Desvendando o enigma da Trindade

13 de Junho de 2022

Por Qiuzhi, Cingapura

Vinte anos atrás, um presbítero me converteu ao cristianismo. Ele me disse que, de tudo o que há no universo, existe um Deus verdadeiro, que criou a humanidade, os céus, a Terra e todas as coisas. Isso era fascinante. Mais tarde, ele me contou que o Senhor Jesus é o Filho de Deus e que podemos ser salvos por meio da fé Nele. A essa altura, fiquei um pouco confuso. Não existia apenas um Deus? Como Ele podia ter um Filho? Não conseguia entender quantos Deuses de fato existem. Depois disso, sempre que via nosso pastor batizar alguém, eu notava que ele dizia: “Você é batizado no nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”. Confuso, perguntei a ele: “Quantos desse Deus existem? Por que você sempre batiza as pessoas em tantos nomes de Deus?”. Sua resposta foi: “Existe apenas um Deus, mas existe a Trindade, que consiste no Pai, no Filho e no Espírito Santo. São pessoas distintas, mas existem juntas em um ser”. Quando viu que não entendia, ele continuou: “Isso é algo em que você precisa se aprofundar para entender. Tudo bem se não entender agora. Trate-As todas como Deus. O Pai, o Filho e o Espírito Santo operam todos juntos”. Sua explicação ainda me deixou perplexo. Se Ele era um Deus, como poderia haver três pessoas? Mas pensei que não podia ser errado, já que era um dogma básico do cristianismo, talvez fosse um mistério profundo de Deus.

Mais tarde, fui para o seminário para servir melhor a Deus. Pensei muito sobre o significado da Trindade enquanto estava lá. Num esforço para esclarecer minha confusão, comecei a estudar muitos recursos e as Escrituras e consultei alguns dos pastores, mas nunca encontrei uma resposta. Depois de completar meus estudos, servi como voluntário na escola dominical da igreja. Alguns irmãos e irmãs pediram que eu explicasse a Trindade. Eu não sabia o que fazer, então os enrolei com o que o pastor tinha dito. Quando vi que continuavam perdidos, eu me senti mal. Sabia que deveria estar servindo ao Senhor, por isso senti vergonha por não poder explicar algo tão básico na fé cristã.

Em 2007, participei da Conferência Chinesa Mundial de Treinamento de Pastores e Presbíteros. Ver pastores e pregadores famosos do mundo inteiro reunidos foi muito excitante. Queria usar a oportunidade para buscar e resolver a confusão que tinha em meu coração. Abordei um pastor bem conhecido depois da conferência. Perguntei qual era seu entendimento da Trindade, e ele me disse: “O Pai determina tudo, o Filho executa o plano do Pai, e o Espírito Santo administra o plano”. Pedi que entrasse em maiores detalhes, mas ele se esquivou habilmente da pergunta. Fiz a mesma pergunta a outro pastor, e ele disse: “Jeová é Deus, o Senhor Jesus é Deus, e o Espírito Santo é Deus. Todos eles são Deus. Ore para Aquele que você quiser. No entanto, sugiro que ore para o Senhor Jesus porque Ele é o Filho do homem. Ele tem emoções humanas normais e consegue enxergar o coração humano. Ele também fez muitos milagres. Jeová é um Espírito, como o é também o Espírito Santo. Não podem ser vistos nem tocados. Por isso, é melhor comunicar-se com o Deus terreno”. Isso me deixou ainda mais confuso, e pensei: “Já que nenhuma das três pessoas é superior ou inferior, como orar a uma delas pode ser melhor? Deus Jeová também não pode enxergar nosso coração e fazer todos os tipos de milagres?”. Vendo minha confusão, ele acrescentou: “Deus é um Espírito e é insondável. Muitos pastores com décadas de experiência em interpretar as Escrituras ainda não conseguem explicar isso totalmente e eu também ainda estou buscando sobre isso”. Depois disso, não tive mais nada a perguntar. Quando pensei sobre como o pastor distinguia a importância para a oração, fiquei muito inquieto. Sentia que não era uma abordagem reverente a Deus, mas não sabia como devia entender isso. Continuei acreditando na Trindade, mesmo confuso. Sempre que a Trindade era mencionada na escola dominical, eu passava por cima, pois temia ofender a Deus se errasse, mas nunca consegui entender em meu coração.

Mais de uma década passou num piscar de olhos. Conheci a irmã Su em 2017. Sua comunhão bíblica era muito esclarecedora, e ela tinha um entendimento muito perceptivo. Ganhei muito com isso. Mais tarde, ela me convidou para participar de reuniões on-line de um pequeno grupo. Em uma delas, o irmão Li comungou sobre a fé verdadeira em Deus e a história por trás da Bíblia. Foi tão esclarecedor. Ele também mencionou as profecias de Apocalipse e disse: “A obra de Deus para salvar a humanidade acontece em três eras. O Antigo Testamento foi a Era da Lei, o Novo Testamento foi a Era da Graça, e Apocalipse profetiza a obra dos últimos dias. Deus assume um nome novo e faz uma obra diferente em cada era. O nome de Deus era Jeová no Antigo Testamento durante a Era da Lei, e Ele instruiu as pessoas sobre o pecado emitindo a lei e os mandamentos por meio de Moisés, guiando os primeiros homens em sua vida na Terra. No final da Era da Lei, ninguém estava guardando a lei, mas pecando cada vez mais. Todos enfrentavam condenação e morte sob a lei. Deus Se tornou carne como o Senhor Jesus para salvar as pessoas de serem condenadas. Ele foi pessoalmente crucificado para nos redimir de nossos pecados. Se aceitarmos o Senhor Jesus e confessarmos a Ele e nos arrependermos, nossos pecados podem ser perdoados. Mas ainda temos uma natureza pecaminosa, assim ficamos pecando e confessando. Não somos purificados nem libertos das amarras do pecado. Desse jeito, não somos dignos do reino dos céus. Nos últimos dias, Deus expressa a verdade de acordo com as necessidades da humanidade. Ele opera para julgar e purificar a humanidade, para resolver nossa natureza pecaminosa e nos salvar completamente do império de Satanás. Esses são os três estágios da obra de Deus para salvar a humanidade. Cada estágio de Sua obra se baseia naquilo que a humanidade precisa. Por meio desses três estágios da obra, conhecemos o pecado, somos redimidos do pecado e libertos do pecado. Aceitar a obra de Deus dos últimos dias para nos libertar do pecado é o único jeito de sermos totalmente salvos e de entrarmos no reino de Deus”.

O irmão Li comunicou que os três estágios da obra de Deus estão intimamente interconectados, e ligou isso com a Bíblia. Isso realmente me cativou. Eu tinha lido a Bíblia muitas vezes e tinha ouvido tantos sermões, mas nunca tinha ouvido ninguém comungar com tanta clareza sobre a obra de Deus. O irmão Li continuou enviando uma passagem. “Da obra de Jeová à obra de Jesus e da obra de Jesus àquela deste estágio atual, esses três estágios abrangem de forma contínua toda a gama do gerenciamento de Deus, e são todos obra de um só Espírito. Desde a criação do mundo, Deus sempre esteve operando na gestão da humanidade. Ele é o Princípio e o Fim, Ele é o Primeiro e o Último, e Ele é Aquele que inicia uma era e Aquele que encerra a era. Os três estágios da obra, em diferentes eras e diferentes locais, são inequivocamente a obra de um só Espírito. Todos aqueles que separam esses três estágios estão em oposição a Deus. Agora, cabe a você entender que toda a obra, desde o primeiro estágio até hoje, é a obra de um só Deus, a obra de um só Espírito. Disso não pode haver dúvidas” (‘A visão da obra de Deus (3)’ em “A Palavra manifesta em carne”). Depois de ler as palavras de Deus, o irmão Li comungou: “Existe apenas um Deus. Deus criou toda a humanidade, e o Próprio Deus está gerenciando e salvando o homem. Desde a criação do mundo até agora, Ele tem operado para salvar a humanidade, e embora Seus nomes sejam diferentes em cada estágio da obra e a obra, os tempos e os lugares sejam diferentes, tudo é feito por um só Deus. Cada estágio da obra se ergue sobre o anterior, mais alto e mais profundo com cada estágio”. Fiquei muito surpreso ao ouvir isso e pensei: “Ele diz que cada estágio da obra é feito pelo mesmo Espírito, então Jeová e o Senhor Jesus são o mesmo Espírito. Existe apenas um Deus, não três Espíritos! A comunhão do irmão Li faz todo sentido e não consigo ver nada para duvidar ou refutar. Mas baseado naquilo que ele disse, isso não significaria que a Trindade em que acreditávamos não tinha base? Embora haja debate no mundo religioso sobre a singularidade ou multiplicidade de Deus, a maioria das pessoas acredita na Trindade. Todas elas não podem estar erradas. Eu nunca tinha ouvido esse tipo de comunhão antes. Existe um novo entendimento na comunidade religiosa?”. Incapaz de aquietar meus sentimentos, saí cedo para pensar sobre isso.

Tentando obter alguma clareza, comecei a folhear a Bíblia mais uma vez e a estudar muitos recursos de pregação. Procurei por dias sem encontrar nada. Comecei a ficar ansioso a essa altura e pensei: “A comunhão do irmão Li é diferente daquilo que o mundo religioso diz, mas é novo e biblicamente sensato. Devo participar da próxima reunião? Se eu continuar indo e rejeitar a ideia da Trindade, certamente serei expulso pela comunidade religiosa. Por outro lado, ganhei esclarecimento dessa comunhão que não posso ganhar na igreja. Eu odiaria simplesmente abandonar isso”. Não consegui me decidir, então encontrei aquela passagem das palavras de Deus que o irmão Li tinha enviado na reunião. Ponderei enquanto lia, e quanto mais pensava, mais sentia que nenhuma pessoa comum poderia ter inventado isso. E nenhuma pessoa spiritual ousaria falar sobre a obra de gerenciamento de Deus nesse tom. Poderiam realmente ser palavras de Deus? Depois de muita reflexão, decidi que, não importava o que o mundo religioso pensasse, eu devia ouvir a comunhão do irmão Li e ver se ela conseguiria pôr ordem na minha confusão.

Na reunião seguinte, compartilhei minha insegurança sobre a Trindade e esta foi sua comunhão: “Muitas pessoas religiosas se agarram à ideia da Trindade. Acham que há um Deus, mas três pessoas, o Pai, o Filho e o Espírito Santo, que assumem partes diferentes da obra de gerenciamento de Deus. Mas alguém já se perguntou de onde vem essa ideia? Deus disse alguma coisa sobre a Trindade? O Espírito Santo deu testemunho dela? Os profetas falaram sobre ela? Claramente, não! Na verdade, a ideia da Trindade surgiu pela primeira vez no Concílio de Niceia mais de três séculos depois do tempo do Senhor e se estabeleceu depois de um debate feroz entre os líderes religiosos. A partir de então, a maioria das pessoas religiosas começou a acreditar que nosso Deus uno, que criou todas as coisas, é a Trindade. Acham que, além do Senhor Jesus, existem também o Pai e o Espírito Santo no Céu, que Eles são três Deuses, três Espíritos. Se seguíssemos sua lógica, Deus seria o único Deus verdadeiro? Andam por aí gritando que só existe um Deus, mas acreditam na Trindade. Isso não é contraditório? Isso não é absurdo? Nunca houve nada sobre qualquer Trindade no Antigo Testamento, e nos três anos e meio em que o Senhor Jesus operou na terra, Ele nunca disse nada sobre a existência de uma Trindade. Por que essa ideia apareceu depois do Senhor Jesus terminar a Sua obra? Porque as pessoas não entendiam a essência da encarnação. O Espírito Santo testificou que o Senhor Jesus era o Filho amado de Deus, e eles O viram orando ao Seu Pai no céu, então desenvolveram noções sobre Deus. Pensavam que havia três Deuses, o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Extrapolaram daquilo que imaginavam e fizeram essa tentativa improvável de delimitar Deus. Veja Felipe, por exemplo. Ele não sabia que o Senhor Jesus era Deus encarnado, então pediu que o Senhor lhe mostrasse o Pai. O Senhor Jesus respondeu claramente: ‘Há tanto tempo que estou convosco, e ainda não Me conheces, Felipe? Quem viu a Mim, viu o Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai? Não crês tu que Eu estou no Pai, e que o Pai está em Mim? As palavras que Eu vos digo, não as digo por Mim mesmo; mas o Pai, que permanece em Mim, é quem faz as Suas obras’ (João 14:9-10). O Senhor Jesus disse também: ‘Eu e o Pai somos um’ (João 10:30). O Senhor Jesus disse claramente que Eles são um, que Eles são um Deus, um Espírito”.

Então o irmão Li passou um vídeo com a leitura de várias palavras de Deus. Deus Todo-Poderoso diz: “Se algum entre vocês disser que a Trindade realmente existe, então explique exatamente o que é este único Deus em três pessoas. O que é o Pai Santo? O que é o Filho? O que é o Espírito Santo? Jeová é o Pai Santo? Jesus é o Filho? E o Espírito Santo? Não é o Pai um Espírito? Não é a essência do Filho também um Espírito? A obra de Jesus não foi a obra do Espírito Santo? Não foi a obra de Jeová realizada na época por um Espírito igual ao de Jesus? Quantos Espíritos Deus pode ter? De acordo com a sua explicação, as três pessoas do Pai, do Filho e do Espírito Santo são uma; se assim for, existem três Espíritos, mas ter três Espíritos significa que há três Deuses. Isso significa que não há um único Deus verdadeiro; como esse tipo de Deus ainda pode ter a essência inerente de Deus? Se você aceita que há somente um Deus, então como Ele pode ter um filho e ser pai? Tudo isso não são simplesmente suas noções? Há somente um Deus, somente uma pessoa nesse Deus, e somente um Espírito de Deus, tanto quanto está escrito na Bíblia que ‘existe somente um Espírito Santo e um só Deus’. Independentemente de se o Pai e o Filho de que você fala existem, há um só Deus no final das contas, e a essência do Pai, do Filho e do Espírito Santo em que você crê é a essência do Espírito Santo. Em outras palavras, Deus é um Espírito, mas Ele consegue Se tornar carne e viver entre os homens, assim como estar acima de todas as coisas. Seu Espírito é todo-inclusivo e onipresente. Ele pode estar simultaneamente na carne e dentro e acima do universo. Já que todas as pessoas dizem que Deus é o único Deus verdadeiro, então há um único Deus, que não é divisível arbitrariamente por ninguém! Deus é um só Espírito e somente uma pessoa; e esse é o Espírito de Deus” (‘A Trindade existe?’ em “A Palavra manifesta em carne”). “Alguns ainda podem dizer: ‘O Pai é o Pai; o Filho é o Filho; o Espírito Santo é o Espírito Santo e, no final, eles serão feitos um’. Logo, como você deve torná-Los um? Como o Pai e o Espírito Santo podem ser feitos um? Se Eles fossem inerentemente dois, então não importa como sejam unidos, Eles não permaneceriam duas partes? Quando você fala sobre torná-Los um, isso não significa simplesmente juntar duas partes separadas para formar um todo? Mas Eles não eram duas partes antes de serem feitos um todo? Cada espírito tem uma essência distinta e dois espíritos não podem ser transformados em um único. O espírito não é um objeto material e é diferente de qualquer outra coisa no mundo material. Da maneira como o homem vê, o Pai é um Espírito, o Filho, outro, e o Espírito Santo, ainda outro, logo, os três Espíritos se misturam como três copos de água em um todo. Isso não é, então, os três feitos um? Essa é puramente uma explicação errônea e absurda! Isso não é dividir Deus? Como o Pai, o Filho e o Espírito Santo podem todos ser feitos um? Eles não são três partes, cada qual de uma natureza diferente?” (‘A Trindade existe?’ em “A Palavra manifesta em carne”). Então ele comungou: “As palavras de Deus Todo-Poderoso dissecam minuciosa e claramente a falácia da Trindade. Podemos ver que Deus é o único Deus verdadeiro, que Ele é o Espírito Santo, do qual só existe um, só que com nomes diferentes. Deus encarnado é o Espírito Santo na carne, e a essência de Sua carne é o Espírito Santo. Não importa como O chamemos em oração, Deus, o Espírito Santo e Deus encarnado são todos um, um Espírito. Ninguém pode negar esse fato. Deus é o Mestre de todas as coisas no universo. Ele é o Espírito onipotente, e onisciente que abrange tudo. Ele é onipresente e todo-poderoso. Ele pode criar os céus, a Terra e todas as coisas, e Ele pode guiar a vida do homem na Terra. Ele também pode Se tornar carne como o Filho do homem para redimir e salvar as pessoas, de acordo com o que precisam. O Espírito de Deus também controla todas as coisas no universo. Se seguíssemos o que diz o mundo religioso, que Deus Jeová é o Pai que criou o universo e que Ele está no Céu fazendo a obra de gerenciar e planejar, enquanto o Senhor Jesus é o Filho, enviado pelo Pai para redimir a humanidade, então, depois de ser ressuscitado e ascender para o Céu, Ele não teria mais nada a fazer. Ele teria de depender do Espírito Santo. Cada uma das pessoas da Trindade tem seu papel. Existe responsabilidade pelo Céu e pela Terra, e pela obra feita na humanidade. Isso não é dividir Deus em três partes? Deus continuaria sendo o único Deus onipotente, onisciente, todo-poderoso? Isso não é uma contradição? Existe apenas um Deus, e Ele Mesmo está gerenciando e salvando a humanidade. Dividi-Lo em três partes significa segmentá-Lo. Isso é resistir e blasfemar contra Deus!”.

As palavras de Deus realmente me comoveram. Vi que a Trindade que tinha guardado em meu coração por anos não existia! Acreditamos no Senhor por anos, sempre insistindo que Deus é o único, mas nós O dividimos em três pessoas e então não sabíamos como transformar esses três Deuses em um só novamente. Isso não era tolo? Lembrei-me daqueles pastores famosos com suas explicações contraditórias da Trindade. Quando não conseguem esclarecer, dizem que Deus é insondável e misterioso. Estão cobrindo nossos olhos com um véu. Vi que crer em Deus sem conhecê-Lo e dividi-Lo realmente é resistir a Deus e desrespeitá-Lo. Quando pensei isso, senti que tinha uma dívida com Deus. Mas eu ainda estava confuso, pois a Bíblia diz: “Batizado que foi Jesus, saiu logo da água; e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito Santo de Deus descendo como uma pomba e vindo sobre ele; e eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo” (Mateus 3:16-17). Deus é um Espírito, um Deus. O Senhor Jesus foi batizado no rio Jordão e o Espírito Santo testificou que Ele era o Filho de Deus, e houve todas aquelas vezes em que o Senhor Jesus orou ao Seu Pai no Céu. Como devemos entender isso? Eu realmente queria entender isso, então perguntei ao irmão Li.

Ele disse: “Sim, o Senhor Jesus orou a Deus e O chamou Seu Pai no Céu. Existe um mistério aqui. Antes de começar Seu ministério, o Senhor Jesus não sabia que Ele era Deus na carne, pois quando o Espírito opera na carne, Ele é normal, não sobrenatural. Ele é como uma pessoa comum. Então, é claro que ele orou ao Seu Pai no Céu. Isso era o Senhor Jesus orando ao Espírito de Deus como um ser humano. Isso é totalmente natural. Quando o Senhor Jesus começou Seu ministério, o Espírito Santo falou, dando testemunho de que Ele era Deus na carne. Somente então Ele conheceu Sua identidade verdadeira. Mas continuou orando ao Pai, o que mostra que Cristo é humilde e oculto, e Sua essência é totalmente submissa a Deus. Vamos assistir a um vídeo de leitura das palavras de Deus Todo-Poderoso que esclarece isso”. Deus Todo-Poderoso diz: “Quando Jesus chamou Deus no céu pelo nome de Pai ao orar, isto foi feito somente da perspectiva de um homem criado, somente porque o Espírito de Deus havia Se vestido de uma carne comum e normal e tinha a capa exterior de um ser criado. Mesmo que dentro Dele estivesse o Espírito de Deus, Sua aparência exterior ainda era a de um homem normal; em outras palavras, Ele Se tornou o ‘Filho do homem’, do qual todos os homens, inclusive o Próprio Jesus, falaram. Dado que Ele é chamado o Filho do homem, Ele é uma pessoa (seja homem ou mulher, em qualquer caso, alguém com a aparência exterior de um ser humano) nascida em uma família normal de pessoas comuns. Portanto, Jesus chamar Deus no céu pelo nome de Pai era igual a como vocês inicialmente O chamavam de Pai; Ele fez isso da perspectiva de um homem criado. Vocês ainda lembram da Oração do Senhor que Jesus lhes ensinou a memorizar? ‘Pai nosso que estás no céu…’ Ele pediu a todos os homens que chamassem Deus no céu pelo nome de Pai. E desde que Ele também O chamou de Pai, o fez da perspectiva de alguém que está em pé de igualdade com todos vocês. Desde que vocês chamaram Deus no céu pelo nome de Pai, Jesus viu a Si mesmo em pé de igualdade com vocês, e como um homem na terra escolhido por Deus (isto é, o Filho de Deus). Se vocês chamam Deus de Pai, isso não é porque vocês são seres criados? Por maior que fosse a autoridade de Jesus na terra, antes da crucificação, Ele era apenas um Filho do homem, governado pelo Espírito Santo (isto é, Deus), e um dos seres criados da terra, porque Ele ainda tinha que completar Sua obra. Portanto, Ele chamar Deus no céu de Pai era unicamente Sua humildade e obediência. O dirigir-Se a Deus (isto é, o Espírito no céu) de tal maneira, no entanto, não prova que Ele era o Filho do Espírito de Deus no céu. Pelo contrário, era simplesmente que a perspectiva Dele era diferente, não que Ele tivesse sido uma pessoa diferente. A existência de pessoas distintas é uma falácia! Antes da crucificação, Jesus era um Filho do homem, sujeito às limitações da carne, e não possuía plenamente a autoridade do Espírito. É por isso que Ele só podia buscar a vontade de Deus, o Pai, da perspectiva de um ser criado. É como Ele orou três vezes no Getsêmani: ‘Não como Eu quero, mas como Tu queres’. Antes de ser colocado na cruz, Ele era apenas o Rei dos Judeus; Ele era Cristo, o Filho do homem, e não um corpo de glória. É por isso que, do ponto de vista de um ser criado, Ele chamou Deus de Pai” (‘A Trindade existe?’ em “A Palavra manifesta em carne”). “Há outros que dizem: ‘Deus não declarou expressamente que Jesus era Seu Filho amado?’. Jesus é o amado Filho de Deus, em quem Ele Se comprazisso foi certamente declarado pelo Próprio Deus. Isso foi Deus testemunhando de Si Mesmo, apenas de uma perspectiva diferente, aquela do Espírito no céu testemunhando de Sua própria encarnação. Jesus é Sua encarnação, não Seu Filho no céu. Você compreende? As palavras de Jesus ‘Eu estou no Pai, e o Pai está em Mim’, não indicam que Eles são um só Espírito? E não é por causa da encarnação que Eles foram separados entre o céu e a terra? Na verdade, Eles ainda são um; não importa o que aconteça, é simplesmente Deus testemunhando de Si Mesmo. Devido à mudança nas eras, às exigências da obra e às diferentes etapas de Seu plano de gestão, o nome pelo qual o homem O chama também varia. Quando Ele veio para realizar a primeira etapa da obra, Ele só poderia ser chamado de Jeová, que é o pastor dos israelitas. Na segunda etapa, o Deus encarnado só poderia ser chamado de Senhor e Cristo. Mas naquela época, o Espírito no céu declarou apenas que Ele era o Filho amado de Deus, e não fez menção de Ele ser o único Filho de Deus. Isso simplesmente não aconteceu. Como Deus poderia ter um filho único? Então, Deus não teria Se tornado homem? Porque Ele era a encarnação, foi chamado o amado Filho de Deus e, com isso, veio o relacionamento entre Pai e Filho. Foi simplesmente por causa da separação entre o céu e a terra. Jesus orou da perspectiva da carne. Como Ele Se revestiu de uma carne de humanidade tão normal, é da perspectiva da carne que Ele disse: ‘Minha casca exterior é a de um ser criado. Desde que Eu me revesti de uma carne para vir a esta terra, estou agora muito, muito distante do céu’. Por esta razão, Ele só podia orar a Deus, o Pai, da perspectiva da carne. Esse era Seu dever e era aquilo de que o Espírito encarnado de Deus deveria ser dotado. Não se pode dizer que Ele não era Deus simplesmente porque orou ao Pai a partir da perspectiva da carne. Embora Ele fosse chamado de Filho amado de Deus, Ele ainda era o Próprio Deus, pois era apenas a encarnação do Espírito, e Sua essência ainda era o Espírito” (‘A Trindade existe?’ em “A Palavra manifesta em carne”).

O irmão Li continuou sua comunhão, dizendo: “O Senhor Jesus era Deus na carne. Ele era o Espírito de Deus no corpo do Filho do homem, que possuía humanidade normal. Ele não tinha uma aparência nada incomum, mas Ele tinha a própria essência de Deus. Quando o Senhor Jesus foi batizado e iniciou Seu ministério, Deus deu testemunho de que Ele era Seu Filho amado. Isso era Deus dando testemunho da encarnação a partir da perspectiva do Espírito para que as pessoas seguissem e acreditassem no Senhor Jesus e soubessem que Ele era de Deus. Se o Espírito Santo tivesse dado testemunho diretamente de que o Senhor Jesus era Deus na carne, as pessoas teriam tido dificuldades de aceitar, pois não sabiam nada sobre a encarnação de Deus. A encarnação era algo novo para elas, e elas não sabiam nada sobre isso. Nunca teriam imaginado que o Filho do homem, essa pessoa comum, era a encarnação do Espírito de Deus na carne. Em Sua obra, o Senhor Jesus expressou muitas palavras, trouxe o caminho do arrependimento, mostrou sinais e maravilhas e revelou totalmente a autoridade e o poder de Deus. Mas as pessoas não conseguiam ver a partir de Sua obra e palavras que o Senhor Jesus era o Próprio Deus, a aparição de Deus. Com base na estatura das pessoas na época, Deus deu testemunho de que o Senhor Jesus era Seu Filho amado e permitiu temporariamente que as pessoas vissem o Senhor Jesus como Seu Filho. Isso se encaixava nas noções das pessoas e elas conseguiam aceitar isso facilmente. O Senhor Jesus estava apenas fazendo a obra de redenção, então não importava como as pessoas O chamavam, elas só precisavam aceitá-Lo como seu Salvador, ter seus pecados perdoados e se qualificar para desfrutar da graça de Deus. Ao orar a Deus no Céu como Seu Pai, o Senhor Jesus estava chamando Deus a partir da perspectiva de uma pessoa criada. Isso mostra quão humilde e oculto Deus é. O Senhor Jesus era o Próprio Deus, mas Ele não Se apresentou como Deus. Em vez disso, ensinou as pessoas a orar e as guiou para conhecer a Deus, tudo a partir da perspectiva de um ser criado. Assim, as pessoas não sentiriam que Deus era altivo e que estava fora de seu alcance, mas reuniria o homem e Deus. Essa era a sabedoria na obra de Deus. Era o que precisávamos como humanos e o que a obra de salvação de Deus precisava”.

Isso me trouxe uma irrupção de esclarecimento. Vi que, por trás das Escrituras, está a sabedoria da obra de Deus e Seu amor pela humanidade. Mas carecendo de entendimento, vemos o Pai, o Filho e o Espírito Santo mencionados na Bíblia e dividimos Deus em três pessoas, em três Deuses com base em nossas noções. Isso é realmente blasfemar contra Deus! A falácia de que Deus é uma Trindade ruiu dentro de mim imediatamente. Eu estava liberto. As palavras de Deus dizem: “O Espírito dentro de Jesus, o Espírito no céu e o Espírito de Jeová são todos um. É chamado o Espírito Santo, o Espírito de Deus, o Espírito sete vezes intensificado e o Espírito todo-inclusivo. O Espírito de Deus pode realizar muita obra. Ele é capaz de criar o mundo e de destruí-lo inundando a terra; Ele pode redimir toda a humanidade e, além disso, Ele pode conquistar e destruir toda a humanidade. Toda essa obra é realizada pelo Próprio Deus e não pode ser feita por qualquer outra das pessoas de Deus em Seu lugar. Seu Espírito pode ser chamado pelos nomes de Jeová e Jesus, bem como de Todo-Poderoso. Ele é o Senhor, e Cristo. Ele também pode se tornar o Filho do homem. Ele está nos céus e também na terra; Ele está no alto, acima dos universos e entre a multidão. Ele é o único Mestre dos céus e da terra! Desde o tempo da criação até agora, essa obra foi realizada pelo Espírito do Próprio Deus. Seja a obra nos céus ou na carne, tudo é realizado pelo Seu próprio Espírito. Todas as criaturas, no céu ou na terra, estão na palma de Sua mão todo-poderosa; tudo isso é obra do Próprio Deus e não pode ser feita por nenhum outro em Seu lugar. Nos céus, Ele é o Espírito, mas também o Próprio Deus; entre os homens, Ele é carne, mas permanece o Próprio Deus. Embora Ele possa ser chamado por centenas de milhares de nomes, Ele ainda é Ele Mesmo, a expressão direta de Seu Espírito. A redenção de toda a humanidade por meio de Sua crucificação foi a obra direta de Seu Espírito, e assim também é a proclamação para todas as nações e todas as terras durante os últimos dias. Em todos os momentos, Deus só pode ser chamado o todo-poderoso e o único Deus verdadeiro, o Próprio Deus todo-inclusivo. As pessoas distintas não existem, muito menos essa ideia do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Existe apenas um Deus no céu e na terra!” (‘A Trindade existe?’ em “A Palavra manifesta em carne”). Depois dessa leitura, o irmão Li comungou: “Deus é o Criador, Aquele que criou a humanidade. Ele é Deus Jeová que emitiu as leis e os mandamentos para o bem da humanidade, para guiar sua vida na Terra. Ele também é nosso Salvador, o Senhor Jesus, que nos redimiu do pecado. E mais, Ele é Deus Todo-Poderoso, que retornou nos últimos dias para julgar toda a humanidade. O Senhor Jesus pelo qual ansiamos voltou. Ele é Deus Todo-Poderoso. Ele tem operado na Terra por mais de duas décadas, expressando a verdade e fazendo a obra de julgamento dos últimos dias. Ele abriu o pergaminho. Ele nos deu todas as verdades necessárias para nos purificar e salvar completamente. Isso cumpre as profecias do Senhor: ‘Ainda tenho muito que vos dizer; mas vós não o podeis suportar agora. Quando vier, porém, Aquele, o Espírito da verdade, Ele vos guiará a toda a verdade’ (João 16:12-13). ‘Se alguém ouvir as Minhas palavras, e não as guardar, Eu não o julgo; pois Eu vim, não para julgar o mundo, mas para salvar o mundo. Quem Me rejeita, e não recebe as Minhas palavras, já tem quem o julgue; a palavra que tenho pregado, essa o julgará no último dia’ (João 12:47-48)”.

Foi tão empolgante ouvir isso. O Senhor voltou e expressou verdades para fazer a obra de julgamento nos últimos dias. Não era de se admirar que essas palavras fossem tão poderosas e autoritárias, como se fossem a voz de Deus. Elas realmente eram as palavras de Deus! Entusiasmado, eu disse ao irmão Li: “Agora entendo. Não importa se é o Espírito de Deus ou Sua encarnação, é o Próprio Deus. Não existe Trindade. Sem as verdades expressadas por Deus Todo-Poderoso, ninguém poderia refutar e desvendar totalmente essa falácia que tem sido debatida por quase dois mil anos. Só o Próprio Deus poderia revelar essa verdade. Tenho certeza de que as palavras de Deus Todo-Poderoso são a voz de Deus e que Deus Todo-Poderoso é o Senhor Jesus retornado! Agora estou pronto para aceitar a obra de Deus Todo-Poderoso dos últimos dias! Dou graças a Deus Todo-Poderoso por resolver completamente essa confusão que tem me atormentado por mais de vinte anos!”.

O alarme dos últimos dias já tocou e grandes desastres já começaram. Você quer dar as boas-vindas ao retorno do Senhor e ter a chance de receber a proteção de Deus com sua família?

Conteúdo relacionado

O mistério do retorno do Senhor

Passei a crer no Senhor em 2012. Eu sempre ouvi o pastor dizer nos encontros: “A Bíblia diz: ‘Varões galileus, por que ficais aí olhando...

Entre em contato conosco pelo WhatsApp