Estudo de Zacarias 13:9: Por que Deus permite que soframos?

10 de Fevereiro de 2022

Por Li Tong

Muitos cristãos se sentem confusos: Deus é amor, e Ele é todo-poderoso, então por que Ele permite que soframos? Será que Ele nos abandonou? Essa pergunta sempre me intrigou, mas ultimamente, através da oração e da busca, ganhei um pouco de iluminação e luz. Isso resolveu meus mal-entendidos sobre Deus, e entendi que o sofrimento não é Deus nos deixando de lado, mas é muito cuidadosamente organizado por Deus para nos purificar e nos salvar. Essas provações e refinamentos são a maior graça de Deus para nós!

Provações e refinamentos são a maior graça de Deus

Deus diz: “E farei passar esta terceira parte pelo fogo, e a purificarei, como se purifica a prata, e a provarei, como se prova o ouro. Ela invocará o Meu nome, e Eu a ouvirei; direi: É Meu povo; e ela dirá: Jeová é meu Deus” (Zacarias 13:9). “Eis que te purifiquei, mas não como a prata; provei-te na fornalha da aflição” (Isaías 48:10). E em 1 Pedro 5:10, diz: “E o Deus de toda a graça, que em Cristo vos chamou à Sua eterna glória, depois de haverdes sofrido por um pouco, ele mesmo vos há de aperfeiçoar, confirmar e fortalecer”.

Podemos ver nas palavras de Deus e nas escrituras que há a vontade de Deus no que Ele permite que soframos, e é inteiramente para nos purificar e salvar; é um tesouro precioso concedido a nós por Deus. Antes que as provações e refinamentos cheguem até nós, todos nós pensamos em nós mesmos como pessoas que defendem o caminho de Deus, e alguns de nós até sentem que, ao abandonar, gastar, trabalhar e se ocupar para Deus, ao sofrer e pagar um preço, somos completamente atenciosos, pela vontade de Deus, que somos as pessoas que mais O amamos e que somos os mais devotados a Ele. Acreditamos que não importa quem mais possa se tornar negativo e fraco ou trair a Deus, nunca poderíamos fazer tal coisa. Mas a realidade é que quando nos deparamos com dificuldades como perder o emprego ou dificuldades financeiras, reclamamos de Deus, perdemos nossa fé e até mesmo nos tornamos relutantes em gastar mais tempo com Ele. Quando o infortúnio atinge nossa família ou ocorre alguma calamidade, ainda podemos reclamar de Deus, porque algo afetou nossos interesses pessoais. Defendemos nosso caso e lutamos, e em casos graves, traímos a Deus e abandonamos nossa fé. Deus declarou em muitas ocasiões que Ele requer que sigamos Seu caminho, e exigiu, “Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento” (Mateus 22:37). No entanto, sempre calculamos para promover nossos interesses carnais e os valorizamos acima de nosso amor por Deus. Quando Deus age de acordo com nossas noções, agradecemos e louvamos a Ele, mas quando Ele não o faz, desenvolvemos mal-entendidos e reclamações sobre Deus, ou até O traímos. Isso nos mostra quão profundamente Satanás nos corrompeu. Sempre buscamos bênçãos em nossa fé, que é essencialmente tentar negociar com Deus — fazer isso realmente é ser egoísta, desprezível e totalmente desprovido de razão! Nesse ponto, podemos obter algum entendimento verdadeiro dos caracteres satânicos de rebelar-se e opor-se a Deus, que está dentro de nós, bem como algum discernimento sobre os motivos e noções errôneas em nossa fé. Podemos ver que o que vivemos está muito longe do que Deus exige de nós, e que somos totalmente indignos de receber as bênçãos e a aprovação de Deus. Da mesma forma, por meio de tais provações e refinamentos, podemos experimentar a santidade e a justiça de Deus, e sentir quantas adulterações existem em nossa fé Nele. Se continuarmos a crer Nele com a intenção de buscar bênçãos, só faremos com que Deus fique desgostoso conosco e nos odeie. Uma vez expostos através de provações, somos capazes de ver que nossa corrupção é muito grande, e nossas deficiências são muitas, e assim podemos começar a nos aproximar de Deus em oração, ler Suas palavras e então refletir e conhecer os lugares dentro de nós que não está de acordo com a vontade de Deus. Podemos buscar como satisfazer a Deus, e dar testemunho Dele, e inconscientemente, desenvolvemos um relacionamento muito mais próximo com Deus. Após essa experiência, não apenas ganhamos compreensão de nós mesmos e alguma compreensão do caráter de Deus, mas também nos tornamos mais estáveis e maduros, e nosso caráter arrogante e enganoso muda um pouco. Só assim poderemos compreender verdadeiramente que enquanto as provações e refinamentos nos causam algum sofrimento carnal, o fruto que produz em nós é a salvação e a purificação, que são muito benéficas e edificantes para nossas vidas.

Também podemos ver isso nas experiências dos santos ao longo dos tempos. Antes de Deus fazer uso de Moisés, Ele primeiro fez Moisés temperar no deserto por 40 anos. Naquela época, Moisés suportou todo tipo de dificuldade, não havia ninguém com quem falar, e ele era frequentemente confrontado com feras e clima severo. Sua vida estava constantemente em perigo. Ele certamente sofreu muito em um ambiente tão hostil. Algumas pessoas podem perguntar: “Deus não poderia ter colocado Moisés diretamente em uso? Por que Ele teve que mandá-lo para o deserto por 40 anos primeiro?” Nisto encontramos a benevolência de Deus. Sabemos que Moisés era uma pessoa direta com senso de justiça, mas tinha temperamento e tendência a agir impulsivamente por causa de sua ideia de justiça. Quando ele viu um soldado egípcio açoitando um israelita, ele atingiu o egípcio na cabeça com uma pedra, matando-o. O temperamento inato e o espírito heróico de Moisés não estavam de acordo com a vontade de Deus, então se Deus o tivesse usado diretamente, ele teria continuado a confiar nessas características em suas ações e nunca teria sido capaz de completar o que lhe foi confiado — liderar os israelitas do Egito. É por isso que Deus fez com que Moisés ficasse no deserto por 40 anos, para que ele estivesse mais apto para o uso de Deus. Em um ambiente tão árduo e hostil, Moisés não apenas orava e clamava constantemente a Deus, mas via a onipotência e o domínio de Deus e confiava em Deus para sua sobrevivência contínua. Os elementos temperamentais e naturais dele foram desgastados, e ele desenvolveu fé e submissão genuínas a Deus. Então, quando Deus chamou Moisés para assumir Sua comissão, levando os israelitas para fora do Egito, Moisés foi capaz de aceitar e obedecer sem qualquer resistência, e com a orientação de Deus, ele executou a comissão de Deus sem problemas.

Há também a história de Jó na Bíblia. Jó sofreu as provações de suas posses serem despojadas, seus filhos destruídos, e ele próprio desenvolvendo furúnculos por todo o corpo, mas apesar de seu sofrimento, ele nunca pecou com suas palavras; ele não reclamou de Deus, mas aceitou tudo de Deus, dentro de seu coração. Ele também foi capaz de buscar a vontade de Deus, e finalmente, disse: “Jeová deu, e Jeová tirou; bendito seja o nome de Jeová” (Jó 1:21) e “Receberemos de Deus o bem, e não receberemos o mal?” (Jó 2:10). Ele confiou em sua fé, medo e submissão a Deus para dizer essas coisas, e assim, deu testemunho de Deus. A razão pela qual Jó foi capaz de testemunhar através de tão grandes provações, foi que ele acreditava que Deus governa todas as coisas, e que seus pertences e filhos haviam sido dados a ele por Deus, então era direito de Deus tirá-los. Como um ser criado, ele deve aceitar e submeter-se. A capacidade de Jó de se colocar na posição de um ser criado, e obedecer incondicionalmente ao Criador era testemunha de Deus. Mais tarde, Deus apareceu a Jó em uma tempestade, e Jó ouviu Deus falar com ele com Sua própria boca e viu as costas de Deus; ele ganhou uma compreensão genuína de Deus. Jó colheu uma recompensa que nunca teria ganho em um ambiente confortável, e essa foi a maior bênção concedida a Jó, por meio de provações e refinamentos. Assim como Jó disse a seus amigos depois de suas provações. “Provando-me ele, sairei como o ouro” (Jó 23:10).

Isso nos mostra que provações e refinamentos são, na verdade, o amor verdadeiro e real de Deus por nós. Somente através deles podemos ser purificados e salvos por Deus, tornando-nos assim pessoas que estamos de acordo com a vontade de Deus. Esta é a razão pela qual Deus permite que essas coisas nos aconteçam.

A graça material pode nos ajudar a crescer em nossas vidas?

Muitas vezes, não entendemos as boas intenções de Deus, e esperamos que as coisas aconteçam como desejamos. Estamos particularmente relutantes em passar por testes e refinamentos. Em vez disso, esperamos uma vida totalmente pacífica, sem catástrofes em nossas vidas ou na vida de nossos entes queridos. Queremos que tudo corra bem e desfrutemos das bênçãos e da graça de Deus. Mas será que alguma vez nós consideramos, se um ambiente confortável pode nos permitir se livrar de nossos caracteres corruptos? As bênçãos materiais podem realmente nos ajudar a conhecer o caráter e o ser de Deus? Se apenas desfrutarmos de Sua misericórdia e graça, isso pode aumentar nossa fé Nele, e nos permitir desenvolver verdadeiro amor e submissão a Deus? As palavras de Deus dizem: “Se você só desfruta da graça de Deus, tendo uma vida de família pacífica ou bênçãos materiais, então você não ganhou Deus, e sua crença Nele não pode ser considerada bem-sucedida. Deus já realizou um estágio da obra da graça na carne e já concedeu bênçãos materiais ao homem, mas o homem não pode ser aperfeiçoado somente com graça, amor e misericórdia. Nas experiências do homem, ele encontra algo do amor de Deus e percebe esse amor e misericórdia de Deus, mas, mesmo tendo experimentado durante um período, ele vê que a graça de Deus e Seu amor e misericórdia são incapazes de aperfeiçoar o homem e de revelar o que é corrupto no homem, tampouco são capazes de livrar o homem de seu caráter corrupto ou tornar perfeito seu amor e fé. A obra da graça de Deus foi a obra de um período, e o homem não pode depender de desfrutar da graça de Deus para conhecê-Lo” (‘Somente experimentando provações dolorosas é que você pode conhecer a amabilidade de Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”).

As palavras de Deus são cristalinas. Se estivermos apenas focados em desfrutar da misericórdia e graça de Deus, não apenas seremos incapazes de ser libertos de nossos caracteres corruptos, mas não cresceremos em nossa vida espiritual, nem nossa fé, amor e obediência possivelmente seremos aperfeiçoados. A Bíblia diz: “A prosperidade dos loucos os destruirá” (Provérbios 1:32). Se vivermos constantemente em um ambiente confortável, sem nenhuma provação ou refinamento, nossos corações gradualmente se distanciarão de Deus, e provavelmente nos tornaremos depravados como resultado de nossa ganância pelos confortos das criaturas. Viveremos dentro de nossos caracteres corruptos, com nossas barrigas cheias de comida e nossas mentes vazias de preocupações, acabando por não realizar nada, desperdiçando nossa vida. É como ser pai — se você sempre mima seu filho e perdoa e tolera, não importa o que ele faça de errado, em que ponto esse filho será capaz de mudar seus traços negativos e amadurecer? Assim, um ambiente confortável não é nada benéfico para o nosso crescimento de vida; pelo contrário, nos tornará cada vez mais gananciosos pelos prazeres da carne e exigiremos constantemente a graça e as bênçãos de Deus, tornando-nos cada vez mais egoístas, gananciosos, maus e enganosos. Se quisermos escapar de nosso caráter corrupto e nos tornar pessoas de acordo com a vontade de Deus, não podemos nos contentar em aproveitar a graça e as bênçãos de Deus, mas também devemos passar por mais provações e refinamentos. Essa é a única maneira de nos livrarmos de nossos caracteres corruptos e sermos purificados por Deus.

Como passar por testes e refinamento

As palavras de Deus dizem: “Quando encarar sofrimentos, você deve ser capaz de deixar de lado qualquer preocupação com a carne e de não fazer reclamações contra Deus. Quando Deus Se esconde de você, você deve ser capaz de ter a fé para segui-Lo e de manter seu antigo amor sem permitir que fraqueje ou se dissipe. Não importa o que Deus faça, você deve se submeter ao Seu desígnio e estar preparado para amaldiçoar a própria carne em vez de fazer reclamações contra Ele. Quando encarar provações, você deve satisfazer a Deus, embora você possa chorar amargamente ou se sentir relutante em se separar de algum objeto amado. Somente isso é amor e fé verdadeiros. Não importa qual seja sua real estatura, você deve primeiro possuir tanto a disposição para sofrer dificuldades como a verdadeira fé, e também deve ter a disposição para abandonar a carne. Você deve estar disposto a suportar dificuldades pessoais e a sofrer perdas em seus interesses pessoais a fim de satisfazer a vontade de Deus. Você também deve ser capaz de sentir remorso de si mesmo no seu coração: no passado você não foi capaz de satisfazer a Deus e, agora, você pode se arrepender. Você não deve estar carente de nenhuma dessas coisas — é por meio dessas coisas que Deus aperfeiçoará você. Se você não pode satisfazer esses critérios, então você não pode ser aperfeiçoado” (‘Aqueles que hão de ser aperfeiçoados devem passar pelo refinamento’ em “A Palavra manifesta em carne”).

As palavras de Deus nos dão um caminho de prática. Quando encontramos dificuldades, nossa atitude em relação à obra de Deus é crucial e está diretamente relacionada a se seremos capazes de testemunhar de Deus e ser purificados e salvos por Ele. Se confiarmos em caracteres satânicos corruptos e formos gananciosos por confortos carnais por meio de provações e refinamentos, sempre considerando e planejando para o bem de nossos próprios interesses, muito provavelmente desenvolveremos reclamações sobre Deus; vamos lutar e nos opor a Ele, ou até mesmo fazer coisas para nos rebelar ou resistir a Deus. Então somos motivo de chacota para Satanás, e perdemos inteiramente nosso testemunho. Mas se formos capazes de aceitar e nos submeter à obra de Deus, através das dificuldades, e buscar a vontade de Deus, e os requisitos de nós dentro delas, se pudermos abandonar a carne e colocar a verdade em prática, preferindo sofrer na carne e dar testemunho de Deus, se pudermos experimentar esses ambientes com amor a Deus, e desejar satisfazê-Lo, poderemos entender mais verdades por meio dessas provações, nossos caracteres corruptos podem ser purificados por Deus e podemos nos tornar pessoas que estão de acordo com a vontade de Deus.

Não muito tempo atrás, alguns problemas surgiram na minha família — meu marido perdeu o fornecedor para o nosso negócio, meu filho estava tendo dificuldades no trabalho, e havia problemas constantes nos negócios. Eu estava realmente chateada e deprimida e simplesmente não conseguia parar de murmurar para Deus. Senti que passava todos os dias trabalhando duro para Deus, indo às ruas para compartilhar o evangelho e me gastando, então por que essas coisas estariam acontecendo em minha família? Por que Deus não protegeu minha família? Durante esse período, passei menos tempo lendo as Escrituras, e, embora continuasse frequentando reuniões e trabalhando, meu coração estava sempre cheio de amargura, e eu não sabia qual era a vontade de Deus para mim naquele ambiente.

Então, orei a Deus em busca e li estas palavras Dele: “Quantos creem em Mim apenas para que Eu possa curá-los. Quantos creem em Mim apenas para que Eu possa usar Meus poderes para expulsar espíritos impuros de seu corpo e quantos creem em Mim simplesmente para que possam receber paz e alegria de Mim. Quantos creem em Mim apenas para exigir de Mim maior riqueza material. Quantos creem em Mim apenas para passar esta vida em paz e estar sãos e salvos no mundo por vir. Quantos creem em Mim para evitar o sofrimento do inferno e receber as bênçãos do céu. Quantos creem em Mim apenas em busca de conforto temporário, mas não buscam ganhar nada no mundo por vir. Quando Eu fiz descer Minha fúria sobre o homem e tomei toda a alegria e paz que ele outrora possuía, o homem se tornou duvidoso. Quando Eu dei ao homem o sofrimento do inferno e recuperei as bênçãos do céu, a vergonha do homem se transformou em raiva. Quando o homem Me pediu para curá-lo, Eu não lhe dei atenção e senti repulsa por ele; o homem apartou-se de Mim para buscar, ao contrário, a senda do curandeirismo e da feitiçaria. Quando Eu tirei tudo que o homem tinha exigido de Mim, todos desapareceram sem deixar vestígios. Assim, Eu digo que o homem tem fé em Mim porque Eu concedo graça demais e há muitíssimo mais a ganhar” (‘O que você sabe sobre a fé?’ em “A Palavra manifesta em carne”).

Não pude deixar de chorar, ao ler as palavras de Deus — fiquei arrasada e senti dor, além de envergonhada. Vi que minha perspectiva de fé estava toda errada, e que era apenas para buscar bênçãos e graça. Quando Deus me abençoou, saí com entusiasmo e compartilhei o evangelho e me esforcei e não temi dificuldades nem exaustão. Mas quando surgiram dificuldades em minha família, comecei a viver em fraqueza e negatividade, desenvolvendo queixas sobre Deus, culpando-O por não proteger minha família. Eu ergui um muro contra Deus em meu coração. Eu tive que fazer um exame de consciência, perguntando a mim mesma: “Meu trabalho duro não é retribuir o amor de Deus, mas é apenas em troca das bênçãos de Deus — isso não é realizar uma transação com Deus? Como poderia esse tipo de fé — cheia de motivações incorretas e adulteração — ganhar a aprovação de Deus? Eu estava constantemente respirando o próprio sopro de Deus, desfrutando do sol, e da chuva que Ele criou e vivendo das generosidades da terra, feitas por Ele, mas não tinha pensamentos de retribuir a Deus por nada. Em vez disso, apenas fiz exigências constantes a Deus. Isso não é completamente desprovido de razão?”. Só então vi quão desprezível e malvada é esse tipo de fé em Deus — eu absolutamente não estava na posição de um ser criado em adoração a Deus. Eu também vim a entender que para ser obediente a Deus, eu tinha que primeiro me colocar na posição de um ser criado, e não importa o que o Criador faça, se Ele dá ou tira, eu tinha que obedecer e me submeter sem discutir, o meu caso. Somente esse é o tipo de razão que um ser criado deve possuir. Uma vez que eu entendi, resolvi a Deus, que não mais me importaria, com o que acontecesse nas situações de trabalho do meu marido ou do meu filho, eu estaria disposta a me submeter às orquestrações e arranjos de Deus, e não reclamar de Deus. Uma vez que percebi tudo isso, me senti muito mais livre e gradualmente saí do meu estado negativo. Eu não estava mais perturbado ou restringido por essas questões, mas pude trabalhar com calma e me dedicar ao Senhor.

Essa experiência realmente me mostrou como as provações, e o refinamento são incrivelmente benéficos para o nosso crescimento na vida. Mesmo sofrendo um pouco, com eles, colhemos tesouros muito preciosos na vida, e nossa fé e amor por Deus cresceram. Tenho certeza de que todos os irmãos e irmãs que buscam obter a aprovação de Deus, agora entendem as intenções sinceras de Deus e não guardam mais mal-entendidos sobre Ele, e que serão capazes de enfrentar quaisquer dificuldades, imperturbáveis. Em quaisquer provações ou coisas indesejáveis que enfrentarmos no futuro, que possamos nos aquietar diante de Deus, e buscar Sua vontade e buscar a verdade. Assim podemos experimentar as bênçãos trazidas a nós por Deus através de provações e refinamentos! Graças a Deus!

O alarme dos últimos dias já tocou e grandes desastres já começaram. Você quer dar as boas-vindas ao retorno do Senhor e ter a chance de receber a proteção de Deus com sua família?

Conteúdo relacionado

Como se cumpre a profecia do retorno de Jesus

Agora as profecias do retorno do Senhor já foram basicamente cumpridas, e todos nós temos visto ou ouvido das frequentes ocorrências de todos os tipos de desastres em todas as nações do mundo. Além disso, eles não têm precedentes históricos, e desastres estão ocorrendo por toda parte, como enchentes, secas, terremotos, pragas e guerras. O estado do mundo também está em crise, e há guerras e ataques terroristas frequentes. Além do mais, os sermões dos pastores e presbíteros na igreja nada mais são do que chavões obsoletos sem qualquer luz nova.

Conecte-se conosco no Messenger