Pergunta 2: Embora aqueles que acreditam no Senhor saibam que o Senhor Jesus era Deus encarnado, pouquíssimas pessoas entendem a verdade da encarnação. Quando o Senhor retornar, se Ele aparecer exatamente como o Senhor Jesus apareceu, tornando-se o Filho do homem e operando, as pessoas realmente não terão como reconhecer o Senhor Jesus e acolher o Seu retorno. O que, então, é realmente a encarnação? Qual é a essência da encarnação?

Resposta:

Quanto às perguntas sobre o que é encarnação e o que é Cristo, vocês podem dizer que é um mistério da verdade que nenhum crente entende. Embora os crentes saibam há milhares de anos que o Senhor Jesus é o Deus encarnado, ninguém entende a encarnação e a encarnação real substância. Apenas agora, com a vinda de Deus Todo-Poderoso nos últimos dias, esse aspecto do mistério da verdade foi revelado ao homem.

[…]

A encarnação é o Espírito de Deus encarnado, ou seja, o Espírito de Deus é materializado na carne com a humanidade e o pensamento humano. Assim, Ele vira uma pessoa comum, operando e falando entre os homens. Essa carne tem humidade normal, mas também é totalmente divina. Embora por fora Sua carne pareça normal, Ele pode assumir a obra de Deus, expressar a voz de Deus e orientar e salvar a humanidade. Pois Ele tem divindade completa. A plena divindade significa que tudo o que o Espírito de Deus possui: os caracteres inerentes de Deus, a essência sagrada e justa de Deus, tudo o que Deus tem e é, a onipotência e a sabedoria de Deus, Sua autoridade e poder… Tudo isso foi materializado na carne. Essa carne é Cristo, é o Deus prático que está aqui na Terra para fazer a obra e salvar a humanidade. Por fora, Cristo é Filho do homem comum, mas essencialmente diferente de qualquer ser humano já criado. O homem criado tem apenas a humanidade, sem o menor vestígio da essência divina. Cristo, no entanto, não tem só a humanidade. Mais importante, tem plena divindade. Ele tem a essência de Deus e pode representar Deus, expressar todas as verdades como o Próprio Deus, expressar o caráter de Deus e tudo o que Deus tem e é, e dotar o homem com a verdade, o caminho e a vida. Nenhum homem criado é capaz de tais feitos. Cristo opera e fala, expressa o caráter de Deus, e tudo o que Deus tem e é em Sua carne. Não importa como Ele profere a palavra de Deus e faça a obra de Deus, Ele sempre faz isso dentro da humanidade normal. Ele tem carne normal, não há nada sobrenatural Nele. Isso prova que Deus entrou na carne e já virou um humano comum. Essa carne normal cumpriu o fato de “A Palavra manifesta em carne”. Ele é o Deus prático encarnado. Como Cristo é plenamente divino, Ele pode representar Deus, proferir a verdade e salvar a humanidade. Como Cristo é plenamente divino, Ele pode proferir a palavra de Deus diretamente, não apenas retransmiti-la. Ele pode proferir a verdade a qualquer hora e em qualquer lugar, suprindo, regando e guiando o homem, guiando toda a humanidade. Somente por Cristo ser plenamente divino e possuir a identidade e a essência de Deus, podemos dizer que Ele é a encarnação de Deus, o Próprio Deus prático.

O maior mistério da encarnação pouco tem a ver se a carne de Deus é grande em estatura ou se é como a do homem comum. Tem a ver com a divindade plena estar oculta dentro dessa carne normal. Ninguém consegue descobrir ou ver essa divindade oculta. Assim como quando o Senhor Jesus veio fazer Sua obra, se ninguém tivesse ouvido Sua voz e vivenciado a Sua palavra e Sua obra, ninguém teria reconhecido que o Senhor Jesus é Cristo, o Filho de Deus. Portanto, a encarnação de Deus é o melhor jeito de Ele descer em segredo entre os homens. Quando o Senhor Jesus veio, ninguém conseguiu ver, pela Sua aparência exterior, que Ele era Cristo, o Deus encarnado, nem ver a divindade oculta dentro da Sua humanidade. Somente após o Senhor Jesus proferir a verdade e fazer a obra de redenção da humanidade, o homem descobriu que Sua palavra tem autoridade e poder e começou a segui-Lo. Somente quando o Senhor Jesus apareceu ao povo após ter ressuscitado, o homem viu que Ele é o Cristo encarnado, a manifestação de Deus. Se Ele não tivesse proferido a verdade e feito Sua obra, ninguém O seguiria. Se Ele não tivesse testemunhado que é Cristo, a manifestação de Deus, ninguém O teria reconhecido. Porque o homem acredita que se Ele é realmente Deus encarnado, Sua carne deve ter qualidades sobrenaturais. Ele deve ser sobre-humano, com ampla e poderosa estatura, uma presença imponente. Ele não deve apenas falar com autoridade e poder, mas também operar sinais e maravilhas aonde quer que vá… Deve ser assim quando Deus se tornar carne. Se Ele tiver uma aparência exterior comum, igual à de outro homem, e tiver uma humanidade normal, certamente não é a encarnação de Deus. Recordemos que, quando o Senhor Jesus encarnou para pregar e fazer Sua obra, não importa como Ele proferiu a verdade e a voz de Deus, ninguém O reconheceu. Ao ouvirem alguém testemunhando o Senhor Jesus, até disseram: Este não é o filho de José? Não é um nazareno? Por que se referiram a Ele dessa forma? Porque o Senhor Jesus tinha a humanidade normal na aparência exterior. Como Ele era uma pessoa normal, sem uma presença forte e imponente, ninguém O aceitou. Na verdade, por ser a encarnação, Ele deve ter a humanidade normal por definição, Ele deve mostrar que a carne que Deus veste é comum e normal, Ele se manifesta como um humano normal. Se Deus se vestisse em carne sobre-humana e não de alguém com humanidade normal, todo o significado da encarnação seria perdido. Então Cristo deve ter a humanidade normal. Só isso prova que Ele é o Verbo que se fez carne.

[…]

Podemos ver claramente que o Deus encarnado deve ter a humanidade normal. Caso contrário, Ele não seria a encarnação de Deus. Na aparência exterior, Ele parece um homem comum e normal, e não há nada sobrenatural na Sua humanidade. Então, se medirmos Cristo usando nossos conceitos e imaginações, nunca O reconheceremos ou aceitaremos. No máximo, só reconheceremos que Ele é um profeta enviado por Deus, ou alguém que Deus utiliza. Se realmente quisermos conhecer Cristo, devemos estudar Suas palavras e obra para ver se o que Ele profere é a própria voz de Deus, se as palavras que Ele profere são manifestações dos caracteres de Deus e de tudo o que Ele tem e é, e ver se Suas obras e a verdade que Ele profere podem salvar a humanidade. Só então podemos conhecer, aceitar e obedecer a Cristo. Se não buscarmos a verdade, não investigarmos a obra de Deus, mesmo se escutarmos as palavras de Cristo e enxergarmos Sua obra, ainda assim não O conheceremos. Mesmo estando com Cristo de manhã até a noite, ainda O trataremos como um homem comum e, assim, resistiremos e condenaremos Cristo. Na verdade, para reconhecer e aceitar Cristo, só precisamos reconhecer a voz de Deus e admitir que Ele faz a obra Dele. Mas para conhecer a essência divina de Cristo e, assim, alcançar a verdadeira obediência a Cristo e amar o Deus prático, devemos descobrir a verdade nas palavras e na obra de Cristo, ver os caracteres de Deus e tudo o que Ele tem e é, ver a essência sagrada, a onipotência e a sabedoria de Deus, que Deus é amável e valorizar Suas sinceras intenções. Só assim obedeceremos realmente a Cristo e adoraremos o Deus prático no coração dele.

Todos os crentes sabem que o caminho que o Senhor Jesus pregou, a palavra que Ele proferiu, os mistérios do reino dos céus que Ele revelou e as exigências que Ele fez do homem eram toda a verdade, a própria voz de Deus e tudo isso foram manifestações dos caracteres da vida de Deus e de tudo o que Ele tem e é. Seus milagres: a cura os doentes, expulsão de demônios, a calmaria do vento e mar, alimentar cinco mil com cinco pães e dois peixes e revivendo os mortos, foram manifestações da própria autoridade e do poder de Deus. Quem buscou a verdade naquela época, como Pedro, João, Mateus e Natanael, reconheceu pela palavra e obra do Senhor Jesus que Ele é o Messias prometido e, assim, O seguiu e recebeu Sua salvação. Enquanto que os judeus fariseus, mesmo ouvindo os sermões do Senhor Jesus e O vendo realizar milagres, ainda O viam como uma pessoa comum, sem poder ou estatura, e se atreveram a resistir e a descartá-Lo sem o menor medo. No fim, cometeram o maior dos pecados ao crucificarem o Senhor Jesus. A lição dos fariseus pede uma profunda reflexão! Ela expõe claramente a natureza do anticristo que odeia a Deus e a verdade e revela a loucura e a ignorância da humanidade corrupta. No presente, o Deus Todo-Poderoso encarnado, assim como o Senhor Jesus, faz as obras de Deus dentro da humanidade normal. Deus Todo-Poderoso profere todas as verdades que a humanidade corrupta precisa para ser salva e realiza a obra de julgamento começando pela casa de Deus nos últimos dias. Ele não só julga e expõe a natureza satânica da humanidade corrupta e a verdade da corrupção, mas também revelou todos os mistérios do plano de gestão de seis mil anos de Deus para salvar a humanidade, elucidou o caminho pelo qual a humanidade pode se libertar do pecado, alcançar a purificação e ser salva, revelou os caracteres justos e inerentes de Deus, tudo o que Deus tem e é, e o poder e a autoridade próprios de Deus… A palavra e a obra de Deus Todo-Poderoso são a manifestação plena da identidade e da essência do Próprio Deus. Nestes dias, todos que seguem Deus Todo-Poderoso ouviram a voz de Deus na palavra e obra de Deus Todo-Poderoso, viram a manifestação da palavra de Deus na carne e ficaram diante do trono de Deus Todo-Poderoso, recebendo a purificação e a perfeição de Deus. Quem, do mundo religioso, ainda negar, resistir e condenar a Deus Todo-Poderoso, comete o mesmo erro que os fariseus judeus, tratando Cristo dos últimos dias, Deus Todo-Poderoso, como uma pessoa qualquer, sem se esforçar para buscar e estudar todas as verdades que Deus Todo-Poderoso proferiu e, assim, crucificando Deus mais uma vez e enfurecendo o caráter Dele. Como dá para ver, quem se apegar aos próprios conceitos e imaginações e não buscar e estudar as verdades que Cristo profere, não reconhecerá a voz de Deus proferida por Cristo, não saberá aceitar e obedecer às obras de Cristo e nunca receberá a salvação de Deus nos últimos dias. Se o homem não entender a verdade da encarnação, não saberá aceitar e obedecer às obras de Deus. Ele condenará Cristo e resistirá a Deus, e também poderá receber o castigo e as maldições de Deus. Assim, na nossa fé, para ser salvo por Deus, é importante buscarmos a verdade e compreendermos o mistério da encarnação!

Extraído de “Perguntas e respostas clássicas sobre o evangelho do reino”

Anterior: Pergunta 1: Vocês dão testemunho de que Deus Se tornou carne como o Filho do homem para realizar a obra de julgamento nos últimos dias, ainda assim, a maioria dos pastores e presbíteros religiosos mantém que o Senhor voltará em meio a nuvens. Eles baseiam isso principalmente nos seguintes versículos da Bíblia: “Esse Jesus, […] há de vir assim como para o céu O vistes ir” (Atos 1:11). “Eis que vem com as nuvens, e todo olho O verá” (Apocalipse 1:7). Além disso, os pastores e presbíteros religiosos também nos ensinam que qualquer Senhor Jesus que não venha em nuvens é falso e deve ser rejeitado. Portanto, não temos certeza se essa visão está ou não alinhada com a Bíblia; esse tipo de entendimento é correto ou não?

Próximo: Pergunta 3: Por que Deus encarnou nos últimos dias, tornando-se o Filho do homem para fazer a obra de julgamento? Qual é a diferença real entre o corpo espiritual do Senhor Jesus que foi ressuscitado da morte e o Filho do homem encarnado? Essa é uma questão que não entendemos. Por favor, compartilhe sua comunhão sobre isso.

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

5. Quais são as consequências de se crer em Deus dentro da religião e de estar sujeito à enganação e ao controle dos fariseus e anticristos? Será que alguém pode ser salvo por Deus se crer Nele dessa maneira?

Pastores e líderes do mundo religioso, por exemplo, confiam em seus dons e posições para realizar sua obra. As pessoas que os seguem por muito tempo serão infectadas por seus dons e influenciadas por parte do que eles são. Eles se concentram nos dons, habilidades e conhecimento das pessoas e dão atenção a algumas coisas sobrenaturais e a várias doutrinas irrealistas profundas (essas doutrinas profundas são obviamente inatingíveis). Não se concentram na mudança de caráter das pessoas, mas sim no treinamento das habilidades de pregar e operar delas, aprimorando o conhecimento das pessoas e ricas doutrinas religiosas. Não se concentram em até que ponto o caráter das pessoas é mudado ou até que ponto as pessoas entendem a verdade. Não se preocupam com a substância das pessoas, muito menos tentam conhecer os estados normais e anormais delas. Não contestam nem revelam as noções das pessoas, muito menos corrigem as deficiências ou corrupções delas. A maioria daqueles que os seguem servem através de seus dons naturais e o que eles expressam é conhecimento e verdade religiosa vaga, que estão desconectados da realidade e são totalmente incapazes de dar vida às pessoas.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro