Aplicativo da Igreja de Deus Todo-Poderoso

Ouça a voz de Deus e dê as boas vindas ao retorno do Senhor Jesus!

Convidamos a todos os buscadores da verdade que entrem em contato conosco.

Perguntas e respostas clássicas sobre o evangelho do reino

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Largura da página

0 resultados

Nenhum resultado encontrado

Pergunta 2: Por que Deus tem que se tornar carne para realizar Sua obra de julgamento nos últimos dias? Na Era da Lei, Deus usou Moisés para fazer Sua obra, então por que Deus não pode usar o homem para fazer Sua obra de julgamento nos últimos dias?

Resposta: O motivo de Deus precisar se tornar carne para fazer a obra de julgamento nos últimos dias é uma questão que interessa muito a quem tem sede pela verdade e busca a manifestação de Deus. E tem a ver com a possibilidade de sermos arrebatados para o reino dos céus. Portanto, é muito importante entender esse aspecto da verdade. Por que Deus tem que encarnar para fazer Sua obra de julgamento nos últimos dias, em vez de empregar o homem para isso? Isso é determinado pela natureza da obra de julgamento. Pois a obra de julgamento é a expressão de Deus sobre a verdade e de Seus justos caracteres para conquistar, purificar e salvar a humanidade. Vamos ler uma passagem da palavra de Deus Todo-Poderoso.

A obra de julgamento é a própria obra de Deus, portanto ela deve ser naturalmente realizada pelo Próprio Deus; não pode ser realizada pelo homem em Seu lugar. Como o julgamento é a conquista da raça humana por meio da verdade, é inquestionável que Deus ainda apareça como imagem encarnada para realizar essa obra entre os homens. Isto é, nos últimos dias, Cristo irá usar a verdade para ensinar os homens do mundo todo e revelar todas as verdades a eles. Essa é a obra de julgamento de Deus” (de ‘Cristo realiza a obra do julgamento com a verdade’ em “A Palavra manifesta em carne”).

Nos últimos dias, Cristo usa uma variedade de verdades para ensinar o homem, expor a essência do homem e dissecar suas palavras e ações. Essas palavras abrangem várias verdades: o dever do homem, como o homem deveria obedecer a Deus, como o homem deveria ser leal a Deus, como o homem deve viver a humanidade normal, bem como a sabedoria e o caráter de Deus e assim por diante. Essas palavras são todas dirigidas à essência do homem e ao seu caráter corrupto. Em especial, essas palavras que expõem como o homem desdenha de Deus são faladas em relação a como o homem é a corporificação de Satanás e uma força inimiga contra Deus. Ao realizar Sua obra de julgamento, Deus não só torna clara a natureza do homem com apenas algumas palavras; Ele também a expõe, a trata e a poda no longo prazo. Esses métodos de exposição, tratamento e poda não podem ser substituídos por palavras comuns, mas pela verdade que o homem absolutamente não possui. Apenas métodos desse tipo são considerados julgamento; só por meio de julgamento desse tipo é que o homem pode ser subjugado e completamente convencido a se submeter a Deus e,além disso, ganhar verdadeiro conhecimento de Deus. O que a obra de julgamento produz é o entendimento do homem da verdadeira face de Deus e da verdade sobre a própria rebelião. A obra de julgamento permite que o homem ganhe bastante entendimento da vontade de Deus, do propósito da obra de Deus e dos mistérios que lhe são incompreensíveis. Também permite que o homem reconheça e conheça sua substância corrupta e as raízes de sua corrupção, bem como descubra a fealdade do homem. Esses efeitos são todos produzidos pela obra de julgamento, pois a substância dessa obra é, de fato, a obra de abrir a verdade, o caminho e a vida de Deus a todos aqueles que têm fé Nele. Essa obra é a obra de julgamento realizada por Deus” (de ‘Cristo realiza a obra do julgamento com a verdade’ em “A Palavra manifesta em carne”).

Pelas palavras de Deus Todo-Poderoso, vemos que a obra de julgamento de Deus nos últimos dias consiste em proferir muitos aspectos da verdade, expressando os caracteres de Deus, tudo o que Deus tem e é, revelando todos os mistérios, julgando a natureza satânica do homem, que resiste e trai Deus, expondo e dissecando o discurso e o comportamento do homem e revelando a essência santo e justa de Deus e os caracteres inofendíveis para toda a humanidade. Quando os escolhidos de Deus são levados a julgamento pelas palavras Dele, é como se fossem colocados diante de Deus, expostos e julgados por Ele. Quando Deus julga o homem, Ele deve permitir que vejam a manifestação dos Seus justos caracteres, como se vissem a essência sagrada de Deus e a grande luz lançada dos céus. E enxergar a palavra de Deus é como uma espada de dois gumes afiada fincada no coração e no espírito, gerando um sofrimento indescritível. Só assim o homem reconhecerá sua própria essência corrupta e a verdade dessa corrupção, sentirá profunda humilhação, esconderá o rosto de vergonha e se prostrará diante de Deus em verdadeiro arrependimento. Então ele poderá aceitar a verdade e viver de acordo com a palavra de Deus, livrar-se totalmente da influência de Satanás e ser salvo e aperfeiçoado por Deus. Obras como o julgamento, a purificação e a salvação do homem só podem ser feitas pelo Deus encarnado em pessoa.

Após vivenciarmos o julgamento pela palavra de Deus Todo-Poderoso, todos sentimos como a santidade e o caráter justo de Deus são inofendíveis aos homens. Cada letra da palavra de Deus é investida de majestade e ira, e atinge o fundo de nossos corações, expondo plenamente nossa natureza satânica que resiste e trai Deus, bem como os elementos da natureza corrupta enterrada tão profundamente em nossos corações que nem mesmo nós podemos ver. Assim reconheceremos como nossa natureza e essência são cheias de arrogância, hipocrisia, egoísmo e traição, que vivemos de acordo com essas coisas, como demônios vivos que vagam pela Terra, sem a menor humanidade. Deus acha isso abominável e hediondo. Nos sentimos humilhados e arrasados de arrependimento. Com nossa infâmia e maldade, sabemos que não merecemos viver com Deus, então nos prostramos ao chão, dispostos a receber a salvação de Deus. Ao vivenciarmos o julgamento pela palavra de Deus Todo-Poderoso, testemunhamos de verdade a manifestação de Deus. Sabemos que a santidade de Deus é infiltrável e que Sua justiça é inofendível. Reconhecemos as intenções diligentes e o amor verdadeiro com que Deus se esforça para salvar o homem e vemos a verdade e a essência da nossa corrupção nas mãos de Satanás. E começamos a reverenciar Deus de coração, a aceitar felizes a verdade e a obedecer aos planos de Deus para nós. Dessa forma, nossa natureza corrupta é gradualmente purificada. As mudanças que alcançamos hoje são resultado da encarnação de Deus para fazer a obra de julgamento. Então, entendam que somente quando a encarnação de Deus expressa a verdade, expressa os caracteres justos de Deus e tudo o que Ele tem e é para realizar a obra de julgamento, só então o homem enxerga a manifestação da verdadeira luz, da aparência de Deus e passa a conhecer Deus de verdade. É assim que o homem é purificado e salvo. Além de Cristo, ninguém pode fazer a obra de julgamento nos últimos dias. Vamos ler outra passagem da palavra de Deus Todo-Poderoso.

Deus Todo-Poderoso diz: “Ninguém está mais adequado e qualificado do que Deus na carne para a obra de julgar a corrupção da carne humana. […] Satanás só pode ser plenamente derrotado se Deus na carne julgar a corrupção da humanidade Sendo igual ao homem possuído de humanidade normal, o Deus na carne pode diretamente julgar a injustiça do homem; essa é a marca de Sua santidade inata e Sua extraordinariedade. Somente Deus é qualificado e está na posição para julgar o homem, pois Ele possui toda a verdade e justiça e, por isso, é capaz de julgar o homem. Aqueles que não possuem a verdade e justiça não servem para julgar os outros” (de ‘A humanidade corrupta está mais necessitada da salvação do Deus encarnado’ em “A Palavra manifesta em carne”).

É por causa desses julgamentos que vocês foram capazes de ver que Deus é o Deus justo, que Deus é o Deus santo. É por causa de Sua santidade e justiça que Ele os julgou e os castigou com Sua ira. Porque Ele pode revelar Seu caráter justo ao ver a rebeldia da humanidade, e porque Ele pode revelar Sua santidade ao ver a imundície da humanidade, isso basta para provar que Ele é o Próprio Deus que é santo e imaculado, mas também vive em uma terra imunda. Se Ele fosse um homem que se maculasse junto com os outros e se Ele não tivesse nenhum elemento de santidade ou um caráter justo, Ele não estaria qualificado para julgar a injustiça da humanidade ou para ser o juiz da humanidade. Se o homem julgasse o homem, não seria o mesmo que estapear o próprio rosto? Como alguém poderia ter o direito de julgar um tipo de pessoa igual, tão imunda quanto si mesmo? O Único que pode julgar toda a humanidade imunda é o Próprio Deus santo, e como o homem poderia julgar os pecados do homem? Como o homem poderia ser capaz de ver os pecados do homem e como poderia estar qualificado para condenar o homem? Se Deus não tivesse o direito de julgar os pecados do homem, então como poderia ser o Próprio Deus justo? Quando o caráter corrupto das pessoas é revelado, Ele fala para julgá-las, e só então elas podem ver que Ele é santo” (de ‘Como a segunda etapa da obra de conquista dá frutos’ em “A Palavra manifesta em carne”).

A palavra de Deus Todo-Poderoso mostra claramente que a obra de julgamento de Deus nos últimos dias deve ser feita pela expressão da verdade, pelos caracteres de Deus, pela onipotência e sabedoria de Deus, para conquistar, purificar e aperfeiçoar o homem. O Próprio Deus aparecerá para fazer essa obra de julgamento nos últimos dias. Essa obra marca o início de uma era e o fim de outra. Ela deve ser feita pela encarnação de Deus. Ninguém pode fazer isso no lugar Dele. Por que muitos creem que Deus deveria empregar homens para fazer toda a Sua obra, em vez de encarnar para Ele mesmo fazer? Isso é inacreditável! A humanidade realmente recebe de bom grado a vinda de Deus? Por que sempre há tanta gente desejando que Deus utilize homens para fazer Sua obra? Porque os homens trabalham de acordo com seus conceitos, fazem as coisas como acham que deveriam ser, então eles facilmente adoram outros homens, colocam-nos em um pedestal e os seguem, Mas o modo de Deus operar nunca está de acordo com os conceitos do homem, Ele não faz coisas como o homem acha que devem ser feitas. Portanto, é dificuldade ser compatível com Deus. A essência de Deus é a verdade, o caminho e a vida. o caráter de Deus é santo, justo e inofendível. O homem corrupto, no entanto, foi totalmente corrompido por Satanás, cheio do caráter satânico, e tem dificuldades para ser compatível com Deus. O homem dificilmente aceita a obra da encarnação de Deus e não está disposto a estudar e a investigar. Prefere adorar o homem e ter fé cega em sua obra, aceitando-a e seguindo-a como se fosse de Deus. Qual é o problema aqui? Podemos dizer que a humanidade não faz ideia do que significa crer em Deus e vivenciar Sua obra, então a obra de Deus nos últimos dias deve consistir na expressão da verdade pela encarnação para resolver todos os problemas da humanidade corrupta. Quanto à pergunta sobre por que Deus não usa o homem para fazer Sua obra de julgamento nos últimos dias, ela ainda exige resposta? A essência do homem é o homem. Ele não possui essência divina, portanto, é incapaz de proferir a verdade, os caracteres de Deus, tudo que Ele tem e é, e não pode fazer as obras de salvação da humanidade. Sem mencionar que todos os homens foram corrompidos por Satanás e têm natureza pecaminosa. Então, qual qualificação eles têm para julgar outros homens? Já que o homem sujo e corrupto é incapaz de purificar e salvar a si mesmo, como ele espera purificar e salvar outros? Tais homens só achariam desgraça quando outros não estivessem dispostos a aceitar o julgamento. Somente Deus é justo e santo, e somente Ele é a verdade, o caminho e a vida. Portanto, a obra de julgamento de Deus nos últimos dias deve ser realizada pela Sua encarnação. Ninguém é capaz de fazer tal obra, isso é fato. Já entendemos isso?

E por que Deus empregou o homem para fazer a Sua obra na Era da Lei? Porque a obra da Era da Lei e a do julgamento dos últimos dias são de naturezas diferentes. Na Era da Lei, a raça humana era recém-nascida e tinha sido minimamente corrompida por Satanás. A obra de Deus Jeová consistia principalmente na promulgação das leis e mandamentos para orientar o homem primitivo sobre como viver na terra. Essa etapa da obra não visava mudar o caráter do homem nem exigia uma expressão maior da verdade. Deus precisava do homem meramente para transmitir as leis que Ele havia estabelecido aos israelitas, para que os israelitas soubessem cumprir as leis, adorar a Jeová e viver normalmente na terra. Tendo feito isso, essa etapa foi concluída. Deus poderia utilizar Moisés para concluir a obra da Era da Lei. Ele não precisava encarnar para realizá-la pessoalmente. Em contraste, a obra de julgamento de Deus nos últimos dias objetiva salvar a humanidade corrompida por Satanás. Emitir algumas passagens da palavra de Deus e promulgar algumas leis não bastarão neste caso. Há verdade em abundância que precisa ser proferida. os caracteres inerentes de Deus, tudo o que Deus tem e é devem ser proferidos em plenitude. A verdade, o caminho e a vida devem ser revelados a todos os homens como se Deus se revelasse face à humanidade, permitindo que o homem compreenda a verdade e O conheça. Ao fazer isso, Ele purifica, salva e aperfeiçoa a humanidade. Deus deve fazer isso pessoalmente por meio da encarnação. Ninguém pode fazer essa obra no Seu lugar. Deus pode usar os profetas para emitir algumas passagens da Sua palavra, mas Ele não permite que os profetas profiram os caracteres inerentes a Deus, tudo o que Deus tem e é, ou proferir a verdade plena, é porque o homem não é digno. Se Deus usasse o homem para expressar a totalidade de Seus caracteres e verdade, provavelmente humilhariam Deus. Como o homem tem uma natureza corrupta e trai seus próprios conceitos e ilusões, deve haver impurezas na sua obra, o que poderia facilmente humilhar Deus e influenciar a eficácia geral da obra Dele. Além disso, o homem é capaz de trocar tudo o que ele possui e é por tudo o que Deus tem e é, levando as impurezas do homem à obra pela verdade. Isso leva a um mal-entendido e à humilhação de Deus. Além disso, se Deus empregasse o homem para expressar todos os Seus caracteres e verdade, por causa das impurezas do homem, ninguém estaria disposto a aceitar e poderia até mesmo resistir. Satanás veria as faltas e as acusaria, atiçando o descontentamento do homem com Deus, fomentando revoltas e nos instigando a estabelecer nosso próprio reino. Esse é o resultado final do homem ao fazer a obra de Deus. Sobretudo, no caso da salvação do homem profundamente corrompido nos últimos dias, ninguém aceita e obedece facilmente à obra da encarnação de Deus. Então, se Deus utilizasse os humanos para fazem a obra, os homens seriam menos propensos a aceitar e obedecer. Não são esses os fatos? Olhem para os presbíteros e pastores do mundo religioso. A resistência e a condenação deles à obra de encarnação de Deus é diferente de como os principais sacerdotes judeus e os fariseus resistiram ao Senhor Jesus antes? Não é uma tarefa fácil para Deus salvar a humanidade corrupta. Devemos entender como Deus pensa!

Por um lado, a obra de julgamento de Deus encarnado nos últimos dias é julgar, purificar e salvar a humanidade. Por outro lado, e mais importante, Deus faz Sua obra proferindo a verdade, Seus caracteres e tudo o que Ele tem e é, para que toda a humanidade realmente conheça e compreenda Deus e veja a manifestação de Deus na carne. Vamos ler algumas passagens da palavra de Deus Todo-Poderoso.

Para todos aqueles que vivem na carne, mudar seu caráter exige perseguir metas e conhecer Deus exige testemunhar os fatos reais e a verdadeira face de Deus. Ambos podem somente ser alcançados pela encarnação de Deus, ambos podem apenas ser cumpridos pela carne normal e verdadeira. É por isso que a encarnação é necessária e por isso que toda a humanidade corrupta tem necessidade dela. Uma vez que ser requer que as pessoas conheçam a Deus, as imagens de deuses vagos e sobrenaturais devem ser dissipadas de seus corações e uma vez que se lhes exige que abandonem seus caracteres corruptos, elas devem primeiro conhecer seus caracteres corruptos. Se somente o homem faz a obra para dissipar as imagens dos deuses vagos do coração das pessoas, então ele não alcançará o resultado esperado. As imagens dos deuses vagos no coração das pessoas não podem ser expostas, banidas ou completamente expulsas apenas com palavras. Fazendo isso, por fim, não seria possível dissipar das pessoas essas coisas que estão profundamente arraigadas. Somente o Deus prático e a imagem verdadeira de Deus podem substituir essas coisas vagas e sobrenaturais para permitir que as pessoas gradualmente as conheçam, e somente dessa forma pode o devido resultado ser alcançado. […] Somente o Próprio Deus pode fazer Sua Própria obra e ninguém mais pode fazer essa obra no lugar Dele. Não importa quão rica seja a linguagem do homem, ele é incapaz de articular a realidade e a normalidade de Deus. O homem apenas pode conhecer a Deus mais praticamente e vê-Lo mais claramente, se Deus operar pessoalmente entre os homens e mostrar-lhes de forma completa Sua imagem e Seu ser. Esse resultado não pode ser alcançado por nenhum homem carnal” (de ‘A humanidade corrupta está mais necessitada da salvação do Deus encarnado’ em “A Palavra manifesta em carne”).

As imaginações do homem são, afinal, vazias e não podem substituir a verdadeira face de Deus; o caráter inerente de Deus e a obra do Próprio Deus não podem ser imitadas pelo homem. O Deus invisível no céu e Sua obra só podem ser trazidos à terra pelo Deus encarnado, que pessoalmente realiza Sua obra no meio dos homens. Esse é o modo mais ideal no qual Deus aparece ao homem, no qual o homem vê a Deus e chega ao conhecimento da verdadeira face de Deus e não pode ser alcançado por um Deus não encarnado” (de ‘A humanidade corrupta está mais necessitada da salvação do Deus encarnado’ em “A Palavra manifesta em carne”).

O advento de Deus na carne visa em primeiro lugar permitir que as pessoas vejam os reais feitos de Deus, materializar o Espírito informe na carne e permitir que as pessoas O vejam e toquem. Assim, aqueles que são feitos completos por Ele O viverão, serão ganhos por Ele e serão segundo Seu coração. Se Deus só falasse no Céu e não viesse realmente à terra, as pessoas continuariam incapazes de conhecer Deus, conseguiriam apenas pregar Seus feitos valendo-se de teoria vazia e não teriam as palavras de Deus como realidade. Deus veio à terra principalmente para agir como exemplo e modelo para aqueles a quem ganhará; somente assim as pessoas podem de fato conhecer Deus, e tocar Deus, e ver Deus, e só então elas podem ser verdadeiramente ganhas por Ele” (de ‘Você deveria saber que o Deus prático é o Próprio Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”).

O Deus encarnado encerra a era quando somente as costas de Jeová apareciam à humanidade e também conclui a era da crença da humanidade no Deus vago. De modo particular, a obra do último Deus encarnado traz toda humanidade para dentro de uma era que é mais realista, mais prática e mais agradável. Ele não somente conclui a era da lei e doutrina; mais importante, Ele revela à humanidade um Deus que é verdadeiro e normal, que é justo e santo, que destrava a obra do plano de gerenciamento, demonstra os mistérios e destino da humanidade, que criou a humanidade, encerra a obra do gerenciamento e que tem permanecido escondido por milhares de anos. Ele encerra de vez uma era de incertezas, Ele conclui a era na qual toda a humanidade desejava ver a face de Deus, mas era incapaz disso, Ele encerra a era na qual toda a humanidade servia a Satanás e conduz toda a humanidade por todo o caminho para uma era completamente nova. Tudo isto é o resultado da obra de Deus na carne em vez do Espírito de Deus” (de ‘A humanidade corrupta está mais necessitada da salvação do Deus encarnado’ em “A Palavra manifesta em carne”).

A obra de julgamento de Deus nos últimos dias por meio da encarnação é relevante. Deus encarnou na Terra nos últimos dias e viveu entre os homens, proclamando Sua Palavra à humanidade, expressando os caracteres de Deus e tudo o que Deus tem e é para as massas. Quem Deus ama e detesta, a quem a fúria de Deus é dirigida, quem Ele castiga, Seu estado emocional, Suas exigências e Sua intenção para os homens, a visão ideal sobre a vida, os valores… Ele informa a humanidade sobre tudo. Com isso, o homem tem metas claras na vida para não precisar se lançar sem rumo atrás de uma religião. A manifestação da encarnação de Deus concluiu a era quando “somente as costas de Jeová apareciam à humanidade”, e concluiu a idade da crença do homem no Deus incerto. Todos que vivenciaram a Palavra e a obra de Deus Todo-Poderoso nos últimos dias percebem uma coisa: apesar de terem sofrido o julgamento e o castigo de Deus, todo tipo de provações e refinamentos, e de terem sido profundamente atormentados pela perseguição brutal e selvagem do governo Comunista Chinês, vimos os justos caracteres de Deus sobre nós. Vimos a majestade e a ira de Deus, Sua onipotência e sabedoria, vimos a manifestação de tudo o que Deus tem e é, como se víssemos o Próprio Deus. Embora não tenhamos visto o corpo espiritual de Deus, os caracteres inerentes a Deus, Sua onipotência e sabedoria, e tudo o que Ele tem e é nos foram revelados na íntegra, como se Deus tivesse vindo até nós, face a face, permitindo-nos conhecer verdadeiramente Deus e ter um coração temente a Deus, para obedecermos a quaisquer planos que Ele tenha para nós até a morte. Todos sentimos que na palavra e na obra de Deus vemos e conhecemos Deus de forma prática e real, descartamos todos os conceitos e ilusões e nos tornamos conhecedores de Deus. Antes, víamos os caracteres de Deus como amorosos e compassivos, acreditando que Deus perdoaria os pecados do homem. Mas depois de termos passado pelo julgamento da palavra de Deus Todo-Poderoso, entendemos que os caracteres de Deus não são apenas compassivos e amorosos, mas também justos, majestosos e coléricos. Qualquer um que O ofender será punido. Assim, podemos reverenciar Deus, aceitar a verdade e viver pela palavra Dele. Vivenciando a obra de julgamento de Deus Todo-Poderoso nos últimos dias, todos entendemos de forma plena e prática que os caracteres de Deus são santos, justos e inofendíveis. Vivenciamos a compaixão e o amor de Deus e viemos a apreciar a onipotência e a sabedoria Dele. Reconhecemos como Deus se rebaixou em segredo, conhecemos suas intenções sinceras, muitas qualidades amáveis, Seu estado emocional, Sua fidelidade, Sua beleza e bondade, Sua autoridade, soberania e escrutínio de tudo… Tudo o que Deus tem e é apareceu diante de nós como se víssemos o Próprio Deus, nos permitindo conhecê-Lo face a face. Já não acreditamos e seguimos Deus com base nos nossos conceitos e ilusões, mas sentimos uma verdadeira reverência e adoração por Ele e obedecemos e confiamos Nele de verdade. Reconhecemos que se Deus não tivesse encarnado para proferir a verdade e julgar o homem, nunca O conheceríamos e não poderíamos nos livrar do pecado e alcançar a santidade. Então, não importa como se olha isso, a obra de julgamento de Deus nos últimos dias deve ser feita pelo Próprio Deus encarnado. Ninguém pode fazer no Seu lugar. Dados os conceitos e ilusões do homem, se Deus o empregasse para fazer a obra de julgamento nos últimos dias, ele não alcançaria o efeito desejado.

do roteiro do filme O mistério da divindade

Anterior:Pergunta 2: Mas cremos que, depositando fé no Senhor e O seguindo, atingiremos a vida eterna. A palavra do Senhor apoia isso: O Senhor Jesus disse: “Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em Mim, ainda que morra, viverá; e todo aquele que vive, e crê em Mim, jamais morrerá” (João 11:25-26). “Mas aquele que beber da água que Eu lhe der nunca terá sede; pelo contrário, a água que Eu lhe der se fará nele uma fonte de água que jorre para a vida eterna” (João 4:14). Essas passagens são a promessa do Senhor Jesus. O Senhor Jesus pode nos conceder a vida eterna, o caminho do Senhor Jesus é o caminho da vida eterna. A Bíblia diz, “Quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, porém, desobedece ao Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus” (João 3:36). O Senhor Jesus não é Filho do homem, não é o Cristo? Por crer no Senhor Jesus, devemos também ter o caminho da vida eterna. Mas você testemunha que o Cristo dos últimos dias nos trará o caminho da vida eterna. Não compreendo bem isso. Somos seguidores do Senhor Jesus Cristo. Por que isso não é o suficiente para se alcançar o caminho da vida eterna? Então por que também aceitamos as palavras e a obra de Cristo dos últimos dias?

Próximo:Pergunta 3: Você diz que Cristo é a verdade, o caminho e a vida. Esse é o testemunho do Espírito Santo, e é inQuestionável. Mas a Bíblia também registrou as palavras de grandes adeptos espirituais e apóstolos do Senhor Jesus. Suas expressões contam como a palavra de Deus? Se o que eles dizem realmente conta como a palavra de Deus também, então eles não são também a verdade, o caminho e a vida? Pelo que posso dizer, não há diferença entre as palavras deles e as do Senhor Jesus, todas contam como a palavra de Deus. Por que eles não contam como a verdade, o caminho e a vida?

Conteúdo Relacionado