Você testifica que Deus dos últimos dias foi encarnado como uma mulher. Nós não podemos aceitar isso. Está escrito na Bíblia que Jesus chamava o Deus no céu de Pai, e o Deus no céu chamava Jesus de Filho amado. Pais e filhos não são homens? A Bíblia também diz: “o homem a cabeça da mulher” (1 Coríntios 11:3). As mulheres, portanto, não têm autoridade, por que, então, você diz que Deus dos últimos dias foi encarnado como uma mulher?

21 de Fevereiro de 2021

Palavras de Deus relevantes:

Cada estágio da obra feita por Deus tem seu próprio significado prático. No passado, quando Jesus veio, Ele era homem, mas quando Deus vem desta vez, Ele é mulher. A partir disso, você pode ver que Deus criou tanto o homem quanto a mulher para o bem da Sua obra e, para Ele, não há distinção de gênero. Quando o Seu Espírito vem, Ele pode assumir qualquer tipo de carne que quiser, e tal carne pode representá-Lo; seja homem ou mulher, ela pode representar a Deus, contanto que seja a Sua carne em pessoa. Se Jesus tivesse aparecido como mulher quando Ele veio, em outras palavras, se uma menina, não um menino, tivesse sido concebida pelo Espírito Santo, aquele estágio da obra teria sido completado da mesma maneira. Se isso tivesse sido o caso, então o estágio atual da obra teria que ser completado por um homem em vez disso, porém, a obra teria sido completada da mesma maneira. A obra feita em ambos os estágios é igualmente significativa; nenhum estágio da obra é repetido nem conflita com o outro. Naquela época, Jesus, ao fazer a Sua obra, foi chamado de Filho unigênito, e “Filho” implica o gênero masculino. Por que o Filho unigênito não é mencionado neste estágio atual? Porque os requisitos da obra necessitaram uma alteração em gênero diferente do de Jesus. Para Deus, não há distinção de gênero. Ele faz a Sua obra como Ele deseja e, ao fazer a Sua obra, Ele não está sujeito a quaisquer restrições, mas é especialmente livre. Entretanto, cada estágio da obra tem seu próprio significado prático. Deus Se tornou carne duas vezes, e é evidente que a Sua encarnação durante os últimos dias é a última vez. Ele veio para tornar conhecidos todos os Seus feitos. Se, neste estágio, Ele não tivesse Se tornado carne para, de modo pessoal, fazer a obra para o homem testemunhar, o homem se agarraria para sempre à noção de que Deus é somente homem, não mulher. Antes disso, toda a humanidade cria que Deus podia ser somente homem e que uma mulher não poderia ser chamada de Deus, pois toda a humanidade considerava os homens como tendo autoridade sobre as mulheres. Eles criam que nenhuma mulher poderia assumir autoridade, somente o homem. E mais, eles até diziam que o homem era a cabeça da mulher e que a mulher devia obedecer ao homem, não podendo ultrapassá-lo. Em tempos passados, quando se dizia que o homem era a cabeça da mulher, isso se referia a Adão e Eva, que tinham sido enganados pela serpente — não ao homem e à mulher como tinham sido criados por Jeová no início. Evidentemente, a mulher deve obedecer e amar seu marido, e o marido deve aprender a alimentar e sustentar a sua família. Essas são as leis e os decretos estabelecidos por Jeová aos quais a humanidade deve obedecer durante sua vida na terra. Jeová disse à mulher: “E o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará”. Ele falou assim somente para que a humanidade (isto é, tanto o homem como a mulher) pudessem viver vidas normais sob o domínio de Jeová e para que a vida da humanidade pudesse ter uma estrutura e não saísse da ordem certa. Portanto, Jeová fez regras apropriadas para como o homem e a mulher deveriam agir, embora isso tenha sido somente em relação a todos os seres criados que vivem na terra e não tivesse nenhuma relação com a carne de Deus em pessoa. Como Deus poderia ser igual aos Seus seres criados? Suas palavras se dirigiam somente à humanidade da Sua criação; foi para que a humanidade vivesse vidas normais que Ele estabeleceu regras para o homem e a mulher. No princípio, quando Jeová criou a humanidade, Ele fez dois tipos de seres humanos: homem e mulher; e, assim, existe a divisão entre homem e mulher em Suas carnes em pessoa. Ele não decidiu Sua obra com base nas palavras que Ele falou a Adão e Eva. As duas vezes em que Ele Se tornou carne foram determinadas inteiramente de acordo com o Seu raciocínio no momento em que Ele criou a humanidade pela primeira vez; isto é, Ele completou a obra das Suas duas encarnações com base no homem e na mulher, antes de serem corrompidos. Se a humanidade tomasse as palavras faladas por Jeová a Adão e Eva, que tinham sido enganados pela serpente, e as aplicassem à obra da encarnação de Deus, Jesus também não teria que amar a Sua esposa como deveria? Desse modo, Deus continuaria sendo Deus? E se assim fosse, Ele ainda seria capaz de completar a Sua obra? Se fosse errado para a carne de Deus em pessoa ser mulher, então não teria também sido um erro da maior magnitude Deus ter criado a mulher? Se as pessoas ainda acreditam que seria errado Deus encarnar como mulher, então não estaria Jesus, que não Se casou e, portanto, foi incapaz de amar a Sua esposa, tão errado quanto a encarnação presente? Uma vez que você usa as palavras faladas por Jeová a Eva para medir a verdade da encarnação de Deus no dia atual, então você deveria utilizar as palavras de Jeová a Adão para julgar o Senhor Jesus, que Se tornou carne na Era da Graça. Esses não são o mesmo? Uma vez que você toma a medida do Senhor Jesus de acordo com o homem que não tinha sido enganado pela serpente, então, você não pode julgar a verdade da encarnação de hoje de acordo com a mulher que foi enganada pela serpente. Isso seria injusto! Medir Deus dessa maneira prova que você carece de racionalidade. Quando Jeová Se tornou carne duas vezes, o gênero da Sua carne foi relacionado ao homem e à mulher que não tinham sido enganados pela serpente; foi de acordo com o homem e a mulher que não tinham sido enganados pela serpente que Ele Se tornou carne duas vezes. Não pense que a masculinidade de Jesus foi a mesma de Adão, que foi enganado pela serpente. As duas não apresentam nenhuma relação, eles são homens de duas naturezas diferentes. Com certeza, não pode ser que a masculinidade de Jesus prove que Ele é somente a cabeça de todas as mulheres, mas não de todos os homens? Ele não é o Rei de todos os judeus (incluindo os homens e as mulheres)? Ele é o Próprio Deus, não somente a cabeça das mulheres, mas a cabeça dos homens também. Ele é o Senhor de todas as criaturas e cabeça de todas as criaturas. Como você poderia determinar que a masculinidade de Jesus fosse o símbolo da cabeça das mulheres? Não seria uma blasfêmia? Jesus é um homem que não foi corrompido. Ele é Deus; Ele é Cristo; Ele é o Senhor. Como Ele poderia ser um homem como Adão, que foi corrompido? Jesus é a carne vestida pelo mais santo Espírito de Deus. Como você poderia dizer que Ele é um Deus que possui a masculinidade de Adão? Nesse caso, toda a obra de Deus não estaria errada? Teria Jeová sido capaz de incorporar dentro de Jesus a masculinidade de Adão, que foi enganado pela serpente? A encarnação do tempo atual não é outro exemplo da obra de Deus encarnado, que é diferente de Jesus em gênero, mas semelhante a Ele em natureza? Você ainda ousa dizer que Deus encarnado não poderia ser mulher porque a mulher foi a primeira a ser enganada pela serpente? Você ainda ousa dizer que, visto que a mulher é a mais impura e a fonte da corrupção da humanidade, é impossível que Deus Se tornasse carne como uma mulher? Você ousa persistir em dizer que “a mulher sempre obedecerá ao homem e nunca poderá manifestar ou diretamente representar a Deus”?

Extraído de ‘As duas encarnações completam o significado da encarnação’ em “A Palavra manifesta em carne

Se Ele fosse encarnado apenas como um varão, as pessoas O definiriam como homem, como o Deus dos homens, e nunca acreditariam Nele como o Deus das mulheres. Os homens acreditariam que Deus pertence ao mesmo gênero deles, que Deus é o cabeça dos homens. E as mulheres? Isso é injusto; não é um tratamento preferencial? Se esse fosse o caso, então todos a quem Deus salvou seriam homens como Ele e não haveria salvação para as mulheres. Quando criou a humanidade, Deus criou Adão e criou Eva. Ele não criou apenas Adão, mas criou os dois, homem e mulher, à Sua imagem. Deus não é só o Deus dos homens: também é o Deus das mulheres.

Extraído de ‘A visão da obra de Deus (3)’ em “A Palavra manifesta em carne”

Se somente a obra de Jesus tivesse sido feita e não tivesse sido complementada pela obra neste estágio dos últimos dias, então o homem se agarraria para sempre à noção de que somente Jesus é o único Filho de Deus, isto é, que Deus tem somente um filho e que qualquer um que vier depois com um outro nome não seria o único Filho de Deus, muito menos o Próprio Deus. O homem tem a noção de que qualquer um que sirva como uma oferta pelo pecado ou que assuma o poder em nome de Deus e redima toda a humanidade é o único Filho de Deus. Há alguns que creem que, contanto que Aquele que venha seja um homem, Ele pode ser considerado o único Filho de Deus e o representante de Deus. Há até aqueles que dizem que Jesus é o Filho de Jeová, Seu único Filho. Tais noções não são exageradas? Se este estágio da obra não fosse feito na era final, então, em relação a Deus, toda a humanidade estaria velada sob uma escura sombra. Se esse fosse o caso, o homem se acharia mais elevado do que a mulher, e as mulheres nunca seriam capazes de manter suas cabeças erguidas, e, então, nem mesmo uma só mulher poderia ser salva. As pessoas sempre creem que Deus é homem e, mais ainda, que Ele sempre desprezou a mulher e não concederia salvação a ela. Se esse fosse o caso, não seria verdade que todas as mulheres, que foram criadas por Jeová e que também foram corrompidas, nunca teriam a oportunidade de serem salvas? Então, não seria sem sentido Jeová ter criado a mulher, isto é, ter criado Eva? E a mulher não pereceria pela eternidade? Por essa razão, o estágio da obra nos últimos dias deve ser empreendido a fim de salvar toda a humanidade, não somente a mulher. Caso alguém pense que, se Deus encarnasse como uma mulher, isso seria unicamente em benefício de salvar a mulher, então essa pessoa seria, sem dúvida, um tolo!

Extraído de ‘As duas encarnações completam o significado da encarnação’ em “A Palavra manifesta em carne”

Jesus e Eu viemos de um Espírito. Embora não tenhamos relação nas Nossas carnes, os Nossos Espíritos são um; mesmo que o conteúdo daquilo que fazemos e a obra que assumimos não sejam os mesmos, Nós somos iguais em essência; as Nossas carnes tomam formas diferentes, mas isso é devido à mudança na era e nos diferentes requisitos da Nossa obra; os Nossos ministérios não são semelhantes, por isso, a obra que Nós produzimos e os caracteres que Nós revelamos ao homem também são diferentes. É por isso que o que o homem vê e entende neste dia é diferente do passado, o que se dá por causa da mudança na era. Por tudo isso, Eles são diferentes no gênero e na forma das carnes Deles, e Eles não nasceram da mesma família, ainda menos no mesmo período de tempo, os Espíritos Deles são, mesmo assim, um. Embora as carnes Deles não compartilhem nem sangue nem parentesco físico de tipo algum, não pode ser negado que Eles são as carnes de Deus em pessoa em dois períodos de tempo diferentes. Que Eles são as carnes de Deus em pessoa é uma verdade irrefutável, embora não sejam da mesma linhagem e não compartilhem de uma língua humana comum (uma era um homem que falava a língua dos judeus; e a outra, uma mulher que fala somente chinês). É por essas razões que Eles viveram em diferentes países para fazerem a obra que convinha a cada um fazer e também em períodos diferentes de tempo. A despeito do fato de que Eles são o mesmo Espírito, que possuem a mesma essência, não há semelhanças absolutas, de modo algum, entre as cascas externas das carnes Deles. Tudo o que eles compartilham é a mesma humanidade, mas no que se refere à aparência externa das carnes Deles e às circunstâncias do nascimento Deles, Eles não são semelhantes. Essas coisas não têm impacto sobre a respectiva obra Deles nem sobre o conhecimento que o homem tem Deles, pois, em última análise, Eles são o mesmo Espírito, e ninguém pode separá-Los. Embora não sejam relacionados por sangue, todo o ser Deles está encarregado do Espírito Deles, que Lhes aloca diferentes obras em diferentes períodos de tempo; e à carne Deles, diferentes linhagens. O Espírito de Jeová não é o pai do Espírito de Jesus, e o Espírito de Jesus não é o filho do Espírito de Jeová: Eles são um e o mesmo Espírito. Semelhantemente, o Deus encarnado de hoje e Jesus não estão relacionados por sangue, mas Eles são um; isso se dá porque Seus Espíritos são um. Deus pode fazer a obra de misericórdia e de amabilidade, assim como a de julgamento justo e a de castigo do homem e a de invocar maldições sobre o homem; e, no final, Ele pode fazer a obra de destruir o mundo e de punir o ímpio. Ele não faz tudo isso Ele Mesmo? Essa não é a onipotência de Deus?

Extraído de ‘As duas encarnações completam o significado da encarnação’ em “A Palavra manifesta em carne”

Deus não é apenas o Espírito Santo, o Espírito, o Espírito sete vezes intensificado ou o Espírito abrangente, mas é também um humano — um humano comum, um humano excepcionalmente comum. Ele não é apenas masculino, mas também feminino. Eles são similares no sentido de que ambos nasceram de humanos e dissimilares no sentido de que um foi concebido pelo Espírito Santo e o outro é nascido de um humano, mas tendo procedido diretamente do Espírito. São similares no sentido de que ambas as carnes encarnadas de Deus executam a obra de Deus Pai, e dissimilares no sentido de que um realizou a obra de redenção enquanto o outro faz a obra de conquista. Ambos representam Deus Pai, mas um é o Redentor, cheio de benignidade e misericórdia, e o outro é o Deus da justiça, cheio de ira e julgamento. Um é o Comandante Supremo que lançou a obra de redenção enquanto o outro é o Deus justo que realiza a obra de conquista. Um é o Começo, o outro o Fim. Um é a carne sem pecado, enquanto o outro é a carne que completa a redenção, continua a obra e nunca é pecaminoso. Ambos são o mesmo Espírito, mas habitam em diferentes carnes e nasceram em lugares diferentes, e Eles estão separados por vários milhares de anos. No entanto, toda a obra Deles é mutuamente complementar, nunca conflitante e pode ser mencionada num fôlego só. Ambos são pessoas, mas um era um menino e o outro era menina. Por todos esses muitos anos, o que as pessoas têm visto não é apenas o Espírito e não apenas um humano, um varão, mas também muitas coisas que não harmonizam com as noções humanas; como tais, os humanos nunca são capazes de Me compreender completamente. Elas ficam meio que acreditando em Mim, meio que duvidando de Mim — como se Eu existisse, mas fosse também um sonho ilusório — é por isso que até hoje as pessoas ainda não sabem o que Deus é. Você pode mesmo Me resumir em uma frase simples? Você se atreve mesmo a dizer: “Jesus não é outro senão Deus, e Deus não é outro senão Jesus”? Você é mesmo ousado a ponto de dizer: “Deus não é outro senão o Espírito, e o Espírito não é outro senão Deus”? Você se sente à vontade dizendo: “Deus é apenas um homem vestido em carne”? Você tem mesmo a coragem de afirmar: “A imagem de Jesus é a grande imagem de Deus”? Você é capaz de usar sua eloquência para explicar em detalhes o caráter e a imagem de Deus? Você se atreve mesmo a dizer: “Deus criou apenas os homens, não as mulheres, segundo a Sua própria imagem”? Se você diz isso, então nenhuma mulher estaria entre os Meus escolhidos e muito menos as mulheres seriam uma classe da humanidade. Agora você sabe mesmo o que Deus é? Deus é um humano? Deus é um Espírito? Deus é mesmo masculino? Só Jesus pode concluir a obra que Eu devo fazer? Se você escolhesse apenas uma das opções acima para resumir a Minha essência, então você seria um crente leal extremamente ignorante. Se Eu operasse como carne em pessoa uma vez e somente uma vez, vocês Me delimitariam? Você consegue mesmo Me entender completamente com um único olhar? Consegue mesmo Me resumir completamente com base naquilo ao que você foi exposto durante sua vida? E se Eu fizesse uma obra semelhante em Minhas duas encarnações, como vocês Me veriam? Vocês Me deixariam pregado na cruz para sempre? Poderia Deus ser tão simples quanto você alega?

Extraído de ‘Qual é o seu entendimento de Deus?’ em “A Palavra manifesta em carne”

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.

Conteúdo relacionado