Reflexões após eu me perder

01 de Agosto de 2022

Por Xinzhi, China

Um dia em agosto de 2019, minha líder enviou uma carta pedindo que eu buscasse uma irmã de fora da cidade. Vi que o endereço da irmã ficava dentro da área da igreja vizinha. Pensei: “Por que ela está sendo transferida para a nossa igreja? Por que não frequenta a mais próxima?”. Mas então pensei que nossa igreja precisava de gente para todos os tipos de trabalho, então decidi buscá-la e ver. Não importava qual era o dever dela, precisávamos de ajuda. Então vi que a carta dizia que o nome da irmã era Zhu Yun e, de repente, lembrei: “Conheci a irmã Zhu Yun alguns anos atrás. Ela tem quarenta e poucos anos de idade e aceita bem as coisas. Se for ela, ela poderá até tornar-se líder ou obreira na nossa igreja. Assim eu teria uma ajudante adicional”. Esse pensamento me deixou muito feliz. Não importava que ela morava longe, eu só queria trazê-la para a igreja imediatamente!

Usei o endereço na carta para achar a casa da irmã Zhu Yun e bati à porta, mas a pessoa que abriu era muito velha. Não era a Zhu Yun que eu lembrava. Eu disse rapidamente: “Perdão. Bati à porta errada!”. Eu dei meia-volta, mas ela me seguiu e perguntou: “Quem você está procurando?”. Disse que estava procurando Zhu Yun. Ela respondeu: “Sou eu”. Entrei na casa com ela. Quando conversamos, descobri que ela fora presa pelo Partido Comunista e passara mais de três anos na prisão. A polícia ainda estava monitorando ela, por isso não podia participar das reuniões em sua cidade. Ela não tivera escolha senão se mudar para a casa do filho para poder retomar a vida de igreja. Depois de ficar sabendo da situação dela, eu estava decepcionada. Pensei: “Se ela fosse a Zhu Yun que eu conhecia. Se ela se juntasse à igreja, eu teria uma ótima ajudante. Essa Zhu Yun tem um histórico de prisão, e a polícia ainda a monitora. Isso significa que ela não pode cumprir um dever na igreja. Nossa igreja já está sem mão de obra, e agora alguém terá que se reunir com ela pessoalmente. Se a polícia visar também os irmãos que tiverem contato com ela, as perdas serão terríveis! Não, não posso acolhê-la na nossa igreja. Quando voltar, escreverei à líder e pedirei que ela seja transferida para a igreja mais próxima”. Depois de me informar sobre a situação dela, eu me despedi. Eu não perguntei se ela tinha problemas ou dificuldades. Ela me perguntou com urgência: “Quando você voltará?”. Eu disse perfunctoriamente: “Espere aqui. Falarei com você depois de discutir algumas coisas”.

Enquanto voltava a pé, eu me lamentei: “A líder não sabe o que ela está fazendo. Zhu Yun está tão próximo da igreja vizinha. Por que ninguém daquela igreja foi buscá-la? É tão longe para nós. No futuro, perderemos tanto tempo para nos encontrar com ela…”. Fiquei reclamando no coração enquanto continuava seguindo para o norte, e enquanto caminhava, percebi que estava perdida. Quando pedi ajuda, descobri que tinha andado na direção oposta, para fora da cidade. Eu também me perguntei: “Eu já andei por esta estrada. Como pude me perder?”. Na época, não pensei muito sobre isso. Quando cheguei em casa, escrevi uma carta sugerindo que a líder transferisse Zhu Yun para a igreja mais próxima.

Nos dias depois de enviar a carta, eu sempre me sentia incomodada, como se algo estivesse errado. Não conseguia me acalmar quando lia a palavra de Deus, nem me concentrar em sermões ou comunhão. Percebi que eu podia ter feito algo contrário à vontade de Deus, então orei e busquei Deus, pedindo que Ele me esclarecesse e guiasse a me conhecer. Depois de orar, de repente me lembrei de que tinha me perdido naquele dia. Percebi que, quando se tratava de acolher Zhu Yun na igreja, eu só me importava com meus interesses. Se fosse bom para mim, eu o faria, caso contrário, eu resistiria, me recusaria e reclamaria. Eu não me importava nem um pouco com a vida de igreja da irmã. Só depois, após ler as palavras de Deus, ganhei algum entendimento do meu problema. As palavras de Deus dizem: “Assuntos relativos aos interesses de uma pessoa revelam-na acima de tudo. Os interesses estão intimamente ligados à vida de cada pessoa, e tudo aquilo com que uma pessoa entra em contato todos os dias envolve os seus interesses. Por exemplo, quando você diz algo ou fala sobre um assunto, que interesses estão envolvidos? Quando duas pessoas discutem algo, os interesses tocam em quem pode falar eloquentemente e quem não pode, bem como em qual pessoa é admirada e qual é menosprezada. […] Fora isso, em que toca a busca de interesses de uma pessoa? Quando as pessoas fazem as coisas, elas ficam constantemente medindo, pesando, ponderando e quebrando a cabeça sobre o que as beneficiará e o que não as beneficiará, o que reforçará os seus interesses ou pelo menos evitará danos aos seus interesses, o que lhes renderá as maiores honras e o melhor tratamento material, e o que as tornará o maior beneficiário de qualquer assunto” (‘Eles só cumprem seu dever para se distinguir e alimentar seus próprios interesses e ambições; eles nunca levam em consideração os interesses da casa de Deus e até traem esses interesses em troca de glória pessoal (parte 1)’ em “Expondo os anticristos”). “Até que as pessoas tenham experimentado a obra de Deus e compreendido a verdade, é a natureza de Satanás que assume o controle e as domina por dentro. O que, especificamente, essa natureza acarreta? Por exemplo, por que você é egoísta? Por que protege a própria posição? Por que você tem emoções tão fortes? Por que aprecia aquelas coisas injustas? Por que gosta daqueles males? Qual é a base para sua afeição por tais coisas? De onde vêm essas coisas? Por que você fica tão feliz em aceitá-las? A esta altura, vocês todos vieram a entender que a razão principal por trás de todas essas coisas é que o veneno de Satanás está dentro do homem. Então, qual é o veneno de Satanás? Como ele pode ser expressado? Por exemplo, se você pergunta: ‘Como as pessoas deveriam viver? Para que deveriam viver?’ as pessoas responderão: ‘É cada um por si e o diabo pega quem fica por último’. Esse simples provérbio expressa a raiz exata do problema. A filosofia e a lógica de Satanás se tornaram a vida das pessoas. Não importa o que as pessoas busquem, elas o fazem para si mesmas — e assim só vivem para si mesmas. ‘É cada um por si e o diabo pega quem fica por último’ — isso é a vida e a filosofia do homem e representa também a natureza humana. Essas palavras já se tornaram a natureza da humanidade corrupta, o retrato verdadeiro da natureza satânica da humanidade corrupta, e essa natureza satânica já se tornou a base para a existência da humanidade corrupta; durante vários milênios, a humanidade corrupta tem vivido segundo esse veneno de Satanás, até o dia atual” (‘Como trilhar a senda de Pedro’ em “As declarações de Cristo dos últimos dias”). A palavra de Deus revelou meu estado. Vi que eu era muito egoísta e desprezível. Em tudo, eu só pensava em meus interesses e só queria encontrar um jeito de me beneficiar. Não pensava em meus irmãos, muito menos no trabalho da igreja. Quando a líder pediu que eu buscasse a irmã Zhu Yun, eu achei que ela poderia trabalhar para a igreja e que eu teria outra ajudante para aliviar minha carga e tornar meu trabalho mais eficaz, o que melhoraria minha imagem, por isso estava ansiosa por trazê-la comigo. Mas quando vi que não era a irmã que eu conhecia e que ela era um risco de segurança, vi que ela não só não seria capaz de cumprir um dever, alguém também teria que se reunir com ela pessoalmente. Pensei que ela não só não aumentaria nossa produtividade nem melhoraria minha imagem, ela também representaria um risco para a nossa segurança. Eu me opus e reclamei que o arranjo da líder era insensato, por isso tentei empurrá-la para uma igreja vizinha. Vi que viver segundo o veneno satânico de “Cada um por si e o demônio pega quem fica por último” estava me deixando cada vez mais egoísta e desprezível. Eu só pensava em meus interesses e só me importava comigo mesma. Deus vê nosso coração. Como Deus poderia não detestar meus pensamentos? Quando pensei em como a irmã Zhu Yun tinha sido transferida para a igreja vizinha, senti que devia a ela e soube que devia praticar a palavra de Deus e deixar de considerar meus interesses.

Depois de um tempo, recebi outra carta da minha líder. Alguns irmãos estavam fugindo do Partido Comunista, e devíamos arranjar sua chegada na nossa igreja. Dessa vez, eu não devia considerar meus interesses. Não importava se eles cumpririam deveres, eu estava pronta para aceitá-los para que pudessem ter uma vida de igreja. Fui para os endereços que minha líder me deu, eu os acolhi na nossa igreja e fiz os arranjos necessários. Depois de praticar assim, me senti em paz e à vontade.

Mais tarde, a polícia também me monitorou, eu era um risco de segurança e não podia ter contato com os outros. Não podia participar das reuniões nem cumprir meus deveres. Foi um tempo muito difícil para mim. Sentia falta dos dias em que podia me reunir com meus irmãos e cumprir meus deveres. Ansiava por rever meus irmãos, comungar a verdade com eles e falar daquilo que estava no meu coração. Meu anseio pela vida de igreja e por meus irmãos me atormentava. Só então entendi como se sentiam os irmãos caçados pelo Partido Comunista quando não podiam ter uma vida de igreja nem ter contato com seus irmãos. Pensei na irmã Zhu Yun, que eu tinha repassado para a igreja vizinha. Na época, pensei que, já que ela não podia cumprir deveres, ela não ajudaria no trabalho da igreja. Mas não pensei no tormento e na dor em que ela devia estar, visto que tinha sido presa pelo Partido Comunista por mais de três anos e ainda estava sendo monitorada e não podia ter contato com seus irmãos nem levar uma vida de igreja. A fim de participar de reuniões, ela era obrigada a sair de sua cidade e vir até a nossa igreja. Ela fez isso para ter contato com os irmãos, mas eu a rejeitei sem nenhuma palavra de consolo nem um pingo de simpatia. Quanto mais pensava nisso, mais culpada me sentia. Por que eu era tão fria? Eu não tinha nenhuma humanidade!

Mais tarde, li palavras de Deus que revelam anticristos, que me ajudaram a ver meu problema com mais clareza. As palavras de Deus dizem: “As principais manifestações da astúcia e do veneno dos anticristos são que existe um objetivo em tudo que eles fazem. A primeira coisa em que eles pensam são seus interesses; e os seus métodos são desprezíveis, grosseiros, sórdidos, miseráveis e obscuros. Não há sinceridade na forma com que eles fazem as coisas e na forma com que tratam as pessoas e nos princípios pelos quais as tratam. A maneira com que tratam as pessoas é tirar vantagem delas e manipulá-las, e quando as pessoas já não têm valor útil para eles, eles as jogam fora. Se você tem valor e é útil para eles, eles fingem preocupar-se com você: ‘Como tem passado? Teve alguma dificuldade? Posso ajudá-lo a resolver as suas dificuldades. Diga-me se tiver algum problema. Estou aqui para você. Que sorte temos em ter uma relação tão boa!’. Eles parecem ser tão atenciosos. No entanto, se chegar o dia em que você não tiver mais valor nem utilidade para eles, eles o abandonarão, descartarão você e o tratarão como se nunca o tivessem conhecido. Quando você realmente tem um problema e procura a ajuda deles, a atitude deles muda subitamente, as palavras deles já não são tão bonitas como quando prometeram ajudá-lo pela primeira vez — e por que isso acontece? É porque você não tem valor e não é útil para eles, por isso eles param de lhe dar atenção. E isso não é tudo: se descobrirem que você fez algo errado ou algo de que possam se aproveitar, eles se tornam frios e cínicos com você e podem até condená-lo. Que tipo de modus operandi é esse? É uma manifestação de gentileza e sinceridade? Quando os anticristos manifestam esse tipo de astúcia e veneno no seu comportamento para com os outros, há algum vestígio de humanidade envolvida? Será que eles têm um pingo de sinceridade em relação às pessoas? De forma alguma. Tudo que fazem é para seu lucro, orgulho e reputação, para dar a si mesmos status e renome entre os outros. De todas as pessoas que encontram, se puderem aproveitar-se delas, eles o farão. Aqueles dos quais não podem se aproveitar, eles desdenham e não lhes dão atenção; mesmo que você faça o esforço de se aproximar deles, eles o ignoram, como se você fosse invisível para eles. Mas se chegar o dia em que eles precisarem de você, a atitude deles em relação a você mudará subitamente, e eles se tornarão, inexplicavelmente, muito atenciosos e amáveis. Por que a atitude deles em relação a você mudou? (Você tem valor e é útil.) É verdade: visto que você tem valor e é útil, a atitude deles muda” (‘Excurso Quatro: Resumindo a qualidade da humanidade de anticristos e a essência de seu caráter (parte 1)’ em “Expondo os anticristos”). Quando vi o que a palavra de Deus revela, me senti miserável e culpada. O tinha agido igual a um anticristo. Eu tinha um motivo em cada situação e só considerava meus interesses. Eu sempre calculava e usava as pessoas em minhas interações. Eu não tinha amor pelos meus irmãos, nenhuma honestidade nem bondade. A irmã Zhu Yun não estava tendo uma vida de igreja havia tanto tempo. Eu devia ter entendido sua situação e apoiado e ajudado ela com amor, arranjando reuniões para ela e deveres que ela pudesse cumprir o mais rápido possível. Mas eu estava preocupada com o risco de segurança que ela representava. Achava que acolhê-la na nossa igreja não ajudaria o trabalho da igreja e que teríamos que despender mais energia e pagar um preço para ajudá-la. No pior dos casos, ela representava um perigo para a segurança dos outros irmãos, o que afetaria o trabalho da igreja. Então, nem quis saber se ela poderia ter uma vida de igreja ou não e não fiz nenhuma pergunta sobre o estado ou as dificuldades dela. Só queria me livrar dela, não acolhê-la na nossa igreja. Eu era tão indiferente e egoísta. Eu não tinha nenhuma humanidade! Tive que me perguntar: “Eu não consegui pensar na minha irmã nem num assunto pequeno. Eu não tive amor nem compaixão por ela. Como, então, a ajuda que eu oferecia aos meus irmãos no passado, podia ser sincera?”. Por meio da reflexão, descobri que, muitas vezes, eu ajudava meus irmãos porque eu era a líder da igreja. Achava que, ao apoiá-los e garantindo que o estado de todos fosse normal, eu poderia alcançar resultados em meu dever e garantir que transmitia uma imagem boa. Só agora percebi que minhas ações não consideravam a vontade de Deus e que eu não estava cumprindo minha responsabilidade como líder. Em vez disso, estava protegendo meu status e reputação. Por fora, estava cumprindo meu dever, mas, na verdade, estava cuidando dos meus interesses sob o pretexto de cumprir meu dever, e usei os outros como degraus em minha busca por status e reputação. O que eu fazia enojava Deus e eu estava trilhando a senda da resistência a Deus. Se eu não tivesse experimentado a dor de perder a vida de igreja, eu nunca teria conhecido a dor e o sofrimento que os meus irmãos tinham sem as reuniões e a vida de igreja. Eu nunca teria reconhecido meu caráter de anticristo sinistro e cruel.

Mais tarde, li outra passagem da palavra de Deus. “O problema com a busca das pessoas por seus interesses é que os objetivos que elas buscam são os objetivos de Satanás — são objetivos perversos e injustos. Quando as pessoas buscam interesses pessoais tais como prestígio e status, elas involuntariamente se tornam uma ferramenta de Satanás, se tornam um canal para Satanás e, além disso, se tornam uma personificação de Satanás. Elas exercem um papel negativo na igreja; no que diz respeito ao trabalho da igreja, à vida normal de igreja e à busca normal do povo escolhido de Deus, o efeito que elas têm é perturbar e prejudicar; elas têm um efeito negativo” (‘Eles só cumprem seu dever para se distinguir e alimentar seus próprios interesses e ambições; eles nunca levam em consideração os interesses da casa de Deus e até traem esses interesses em troca de glória pessoal (parte 1)’ em “Expondo os anticristos”). Essa revelação das palavras de Deus me fez perceber que, se cumprirmos nosso dever sem praticar a verdade e protegermos nosso status e reputação, por maior que seja o preço que pagamos, sempre exerceremos um papel negativo na igreja e seremos um escoadouro para Satanás. Sempre só causaremos perturbação e interrupção no trabalho da igreja e prejudicaremos a entrada na vida dos nossos irmãos. Pensei em minha irmã, que foi obrigada a sair de sua cidade só para participar da vida de igreja. Ela acreditava em Deus e ansiava pela palavra de Deus. Se eu tivesse um pingo de humanidade, eu não a teria tratado desse jeito. Eu era uma líder de igreja, mas quando a irmã Zhu Yun estava com problemas, eu não a ajudei, com indiferença e crueldade, tentei repassá-la para outra igreja. Quanto mais refletia sobre o que eu tinha feito, mais eu me odiava. Senti que devia à minha irmã e que devia ainda mais a Deus. Vim para diante de Deus e orei: “Deus! Eu só considero meus interesses quando faço as coisas e não tenho amor pelos meus irmãos. Sou tão egoísta e cruel! Deus! Quero me arrepender…”.

Mais tarde, quando li a palavra de Deus, vi a provisão altruísta e o cuidado de Deus com a humanidade e senti uma vergonha ainda maior do meu egoísmo e crueldade. As palavras de Deus dizem: “Independentemente de quanto da palavra de Deus você tenha ouvido, quanto da verdade você é capaz de aceitar e compreendeu, quanta realidade você viveu ou quanto resultado obteve, existe um fato que você deve entender: a verdade, o caminho e a vida de Deus são concedidos gratuitamente a toda e qualquer pessoa, e isso é justo para toda e qualquer pessoa. Deus nunca favorecerá uma pessoa em detrimento de outra por causa do tempo que acreditou em Deus ou por quanto tempo sofreu, e nunca favorecerá nem abençoará uma pessoa por causa do tempo em que acreditou em Deus ou por causa de quanto sofreu. Nem tratará alguém de forma diferente por causa de idade, aparência, gênero, histórico familiar etc. Toda e qualquer pessoa obtém o mesmo de Deus. Ele não faz ninguém obter menos, nem faz ninguém obter muito mais. Deus é imparcial e justo com toda e qualquer pessoa. Ele provê ao homem em tempo e em proporção, não o deixando passar fome, frio ou sede, e Ele satisfaz todas as necessidades do coração do homem. Quando Deus faz essas coisas, o que Deus exige das pessoas? Deus dá essas coisas às pessoas, portanto Deus tem egoísmo? (Não.) Deus não tem egoísmo. As palavras e a obra de Deus são todas para o bem da humanidade e pretendem resolver todas as adversidades e dificuldades da humanidade, para que a humanidade possa obter vida real de Deus. Isso é um fato” (‘O homem é o maior beneficiário do plano de gerenciamento de Deus’ em “As declarações de Cristo dos últimos dias”). Seus provê para todos com altruísmo. Ele opera em cada um de nós e nunca espera nada em troca, só espera que busquemos a verdade, mudemos nosso caráter e vivamos uma semelhança humana. Mas a forma como eu tratava meus irmãos se baseava em se eles eram úteis. Se eram úteis, eu estava disposta a pagar um preço. Caso contrário, não lhes dava atenção. Não queria me importar se não havia benefício. Eu era egoísta e desprezível. O Senhor Jesus disse: “Em verdade vos digo que, sempre que o fizestes a um destes Meus irmãos, mesmo dos mais pequeninos, a Mim o fizestes” (Mateus 25:40). Sim. Até os irmãos menos notáveis na igreja devem receber ajuda, contanto que realmente acreditem em Deus e não forem malfeitores, anticristos ou descrentes. Ajudá-los com amor significa considerar a vontade de Deus e tem a aprovação Dele. Especialmente aqueles irmãos que são caçados e procurados pelo Partido Comunista, que não podem voltar para casa, devemos tratá-los bem e garantir que estejam seguros. Isso é uma obra ainda melhor. A atitude de uma pessoa em relação aos seus irmãos mostra sua humanidade. Senti um remorso profundo. Se tivesse outra chance de cumprir meu dever, eu não devia mais ser tão egoísta e desprezível nem considerar meus interesses ao interagir com meus irmãos. Devia fazer o melhor que podia para ajudar meus irmãos e ser alguém que possui humanidade e razão.

Em janeiro deste ano, finalmente comecei outro dever. Meu líder arranjou que eu apoiasse uma irmã que era um risco de segurança. Pensei: “Depois de tudo que passei, finalmente tenho um dever. Se eu tiver contato com essa irmã, o que acontecerá se eu for implicada?”. A essa altura, percebi que eu não estava no estado correto e rapidamente vim para diante de Deus e orei para que pudesse renunciar a mim mesma, dizendo que queria fazer o meu melhor para ajudar a irmã. Quando me reuni e comunguei a palavra de Deus com ela, ela gradativamente reverteu seu estado negativo e quis escrever um artigo testificando de Deus. Quando fiz o que pude para ajudar minha irmã, me senti em paz.

No passado, eu achava que conseguia resistir a adversidades, que trabalhava muito no meu dever, que tinha boa humanidade e que tinha amor pelos meus irmãos. Por meio dos fatos e do julgamento e da revelação da palavra de Deus, finalmente vi que eu só buscava ganhar. Eu era egoísta, indiferente e meu coração não tinha honestidade nem bondade. Satanás me corrompeu a ponto de me tornar desumana! O julgamento e a revelação da palavra de Deus me mostraram como devo tratar meus irmãos com humanidade e razão. Isso me ajudou a conviver com os outros sem sempre buscar meus interesses e a ser sincera apoiando e ajudando meus irmãos. Graças a Deus!

O alarme dos últimos dias já tocou e grandes desastres já começaram. Você quer dar as boas-vindas ao retorno do Senhor e ter a chance de receber a proteção de Deus com sua família?

Conteúdo relacionado

Finalmente livre de equívocos

Por Youxin, Coreia do Sul Há alguns anos, eu fazia vídeos na igreja. Houve um tempo em que eu não cumpria bem o meu dever, e dois vídeos...

Os grilhões da fama e do ganho

Por Jieli, EspanhaEm 2015, fui escolhido como um dos líderes da igreja na eleição anual. Eu estava muito animado, pensando que ser eleito...

Conecte-se conosco no Messenger