É bom crer em Deus, mas acho que todas as religiões ensinam as pessoas a serem boas. Então, não importa em que religião as pessoas creiam, contanto que sejam sinceras e não cometam mal algum, certamente elas serão salvas por Deus?

21 de Fevereiro de 2021

Palavras de Deus relevantes:

O que é crença em religião? O que é crença em Deus? Existe uma diferença? Quais são as características comuns e proeminentes da religião? Como as pessoas geralmente definem crença em religião? Crença em religião consiste em mudanças de comportamento, mudanças em comportamentos tais como brigar, xingar, prevaricar, explorar as pessoas, levar vantagem sobre os outros e cometer pequenos roubos e furtos. Refere-se principalmente a mudanças de comportamento. Quando alguém crê em religião, tenta se comportar bem, ser uma boa pessoa; esses são comportamentos externos. E a religião como muleta psicológica? E o reino da mente? Com fé, tem-se realmente uma muleta, psicologicamente. Crença em religião, portanto, pode ser definida assim: ser bem-comportado e ter uma muleta psicológica — nada mais. Quando se trata de detalhes como se Aquele em quem creem existe de fato ou não, o que exatamente Ele é e o que Ele pede delas, as pessoas usam inferência e a imaginação delas. Crença com uma base assim chama-se crença numa religião. Crença numa religião significa principalmente buscar uma mudança de comportamento e ter uma muleta psicológica, mas implica alguma mudança na senda da vida de uma pessoa? Não há a menor mudança na senda, no propósito ou na direção da vida de uma pessoa, nem na base sobre a qual ela vive. E o que é crer em Deus? O que Deus exige e define como crer Nele? (Crer em Sua soberania.) É crer que Ele existe e crer em Sua soberania — isso é o mais importante. O que Deus exige das pessoas em sua crença Nele? A que ela está relacionada? (Ser pessoas honestas, ter humanidade normal, buscar a verdade, buscar transformação de caráter e buscar conhecer a Deus.) E alguma coisa é exigida das pessoas com relação a suas palavras e seu comportamento? (Em termos de nosso comportamento externo, é exigido que sejamos devotos e não dissolutos, e que vivamos a humanidade normal.) Externamente, é exigido que você tenha decência santa básica e viva a humanidade normal. E qual é a definição de crença em Deus? Crença em Deus é obediência às palavras de Deus; é existir, viver e cumprir seu dever de acordo com as palavras ditas por Deus e se envolver em todas as atividades da humanidade normal. O que isso implica é que crer em Deus é seguir a Deus, fazer conforme Deus quer que você faça e viver conforme Deus quer que você viva. Crer em Deus é seguir o Seu caminho. Agindo assim, o propósito e a direção da vida das pessoas não é completamente diferente daqueles das pessoas que creem em religião? O que crer em Deus envolve? As pessoas deveriam viver a humanidade normal; elas deveriam obedecer às palavras de Deus, não importa o que Deus peça que elas façam; e deveriam praticar de acordo com as palavras de Deus. Essas coisas todas envolvem as palavras de Deus. Quais são as palavras de Deus? (A verdade.) Crer em Deus envolve a verdade; é a fonte e a senda correta da vida; envolve a senda que as pessoas trilham na vida. A crença em religião envolve alguma dessas coisas? Não envolve. Para crer em religião, basta simplesmente se comportar bem externamente, conter-se, aderir a regras e ter uma muleta psicológica. Se alguém se comporta bem e tem apoio e muleta psíquicos, sua senda na vida muda? (Não.) Algumas pessoas dizem: “Crer em religião e crer em Deus são a mesma coisa”. Então, Elas seguem a Deus? Crença em religião é meramente a busca de mudança comportamental, nada mais do que a busca de uma muleta psicológica, e não envolve quaisquer verdades. Como resultado, não pode haver mudança no caráter dessas pessoas. Elas são incapazes de colocar a verdade em prática, ou de qualquer mudança substancial, e elas não têm o verdadeiro conhecimento de Deus. Quando alguém crê em religião, por melhor que seja o seu comportamento, por mais robusta que seja sua muleta psicológica, essa pessoa segue a Deus? (Não.) Então a quem seguem? Seguem a Satanás. E qual é a base do que elas vivem, buscam, desejam, praticam e confiam em sua vida? Essa base é inteiramente o caráter corrupto de Satanás e sua essência. A forma como se conduzem e tratam os outros está em conformidade com a lógica e a filosofia de vida de Satanás; tudo o que dizem é mentira, desprovido da menor verdade; elas não alcançaram a menor mudança em seu caráter satânico e o que seguem continua sendo Satanás. Sua visão de vida, valores, formas de lidar com as coisas e os princípios de suas ações são todos expressões de sua natureza satânica; houve apenas uma pequena mudança em seu comportamento externo; não houve a menor alteração na sua senda de vida, na forma como vivem ou em sua perspectiva. Se você realmente crê em Deus, que mudanças ocorreram de fato em você após ter crido em Deus por vários anos? O alicerce de sua vida passa por uma mudança. Em que base você vive? O que governa aquilo que você faz e diz todos os dias? Em que isso tudo se baseia? (Tudo isso se baseia nas palavras de Deus e na verdade.) Por exemplo, talvez você não fale mais mentiras — qual é a base disso? Por que você não fala mais dessa forma? (Porque Deus não gosta disso.) Existe uma base para você não mais falar ou agir dessa forma; e essa base é a palavra de Deus, o que Deus pede e a verdade. Então, tal pessoa tem a mesma senda de vida? Eis um resumo: o que é crença em religião? E o que é crença em Deus? Quando as pessoas creem em religião, elas seguem Satanás; quando creem em Deus, elas seguem a Deus. Essa é a diferença.

Extraído de ‘Crença em religião nunca levará à salvação’ em “Registros das falas de Cristo”

Embora muitas pessoas acreditem em Deus, poucas compreendem o que significa fé em Deus e o que elas devem fazer para se conformarem à vontade de Deus. Isso acontece porque, embora estejam familiarizadas com a palavra “Deus” e expressões tais como “a obra de Deus”, as pessoas não conhecem a Deus e menos ainda conhecem Sua obra. Não é de admirar, então, que todos aqueles que não conhecem a Deus estejam confusos em sua crença Nele. As pessoas não levam a sério a crença em Deus e isso é inteiramente porque crer em Deus não lhes é nada familiar, é estranho demais para elas. Dessa maneira, elas ficam aquém das demandas de Deus. Em outras palavras, se as pessoas não conhecem a Deus, e não conhecem Sua obra, então elas não são aptas para serem usadas por Deus, e menos ainda são capazes de satisfazer Sua vontade. “Crença em Deus” significa acreditar que há um Deus; esse é o conceito mais simples no que diz respeito a crer em Deus. Mais ainda, acreditar que há um Deus não é o mesmo que crer verdadeiramente em Deus; antes, é um tipo de fé simples com fortes sobretons religiosos. A fé verdadeira em Deus significa o seguinte: com base na crença de que Deus é soberano sobre todas as coisas, a pessoa experimenta Suas palavras e Sua obra, expurga seu caráter corrupto, satisfaz a vontade de Deus e vem a conhecer Deus. Somente uma jornada desse tipo pode ser chamada de “fé em Deus”. No entanto, as pessoas frequentemente veem a crença em Deus como uma questão simples e frívola. As pessoas que acreditam em Deus dessa maneira perderam o significado de acreditar em Deus e, embora possam continuar acreditando até o fim, elas jamais ganharão a aprovação de Deus, porque trilham a senda errada. Ainda existem hoje aquelas que creem em Deus de acordo com as letras e em doutrina vazia. Elas não sabem que lhes falta a essência da crença em Deus e não podem receber a aprovação de Deus. Ainda assim, elas oram a Deus pedindo as bênçãos da segurança e da graça suficiente. Vamos parar, aquietar nosso coração e perguntar a nós mesmos: será que acreditar em Deus é realmente a coisa mais fácil do mundo? Será que acreditar em Deus não significa nada mais que receber muita graça de Deus? As pessoas que creem em Deus sem O conhecer ou que acreditam em Deus e ainda assim se opõem a Ele são realmente capazes de satisfazer a vontade de Deus?

Extraído do Prefácio em “A Palavra manifesta em carne

Algumas pessoas sempre pensam: “Crer em Deus não é simplesmente uma questão de participar de reuniões, cantar músicas, ouvir a palavra de Deus, orar e cumprir alguns deveres? Não é disso que se trata?”. Não importa há quanto tempo têm acreditado em Deus, vocês ainda não ganharam um entendimento completo do significado da crença em Deus. De fato, o significado da crença em Deus é tão profundo que as pessoas são incapazes de sondá-lo. No final, as coisas nas pessoas que são de Satanás e as coisas de sua natureza devem mudar e devem se tornar compatíveis com as exigências da verdade; só nesse caminho alguém pode chegar à salvação de verdade. Se você, como costumava quando estava na religião, apenas recitar algumas palavras de doutrina ou gritar slogans repentinamente, e depois fizer uns poucos bons feitos, apresentar bom comportamento um pouco mais e abster-se de cometer alguns pecados, alguns pecados óbvios, isso ainda não significa que você pisou na trilha certa da crença em Deus. Ser capaz de obedecer às regras indica que você está percorrendo a senda correta? Isso significa que você escolheu corretamente? Se as coisas na sua natureza não mudaram e, no final, você ainda está resistindo e ofendendo a Deus, então esse é o maior problema. Se, em sua crença em Deus, você não resolve esse problema, então você pode ser considerado ter sido salvo?

Extraído de ‘Aqueles que perderam a obra do Espírito Santo estão em maior risco’ em “Registros das falas de Cristo”

Meras mudanças comportamentais são insustentáveis; se não houver alteração no caráter de vida das pessoas, mais cedo ou mais tarde seus lados viciosos se manifestarão. Já que a origem das mudanças em seu comportamento é fervor, associado a alguma obra do Espírito Santo nesse momento, é extremamente fácil para elas ficar fervorosas ou exibir bondade temporária. Como dizem os descrentes, “Fazer uma boa ação é fácil; o difícil é fazer uma vida inteira de boas ações”. As pessoas são incapazes de fazer boas ações durante toda a sua vida. Seu comportamento é ditado pela vida; seja qual for a sua vida, tal é o seu comportamento, e somente aquilo que é naturalmente revelado representa a vida, como também a natureza de alguém. Coisas que são falsas não podem durar. Quando Deus opera para salvar o homem, não é para adornar o homem com bom comportamento — o propósito da obra de Deus é transformar o caráter das pessoas, fazê-las renascer como novas pessoas. Assim, o julgamento, o castigo, as provações e o refinamento do homem por Deus servem todos para mudar seu caráter, para que ele possa alcançar submissão e devoção absolutas a Deus e vir a adorá-Lo normalmente. Esse é o objetivo da obra de Deus. Comportar-se bem não é o mesmo que se submeter a Deus, muito menos é igual a ser compatível com Cristo. Mudanças de comportamento são baseadas em doutrina e nascem de fervor; elas não se baseiam no verdadeiro conhecimento de Deus ou na verdade, muito menos se apoiam na orientação do Espírito Santo. Embora haja momentos em que parte do que as pessoas fazem é dirigido pelo Espírito Santo, isso não é uma expressão da vida, muito menos é o mesmo que conhecer Deus; não importa quanto seja bom o comportamento de uma pessoa, isso não prova que ela se submeteu a Deus ou que põe a verdade em prática. Mudanças comportamentais são uma ilusão momentânea; são apenas manifestações de zelo. Não podem ser consideradas expressões da vida.

Extraído de ‘A diferença entre mudanças externas e mudanças no caráter’ em “Registros das falas de Cristo”

Existem várias religiões importantes no mundo, e cada uma tem seu próprio chefe, ou líder, e os seguidores estão espalhados por diferentes países e regiões em todo o mundo; todo país, seja grande ou pequeno, tem diferentes religiões dentro dele. No entanto, independentemente de quantas religiões existam em todo o mundo, todas as pessoas dentro do universo, em última instância, existem sob a orientação de um Deus, e sua existência não é guiada por chefes ou líderes religiosos. Isso significa dizer que a humanidade não é guiada por um chefe ou líder religioso em particular; em vez disso, toda a humanidade é conduzida pelo Criador, que criou os céus, a terra e todas as coisas, e também criou a humanidade — e isso é um fato. Embora o mundo tenha várias religiões principais, independentemente de quão grandes sejam, todas elas existem sob o domínio do Criador, e nenhuma delas pode exceder o escopo desse domínio. O desenvolvimento da humanidade, o progresso social, o desenvolvimento das ciências naturais — cada um destes é inseparável dos arranjos do Criador, e essa obra não é algo que possa ser feito por um determinado chefe religioso. Os chefes religiosos são meramente os líderes de uma religião em particular, e não podem representar Deus ou Aquele que criou os céus e a terra e todas as coisas. Chefes religiosos podem liderar todos os que pertencem à religião inteira, mas não podem comandar todas as criaturas sob os céus; esse é um fato universalmente reconhecido. Chefes religiosos são meros líderes e não podem ser iguais a Deus (o Criador). Todas as coisas estão nas mãos do Criador e, no final, todas elas retornarão às mãos do Criador. A humanidade foi originalmente criada por Deus e, independentemente da religião, cada pessoa retornará ao domínio de Deus — isso é inevitável. Somente Deus é o Altíssimo dentre todas as coisas, e o governante supremo dentre todas as criaturas também deve retornar sob Seu domínio. Não importa quão elevado seja o status do homem, ele não pode levar a humanidade a um destino adequado, e ninguém é capaz de classificar todas as coisas de acordo com sua espécie. O Próprio Jeová criou a humanidade e classificou cada um de acordo com sua espécie, e quando o tempo do fim chegar Ele Mesmo ainda fará Sua própria obra, classificando todas as coisas de acordo com sua espécie — essa obra não pode ser feita por ninguém a não ser Deus. Os três estágios da obra realizada desde o início até hoje foram todos realizados pelo Próprio Deus e foram realizados pelo único Deus. O fato dos três estágios da obra é o fato da liderança de Deus de toda a humanidade, um fato que ninguém pode negar. No final dos três estágios da obra, todas as coisas serão classificadas de acordo com sua espécie e voltarão a estar sob o domínio de Deus, pois em todo o universo existe apenas este único Deus, e não há outras religiões. Aquele que é incapaz de criar o mundo será incapaz de trazê-lo ao fim, enquanto Aquele que criou o mundo certamente o levará a um fim. Portanto, se alguém for incapaz de acabar com uma era e é meramente capaz de ajudar o homem a cultivar sua mente, então ele certamente não será Deus, e certamente não será o Senhor da humanidade. Ele será incapaz de fazer uma obra tão grande; existe apenas um que pode realizar tal obra, e todos os que são incapazes de realizá-la são certamente inimigos e não Deus. Todas as religiões malignas são incompatíveis com Deus e desde que são incompatíveis com Deus, são inimigas de Deus. Toda a obra é feita por este único Deus verdadeiro, e o universo inteiro é comandado por este único Deus. Independentemente de estar trabalhando em Israel ou na China, independentemente de a obra ser realizada pelo Espírito ou pela carne, tudo é feito pelo Próprio Deus, e não pode ser feito por mais ninguém. É precisamente porque Ele é o Deus de toda a humanidade que Ele trabalha livremente, sem restrições por quaisquer condições — e essa é a maior de todas as visões.

Extraído de ‘Conhecer os três estágios da obra de Deus é a senda para conhecer Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.