A dor causada por reputação e status

20 de Janeiro de 2022

Por Fangxiang, China

Em março do ano passado, eu fui promovida a líder de grupo e era responsável pelo trabalho de rega de vários grupos. Na época, pensei que, já que tinha sido escolhida como líder de grupo, eu devia ter um calibre melhor do que meus irmãos. Isso me deixou muito feliz, mas também fiquei um pouco preocupada. Eu nunca tinha sido responsável por qualquer trabalho até então — se eu não conseguisse resolver os problemas dos meus irmãos e não administrasse bem o trabalho, o que meus irmãos pensariam de mim? Seria tão vergonhoso ser substituída por não conseguir dar conta do dever. Apesar da preocupação, eu sabia que essa era a comissão de Deus e que eu deveria aceitá-la de Deus e me submeter, assim aceitei o dever. Vendo que eu era nova no trabalho, minha colega primeiro me colocou no controle só de dois grupos. Quando pensei em como deveria me reunir com os outros irmãos, fiquei muito nervosa. No passado, meu dever principal tinha sido a rega. Se minha comunhão era um pouco superficial ou eu não cumpria meus deveres corretamente, isso era considerado normal. Mas agora eu era líder de grupos e devia comunicar a verdade para resolver os estados dos meus irmãos e ajudá-los com quaisquer problemas ou dificuldades que tivessem em seus deveres. Somente então as pessoas me aprovariam e diriam que eu era uma obreira talentosa. Se eu fosse incapaz de resolver seus problemas, inevitavelmente me menosprezariam e teriam uma opinião mais baixa de mim. Pensando nisso, eu me senti cada vez mais insegura e pensei que seria melhor continuar cumprindo meu dever anterior. Assim, pelo menos, minhas falhas não ficariam tão expostas, e eu conseguiria preservar alguma reputação. Nos dias seguintes, fiquei me distraindo pensando em tudo isso. Durante as reuniões, não conseguia aquietar meu coração. Eu ficava preocupada se meus irmãos me menosprezariam se eu não comungasse bem, e quanto mais me preocupava, mais nervosa ficava. Não conseguia ver a raiz dos problemas dos meus irmãos nem conseguia ajudar a resolvê-los e fiquei até com medo de ir às reuniões. Eu estava muito angustiada, então vim para diante de Deus em oração muitas vezes, pedindo que Ele me guiasse para entender melhor o meu estado. Foi então que vi uma passagem das palavras de Deus; era de “Para resolver seu caráter corrupto, deve-se ter uma senda específica de prática”. “Todos os humanos corruptos exibem este problema: quando são irmãos e irmãs comuns, sem status, eles não agem com superioridade quando interagem ou falam com alguém, nem adotam certo estilo ou tom em sua fala; são simplesmente comuns e normais, e não precisam de embalagem. Não sentem qualquer pressão psicológica, e podem ter comunhão abertamente, de coração. É fácil abordá-los e interagir com eles; os outros têm a sensação de que eles são pessoas muito boas. Contudo, assim que obtêm status, essas pessoas tornam-se altas e poderosas, como se ninguém possa alcançá-las; elas acham que merecem respeito e que elas e as pessoas comuns são feitas de materiais diferentes. Desprezam as pessoas comuns e param de ter comunhão abertamente com os outros. Por que não mais têm comunhão abertamente? Elas acham que agora têm status, e que são líderes. Pensam que os líderes devem ter uma certa imagem, ser um pouco mais elevados do que as pessoas comuns, e ter mais estatura e ser capazes de assumir mais responsabilidade; acreditam que, comparados às pessoas comuns, os líderes devem ter mais paciência, ser capazes de sofrer e se despender mais, e ser capazes de resistir a qualquer tentação. Chegam a pensar que os líderes não podem chorar, não importa quantos membros de sua família venham a morrer, e que, se eles tiverem mesmo de chorar, devem chorar entre seus lençóis, para que ninguém possa ver quaisquer falhas, defeitos ou fraquezas neles. Pensam até que os líderes não podem deixar que ninguém fique sabendo caso se tornem pessoas negativas; pelo contrário, devem esconder todas as coisas desse tipo. Acham que é assim que uma pessoa que tem status deveria agir. Quando se reprimem nessa medida, o status não se tornou seu Deus, seu Senhor? E assim sendo, elas ainda possuem humanidade normal? Quando elas têm essas ideias — quando se colocam nessa caixa e encenam esse tipo de espetáculo —, elas não se apaixonaram pelo status?” (“Registros das falas de Cristo dos últimos dias”). As palavras de Deus me revelaram como eu era incapaz de viver livremente porque eu estava amarrada e restringida por status e reputação. Antes de me tornar líder de grupo, eu sempre discutia o trabalho e problemas com todos. Pensava que, já que todos eram irmãos, todos nós tínhamos mais ou menos a mesma estatura e não me preocupava com o que os outros pensavam de mim e era capaz de ser aberta e livre. Mas assim que me tornei líder de grupo, de repente pensei que, já que eu tinha um status mais alto do que meus irmãos, eu devia entender mais da verdade do que eles e que só estaria fazendo meu trabalho se conseguisse resolver cada um de seus problemas e dificuldades. Antes mesmo de entrar na reunião, eu já me preocupava com os irmãos que me menosprezariam se não conseguisse resolver seus problemas. Para não me fazer de boba na frente deles, eu nem ousava participar das reuniões. Estava profundamente angustiada e atormentada. Eu me colocava num pedestal e não conseguia renunciar ao meu status. Refletindo sobre isso, percebi que eu estava preocupada demais com meu status e reputação. Estava sempre tentando passar uma boa impressão na frente dos outros, e assim que corria perigo de expor minhas fraquezas, eu colocava uma fachada e me disfarçava. Entendi minha promoção como um sinal de status, não como comissão e dever dados por Deus. Queria usar status para me elevar e ganhar a admiração dos meus irmãos. Eu era tão baixa e vergonhosa!

Orei a Deus em meu coração, dizendo-Lhe que eu estava disposta a renunciar a essas intenções e noções más. Então, uma passagem da palavra de Deus me veio à mente. “O que Deus exige das pessoas não é a capacidade de completar certo número de tarefas ou realizar grandes empreendimentos quaisquer, Ele nem precisa que elas sejam pioneiras em quaisquer grandes empreendimentos. O que Deus quer é que as pessoas sejam capazes de fazer tudo que puderem de maneira realista e viver em concordância com Suas palavras. Deus não precisa que você seja incrível ou honrado, nem precisa que produza quaisquer milagres, nem quer ver surpresas agradáveis em você. Ele não precisa de tais coisas. Tudo que Deus precisa é que você ouça Suas palavras e, tendo-as ouvido, que as leve a sério e preste atenção nelas enquanto pratica de uma maneira realista, de modo que as palavras de Deus se tornem o que você vive, que se tornem a sua vida. Dessa forma, Deus ficará satisfeito. […] Na verdade, cumprir um dever não é difícil, tampouco é difícil fazê-lo com devoção e à altura de um padrão aceitável. Você não precisa sacrificar sua vida ou fazer algo problemático, deve apenas seguir as palavras e instruções de Deus com honestidade e firmeza, sem acrescentar suas ideias ou conduzir uma operação própria, deve seguir a senda certa. Se as pessoas conseguem fazer isso, elas basicamente têm uma semelhança humana, têm obediência verdadeira a Deus e se tornaram pessoas honestas, que é a semelhança de um homem verdadeiro” (‘O cumprimento adequado dos deveres exige cooperação harmoniosa’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”). Por meio das palavras de Deus, vi que Deus não exige tanto de nós — Ele não exige determinada quantidade de trabalho ou realizações ou que nos transformemos em algum tipo de super-humano onipotente. Ele só quer que sejamos seres criados verdadeiros, que cumprem de modo prático os seus deveres segundo Suas exigências. Quando Deus me elevou com esse dever de líder de grupo, Ele não queria que eu corresse atrás de status e reputação, Ele queria que eu aceitasse Sua comissão e buscasse a verdade de modo prático. Se me deparasse com qualquer dificuldade em meu dever, eu deveria orar a Deus e confiar Nele para encontrar uma senda de resolução. Nas reuniões com os irmãos, eu deveria comunicar apenas o quanto eu entendia e e, se algo não estivesse claro para mim, eu deveria ser honesta e buscar uma solução com eles. Somente então eu ganharia a orientação de Deus. Quando entendi as intenções de Deus, eu tive a confiança para assumir meu dever. Durante as reuniões com meus irmãos, eu orava conscientemente a Deus, não me preocupava com status nem reputação e era capaz de me abrir sobre minha corrupção com meus irmãos. Durante as discussões, eu podia sentir a orientação do Espírito Santo e era capaz de descobrir alguns problemas. Também era capaz de aplicar aquela orientação a situações reais e fazer sugestões. Eu ainda tinha muitas falhas e deficiências, mas encontrei alguns caminhos para avançar ao discutir com todos e me senti muito mais libertada. Vi que, tendo a intenção correta, concentrando-me em minhas tarefas e cumprindo meu dever de maneira prática segundo as exigências de Deus, eu ganharia Sua orientação.

Três meses depois, me colocaram a cargo de mais alguns grupos. A mera ideia de comungar com tantos irmãos em reuniões me deixou muito nervosa. Cada grupo tinha uma situação diferente, e eu nunca tinha me encontrado com nenhum desses irmãos desses grupos e não estava familiarizada com sua situação. Se eu fosse e não conseguisse resolver seus problemas, eles me menosprezariam e diriam que eu não conseguia resolver problemas práticos e não tinha nascido para ser uma líder de grupo? A fim de ganhar a aprovação de todos, passei horas e horas lendo as palavras de Deus para me armar com a verdade, mas quando chegou a hora da reunião, eu ainda estava muito nervosa. No início, quando ia a uma reunião, eu ficava muito ansiosa e os músculos faciais enrijeciam. Eu não queria que meus irmãos percebessem, então fingia que estava consultando as palavras de Deus no computador, mas no coração eu estava freneticamente orando a Deus, implorando que Ele me acalmasse. Perguntei a alguns irmãos sobre seus estados e dificuldades E, depois de comungar, percebi que todos tinham um problema diferente e precisariam de comunhão com passagens diferentes das palavras de Deus. Isso realmente me pegou de surpresa — Se eu conseguisse encontrar passagens que se aplicassem e servissem aos estados de todos, todos ficariam felizes e me admirariam, mas se não conseguisse encontrar nada, seria uma reunião entediante. Que constrangedor! Quanto mais nervosa ficava, menos conseguia pensar claramente. Muito tempo passou e não consegui encontrar nenhuma passagem apropriada das palavras de Deus. Na verdade, eu queria me abrir em comunhão com meus irmãos e buscar passagens boas com eles, mas também pensei que faria uma boba de mim mesma se eu, uma líder de grupo, não encontrasse uma passagem apropriada. Quando pensei isso, não consegui mais me abrir e não tive escolha senão selecionar aleatoriamente algumas passagens das palavras de Deus que não eram relevantes para os estados dos meus irmãos. Ninguém comungou depois da leitura das palavras de Deus, e eu não me senti nem um pouco iluminada. No fim, comunguei algo forçadamente com base em conhecimento doutrinal, mas a atmosfera estava muito constrangedora. A reunião foi um fracasso e terminou daquele jeito. Voltei da reunião para ouvir minha colega falar com entusiasmo sobre o que ela tinha ganho em outra reunião de grupo, mas eu só fechei a cara e me senti tão angustiada que mal conseguia respirar. Quanto mais refletia sobre isso, mais me parecia que eu não tinha nascido para esse dever e só queria desistir. Em miséria total, não parei de orar a Deus: “Amado Deus! Sinto-me tão miserável. Estou sempre preocupada com status e reputação, não sei como devo cumprir esse dever, nem tenho a vontade de me esforçar mais. Peço que Tu me guies para entender a mim mesma e me tirar desse estado negativo”.

Em minha busca, encontrei uma passagem das palavras de Deus que revela a natureza e substância dos anticristos e fiquei muito comovida. As palavras de Deus dizem: “Para os anticristos, status e prestígio são sua vida. Não importa como vivam, não importa o ambiente em que vivam, não importa o trabalho que façam, não importa ao que aspirem, quais sejam seus objetivos, qual seja a direção de sua vida, status e prestígio são o propósito de sua busca, o objetivo que buscam e ao qual seu coração não pode renunciar. Essa é a face verdadeira dos anticristos e sua essência. Você poderia colocá-los numa selva primordial, no meio das montanhas, e, mesmo assim, eles não renunciariam a status e prestígio; você pode colocá-los num grupo de pessoas comuns, e tudo em que pensam continua sendo status e prestígio. E então, uma vez que adquirem fé, eles veem status e prestígio como equivalentes à busca de fé em Deus; o que quer dizer que, enquanto trilham a senda de fé em Deus, eles também buscam status e prestígio. Pode-se dizer que, em seu coração, eles acreditam que a fé em Deus e a busca da verdade são a busca de status e prestígio; busca de status e prestígio também é a busca da verdade, e ganhar status e prestígio é ganhar verdade e vida. Na senda de fé em Deus, se acharem que não ganharam status substancial — se ninguém os reverenciar ou admirar, se não forem exaltados entre os outros e não tiverem poder de fato —, eles ficarão desencorajados e acreditarão que não há significado nem valor na fé em Deus. ‘A maneira com que acredito não é aprovada por Deus? Eu não ganhei vida?’ Em sua mente, eles computam essas coisas com frequência; planejam como podem ganhar uma posição na casa de Deus ou no ambiente em que estão, como podem ganhar uma reputação elevada e certo nível de autoridade, como podem fazer com que as pessoas os ouçam e os bajulem quando falam, como podem fazer com que façam o que dizem, como, num grupo, podem mandar unilateralmente nas coisas e asseverar sua presença. É nisso que costumam pensar. É por isso que essas pessoas lutam” (‘Eles só cumprem seu dever para se distinguir e alimentar seus próprios interesses e ambições; eles nunca levam em consideração os interesses da casa de Deus e até traem esses interesses em troca de glória pessoal (parte 2)’ em “Expondo os anticristos”). Comparei isso com meu próprio estado e comportamento e vi como eu estava obcecada com reputação e status. Eu sempre quis ficar famosa e me sentir reconhecida. Quando cumpria meu dever, eu só me preocupava com a admiração que ganharia e com a minha própria imagem. Deus não tinha lugar no meu coração. Eu tinha revelado o caráter de um anticristo. Desde o momento em que fui promovida a líder de grupo, comecei a pensar que era alguém com status — eu me coloquei num pedestal e tinha tanto medo de que, se não conseguisse resolver problemas práticos e perdesse o respeito dos meus irmãos, eu perderia meu título e meu suposto status e imagem em seus olhos. Ao lidar com os problemas dos meus irmãos, não sabia quais passagens das palavras de Deus eu deveria usar para resolvê-los e não estava disposta a me abrir e ser honesta, a procurar e comungar juntos. A fim de proteger meu próprio status, mantive as aparências e me disfarcei, oferecendo comunhão forçada com base em conhecimento doutrinal para tornar as coisas menos constrangedoras sem levar em conta se eu tinha resolvido os problemas dos meus irmãos. E assim, as reuniões foram todas ineficientes. Eu não refletia sobre mim mesma quando esses problemas surgiam, mas me tornava negativa e queria desistir quando passava vergonha. Eu carecia tanto de humanidade! Ao perceber isso, senti tanto remorso e orei a Deus e me tornei disposta a me arrepender e mudar.

Também vi esta passagem nas palavras de Deus: “Em suma, seja qual for a direção que você busca ou o objetivo que busca, ou quão exigente você é consigo em relação a renunciar ao status, enquanto o status tiver lugar em seu coração e for capaz de controlar e influenciar sua vida e os objetivos que você busca, as mudanças em seu caráter serão altamente comprometidas e a definição última que Deus terá de você acabará sendo outra coisa. Além disso, essa busca de status afeta sua capacidade de ser uma criatura aceitável de Deus e, é claro, afeta sua capacidade de cumprir seu dever num padrão aceitável. Por que digo isso? Deus não odeia nada mais do que quando as pessoas buscam status, pois a busca de status é caráter corrupto; nasce da corrupção de Satanás e, aos olhos de Deus, não deveria existir. Deus não ordenou que ele fosse dado ao homem. Se você está sempre competindo e lutando por status, se você se deleita nele constantemente, se você sempre deseja conquistá-lo para si mesmo, isso não produzirá um pouco da natureza de se opor a Deus? Deus não ordenou status para as pessoas; Deus provê as pessoas com a verdade, o caminho e a vida e, no fim, faz com que elas se tornem uma criatura aceitável de Deus, uma criatura pequena e insignificante de Deus — não alguém que tem status e prestígio e é reverenciado por milhares de pessoas. E então, não importa sob qual perspectiva isso seja visto, a busca de status é um beco sem saída” (‘Eles só cumprem seu dever para se distinguir e alimentar seus próprios interesses e ambições; eles nunca levam em consideração os interesses da casa de Deus e até traem esses interesses em troca de glória pessoal (parte 3)’ em “Expondo os anticristos”). No início, a severidade das palavras de Deus me assustou um pouco. Percebi que nada repugna Deus mais do que pessoas que buscam status. Se uma pessoa não se arrependesse, no fim, isso levaria a danos e ruína pessoais. Eu tinha acreditado em Deus por muitos anos e tinha desfrutado tanto da graça de Deus e do suprimento de Suas palavras. Agora Ele também tinha me dado a oportunidade de me treinar como líder de grupo. Ele tinha aumentado meus fardos e permitido que eu aprendesse a buscar a verdade e os princípios por meio do cumprimento do meu dever, esclarecendo-me ainda mais para que eu entendesse a verdade e ganhasse entrada na vida. Mas nunca refleti sobre como eu deveria buscar a verdade para retribuir o amor de Deus. Eu só pensava em minha própria reputação, lucro e status. Eu carecia completamente de razão e consciência! A fim de salvar a humanidade profundamente corrompida, Deus encarnou e veio para este mundo, sofrendo humilhação incontável. Deus é supremo e grande, mas Ele nunca engrandeceu a Si mesmo. Em silêncio, ele expressou a verdade e julgou e purificou nossos caracteres corruptos, para que pudéssemos nos livrar da nossa imundície e colher Sua salvação. Vi como Deus era humilde e amável. Eu sou apenas um ser criado minúsculo, cheio de imundície e corrupção, mas estou sempre tentando construir minha imagem para ganhar o respeito das pessoas e atraí-las para mim. Sou insuportavelmente arrogante e descarada. Também lembrei de Paulo, que gostava de pregar e trabalhar para ganhar a admiração e o respeito dos outros. Eu seus muitos anos de crença, ele nunca buscou transformar seu caráter, sempre buscando status, recompensas e a coroa. No fim, até alegou ser Deus e tentou em vão ocupar o lugar de Deus no coração das pessoas. Paulo trilhava a senda do anticristo que resiste a Deus e acabou ofendendo o caráter de Deus, e Ele o lançou no Inferno para sofrer a perdição eterna. Se eu não revertesse as coisas, eu sofreria o mesmo destino de Paulo. Quando me conscientizei dessas consequências, prostrei-me diante de Deus e me arrependi, pedindo que Ele me guiasse para encontrar a senda correta de prática.

Mais tarde, vi um vídeo da leitura das palavras de Deus. Deus Todo-Poderoso diz: “Renunciar a status e prestígio é difícil. As pessoas devem buscar a verdade. Em parte, devem conhecer a si mesmas e ser proativas em desnudar a si mesmas; em parte, devem reconhecer que estão sem a verdade, que lhes falta muito. Se você tenta fazer com que as pessoas pensem que você é bom em tudo, que você é perfeito, isso é arriscado — é muito provável que você esteja buscando fama e prestígio. Você deve mostrar às pessoas que você é falho, que tem fraquezas e defeitos, coisas que você não consegue fazer, que estão fora do seu alcance. Você é apenas uma pessoa comum, não é sobre-humano nem onipotente. Quando você reconhece esse fato e também conscientiza os outros disso, a primeira coisa que isso faz é conter seu comportamento competitivo; permite que você, em certa medida, controle sua mentalidade competitiva e seu desejo de competir. Quando outras pessoas desprezam ou ridicularizam você, não seja adverso ao que elas dizem simplesmente porque é desconfortável, nem diga a si mesmo que não há nada com que se preocupar, que você é perfeito — essa não deveria ser a sua atitude em relação a essas palavras. Qual deveria ser sua atitude? Você deveria dizer a si mesmo: ‘Eu tenho minhas falhas, tudo em mim é falho, e eu sou simplesmente uma pessoa comum. A despeito do desdém e da ridicularização, se parte do que eles dizem é verdade, devo aceitar isso de Deus’. Se você consegue alcançar isso, isso é prova de que você é indiferente em relação a status, prestígio e às opiniões que as outras pessoas têm a seu respeito. […] Você deve estar ciente de quando você tem o desejo constante de competir. Se não for resolvido, o desejo de competir só poderá resultar em coisas ruins, portanto não perca tempo e comece a buscar a verdade, iniba sua competitividade e substitua esse comportamento competitivo pela prática da verdade. Quando você pratica a verdade, sua competitividade, suas ambições selvagens e seus desejos diminuirão completamente e deixarão de interferir no trabalho da casa de Deus. Dessa forma, suas ações serão lembradas e elogiadas por Deus” (‘Eles só cumprem seu dever para se distinguir e alimentar seus próprios interesses e ambições; eles nunca levam em consideração os interesses da casa de Deus e até traem esses interesses em troca de glória pessoal (parte 3)’ em “Expondo os anticristos”). Por meio da leitura das palavras de Deus, percebi que sou apenas um ser criado que foi corrompido por Satanás, portanto, é normal que tenhamos falhas e deficiências. Deus nunca exigiu que eu fosse a melhor obreira, tivesse calibre e estatura excelentes nem que me tornasse uma pessoa elevada e perfeita. Ele só deseja que eu tenha um coração puro e honesto, busque praticamente a verdade e trilhe a senda de temer a Deus e evitar o mal. Na casa de Deus, líderes e líderes de grupo só foram criados porque são necessários para o trabalho, mas todos nós somos apenas seres criados que cumprem nossos deveres, e não existe diferença real em status entre nós e nossos irmãos. Deus nos designa deveres diferentes com base em nosso calibre e estatura. Só porque sou uma líder de grupo, isso não significa necessariamente que tenho a verdade-realidade, mas eu sempre exijo de mim mesma que eu encontre a raiz de cada questão e resolva cada problema. Isso não é nada prático e resulta da minha arrogância e de não conhecer a mim mesma. Deveria me colocar no mesmo nível dos meus irmãos, deveríamos aprender uns com os outros e buscar a verdade juntos para resolver quaisquer problemas que encontramos no cumprimento dos nossos deveres. Se eu não entendo algo, não deveria colocar uma fachada — deveria me abrir sobre minhas deficiências e buscar com meus irmãos. Somente assim posso cumprir meus deveres ainda melhor.

Mais tarde, havia alguns irmãos que viviam em negatividade, e eu precisei me reunir e comungar com eles. No início, eu estava um pouco nervosa. Eu me preocupava com o que pensariam de mim se minha comunhão não fosse boa, e por isso queria me preparar em casa, encontrando passagens relevantes das palavras de Deus, pensando que, assim, eu poderia tratar facilmente de seus problemas durante a reunião e ganhar o respeito de todos. Então percebi que eu tinha a intenção errada no cumprimento do meu dever. Eu só queria resolver todos os problemas dos meus irmãos para ganhar sua admiração e respeito — ainda estava trabalhando por status e reputação. Então orei a Deus, pedindo que Ele me ajudasse a me rebelar contra minhas intenções erradas. Vi uma passagem das palavras de Deus que dizia: “Para que o Espírito Santo opere numa pessoa e efetue uma mudança positiva em seu estado, isso exige dessa pessoa um alto grau de transformação, renúncia, sofrimento e abandono, para que, aos poucos, a pessoa possa mudar de ideia. No entanto, a exposição de uma pessoa acontece instantaneamente. Se você não cumprir bem o seu dever, mas sempre buscar honra e competir por posição, face, reputação e seus próprios interesses, então, enquanto viver em tal estado, você desejará fazer serviço? Você pode servir se quiser, mas é possível que você seja exposto antes de seu serviço terminar. Assim que você for exposto, a questão deixa de ser se seu estado pode ser melhorado; pelo contrário, é provável que seu desfecho já terá sido determinado — e isso será um problema para você” (‘Dê seu real coração a Deus e você poderá obter a verdade’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”). Enquanto refletia sobre as palavras de Deus, percebi que se minha intenção era usar as reuniões e a comunhão para promover a mim mesma e ganhar admiração e não para resolver quaisquer problemas dos meus irmãos no cumprimento do seu dever, então eu estava trilhando uma senda que resistia a Deus. Mesmo se participasse de uma reunião, eu não teria a orientação de Deus e a reunião seria ineficiente. Percebendo isso, orei a Deus, corrigi minhas intenções e comunguei abertamente com minha colega sobre minha corrupção e deficiências. Durante as reuniões, só ofereci comunhão sobre o que eu entendia, e meus irmãos também discutiram seu entendimento. Juntos, encontramos uma senda de prática por meio da nossa comunhão e seus estados melhoraram. Eu pude sentir a obra e orientação do Espírito Santo, e me senti relaxada e livre. Vi como renunciar à preocupação por status e reputação e cumprir meus deveres com meus irmãos podia ganhar as bênçãos e orientação de Deus.

Por meio dessa experiência, aprendi que eu me preocupava demais com status e reputação e que Deus ocupa um lugar muito pequeno no meu coração. Eu não tinha amado nem me submetido a Deus em meu coração e tinha trilhado a senda errada. Graças à orientação de Deus e ao julgamento e revelação de Suas palavras, finalmente comecei a conhecer a mim mesma e minhas intenções e atitude no cumprimento do meu dever melhoraram. Agora vejo claramente que correr atrás de reputação, status, respeito e admiração dos outros não tem significado nem valor — só causa danos. Somente concentrar-se em praticar a verdade, buscar mudança de caráter e cumprir bem o seu dever para satisfazer a Deus são buscas corretas.

O alarme dos últimos dias já tocou e grandes desastres já começaram. Você quer dar as boas-vindas ao retorno do Senhor e ter a chance de receber a proteção de Deus com sua família?

Conteúdo relacionado

Aprendendo com as críticas

Por Song Yu, Holanda Em maio deste ano, uma irmã me informou que a irmã Lu lhe contou que pelo menos três líderes de igreja eram falsos...

Como mudei meu ego arrogante

Por Jingwei, Estados Unidos Deus Todo-Poderoso diz: “Cada passo da obra de Deus — sejam palavras severas ou julgamento ou castigo —...

Entre em contato conosco pelo WhatsApp