Cumprir seu dever com responsabilidade significa ter uma consciência

13 de Junho de 2022

Por Song Yu, Holanda

Um dia, em julho do ano passado, a irmã Li me disse que o líder da equipe, o irmão Chen, era muito arrogante. Quando falava, sempre exigia que os outros o ouvissem, e quando outros irmãos davam sugestões sensatas, ele se recusava a ouvir e aceitar. Como resultado, o progresso do trabalho de vídeos se atrasou. Depois de ouvir a irmã Li, eu me lembrei que já tinha tido contato com o irmão Chen antes. Ele era, de fato, um tanto presunçoso e gostava de fazer as coisas do jeito dele. Quando achava que as sugestões dos outros eram inapropriadas, ele não as aceitava. Eu não tinha percebido que ele continuava igual. Se ele continuasse com essa atitude e se recusasse a mudar, não estaria apto para ser líder. Então eu disse à irmã Li que investigaria o caso. Mas então pensei: “O trabalho de vídeos é responsabilidade da minha parceira, a irmã Zhang. Não cabe a mim decidir se esse líder de equipe está apto e como o trabalho está progredindo. Além disso, se eu interferir demais, posso passar a impressão de ser irracional, então deixarei que a irmã Zhang investigue e lide com isso. Devo dedicar meu tempo e energia à minha responsabilidade, o trabalho evangelístico”. Assim, contei à irmã Zhang sobre os problemas do irmão Chen e a lembrei de prestar atenção no desempenho do irmão Chen no dever dele. Depois disso, achei que eu tinha cumprido minha responsabilidade e que não precisava acompanhar nem investigar mais a fundo.

Após um tempo, percebi que o progresso da produção de vídeos ainda estava muito lento e soube dos meus irmãos que o irmão Chen não só insistia em sua opinião e se recusava a aceitar o conselho dos outros, mas que também era irresponsável em seu dever. Assim que tinha dificuldades, ele recuava e se recusava a encará-las. E também não progredia no cumprimento do dever dele. Pensei: “Como deixaram alguém como ele ser líder de equipe? Devemos encontrar outra pessoa para substituí-lo?”. Compartilhei com a irmã Zhang o que eu achava. Alguns meses depois, me surpreendi quando outros irmãos me falaram dos problemas do irmão Chen. Ele ainda era arrogante, presunçoso e insistia no jeito dele. Quando os irmãos lhe davam conselhos, ele argumentava: “Não acho que seja um problema” ou “Não tenho essas habilidades”, para rejeitar as sugestões deles, o que fazia com que os irmãos se sentissem restringidos e não ousassem aconselhá-lo mais. Também disseram que o progresso da produção de vídeos era muito lento e que alguns dos vídeos até tiveram que ser refeitos vez após vez. Ao ouvir sua denúncia, fiquei um pouco chocada. Por que os problemas causados pelo irmão Chen ainda não tinham sido resolvidos? Mandei uma mensagem para a irmã Zhang sobre isso. Quando a irmã Zhang concluiu que ele era um líder de equipe inadequado, ele foi dispensado.

Dentro de poucos dias, a irmã Li me procurou e disse que o irmão Chen tinha sido dispensado tarde demais. Ela disse que tinha relatado os problemas do irmão Chen meses antes, então por que ele só tinha sido substituído agora? Eu respondi às pressas: “Você sabe que não sou diretamente responsável pelo trabalho do irmão Chen. Tive que informar primeiro à irmã Zhang sobre os problemas dele, e então, coube a ela a decisão de dispensá-lo ou não. Eu não podia dispensá-lo diretamente. Se eu tivesse feito isso, teria parecido irracional. No entanto, na época, eu só informei à irmã Zhang, mas não acompanhei nem supervisionei, então a culpa é também minha. Porém, a irmã Zhang é a responsável pelo trabalho do irmão Chen e ela o vê com frequência. Os problemas do irmão Chen são tão óbvios, e eu informei a ela várias vezes, mas ela não o dispensou, portanto, o atraso no trabalho é, sobretudo, responsabilidade dela”. A irmã Li ficou calada quando eu disse isso. Depois, me senti um pouco culpada. Eu estava ciente dos problemas do irmão Chen, e meus irmãos tinham me relatado esses problemas várias vezes. Mas eu nunca acompanhei nem tentei lidar com isso. Eu tinha sido irresponsável, mas inventei várias desculpas e motivos para me isentar e joguei toda culpa na irmã Zhang, para que os outros pensassem que a irresponsável era ela e que os atrasos na produção de vídeo nada tinham a ver comigo. Eu fui tão egoísta e enganosa! Lembrei-me de que as pessoas, assuntos e coisas com que nos deparamos todos os dias são permitidos por Deus. Havia a vontade de Deus por trás da irmã Li vir me fazer essas perguntas. Quanto à dispensa do irmão Chen, não busquei nem refleti sobre as lições que eu deveria aprender. Perguntei-me se eu tinha revelado algum caráter corrupto do qual ainda não estava ciente. Então orei a Deus, pedindo que Ele me guiasse a refletir e conhecer a mim mesma.

Durante meus devocionais, li a palavra de Deus que revela aspectos egoístas e desprezíveis de anticristos, o que me deu algum entendimento do meu estado. As palavras de Deus dizem: “Como o egoísmo e a vileza da humanidade dos anticristos se manifesta? Quando algo diz respeito ao seu status ou reputação, eles quebram a cabeça sobre o que fazer ou dizer, eles não se recusam a correr por aí, sofrem grandes adversidades com alegria. Mas no que diz respeito ao trabalho da casa de Deus e aos princípiosmesmo quando pessoas malignas interrompem e interferem, e cometem todo tipo de males, e afetam seriamente o trabalho da igrejaeles permanecem passivos e despreocupados, como se isso nada tivesse a ver com eles. E se alguém descobre e expõe isso, eles dizem que não viram nada e fingem ignorância. […] Não importa o trabalho que faça, o tipo de pessoa que é um anticristo nunca pensa nos interesses da casa de Deus. Só considera se os seus interesses serão afetados, só pensa nas tarefas que estão diretamente na frente do seu nariz. O trabalho da casa de Deus e da igreja é apenas algo que ele faz em seu tempo livre, e ele precisa ser incitado a fazer tudo. A proteção de seus interesses é sua vocação verdadeira, as coisas que ele gosta de fazer são o que realmente importa. Aos seus olhos, tudo que é arranjado pela casa de Deus ou que está relacionado à entrada na vida dos escolhidos de Deus não tem importância. Não importa quais dificuldades as outras pessoas tenham no trabalho delas, quais problemas elas identificaram e relataram a eles, quão sinceras sejam suas palavras, os anticristos não dão atenção, não se envolvem, é como se nada tivesse a ver com eles. Eles são totalmente indiferentes em relação aos assuntos da igreja, não importa quão importantes esses assuntos sejam. Mesmo quando o problema está bem na frente deles, eles tratam dele apenas com relutância e superficialidade. Somente quando são tratados diretamente pelo Alto e ordenados a resolver um problema é que eles fazem um pouco de trabalho real, com má vontade, e entregam algo que o Alto possa ver; logo depois, eles continuarão com os próprios assuntos. Em relação ao trabalho da igreja, em relação às coisas importantes do contexto mais amplo, eles são desinteressados e indiferentes. Até ignoram os problemas que descobrem, são evasivos quando questionados, só tratam dos problemas com grande relutância. Essa é a manifestação do egoísmo e da vileza, não é?” (‘Excurso Quatro: Resumindo a qualidade da humanidade de anticristos e a essência de seu caráter (parte 1)’ em “Expondo os anticristos”). “Onde os irmãos e irmãs existem e onde Deus opera, como tais lugares podem não ser chamados de casa de Deus? De que forma não são igrejas? Mas os anticristos só pensam em coisas dentro da sua própria esfera de influência. Eles não se preocupam com outros lugares. Mesmo que descubram um problema, eles não se importam. O pior é que, quando algo dá errado e causa perdas, eles não dão atenção a isso. Quando lhes perguntam por que ignoram, eles apresentam falácias absurdas, dizendo: ‘Não opine sobre o que não é da sua conta’. Suas palavras soam racionais, eles parecem entender limites no que fazem e, por fora, parecem ter alguma moralidade, mas qual é a essência? É uma manifestação da natureza egoísta e desprezível dessas pessoas. Elas só fazem coisas para si mesmas, apenas para o próprio status, fama e fortuna. Não estão cumprindo seus deveres nem um pouco. Essa é outra característica arquetípica da humanidade dos anticristoseles são egoístas e desprezíveis” (‘Excurso Quatro: Resumindo a qualidade da humanidade de anticristos e a essência de seu caráter (parte 1)’ em “Expondo os anticristos”). Por meio da palavra de Deus, percebi que os anticristos, a fim de proteger a reputação e a posição deles, só trabalham por aquilo que são responsáveis e não se importam com o quanto devem sofrer ou que preço devem pagar. Mas não se importam nem um pouco com o trabalho como um todo. Se não for responsabilidade deles e nada tiver a ver com os interesses deles, não importa o quanto o trabalho da casa de Deus seja prejudicado, eles nunca o levarão a sério nem tentarão resolver o problema. Vi que anticristos são egoístas e desprezíveis, que carecem de consciência e razão, só se importam com o próprio status e reputação e não consideram a vontade da casa de Deus. Percebi que eu era igual. Achava que os vídeos não eram responsabilidade minha, então, quando meus irmãos relataram que o irmão Chen tinha problemas, embora eu tivesse prometido resolvê-los, minha “solução” só foi lembrar a irmã Zhang e pedir que ela os resolvesse. Quanto ao resultado, se o irmão Chen seria transferido ou substituído, eu não me importava e não acompanhei o caso. Quando vi que o trabalho não produzia resultados, eu só enviei uma mensagem para lembrar a irmã Zhang, mas não me angustiei com o fato de que o trabalho não produzia resultados. Mas, em retrospectiva, eu dava muita atenção ao trabalho evangelístico, que era responsabilidade minha. No geral, eu sempre dava atenção ao estado dos meus irmãos para ver se eles tinham problemas na pregação do evangelho. Quando descobria problemas, eu procurava o supervisor para resolvê-los com ele. Quando descobria que líderes de equipe e supervisores eram irresponsáveis em seu dever ou quando eles encontravam dificuldades, eu logo comunicava com eles, pois temia que, se o estado deles não fosse resolvido, o trabalho evangelístico seria prejudicado e meus líderes pensariam que eu tinha calibre baixo, era incompetente e não fazia trabalho prático, o que colocaria minha posição em risco. Ambos eram o trabalho da casa de Deus, mas havia uma diferença enorme na importância que eu atribuía a cada tarefa. Eu era muito egoísta e desprezível! Além disso, eu usava “Não opine sobre o que não é da sua conta” como desculpa para responsabilizar a irmã Zhang pelos vídeos. Eu achava que devia ser sensata em relação à transferência de pessoal e permitir que ela investigasse e lidasse com os problemas que eu via. Se eu tivesse interferido diretamente naquele trabalho, eu teria parecido irracional, portanto, eu tinha uma desculpa justificável para ignorá-lo. Obviamente, eu cumpria meu dever de forma irresponsável e não resolvia problemas práticos, e, como resultado, o trabalho da igreja era afetado. No fim, usei “racionalidade” como uma desculpa para fugir da responsabilidade. Eu era astuta e enganosa demais! Lembrei-me das palavras de Deus: “Onde os irmãos e irmãs existem e onde Deus opera, como tais lugares podem não ser chamados de casa de Deus? De que forma não são igrejas?”. Exatamente. Independentemente da natureza do trabalho, é o trabalho da casa de Deus e envolve os interesses dela. Mas eu não me importava com o trabalho nem com os interesses da casa de Deus. Só me importava com meu status e reputação. Eu não tinha nenhuma humanidade!

Mais tarde, li duas passagens da palavra de Deus. “Algumas pessoas não entendem muitas verdades. Eles não entendem os princípios em nada que fazem, e quando encontram problemas, não conhecem a maneira certa para lidar com eles. O que deve ser feito nesse caso? O padrão mais baixo é agir de acordo com a consciênciaisso é o mínimo. Como você deve agir de acordo com a consciência? As particularidades são que, quando age, você deve fazê-lo confiando num coração verdadeiro e ser digno da graça e bondade de Deus, de Deus ter lhe dado esta vida e esta oportunidade dada por Deus de alcançar a salvação. Isso é agir de acordo com a consciência? Uma vez que tenha cumprido esse mínimo de padrões, você terá obtido proteção e não cometerá erros graves. Você não fará coisas que desobedeçam a Deus tão facilmente nem fugirá de suas responsabilidades, nem será suscetível a agir de maneira superficial. Também não será tão propenso a tramar por sua posição, fama, fortuna e futuro. Esse é o papel que a consciência exerce. Consciência e razão deveriam ser os componentes da humanidade de uma pessoa. Ambos são os mais fundamentais e importantes. Que tipo de pessoa é essa que não possui consciência e não tem a razão da humanidade normal? Em termos gerais, é uma pessoa à qual falta humanidade, uma pessoa de humanidade extremamente pobre. Entrando em maiores detalhes: quais manifestações de humanidade perdida essa pessoa exibe? Tente analisar quais características são encontradas em tais pessoas e quais manifestações específicas elas apresentam. (Elas são egoístas e más.) Pessoas egoístas e más são superficiais em suas ações e se mantêm afastadas de tudo que não lhes diz respeito diretamente. Elas não consideram os interesses da casa de Deus, nem mostram consideração pela vontade de Deus. Não assumem nenhum fardo de dar testemunho de Deus nem de cumprir seus deveres e elas não têm senso de responsabilidade. O que é que elas pensam sempre que fazem algo? Sua primeira consideração é: ‘Deus saberá se eu fizer isso? É visível para outras pessoas? Se outras pessoas não veem que eu despendo todo esse esforço e trabalho diligentemente, e se Deus também não o vê, então não adianta despender tanto esforço ou sofrimento por isso’. Isso não é egoísmo? Ao mesmo tempo, é um tipo muito baixo de intenção. Quando elas pensam e agem dessa maneira, a sua consciência está desempenhando algum papel? Alguma parte da consciência é acusada nisso? Não. Existem pessoas que não assumem nenhuma responsabilidade, não importa o dever que estão cumprindo. Elas não relatam problemas que descobrem aos seus superiores, também. Quando veem pessoas que se intrometem e perturbam, fazem vista grossa. Quando veem pessoas perversas cometendo o mal, não tentam impedir. Não consideram nem minimamente os interesses da casa de Deus nem o que é seu dever e responsabilidade. Quando cumprem seu dever, pessoas desse tipo não fazem nenhum trabalho real; são bajuladores que anseiam por conforto; falam e agem apenas para o bem da própria vaidade, reputação, status e interesses e certamente dedicarão seu tempo e esforço a qualquer coisa que os beneficie” (‘Dê seu real coração a Deus e você poderá obter a verdade’ em “As declarações de Cristo dos últimos dias”). Depois de ler a palavra de Deus, senti uma dor no coração. Uma pessoa com consciência e razão considera o fardo de Deus, compartilha das preocupações Dele e dá tudo de si pelos interesses da casa de Deus. Quando algo interfere no trabalho ou nos interesses da casa de Deus, essa pessoa se manifesta e permite que seus interesses sofram para proteger os interesses da igreja. Ela é um verdadeiro membro da casa de Deus. E quanto a mim? Quando vi que o irmão Chen era inapto e que o progresso do trabalho era afetado, eu não trabalhei com a irmã Zhang para resolver isso e permiti que o trabalho atrasasse. Se os irmãos não tivessem relatado de novo que os efeitos especiais estavam sendo afetados, eu não teria insistido que a irmã Zhang dispensasse o irmão Chen rapidamente. A essa altura, ele já teria sido dispensado, mas depois de meses de atraso, como a perda de pessoal e de recursos poderia ser compensada? Deus me deu a chance de cumprir meu dever, de praticar como líder. Deus me deu esse dever para que eu buscasse a verdade, fosse responsável e leal em meu dever, descobrisse e resolvesse vários problemas na igreja em tempo oportuno e fizesse trabalho prático. Mas eu tinha vivido segundo venenos satânicos, como “Deixe as coisas seguirem se não afetarem alguém pessoalmente”, “Que cada um varra sua própria casa”, e “Quanto menos problemas, melhor”. Eu só me preocupava com o trabalho pelo qual eu era responsável. Quando as coisas nada tinham a ver com meus interesses, status ou reputação, eu não me importava nem um pouco. Eu só protegia meu status e reputação, não me importava com o trabalho da família de Deus nem em ajudar quando via que os interesses da casa de Deus estavam sofrendo. Eu era muito egoísta, indiferente e carecia de consciência! Na verdade, mesmo quando fazia o que era explicitamente tarefa minha e cumpria minhas responsabilidades, eu não fazia isso para praticar a verdade, satisfazer a Deus e cumprir o dever de um ser criado, mas para proteger meu status, reputação e interesses pessoais. No fim, Deus não aprovaria nem reconheceria que eu fosse um membro da casa de Deus. Se não me arrependesse e mudasse, em algum momento, eu seria rejeitada e eliminada por Deus por resistir a Ele. Quando percebi isso, orei a Deus para dizer que queria me arrepender e que não seria mais egoísta e desprezível nem consideraria mais só os meus interesses em meu dever.

Mais tarde, lembrei-me da comunhão de Deus sobre as responsabilidades dos líderes. Uma delas é: “Manter-se informado sobre as circunstâncias dos supervisores de trabalhos diferentes e do pessoal responsável por vários trabalhos importantes e realocá-los ou substituí-los prontamente quando necessário, a fim de impedir ou mitigar perdas decorrentes de usar pessoas inadequadamente e garantir a eficácia e o progresso tranquilo do trabalho” (“Identificando falsos líderes (1)”). E duas outras passagens da palavra de Deus também me impressionaram. Deus Todo-Poderoso diz: “Diferentes supervisores de trabalho e equipes responsáveis por trabalhos importantes: é crítico e de grande importância se eles possuem a realidade da verdade, têm princípios em suas ações e conseguem fazer o trabalho da casa de Deus? (Sim.) Se os líderes e obreiros ganham um entendimento correto da situação dos principais supervisores responsáveis por vários projetos e fazem ajustes apropriados no pessoal, isso é como vigiar cada programa de trabalho. É equivalente a cumprir seu dever e responsabilidade. Se esse pessoal não estiver disposto corretamente e surgir um problema, o trabalho da igreja será profundamente impactado. Se esse pessoal tiver boa humanidade, possuir um fundamento na fé, for responsável ao lidar com as questões e for capaz de buscar a verdade para resolver problemas, então colocá-los no controle do trabalho a eles, evitará muitos problemas. O importante é que o trabalho possa progredir sem problemas. Mas se os supervisores de equipe não forem confiáveis, forem de humanidade pobre, não tiverem um comportamento bom e não colocarem a verdade em práticae, além disso, tenderem a causar perturbaçõesentão eles certamente transformarão as coisas em uma confusão, e isso comprometerá todo o trabalho da igreja. O impacto disso não será pequeno Se apenas lhes faltar seriedade e eles forem negligentes em suas obrigações, isso poderá causar atrasos no trabalho; a velocidade do progresso será um pouco menor; e o trabalho, um pouco menos eficiente. No entanto, se for um anticristo, o problema é sério: não é questão de o trabalho ser um pouco ineficiente e ineficazele prejudicará, perturbará e paralisará todo o trabalho pelo qual são responsáveis. E assim, manter-se informado sobre o supervisor de cada projeto e o outro pessoal importante e fazer ajustes e dispensas oportunos não é uma obrigação da qual os líderes e trabalhadores podem se esquivaré um trabalho muito sério e muito importante. Se líderes e trabalhadores conseguem ficar a par da humanidade dos vários supervisores, do pessoal em geral e de sua atitude em relação à verdade, bem como de seu estado e condição em cada estágio, e conseguem ajustar ou tratar dessas coisas prontamente de acordo com as circunstâncias, então o trabalho pode progredir continuamente. Inversamente, se essas pessoas perderem o controle e não fizerem trabalho real nas igrejas, e os líderes e obreiros não forem rápidos em identificar o ocorrido e fazer ajustes, e esperarem até que o trabalho tenha sido malfeito antes de identificar os problemas, o que significa lidar com os problemas após se tornarem sérios e somente então tentar lentamente ajustar, corrigir e redimir a situação, então tais líderes e obreiros terão falhado completamente em suas obrigações. Eles são falsos líderes” (“Identificando falsos líderes (3)”). “Falsos líderes nunca se informam nem monitoram a situação atual dos supervisores de grupo, tampouco se informam, monitoram ou tentam entender a situação referente à entrada na vida, a atitude em relação ao trabalho e o dever, e as várias atitudes em relação a Deus e a crença em Deus dos supervisores de grupo e dos funcionários responsáveis por trabalhos importantes; falsos líderes não se informam sobre suas transformações, seu progresso ou os vários problemas que surgem durante seu trabalho, especialmente quando se trata do efeito sobre o trabalho da igreja e os escolhidos de Deus, dos erros e desvios que ocorreram durante vários estágios do trabalho. Falsos líderes não sabem nada sobre isso. Por não conhecerem esses detalhes, eles se tornam passivos quando problemas aparecem. Quando falsos líderes trabalham, eles não se importam com esses detalhes. Simplesmente arranjam supervisores de grupo e então supõem que sua tarefa está feita assim que passam o trabalho adiante. Eles acreditam que, com isso, o seu trabalho está feito e quaisquer problemas subsequentes não têm nada a ver com eles. Por não supervisionarem, orientarem nem acompanharem os supervisores de cada grupo, por não cumprirem suas responsabilidades nessas áreas, o trabalho é arruinado. É isso que significa ser negligente como líder ou obreiro. Deus tem o poder de enxergar o coração das pessoas, mas os humanos não têm; por isso, quando faz o seu trabalho, você deve ser diligente. Deve ir frequentemente ao local para supervisionar, orientar e acompanhar, e não deve ser preguiçoso. Deve acompanhar o trabalho do início ao fim; essa é a única forma de garantir que ele seja bem-feito. Obviamente, os falsos líderes são irresponsáveis em seu trabalho. Eles são irresponsáveis desde o início, quando arranjam o trabalho. Nunca supervisionam, não acompanham nem oferecem orientação. Como resultado, ainda se permite a certos supervisores permanecer nessa função mesmo quando surge todo tipo de problema e eles são incompetentes para lidar com isso. No final, o trabalho é repetidamente atrasado, todo tipo de problema permanece sem solução, e o trabalho é arruinado. Esse é o resultado da incapacidade dos falsos líderes de compreender e acompanhar os supervisores. É causado inteiramente pelos falsos líderes, quando abandonam o dever. No que diz respeito a se os supervisores estão fazendo seu trabalho corretamente e se fizeram trabalho real, visto que os falsos líderes não fazem inspeções, não se mantêm informados frequentemente sobre o que está acontecendo e não têm um entendimento atualizado da situação, eles não fazem ideia de quão bem os supervisores estão trabalhando, do progresso que estão fazendo e se estão fazendo trabalho prático ou só gritando mantras e usando certos fenômenos superficiais para lidar superficialmente com o Alto. Quando indagados sobre o trabalho de determinado supervisor e sobre o trabalho específico em que ele está envolvido, eles respondem: ‘Eu não sei, eles participam de todas as reuniões, e sempre que me comunico com eles sobre o trabalho, eles não dizem que há problemas ou dificuldades’. Essa é a extensão do conhecimento do falso líder; equivocadamente, ele acredita que, contanto que o supervisor não se esquive de suas responsabilidades e esteja constantemente de prontidão, isso é uma demonstração prática do fato de que não há nada de problemático com ele. É assim que os falsos líderes trabalham. Isso é um indício de falsidade? Eles estão ou não falhando no cumprimento de sua responsabilidade? Isso é um grave abandono de dever” (“Identificando falsos líderes (3)”). A palavra de Deus me mostrou que uma das tarefas principais de um líder é escolher a pessoa certa para cada área de trabalho. Só quando a pessoa certa é responsável, cada área de trabalho pode avançar sem problemas. É isso que significa cumprir seu dever e responsabilidade. Se o responsável for de calibre pobre, não conseguir fazer trabalho prático nem resolver problemas, ou se ele tiver algum calibre, mas negligenciar os deveres, não seguir a senda certa e não cumprir corretamente o dever, isso perturbará o trabalho da casa de Deus, e os irmãos em sua esfera de responsabilidade também serão afetados. Se o responsável for um malfeitor ou um anticristo e não for substituído a tempo, no fim, ele só causará perturbação e danos sérios ao trabalho da casa de Deus e até paralisará o trabalho. Então, quando líderes e obreiros escolhem o responsável, eles devem acompanhar e supervisionar com frequência, identificar os desvios e problemas do responsável nos deveres dele e oferecer comunhão e ajuda oportunas para resolvê-los a fim de reduzir o impacto dos desvios e problemas sobre o trabalho. Os responsáveis que têm calibre pobre e não fazem trabalho prático também devem ser transferidos e dispensados rapidamente para garantir o curso normal do trabalho. Essa é a responsabilidade como líder. Se esperarmos até que o responsável inadequado afete o trabalho e cause grandes danos para dispensá-lo, seremos negligentes em nosso dever e seremos falsos líderes. Eu não era a responsável direta pelo trabalho do irmão Chen, mas, como uma líder de igreja, já que meus irmãos tinham relatado os problemas dele para mim, eu tinha a responsabilidade de investigar e acompanhar para proteger o trabalho da casa de Deus. Mas eu assumi uma atitude irresponsável e o ignorei, o que atrasou a resolução do problema e fez com que o trabalho fosse prejudicado. Não era esse o comportamento de um falso líder? Ao mesmo tempo, refleti sobre a irmã Zhang. Ela era responsável pelo trabalho do irmão Chen e estava sempre em contato com ele. Naquele período, eu a lembrei várias vezes que o irmão Chen tinha problemas. Mas ela acompanhou e investigou a situação do irmão Chen? Se tivesse, ela teria visto que o irmão Chen não era apto como líder de equipe, por que, então, ela não tinha substituído o irmão Chen? Se ela sabia que o irmão Chen tinha um problema e não o substituiu, ela não era um dos falsos líderes revelados por Deus? Então enviei uma mensagem e perguntei para a irmã Zhang. Mas ela alegou não ter discernimento sobre o irmão Chen e que, quando a lembrei, ela não levou o caso a sério e não investigou a fundo o desempenho do irmão Chen. Ela não fez trabalho prático nem resolveu problemas reais. Isso não foi uma negligência grave? Foi nesse período que meus líderes me enviaram duas avaliações sobre a irmã Zhang. Relataram que a irmã Zhang cumpria seus deveres sem nenhum senso de fardo e não acompanhava o trabalho em tempo oportuno, o que impactava seriamente o progresso do trabalho. Quando esses problemas surgiram, ela não refletiu sobre si mesma e, muitas vezes, cochilava nas reuniões. Depois de ler isso, senti ainda mais que a irmã Zhang era uma falsa líder. Eu sabia que eu havia sido egoísta, desprezível e irresponsável em relação ao irmão Chen, e o fato de eu não o ter dispensado a tempo causou atrasos na produção de vídeos. Agora que os problemas da irmã Zhang eram tão evidentes, eu não podia ignorar isso.

Lembrei-me das palavras de Deus: “Qualquer que seja o dever que você está cumprindo, somente quando persistir em agir de acordo com os princípios da verdade você terá cumprido verdadeiramente a sua responsabilidade; agir sem se envolver de acordo com o jeito humano de fazer as coisas é ser superficial e descuidado; somente se aderir aos princípios da verdade você estará cumprindo devidamente o seu dever e a sua responsabilidadeo que é uma das manifestações de lealdade para com o seu dever. Somente quando tiver esse senso de responsabilidade e essa vontade e desejo, somente quando houver em você a manifestação de lealdade para com o seu dever, somente então Deus o favorecerá e olhará para você com aprovação. Se não tiver nem esse senso de responsabilidade, Deus o tratará como um preguiçoso, como um tolo, e o desprezará. De um ponto de vista humano, significa desrespeitar você, não levar você a sério e menosprezá-lo” (“Identificando falsos líderes (8)”). As palavras de Deus são muito claras. Só aquele que tem uma atitude responsável em relação ao próprio dever, que trabalha com devida diligência, pode ser considerado alguém leal l e confiável nos deveres. Algumas pessoas servem como líderes, mas não fazem trabalho prático, são irresponsáveis em tudo que fazem, são descuidados e negligentes e agem de improviso. Tais pessoas têm humanidade ruim e não são confiáveis. Não são nem um pouco críveis, e Deus as despreza. As palavras de Deus também me mostraram uma senda de prática. Quando confrontada com problemas no trabalho da igreja, devo investigar na hora e claramente e lidar com eles segundo os princípios e cumprir meus deveres e responsabilidades proativamente. Isso está alinhado com a vontade de Deus. Agora, os irmãos tinham relatado que a irmã Zhang não fazia trabalho prático. Se fosse verdade, a responsabilidade dela pelo trabalho da igreja afetaria não só o progresso do trabalho, mas prejudicaria também a entrada na vida dos meus irmãos. Por isso eu deveria me informar logo sobre o desempenho da irmã Zhang em seus deveres e avaliar com base nos princípios se ela estava qualificada para ser uma líder. Então, procurei meus líderes para discutir o assunto, que, por acaso, tinham acabado de saber do comportamento da irmã Zhang. Juntos, verificamos as denúncias e determinamos que os relatos sobre os problemas dela eram verdadeiros. A irmã Zhang era uma falsa líder que não fazia trabalho prático, então a dispensamos de seus deveres no mesmo dia. Depois de praticar desse jeito, me senti realmente em paz.

Por meio dessa experiência, vi que minha natureza era muito egoísta. Meu coração não era uno com Deus em meu dever, meus interesses eram prioridade e eu ainda estava longe de cumprir as exigências de Deus. Sem o julgamento da palavra de Deus e daquilo que os fatos expuseram, eu nunca teria percebido minhas falhas e deficiências e nunca teria alcançado arrependimento e mudanças reais. Ao mesmo tempo, entendi também que ser leal e responsável em meu dever e proteger os interesses da casa de Deus é o único jeito de ter consciência e humanidade e de ganhar a aprovação de Deus, e que só assim posso ter verdadeira paz e alegria. Graças a Deus!

O alarme dos últimos dias já tocou e grandes desastres já começaram. Você quer dar as boas-vindas ao retorno do Senhor e ter a chance de receber a proteção de Deus com sua família?

Conteúdo relacionado

Uma denúncia equivocada

Por Xiaojie, Austrália Por mais de um ano, Deus tem comungado sobre as verdades de se discernir falsos líderes. Nas reuniões, eu costumava...

Entre em contato conosco pelo WhatsApp