Convidamos a todos os buscadores da verdade que entrem em contato conosco.

Existe uma maneira de resolver a arrogância

1

Xiaochen Cidade de Zhengzhou, Província de Henan

A arrogância é a minha falha fatal. Eu costumava revelar com frequência o meu caráter arrogante, sempre pensando que era melhor que as outras pessoas. Especialmente quando alterava os artigos ou me comunicava sobre o trabalho com um parceiro, sempre fui opinativa e não escutava modestamente outras opiniões. A minha incapacidade de cooperar harmoniosamente com meus parceiros costumava causar problemas para o trabalho. Irmãos e irmãs levantavam essa questão comigo muitas vezes, e eu também lia regularmente sobre Deus expor a natureza arrogante das pessoas. Mas, como eu ainda não havia alcançado o verdadeiro entendimento da minha própria natureza e essência, e também não podia verdadeiramente odiá-la, sempre que eu encontrava um ambiente adequado, perdia o controle. Posteriormente, também me sentiria bastante enojada, mas como o que foi feito estava feito, tudo o que eu poderia fazer era continuar tentando entendê-la. E assim, aconteceria de novo e de novo. Isto fazia com que me sentisse muito envergonhada e desamparada.

Uma vez, vi as seguintes palavras de Deus ao praticar devoção espiritual: “Como você deve resolver sua natureza humana? Primeiramente, você tem que conhecer essa natureza e tem que entender tanto a palavra quanto a vontade de Deus. Então, como você pode garantir, ao máximo possível, que evita cometer atos errados e faz só o que é conforme à verdade? Se você deseja operar uma mudança, então tem que deliberar sobre isso. Em relação à sua natureza falha, que tipos de corrupção de caráter você possui e de qual modo de ações você é capaz, que abordagem pode ser adotada e como isso pode ser praticado a fim de controlá-la — essas são questões cruciais. […] Lin Zexu se zangava muito rápido. Baseado em sua fraqueza, ele escreveu um lema em seu quarto: Refreie seu temperamento. Isto é uma abordagem humana, contudo funciona realmente. Cada indivíduo tem seu próprio princípio a seguir, assim você também devia estabelecer princípios a respeito da própria natureza. Esses princípios são necessários, não os ter está fora de questão. Essa devia ser também a sua motivação para o seu código de conduta na crença em Deus” (de ‘Praticar a verdade e resolver a natureza’ em “Registros das falas de Cristo”). As palavras de Deus me deram um caminho imediato que eu poderia seguir. Eu entendi: para mudar um caráter rebelde, por um lado você deve com frequência comer e beber as palavras sobre Deus expondo a essência corrupta do homem, e por outro, você tem que se concentrar em um lema para controlar a sua natureza para poder controlar conscientemente as revelações da sua natureza e assim abandonar a si mesmo para praticar a verdade. Consequentemente, de acordo com os aspectos da minha corrupção, tais como a minha natureza arrogante, a presunção e a má-vontade em ouvir as opiniões dos parceiros, eu formulei um lema: “Como uma pilha de estrume pode se orgulhar de seu fedor?” Sempre que me comunicava sobre uma questão com os meus parceiros, primeiro eu usaria este lema para me avisar, recordando com firmeza que minha essência era de esterco e que todo o meu corpo estava coberto de fedor. Também me lembraria de como causei muitos problemas para o trabalho por causa da minha arrogância e ego, e que não havia motivos para ser arrogante. Dessa forma, eu não sustentaria que estava sempre absolutamente certa, e isso também me daria um pedacinho de um coração necessitado, me dispondo a me humilhar e a ouvir as opiniões dos outros. Às vezes, eu ainda queria refutar as opiniões dos outros, mas assim que pensava no lema, conscientemente abandonava a mim mesma e praticava a verdade da coordenação harmoniosa.

Depois de um tempo, descobri surpreendentemente que quando me humilhava, recebia um pouco do esclarecimento e da iluminação do Espírito Santo com a comunicação com os meus parceiros e via alguns dos aspectos absurdos na minha recepção da verdade. Ao mesmo tempo, também descobri alguns dos pontos fortes dos outros e estava disposta a recorrer a eles para me complementar. Eu também não achava que era melhor do que as outras pessoas em tudo e abaixei a minha cabeça vaidosa. Abandonar a mim mesma não parecia tão doloroso como antes, e senti de coração que me humilhar e ouvir modestamente as opiniões dos meus parceiros era muito bom, não apenas beneficiando a progressão da minha própria vida, mas também melhorando os resultados do nosso trabalho através da compensação das deficiências uns dos outros e nos unindo como um.

Através desta experiência, provei a doçura de praticar a verdade e vi que formular um lema poderia fazer com que eu controlasse conscientemente as revelações da minha corrupção, não apenas reduzindo as minhas transgressões, mas também ganhando mais oportunidades de entender a verdade. Ao mesmo tempo, também percebi que as revelações passadas da minha natureza arrogante eram muito feias e nojentas. Graças a Deus por me levar a conhecer estas coisas. De agora em diante, formularei lemas correspondentes aos vários aspectos da minha corrupção e irei me conter para poder praticar a verdade. Também lerei com frequência a palavra de Deus para conhecer a essência da minha própria natureza, para poder realmente me odiar e me livrar da minha corrupção o mais rápido possível para satisfazer a Deus.

Conteúdo Relacionado