Aplicativo da Igreja de Deus Todo-Poderoso

Ouça a voz de Deus e dê as boas vindas ao retorno do Senhor Jesus!

Convidamos a todos os buscadores da verdade que entrem em contato conosco.

Palavras clássicas de Deus Todo-Poderoso, o Cristo dos últimos dias

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Largura da página

0 resultados

Nenhum resultado encontrado

VII Palavras clássicas sobre conhecer o Próprio Deus, o Único

(III) Palavras sobre a santidade de Deus

38. Que a santidade de Deus, a partir do centro de seu coração, é a perfeita essência de Deus, o amor desinteressado de Deus, que tudo isso que Deus concede ao homem é desinteressado, e você virá a saber que a santidade de Deus é imaculada e irrepreensível. Essas essências de Deus não são apenas palavras que Ele usa para mostrar Sua identidade, mas, ao contrário, Deus usa Sua essência para lidar silenciosa e sinceramente com cada indivíduo. Em outras palavras, a essência de Deus não é vazia, tampouco é teórica ou doutrinária e certamente não é um tipo de conhecimento. Ela não é um tipo de educação para o homem, mas, ao contrário, é a verdadeira revelação das próprias ações de Deus e a essência revelada do que Deus tem e é.

de ‘O Próprio Deus, o Único VI’ em “A Palavra manifesta em carne”

39. Você não verá Deus sustentar opiniões similares sobre coisas que as pessoas têm e, ademais, você não O verá usar os pontos de vista humanos, seu conhecimento, sua ciência ou sua filosofia nem a imaginação do homem para tratar das coisas. Em vez disso, tudo que Deus faz e tudo que Ele revela está conectado com a verdade. Isto é, toda palavra que Ele disse e toda ação que Ele tomou concerne à verdade. Essa verdade não é nenhuma fantasia sem fundamento; essa verdade e essas palavras são expressas por Deus devido à substância de Deus e Sua vida. Porque essas palavras e a substância de tudo que Deus fez são a verdade, podemos dizer que a substância de Deus é santa. Em outras palavras, tudo que Deus diz e faz traz vitalidade e luz às pessoas; permite que as pessoas vejam coisas positivas e a realidade dessas coisas positivas e aponta o caminho para a humanidade de modo que ela possa trilhar a senda correta. Essas coisas são determinadas por causa da substância de Deus e são determinadas devido à substância de Sua santidade.

de ‘O Próprio Deus, o Único V’ em “A Palavra manifesta em carne”

40. A que se refere a santidade de Deus de que Eu falo? Pensem nisso por um segundo. A veracidade de Deus é Sua santidade? A fidelidade de Deus é Sua santidade? A abnegação de Deus é Sua santidade? A humildade de Deus é Sua santidade? O amor de Deus pelo homem é Sua santidade? Deus concede livremente a verdade e a vida ao homem — isso é Sua santidade? (Sim.) Tudo isso que Deus revela é único; isso não existe dentro da humanidade corrupta, nem pode ser visto lá. Nem o menor vestígio disso pode ser visto durante o processo de corrupção do homem por Satanás, nem no caráter corrupto de Satanás, nem na essência ou natureza de Satanás. Tudo o que Deus tem e é é único e só o Próprio Deus tem esse tipo de essência, só o Próprio Deus possui esse tipo de essência. […] A essência da santidade é o amor verdadeiro, mas, mais do que isso, é a essência da verdade, justiça e luz. A palavra “santo” só é apropriada quando aplicada a Deus; nada na criação pode ser digno de ser chamado de santo. O homem deve entender isso.

de ‘O Próprio Deus, o Único VI’ em “A Palavra manifesta em carne”

41. “Ordenou Deus Jeová ao homem, dizendo: De toda árvore do jardim podes comer livremente; mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dessa não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás.” O que a ordem de Deus para o homem nessa passagem contém? Em primeiro lugar, Deus diz ao homem o que ele pode comer, a saber, os frutos de uma variedade de árvores. Não há perigo nem veneno, todos podem ser comidos, e comidos à vontade, sem hesitações. Essa é uma parte. A outra parte é uma advertência. Essa advertência indica ao homem a árvore cujo fruto ele não pode comer: ele não deve comer o fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal. O que acontecerá se ele comer? Deus disse ao homem: “Se você comê-lo, seguramente morrerá”. Essas são palavras diretas? Se Deus lhe dissesse isso, mas você não entendesse o por que, você trataria essas palavras como uma regra ou uma ordem a ser seguida? Deveria ser seguida, não é? Mas, quer o homem seja ou não capaz de segui-las, as palavras de Deus são inequívocas. Deus disse muito claramente ao homem o que ele pode comer e o que não pode, e o que acontecerá se ele comer o que não deveria. Você viu algum aspecto do caráter de Deus nessas breves palavras que Ele disse? Essas palavras de Deus são verdadeiras? Existe alguma trapaça? Existe alguma falsidade? Existe algum elemento ameaçador? (Não.) Honesta, leal e sinceramente Deus disse ao homem o que ele pode comer e o que não pode, em termos claros e simples. Existe algum sentido oculto nessas palavras? Essas palavras são diretas? Há alguma necessidade de conjectura? (Não.) Não há necessidade de adivinhar. O sentido delas é óbvio num olhar e você as entende assim que o vê. Está claro como cristal. Ou seja, o que Ele quer dizer e o que Ele quer expressar vêm de Seu coração. As coisas que Deus expressa são simples, diretas e claras. Não há motivos escusos nem significados ocultos. Ele falou diretamente ao homem, dizendo-lhe o que ele pode comer e o que não pode. Isso significa que, por meio dessas palavras de Deus, o homem pode ver que o coração de Deus é transparente, que o coração de Deus é verdadeiro. Não existe absolutamente nenhuma falsidade aqui; não está lhe dizendo que você não pode comer o que é comestível ou lhe dizendo: “Faça isso e veja o que acontece” com coisas que você não pode comer. Ele não quer dizer isso. Aquilo que Deus tem em Seu coração é o que Ele diz.

de ‘O Próprio Deus, o Único IV’ em “A Palavra manifesta em carne”

42. Deus criou o homem e, desde então, tem sempre conduzido a vida da humanidade. Quer ao dar bênçãos à humanidade, dar-lhe as leis e Seus mandamentos, ou ao estipular as várias regras para a vida, vocês sabem quais são os objetivos pretendidos por Deus ao fazer essas coisas? Em primeiro lugar, vocês podem dizer ao certo que tudo que Deus faz é para o bem da humanidade? Vocês podem pensar que essa é uma sentença relativamente ampla e vazia, mas, falando de modo específico, não é tudo que Deus faz para conduzir e guiar o homem na direção de uma vida normal? Quer seja para que o homem guarde Suas regras ou respeite Suas leis, o objetivo de Deus para o homem é que este não adore Satanás, não seja prejudicado por Satanás; isso é fundamental e foi isso que aconteceu no princípio. No começo de tudo, quando o homem não entendia a vontade de Deus, Ele tomou algumas leis e regras simples e fez provisões que cobriam todos os aspectos concebíveis. Essas provisões são simples e, não obstante, contêm a vontade de Deus. Deus preza, valoriza e ama profundamente a humanidade. Não é esse o caso? (Sim.) Podemos então dizer que Seu coração é santo? Podemos dizer que Seu coração é puro? (Sim.) Deus tem alguma intenção ulterior? (Não.) Então, esse Seu objetivo é correto e positivo? (Sim.) Não importa que provisões Deus tenha feito, no curso de Sua obra todas têm um efeito positivo para o homem, e elas mostram o caminho. Existe então algum pensamento interesseiro na mente de Deus? Deus tem quaisquer objetivos adicionais no que diz respeito ao homem, ou quer usar o homem de alguma maneira? (Não.) De modo algum. Deus faz o que diz, e Ele também pensa desse modo em Seu coração. Não existem propósitos misturados, nem pensamentos interesseiros. Deus não faz nada para Si Mesmo, mas faz absolutamente tudo para homem, sem nenhum propósito pessoal. Embora Ele tenha planos e intenções para o homem, Ele não faz nada para Si Mesmo. Tudo que Ele faz é feito puramente para humanidade, para protegê-la e impedi-la de ser levada a se desviar. Esse coração, portanto, não é precioso? Você consegue ver em Satanás o menor indício desse coração precioso? (Não.) Você não consegue ver nenhum indício disso em Satanás. Tudo que Deus faz é revelado naturalmente. Olhando para o modo como Deus opera, como é que Ele opera? Deus pega essas leis e Suas palavras e as amarra bem apertado na cabeça de cada pessoa como o feitiço do aro dourado,[a] impondo-as a cada uma? Ele opera desse modo? (Não.) Então, de que maneira Deus faz Sua obra? (Ele nos guia. Ele nos aconselha e encoraja.) Ele ameaça? Usa rodeios para falar com vocês? (Não.) Quando você não compreende a verdade, como Deus guia você? (Ele acende uma luz.) Ele acende uma luz em você, dizendo-lhe claramente que isso não está de acordo com a verdade, e o que você deve fazer. Com base nessas maneiras como Deus opera, que espécie de relacionamento você sente que tem com Deus? Elas fazem você pensar que Deus está além de seu entendimento? (Não.) Como, então, elas fazem você se sentir? Deus está especialmente próximo de você, não existe distância entre vocês. Quando Deus guia você, quando Ele provê para você, ajuda-o e o apoia, você sente a amabilidade de Deus, Sua respeitabilidade, você sente como Ele é adorável, como é afetuoso. Mas, quando Deus reprova sua corrupção, ou quando Ele julga e disciplina você por se rebelar contra Ele, que método Deus usa? Ele o repreende com palavras? Ele o disciplina por meio do seu ambiente e das pessoas, das situações e das coisas? (Sim.) Que nível essa disciplina alcança? Alcança o mesmo ponto em que Satanás prejudica o homem? (Não, ela alcança um nível que o homem pode suportar.) Deus opera de maneira gentil, amorosa, delicada e atenciosa, uma maneira especialmente dosada e apropriada. Sua maneira não faz você sentir emoções intensas como “Deus deve me deixar fazer isto” ou “Deus deve me deixar fazer aquilo”. Deus nunca lhe proporciona esse tipo de mentalidade intensa ou de sentimentos intensos que torna as coisas insuportáveis. Isso não está correto? Mesmo quando você aceita as palavras de Deus de julgamento e castigo, como é que você se sente então? Quando sente a autoridade e o poder de Deus, como você se sente então? Você sente que Deus é divino e inviolável? (Sim.) Você se sente distante de Deus nesses momentos? Sente medo de Deus? Não. Em vez disso, você sente uma temerosa reverência por Deus. As pessoas não sentem todas essas coisas por causa da obra de Deus? Elas teriam esses sentimentos se Satanás operasse no homem? (Não.) Deus usa Suas palavras, Sua verdade e Sua vida para prover continuamente ao homem, para apoiá-lo. Quando o homem é fraco, quando o homem está se sentindo abatido, Deus certamente não fala asperamente, dizendo: “Não fique abatido. Para que se abater? Por que se sente fraco? Que motivo há para se sentir fraco? Você está tão fraco e sempre tão abatido. De que adianta viver? Morra de uma vez!” Deus opera desse modo? (Não.) Deus tem autoridade para agir assim? (Sim.) Mas Deus não age assim. A razão pela qual Deus não age assim é Sua essência, a essência da santidade de Deus. Seu amor pelo homem, Seu valorizar e estimar o homem não podem ser claramente expressos em apenas uma ou duas sentenças. Não é algo que é ocasionado pelo vangloriar do homem, mas é algo que Deus cria na prática real; é a revelação de Sua essência. Podem todas essas maneiras pelas quais Deus opera permitir que o homem veja a santidade de Deus? Em todas essas maneiras pelas quais Deus opera, incluindo Suas boas intenções, incluindo os efeitos que Deus deseja alcançar no homem, incluindo os diferentes meios que Ele adota para operar no homem, o tipo de obra que realiza, o que Ele quer que o homem compreenda, você enxergou alguma maldade ou astúcia nas boas intenções de Deus? (Não.) Então, em tudo que Deus faz, em tudo que Deus diz, em tudo que Ele tem em Seu coração, assim como toda a essência que Ele revela, podemos chamar Deus de santo? (Sim.) Algum homem já viu alguma vez essa santidade no mundo ou em si mesmo? Além de Deus, você a viu em qualquer homem ou em Satanás? (Não.) Com base no que falamos até aqui, podemos chamar Deus de o Próprio Deus único e santo? (Sim.) Tudo que Deus dá ao homem, incluindo Suas palavras, as diferentes maneiras pelas quais opera no homem, aquilo que Ele diz ao homem, aquilo que Deus faz o homem recordar, aquilo que Ele aconselha e encoraja, tudo isso se origina da mesma essência: tudo se origina da santidade de Deus. Se não houvesse um Deus santo assim, homem algum poderia ocupar Seu lugar para realizar a obra que Ele faz.

de ‘O Próprio Deus, o Único IV’ em “A Palavra manifesta em carne”

43. Agora com a obra de Deus nos últimos dias, Ele não mais simplesmente concede graça e bênçãos ao homem como Ele fez no princípio, nem persuade as pessoas a seguir em frente. Durante essa etapa da obra, o que os homens têm visto de todos os aspectos da obra de Deus que experimentaram? Eles viram o amor de Deus e o juízo e o castigo de Deus. Neste tempo, Deus ademais provê, sustenta, ilumina e guia o homem para que ele gradualmente venha a conhecer Suas intenções, as palavras que Ele fala e a verdade que Ele concede ao homem. Quando o homem estiver fraco, quando ele estiver desanimado, quando não tiver para onde ir, Deus usará as Suas palavras para consolá-lo, aconselhá-lo e encorajá-lo, para que o homem de pequena estatura possa gradualmente encontrar a sua força, ascender em positividade e tornar-se disposto a cooperar com Deus. Mas, quando o homem desobedecer a Deus ou resistir a Ele, ou revelar a sua própria corrupção, Deus não mostrará misericórdia ao castigá-lo e discipliná-lo. Entretanto, para a loucura, a ignorância, a fraqueza e a imaturidade do homem, Deus mostrará tolerância e paciência. Dessa forma, através de toda a obra que Deus faz pelo homem, este gradualmente amadurece, cresce e passa a conhecer as intenções de Deus, a conhecer alguma verdade, a conhecer o que são coisas positivas e o que são coisas negativas, a conhecer o que é o mal e o que são as trevas. Deus nem sempre castiga e disciplina o homem, nem sempre mostra tolerância e paciência. Antes, Ele provê para cada pessoa de diferentes maneiras, em seus diferentes estágios e de acordo com suas diferentes estaturas e calibres. Ele faz muitas coisas pelo homem e com grande custo; o homem não percebe nada desse custo ou dessas coisas que Deus faz e, mesmo assim, tudo o que Ele faz é, na realidade, realizado em cada pessoa individual. O amor de Deus é real: através da graça de Deus, o homem evita um desastre depois do outro, enquanto que, pela fraqueza do homem Deus mostra reiteradamente Sua tolerância. O julgamento e o castigo de Deus permitem que as pessoas gradualmente venham a conhecer a corrupção da humanidade e a sua essência satânica. O que Deus provê, Sua iluminação do homem e Sua orientação permitem a humanidade conhecer cada vez mais da essência da verdade e conhecer de maneira crescente do que as pessoas precisam, que estrada devem tomar, para que vivem, o valor e o sentido de suas vidas e como percorrer a estrada à frente. Todas essas coisas que Deus faz são inseparáveis do Seu único propósito original. Qual é, pois, esse propósito? Por que Deus usa esses métodos para executar Sua obra no homem? Que resultado Ele quer alcançar? Em outras palavras, o que Ele quer ver no homem e obter dele? O que Deus quer ver é que o coração do homem pode ser reavivado. Esses métodos que Ele usa para operar no homem são para continuamente despertar o coração do homem, despertar o espírito do homem, fazer com que o homem saiba de onde ele veio, quem o está guiando, apoiando, provendo para ele e quem tem permitido ao homem viver até agora; eles são para permitir que o homem saiba quem é o Criador, a quem ele deve adorar, que tipo de estrada ele deve seguir e de que maneira o homem deveria chegar diante de Deus; eles são usados para gradualmente reavivar o coração do homem, de modo que o homem conheça o coração de Deus, entenda o coração de Deus, e compreenda o grande cuidado e pensamento por trás da Sua obra para salvar o homem. Quando o coração do homem é reavivado, ele não deseja mais viver a vida de um caráter degenerado e corrupto, mas, em vez disso, deseja seguir a verdade na satisfação de Deus. Quando o coração do homem tiver sido despertado, ele será capaz de fazer uma ruptura completa com Satanás, para não ser mais prejudicado por Satanás, para não ser mais controlado ou enganado por ele. Em vez disso, o homem pode cooperar com a obra de Deus e com Suas palavras de uma maneira positiva para satisfazer o coração de Deus, alcançando assim o temer a Deus e o evitar do mal. Esse é o propósito original da obra de Deus.

de ‘O Próprio Deus, o Único VI’ em “A Palavra manifesta em carne”

44. Durante sua longa vida, basicamente todo indivíduo encontrou muitas situações perigosas e passou por muitas tentações. Isso é assim porque Satanás está bem ali ao seu lado, de olhos fixos em você constantemente. Ele gosta quando acontece um desastre com você, quando as calamidades o assolam, quando nada dá certo para você e gosta quando você é pego na rede de Satanás. Quanto a Deus, Ele está protegendo você constantemente, prevenindo que você sofra um infortúnio após o outro e um desastre após o outro. É por isso que Eu digo que tudo que o homem tem — paz e alegria, bênçãos e segurança pessoal — está, de fato, sob o controle de Deus e Ele guia e decide o destino de cada indivíduo. Mas Deus tem uma percepção exagerada de Sua posição, como dizem algumas pessoas? Dizendo a você: “Eu sou o maior de todos, sou Eu que tomo conta de vocês, todos vocês devem implorar a Mim por misericórdia e a desobediência será punida com a morte”. Deus já ameaçou a humanidade desse jeito? (Não.) Ele já disse que “a humanidade é corrupta, portanto, não importa como Eu os trato, qualquer tratamento arbitrário servirá; Eu não preciso arranjar as coisas muito bem para ela.” Deus pensa dessa maneira? Deus agiu dessa maneira? (Não.) Pelo contrário, o tratamento de Deus para cada pessoa é sério e responsável, mais responsável até do que você é por si mesmo. Não é assim? Deus não fala em vão, nem assume ares de superioridade, nem se satisfaz enganando as pessoas. Em vez disso, Ele está honesta e silenciosamente fazendo as coisas que Ele Próprio precisa fazer. Essas coisas trazem bênçãos, paz e alegria ao homem. Elas trazem o homem pacífica e alegremente para a vista de Deus e para dentro de Sua família; então, elas vivem diante de Deus e aceitam a salvação de Deus com o pensamento e o raciocínio corretos. Então, Deus já foi ambíguo com o homem em Sua obra? Ele alguma vez deu uma falsa demonstração de amabilidade, enganando o homem com alguns agrados e depois virando as costas para o homem? (Não.) Deus alguma vez disse uma coisa e depois fez outra? Deus já fez promessas vazias e Se gabou, dizendo-lhe que pode fazer isso por você ou ajudar a fazer aquilo por você e depois sumiu? (Não.) Não há engano em Deus, nem falsidade. Deus é fiel e tudo o que Ele faz é real. Ele é o único com quem as pessoas podem contar e o Deus ao qual as pessoas podem confiar sua vida e tudo mais. Como não há engano em Deus, poderíamos dizer que Deus é o mais sincero? (Sim.) É claro que podemos, certo? Embora, falando sobre essa palavra agora, quando aplicada a Deus é muito fraca, humanizada demais, não há nada que possamos fazer a respeito disso, pois esses são os limites da linguagem humana. É um pouco impróprio aqui chamar Deus de sincero, mas usaremos essa palavra por enquanto. Deus é fiel e sincero. Então, o que queremos dizer ao falar sobre esses aspectos? Queremos dizer as diferenças entre Deus e o homem e as diferenças entre Deus e Satanás? Nós podemos dizer isso. Isso é assim porque o homem não pode ver um traço do caráter corrupto de Satanás em Deus. Estou correto em dizer isso? Posso receber um amém por isso? (Amém!) Não vemos nenhuma das maldades de Satanás revelada em Deus. Tudo o que Deus faz e revela é totalmente benéfico e útil para o homem, é feito inteiramente para prover o homem, é cheio de vida e dá ao homem uma estrada para seguir e uma direção a tomar. Deus não é corrupto e, além disso, olhando agora para tudo o que Deus faz, podemos dizer que Deus é santo? (Sim.) Como Deus não tem nada da corrupção da humanidade e não tem nada similar nem idêntico ao caráter corrupto da humanidade, nem da essência de Satanás, desse ponto de vista, podemos dizer que Deus é santo. Deus não revela corrupção e a revelação de Sua própria essência em Sua obra é toda a confirmação de que precisamos de que o Próprio Deus é santo. Vocês veem isso? Agora, para conhecer a essência santa de Deus, por enquanto vamos olhar para estes dois aspectos: 1) não há caráter corrupto em Deus; 2) a essência da obra de Deus no homem permite ao homem ver a própria essência de Deus e essa essência é inteiramente positiva. Pois as coisas que toda maneira da obra de Deus traz ao homem são todas positivas. Em primeiro lugar, Deus exige que o homem seja honesto — isso não é positivo? Deus dá sabedoria ao homem — isso não é positivo? Deus torna o homem capaz de discernir entre o bem e o mal — isso não é positivo? Ele permite que o homem entenda o significado e o valor da vida humana — isso não é positivo? Ele permite que o homem investigue a essência das pessoas, dos eventos e das coisas de acordo com a verdade — isso não é positivo? (Sim, é.) E o resultado de tudo isso é que o homem não é mais enganado por Satanás, não continuando a ser prejudicado por Satanás nem controlado por ele. Em outras palavras, ele permite que as pessoas se libertem completamente da corrupção de Satanás e, portanto, gradualmente andem na senda de temer a Deus e evitar do mal.

de ‘O Próprio Deus, o Único VI’ em “A Palavra manifesta em carne”

45. Agora, seu entendimento perceptivo da essência de Deus ainda requer um longo período de tempo para aprendê-la, confirmá-la, senti-la e experimentá-la, até que um dia você saberá que a santidade de Deus, a partir do centro de seu coração, é a perfeita essência de Deus, o amor desinteressado de Deus, que tudo isso que Deus concede ao homem é desinteressado, e você virá a saber que a santidade de Deus é imaculada e irrepreensível. Essas essências de Deus não são apenas palavras que Ele usa para mostrar Sua identidade, mas, ao contrário, Deus usa Sua essência para lidar silenciosa e sinceramente com cada indivíduo. Em outras palavras, a essência de Deus não é vazia, tampouco é teórica ou doutrinária e certamente não é um tipo de conhecimento. Ela não é um tipo de educação para o homem, mas, ao contrário, é a verdadeira revelação das próprias ações de Deus e a essência revelada do que Deus tem e é. O homem devia conhecer essa essência e compreendê-la, pois tudo que Deus faz e cada palavra que Ele diz é de grande valor e significância para cada uma das pessoas. Quando você chegar a compreender a santidade de Deus, você poderá realmente crer em Deus; quando você chegar a compreender a santidade de Deus, você poderá, então, realmente entender o verdadeiro significado das palavras “o Próprio Deus, o Único”. Você não mais imaginará que pode escolher caminhar por outras estradas, e não mais terá vontade de trair tudo que Deus tem arranjado para você. Porque a essência de Deus é santa, isso significa que somente por meio de Deus você pode caminhar na estrada certa e brilhante através da vida; somente por meio de Deus você pode conhecer o significado da vida, somente por meio de Deus você pode viver a humanidade real, possuir a verdade, conhecer a verdade, e somente por meio de Deus você pode obter a vida a partir da verdade. Somente o Próprio Deus pode ajudá-lo a evitar o mal e libertá-lo do dano e controle de Satanás. Além de Deus, ninguém e nada podem salvá-lo do mar de sofrimento de maneira que você não sofra mais: isso é determinado pela essência de Deus. Somente o Próprio Deus o salva tão desinteressadamente, somente Deus é definitivamente responsável pelo seu futuro, por seu destino e por sua vida, e Ele arranja todas as coisas para você. Isso é algo que nada criado ou não criado pode alcançar. Pois nada que foi criado ou que não foi criado possui a essência de Deus tal como essa, nenhuma pessoa ou coisa tem a habilidade de salvá-lo ou de liderá-lo. Essa é a importância da essência de Deus para o homem.

de ‘O Próprio Deus, o Único VI’ em “A Palavra manifesta em carne”

Nota de rodapé:

a. “O feitiço do aro dourado” se refere ao famoso romance chinês “Jornada ao Oeste”, no qual o monge Xuanzang usa um feitiço para controlar o Rei Macaco por meio de um aro dourado posto na cabeça do Rei Macaco que pode ser magicamente apertado, provocando assim dores de cabeça insuportáveis. Subsequentemente, tornou-se uma metáfora para atar pessoas.

Anterior:(II) Palavras sobre o caráter justo de Deus

Próximo:(IV) Palavras sobre Deus como fonte de vida para todas as coisas

Conteúdo Relacionado