7. A diferença entre as boas ações externas e as mudanças de caráter

Palavras de Deus relevantes:

Transformação no caráter se refere sobretudo a uma transformação da natureza da pessoa. As coisas da natureza de uma pessoa não podem ser vistas a partir de comportamentos externos; estão diretamente relacionadas ao valor e ao significado de sua existência. Isto é, envolvem diretamente a perspectiva de vida da pessoa e seus valores, as coisas nas profundezas de sua alma e a sua essência. Se uma pessoa não puder aceitar a verdade, não passará por nenhuma transformação nesses aspectos. Só ao experimentar a obra de Deus, entrar plenamente na verdade, mudar os valores e as perspectivas sobre a existência e a vida, alinhar os pontos de vista com os de Deus e se tornar capaz de submeter-se completamente e ser devotada a Deus, é que se pode dizer que o caráter da pessoa se transformou. Pode parecer que você faz algum esforço, você pode ser resiliente diante da adversidade, pode ser capaz de executar os arranjos da obra do alto ou pode ser capaz de ir aonde o mandarem ir, mas essas são apenas mudanças menores de comportamento e não são suficientes para contar como a transformação de seu caráter. Você pode ser capaz de percorrer muitas sendas, sofrer muitas dificuldades e suportar grande humilhação; você pode se sentir muito próximo de Deus e o Espírito Santo pode fazer alguma obra em você. Entretanto, quando Deus lhe pedir para fazer algo que não se conforma às suas noções, você ainda poderia não se submeter; antes, você poderia procurar desculpas e se rebelar contra Deus e resistir a Ele, chegando até a ponto de criticar Deus e protestar contra Ele. Isso seria um problema sério! Mostraria que você ainda tem uma natureza que resiste a Deus e que não passou por qualquer transformação que seja.

Extraído de ‘O que deveria ser conhecido sobre transformar o caráter da pessoa’ em “Registros das falas de Cristo”

As pessoas podem se comportar bem, mas isso não significa necessariamente que elas possuem a verdade. O fervor das pessoas só pode fazê-las respeitar a doutrina e seguir regulamentos; as pessoas sem a verdade não têm como resolver problemas substantivos e a doutrina não pode substituir a verdade. Aqueles que experimentaram uma mudança em seu caráter são diferentes. Aqueles que experimentaram uma mudança em seu caráter entenderam a verdade, têm discernimento em todas as questões, sabem como agir de acordo com a vontade de Deus, como agir de acordo com os princípios da verdade, como agir para satisfazer a Deus e entendem a natureza da corrupção que elas revelam. Quando suas ideias e noções são reveladas, elas são capazes de discernir e abandonar a carne. É assim que se expressa uma mudança no caráter. A principal coisa sobre uma mudança no caráter é que elas entenderam claramente a verdade e, quando realizam as coisas, põem a verdade em prática com relativa precisão e sua corrupção não é revelada com tanta frequência. Geralmente, pessoas cujo caráter mudou parecem ser particularmente razoáveis e perspicazes e, por causa de sua compreensão da verdade, não exibem tanta justiça própria e arrogância. Elas podem ver claramente e discernir muita da corrupção que é revelada, de modo que não dão origem à arrogância. Elas são capazes de ter uma compreensão ponderada sobre qual é o lugar do homem, como se comportar de maneira razoável, como ser obediente, o que dizer e o que não dizer, o que dizer e o que fazer a quais pessoas. É por isso que se diz que pessoas como essas são relativamente sensatas. Aquelas que tiveram uma mudança no caráter realmente vivem a semelhança de um humano e elas possuem a verdade. Elas sempre são capazes de falar e ver as coisas de acordo com a verdade e têm princípios em tudo que fazem; elas não estão sujeitas à influência de qualquer pessoa, assunto ou coisa e todas têm as próprias visões e podem conservar os princípios da verdade. O caráter delas é relativamente estável, elas não são inseguras e, não importa qual sua situação, compreendem como fazer seu dever adequadamente e como fazer as coisas para satisfazer a Deus. Aquelas cujo caráter mudou não estão focadas no que fazer para parecer bem em um nível superficial — elas têm clareza interna sobre o que fazer para satisfazer a Deus. Portanto, externamente, elas podem não parecer tão entusiasmadas ou como se tivessem feito algo grandioso, mas tudo o que fazem é significativo, é valioso e tem resultados práticos. Aqueles cujo caráter mudou certamente possuem muita verdade — isso pode ser confirmado por suas perspectivas sobre as coisas e seus princípios em suas ações. Aqueles que não possuem a verdade certamente não tiveram nenhuma mudança de caráter. Uma mudança de caráter não significa ter uma humanidade madura e experiente. Refere-se principalmente àquelas instâncias nas quais alguns dos venenos satânicos dentro da natureza das pessoas mudam como resultado de chegar a conhecer Deus e entender a verdade. Ou seja, esses venenos satânicos são limpos e a verdade expressa por Deus cria raízes dentro dessas pessoas, torna-se a vida delas e se torna o fundamento de sua existência. Só então elas se tornam novas pessoas e, como tais, seu caráter muda. Uma mudança de caráter não significa que o caráter externo das pessoas seja mais manso que antes, que elas costumavam ser arrogantes e agora falam com sensatez, ou que costumavam não ouvir ninguém e agora conseguem ouvir os outros; não se pode dizer que tais mudanças externas sejam mudanças no caráter. É claro que mudanças no caráter incluem esses estados e expressões, mas a coisa mais importante é que sua vida interior mudou. A verdade expressa por Deus se torna a própria vida delas, os venenos satânicos foram eliminados, suas perspectivas mudaram completamente e nada delas está de acordo com a perspectiva do mundo. Elas veem claramente os esquemas e venenos do grande dragão vermelho; elas compreenderam a verdadeira essência da vida. Assim, os valores de sua vida mudaram — essa é a mudança mais fundamental e a essência de uma mudança de caráter.

Extraído de ‘A diferença entre mudanças externas e mudanças no caráter’ em “Registros das falas de Cristo”

Na religião, muitas pessoas sofrem bastante ao longo da vida: subjugam seu corpo e carregam sua cruz e até continuam a sofrer e a tolerar quando estão à beira da morte! Algumas ainda estão jejuando na manhã de sua morte. A vida inteira elas se negam bons alimentos e vestuário, concentrando-se apenas no sofrimento. Elas são capazes de subjugar o corpo e renunciar à carne. Seu espírito de tolerar o sofrimento é elogiável. Mas o pensamento dessas pessoas, suas noções, sua atitude mental e, sem dúvida, sua antiga natureza não foram tratados nem um pouco. Elas carecem de todo e qualquer conhecimento verdadeiro de si mesmas. Sua imagem mental de Deus é aquela tradicional de um Deus vago e abstrato. Sua determinação de sofrer por Deus resulta de seu zelo e de sua natureza positiva. Embora acreditem em Deus, elas nem O entendem nem conhecem Sua vontade. Simplesmente trabalham e sofrem às cegas por Deus. Não dão valor algum a agir com discernimento, pouco se importam em como garantir que seu serviço realize de fato a vontade de Deus e menos ainda estão cientes de como alcançar o conhecimento de Deus. O Deus a quem servem não é Deus em Sua imagem original, mas um Deus envolto em lenda, um produto da própria imaginação delas, um Deus de quem só ouviram falar ou encontrado nas escritas. Então, usam sua imaginação fértil e devoção para sofrer por Deus e empreender a obra de Deus que Deus quer fazer. O serviço delas é por demais inexato, tanto que praticamente nenhuma delas é verdadeiramente capaz de servir de acordo com a vontade de Deus. Não importa o quão alegremente elas sofram, sua perspectiva original sobre o serviço e sua imagem mental de Deus permanecem inalteradas, porque elas não passaram pelo julgamento, castigo, refinamento e aperfeiçoamento de Deus, nem tiveram alguém que as conduzisse usando a verdade. Ainda que acreditem em Jesus, o Salvador, nenhuma delas jamais viu o Salvador. Elas só sabem Dele pelas lendas e por ouvir dizer. Como resultado, seu serviço equivale a não mais que servir a esmo, de olhos fechados, como um cego servindo ao próprio pai. O que, no fim, pode ser alcançado por tal serviço? E quem o aprovaria? Do começo ao fim, o serviço delas permanece inteiramente o mesmo; elas recebem apenas lições criadas pelo homem e baseiam seu serviço somente em sua naturalidade e nas próprias preferências. Que recompensa isso poderia trazer? Nem mesmo Pedro, que viu Jesus, sabia como servir de acordo com a vontade de Deus; ele só veio a sabê-lo no fim, em sua velhice. O que isso diz sobre aquelas pessoas cegas que não experimentaram o mínimo de serem tratadas e podadas e que não tiveram ninguém para guiá-las? O serviço de muitos entre vocês hoje não é como o dessas pessoas cegas? Todos os que não receberam julgamento, que não receberam poda e tratamento e que não mudaram — não estão todos conquistados de modo incompleto? De que utilidade são tais pessoas? Se o seu pensamento, seu conhecimento de vida e seu conhecimento de Deus não mostrarem uma mudança nova e se você verdadeiramente não ganhar algo, então você nunca alcançará algo notável em seu serviço! Sem uma visão e um conhecimento novo da obra de Deus, você não pode ser conquistado. Sua maneira de seguir Deus então será como daqueles que sofrem e jejuam: de pouco valor! É precisamente porque há pouco testemunho no que fazem que Eu digo que o serviço deles é fútil! Eles passam a vida sofrendo e sentados na prisão; são sempre tolerantes, amorosos e sempre carregam a cruz, são ridicularizados e rejeitados pelo mundo, experimentam toda e qualquer dificuldade e, embora sejam obedientes até o fim, ainda não são conquistados e não podem oferecer o testemunho de serem conquistados. Sofreram bastante, mas por dentro não conhecem Deus de maneira alguma. Nenhum de seus antigos pensamentos, velhas noções, práticas religiosas, conhecimento criado pelo homem e ideias humanas foi tratado. Não existe neles o menor sinal de conhecimento novo. Nenhuma parcela de seu conhecimento de Deus é verdadeira ou exata. Eles entenderam errado a vontade de Deus. Isso serve a Deus? Seja qual for o seu conhecimento de Deus no passado, se ele continua o mesmo hoje e você continua a basear seu conhecimento de Deus em suas noções e ideias próprias, não importa o que Deus faça, o que equivale a dizer que você não possui um conhecimento novo e verdadeiro de Deus e se deixa de conhecer a verdadeira imagem e o verdadeiro caráter de Deus, se o seu conhecimento de Deus ainda é guiado pelo pensamento feudal e supersticioso e ainda nasce da imaginação e das noções humanas, então você não foi conquistado. Eu lhe digo todas essas palavras hoje para que você possa conhecer, para que esse conhecimento possa conduzi-lo a um conhecimento mais novo e exato; Eu também digo essas palavras a fim de erradicar as velhas noções e a velha maneira de conhecer em você, para que você possa possuir um conhecimento novo. Se você verdadeiramente comer e beber as Minhas palavras, então seu conhecimento mudará consideravelmente. Contanto que coma e beba as palavras de Deus com um coração de obediência, então sua perspectiva será revertida. Contanto que você seja capaz de aceitar os repetidos castigos, sua antiga mentalidade mudará gradualmente. Contanto que sua antiga mentalidade seja inteiramente substituída pela nova, sua prática também mudará de acordo. Desse modo, seu serviço se tornará progressivamente mais certeiro, progressivamente capaz de satisfazer a vontade de Deus. Se você puder mudar sua vida, seu conhecimento da vida humana e suas muitas noções sobre Deus, então sua naturalidade gradualmente diminuirá. Isso, e nada menos que isso, é o efeito quando Deus conquista essas pessoas, é a mudança que ocorre nas pessoas. Se, em sua fé em Deus, tudo que você sabe é subjugar seu corpo e tolerar e sofrer, e você não sabe se isso é certo ou errado, muito menos por causa de quem é feito, então como tal prática pode levar à mudança?

Extraído de ‘A verdade interna da obra de conquista (3)’ em “A Palavra manifesta em carne”

Sempre que se congregam, essas pessoas religiosas perguntam: “Irmã, como tem passado esses dias?”. Ela responde: “Sinto-me em dívida com Deus e incapaz de satisfazer o desejo de Seu coração”. Outra diz: “Também eu estou em dívida com Deus e sou incapaz de satisfazê-Lo”. Essas poucas frases e palavras em si expressam as coisas vis que existem no fundo do coração dessas pessoas. São as palavras mais repulsivas, extremamente repugnantes. A natureza desses homens opõe-se a Deus. Aqueles que se concentram na realidade comunicam o que quer que tenham no coração e se abrem na comunicação. Não há um único exercício falso, nem cortesias nem cordialidades vazias. Eles são sempre francos e não observam regras terrenais. Existem aqueles que são propensos à exibição, mesmo que ela não faça sentido. Quando outro homem canta, ele começa a dançar, sem sequer se dar conta de que o arroz na sua panela já se queimou. Homens desse tipo não são devotos nem respeitáveis, além de ser frívolos ao extremo. Todas essas são manifestações da falta de realidade. Quando algumas pessoas comungam sobre as questões da vida no espírito, ainda que não falem de estar em dívida com Deus, elas guardam amor autêntico por Ele no coração. A dívida que você tem com Deus não tem nada a ver com outras pessoas; você está em dívida com Deus, não com o homem. Então, de que adianta você falar disso para os outros o tempo inteiro? Você deve atribuir importância a entrar na realidade, não ao zelo aparente ou à exibição.

O que representam as boas ações superficiais do homem? Elas representam a carne, e nem mesmo as melhores práticas exteriores representam a vida, mas apenas o seu temperamento individual. As práticas exteriores do homem não podem satisfazer o desejo de Deus. Você constantemente fala da sua dívida com Deus, mas não consegue suprir à vida dos outros ou motivá-los a amar a Deus. Você crê que ações como essas vão satisfazer a Deus? Você crê que esse é o desejo do coração de Deus, que é do espírito, mas na verdade é absurdo! Você crê que o que você deseja e lhe agrada é aquilo em que Deus Se delicia. Pode o que agrada a você representar o que agrada a Deus? Pode o caráter do homem representar a Deus? O que agrada a você é justamente o que Deus abomina e seus hábitos são o que Ele abomina e rejeita. Se você se sente em dívida, vá orar perante Deus. Não precisa falar disso com outras pessoas. Se, em vez de orar perante Deus, você fica constantemente chamando atenção para si na presença de outros, pode isso satisfazer o desejo do coração de Deus? Se suas ações são sempre apenas de aparência, você é o mais fútil dos homens. Que tipo de homem é o que tem só boas realizações superficiais, mas é desprovido de realidade? Tais homens são fariseus e pessoas religiosas hipócritas! Se vocês não deixarem suas práticas exteriores e não conseguirem fazer mudanças, os elementos de hipocrisia que há em vocês crescerão ainda mais. Quanto maiores os elementos de hipocrisia, maior a resistência a Deus e, no final, esse tipo de homem será lançado fora, com certeza!

Extraído de ‘Na fé, deve-se focalizar a realidade: engajar-se em ritual religioso não é fé’ em “A Palavra manifesta em carne”

Trechos de sermão e comunhão para referência:

No mundo religioso, há muitas pessoas devotas dizendo: “Nós mudamos devido à nossa fé no Senhor Jesus. Somos capazes de despender pelo Senhor, trabalhar para Ele e suportar o cativeiro por Ele, e não negamos Seu nome. Somos capazes de fazer muitas coisas virtuosas, doar à caridade, doar e ajudar os pobres. Essas são grandes mudanças! Portanto, estamos qualificados para ser conduzidos ao reino dos céus”. O que você acha dessas palavras? Você tem algum discernimento em relação a essas palavras? O que significa ser purificado? Você acha que, se seu comportamento mudou e você fez boas ações, você foi purificado? Alguém diz: “Eu abandonei tudo. Abandonei meu trabalho, minha família e os desejos da carne para despender por Deus. Isso equivale a ser purificado?” Mesmo que você tenha feito tudo isso, não é evidência sólida de que você foi purificado. Portanto, qual é a questão principal? Em qual aspecto você pode obter purificação que possa ser considerada verdadeira? (A purificação do caráter satânico que resiste a Deus.) Quais são as manifestações do caráter satânico que resiste a Deus? As manifestações mais óbvias são a arrogância, o convencimento, o farisaísmo e o orgulho próprio de uma pessoa, bem como sua desonestidade, traição, mentiras, engano e hipocrisia. Quando esses caracteres satânicos não mais fazem parte de uma pessoa, ela foi verdadeiramente purificada. Já dissemos que há 12 manifestações-chave no caráter satânico do homem, tal como se considerar o mais honrado; permitir que os que obedeçam a você prosperem e os que resistem a você pereçam; pensar que apenas Deus é superior a você, não se submetendo a mais ninguém e não tendo consideração pelos outros; criar um reino independente ao conquistar poder; querer ser o único detentor de poder e senhor de todas as coisas e decidir tudo sozinho. Todas essas manifestações são caracteres satânicos que devem ser purificados antes que alguém experimente uma mudança em seu caráter de vida. Uma mudança no caráter de vida de alguém é um renascimento, pois sua essência mudou. Antes, quando lhe concediam poder, ele era capaz de criar seu próprio reino independente. Agora, quando lhe concedem poder, ele serve a Deus, dá testemunho Dele e se torna um servo para o povo escolhido de Deus. Isso não é uma mudança genuína? Antes, ele se exibia em todas as situações e queria que outras pessoas o estimassem muito e o adorassem. Agora, ele dá testemunho de Deus por toda parte e não se exibe. Independentemente de como as pessoas o tratem, para ele está tudo bem. Independentemente de como as pessoas falem dele, para ele está tudo bem. Ele não se importa. Ele se concentra apenas em exaltar a Deus, dar testemunho Dele e ajudar os outros a ganhar uma compreensão de Deus e a obedecer em Sua presença. Isso não é uma mudança no caráter de vida? “Tratarei os irmãos e as irmãs com amor. Terei compaixão pelos outros em todas as situações. Não pensarei em mim e proporcionarei benefícios para os outros. Ajudarei os outros a progredir na vida e cumprirei minhas próprias responsabilidades. Ajudarei os outros a compreender e obter a verdade.” Isso é o que significa amar os outros como a si mesmo! Quando se trata de Satanás, você consegue discerni-lo, ter princípios, traçar uma linha demarcatória em relação a ele e revelar completamente os males de Satanás para que o povo escolhido de Deus seja poupado de suas injúrias. Isso é proteger o povo escolhido de Deus e, mais ainda, é amar os outros como a si mesmo. Além disso, você deve amar o que Deus ama e odiar o que Ele odeia. O que Deus odeia são anticristos, espíritos malignos e pessoas más. Isso significa que também devemos odiar anticristos, espíritos malignos e pessoas más. Nós temos de estar do lado de Deus. Não podemos fazer concessões a eles. Deus ama os que Ele quer salvar e abençoar. Devemos ser responsáveis por essas pessoas, tratá-las com amor, ajudá-las, conduzi-las, provê-las e apoiá-las. Isso não é uma mudança no caráter de vida de alguém? Além disso, quando você cometer algumas transgressões ou erros ou negligenciar os princípios ao fazer alguma coisa, poderá aceitar a crítica, a reprovação, o tratamento e a poda dos irmãos e irmãs; poderá lidar corretamente com todas essas coisas e recebê-las de Deus, não nutrir ódio algum e buscar a verdade para resolver sua própria corrupção. Isso não é uma mudança em seu caráter de vida? É, sim. […]

A mudança de comportamento, da qual se fala no mundo religioso, pode representar uma mudança no caráter de vida? Todos dizem que não. Por quê? A principal razão é porque a pessoa ainda resiste a Deus. Assim como os fariseus, que, externamente, eram muito devotos. Eles sempre oravam, explicavam as escrituras e seguiam muito bem os regulamentos da lei. Pode-se dizer que, externamente, eles eram irrepreensíveis. As pessoas não conseguiram identificar falhas neles. No entanto, por que eles ainda eram capazes de resistir e condenar a Cristo? O que isso indica? Não importa o quão bondosas as pessoas aparentem ser, se elas não tiverem a verdade e não conhecerem a Deus, ainda resistirão a Ele. Externamente, os fariseus eram muito bons, mas por que isso não conta como uma mudança no caráter de vida? É porque o caráter corrupto deles não sofreu nenhuma mudança, e eles ainda eram arrogantes, presunçosos e, especialmente, hipócritas. Eles acreditavam em seu próprio conhecimento, teorias e compreensão das escrituras. Achavam que entendiam tudo e que eram melhores que os outros. É por isso que resistiam e condenavam o Senhor Jesus quando Ele estava pregando e fazendo Sua obra. É por isso que, quando o mundo religioso ouviu que Cristo dos últimos dias havia expressado toda a verdade, eles O condenaram, embora soubessem ser a verdade.

Extraído de “Sermões e comunhão sobre a entrada na vida”

Anterior: 6. Diferenciação entre os líderes verdadeiros e os falsos e entre os pastores verdadeiros e os falsos

Próximo: 1. Conhecendo a fonte da oposição das pessoas à nova obra de Deus em sua crença Nele

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

1. O que é verdade? O que é doutrina e conhecimento da Bíblia?

A verdade é o mais real dos aforismos da vida e o mais alto de tais aforismos entre toda a humanidade. Porque ela é a exigência que Deus faz ao homem e é a obra realizada pessoalmente por Deus, é chamada de aforismo da vida. Não é um aforismo resumido de alguma coisa, nem uma citação famosa de uma grande personalidade; em vez disso, é a declaração para a humanidade do Mestre dos céus e da terra e de todas as coisas e não algumas palavras resumidas pelo homem, mas a vida inerente de Deus. E assim é chamado o mais alto de todos os aforismos da vida.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro