e se camuflam, escondendo das pessoas as suas fraquezas, defeitos e deficiências para que estas só vejam sua excelência. Nem ousam contar a outras pessoas quando se sentem negativas; carecem da coragem de se abrir e comungar com elas, e quando cometem algum erro, fazem de tudo para escondê-lo e encobri-lo. Jamais mencionam os danos que causaram ao trabalho da igreja durante o cumprimento de seu dever. Quando, porém, fazem alguma contribuição insignificante ou alcançam algum sucesso menor, elas são rápidas em exibi-lo. Não conseguem esperar para contar ao mundo inteiro como são capazes, como é alto o seu calibre, quão excepcionais são e quão melhores são do que as pessoas normais. Isso não é uma maneira de se exaltar e testificar de si mesmo? Exaltar-se e testificar de si mesmo é algo que alguém com consciência e razão faria? Não é. Assim, quando as pessoas fazem isso, que caráter costumam revelar? Arrogância é um dos principais caracteres revelados, seguido por enganação, que envolve fazer o possível para fazer com que as pessoas as tenham em alta estima. Suas histórias são totalmente perfeitas; suas palavras contêm claramente motivações e esquemas, no entanto, elas querem esconder o fato de que estão se exibindo. O resultado daquilo que dizem é que as pessoas são levadas a pensar que elas são melhores do que os outros, que ninguém se compara a elas, que todos os outros são inferiores a elas. E esse resultado não é alcançado por via de meios ardilosos? Que caráter está por trás de tais meios? E há quaisquer elementos de perversidade? Esse é um tipo de caráter perverso. Pode-se ver que esses meios que empregam são orientados por um caráter enganoso — por que, então, digo que é perverso? Que conexão isso tem com a perversidade? O que vocês acham: elas podem ser francas em relação aos seus objetivos de exaltar e testificar de si mesmas? Não podem. Mas sempre existe um desejo nas profundezas de seu coração, e o que dizem e fazem é em prol desse desejo, e os objetivos e as motivações daquilo que dizem e fazem são mantidos em sigilo absoluto. Empregarão, por exemplo, distrações ou alguma tática questionável para alcançar esses objetivos. Tal secretismo não é dissimulado por natureza? E tal dissimulação não pode ser chamada perversa? Sim, de fato, podem ser chamados perversos, e são mais profundos do que enganação. Elas usam certo jeito ou método para alcançar seus objetivos. Esse caráter é enganação. No entanto, o desejo e a ambição descarados no fundo do seu coração de sempre fazer com que as pessoas as sigam, as admirem e adorem sempre as governa, por isso elas exaltam e testificam de si mesmas onde quer que estejam e fazem essas coisas inescrupulosa e descaradamente. O que é esse caráter? Isso leva ao mal” (‘Eles se exaltam e dão testemunho de si mesmos’ em “Expondo os anticristos”). Por meio das palavras de Deus, vi como anticristos têm um caráter arrogante e maligno. Eles usam todos os tipos de métodos para se exaltar e testificar de si mesmos, fazendo com que as pessoas os admirem inconscientemente acima de tudo, para alcançar seu objetivo de seduzir e controlar as pessoas. As palavras de Deus me permitiram ganhar algum discernimento dos métodos e intenções de Wang Hua. Lembrando-me das minhas interações com ela, ela costumava se gabar de como administrava o trabalho, como os líderes superiores a elogiavam, e por meio disso insinuava que dava muita importância à entrada na vida e era alguém que buscava a verdade. Ela também exibia seus talentos, alegando que escrevia cartas em prosa elegante e fluente, e que raramente precisavam ser revisadas, o que levava os outros a se sentirem inferiores a ela em todos os sentidos, que não se comparavam a ela. Wang Hua usava todos os tipos de métodos para se exibir e se gabar, mas nunca expunha sua corrupção. Ela até revertia os fatos e se inocentava, disfarçando-se completamente para que ninguém visse as fraquezas, deficiências ou segundas intenções dela. Na verdade, os líderes superiores já tinham lidado com ela muitas vezes por não escolher pessoas segundo os princípios e por ser negligente em seus deveres, mas ela nunca mencionava isso. Só falava sobre como os líderes superiores a elogiavam e a tinham em alta-estima e só mostrava às pessoas seus aspectos mais vistosos. Muitas vezes, ela ficava em casa em vez de ir à igreja e alegava que estava se equipando com a verdade para resolver melhor os problemas das pessoas, quando, na verdade, ela estava só aproveitando os benefícios do status dela. Era evidente que ela não fazia trabalho prático nem resolvia nenhum problema real que existia no trabalho evangelístico, mas espalhava a falácia de que, ao resolver problemas no trabalho evangelístico durante as reuniões, as pessoas só estavam dando importância ao trabalho e não à entrada na vida. Ela também sempre atacava e menosprezava os outros, caracterizando o trabalho prático das pessoas como coisa de criança. Ela semeava discórdia, destruía os relacionamentos entre os irmãos e secretamente minava os outros, mas alegava ser honesta e direta… Todas as ações de Wang Hua eram sinistras e astutas. Sem a exposição de Deus, teria sido fácil ser enganado a admirar e adorá-la. Quando percebi isso, finalmente caí em mim e ganhei algum discernimento da essência de anticristo de Wang Hua.

Enquanto refletia, percebi que outra razão pela qual eu carecia de discernimento sobre ela era por não conseguir distinguir entre um caso isolado de corrupção e uma natureza e essência corruptas. Mais tarde, encontrei algumas palavras de Deus: “Todos que foram corrompidos por Satanás têm caráter corrupto. Alguns não têm nada além de caráter corrupto, enquanto outros são diferentes: eles não só têm caráter satânico corrupto, mas sua natureza é também extremamente maliciosa. Não só suas palavras e ações revelam seu caráter satânico corrupto; essas pessoas são, além disso, o genuíno diabo Satanás” (‘Um alerta para aqueles que não praticam a verdade’ em “A Palavra manifesta em carne”). “Como Deus define os anticristos? Eles odeiam a verdade e são hostis a Deus. Eles são os inimigos de Deus? Ser hostil à verdade, odiar Deus, odiar todas as coisas positivas — isso não é a fraqueza, a ignorância momentânea de pessoas comuns, nem é o caso passageiro de raciocínio ou opiniões equivocados, ou entendimento absurdo, que são incompatíveis com a verdade. Esse não é o problema. Eles são os anticristos, os inimigos de Deus, e seu papel é odiar todas as coisas positivas, é odiar todas as verdades, é odiar Deus e é hostilidade para com Deus. E como Deus vê tal papel? Não haverá a salvação de Deus! Essas pessoas desprezam a verdade, elas odeiam a verdade — que é a natureza de um anticristo. Vocês entendem isso? O que se expõe aqui é maldade, malevolência e estar farto da verdade, esses são os caracteres satânicos mais graves de todos os caracteres corruptos — tudo coisas que são distintivos de Satanás e que mais têm a essência de Satanás; não são os caracteres corruptos revelados na humanidade corrupta comum. Os anticristos são uma força que é hostil a Deus, eles são propensos a interromper e tentar controlar a igreja e são aptos a minar e interromper o plano de gerenciamento de Deus. Essas não são coisas feitas por pessoas comuns com um caráter corrupto, só os anticristos fazem isso. Vocês não devem tratar isso levianamente” (‘Eles se comportam de maneiras estranhas e misteriosas, são arbitrários e ditatoriais, nunca comungam com os outros e os obrigam a lhes obedecer’ em “Expondo os anticristos”). Essas palavras me ajudaram a entender que todos que foram corrompidos por Satanás têm um caráter corrupto, mas algumas pessoas têm humanidade, consciência e razão e conseguem aceitar a verdade. Se cometem erros em seu dever e são expostas, tratadas e corrigidas, embora possam sentir vergonha e resistência e se defender, mais tarde, quando refletem sobre si mesmas, elas vêm a odiar sua natureza corrupta e seus métodos falhos. Também percebem como obstruíram o trabalho da igreja e se arrependem, odeiam a si mesmas e se transformam. Mas há alguns que não só têm o caráter corrupto de Satanás, mas também uma natureza maliciosa, não aceitam a verdade e até a odeiam. Não importa quanto mal cometam nem quanto dano causem ao trabalho da igreja, eles não sofrem nem um pouco e não refletem sobre si mesmos. Não sentem um pingo de culpa. Não importa o quanto sejam tratados e expostos, eles nunca reconhecem seus erros e nunca aceitam os fatos quando são revelados. Odeiam como Deus os trata, poda, julga e castiga e, com base em suas atitudes em relação à verdade e às coisas positivas, eles são claramente hostis a Deus, são inimigos declarados Dele. Pensando no comportamento de Wang Hua, era evidente que ela não fazia trabalho prático, que era arrogante, que defendia as próprias crenças e obstruía o trabalho evangelístico. Quando outros líderes a expuseram e lidaram com ela, ela não só não aceitou o que disseram, mas apresentou argumentos sem fundamento e tentou jogar a culpa nos outros, e assim interrompeu toda a reunião. Quando a alertei de que ela estava julgando os outros e semeando discórdia entre os irmãos, ela não só não aceitou, como reverteu os fatos, me atacou e me condenou. Ela sempre falava sobre concentrar-se na entrada na vida, levando as pessoas a crer que ela buscava a verdade, mas na verdade, ela era contra e tinha desgosto pelos arranjos de trabalho da casa e da vontade de Deus. Quando foi exposta e tratada, ela não se submeteu e até se ofendeu e se indignou. Não importava quantos erros cometesse nem quanto danos causasse ao trabalho da casa de Deus, ela nunca admitia, não se arrependia nem se sentia endividada, sem nenhuma consciência. Ela só cuidava dos próprios interesses, e se disséssemos algo que ameaçasse seu status, ela se irritava e fazia acusações infundadas. Ela não aceitava a verdade nem coisas positivas e tratava todos que tentavam comungar com ela ou corrigi-la como inimigos, atacando qualquer um que tentasse expô-la. Visto que ela realmente odiava a verdade, desprezava quem praticasse a verdade e odiava aqueles que a expunham porque tinham um senso de justiça, ela não estava sendo inimiga de Deus? É como dizem as palavras de Deus: “Isso não é a fraqueza, a ignorância momentânea de pessoas comuns, nem é o caso passageiro de raciocínio ou opiniões equivocados, ou entendimento absurdo, que são incompatíveis com a verdade. Esse não é o problema. Eles são os anticristos, os inimigos de Deus, e seu papel é odiar todas as coisas positivas, é odiar todas as verdades, é odiar Deus e é hostilidade para com Deus.” Quando Wang Hua foi substituída, ela não recuou e não admitiu suas maldades. Até disse: “Faço as coisas diante de Deus e não ligo para o que os outros pensam”. Não tinha se arrependido nem refletido. Sua natureza era maliciosa e odiava a verdade, ela era um anticristo clássico. Pessoas assim só interrompem e perturbam o trabalho da casa de Deus.

Mais tarde, a maioria dos irmãos votou pela expulsão de Wang Hua da igreja. Quando a substituímos, também fornecemos comunhão para facilitar o trabalho evangelístico com base nos arranjos de trabalho, e o trabalho evangelístico da igreja voltou a obter resultados melhores. Na época, me senti ainda mais em dívida e desprezei a mim mesma por ser tão egoísta, preocupada apenas comigo mesma, sem proteger o trabalho da igreja e por permitir que um anticristo cometesse o mal e interrompesse o trabalho evangelístico. Jurei a mim mesma que, no futuro, sempre que observasse alguém interrompendo o trabalho da igreja, eu o protegeria praticando a verdade. Não importa o quanto o status seja alto e quanto trabalho tenha feito nem quão bem fale de doutrina, se ele interrompesse o trabalho da casa de Deus, eu permaneceria fiel aos princípios da verdade. Mesmo que os outros me chamassem de arrogante ou me condenassem como malfeitora ou anticristo, eu protegeria o trabalho da casa de Deus. Mesmo que não entendesse a situação, eu relataria o que visse aos líderes superiores. Orei a Deus e disse que, se eu não protegesse o trabalho da casa de Deus após observar um problema, eu estaria disposta a ser disciplinada por Deus.

Alguns meses depois, algumas pessoas relataram que uma líder chamada Li Na, de outra igreja, não estava fazendo trabalho prático, não tinha substituído falsos líderes e obreiros e até tinha promovido malfeitores. Essas pessoas não trabalhavam conforme os princípios, e as ofertas de Deus foram prejudicadas. Li Na gostava de se exibir e menosprezar os outros, e todos os irmãos a admiravam. Os obreiros dela tinham apontado esses problemas muitas vezes, mas ela não aceitava o que diziam. Além disso, ela também julgava os líderes superiores, o que fez com que parceiros e obreiros desenvolvessem preconceitos contra eles. Quando os líderes superiores enviaram alguém para ajudar a fazer o trabalho, ela o excluiu. Ela não só não cooperou, mas julgou e sabotou o trabalho, dizendo que a pessoa que os líderes tinham enviado não conseguia resolver problemas, o que significava que o trabalho não era feito. Depois de ouvir tudo isso, percebi que essa pessoa poderia ser um anticristo e então falei com os obreiros sobre substituí-la rapidamente. Mas quando eu soube que Li Na era a irmã mais nova da minha parceira, eu hesitei. Se eu substituísse Li Na, o que minha parceira pensaria de mim? Diria que eu estava querendo derrubar Li Na? Fiquei remoendo isso na cabeça E me vi cada vez mais num dilema sem saber o que fazer. Foi então que percebi que meu estado de espírito e minhas intenções estavam errados. Eu estava querendo proteger meus interesses de novo. Lembrei-me de como, da última vez, por me preocupar demais em me proteger, não expus o anticristo a tempo e prejudiquei severamente o trabalho da casa de Deus, uma transgressão que eu jamais poderia corrigir. Eu não podia proteger meus interesses de novo. Eu tinha de praticar a verdade e proteger o trabalho da casa de Deus. Não importava o que pensassem de mim, cumprir a vontade de Deus era o mais importante. Então meus obreiros e eu dispensamos Li Na de acordo com os princípios. Mais tarde, investigações revelaram que Li Na tinha se exaltado e se exibido continuamente para enganar e seduzir os outros, controlar a igreja e estabelecer um reino independente. Ela era um anticristo. A maioria das pessoas na igreja votaram pela expulsão dela. Experimentei como renunciar à carne, praticar a verdade e agir de acordo com os princípios me trouxe paz, contentamento e alegria. E vi que só praticando a verdade damos testemunho e envergonhamos Satanás. Graças a Deus por nos orientar.

O alarme dos últimos dias já tocou e grandes desastres já começaram. Você quer dar as boas-vindas ao retorno do Senhor e ter a chance de receber a proteção de Deus com sua família?

Conteúdo relacionado

A adversidade da prisão

Por Xiao Fan, ChinaUm dia, em maio de 2004, eu estava numa reunião com alguns irmãos e irmãs, quando mais de vinte policiais invadiram o...

Encruzilhada

Por Wang Xin, Coreia do Sul Eu costumava ter uma família feliz, e meu marido era muito bom comigo. Abrimos um restaurante de família que ia...

Uma parceira não é uma rival

Por Ou’zhen, Myanmar Pouco tempo atrás, aceitei a obra de Deus dos últimos dias e comecei a praticar a rega de recém-convertidos. Já que eu...

Conecte-se conosco no Messenger