Pregação sobre Mateus 24:23-24: Como discernir falsos cristos e falsos profetas

18 de Maio de 2020

Conteúdos

A primeira maneira de reconhecer a diferença entre o Cristo verdadeiro e os falsos cristos: reconhecendo Cristo como a verdade, o caminho e a vida

A segunda maneira de reconhecer a diferença entre o Cristo verdadeiro e os falsos cristos: a obra de Deus é sempre nova e nunca velha, e Ele não repete Sua obra

Todos os tipos de desastres estão ocorrendo agora, e as profecias na Bíblia referentes à vinda do Senhor se cumpriram em grande parte. Muitos irmãos e irmãs sentem em seu coração que o Senhor já pode ter retornado, e todos eles estão procurando o Senhor. No entanto, há muitos que pensam nestes versículos da Bíblia: “Se, pois, alguém vos disser: Eis aqui o Cristo! ou: Ei-lo aí! não acrediteis; porque hão de surgir falsos cristos e falsos profetas, e farão grandes sinais e prodígios; de modo que, se possível fora, enganariam até os escolhidos” (Mateus 24:23-24). Mesmo que ouçam alguém testificando que o Senhor retornou, eles não buscam nem investigam essa alegação, em vez disso, seguem o mundo religioso e se agarram à noção de que “qualquer mensagem que pregue que o Senhor retornou na carne é falsa”. Se fizermos isso, seremos capazes de acolher o retorno do Senhor? O Senhor profetizou muitas vezes que Ele retornaria, portanto, se compreendêssemos Suas palavras como dizendo que qualquer mensagem que prega que o Senhor retornou na carne é falsa, não estaríamos então negando o retorno do Senhor? Estaríamos então resistindo a Deus e, de fato, cometendo um erro terrível. Quando se trata de aguardar o retorno do Senhor, não podemos permanecer passivamente acautelados, pois, se fizermos isso, perderemos o retorno do Senhor. A fim de acolhermos o Senhor, devemos ativamente buscar ouvir a voz de Deus, exatamente como diz a Bíblia: “Mas à meia-noite ouviu-se um grito: Eis o noivo! saí-lhe ao encontro!” (Mateus 25:6). O livro de Apocalipse também profetizou: “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a Minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele Comigo” (Apocalipse 3:20) e “Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas” (Apocalipse 2:7). É a vontade do Senhor que permaneçamos vigilantes e nos concentremos em ouvir a voz de Deus. No momento em que alguém testifica que o Senhor retornou, devemos ser as virgens sábias que ativamente buscam a voz do Senhor, pois apenas assim seremos capazes de acolher o Senhor. Se tudo que fizermos for acautelar-nos contra falsos cristos e também acabarmos fechando a nossa porta para o Senhor quando Ele retornar, isso não seria igual a deixarmos de comer por medo de engasgar? E não seríamos então iguais às virgens tolas, incapazes de acolher o Senhor, abandonados e eliminados? As ovelhas de Deus ouvem Sua voz; aqueles que realmente têm calibre e discernimento ouvirão a voz de Deus, e eles podem buscar a verdade e reconhecer a diferença entre o Cristo verdadeiro e os falsos cristos. Eles não serão enganados por falsos cristos. O que devemos entender agora mais do que qualquer outra coisa é, portanto, como reconhecer a diferença entre o Cristo verdadeiro e os falsos cristos. Apenas se fizermos isso seremos protegidos das enganações dos falsos cristos e seremos capazes de acolher o retorno do Senhor. Nossa comunicação abaixo diz respeito a esse aspecto da verdade.

A primeira maneira de reconhecer a diferença entre o Cristo verdadeiro e os falsos cristos: reconhecendo Cristo como a verdade, o caminho e a vida

Para discernirmos se alguém é o Cristo verdadeiro ou um falso cristo, devemos observar para ver se ele consegue expressar a verdade e se ele consegue realizar a obra da salvação do homem. Deus diz: “Ele que é a encarnação de Deus deve possuir a substância de Deus, e Ele que é a encarnação de Deus deve possuir a expressão de Deus. Já que Deus Se torna carne, Ele levará adiante a obra que precisa fazer, e já que Deus Se torna carne, Ele expressará o que Ele é e será capaz de trazer a verdade ao homem, conceder vida ao homem e mostrar o caminho ao homem. Carne que não contém a substância de Deus certamente não é o Deus encarnado; disso não há dúvida. Para investigar se é a carne encarnada de Deus, o homem deve determinar isso a partir do caráter que Ele expressa e das palavras que Ele fala. O que quer dizer, se é ou não a carne encarnada de Deus, se é ou não o verdadeiro caminho deve ser julgado pela Sua substância. E assim, ao determinar[a] se é a carne do Deus encarnado, a chave é prestar atenção na Sua substância (Sua obra, Suas palavras, Seu caráter e muito mais), em vez de na aparência exterior. Se o homem olha apenas a Sua aparência exterior e ignora a Sua substância, então isso mostra a ignorância e a ingenuidade do homem” (‘Prefácio’ em “A Palavra manifesta em carne”). “Deus tornado carne é chamado de Cristo, logo, o Cristo que pode dar a verdade às pessoas é chamado de Deus. Não há nada de excessivo nisso, pois Ele possui a substância de Deus e possui o caráter de Deus e sabedoria em Sua obra, que são inalcançáveis pelo homem. Aqueles que se dizem Cristo, mas não podem fazer a obra de Deus são fraudes. Cristo não é meramente a manifestação de Deus na terra, mas também a carne específica assumida por Deus enquanto Ele realiza e conclui Sua obra entre os homens. Essa carne não é do tipo que pode ser substituída por qualquer homem, mas do tipo que é capaz de suportar adequadamente a obra de Deus na terra, de expressar o caráter de Deus, de representar bem a Deus e de fornecer vida ao homem. Cedo ou tarde, todos aqueles que personificam Cristo cairão porque, embora aleguem ser Cristo, nada possuem da substância de Cristo. E por isso Eu digo que a autenticidade de Cristo não pode ser definida pelo homem, mas é respondida e decidida pelo Próprio Deus” (‘Só Cristo dos últimos dias pode dar ao homem o caminho de vida eterna’ em “A Palavra manifesta em carne”).

As palavras de Deus dizem de forma muito clara que somente Deus encarnado pode ser chamado Cristo. Cristo é o Espírito de Deus realizado na carne, isto é, o que Deus tem e é, o caráter e a sabedoria de Deus, tudo realizado na carne. Cristo possui essência divina, Ele é a verdade encarnada; Ele pode expressar a verdade para pastorear e prover para o homem a qualquer hora e em qualquer lugar, e somente Cristo pode realizar a obra da redenção e salvação da humanidade. Isso é um fato inegável. Por exemplo: o Senhor Jesus era Cristo encarnado; Ele era capaz de expressar a verdade a qualquer hora e em qualquer lugar, Ele trouxe o caminho do arrependimento para o homem e livrou o homem das restrições das leis. O Senhor também fez algumas exigências a nós para que entendêssemos como amar e perdoar os outros, e, a fim de tomar os nossos pecados sobre Si mesmo, Ele foi crucificado pessoalmente. Toda a obra que o Senhor Jesus fez e todas as palavras que Ele falou, como também o Seu amor e misericórdia para com a humanidade, foram coisas que nenhum homem jamais poderia ter alcançado, e elas representam inteiramente a identidade de Deus.

Falsos cristos, por outro lado, são, em essência, espíritos malignos e demônios. Falsos cristos são totalmente desprovidos de verdade, muito menos são capazes de expressar a verdade. A maioria deles é extremamente arrogante e absurda. Eles sabem que as pessoas idolatram conhecimento bíblico, e assim eles usam essa mentalidade para interpretar a Bíblia de forma errada, tiram versículos do contexto e produzem todos os tipos de teorias absurdas para enganar as pessoas. Suas palavras não só são incapazes de provocar qualquer mudança no caráter das pessoas ou de permitir que as pessoas conheçam Deus, mas também fazem com que o espírito das pessoas fique escuro e deprimido. Eles não ousam tornar públicas as suas palavras para que toda a humanidade busque e investigue, mas só conseguem enganar em segredo um punhado de pessoas sem discernimento. Portanto, a fim de reconhecermos a diferença entre o Cristo verdadeiro e falsos cristos, devemos primeiro discernir a sua essência; apenas o Cristo que possui essência divina é capaz de expressar a verdade para salvar e prover para a humanidade, enquanto aqueles que não têm essência divina não conseguem fazer isso, não importa quanto conhecimento tenham ou quão capacitados sejam. Espíritos malignos e demônios são ainda menos capazes de expressar a verdade ou de realizar a obra da salvação do homem; tudo que conseguem fazer é enganar e corromper as pessoas. Portanto, está claro que, a fim de reconhecer a diferença entre o Cristo verdadeiro e os falsos cristos, devemos reconhecer que Cristo é a verdade, o caminho e a vida. É exatamente como disse o Senhor Jesus: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida” (João 14:6). “Estes são os que seguem o Cordeiro para onde quer que vá” (Apocalipse 14:4).

A segunda maneira de reconhecer a diferença entre o Cristo verdadeiro e os falsos cristos: a obra de Deus é sempre nova e nunca velha, e Ele não repete Sua obra

Como todos sabemos, Deus é sempre novo e nunca velho, e Ele não repete Sua obra. Portanto, podemos usar esse ponto para distinguir entre o Cristo verdadeiro e os falsos cristos. Primeiro, leiamos uma passagem das palavras de Deus: “Se, durante o dia de hoje, surgir uma pessoa que seja capaz de mostrar sinais e maravilhas, expulsar demônios, curar os doentes e realizar muitos milagres e, se essa pessoa afirmar que ela é Jesus que veio, então isso seria a fraude dos espíritos malignos e sua imitação de Jesus. Lembre-se disso! Deus não repete a mesma obra. A etapa da obra de Jesus já foi concluída e Deus nunca mais realizará aquele estágio da obra. […] Se, durante os últimos dias, Deus ainda mostrasse sinais e maravilhas, e ainda expulsasse demônios e curasse os doentesse Ele fizesse exatamente o mesmo que Jesusentão Deus estaria repetindo a mesma obra e a obra de Jesus não teria significado ou valor. Assim, Deus realiza uma etapa de obra em cada era. Uma vez que cada etapa de Sua obra foi concluída, logo é imitada por espíritos malignos e, depois que Satanás começa a seguir os passos de Deus, Deus muda para um método diferente. Uma vez que Deus completou uma etapa de Sua obra, ela é imitada por espíritos malignos. Isso deve estar claro para vocês” (‘Conhecer a obra de Deus hoje’ em “A Palavra manifesta em carne”).

As palavras de Deus nos mostram que Deus é sempre novo e nunca velho e que Ele não repete Sua obra. Sempre que Deus realiza uma obra, Ele inicia uma nova era e conclui a era antiga, trazendo uma fase mais nova e mais elevada da obra. Deus Jeová, por exemplo, completou a obra da Era da Lei de proclamar as leis e os mandamentos e de guiar a vida dos homens. Quando o Senhor Jesus veio para realizar a Sua obra, Ele não repetiu a obra que o antecedera; em vez disso, Ele encerrou a Era da Lei e iniciou a Era da Graça, e Ele realizou a obra da salvação do homem e seu perdão dos pecados. Apenas o Próprio Deus poderia ter feito tal obra. Visto, porém, que falsos cristos não têm a essência de Deus, eles são incapazes de fazer a obra de Deus, muito menos são capazes de fazer a obra de iniciar uma era nova e encerrar uma era antiga. Tudo que podem fazer é andar atrás da obra de Deus, imitando o tom da fala de Deus e as palavras que Ele disse e imitando a obra que Deus tem feito no passado. Eles fazem alguns sinais e maravilhas simples e fingem ser Deus a fim de enganar as pessoas. Falsos cristos, porém, não têm autoridade; não importa como tentem imitar o Senhor, eles nunca conseguem realizar sinais e maravilhas como os que o Senhor Jesus realizou, tais como alimentar os cinco mil com dois peixes e cinco pães e trazer Lázaro de volta dos mortos. O que isso significa é que Deus nos últimos dias de forma alguma repetirá a obra realizada anteriormente pelo Senhor Jesus, e todos nos últimos dias que imitarem a obra de Deus, que realizarem alguns sinais e maravilhas simples e curarem os enfermos e expulsarem demônios para enganar as pessoas são, com certeza absoluta, espíritos malignos disfarçados — são falsos cristos. É por isso que o Senhor Jesus nos deu este alerta: “Porque hão de surgir falsos cristos e falsos profetas, e farão grandes sinais e prodígios; de modo que, se possível fora, enganariam até os escolhidos” (Mateus 24:24).

Graças a esta comunicação, estamos agora cientes de que apenas Cristo tem a essência da vida de Deus e apenas Cristo pode expressar a verdade e prover para a vida das pessoas. Quando aqueles que amam a verdade e têm sede da verdade ouvem as palavras de Deus, eles são atraídos e conquistados por Sua palavra. Tais pessoas pertencem a Deus; elas são capazes de entender a voz de Deus e reconhecer Cristo como o Próprio Deus. Pedro, João e os outros discípulos, por exemplo, reconheceram nas palavras do Senhor Jesus que Ele era o Messias retornado, e assim, um após o outro, começaram a segui-Lo. Agora, Deus Todo-Poderoso veio nos últimos dias e, a começar pela casa de Deus, Ele realiza a obra de julgamento e expressa todas as verdades para salvar a humanidade; Ele revela o mistério da obra de gerenciamento de seis mil anos de Deus em sua íntegra e expõe a natureza e a essência satânicas do homem para que ele possa vir a conhecer a verdade da sua corrupção e ter uma senda que leve a mudanças em seu caráter. Deus Todo-Poderoso também nos diz como colocar em prática as palavras de Deus, como viver uma humanidade correta, juntamente com muitas outras coisas, e, juntas, todas essas coisas são o caminho da vida eterna. A obra da salvação da humanidade realizada por Deus Todo-Poderoso é a obra do Próprio Deus, o que cumpre com precisão estas profecias na Bíblia: “Ainda tenho muito que vos dizer; mas vós não o podeis suportar agora. Quando vier, porém, Aquele, o Espírito da verdade, Ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por Si mesmo, mas dirá o que tiver ouvido, e vos anunciará as coisas vindouras” (João 16:12-13). “E, se alguém ouvir as Minhas palavras, e não as guardar, Eu não o julgo; pois Eu vim, não para julgar o mundo, mas para salvar o mundo” (João 12:47).

Agora o livro das palavras expressadas por Deus Todo-Poderoso, “A Palavra manifesta em carne”, foi publicado online para a busca e investigação por amantes da verdade no mundo inteiro. Muitas pessoas que anseiam pela aparição de Deus leram as palavras expressadas por Deus Todo-Poderoso, reconheceram que são a voz de Deus e assim adquiriram a certeza de que Deus Todo-Poderoso é o Senhor Jesus retornado nos últimos dias. Uma após a outra, elas seguem os passos do Cordeiro e retornam para diante do trono de Deus. Isso é inteiramente o resultado da obra do Próprio Deus, o que cumpre completamente esta profecia em Isaías, capítulo 2, versículo 2: “Acontecerá nos últimos dias que se firmará o monte da casa de Jeová, será estabelecido como o mais alto dos montes e se elevará por cima dos outeiros; e concorrerão a ele todas as nações”. É evidente que, para acolher o Senhor, o essencial é um foco em ouvir a voz de Deus e reconhecer Cristo como a verdade, o caminho e a vida. Devemos buscar e investigar quando ouvimos que algum lugar possui as declarações de Deus ou que alguém está pregando o retorno do Senhor. Se continuarmos com medo de sermos enganados por falsos cristos e permanecermos na defensiva, se não ousarmos buscar ou investigar e nos recusarmos a aceitar a salvação de Deus Todo-Poderoso — Cristo dos últimos dias — então não seríamos extremamente tolos? Se fizéssemos isso, perderíamos para sempre a salvação de Deus dos últimos dias!

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado