As consequências de se cumprir o dever segundo caprichos

01 de Agosto de 2022

Por Xingxing, China

Em junho de 2020, fui selecionada como líder de igreja. No início, quando eu tinha problemas no trabalho, eu conseguia buscar princípios e até quando sabia como fazer as coisas, eu buscava o conselho dos colegas e agia quando chegávamos a um acordo. No entanto, depois de um tempo, descobri que meu conselho era apropriado na maioria das vezes. E eu tinha sido uma líder no passado, então achava que entendia alguns princípios e que conseguia enxergar pessoas e assuntos e fazer arranjos corretamente. Uma vez, quando o trabalho evangelístico não estava muito eficiente, minha parceira não soube como resolver, então sugeri que os irmãos que pregavam o evangelho juntos formassem um grupo evangelístico para que cada um pudesse usar seus talentos. Depois, buscamos a verdade e comungamos para resolver as dificuldades no trabalho evangelístico, que depois de um tempo, teve uma melhora significativa. Inconscientemente, caí num estado de orgulho próprio e complacência, achando que eu era uma líder capaz e que sabia arranjar pessoas e o trabalho da igreja com sensatez.

Meses depois, a igreja precisou realizar uma eleição para diácono. Antes da eleição, analisei todas as pessoas na igreja e achei que a irmã Li era a mais capaz. Ela acreditava havia muitos anos, conseguia renunciar e se despender e tinha uma mente flexível. Ela também tinha ido a muitos lugares para pregar o evangelho no passado com bons resultados. Agora, ela acabara de voltar de outra cidade, mas tinha convertido várias pessoas, então achei que ela seria uma boa escolha como diaconisa evangelística. Mas vi vários comentários que diziam que ela tinha um caráter arrogante, constrangia os outros e atacava aqueles que eram proativos em seu dever, por isso hesitei. Mas então pensei que ela era capaz de trabalhar bem e que pregava o evangelho com eficiência, então, embora tivesse alguns problemas, contanto que a ajudássemos, não haveria problema. Depois de refletir muito, senti que a irmã Li era apta como diaconisa evangelística. No dia seguinte, compartilhei minha opinião com minha parceira. Ela disse: “A irmã Li constrange os outros. Ela pode pregar o evangelho sozinha. Mas como diaconisa evangelística, ela perturbará o trabalho. Devemos ter cautela”. Na época, quando minha parceira disse aquilo, não fiquei feliz. Pensei: “Você acredita em Deus há pouco tempo e sua opinião é unilateral. Vejo as pessoas e coisas de forma mais correta, portanto, você deveria me ouvir”. Então eu lhe disse com desprezo no meu rosto: “Na escolha de diáconos evangelísticos, a coisa mais importante é se uma pessoa possui habilidade e conhecimento no trabalho evangelístico. Ela é arrogante e tende a constranger os outros, mas ela tem a capacidade de trabalhar e sua pregação é eficiente. Devemos aprender a usar as pessoas conforme seus pontos fortes e não ficar presos em problemas pequenos”. Minha parceira ficou muito frustrada quando ouviu isso e não disse mais nada.

Em seguida, comunguei com meus irmãos sobre a eleição, mas não comunguei sobre os princípios das eleições. Em vez disso, ressaltei que aquele que é capaz e eficiente deveria ser eleito. Depois da minha comunhão, a maioria dos irmãos escolheu a irmã Li como diaconisa evangelística. Na época, fiquei bastante feliz. Inesperadamente, quando minha líder superior leu a avaliação da irmã Li, ela disse que a irmã Li sempre constrangia os outros e os atacava por serem proativos, era muito arrogante e não aceitava o conselho de seus irmãos. Minha líder disse que escolhê-la como diaconisa evangelística poderia interromper nosso trabalho. Pensei: “Você não conhece a situação dos obreiros na minha igreja. Se eu fosse tão rígida em tudo, não haveria nenhuma pessoa apta. Além disso, não é que a irmã Li não aceitasse nada. Quando lidei com ela, ela aceitou. Ela é uma escolha decente para a função”. Pensando nisso, eu disse rapidamente: “A irmã Li aceita tratamento e sua pregação do evangelho é eficaz. Podemos ajudá-la com seu caráter arrogante, e ela consegue dar conta dessa posição. Além disso, não há ninguém mais apto do que ela na igreja nesse momento”. Depois de me ouvir, a líder disse: “Então deixe-a praticar por um tempo, e então veremos. Se descobrir que ela está atacando pessoas e perturbando o trabalho, transfira-a sem demora”. E assim, a irmã Li se tornou a diaconisa evangelística.

Pouco tempo depois, minha parceira disse: “Tenho estado em contato com a irmã Li e descobri que ela ainda constrange muito as pessoas. Quando os obreiros evangelísticos têm deficiências, ela não os ajuda e até os ataca, dizendo que são inúteis e que crescem muito devagar ou que ela faz todo o trabalho sozinha e que cooperar com eles é difícil demais, o que coloca todos num estado negativo”. Não levei o conselho dela a sério e pensei: “Todos têm corrupção, mas se conseguem cumprir seus deveres e ser eficientes, tudo bem. Sua experiência e percepção ainda são muito superficiais. Conheci muitos iguais a ela. Se você comunga e lida com eles, eles conseguem trabalhar”. Até disse à minha irmã: “Concentremo-nos mais nos pontos fortes dela. Ela é arrogante, mas consegue pregar o evangelho. Devemos ser tolerantes com falhas pequenas. Comungarei mais com ela no futuro”. Minha parceira, agora refutada por mim, não disse mais nada. Mais tarde, quando vi a irmã Li, eu quis expor e analisar os problemas dela, mas quando nos encontramos, ela disse que o trabalho evangelístico estava eficiente agora. Vi que ela era muito proativa em seu dever, então mencionei o problema do seu caráter arrogante e de constranger os outros apenas de passagem e comunguei com ela como tratar corretamente os seus irmãos. Depois de ouvir, ela disse que estava disposta a mudar, por isso eu não disse mais nada. Mais tarde, várias irmãs relataram que a irmã Li não só não fazia trabalho prático, ela também não comungava a verdade para resolver problemas quando as pessoas tinham dificuldades e se irritava com frequência, repreendia e atacava as pessoas, colocando todos num estado negativo e destruindo a disposição deles de pregar o evangelho. A eficácia do trabalho evangelístico tinha despencado, impedindo severamente o progresso do trabalho. Pensei: “Foi realmente errado da minha parte insistir em escolhê-la como diaconisa? Já que os irmãos mencionaram isso muitas vezes, não posso mais me agarrar às minhas opiniões”. Depois disso, analisei as avaliações da irmã Li e vi que ela confiava em seus vários anos de experiência no trabalho evangelístico para repreender e atacar as pessoas a partir da posição dela, constrangendo-as, deixando-as num estado negativo e incapazes de cumprir seus deveres normalmente. Quando outros apontavam os problemas dela, ela discutia e se defendia. Várias pessoas comungaram com ela, mas ela não aceitou. Fiquei perplexa quando vi esse resultado. Eu não esperava que o problema da irmã Li fosse tão sério. Depois de tantos anos de trabalho, escolhi a pessoa errada como diaconisa, transformei o trabalho em caos e levei outros a se queixarem. Isso me deixou muito triste. Depois, com base no comportamento consistente da irmã Li, determinamos que ela não era apta a ser diaconisa evangelística, e ela foi removida.

Depois de dispensar a irmã Li, senti algo que não conseguia explicar. Era como se eu tivesse levado um tapa. Pensei em todas as vezes em que minha parceira tinha falado sobre os problemas da irmã Li, mas eu não a tinha levado a sério, e, como resultado, causei perdas sérias ao trabalho da casa de Deus. Senti remorsos e culpa e me perguntei: “Por que cometi um erro tão grande ao escolher a irmã Li? Como devo refletir sobre mim mesma e em qual aspecto da verdade devo entrar?”. Orei a Deus, pedindo que Ele me esclarecesse para que eu pudesse conhecer a mim mesma. Li esta passagem da palavra de Deus: “Algumas pessoas nunca buscam a verdade enquanto cumprem seu dever. Apenas fazem o que querem, agindo de acordo com as próprias imaginações, e são sempre arbitrárias e precipitadas e simplesmente não trilham a senda de praticar a verdade. O que significa ser ‘arbitrário e precipitado’? Significa, ao encontrar um problema, agir da forma que achar melhor, sem um processo de pensamento nem qualquer processo de busca. Nada que qualquer pessoa diga pode tocar seu coração ou mudar sua opinião. Você não consegue nem aceitar isso quando a verdade lhe é comunicada, você se agarra às suas opiniões, não ouve quando outras pessoas dizem algo correto, acreditando que você está certo e agarrando-se às suas ideias. Mesmo que seu raciocínio seja correto, você também deveria levar em consideração as opiniões das outras pessoas, certo? E se você não o fizer de modo algum, isso não é ser extremante hipócrita? Aceitar a verdade não é fácil para pessoas que são extremamente hipócritas e teimosas. Se elas fazem algo errado e você as critica, dizendo: ‘Você não está fazendo isso de acordo com a verdade!’, elas respondem: ‘Mesmo que não esteja, ainda é assim que eu o farei’. E então encontram alguma razão para levá-lo a pensar que isso é certo. Se você as repreende, dizendo: ‘Agir assim é interferir e prejudicará os interesses da casa de Deus’, elas não só não ouvem, mas continuam inventando desculpas: ‘Eu acho que é o jeito certo, portanto, é assim que vou fazê-lo’. Que caráter é esse? (Arrogância.) Uma natureza arrogante torna as pessoas teimosas. Quando têm esse caráter teimoso, as pessoas não tendem a ser arbitrárias e precipitadas?” (“As declarações de Cristo dos últimos dias”). A palavra de Deus revelou meu estado com precisão. Achei que, já que tinha sido líder por muitos anos, eu dominava alguns princípios e tinha alcançado alguns resultados no meu trabalho, eu entendia a verdade e conseguia ver pessoas e coisas claramente, por isso, confiei em mim mesma. Quando as coisas aconteciam, eu fazia o que queria e não pensava em buscar a verdade. Minha parceira pediu que eu descobrisse se a irmã Li tinha se arrependido e mudado, o que estaria alinhado com os princípios, mas eu não ouvi, não aceitei e insisti em obrigá-la a me ouvir. Durante a eleição, ressaltei minhas próprias opiniões para enganar os outros. Depois da eleição, minha líder superior me lembrou que a irmã Li era inapta, mas eu me agarrei às minhas opiniões com arrogância e procurei razões para refutar a minha líder. Quando a irmã Li se tornou diaconisa evangelística, ela constrangeu os outros em tudo. Quando minha parceira voltou a apontar esse problema, nem assim refleti sobre mim mesma. Achei que lhe faltavam experiência e percepção e não levei as palavras dela a sério. Até disse que era normal que pessoas com calibre fossem um pouco arrogantes. Usei isso como desculpa para proteger e desculpar a irmã Li. Teimosamente, agarrei-me às minhas opiniões, não investiguei se a irmã Li fazia trabalho prático ou causava perturbações, e o resultado foi que todos se sentiram constrangidos por ela em seus deveres, o que impediu seriamente o trabalho evangelístico. Eu fui tão arrogante e arbitrária! Como isso era cumprir o meu dever? Eu estava perturbando e interrompendo, cometendo o mal e resistindo a Deus, algo que Deus odeia e detesta. Quando reconheci isso, fiquei com medo por um tempo, então me apressei a orar a Deus para me arrepender, dizendo que queria mudar meu estado e opiniões incorretos e buscar os princípios sobre usar as pessoas.

Em minha busca, vi que os princípios para selecionar líderes e obreiros mencionam: “Nem todos os que têm um caráter arrogante devem ser tratados da mesma forma. Se alguém for capaz de aceitar a verdade e fazer uma obra prática, poderá ser eleito” (“170 princípios para praticar a verdade”). Pessoas com caracteres arrogantes também podem ser escolhidas, mas existe um pré-requisito: elas devem ser capazes de aceitar a verdade e fazer algum trabalho prático. Embora a irmã Li tivesse algum calibre e era boa em pregar o evangelho, o caráter dela era muito arrogante, e ela menosprezava os outros só porque tinha alguma experiência evangelística. Quando os outros apontavam os problemas dela, ela não aceitava nem refletia sobre as coisas e tentava se justificar. Às vezes, mesmo quando aceitava por fora, ela não mudava depois. Ela não era alguém que aceitava a verdade. Ela também constrangia e atacava os outros a partir da posição dela, levando os irmãos a viverem num estado negativo, o que afetou seriamente o trabalho evangelístico. Pessoas como ela, que não fazem trabalho prático e causam interrupções, mesmo que tenham dons ou talentos, são inaptas e não devem ser escolhidas como diáconos evangelísticos. Além disso, quando escolhi a irmã Li, eu tinha um ponto de vista equivocado. Achava que, para ser diácono evangelístico, tendo experiência e sendo eficaz, é possível dar conta do trabalho, mas isso era a minha própria imaginação. O fato de que ela podia ganhar pessoas pregando o evangelho só provava que ela era boa no trabalho evangelístico, não que ela era apta a supervisioná-lo. Não importa quanta experiência alguém tenha, se sua humanidade é ruim, se ele constrange e ataca outros a partir de caracteres satânicos e não aceita poda nem tratamento, isso é um problema. Usar tal pessoa só pode interromper e perturbar o trabalho da casa de Deus. Eu tinha acreditado por muitos anos, mas não buscava a verdade quando as coisas aconteciam. Via as pessoas e coisas com base em minhas próprias noções e imaginações. Em que sentido eu era uma crente em Deus? Basicamente, era uma descrente. Quando refleti sobre isso, senti uma tristeza que perfurou meu coração. Orei a Deus para dizer que desejava buscar os princípios da verdade e deixar de agir arbitrariamente de acordo com minha vontade.

Embora tivesse o desejo de mudar, visto que minha vontade era forte demais, voltei a cometer os mesmos erros antigos. Um dia, quando minha líder estava investigando nosso trabalho, ela viu que a irmã Xu, a supervisora do trabalho textual, tinha calibre baixo. Ela tinha sido cultivada por muito tempo, mas não mostrou nenhum crescimento e não fazia trabalho eficaz. Minha líder sugeriu que eu encontrasse rapidamente alguém com calibre melhor para treinar e disse que não importava se seu tempo de prática era curto. Achei que, embora a irmã Xu não tivesse calibre alto, ela tinha cumprido seu dever por muito tempo e era responsável, que era melhor do que qualquer pessoa nova na função. Os iniciantes não compreendiam os princípios e não tinham experiência de trabalho e treiná-los exigiria tempo, portanto, a irmã Xu ainda era melhor para a função. Talvez ela fosse ineficiente recentemente por estar num estado ruim. Assim que se ajustasse, os resultados dela melhorariam. Assim, não transferi a irmã Xu. Depois de um tempo, a líder enviou outra carta pedindo que eu transferisse a irmã Xu e recomendando a irmã Xin, dizendo que ela tinha calibre bom e boas habilidades na escrita. Ela tinha feito trabalho textual no passado e era digna de ser cultivada. Vi que ela acreditava em Deus havia pouco tempo e tinha pouca experiência. Ela realmente daria conta do trabalho? Com isso em mente, insisti em ficar com a irmã Xu e em não cultivar a irmã Xin. Foi só no final do mês que descobri que o trabalho textual estava praticamente parado. Minha líder lidou comigo, dizendo que eu insistia demais em minhas opiniões, que ela tinha sugerido transferir a irmã Xu duas vezes, mas que eu não tinha feito isso e não tinha cultivado a irmã Xin, o que impediu seriamente o trabalho textual. Fiquei muito triste. Minha líder tinha me lembrado duas vezes que a irmã Xu tinha calibre baixo e não era apta a ser treinada. Por que eu não consegui aceitar? Por que eu sempre usava pessoas do jeito que eu queria? Como resultado, isso causou uma perda enorme ao nosso trabalho. Senti remorsos, então orei a Deus, pedindo que Ele me guiasse a refletir sobre mim mesma.

Mais tarde, quando li as palavras de Deus, ganhei um pouco entendimento de mim mesma. “Você serve a Deus com seu caráter natural e de acordo com suas preferências pessoais. Além disso, você sempre acha que as coisas que você está disposto a fazer são as que dão alegria para Deus, e que as coisas que você não deseja fazer são as que Ele odeia; você trabalha inteiramente de acordo com preferências próprias. Isso pode ser chamado de servir a Deus? Por fim, seu caráter de vida não mudará nem um pingo; antes, seu serviço o tornará ainda mais obstinado, arraigando profundamente, assim, seu caráter corrupto, e, dessa forma, você desenvolverá interiormente regras sobre o serviço a Deus que estão baseadas principalmente em sua índole e nas experiências obtidas por servir conforme seu caráter. Essas são as experiências e lições do homem. É a filosofia do homem de viver no mundo. Pessoas assim podem ser classificadas como fariseus e autoridades religiosas. Se nunca acordarem e se arrependerem, elas certamente se tornarão os falsos cristos e anticristos que enganarão as pessoas nos últimos dias. Os falsos cristos e anticristos que foram mencionados surgirão de tais pessoas. Se aqueles que servem a Deus seguem a índole própria e agem conforme a própria vontade, eles correm o risco de ser expulsos a qualquer momento. Aqueles que aplicam seus muitos anos de experiência adquirida para servir a Deus a fim de ganhar o coração de outros, de repreendê-los e restringi-los, e de ficarem altivos — e que nunca se arrependem, nunca confessam seus pecados, nunca renunciam aos benefícios da posição — são pessoas que tombarão diante de Deus. São pessoas do mesmo tipo que Paulo, confiando em sua senioridade e se vangloriando de suas qualificações. Deus não aperfeiçoará pessoas assim. Esse tipo de serviço interfere na obra de Deus. As pessoas sempre se agarram ao antigo. Apegam-se às noções do passado, a todas as coisas dos tempos passados. Isso é um grande obstáculo para seu serviço. Se você não conseguir se livrar dessas coisas, elas sufocarão toda a sua vida. Deus não o elogiará de modo algum, nem mesmo se você quebrar as pernas na correria, ou as costas no trabalho, nem mesmo se for martirizado em seu serviço a Deus. Muito pelo contrário, Ele dirá que você é um malfeitor” (‘O serviço religioso precisa ser purgado’ em “A Palavra manifesta em carne”). “Se alguém não ama a verdade e frequentemente age de acordo com sua própria vontade, então ele ofenderá a Deus frequentemente. Ele o detestará e rejeitará e o deixará de lado. O que tal pessoa faz muitas vezes não recebe a aprovação de Deus, e se ela não tiver nenhum arrependimento, a punição não estará longe” (‘Buscar a vontade de Deus é para o bem da prática da verdade’ em “As declarações de Cristo dos últimos dias”). Quando ponderei as palavras de Deus, fiquei um pouco assustada. Achava que, já que eu tinha cumprido meu dever por muito tempo e tinha alguma experiência, eu entendia a verdade, então mantive e pratiquei minhas próprias noções como se fossem a verdade e tratei minha experiência de trabalho como meu capital. O resultado foi que me tornei cada vez mais arrogante. Quando as coisas aconteciam, eu não tinha lugar para Deus no meu coração, não buscava os princípios da verdade, não aceitava sugestões dos outros e fazia teimosamente o que eu queria. O resultado foi dano ao trabalho da casa de Deus. Finalmente, vi claramente que experiência de trabalho não significa que entendo a verdade nem que possuo suas realidades. Ao não buscar a verdade, mas agir a partir da minha experiência e vontade, eu só podia perturbar o trabalho da casa de Deus, o que é um serviço que resiste a Deus. A verdade governa na casa de Deus, e a verdade é o critério para as ações das pessoas. Mas eu coloquei em prática a minha experiência e a minha vontade como se fossem a verdade. Como isso era crença em Deus? Isso era crença em mim mesma! Isso é algo que ofende o caráter de Deus. Pensei em como os anticristos expulsos da igreja eram todos arrogantes e arbitrários. Em seus deveres, eles ignoravam os princípios da casa de Deus e agiam irresponsavelmente, e por mais que os outros os lembrassem e tratassem, eles nunca se arrependiam, então foram expulsos porque perturbavam seriamente o trabalho da casa de Deus. Eu não tinha um caráter igual aos dos anticristos? Eu também estava trilhando a senda do anticristo. Eu me arrependi e me senti culpada e odiei a mim mesma por ser arrogante demais.

Mais tarde, vi uma passagem das palavras de Deus e aprendi a praticar. As palavras de Deus dizem: “Que prática você pode adotar para abster-se de ser arbitrário e precipitado? Primeiro, precisa ter uma atitude de humildade, deixar de lado o que acredita ser certo e permitir que todos tenham comunhão. Mesmo que acredite que seu caminho esteja correto, você não deveria continuar insistindo nele. Isso é uma espécie de avanço; mostra uma atitude de buscar a verdade, de negar-se e de satisfazer a vontade de Deus. Uma vez que tenha essa atitude, ao mesmo tempo que não se atém à sua opinião, você deveria orar, busque a verdade em Deus e então procurar uma base nas palavras de Deus — determine como agir com base nas palavras de Deus. Essa é a prática mais adequada e correta. O Espírito Santo fornece esclarecimento quando as pessoas buscam a verdade e apresentam um problema para que todos comunguem juntos e busquem uma resposta. Deus ilumina as pessoas de acordo com os princípios. Ele avalia a sua atitude. Se você se agarrar teimosamente à sua opinião, independentemente de ela ser certa ou errada, Deus ocultará Sua face de você e ignorará você; Ele o levará para um beco sem saída, Ele exporá e revelará seu estado feio. Se, por outro lado, sua atitude for correta, se não for insistente no próprio jeito, nem hipócrita, nem arbitrária e precipitada, mas uma atitude de busca e aceitação da verdade, se você comunicar isso com todos, então o Espírito Se porá a operar entre vocês, e talvez Ele o leve ao entendimento por meio das palavras de alguém. Às vezes, quando o Espírito Santo ilumina você, Ele o leva a entender o cerne de uma questão com apenas algumas palavras ou frases ou dando-lhe um senso. Você percebe, nesse instante, que tudo a que tem se apegado está errado e, no mesmo instante, entende o modo mais adequado de agir. Tendo atingido esse nível, você evitou com sucesso fazer o mal e suportar as consequências de um erro? Como tal coisa é alcançada? Isso só é alcançado quando você tem um coração que teme a Deus e quando você busca a verdade com um coração de obediência. Uma vez que você tiver recebido o esclarecimento do Espírito Santo e determinado os princípios para praticar, sua prática estará alinhada com a verdade, e você será capaz de satisfazer a vontade de Deus” (“As declarações de Cristo dos últimos dias”). As palavras de Deus nos mostram que, não importa o que aconteça, devemos ter um coração que teme a Deus, buscar a vontade de Deus e os princípios da verdade. Especialmente quando nossos irmãos fazem sugestões diferentes, devemos primeiro negar a nós mesmos e aceitar. Mesmo que achemos estar certos, devemos renunciar a nós mesmos primeiro e buscar e comungar com nossos irmãos. Só assim podemos ganhar o esclarecimento de Deus. Eu tinha acreditado em Deus por anos, mas ainda não conseguia aceitar sugestões alinhadas com a verdade. Eu não possuía nenhuma das realidades da verdade e vivia totalmente segundo meu caráter arrogante. A despeito de ser tão empobrecida, miserável, imunda e corrupta, eu ainda pensava com orgulho que eu era boa, ainda acreditava muito em mim mesma quando agia. Ao refletir sobre isso, percebi que isso era descarado. Decidi que nunca mais confiaria em mim mesma e que, em tudo, eu buscaria os princípios da verdade e comungaria com os outros, pois esse é o único jeito de cumprir bem o meu dever.

Depois disso, comecei a buscar como arranjar deveres de forma sensata com base no calibre e pontos fortes de todos. Encontrei estas palavras de Deus: “Você deve aproveitar ao máximo cada pessoa, tirando o máximo proveito de suas capacidades individuais e arranjando tarefas adequadas para elas de acordo com o que elas podem fazer, a qualidade de seu calibre, a sua idade e há quanto tempo acreditam em Deus. Você deve elaborar um plano personalizado para cada tipo de pessoa e variá-lo de pessoa para pessoa, para que elas possam cumprir seus deveres na casa de Deus e exercer suas funções da melhor maneira possível” (‘Qual o desempenho adequado do dever?’ em “As declarações de Cristo dos últimos dias”). “Algumas pessoas acreditam ser habilidosas na palavra escrita, por isso exigem categoricamente fazê-lo. É claro que a casa de Deus não permitirá que desanimem, a casa de Deus preza indivíduos talentosos, e quaisquer que sejam os dons ou habilidades que as pessoas tenham, a casa de Deus lhes dará espaço para usá-los, e assim a igreja arranja para que eles façam um trabalho literário. Mas após algum tempo, descobre-se que, na verdade, eles não possuem essa habilidade e que são incapazes de cumprir esse dever corretamente; eles são totalmente ineficazes. As suas competências e seu calibre os tornam totalmente incompetentes para esse trabalho. O que, então, deve ser feito em tais circunstâncias? É possível simplesmente aturá-los e dizer: ‘Você tem paixão e, embora não possua muito talento e seja de calibre mediano, contanto que esteja disposto e não seja avesso a trabalhar arduamente, a casa de Deus tolerará você e permitirá que você continue a cumprir esse dever. Não importa se não o cumprir bem. A casa de Deus fará vista grossa, e não há necessidade de substituir você’? Será esse o princípio pelo qual a casa de Deus trata de assuntos? Obviamente não. Em tais circunstâncias, normalmente, os deveres adequados são organizados para eles com base no seu calibre e pontos fortes; esse é um dos lados. Mas não basta depender apenas disso, porque, em muitos casos, nem mesmo as próprias pessoas sabem que dever elas estão aptas a cumprir, e mesmo que pensem que são boas nisso, isso pode não ser correto, e por isso devem experimentá-lo e ser treinadas durante um tempo; decidir com base em se são eficazes ou não é a coisa certa a fazer. Se um período de treinamento não tiver efeito e não houver progresso, isso significa que não há o menor valor em serem nutridas, e ajustes devem ser feitos nos deveres e um dever apropriado deve ser arranjado para elas. Reorganizar e ajustar os deveres das pessoas dessa forma é a coisa certa a fazer e está alinhado com os princípios” (‘Eles querem se retirar quando não há posição nem esperança de ganhar bênçãos’ em “Expondo os anticristos”). Na palavra de Deus, vi que a casa de Deus arranja deveres com base na humanidade, calibre e talentos de cada um, para que cada um possa dar o seu melhor e todos exerçam seu papel no lugar certo. Alguns fazem trabalho textual, mas, após serem cultivados por um tempo, ainda não há crescimento. Carecem de calibre e não estão à altura do trabalho, por isso não continuarão nesse papel. Em vez disso, um dever apropriado será arranjado com base em seu calibre, o que é benéfico para eles e para o trabalho da casa de Deus. Do ponto de vista dos princípios, embora a irmã Xu tivesse humanidade boa e suportasse um fardo em seu dever, seu calibre era baixo, então, embora fizesse trabalho textual havia anos, o progresso era lento, portanto, ela não era apta para o trabalho textual. Embora a irmã Xin acreditasse havia pouco tempo, ela entendia a verdade corretamente, era perspicaz, tinha bom calibre e gostava de escrever. Mesmo ainda não sendo qualificada para o trabalho, se ela fosse cultivada por um tempo, ela podia tornar-se competente. Quando aprendi os princípios para cultivar e usar pessoas, eu coloquei a irmã Xin no controle sobre o trabalho textual, transferi a irmã Xu para outro dever e, após um tempo, nosso trabalho textual melhorou aos poucos.

Mais tarde, vi que a irmã Wang, de outro grupo, escrevia bem, e achei que ela poderia ser cultivada para o trabalho textual, então a recomendei, mas minha parceira disse que ela era arrogante e hipócrita, tendia a constranger as pessoas e sempre obrigava os outros a ouvi-la, então ela era inapta. Quando ouvi isso, fiquei um pouco infeliz e pensei: “Sim, a irmã Wang era um pouco arrogante e tendia a constranger as pessoas, mas esse comportamento faz parte do passado. Agora, ela consegue aceitar poda e tratamento e mostrou alguma mudança. Acho que ela é bastante apta para o trabalho textual”. Assim, agarrei-me à minha opinião, mas então pensei: “O fato de minha colega dizer isso contém a vontade de Deus. Eu sempre usei pessoas com base em minha vontade, o que prejudicou o trabalho da casa de Deus. Agora, estou decidindo usar a irmã Wang sem buscar os princípios. Decidi diretamente. Ainda estou agindo arbitrariamente! Não posso mais me agarrar às minhas opiniões. Devo buscar a verdade nisso. O único jeito correto de determinar isso é de acordo com os princípios”. Mais tarde, li na palavra de Deus: “Outro tipo de pessoa que pode ser promovido e cultivado são aqueles que possuem talentos ou dons especiais e dominaram alguma especialidade ou habilidade. Qual é o padrão que a casa de Deus exige para nutrir pessoas assim a líderes de equipe? Em primeiro lugar, no que diz respeito à sua humanidade, elas só devem ser relativamente apaixonadas por coisas positivas; não devem ser pessoas perversas. Algumas pessoas talvez perguntem: ‘Por que elas não são obrigadas a ser alguém que ama a verdade?’. Porque os supervisores de equipe não são líderes nem obreiros, tampouco regam as pessoas. Exigir que eles satisfaçam o padrão de amar a verdade seria pedir demais e estaria fora do alcance da maioria das pessoas. Isso não é exigido das pessoas que fazem trabalho administrativo ou tarefas especializadas; se fosse, estaria fora do alcance da maioria delas, apenas algumas se qualificariam, por isso os padrões devem ser baixados. Contanto que as pessoas sejam competentes numa determinada área e capazes de assumir o trabalho e não cometam o mal nem causem qualquer interferência, então isso basta. Para essas pessoas, que são especialistas em algumas habilidades ou tarefas e têm uns pontos fortes, quando elas executam trabalho que exige alguma familiaridade com a habilidade e diz respeito à sua profissão na casa de Deus, elas só precisam ser relativamente honestas e íntegras, não devem ser perversas, não devem ser erradas ou absurdas em seu entendimento, devem ser capazes de suportar adversidade e estar dispostas a pagar um preço” (“Identificando falsos líderes”). A casa de Deus cultiva pessoas com habilidades especiais com base neste princípio: elas devem ter uma humanidade aceitável, um entendimento correto, tratar seus deveres com seriedade e amar coisas positivas. A irmã Wang tinha um caráter um tanto arrogante, mas, se o que os outros sugeriam era correto e alinhado com a verdade, ela conseguia aceitar. Ela tinha um talento para o trabalho textual, conseguia sofrer e pagar um preço em seu dever e conseguia proteger o trabalho da casa de Deus, portanto, estava alinhada com esse princípio. Mais tarde, usei o princípio para comungar sobre minhas opiniões com minha líder superior e vários parceiros e todos acharam que, embora o caráter da irmã Wang fosse arrogante, ela tinha uma humanidade aceitável, era responsável em seu dever e conseguia aceitar as sugestões dos outros, de modo que podia ser cultivada. Depois disso, arranjei para que a irmã Wang fizesse trabalho textual. Ela prezou a oportunidade e produziu bons resultados em seu novo dever. Vi que, quando buscamos a vontade de Deus em tudo e cumprimos nosso dever segundo os princípios da verdade, recebemos a orientação do Espírito Santo, e nosso coração fica à vontade. Graças a Deus!

O alarme dos últimos dias já tocou e grandes desastres já começaram. Você quer dar as boas-vindas ao retorno do Senhor e ter a chance de receber a proteção de Deus com sua família?

Conteúdo relacionado

Um fardo é bênção de Deus

Por Yongsui, Coreia do Sul Numa eleição recente da igreja, fui eleita como uma líder. Fiquei chocada quando ouvi isso e não ousei...

Conecte-se conosco no Messenger