Meu estado de espírito num dever nos bastidores

01 de Agosto de 2022

Por Wu Yan, China

No final de junho de 2021, visto que o Partido Comunista estava prendendo cristãos feito louco, a casa da minha anfitriã estava sendo monitorada. Eu me mudei de lá imediatamente, mas era muito provável que a polícia estivesse me vigiando também, por isso tive que me esconder em casa para trabalhar. Eu era responsável pelo trabalho de rega de alguns grupos na época. Minha carga de trabalho estava aumentando e algumas coisas não podiam ser feitas por meio de cartas, que não eram tão eficientes quanto conversar face a face. Assim, de acordo com as necessidades do trabalho, o líder designou a irmã Wang como minha parceira.

No início, ela não conhecia os irmãos muito bem, De modo que, antes de cada reunião, eu revisava com ela os problemas que deviam ser tratados para ajudá-la a ser mais eficiente. Então descobri que a irmã Li, um membro do grupo, era desleixada em seu dever. Ela não tinha mudara após várias sessões de comunhão e estava atrasando nosso trabalho. Com base nos princípios, ela devia ser dispensada imediatamente. E assim, eu redigi um documento que explicava a situação e os princípios para dispensar pessoas para que a irmã Wang o examinasse. Compartilhei com ela por que eu achava que a irmã Li devia ser dispensada, para que ela pudesse ser minuciosa em sua comunhão com a irmã Li, ajudando-a a refletir e aprender sobre si mesma. A irmã Wang foi dispensá-la no dia seguinte. Quando voltou para casa mais tarde, ela me contou como foi, mas não me mencionou uma única vez durante toda a conversa nem disse que eu a tinha ajudado a ganhar discernimento e a lidar com o problema. Fiquei um pouco decepcionada. Era como se ninguém mais soubesse o que eu estava fazendo nos bastidores. Perguntei-me se pensariam que a irmã Wang tinha compreendido o estado da irmã Li e tinha mais discernimento do que eu. Pensei no quanto eu tinha feito sem que ninguém soubesse e a irmã Wang foi quem levou o crédito, o que me deixou transtornada.

Alguns dias depois, numa discussão de trabalho com a irmã Wang, foi mencionado que um grupo estava piorando cada vez mais. Eu não conseguia ver a raiz do problema, e ela mencionou que poderia haver um problema com a líder do grupo. Quando considerei isso e refleti sobre o comportamento geral daquela líder, vi que ela só protegia seu status e fazia tarefas que aumentavam sua reputação, mas que nunca fazia trabalho prático e que isso estava atrasando as coisas. Com base nos princípios, ela devia ser dispensada. Eu sabia que eu não conseguiria resolver o problema e deveria compartilhar meu entendimento com a irmã Wang para que ela comungasse melhor com os outros e os ajudasse a ganhar discernimento e escolhesse um novo líder imediatamente. Mas quando me lembrei da dispensa da irmã Li, em como eu tinha procurado os princípios e redigido o documento e em como eu tinha comungado tanto com a irmã Wang sem que ninguém soubesse, achei que, se eu compartilhasse todos os meus pensamentos com ela dessa vez e ela dispensasse essa líder de grupo, os outros pensariam que ela tinha feito todo o trabalho. Achariam que, após pouco tempo no trabalho, ela tinha discernido duas pessoas inaptas que eu mesma não tinha removido sendo responsável por tanto tempo. Achariam que ela tinha mais discernimento e entendimento da verdade. Decidi não compartilhar algumas opiniões para que a comunhão da irmã Wang não fosse clara, os outros não a admirassem e eu não passasse uma imagem ruim. Me senti um pouco culpada na época. Se a comunhão dela não fosse clara e a líder do grupo não entendesse os próprios problemas, ela poderia entender errado e ficar negativa. Isso não só impactaria a autorreflexão dela, mas impactaria também seu dever mais adiante. Além disso, fazer joguinhos assim certamente desagradaria Deus. Por isso, compartilhei todo o meu entendimento com a irmã Wang, mas comecei a ficar amargurada no instante em que a irmã Wang partiu para cuidar de tudo. Por que eu não podia cuidar desse trabalho? Todos viam a irmã Wang dispensar pessoas e discerni-las, mas quem via meus esforços por trás de tudo isso? Eu não fiquei muito entusiasmada quando pensei em como tudo que eu vinha fazendo estava só melhorando a imagem da irmã Wang aos olhos dos outros. Até me queixei sobre Deus por me colocar numa situação tão ruim. Por que Ele estava permitindo que eu ficasse sob vigilância? Por acaso, naquela época, alguns irmãos estavam nos escrevendo sobre problemas no trabalho e alguns pediam explicitamente que a irmã Wang lidasse com eles. Fiquei ainda mais infeliz. Achei que todos só viam a irmã Wang, mas não viam meu trabalho nos bastidores. Se isso continuasse, eles não diriam que eu era apenas um acessório inútil? Achei que, embora a irmã Wang estivesse fazendo o trabalho externo, também não era fácil para mim ficar em casa. Ninguém conseguia ver todo o meu trabalho. Não fiquei feliz com isso e tentei pensar num jeito de reverter as coisas. Embora não pudesse sair e ver os irmãos pessoalmente, eu poderia escrever cartas para arranjar tarefas e provar que eu estava trabalhando muito e que eu ocupava uma posição importante. Isso solidificaria minha imagem na mente dos outros. Então recebemos cartas de alguns grupos sobre questões de rotina da igreja que precisavam ser arranjadas. Escrevi sobre os detalhes para organizá-las e escrevi claramente sobre quando a irmã Wang iria, para que todos soubessem que eu estava arranjando tudo isso, que eu estava decidindo as coisas. Um dia, eu quis escrever a uma irmã, perguntando como ela estava, mas, depois de escrever a carta, eu me perguntei se ela saberia que eu tinha escrito a carta. Se eu não lhe desse uma dica, ela poderia pensar que era a irmã Wang que estava preocupada com ela. Eu não devia permitir isso. Eu devia garantir que a irmã soubesse que era eu. Mas dizer isso diretamente seria óbvio demais. Então me lembrei de que, pouco tempo atrás, eu tinha recomendado um hino a essa irmã. Eu poderia perguntar a ela se ela tinha aprendido o hino e assim ela saberia que era eu. Com essa ideia, terminei a carta rapidamente e a enviei. A resposta dela me mostrou que a irmã sabia que eu a tinha escrito e fiquei muito feliz. Achei que ainda conseguia passar uma boa impressão mesmo trabalhando nos bastidores e mostrar aos outros que eu tinha realidades e era capaz de resolver problemas. Assim, nunca vi que eu não estava no estado correto. Quando uma irmã me contou sobre seu próprio estado, isso me serviu de alerta. Angustiada, ela me contou que alguns documentos de estudo que ela tinha elaborado com muito esforço tinham sido enviados pela parceira dela. Achando que o mérito pelo trabalho tinha ficado com a parceira, ela perdeu o entusiasmo no seu dever. Fiquei chocada ao ouvir isso. Eu não tinha vivido no mesmo estado recentemente? E eu também não estava buscando a verdade para resolvê-lo. Teria Deus estabelecido essa situação como um alerta para que eu refletisse e aprendesse sobre mim mesma? Então, procurei palavras de Deus para resolver o estado em que eu estava. Li esta passagem. “Isto é, quando anticristos agem, eles o fazem com intenção. Sua linguagem, ações e até as palavras que escolhem são todas muito intencionais. Eles não estão expondo momentaneamente a sua corrupção, não são de pequena estatura nem pessoas ignorantes e tolas que dizem disparates para onde quer que vão. Não é esse o caso com tais pessoas. Quando olhamos para as suas técnicas, as suas maneiras de fazer as coisas e a sua escolha de palavras, podemos ver que os anticristos são astuciosos e malignos. Em prol do próprio status, a fim de alcançar o seu objetivo de controlar as pessoas, os anticristos se exibem sempre que têm oportunidade, sem nunca deixar passar uma única oportunidade. Vocês acham que tais pessoas revelarão esses comportamentos diante de Mim? (Sim.) Por que vocês dizem que elas o fazem? (Sua natureza e essência é ostentar-se.) Será que os anticristos se ostentam apenas para si mesmos? Qual é o seu objetivo em se ostentar? Eles estão exigindo status. O que eles querem dizer é: ‘Tu não sabes quem eu sou? Olha as coisas que fiz, fiz essa coisa boa e fiz contribuições significativas para a casa de Deus. Uma vez que Tu estás ciente disso, não deverias me dar um trabalho mais importante? Não deverias ter-me em alta estima? Não deverias Tu confiar em mim em tudo o que fazes?’. Será que eles não têm um objetivo aqui? Os anticristos querem controlar todos, independentemente de quem sejam. Qual é outra forma de descrever controle? É manipular os outros e brincar com as pessoas, tentar governar o que elas fazem. Por exemplo, quando os irmãos e irmãs elogiam algo por ter sido bem-feito, os anticristos dizem imediatamente que foram eles que o fizeram, para que todos lhes agradeçam. Será que uma pessoa genuinamente sensata faria isso? De forma alguma. Quando os anticristos realizam uma boa obra por menor que seja, eles tentam informar a todos, para que todos os admirem e os elogiem. Isso é o que os satisfaz” (‘Eles confundem, atraem, ameaçam e controlam as pessoas’ em “Expondo os anticristos”). As palavras de Deus me mostraram que anticristos se exibem o tempo todo. Tudo que dizem e fazem serve para ganhar a admiração dos outros e é uma tentativa secreta de ganhar status. Considerando as palavras de Deus e refletindo sobre o caráter que eu tinha revelado, eu não era igual a um anticristo? Eu me senti injustiçada quando a irmã Wang dispensou as duas irmãs sem me mencionar. Achei que eu tinha sido aquela que as tinha discernido, mas, no fim, a irmã Wang tinha ficado com todo o mérito. Ela foi a única a ser notada e, por mais que eu fizesse, ninguém via meu esforço. Ninguém saberia se eu continuasse fazendo tudo em silêncio, o que era muito irritante. Eu estava quebrando a cabeça e fazendo de tudo para me exibir para que os irmãos me admirassem e eu tivesse status aos olhos deles. Parecia que eu só estava escrevendo cartas arranjando trabalho, mas, na verdade, eu estava tentando fazer com que ninguém se esquecesse da minha existência, e que a irmã Wang estava só fazendo trabalho em meu nome, mas que eu era a responsável. Sob o pretexto de ajudar uma irmã com seu estado, agi como se me importasse com ela para lembrá-la da minha existência e ganhar a admiração dela sem mostrar meus motivos desprezíveis. Eu tinha um caráter tão astuto e maligno! A realidade é que, sem a revelação e orientação de Deus, eu nunca teria descoberto que aquelas duas irmãs não eram aptas em seus deveres. Muitos danos tinham sido causados ao trabalho até elas serem dispensadas. Isso valia especialmente para aquela líder de grupo. Se a irmã Wang não tivesse mencionado aquilo, eu não a teria discernido e a teria mantido naquela posição. Eu não tinha feito bem o meu trabalho. Não só eu carecia de qualquer senso de culpa, como estava exigindo crédito descaradamente e usando meios desprezíveis para me exibir e ganhar status, para que todos me admirassem. Eu fui muito descarada!

Então li uma passagem das palavras de Deus. “Aqueles que são capazes de pôr a verdade em prática podem aceitar o escrutínio de Deus quando fazem as coisas. Quando você aceita o escrutínio de Deus, seu coração é ereto. Se só faz as coisas sempre para os outros verem, sempre quer ganhar o elogio e a admiração dos outros, mas não aceita o escrutínio de Deus, então Deus ainda está no seu coração? Tais pessoas não têm reverência por Deus. Não faça as coisas sempre pelo seu próprio bem nem considere constantemente os interesses próprios; não considere os interesses do homem, nem pense em seu orgulho, reputação ou status. Primeiro, você precisa pensar nos interesses da casa de Deus e fazer deles a sua primeira prioridade. Você deve ser atencioso para com a vontade de Deus e começar por contemplar se você tem sido impuro ou não no cumprimento de seu dever, se você tem sido leal, cumpriu suas responsabilidades, e deu tudo de si, e também se você pensou de todo o coração ou não sobre seu dever e o trabalho da igreja. Você deve considerar essas coisas. Reflita sobre elas com frequência e as entenda, e será mais fácil para você cumprir bem o seu dever” (‘Ao dar o coração a Deus, pode-se obter a verdade’ em “As declarações de Cristo dos últimos dias”). As palavras de Deus estão certas. Aceitar o escrutínio de Deus é essencial para praticar a verdade e não podemos nos importar com o que as pessoas pensam, mas apenas satisfazer a Deus e cumprir o nosso dever. As palavras de Deus me deram uma senda de prática, assim, em minhas cartas e comunhões posteriores, e passei a fazer o esforço de ter os motivos certos e aceitar o escrutínio de Deus, em vez de usar as cartas para ganhar a admiração e um lugar no coração dos outros. Pensei em todas as cartas que Paulo escreveu às igrejas. Ele nunca exaltou nem deu testemunho do Senhor Jesus nelas e não encorajou os crentes a seguirem as palavras Dele. Ele só elevou e deu testemunho de si mesmo, falando sobre o quanto ele tinha trabalhado e sofrido. Ele disse: “Em nada tenho sido inferior aos mais excelentes apóstolos” (2 Coríntios 11:5), e trouxe as pessoas para diante de si, numa senda contrária a Deus. Nas cartas que eu escrevi aos irmãos, eu não exaltava nem dava testemunho de Deus, e sim me exibia indiretamente. Em essência, eu não estava agindo igual a Paulo? Sabia que, se não me arrependesse, eu acabaria expulsa e punida igual a ele. Quando percebi isso, fiz uma oração a Deus: “Deus, eu me importo demais com meu status. Não quero ser controlada por ele e prejudicar o trabalho da casa de Deus. Não importa se eu me destaque ou não, só quero cumprir meu dever com firmeza”.

Nos dias seguintes, corrigi meus motivos conscientemente, lembrando-me de que os interesses da igreja são o mais importante e que eu deveria cumprir bem o meu dever. Então, um dia, recebemos uma carta de renúncia do irmão Chen. Ele dizia que queria desistir porque não se dava bem com o parceiro dele. Já sabíamos algo sobre o problema do irmão Chen. Ele era arrogante e obstinado demais, por isso não trabalhava bem com os outros. A irmã Wang já tinha comungado com ele algumas vezes, mas ele não tinha mudado. Quando pediu para ser dispensado desse jeito, parecia que seria difícil resolver esse problema. Quando a irmã Wang e eu discutimos os problema deles, compartilhei minha perspectiva e encontrei algumas passagens relevantes das palavras de Deus. A irmã Wang também achou que aquilo seria uma comunhão apropriada. Àquela altura, lembrei que, por mais útil que fosse a minha comunhão, ela era quem falaria com ele. Quem saberia que eu tinha feito um esforço nos bastidores e que eu estava à frente de tudo? Senti o desejo de parar de comungar com a irmã Wang, mas, sabendo que Deus estava escrutinizando todos os meus pensamentos, fiquei um pouco apreensiva. Por que eu sempre queria proteger meu nome e status? Li uma passagem das palavras de Deus que me ajudaram a entender as consequências de buscar status. Deus Todo-Poderoso diz: “Se alguém diz que ama a verdade e busca a verdade, mas, em essência, o objetivo que ele busca é, distinguir-se, exibir-se, fazer com que as pessoas o admirem, realizar os próprios interesses, e ele cumpre seu dever não para obedecer ou satisfazer a Deus, mas para alcançar prestígio e status, então sua busca é ilegítima. Assim sendo, quando se trata do trabalho da igreja, as suas ações são um obstáculo ou o ajudam a avançar? Elas são claramente um obstáculo; elas não o avançam. Todos que levantam a bandeira de fazer o trabalho da igreja, mas buscam seu prestígio e status pessoais, administram uma operação própria, criam seu grupinho, seu próprio reino pequeno — esse tipo de pessoa está cumprindo seu dever? Todo trabalho que eles fazem interrompe, perturba e prejudica o trabalho da igreja. Qual é a consequência da sua busca por status e prestígio? Em primeiro lugar, isso afeta como o povo escolhido de Deus come e bebe a palavra de Deus e como entende a verdade, isso impede sua entrada na vida, o impede de entrar na trilha certa da fé em Deus e o leva para a senda errada — o que prejudica os escolhidos e os leva à ruína. E o que isso acaba por fazer ao trabalho da igreja? É desmantelamento, interrupção e depreciação. Essa é a consequência produzida pela busca das pessoas por fama e status. Quando cumprem o seu dever dessa forma, isso não pode ser definido como trilhar a senda de um anticristo?” (‘Eles só cumprem seu dever para se distinguir e alimentar seus próprios interesses e ambições; eles nunca levam em consideração os interesses da casa de Deus e até traem esses interesses em troca de glória pessoal (parte 1)’ em “Expondo os anticristos”). Eu sempre achava que buscar nome e status só impactavam a entrada na vida pessoal e, contanto que não cometêssemos nenhum mal, não interromperíamos o trabalho da igreja. Eu não entendia por que Deus detesta e despreza tanto a busca por nome e status. As palavras de Deus me mostraram que buscar status pessoal no meu dever e não proteger os interesses da casa de Deus acaba prejudicando o trabalho da igreja e a entrada na vida dos irmãos. Isso obstrui e interrompe o trabalho da igreja, e é condenado por Deus. Quando discuti o problema do irmão Chen, eu não quis comungar mais porque não pude ser o centro das atenções. Não parecia ser algo importante, mas era muito sério. Se adiássemos a comunhão com o irmão Chen sobre esses problemas, isso prejudicaria não só a entrada na vida dele, impactaria também o trabalho de rega dos recém-convertidos. Sendo responsável, eu devia ter ajudado imediatamente uma pessoa com problemas no seu dever para manter o trabalho da igreja na trilha certa. Em vista das muitas prisões realizadas pelo Partido Comunista, a irmã Wang estava correndo o risco de ser presa sempre que saía para uma reunião. Se não estivesse preparada, ela não conseguiria resolver os problemas nas reuniões, o que significava que ela não seria eficiente no trabalho a despeito do risco que assumia. Isso não seria terrível para ela? Eu não estava pensando em como resolver os problemas o quanto antes nem na segurança da irmã Wang. Eu só me preocupava com a possibilidade de ela roubar meus holofotes. Eu era tão egoísta e carecia de qualquer humanidade! Eu tinha responsabilidades, mas não fazia trabalho prático. Eu estava protegendo meu status às custas do trabalho da casa de Deus. Isso era resistir a Deus, e eu estava na senda de um anticristo. Eu tinha sido a única responsável antes e tinha me esforçado ao máximo, por mais difícil ou cansativo que fosse. Mas, por causa das prisões do Partido Comunista, eu não podia mais sair, só podia trabalhar nos bastidores. Eu hesitava ao cumprir o meu dever, sempre competindo com a irmã Wang pelos holofotes. Então percebi que todo o meu entusiasmo no meu dever só tinha sido para ganhar nome e status. Essa situação estava revelando meus motivos e minhas buscas erradas. Era a salvação e o amor de Deus por mim.

Pensei depois em algumas das palavras de Deus que me deram mais clareza sobre a senda de prática. As palavras de Deus dizem: “Vocês devem alcançar cooperação harmoniosa para o propósito da obra de Deus, para o benefício da igreja e a fim de incentivar seus irmãos e irmãs a avançarem. Vocês devem se coordenar uns com os outros, cada um corrigindo o outro e alcançando um resultado de trabalho melhor, a fim de cuidar da vontade de Deus. Isso é que é cooperação verdadeira, e apenas aqueles que se engajarem nela ganharão entrada verdadeira” (‘Sirva como serviram os israelitas’ em “A Palavra manifesta em carne”). “O que se deve fazer para cumprir bem o dever? É preciso vir a cumpri-lo com todo o seu coração e toda a sua energia. Usar todo o seu coração e toda a sua energia significa manter todos os seus pensamentos no cumprimento do seu dever e não deixar que outras coisas os ocupem, e então aplicar a energia que se tem, exercendo a totalidade do seu poder, e aplicar o seu calibre, os seus dons, os seus pontos fortes e as coisas que entendeu à tarefa. Se você entender, e aceitar, e tiver uma boa ideia, deverá se comunicar com os outros sobre isso. Isso é o que significa cooperar em harmonia. É assim que você cumprirá bem o seu dever, como alcançará um desempenho satisfatório no seu dever. Se sempre deseja carregar toda a carga e assumir tudo sozinho, colocando-se em destaque em vez dos outros, você está cumprindo o seu dever? O que está fazendo chama-se autocracia; é fazer um espetáculo. É um comportamento satânico, não é o cumprimento do dever. Ninguém, independentemente das suas forças, dons ou talentos especiais, pode assumir sozinho todo o trabalho; ele deve aprender a cooperar em harmonia se quiser fazer bem o trabalho da igreja. É por isso que a cooperação harmoniosa é um princípio da prática do cumprimento do seu dever. Desde que aplique todo o seu coração, e toda a sua energia, e toda a sua fidelidade, e ofereça tudo o que pode fazer, você está cumprindo bem o seu dever” (‘O cumprimento adequado dos deveres exige cooperação harmoniosa’ em “As declarações de Cristo dos últimos dias”). As palavras de Deus me mostraram que, a fim de cumprirmos bem o nosso dever, devemos considerar o coração de Deus e cooperar com nossos irmãos. Devemos dar tudo de nós e usar nossos pontos fortes para compensar as fraquezas uns dos outros. É assim que podemos ganhar as bênçãos de Deus e alcançar resultados no nosso trabalho. Também vi que não importava qual de nós resolvia os problemas em pessoa. Contanto que os estados e dificuldades dos outros fossem resolvidos, mesmo que meu esforço fosse invisível e nos bastidores, cumprir meu dever e satisfazer a Deus me traria segurança e paz. Depois refleti sobre as verdades referentes ao estado do irmão Chen que eu devia comungar e encontrei algumas palavras de Deus para a irmã Wang pesquisar. Ela também encontrou algumas passagens que eram muito incisivas sobre o estado dele e que eu não tinha lembrado. Juntas, aquelas passagens eram ainda mais abrangentes. Pensei em como Moisés tinha sido tão tímido e Arão, tão eloquente, mas juntos eles executaram a comissão de Deus, tirando os israelitas do Egito. Eu não podia sair para trabalhar, mas podia comungar com a irmã Wang tudo que eu via e pensava. Trabalhando juntas, tínhamos uma visão mais abrangente dos problemas, de modo que conseguíamos resolvê-los melhor. Isso não é mais benéfico para o trabalho da igreja? A irmã Wang foi comungar com o irmão Chen após discutirmos tudo. Eu fiquei orando por eles, esperando que Deus os guiasse.

Então, um dia, recebemos uma carta de alguns irmãos. A carta dizia que, por meio da comunhão da irmã Wang, eles tinham conseguido corrigir alguns erros e estavam indo melhor em seus deveres. Fiquei um pouco decepcionada ao ler isso. Achei que eu tinha descoberto esses erros e problemas, mas todos só viram o trabalho da irmã Wang. Ninguém viu o que eu fiz nos bastidores. Então me lembrei de que eu estava competindo por nome e ganho novamente, assim orei e renunciei a mim mesma. Mais tarde, li uma passagem das palavras de Deus num artigo que me comoveu muito. As palavras de Deus dizem: “Você pode ter pouca força, mas se é capaz de trabalhar com outros, e se é capaz de aceitar sugestões adequadas, e se tem as motivações certas e pode proteger o trabalho da casa de Deus, você é uma pessoa certa. Às vezes, com uma única frase, você pode resolver um problema e beneficiar a todos; às vezes, depois de você comungar uma única declaração da verdade, todos têm uma senda para praticar e são capazes de trabalhar juntos em harmonia, e todos se esforçam por um objetivo comum e compartilham os mesmos pontos de vista e opiniões, e assim o trabalho é particularmente eficaz. Embora ninguém possa se lembrar de que você desempenhou esse papel e você possa achar que não fez muito esforço, Deus verá que você é uma pessoa que pratica a verdade, uma pessoa que age de acordo com os princípios. Deus se lembrará de você ter feito isso. Isso se chama cumprir fielmente o seu dever” (‘O cumprimento adequado dos deveres exige cooperação harmoniosa’ em “As declarações de Cristo dos últimos dias”). Verdade. Embora ninguém visse meu trabalho nos bastidores, eu estava cumprindo minhas responsabilidades diante de Deus. Não importava se outras pessoas soubessem. Praticar a verdade e satisfazer a Deus é o que importa. Como supervisora, era meu dever e era o que eu devia fazer para falar com os outros quando eu percebia erros e problemas. Não era algo pelo qual devia reivindicar mérito. Antes, eu sempre tentava me exibir na frente dos outros, mas agora só podia trabalhar nos bastidores. Esse era o arranjo de Deus e era o que eu precisava. Eu devia me submeter e ser útil, concentrar-me em praticar a verdade no meu dever e me esforçar para cumpri-lo bem.

Depois disso, quando eu percebia problemas em nosso trabalho, eu tomava a iniciativa e procurava a irmã Wang. Às vezes, quando eu escrevia aos irmãos sobre problemas, eu queria deixar claro que era eu quem estava escrevendo, mas quando percebia que estava me elevando e exibindo, eu orava e renunciava aos meus motivos errados. Eu me acalmava e refletia sobre o que devia escrever para ajudar os outros e como devia cumprir minhas responsabilidades. Praticar assim iluminou meu caroção e me deu uma sensação libertadora. É um jeito maravilhoso de me comportar!

O alarme dos últimos dias já tocou e grandes desastres já começaram. Você quer dar as boas-vindas ao retorno do Senhor e ter a chance de receber a proteção de Deus com sua família?

Conteúdo relacionado

Depois da morte do meu filho

Por Wang Li, China Um dia, em junho de 2014, minha filha me ligou inesperadamente e disse que meu filho tinha levado um choque elétrico...

Não temo mais o poder

Por Xiaohan, China Em fevereiro, a irmã Wang, uma líder de igreja, trouxe a irmã Song para a reunião do meu grupo e a apresentou como uma...

Afrouxando os laços que unem

Por Cuibai, ItáliaAs palavra de Deus dizem: “Pelo bem do seu destino, vocês devem buscar ser aprovados por Deus. Ou seja, já que reconhecem...

Depois de ser substituída

Deus Todo-Poderoso diz: “Deus opera em cada pessoa, e não importa qual seja Seu método, de que tipo de pessoas, coisas ou problemas Ele...

Conecte-se conosco no Messenger