O que é a verdadeira oração? Como devemos orar para ter uma verdadeira comunhão com Deus?

25 de Março de 2021

Palavras de Deus relevantes:

O que é a oração verdadeira? É contar a Deus o que está dentro do seu coração, comungar com Deus ao captar Sua vontade, comunicar-se com Deus por meio de Suas palavras, sentir-se particularmente próximo de Deus, sentir que Ele está diante de você e crer que você tem algo a dizer a Ele. Seu coração parece cheio de luz e você sente como Deus é amável. Você se sente especialmente inspirado, e ouvir você traz gratificação aos seus irmãos e irmãs. Eles sentirão que as palavras ditas por você são as palavras que estão no coração deles, as palavras que eles desejam dizer, como se as suas palavras substituíssem as deles. É isso o que significa verdadeira oração. Depois de ter se envolvido em verdadeira oração, seu coração estará em paz e conhecerá a gratificação. A força para amar a Deus pode elevar-se, e você sentirá que nada tem mais valor e significância na vida do que amar a Deus. Tudo isso prova que suas orações foram eficazes.

Extraído de ‘Acerca da prática da oração’ em “A Palavra manifesta em carne

E quanto ao conteúdo da oração? A sua oração deveria proceder passo a passo, de acordo com o verdadeiro estado do seu coração e a obra do Espírito Santo; você deve comungar com Deus de acordo com Sua vontade e com o que Ele exige do homem. Quando iniciar a prática da oração, primeiro entregue seu coração a Deus. Não tente captar a vontade de Deus; apenas tente falar as palavras que estão dentro do seu coração a Ele. Quando se puser diante de Deus, fale assim: “Ó, Deus! Somente hoje percebo, de fato, que eu costumava desobedecer a Ti. Eu sou verdadeiramente corrompido e desprezível. Estive apenas desperdiçando a minha vida. A partir de hoje, viverei para Ti. Viverei uma vida com significado e satisfarei à Tua vontade. Que Teu Espírito sempre opere em mim e continuamente me ilumine e esclareça. Que eu dê um forte e retumbante testemunho perante Ti. Que Satanás veja Tua glória, Teu testemunho e a prova de Teu triunfo, manifesto em nós”. Quando orar dessa forma, seu coração será completamente liberto. Tendo orado dessa maneira, seu coração estará mais próximo de Deus; e, se você puder orar frequentemente dessa forma, o Espírito Santo inevitavelmente irá operar dentro de você. Se sempre clamar a Deus dessa maneira e fizer sua resolução perante Ele, chegará o dia em que a sua resolução será aceitável perante Ele, em que seu coração e todo o seu ser serão ganhos por Deus, e você será, enfim, aperfeiçoado por Ele. Para vocês, a oração é de extrema importância. Quando você ora e recebe a obra do Espírito Santo, seu coração é tocado por Deus, e a força para amá-Lo aflora. Se não orar com seu coração, se não abrir seu coração para comungar com Deus, Ele não terá como operar em você. Se, após orar e falar as palavras do seu coração, o Espírito de Deus não começou Sua obra, e você não recebeu inspiração, isso mostra que seu coração carece de sinceridade, que suas palavras são falsas e permanecem impuras. Se, após orar, você se sentir gratificado, então suas orações foram aceitáveis a Deus, e o Espírito de Deus está operando em você. Como alguém que serve a Deus, você não pode ficar sem oração. Se você realmente vê a comunhão com Deus como algo significativo e valioso, como poderia renunciar à oração? Ninguém pode ficar sem comunhão com Deus. Sem oração, você vive na carne, em escravidão a Satanás; sem a verdadeira oração, você vive sob a influência das trevas. Espero que vocês, irmãos e irmãs, sejam capazes de se envolver em oração verdadeira a cada dia. Não se trata de seguir as regras, mas de alcançar um determinado resultado. Você está disposto a privar-se de um pouco de sono e diversão para acordar cedo, orar e apreciar as palavras de Deus? Se orar com um coração puro e comer e beber as palavras de Deus desse modo, você será mais aceitável a Ele. Se fizer assim toda manhã, se você praticar a entrega do seu coração a Deus todos os dias, comunicando-se e envolvendo-se com Ele, seu conhecimento sobre Deus certamente aumentará, e você será mais capaz de captar a vontade de Deus. Você diz: “Ó, Deus! Eu estou disposto a cumprir meu dever. Somente a Ti eu consagro todo o meu ser, para que sejas glorificado em nós e para que possas deleitar-Te no testemunho dado pelo nosso grupo. Suplico que operes em nós, para que eu me torne capaz de verdadeiramente Te amar e satisfazer a Ti, e Te buscar como meu objetivo”. Ao tomar esse fardo, Deus certamente o aperfeiçoará. Você não deve orar somente em benefício próprio, mas também com o intuito de seguir a vontade de Deus e O amar. Este é o tipo mais verdadeiro de oração. Você é alguém que ora a fim de seguir a vontade de Deus?

Extraído de ‘Acerca da prática da oração’ em “A Palavra manifesta em carne”

Orar não é simplesmente fazer algo sem se envolver, seguir um procedimento ou recitar as palavras de Deus. Ou seja, orar não é papaguear determinadas palavras nem imitar os outros. Na oração, é preciso alcançar aquele estado em que o coração do indivíduo pode ser entregue a Deus e aberto para que seja tocado por Ele. A fim de que a oração seja eficaz, ela deve se basear na leitura das palavras de Deus. Somente orando com base nas palavras de Deus é possível receber mais esclarecimento e iluminação. As manifestações de uma oração verdadeira são: ter um coração que anseia por tudo o que Deus pede e, além disso, deseja cumprir o que Ele exige; odiar aquilo que Deus odeia e então, edificando sobre esta base, ganhar algum entendimento disso e ter algum conhecimento e clareza sobre as verdades que Deus expõe. É somente onde há resolução, fé, conhecimento e uma senda de prática após a oração que ela pode ser chamada de oração verdadeira, e somente esse tipo de oração pode ser eficaz. No entanto, a oração deve ser construída sobre o deleite das palavras de Deus, deve ser estabelecida sobre a base da comunhão com Deus em Suas palavras, e o coração deve ser capaz de buscar a Deus e aquietar-se perante Ele. A oração desse tipo já atingiu o ponto de verdadeira comunhão com Deus.

Extraído de ‘Acerca da prática da oração’ em “A Palavra manifesta em carne”

Ao orar, seu coração deve estar sereno perante Deus e ser sincero. Você está comungando e orando verdadeiramente com Deus; não deve tentar enganá-Lo com palavras que soam bem. A oração deveria ser centrada em torno daquilo que Deus deseja realizar agora. Peça a Deus que lhe conceda mais esclarecimento e iluminação; coloque seu estado atual e seus problemas em Sua presença ao orar, incluindo a resolução que fez perante Ele. Orar não é seguir um procedimento, mas buscar a Deus com um coração sincero. Peça a Deus que proteja seu coração, a fim de que esteja constantemente sereno perante Ele; para que, no ambiente em que Ele o colocou, você se conheça, despreze a si mesmo e se abandone, permitindo, assim, que tenha um relacionamento normal com Deus e verdadeiramente se torne alguém que ama a Deus.

Extraído de ‘Acerca da prática da oração’ em “A Palavra manifesta em carne”

O mínimo que Deus exige do homem é que ele seja capaz de abrir seu coração a Ele. Se o homem oferecer seu verdadeiro coração a Deus e falar aquilo que realmente está dentro de seu coração, então, Deus Se dispõe a operar nele. O que Deus deseja não é o coração distorcido do homem, mas um coração puro e honesto. Se o homem não falar sinceramente com Deus, Deus não tocará seu coração nem irá operar nele. Portanto, o ponto crucial da oração é falar com Deus de coração, contando-Lhe suas falhas ou caráter rebelde e abrindo-se completamente diante Dele. Somente então Deus estará interessado nas suas orações; caso contrário, Ele ocultará Sua face de você. O critério mínimo para a oração é que você seja capaz de manter seu coração sereno perante Deus e que ele não se aparte de Deus. Pode ser que, durante essa fase, você não obtenha uma visão mais nova ou mais elevada, mas você deve, então, usar a oração para manter o status quo — você não deve regredir. Isso é o mínimo que você deve alcançar. Se não puder realizar nem isso, então isso prova que a sua vida espiritual não está na trilha certa. Como resultado, você será incapaz de manter sua visão original, perderá a fé em Deus, e sua resolução subsequentemente se dissipará. Um sinal de que você entrou na vida espiritual ou não é ver se suas orações estão na trilha certa. Todas as pessoas têm de entrar nessa realidade; todas elas têm de realizar o trabalho de se exercitar conscientemente na oração, não esperando passivamente, mas buscando conscientemente ser tocadas pelo Espírito Santo. Somente então elas serão pessoas que verdadeiramente buscam a Deus.

Extraído de ‘Acerca da prática da oração’ em “A Palavra manifesta em carne”

Como as pessoas podem manter um relacionamento com Deus? E em que devem confiar para fazer isso? Elas devem confiar em suplicar e orar a Deus e em comunicar-se com Deus em seu coração. Com um relacionamento como esse, as pessoas vivem sempre diante de Deus, e essas pessoas são muito serenas. Algumas pessoas gastam todo o seu tempo com ações externas, ocupando-se com tarefas externas. Depois de um ou dois dias sem vida espiritual, elas não sentem nada; depois de três ou cinco dias, ou um ou dois meses, ainda não sentem nada; não oraram, não fizeram súplicas, não tiveram comunhão espiritual. A súplica é quando algo lhe acontece e você pede que Deus o ajude, o guie, proveja para você, o ilumine e permita que você entenda a vontade Dele e saiba o que fazer de acordo com a verdade. O escopo da oração é mais amplo: às vezes, você fala palavras em seu coração, conversa com Deus sobre suas dificuldades ou sobre sua negatividade e fraqueza; você também ora a Deus quando é rebelde ou fala com Ele sobre as coisas que acontecem com você todos os dias, estejam elas claras para você ou não. Isso é orar. O escopo da oração é, basicamente, falar e se abrir para Deus. Às vezes, isso é feito em momentos regulares, às vezes não; você pode orar sempre que quiser e onde quiser. A comunhão espiritual não é excessivamente formal. Às vezes, ela acontece porque você tem um problema, às vezes não. Às vezes, envolve palavras, às vezes não. Quando tem um problema, você conversa com Deus sobre ele e ora; quando não tem um problema, você reflete sobre como Deus ama as pessoas, como se preocupa com as pessoas, como repreende as pessoas. Você pode se comunicar com Deus a qualquer hora e em qualquer lugar. Isso é comunhão espiritual. Às vezes, quando está na rua e pensa em algo que o perturba, você não precisa ficar de joelhos ou fechar os olhos. Basta dizer a Deus em seu coração: “Ó Deus, por favor, guia-me nisso. Sou fraco, não consigo superar isso”. Seu coração é comovido; você só diz algumas palavras simples, e Deus sabe. Às vezes, você tem saudade de casa e diz: “Ó Deus! Sinto muita saudade de casa…”. Você não diz de quem, especificamente, sente falta. Você está deprimido e fala disso a Deus. Os problemas só podem ser resolvidos quando você ora a Deus e diz o que está em seu coração. Falar com outras pessoas pode resolver os problemas? Tudo bem se você encontra uma pessoa que entende a verdade, mas se ela não entende — se você encontra uma pessoa negativa e fraca — você pode exercer um efeito sobre ela. Se você falar com Deus, Deus o confortará e comoverá. Se for capaz de ler as palavras de Deus em silêncio diante de Deus, você será capaz de entender a verdade e resolver o problema. As palavras de Deus lhe permitirão encontrar um caminho para superar esse pequeno obstáculo. O obstáculo não o fará tropeçar, não o impedirá nem afetará o cumprimento do seu dever. Há momentos em que, de repente, você se sente um pouco desanimado ou incomodado em seu interior. Em momentos assim, não hesite em orar a Deus. Talvez você não faça uma súplica a Deus, talvez não haja nada que você queira que Deus faça ou com que o ilumine — você só fala com Deus e se abre para Ele a qualquer hora, onde quer que esteja. O que você deve sempre ter em mente? Isto: “Deus está sempre comigo; Ele nunca me abandonou, eu posso sentir. Não importa onde estou ou o que estou fazendo — posso estar descansando ou numa reunião ou cumprindo meu dever — no coração, sei que minha mão é guiada por Deus, que Ele nunca me abandonou”. Às vezes, ao lembrar-se de como você passou cada dia dos últimos anos, você sente que sua estatura aumentou, que você foi guiado por Deus, que o amor de Deus o protegeu o tempo todo. Ao refletir sobre essas coisas, você ora em seu coração, dando graças a Deus: “Ó Deus, eu Te agradeço! Sou tão fraco e frágil, tão profundamente corrompido. Sem a Tua orientação, eu não teria alcançado este dia contando apenas comigo”. Isso não é comunhão espiritual? Se as pessoas conseguirem comungar com frequência dessa maneira, elas não terão muito a dizer a Deus? Elas não passariam muitos dias sem ter nada a dizer a Deus. Quando você não tem nada a dizer a Deus, Deus está ausente do seu coração. Se Deus estiver em seu coração e você tiver fé em Deus, você será capaz de falar com Deus sobre tudo que está em seu coração, incluindo aquelas coisas que você diria aos seus confidentes. Na verdade, Deus é seu confidente mais próximo. Se você tratar Deus como seu confidente mais próximo, como o parente do qual você mais depende, em que mais confia, que é mais próximo de você, será impossível você não ter nada a dizer a Deus. Se sempre tiver algo a dizer a Deus, você não viverá sempre diante de Deus? Se puder viver sempre diante de Deus, você sentirá a cada momento como Deus o guia, como se importa com você e o protege, como lhe traz paz e alegria, como o abençoa, como o ilumina e como o repreende, disciplina, pune, julga e castiga; tudo isso será claro e evidente para você em seu coração. Você não simplesmente sobreviverá a cada dia, sem saber de nada, apenas dizendo que crê em Deus, cumprindo seu dever e participando de reuniões apenas por aparência, lendo as palavras de Deus e rezando diariamente, apenas agindo sem se envolver — você não estará simplesmente cumprindo esse tipo de cerimônia religiosa superficial. Ao contrário, em seu coração, você olhará para Deus e orará a Deus a todo momento, comungará com Deus a todo momento e será capaz de se submeter a Deus e viver diante Dele.

Extraído de ‘Se não consegue viver sempre diante de Deus, você é um incrédulo’ em “Registros das falas de Cristo”

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.

Conteúdo relacionado