Reflexões após a escolha do líder errado

13 de Junho de 2022

Por Xiangxun, China

Em outubro passado, quando eu e outros obreiros estávamos investigando o trabalho de várias igrejas, descobrimos que, entre outros, os trabalhos evangelístico e de rega da igreja de Chengnan estavam paralisados. Fiquei muito surpresa. Pensei: “A irmã Li foi transferida para lá como líder de igreja dois meses atrás. Por que o trabalho não melhorou?”. Então, minha parceira, a irmã Xu, foi para lá para se informar e resolver problemas. Alguns dias depois, a irmã Xu escreveu: “A irmã Li tem buscado fama e status por mais de dois meses. Ela busca o sucesso rápido em seu dever. Quando vê que algum trabalho não é eficiente, em vez de comungar sobre a verdade para resolver problemas e ajudar os outros, ela lida com eles e os repreende, dizendo que eles têm calibre baixo e são irresponsáveis nos deveres. Ela não supervisiona nenhum trabalho da igreja na prática, o que significa que muitas áreas da igreja ficaram paralisadas”. Depois de ler a carta, fiquei chocada e pensei: “Quando a irmã Li liderava outras igrejas, ela buscava imagem e status. Só pensava em como os outros a viam, ficava negativa quando os outros não a admiravam e se distraía de seu dever, de modo que muitos problemas nas igrejas não eram resolvidos. Comungamos e tentamos ajudá-la com esse problema muitas vezes e também a expomos por trilhar a senda do anticristo de buscar fama e status. Ela admitiu isso na época e se mostrou disposta a se arrepender e, mais tarde, conseguiu fazer seu trabalho com alguns planos e objetivos. Por que o problema voltou após ser transferida para a igreja de Chengnan?”. Foi quando me lembrei de que a irmã Li havia sido dispensada duas vezes de uma posição de liderança, ambas as vezes por buscar fama e status e não fazer trabalho prático. Embora tivesse algum autoconhecimento e expressasse o desejo de se arrepender, agora, ela ainda buscava essas coisas. Ela não tinha se arrependido nem mudado. Lembrei-me de “Os princípios para identificar falsos líderes e obreiros”: “Todos os que trabalham apenas por status, reputação e ganho, que não buscam a verdade e que não possuem a verdade-realidade são falsos líderes e obreiros” (“170 princípios para praticar a verdade”). Em vista do comportamento consistente da irmã Li, ela parecia ser uma falsa líder que só buscava fama e status e não fazia trabalho prático.

Mas, dessa vez, eu tinha recomendado a irmã Li. Na época, ela expressou algum entendimento de sua busca de fama e status e de não fazer trabalho prático, então achei que ela aceitaria a verdade e se arrependeria. Além disso, ela era eloquente e competente no trabalho, então a recomendei. Agora, se ela fosse dispensada por ser uma falsa líder, todos diriam que eu escolhia pessoas sem princípios e que, a despeito de ser uma líder há muitos anos, eu não conseguia diferenciar entre autoconhecimento genuíno e conhecimento hipócrita. Meus obreiros também pensariam que eu não tinha realidades da verdade nem sabia discernir as pessoas, pois tinha recomendado alguém que, como líder, não buscava a verdade. Por isso, será que eu perderia minha boa imagem no coração dos meus irmãos? Quando pensei nisso, não quis encarar os fatos. Eu esperava que a irmã Xu pudesse ajudar a irmã Li a reverter o estado dela. Assim, ela não seria dispensada e meu status e imagem seriam preservados. Então discuti isso com meus obreiros e sugeri que a irmã Xu ajudasse a irmã Li. Se a irmã Li conseguisse mudar o seu estado, ela ainda poderia fazer trabalho real, e meus obreiros concordaram. Depois disso, eu ficava esperando ansiosa a resposta da irmã Xu, perguntando-me se o estado da irmã Li tinha mudado. Eu estava muito nervosa e preocupada. Temia que, se ela fosse dispensada por não mudar seu estado, isso prejudicaria minha imagem. Alguns dias depois, a irmã Xu respondeu: “A irmã Li está na igreja de Chengnan há dois meses. Ela só exige progresso nas tarefas e não comunga sobre a verdade para resolver problemas. Ela não faz nenhum trabalho prático. Como resultado, os problemas dos irmãos permanecem irresolvidos”. Ela disse que comungou e ajudou a irmã Li com o problema dela muitas vezes, mas a irmã Li continuava preocupada com status, imagem e como os outros a viam. Ela não tinha nenhuma atitude de arrependimento. Depois de ler a carta, entrei em pânico. Em vista do comportamento da irmã Li, ela era uma falsa líder que só buscava fama e status sem fazer trabalho prático e deveria ser substituída. Mas quando estava prestes a conversar com meus obreiros, eu engoli as palavras. Pensei: “Eu escolhi a irmã Li. Na época, eu disse aos obreiros que, embora a irmã Li tivesse sido dispensada no passado, ela tinha algum autoconhecimento e era alguém que buscava a verdade. Só então meus obreiros concordaram em escolher a irmã Li. Se eu lhes disser agora que ela é uma falsa líder, que ela não busca a verdade e deve ser dispensada, eu não passarei uma impressão ruim? Além disso, já que careço de discernimento e escolhi alguém que não busca a verdade como líder, causando danos sérios ao trabalho da igreja, meus obreiros não pensarão que eu também sou uma falsa líder que não consegue fazer trabalho real? Se me dispensarem, isso será muito vergonhoso. Acredito em Deus há anos e, no fim, eu me torno uma falsa líder e sou dispensada”. Quando pensei isso, me senti péssima, por isso não quis sugerir a dispensa da irmã Li. Mas se eu não dissesse nada, me sentiria culpada. Se um falso líder governa por um dia, o trabalho da casa de Deus é prejudicado, e eu não estava defendendo os interesses da casa de Deus. Continuei brigando comigo mesma se deveria falar ou não. Atormentada, orei a Deus: “Deus, careço de discernimento. Ter recomendado a irmã Li como líder causou tanto dano ao trabalho da casa de Deus. Agora sei que a irmã Li é uma falsa líder, mas quero manter meu status e imagem, por isso não quero dizer nada. Deus, por favor, guia-me a praticar a verdade e proteger o trabalho da casa de Deus”. Durante meus devocionais no dia seguinte, li esta passagem da palavra de Deus. “Como líderes e obreiros, quando ocorrem problemas enquanto vocês cumprem o seu dever, vocês são suscetíveis a ignorá-los e podem até mesmo procurar vários pretextos e desculpas para se esquivar da responsabilidade. Há alguns problemas que vocês são capazes de resolver, mas não resolvem, e os problemas que vocês não são capazes de resolver vocês não relatam aos seus superiores, como se eles não tivessem nada a ver com vocês. Isso não é abandono do seu dever? Tratar o trabalho da igreja desse jeito uma coisa esperta ou tola a se fazer? (Tola.) Tais líderes e obreiros não são cobras? Não carecem de qualquer senso de responsabilidade? Quando ignoram os problemas à sua frente, isso não mostra que são desumanos e traiçoeiros? As pessoas traiçoeiras são as pessoas mais tolas de todas. Você deve ser uma pessoa honesta, deve ter um senso de responsabilidade quando enfrenta problemas e deve encontrar formas de buscar a verdade para resolver problemas. Não seja uma pessoa traiçoeira. Se você se esquivar da responsabilidade e rejeitar qualquer envolvimento quando surgem problemas, até os incrédulos o condenarão. Você acha que a casa de Deus não o fará? O povo escolhido de Deus despreza e rejeita tal comportamento. Deus ama pessoas honestas, mas Ele odeia pessoas enganadoras e astutas. Se você agir como uma pessoa traiçoeira e tentar enganar, será que Deus não odiará você? Será que a casa de Deus simplesmente permitirá que você se safe? Mais cedo ou mais tarde, você será responsabilizado. Deus gosta de pessoas honestas e não gosta de pessoas traiçoeiras. Todos devem entender isso claramente e deixar de ser confusos e de fazer coisas tolas. A ignorância momentânea é compreensível, mas a recusa de aceitar a verdade é uma recusa obstinada de mudar. Pessoas honestas conseguem assumir responsabilidade. Não consideram os seus próprios ganhos e perdas, mas protegem o trabalho e os interesses da casa de Deus. Têm um coração bondoso e honesto que é como uma tigela de água clara que permite ver o fundo com um único olhar. Há também transparência nas suas ações. Uma pessoa enganosa sempre trapaceia, sempre disfarça as coisas, encobre-se e se disfarça tão bem que ninguém consegue perceber como realmente ela é. As pessoas não conseguem perceber seus pensamentos íntimos, mas Deus consegue ver as coisas mais profundas no seu coração. Se Deus ver que você não é uma pessoa honesta, que é astuto, que nunca aceita a verdade, que está sempre tentando enganá-Lo e que não entrega seu coração a Ele, então Deus não o amará, Ele odiará e abandonará você” (“Identificando falsos líderes”). Depois de ler as palavras de Deus, entendi que Deus gosta daqueles que são simples e honestos e que têm a coragem de admitir erros e corrigi-los. Se cometemos erros em nosso dever, e tentamos nos proteger, não ousamos admiti-los e inventamos desculpas para encobri-los, somos uma pessoa astuta, alguém que Deus odeia. Percebi que eu era uma vilã astuta desse tipo. Eu carecia de discernimento, por isso escolhi alguém que não buscava a verdade como líder, causando dano enorme ao trabalho da casa de Deus. Isso já era uma transgressão e eu devia ter compensado, mas, a fim de manter minha imagem no coração dos meus irmãos, sabendo que, a cada dia que um falso líder governa, o trabalho da igreja sofre, eu não dispensei a falsa líder para proteger os interesses da família de Deus. Cometi erro após erro e quis encobri-los deliberadamente. Me senti tão culpada. Deus nos proveu com tanta verdade, e a casa de Deus me cultivou por tantos anos, mas, a fim de me proteger e evitar responsabilidade, eu assistia a uma falsa líder interrompendo o trabalho da casa de Deus. Eu era egoísta, desprezível e enganosa demais para ser chamada um ser humano. Com isso em mente, eu me reuni às pressas com meus obreiros e lhes disse: “A irmã Li só se importa em buscar fama e status e não faz trabalho prático. Ela está afetando o trabalho, é uma falsa líder e deve ser dispensada imediatamente”. Depois da comunhão, os obreiros também confirmaram que a irmã Li era uma falsa líder, e logo ela foi substituída.

Depois, eu me abri com meus obreiros sobre o que eu tinha exposto e aprendido dessa vez. Eles não me culparam por escolher a pessoa errada, e resumimos nossos desvios e erros na seleção de pessoas. Por meio daquela comunhão, vi que eu tinha escolhido a pessoa errada daquela vez, principalmente porque não pude discernir autoconhecimento verdadeiro nem pessoas que realmente buscam e amam a verdade. Mais tarde, li partes da palavra de Deus que tratam disso e que me ajudaram a entender melhor. As palavras de Deus dizem: “Como distinguir se uma pessoa ama a verdade? Por um lado, é preciso ver se essa pessoa pode vir a conhecer a si mesma com base na palavra de Deus. Se ela pode conhecer a si mesma por meio da palavra de Deus, ela é uma pessoa que ama a verdade. Por outro lado, é preciso ver se ela consegue aceitar e praticar a verdade. Se consegue praticar a verdade, ela é alguém que consegue obedecer à obra de Deus. Se ela apenas reconhece a verdade, mas nunca a aceita nem pratica, como dizem algumas pessoas: ‘Entendo toda a verdade, mas não consigo praticá-la’, isso prova que não é alguém que ama a verdade. Algumas pessoas admitem que a palavra de Deus é a verdade e que elas têm caracteres corruptos e também dizem que estão dispostas a se arrepender e a transformar-se, mas, depois disso, não há mudança alguma. Suas palavras e ações continuam a ser as mesmas de antes. Quando falam em conhecer a si mesmas, é como se estivessem contando uma piada ou gritando um slogan. Não estão expondo sua enganação do fundo do coração com uma atitude de ódio e repugnância ou com uma atitude de arrependimento e conhecimento. Em vez disso, envolvem-se em formalidades e fingem que se abrem. Essa não é uma pessoa que aceita genuinamente a verdade. Quando tais pessoas falam em conhecer a si mesmas, estão agindo sem se envolver e fingindo ser espirituais. Elas pensam: ‘Todos os outros se abrem e analisam a sua enganação. Se eu não disser nada, passarei vergonha, por isso é melhor agir sem me envolver’. Depois disso, descrevem sua enganação como algo muito sério e a ilustram de forma dramática, e seu autoconhecimento parece especialmente profundo. Todos que ouvem isso acham que elas realmente conhecem a si mesmas e então olham para elas com inveja, o que, por sua vez, as leva a crer que são gloriosas, como se tivessem acabado de se adornar com uma auréola. Essa forma de autoconhecimento alcançado por meio de um agir sem se envolver, juntamente com o disfarce e a enganação, engana totalmente os outros. Sua consciência pode estar tranquila quando fazem isso? Isso não é uma enganação gritante? […] Quando faz isso, ele não se sente culpado, sua consciência não fica inquieta depois de enganar e se disfarçar, ele não sente nada depois de se revoltar e enganar a Deus, e não ora a Deus para admitir seu erro. Pessoas como essa não são insensíveis? Se não se sentem culpadas, alguma vez poderão sentir remorso? Alguém que não sente remorso poderá alguma vez arrepender-se? Uma pessoa com um coração impenitente consegue trair os interesses da carne para praticar a verdade? Não. Sem nem mesmo o desejo de se arrepender, não é absurdo falar em autoconhecimento? Isso não é apenas disfarce, enganação?” (‘Apenas conhecendo a si mesmo você pode buscar a verdade’ em “As declarações de Cristo dos últimos dias”). “Como você pode discernir se alguém busca a verdade? Como pode avaliar se alguém é uma pessoa que busca a verdade? Suponha que existe uma pessoa que acredita em Deus há sete ou oito anos. Ela pode ser capaz de falar muitas palavras de doutrinas, a sua boca pode estar cheia de vocabulário espiritual, ela pode ajudar os outros com frequência, pode parecer muito entusiasta, pode ser capaz de renunciar às coisas, e pode desempenhar as suas funções com grande vigor. No entanto, não é capaz de praticar muita verdade, não discute experiências reais de entrada na vida, e muito menos tem uma mudança no caráter de vida. Pode dizer-se com certeza que alguém assim não busca a verdade. Se alguém realmente ama a verdade, após experimentar coisas por um tempo, ele será capaz de falar sobre o seu entendimento, pelo menos será capaz de agir de acordo com princípios em algumas coisas; terá alguma experiência de entrada na vida e, no mínimo, mostrará algumas mudanças no comportamento. Aqueles que buscam a verdade têm um estado espiritual que melhora constantemente, a sua fé em Deus aumenta gradualmente, eles têm certo entendimento daquilo que expõem e dos seus caracteres corruptos, e têm experiência pessoal e uma percepção genuína de como Deus opera para salvar as pessoas. Todas essas coisas se tornam gradualmente elevadas neles. Quando você vê essas manifestações numa pessoa, você pode ter certeza de que se trata de alguém que busca a verdade” (‘O que é a realidade da verdade?’ em “As declarações de Cristo dos últimos dias”).

Aprendi com a palavra de Deus que, para avaliar se uma pessoa busca a verdade, não podemos ver só o que ela diz. O que importa é se ela consegue aceitar e praticar a verdade e se ela pode alcançar arrependimento e mudança genuínos depois de um tempo. Quando pessoas que buscam a verdade sofrem fracassos e contratempos, elas conseguem aceitar o julgamento da palavra de Deus e, por meio dela, refletir sobre si mesmas e analisar e expor seus motivos de fazer as coisas, desenvolver ódio genuíno de seus caracteres corruptos em seu coração e sentir remorso real de suas transgressões, de modo que, quando isso acontece de novo, elas renunciam a si mesmas e praticam a verdade. Com o passar do tempo, crescem na vida e veem alguma mudança em seus caracteres corruptos. Comparando isso com o comportamento da irmã Li, ela parecia ser honesta por fora. Quando era tratada, lembrada e substituída, ela acenava com a cabeça e admitia, dizendo que ela buscava status, não protegia o trabalho da casa de Deus, carecia de humanidade e esperava ganhar entrada na vida. Mais tarde, porém, assim que seu status e reputação eram afetados, ela não renunciava a si mesma nem praticava a verdade e até repreendia os irmãos, o que prejudicava o trabalho da casa de Deus. Ela nunca refletia sobre si mesma e permanecia passiva. Vi que ela não tinha conceito da natureza corrupta dela nem da fonte de seu fracasso, e também não tinha arrependimento genuíno. O entendimento do qual falava eram palavras copiadas, uma ilusão para confundir. Se alguém realmente busca a verdade e tem humanidade, quando vê que causou grande dano ao trabalho da igreja, ele se sente culpado, odeia a si mesmo e não considera mais os interesses pessoais. Pensa em como compensar transgressões, fazer trabalho prático e impedir mais danos ao trabalho da casa de Deus. Eu não vi nada disso na irmã Li. Esse fato mostrava que ela não aceitava nem buscava a verdade. Ao escolhê-la, eu não a avaliei de acordo com os princípios da verdade. Tinha usado minhas ideias e noções. Eu só olhei para as boas obras externas e o entendimento doutrinal dela e supus que ela tinha alcançado alguma mudança. O resultado foi que eu escolhi e usei a pessoa errada, o que prejudicou o trabalho da igreja e a vida dos irmãos. Essas eram as consequências de eu não ter buscado os princípios da verdade.

Mais tarde, refleti sobre mim mesma. Discerni claramente que ela era uma falsa líder e percebi que eu tinha escolhido a pessoa errada, por que, então, quis encobrir as coisas e dar uma chance a ela? Depois, li uma passagem das palavras de Deus e ganhei algum entendimento disso. “Não importa quantas coisas erradas um anticristo faça, não importa que tipo de coisas erradas faça, seja fraudando, desperdiçando ou fazendo mau uso das ofertas de Deus, interrompendo e perturbando o trabalho da casa de Deus ou estragando o trabalho da igreja e provocando a ira de Deus, ele sempre permanece calmo, concentrado e despreocupado. Não importa o tipo de mal que um anticristo faça ou as consequências que isso provoque, ele nunca se apresenta diante de Deus para confessar seus pecados e se arrepender o mais depressa possível, e nunca se apresenta diante dos irmãos com uma atitude de se desnudar e se abrir para admitir seus malfeitos, conhecer suas transgressões, reconhecer sua corrupção e se arrepender dos seus atos malignos. Em vez disso, ele quebra a cabeça para encontrar várias desculpas para se esquivar da responsabilidade e jogar a culpa para cima dos outros, a fim de restaurar status e reputação. O que o interessa não é o trabalho da igreja, mas se seu status e sua reputação são danificados ou afetados. Ele não considera nem pensa em formas de compensar as perdas causadas à casa de Deus devido às suas transgressões, nem tenta quitar sua dívida com Deus. Ou seja, ele nunca admite que é capaz de fazer algo errado ou que cometeu um erro. No coração dos anticristos, admitir erros proativamente e fornecer um relato honesto dos fatos é tolice e incompetência. Se os seus atos malignos forem descobertos e expostos, os anticristos apenas admitirão um erro, um descuido momentâneo, mas jamais que eles abandonaram o dever ou que foram irresponsáveis, e tentarão empurrar a responsabilidade para cima de outra pessoa para remover a mancha de seu histórico. Em momentos como esses, os anticristos não estão preocupados com como reparar os danos causados à casa de Deus, com como se abrir ao povo escolhido de Deus para admitir seus erros ou com como relatar o que aconteceu. Estão preocupados com encontrar formas de fazer com que os grandes problemas pareçam pequenos e que os pequenos problemas não pareçam problemáticos. Eles apresentam razões objetivas para que os outros os compreendam e simpatizem com eles. Tentam ao máximo restaurar sua reputação aos olhos dos outros, minimizar a influência negativa das suas transgressões sobre si mesmos e assegurar que o Alto nunca tenha uma má impressão deles, para que nunca sejam responsabilizados, dispensados ou acusados pelo Alto. A fim de restaurar status e reputação, para que seus interesses não sejam prejudicados, os anticristos estão dispostos a suportar qualquer quantidade de sofrimento e farão de tudo para resolver qualquer dificuldade. Desde o início da sua transgressão ou erro, os anticristos não têm a menor intenção de assumir responsabilidade pelas coisas erradas que fazem, nunca têm intenção de reconhecer, comungar, expor ou analisar os motivos, intenções e caracteres corruptos por trás das coisas erradas que fazem, e certamente nunca têm a menor intenção de compensar os danos que causam ao trabalho da igreja e os danos que causam à entrada na vida do povo escolhido de Deus. Portanto, independentemente da perspectiva a partir da qual você vê a questão, os anticristos são pessoas que nunca admitem suas transgressões e nunca se arrependem. Os anticristos são descarados, têm pele grossa para além de qualquer esperança de redenção, e não passam de satanases de carne e osso” (‘Eles não aceitam tratamento e poda nem têm uma atitude de arrependimento quando cometem algum erro; em vez disso, espalham noções e julgam Deus publicamente’ em “Expondo os anticristos”). A palavra de Deus revelava que anticristos nunca admitem quando cometem erros nem confessam a Deus nem se arrependem. Em vez disso, pensam em como manter e restaurar a imagem deles no coração dos outros e em como fortalecer a própria posição. Vi que minha conduta era igual à de um anticristo. Numa tarefa tão importante como escolher pessoas, eu não busquei a verdade e escolhi uma falsa líder, prejudicando assim o trabalho da casa de Deus e a entrada na vida dos irmãos. Eu tinha transgredido e devia ter me arrependido diante de Deus, dispensado a irmã Li e escolhido a pessoa certa para compensar meus erros e deficiências. Mas eu temia que, se eu contasse aos obreiros a verdade sobre os problemas da irmã Li, eles veriam que eu tinha calibre baixo, nenhuma verdade e não conseguia fazer trabalho prático e então me dispensariam. Para manter meu status e imagem, eu me disfarcei, não ousei admitir meus erros e deficiências e encobri meus erros com outros erros na esperança de que minha parceira conseguiria ajudar a irmã Li a mudar. Assim, ela não seria dispensada, e meu status e imagem seriam preservados. Para satisfazer meus interesses, eu não considerei os interesses da casa de Deus e satisfiz e encobri uma falsa líder. Em essência, agi como cúmplice de Satanás para interromper e arruinar o trabalho da casa de Deus. Isso ofendeu seriamente o caráter de Deus! Pensando nisso, senti culpa e remorso. Era pela exaltação excepcional de Deus que eu tinha um dever tão importante na casa Dele, mas eu não retribuí a graça de Deus. Considerei meus interesses num momento crucial e ignorei os da casa de Deus. Isso não era a manifestação de um falso líder e anticristo? Pensei em como os anticristos fazem coisas só por interesse e ganho pessoal e não consideram os interesses da casa de Deus. Eu estava trilhando a senda do anticristo. Se não me arrependesse, eu seria revelada e eliminada, assim como os anticristos.

Mais tarde, refleti: dei a essa falsa líder chance após chance porque tive outra opinião equivocada, que era que, se eu comungasse mais com ela, ela acabaria mudando. Depois, li uma passagem das palavras de Deus e ganhei algum discernimento desse equívoco. As palavras de Deus dizem: “Para um falso líder, quando há má conduta, não importa quem o faça, uma vez que o falso líder lida superficialmente com o perpetrador e oferece alguns lembretes e alguma exortação, ele acredita que o trabalho está feito e que ele resolveu o problema, mas isso é puramente a lógica de Satanás. Obviamente, os falsos líderes não conseguem expulsar prontamente os incrédulos, os malfeitores e os anticristos, mas protestam: ‘Eu comunguei sobre a palavra de Deus com eles, todos eles reconheceram o que fizeram e sentiram remorso, e todos eles choraram e disseram que definitivamente se arrependeriam e que deixariam de tentar estabelecer o próprio reino’. Isso não é igual a uma criança que brinca de casinha? Eles não estão apenas enganando a si mesmos? Todos esses incrédulos, malfeitores e anticristos são pessoas que estão cansadas da verdade. Nenhum deles aceita a verdade, e eles não são os alvos da salvação de Deus, mas os falsos líderes tratam esses incrédulos, malfeitores e anticristos, que Deus odeia e despreza, como pessoas escolhidas de Deus e tentam ajudá-los amorosamente. Qual é a essência do problema aqui? São a tolice e a ignorância que os impedem de ver claramente essas pessoas, ou estão tentando agradar-lhes por medo de ofendê-los? Não importa a razão, o que mais importa é que os falsos líderes não fazem trabalho prático, não aceitam a verdade quando podados e tratados, e não admitem os seus erros. Isso basta para mostrar que os falsos líderes não possuem a menor realidade da verdade. Eles não trabalham de acordo com os arranjos de trabalho da casa de Deus e, principalmente no que diz respeito ao trabalho de expulsar as pessoas da igreja, eles tentam improvisar. Eles apenas agem sem se envolver, expulsando uns malfeitores óbvios. Quando expostos e tratados, eles até encontram várias desculpas para se esquivar da responsabilidade e se defendem. Portanto, um falso líder que não faz nenhum trabalho prático é uma pedra de tropeço que impede que a vontade de Deus seja executada. As coisas que os falsos líderes fazem são inúteis e sem sentido. Eles nunca resolvem os vários problemas que surgem na igreja, eles simplesmente os evitam, o que não só atrasa o progresso normal do trabalho da casa de Deus, como também afeta a entrada na vida do povo escolhido de Deus. Em termos inequívocos, os falsos líderes interrompem e perturbam o trabalho da casa de Deus e agem como guarda-chuvas protetores para os incrédulos, malfeitores e anticristos. No momento crítico da guerra espiritual, eles ficam do lado de Satanás para resistir e enganar a Deus. Isso não é uma manifestação de traição a Deus? Do ponto de vista dos falsos líderes, é evidente que eles não são pessoas que buscam a verdade. Não entendem nada da verdade e são completamente desqualificados para fazer o trabalho de liderança” (“Identificando falsos líderes”). Quando refleti sobre as palavras de Deus, fiquei envergonhada. Eu acreditava que todos podiam mudar, contanto que eu comungasse com eles sobre a verdade e eles dissessem que a aceitavam e admitissem o erro. Eu não via as pessoas de acordo com a essência delas. Eu era cega de olho e coração. Quando conheci a irmã Li, eu expus e analisei a natureza da busca dela por status e a senda que ela trilhava. Quando a ouvi expressar algum entendimento e disposição de se arrepender, achei que minha comunhão tinha alcançado resultados e que ela mudaria, então a promovi a uma posição de líder. Depois de um tempo, a irmã Li voltou a se preocupar com status e imagem e não fez trabalho prático. Depois de expô-la e comungar com ela, quando vi a atitude sincera e o desejo dela de se arrepender, acreditei de novo que ela mudaria. Na verdade, a irmã Li sempre buscou status e fama e não fazia trabalho prático e nunca se arrependeu nem mudou. Ela havia sido revelada como falsa líder muito tempo atrás, mas eu continuei comungando com ela e dando-lhe chances. Eu fui cega e ignorante demais. Na verdade, a comunhão sobre a verdade só exerce uma função de apoio. Mas uma pessoa só pode mudar se ela buscar a verdade. Para aqueles que realmente buscam e aceitam a verdade, a comunhão, ajuda, orientação e tratamento dos outros podem ajudá-los a refletir e conhecer a si mesmos de acordo com a verdade, a se arrepender e mudar. Aqueles que não aceitam a verdade e estão cansados dela, não importa o quanto comunguemos, eles nunca aceitarão a verdade, não conhecerão nem odiarão a se mesmos com base na verdade, portanto é impossível que mudem. Eu não tratava as pessoas de cada tipo de acordo com a palavra de Deus e a verdade. Eu aplicava regras cega e arrogantemente com base em minha imaginação, e, como resultado, protegi uma falsa líder, o que interrompeu o trabalho da casa de Deus. Eu estava exercendo o papel de Satanás. Enquanto refletia, confessei a Deus e me arrependi: “Deus, quero mudar minhas opiniões erradas, buscar a verdade e agir de acordo com os princípios no meu dever”.

Mais tarde, visitei uma igreja para investigar o trabalho, e os irmãos relataram que o irmão Xiang, o líder da igreja, era passivo e irresponsável no dever dele. Nas reuniões, ele não comungava sobre a verdade para resolver os problemas dos outros. O trabalho da igreja era ineficiente, mas ele não supervisionava nada e não fazia trabalho prático. Quando os outros davam sugestões, ele não as aceitava e inventava desculpas para refutá-las. Às vezes, ele dizia: “Por que você não reflete sobre seus próprios problemas?”. Tudo isso constrangia os outros. Ele também gostava de criticar e de se aproveitar dos outros. De acordo com os princípios, o irmão Xiang era um falso líder e devia ser dispensado. Perguntei aos diáconos da igreja o que achavam dos problemas do irmão Xiang. Disseram: “O irmão Xiang não assume um fardo em seu dever, mas sempre, depois de comungar com ele, ele mostra que tem autoconhecimento e diz que quer se arrepender e mudar. Queremos ajudá-lo e ver o que acontece”. Quando ouvi isso, pensei: “De acordo com o comportamento do irmão Xiang, ele é um falso líder e deve ser substituído. Caso contrário, o trabalho da casa de Deus sofrerá. Mas os diáconos discordam, então talvez eu esteja errada? Se eu insistir em remover o irmão Xiang e estiver errada, o que pensarão de mim? Dirão que estou em meu dever há muitos anos e ainda não consigo discernir as pessoas?”. Eu sabia que estava pensando de novo em status e reputação, então orei por ajuda para renunciar a mim mesma. Percebi que os diáconos só estavam vendo o fato de que o irmão Xiang falava bem. Não o estavam avaliando com base na palavra de Deus. Eu escolhi a pessoa errada no passado porque não discerni com base na verdade nem na palavra de Deus. Dessa vez, eu deveria aprender a lição, buscar a verdade com todos e avaliar falsos líderes com base na palavra de Deus. É o único jeito correto de fazer isso.

Depois disso, encontrei uma passagem da palavra de Deus sobre discernir falsos líderes. “Para discernir se uma pessoa é um falso líder, você não usa os olhos para olhar para o rosto dela e ver se os traços faciais dela são bons ou malignos, nem olha para quanto parece externamente que ela sofreu ou para quanto zanzou por aí. Pelo contrário, você deve ver se ela cumpre as responsabilidades dela como líder e se ela consegue usar a verdade para resolver problemas práticos. Esse é o único padrão preciso para avaliar a questão. Esse é o princípio de analisar, discernir e determinar se uma pessoa é um falso líder. Só assim a avaliação pode ser justa, alinhada aos princípios, conforme à verdade e justa para todos. A caracterização de alguém como um falso líder ou falso obreiro deve ser baseada em fatos suficientes. Não deve basear-se em um ou dois incidentes ou transgressões, muito menos deve a corrupção temporária ser utilizada como base para a isso. Os únicos padrões precisos para caracterizar alguém são se ele consegue fazer trabalho prático e usar a verdade para resolver problemas, bem como se é uma pessoa correta, se é alguém que ama a verdade e pode obedecer a Deus, e se possui a obra e o esclarecimento do Espírito Santo. Alguém só pode ser corretamente caracterizado como um falso líder ou falso obreiro com base nesses fatores. Esses fatores são os padrões e princípios para avaliar e determinar se alguém é um falso líder ou falso obreiro” (“Identificando falsos líderes”). Comungamos sobre essa passagem juntos, entendemos como avaliar e discernir falsos líderes. Não devemos avaliar apenas se as palavras deles são agradáveis. A chave é se eles conseguem fazer trabalho prático e resolver problemas com a verdade e se conseguem aceitar e buscar a verdade, conhecer a si mesmos, se arrepender e mudar. Usamos esses princípios para avaliar o irmão Xiang. Ele cumpria seu dever sem um fardo e não fazia trabalho prático. Os irmãos comungaram com ele e o ajudaram muitas vezes, mas ele nunca aceitou nem refletiu sobre si mesmo e fez acusações contra os outros, levando todos a se sentirem constrangidos. Vimos que ele não fazia trabalho prático nem buscava a verdade, portanto, era um falso líder e deveria ser dispensado. Depois de ouvir isso, os irmãos se culparam e disseram: “Não o discernimos nem o avaliamos com base na palavra de Deus. Fomos enganados pela imagem falsa que ele apresentou. Quase agimos como escudos para um falso líder que interrompeu o trabalho da casa de Deus”. Quando vi que agora tinham discernimento de falsos líderes, me senti muito bem, e dispensamos o irmão Xiang na hora.

Depois dessas experiências, vi que usar pessoas com base em noções significa prejudicar os outros e a nós mesmos. Isso não só prejudica o trabalho da família de Deus, faz também com que nós transgridamos. A partir de agora, em meu dever, espero buscar mais a verdade e os princípios e ver as coisas de acordo com a palavra de Deus. Quando não entendo, desejo renunciar a status e imagem e comungar mais com meus irmãos para compensar minhas deficiências e preservar o trabalho da casa de Deus. Graças a Deus!

O alarme dos últimos dias já tocou e grandes desastres já começaram. Você quer dar as boas-vindas ao retorno do Senhor e ter a chance de receber a proteção de Deus com sua família?

Conteúdo relacionado

Desatando os nós do coração

Por Chunyu, China Aconteceu na primavera passada, quando eu estava em dever evangelístico na igreja. Na época, a irmã Wang foi eleita...

Conecte-se conosco no Messenger