Ganhos obtidos na adversidade

27 de Setembro de 2022

Por Robinsón, Venezuela

No final de 2019, um parente compartilhou o evangelho de Deus Todo-Poderoso nos últimos dias comigo. Eu vi que as palavras de Deus Todo-Poderoso tinham autoridade e que elas eram a verdade. Senti que essa era a voz de Deus, e assim aceitei, feliz, a nova obra de Deus. Eu lia a palavra de Deus todos os dias e não queria perder uma única reunião. Às vezes, havia problemas com a internet ou a rede de energia onde eu vivia, e eu não conseguia participar das reuniões on-line. Eu ficava chateado, mas logo lia os detalhes da reunião, mais tarde, e então enviava meu entendimento da palavra de Deus ao grupo, comunicava-me com os irmãos, e cumpria meu dever da melhor forma possível.

Depois de um tempo, fui escolhido como líder de igreja. No início, eu compartilhava a responsabilidade pelo trabalho da igreja com dois outros líderes, por isso não achava difícil, nem estressante demais. Não demorou, e fui escolhido para supervisionar o trabalho de várias igrejas. No início, eu não queria cumprir esse dever, porque achava que não tinha praticado como líder por muito tempo, e que eu ainda tinha muitas deficiências e coisas que eu não entendia, por isso temia que não conseguiria cumprir bem esse dever. Mais tarde, li a palavra de Deus: “Noé tinha ouvido apenas umas poucas mensagens, e nessa época Deus não tinha expressado muitas palavras, e por isso não há dúvida de que Noé não entendia muitas verdades. Ele não compreendia ciência moderna nem conhecimento moderno. Era um homem extremamente comum, um membro comum da raça humana. No entanto, em um aspecto, ele era diferente de todos os outros: ele sabia ouvir as palavras de Deus, ele sabia como seguir e obedecer às palavras de Deus, sabia qual era o lugar do homem e era capaz de acreditar e obedecer verdadeiramente às palavras de Deus — nada mais. Esses poucos princípios simples foram suficientes para permitir que Noé realizasse tudo que Deus tinha confiado a ele, e ele perseverou nisso não só por alguns meses, nem por alguns anos, nem por algumas décadas, mas por mais de um século. Esse número não é assombroso? Quem poderia ter feito isso senão Noé? (Ninguém.) E por que não? Algumas pessoas dizem que é devido a não entender a verdade — mas isso não está de acordo com os fatos. Quantas verdades Noé entendia? Por que Noé foi capaz de tudo isso? Os crentes de hoje leram muitas das palavras de Deus, entendem alguma verdade — por que, então, são incapazes disso? Outros dizem que é por causa dos caracteres corruptos das pessoas — mas Noé não tinha um caráter corrupto? Por que Noé foi capaz de alcançar isso, mas as pessoas de hoje não são? (Porque as pessoas de hoje não acreditam nas palavras de Deus, não as tratam nem obedecem a elas como a verdade.) E por que elas são incapazes de tratar as palavras de Deus como a verdade? Por que são incapazes de obedecer às palavras de Deus? (Elas não têm um coração que teme a Deus.) Sim. Então, quando as pessoas não têm entendimento da verdade e não ouviram muitas verdades, como ocorre nelas um coração que teme a Deus? (É preciso ter humanidade e consciência.) Isso mesmo. Na humanidade das pessoas, devem estar presentes duas das coisas mais preciosas de todas: a primeira é consciência, e a segunda é um senso de humanidade normal. A posse de consciência e de senso de humanidade normal é o padrão mínimo para ser uma pessoa; é o padrão mínimo e mais básico para medir uma pessoa. Mas isso está ausente nas pessoas de hoje, e, por isso, não importa quantas verdades ouçam e entendam, elas não são capazes de ter um coração que teme a Deus. Qual, então, é a diferença entre a essência das pessoas de hoje e a de Noé? (Elas não têm humanidade.) E qual é a essência dessa falta de humanidade? (Bestas e demônios.) ‘Bestas e demônios’ não soa muito bem, mas está de acordo com os fatos; uma forma mais educada de expressar seria dizer que elas não têm humanidade. As pessoas sem senso e sem humanidade não são pessoas, são inferiores até mesmo aos animais. A razão pela qual Noé ter sido capaz de completar a comissão de Deus foi que, quando Noé ouviu as palavras de Deus, ele foi capaz de memorizá-las; para ele, a comissão de Deus era um empreendimento vitalício, sua fé era inabalável, sua vontade permaneceu inalterada por cem anos. Foi porque ele tinha um coração que temia a Deus, ele era uma pessoa real e tinha o senso máximo de que Deus tinha confiado a ele a construção da arca. Pessoas com tanto senso e humanidade como Noé são muito raras, seria muito difícil encontrar outra(A Palavra, vol. 4: Expondo os anticristos, “Excurso Dois: Como Noé e Abraão ouviram as palavras de Deus e Lhe obedeceram (parte 1)”). Noé nunca tinha ouvido nenhuma mensagem profunda e não entendia muitas verdades, mas tinha um coração que temia e obedecia a Deus. Quando Deus disse a Noé que Ele destruiria a humanidade com um dilúvio e que Noé deveria construir uma arca, Noé aceitou sem hesitar. Noé estava ciente de que a comissão que Deus lhe dera não era fácil, pois construir uma arca envolveria derrubar árvores e tomar medidas precisas, mas, embora o projeto fosse enorme e difícil, Noé não recuou, pois sabia que essa era a comissão de Deus para ele. Ao ponderar as palavras de Deus, percebi que eu não tinha a razão nem a humanidade de Noé. Quando o líder me passou a responsabilidade pelo trabalho de várias igrejas, eu não tive fé em Deus e só confiei em minhas habilidades. Achei que minhas capacidades eram limitadas, que eu não tinha praticado por muito tempo como líder de igreja e tinha muitas deficiências. Temia que não me sairia bem, por isso não quis aceitar esse dever. Eu não tinha a fé de Noé em Deus, nem um coração que temia e obedecia a Deus, muito menos a razão e a humanidade que Noé possuía. Quando percebi isso, não tive mais medo e me dispus a obedecer e a aceitar esse dever como Noé tinha aceitado o seu.

No entanto, assim que iniciei esse trabalho, deparei-me com um novo problema. Descobri que eu tinha muito trabalho a fazer. Por exemplo, eu tinha que entender os estados dos irmãos na igreja, apoiar aqueles que não se reuniam normalmente, conhecer as dificuldades no dever que as pessoas tinham e me comunicar para resolvê-las, e ajudar as pessoas a aprender a cumprir seus deveres etc. Tudo isso eram responsabilidades que eu tinha que suportar. Quando confrontado com esses problemas, eu não soube por onde começar, não sabia como fazer bem esse trabalho e fiquei muito estressado. Essas dificuldades fizeram com que eu ficasse negativo, e eu quis dizer ao líder que eu não era apto para esse dever, porque eu não tinha experiência e estava tendo muitas dificuldades. Mais tarde, o líder soube do meu estado e me enviou uma passagem da palavra de Deus para me ajudar. Eu li a palavra de Deus: “No passado, quando Deus enviou Moisés para tirar os israelitas do Egito, qual foi a reação de Moisés à comissão que Deus lhe deu? (Ele disse que não era eloquente, que tinha fala e língua pesadas.) Ele tinha esse único e pequeno receio, ele não era eloquente, mas de fala e língua pesadas. Mas ele resistiu à comissão de Deus? Como ele a tratou? Ele se prostrou no chão. O que significa prostrar-se no chão? Significa submeter-se e aceitar. Ele prostrou todo o seu ser diante de Deus, desatento a preferências pessoais, e não mencionou nenhuma dificuldade que pudesse ter. Qualquer coisa que Deus quisesse que ele fizesse, ele faria prontamente. Por que ele foi capaz de aceitar a comissão de Deus mesmo quando achava que não havia nada que ele podia fazer? Porque ele tinha confiança verdadeira dentro de si. Ele tinha alguma experiência da soberania de Deus sobre todas as coisas e assuntos, e nos quarenta anos que ele vivenciou no deserto, ele tinha descoberto que a soberania de Deus é onipotente. Por isso, ele aceitou a comissão de Deus com vivacidade e partiu para fazer o que Deus o havia comissionado a fazer sem dizer outra palavra sobre isso. O que significa ele ter partido? Significa que ele tinha uma crença real em Deus, uma confiança real Nele e uma submissão real a Ele. Não era covarde e não fez uma escolha própria nem tentou recusar. Em vez disso, ele acreditou totalmente, e partiu para agir com a comissão de Deus sobre si, cheio de confiança. Sua confiança era esta: ‘Se Deus comissionou isso, então tudo será feito como Deus diz. Deus me instruiu a tirar os israelitas do Egito, portanto eu irei. Já que é isso que Deus comissionou, Ele irá à obra, e Ele me dará força. Eu só preciso cooperar’. Essa foi a percepção que Moisés teve. […] Na época, as circunstâncias não eram favoráveis para os israelitas nem para Moisés. Tirar os israelitas do Egito era, segundo a visão humana, simplesmente uma tarefa impossível, pois o Egito era separado pelo Mar Vermelho, e atravessá-lo seria um grande desafio. Poderia Moisés realmente não saber como seria difícil cumprir essa comissão? Em seu coração, ele sabia, mas ele só disse que tinha fala e língua pesadas, que ninguém obedeceria às suas palavras. No coração, porém, ele não rejeitou a comissão de Deus. Quando Deus instruiu Moisés a tirar os israelitas do Egito, ele se prostrou e aceitou. Por que ele não mencionou as dificuldades? Foi porque, após quarenta anos no deserto, ele não conhecia os perigos do mundo dos homens, ou o estado ao qual as coisas tinham chegado no Egito, ou a luta dos israelitas de então? Ele não conseguia ver essas coisas com clareza? Era isso que estava acontecendo? Certamente não. Moisés era inteligente e sábio. Tendo pessoalmente sofrido e experimentado todas essas coisas no mundo dos homens, ele as conhecia e jamais as esqueceria. Ele conhecia essas coisas muito bem. Então ele sabia como seria difícil a comissão que Deus tinha lhe dado? (Sim.) Se ele sabia, como foi capaz de aceitar essa comissão? Ele tinha confiado em Deus. Com sua vida de experiência, ele acreditava na onipotência de Deus, por isso aceitou essa comissão de Deus com um coração repleto de confiança e sem a menor dúvida. […] Digam-Me, em seus quarenta anos no deserto, Moisés foi capaz de experimentar que, em Deus, nada é difícil, e que o homem está na mão de Deus? Com certeza — essa era a sua experiência mais verdadeira. Em seus quarenta anos no deserto, houve tantas coisas que representavam um perigo mortal para ele, e ele não sabia se sobreviveria a elas. Todos os dias, ele lutava por sua vida e orava a Deus por proteção. Esse era seu único desejo. Nesses quarenta anos, o que ele experimentou mais profundamente foram a soberania e a proteção de Deus. Mais tarde, então, quando ele estava aceitando a comissão de Deus, seu primeiro sentimento deve ter sido: ‘Nada é difícil em Deus. Se Deus diz que isso pode ser feito, certamente pode ser feito. Já que Deus me deu tal comissão, Ele certamente garantirá isso — é Ele que fará isso, não um homem qualquer’. Antes de partir para a ação, as pessoas devem ter um plano e fazer preparativos de antemão. Elas devem lidar primeiro com as preliminares. Deus precisa fazer essas coisas antes de agir? Ele não precisa. Todo ser criado, não importa quão influente seja, não importa quão capaz ou poderoso seja, não importa quão desvairado seja, está na mão de Deus. Moisés tinha confiança, conhecimento e experiência disso, portanto não havia um pingo de dúvida ou medo em seu coração. Como tal, sua confiança em Deus era especialmente genuína e pura. Pode-se dizer que ele estava repleto de confiança(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Só com obediência verdadeira pode-se ter confiança real”). Após ler a palavra de Deus, percebi que eu era um covarde que não confiava em Deus e não tinha fé Nele. Deus convocou Moisés para tirar os israelitas do Egito para libertá-los da escravidão. Moisés não tinha um exército para lutar contra o faraó, e foi muito difícil completar essa comissão, mas Moisés foi capaz de obedecer à palavra de Deus e acreditou que o Próprio Deus tiraria Seu povo do Egito. No que dizia respeito a mim, eu vi todo o trabalho que eu não conseguia fazer e, por isso, quis recusar esse dever porque achei que a pressão era muito grande, que esse dever seria um fardo para mim, e que eu não conseguiria completá-lo. Eu não confiava em Deus e não tinha fé em Deus. Eu só acreditava em minhas habilidades limitadas. Achei que ser capaz de fazer bem meu trabalho tinha a ver com meu calibre e experiência. Eu não acreditava que toda a obra é feita por Deus e que nós só desempenhamos um papel de apoio. Eu fui realmente arrogante. Era com a permissão de Deus que eu era capaz de cumprir esse dever. Tudo é governado e arranjado por Deus. Eu devia ter fé para cooperar de modo prático. A partir dali, eu não podia mais rejeitar esse dever. Eu acreditava que, enquanto confiasse em Deus e olhasse para Ele, Ele me guiaria e ajudaria, permitindo que eu entendesse a verdade e todos os tipos de princípios para cumprir deveres em todos os tipos de dificuldades e, aos poucos, viesse a cumprir bem meu dever. Também aprendi que ter a chance de cumprir esse dever era Deus me dando uma chance de praticar e, através disso, fortalecendo minha fé e meus pontos fracos, para que eu pudesse assumir fardos maiores e fazer minha parte, o que é Deus me mostrando favor.

Na Venezuela, tem havido problemas com água, energia, a internet e a economia, e temos que trabalhar mais do que o normal para sustentar nossa família. Meu pai e eu saíamos para pescar todo dia às 3 da manhã, e só voltávamos por volta das três ou quatro da tarde. Passar o dia inteiro no mar me cansava muito, mas, quando voltava para casa, eu não queria descansar, pois havia tantas coisas que eu não sabia fazer em meu dever e eu precisava passar mais tempo estudando, me equipando e compensando minhas deficiências para ser capaz de cumprir meu dever corretamente. Se não cumprisse bem meu dever, eu decepcionaria Deus. Lembrei-me dos santos da Era da Graça. Eles seguiam o Senhor Jesus, espalhavam o evangelho, cumpriam seus deveres, passavam por muitos perigos e dificuldades e sofriam muito. Como meu pouco sofrimento se compararia a isso? Portanto, a primeira coisa que eu fazia quando voltava para casa era pegar meu celular e verificar quais trabalhos e tarefas me esperavam. Eu também enviava mensagens aos irmãos perguntando se eles estavam tendo dificuldades. Quando alguém não sabia como cumprir seu dever, eu o ajudava e lhe dizia o que eu tinha aprendido ao cumprir meu dever. No cumprimento do meu dever, comecei a aprender a confiar em Deus, e, quando meus irmãos passavam por dificuldades, eu orava a Deus para que Ele me guiasse e me permitisse encontrar as palavras de Deus que os ajudariam. Depois de compartilhar a palavra de Deus e comunicar minha experiência e entendimento com eles, seus estados se revertiam um pouco. Enquanto eu ajudava meus irmãos, meu entendimento da verdade ficou ainda mais claro. Ao passar por isso, vi que, não importa a dificuldade, contanto que confiemos verdadeiramente em Deus, Ele sempre nos guiará. Embora as dificuldades aumentassem, eu não era mais tão fraco quanto havia sido antes. Mas não demorou, e deparei-me com outro grande problema. Por causa da internet ruim, eu não tinha como me reunir ou me comunicar regularmente com meus irmãos e não tinha como cumprir meu dever. Eu sabia que esse problema não estava nas minhas mãos, então orei a Deus por muito tempo, pedindo que Ele me guiasse nessa situação. Depois de orar, eu me acalmei aos poucos. Então li a palavra de Deus: “Quando você está em seu momento mais difícil, quando você está menos capaz de sentir Deus, quando você sente mais dor e solidão, quando você se sente como se estivesse distante de Deus — qual é a coisa que você deve fazer acima de tudo? Clamar a Deus lhe dá força. Clamar a Deus permite que você sinta a Sua existência. Clamar a Deus permite que você sinta a sua soberania. Quando você clama a Deus, ora a Deus e coloca a sua vida nas mãos de Deus, você irá sentir que Deus está ao seu lado e que Ele não abandonou você. Quando sente que Deus não abandonou você, quando sente de verdade que Deus está ao seu lado, a sua confiança vai crescer? Se você tem a confiança real, ela vai ser se desgastar e desaparecer com o passar do tempo? Absolutamente não(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Só com obediência verdadeira pode-se ter confiança real”). Quando você enfrenta dificuldades, clame a Deus com o coração e você terá fé e força. As capacidades dos humanos são limitadas. Não temos como ver as coisas que estão fora do nosso campo de visão, por isso sempre tememos as dificuldades que surgem diante dos nossos olhos. Deus governa sobre todas as coisas, e, contanto que confiemos em Deus, Deus nos guiará e nos ajudará a cumprir nossos deveres. A palavra de Deus me deu fé e força. Eu devia cumprir meu dever mesmo diante de numerosas dificuldades. Eu devia orar e confiar em Deus para passar por essas dificuldades, e trabalhar ainda mais no cumprimento do meu dever. Assim, comecei a sair para a rua em busca de uma internet mais estável que me permitiria me reunir normalmente. Às vezes, quando eu presidia uma reunião, eu saía para a rua por volta das oito da noite e só voltava para casa às dez e meia ou às onze, quando a reunião terminava. Eu sentia muito medo, a caminho de casa, porque morava num local perigoso e temia que alguém roubasse meu celular, caso em que eu não seria capaz de continuar me reunindo nem cumprindo meu dever. Eu costumava orar a Deus, pedindo que Ele me desse a força para persistir em meio às dificuldades. Não demorou, e recebi uma mensagem. Um dos meus irmãos soube da minha situação e tinha tomado a iniciativa de me enviar uma mensagem: “Irmão, sei que você está passando por um momento difícil e que você tem saído para a rua à noite para cumprir seu dever. Isso é extremamente perigoso. Tenho uma bicicleta, e posso emprestá-la a você quando você precisar. Isso facilitará sua locomoção”. Fiquei muito grato a Deus. Eu tinha aprendido muito por meio dessas dificuldades, e também tinha aprendido a confiar em Deus. Percebi que é Deus que é soberano sobre todas as coisas e que é Deus que arranja ambientes para todos. Eu tinha visto as ações de Deus e minha fé em Deus era mais forte agora. Quando outros enfrentavam dificuldades que eu tinha enfrentado, eu compartilhava a palavra de Deus com eles e comunicava minha experiência para ajudá-los e dar-lhes fé em Deus.

Quando voltava da pescaria todos os dias, eu ficava em casa e lia a palavra de Deus, e, quando chegava a hora das reuniões, eu pegava a bicicleta e andava pelas ruas procurando uma internet boa. Eu sempre orava a Deus, pedindo que Ele me guiasse para eu cumprir melhor meu dever. Eu não me preocupava mais com minha situação difícil. Eu só queria cumprir bem meu dever de acordo com a vontade e as exigências de Deus. Mesmo que tivesse que enfrentar mais dificuldades, eu estava disposto a obedecer à soberania e aos arranjos de Deus para experimentar o ambiente que Deus tinha arranjado para mim e satisfazer o coração de Deus. Depois de um tempo, os irmãos me ajudaram a encontrar um lar adequado com uma internet relativamente estável. Eu agradeci a Deus Todo-Poderoso, pois ali podia cumprir melhor meu dever e, sob a orientação de Deus, eu fiz um ótimo progresso em meu dever. Depois disso, o líder me disse de novo que eu seria responsável por ainda mais trabalho, que meu fardo seria ainda maior, haveria ainda mais trabalho a fazer, e eu precisaria cuidar dos meus irmãos e ajudá-los ainda mais. Mas eu não tinha mais preocupações nem queixas. Contanto que eu continue confiando em Deus, Deus me guiará e me ajudará a cumprir bem meu dever.

Mais tarde, eu li mais das palavras de Deus: “Quanto mais atento você estiver à vontade de Deus, maior o fardo que você carregará, e quanto maior o fardo que você carregar, mais rica será a sua experiência. Quando você estiver atento à vontade de Deus, Deus colocará um fardo sobre você e, então, o iluminará sobre as tarefas que Ele tem confiado a você. Quando Deus lhe der esse fardo, você prestará atenção a todas as verdades relativas a ele enquanto estiver comendo e bebendo das palavras de Deus. Se você tiver um fardo relacionado ao estado da vida dos seus irmãos e irmãs, então esse é um fardo que lhe foi confiado por Deus, e você sempre carregará esse fardo consigo em suas orações diárias. O que Deus faz foi colocado sobre você, e você está disposto a fazer o que Deus quer fazer; isso é o que significa assumir o fardo de Deus como se fosse seu(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Fique atento à vontade de Deus para alcançar a perfeição”). “Em muitos casos, as provações de Deus são fardos que ele dá às pessoas. Qualquer que seja o fardo que Deus lhe dê, esse é o peso que você deveria suportar, pois Deus o compreende e sabe que você será capaz de suportá-lo. O fardo que Deus lhe deu não excederá sua estatura ou os limites da sua resistência, então não há dúvida de que você será capaz de suportá-lo. Seja qual for o fardo que Deus lhe der, ou qual provação, lembre-se de uma coisa: se você entende a vontade de Deus, se você obtém o esclarecimento e a iluminação do Espírito Santo depois de orar, se essa provação significa Deus disciplinando-o ou lhe dando um aviso, não importa se você não entende. Contanto que você não demore em cumprir seu dever e possa se dedicar a ele fielmente, Deus ficará satisfeito, e você terá se mantido firme em seu testemunho(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Só na leitura frequente das palavras de Deus e na contemplação da verdade existe um caminho adiante”). Lendo as palavras de Deus, entendo que Deus não nos dará um fardo que não conseguimos suportar, que Deus conhece nossa estatura e sabe o que podemos fazer. Quanto mais estivermos dispostos a obedecer à vontade de Deus e quanto maior o fardo que tivermos em nosso dever, mais rica será nossa experiência, mais profundo será nosso entendimento da vontade de Deus. Tendo passado por essas dificuldades, entendo agora que, em horas de dificuldade, posso conhecer melhor a mim mesmo e as ações de Deus e que posso ter mais fé em Deus. Quando comecei a cumprir esse dever, eu carecia de fé, não sabia como orar a Deus e confiar Nele, e não buscava a orientação de Deus. Eu só confiava em meus talentos para cumprir meu dever. Depois de ler a palavra de Deus e entender Sua vontade, ganhei fé e trabalhei muito em meu dever. Com frequência, eu orava e confiava em Deus e buscava e me comunicava com os líderes, conscientizando-me dos princípios relevantes para o meu dever, e de algumas sendas e percursos para fazer o trabalho da igreja. Tendo passado por essas coisas, não estou mais num estado negativo, e não acho mais que não consigo cumprir bem meu dever. Quando as coisas acontecem comigo, aprendo a buscar a verdade, a executar corretamente meu dever com diligência e, quando encontro dificuldades, eu oro a Deus, e Deus me guia e me ajuda a passar por todos esses ambientes e adversidades. Também não acho mais que meus problemas ou estresse são tão grandes. Se não tivesse passado por essas dificuldades, eu não teria sido esclarecido por Deus, não teria essas percepções e ganhos, muito menos teria experiência verdadeira. Nesse caso, eu não saberia cumprir corretamente meu dever. Agora, entendo a palavra de Deus que diz: “Quanto mais atento você estiver à vontade de Deus, maior o fardo que você carregará, e quanto maior o fardo que você carregar, mais rica será a sua experiência(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Fique atento à vontade de Deus para alcançar a perfeição”). Desejo suportar mais fardos para retribuir o amor de Deus.

Hoje, a Venezuela tem muitos problemas com a economia, os serviços públicos e a internet. Embora fique estressado às vezes, eu aprendi a confiar em Deus, a buscá-Lo e a ter fé Nele. Se não tivesse passado por essas dificuldades, eu não entenderia a importância de cumprir meu dever nem como buscar Deus em meio a dificuldades. Agradeço a Deus por me permitir obter esses ganhos e alcançar esse conhecimento.

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

Minha filha à porta da morte: eu testemunho um milagre ao orar a Deus

Já era depois das onze horas da manhã em 8 de outubro de 2011, e eu estava preparando o almoço em casa, quando, de repente, o telefone tocou. Assim que atendi, a pessoa que me ligava disse ansiosamente: “Lanlan se envolveu num acidente de carro, e estão tentando salvá-la no hospital municipal.

Depois do terremoto

Por Jane, Filipinas Eu aceitei a obra de Deus Todo-Poderoso dos últimos dias em julho de 2019. Mais tarde, li muitas das palavras de Deus...

Testemunhando um milagre em meio ao desespero

Na jornada da vida, cada um de nós experimentará alguns eventos extraordinários que ficam gravados em nossa memória e nunca mais serão esquecidos. A experiência que me mais me marcou foi quando meu marido sofreu um acidente de carro e ninguém sabia se ele sobreviveria ou não, e os dias que se seguiram, quando me senti completamente perdida e atingi o limite de minhas forças.

Conecte-se conosco no Messenger