Palavras diárias de Deus: A encarnação | Trecho 105

28 de Novembro de 2022

O Deus encarnado é chamado de Cristo, e Cristo é a carne vestida pelo Espírito de Deus. Essa carne é diferente de qualquer homem que é da carne. Essa diferença existe porque Cristo não é de carne e sangue, mas é a encarnação do Espírito. Ele tem tanto uma humanidade normal como uma divindade completa. Sua divindade não é possuída por nenhum homem. Sua humanidade normal sustenta todas as Suas atividades normais na carne, enquanto Sua divindade realiza a obra do Próprio Deus. Seja Sua humanidade ou divindade, ambas se submetem à vontade do Pai celestial. A essência de Cristo é o Espírito, isto é, a divindade. Portanto, Sua essência é a do Próprio Deus; essa essência não interromperá Sua obra, e Ele não poderia fazer qualquer coisa que destrua Sua obra, e jamais pronunciaria palavras que fossem contra Sua vontade. Portanto, o Deus encarnado absolutamente nunca realizaria nenhuma obra que interrompesse o Seu próprio gerenciamento. Isso é o que todas as pessoas deveriam entender. A essência da obra do Espírito Santo é salvar o homem, e é pelo bem do próprio gerenciamento de Deus. Da mesma forma, a obra de Cristo também é salvar o homem, e é pelo bem da vontade de Deus. Dado que Se torna carne, Deus alcança Sua essência dentro de Sua carne, de modo que ela é suficiente para cumprir Sua obra. Portanto, toda a obra do Espírito de Deus é substituída pela obra de Cristo durante o tempo da encarnação, e no cerne de cada obra durante o tempo da encarnação está a obra de Cristo. Ela não pode ser misturada à obra de qualquer outra era. E já que Se torna carne, Deus opera na identidade de Sua carne; uma vez que vem na carne, Ele termina, na carne, a obra que deve realizar. Seja o Espírito de Deus ou o de Cristo, ambos são o Próprio Deus, e Ele realiza a obra que deve realizar e desempenha o ministério que deve desempenhar.

A Palavra, vol. 1: A obra de Deus e conhecer a Deus, “A essência de Cristo é obediência à vontade do Pai celestial”

A essência de Cristo se determina por Sua obra e expressões

I

A essência de Cristo se determina por Sua obra e expressões. Com um coração verdadeiro, Ele completa Sua missão, adora a Deus no céu e busca a vontade de Seu Pai. Sua substância determina tudo, e também Sua revelações naturais. Assim chamadas pois Suas expressões não são imitações, não vem do cultivo ou da educação do homem. Não são aprendidas ou decoração, são inerentes. Ah… Não são aprendidas ou decoração, são inerentes. Ah…

II

O homem pode negar Sua obra, Suas expressões e humanidade, pode negar Sua vida de humanidade normal, mas não Seu coração de verdade quando adora a Deus no céu. Ninguém pode negar que aqui Ele está para cumprir a vontade do Pai. Ninguém pode negar Sua busca sincera por Deus Pai. Sua imagem pode não agradar aos sentidos, Seu discurso pode não ser extraordinário, Sua obra pode a terra e o céu não abalar, como acredita a imaginação do homem. Mas Ele é mesmo Cristo, que cumpre a vontade do Pai, com um coração verdadeiro, obediência plena e até a morte. Pois Sua essência é a de Cristo. Uma verdade que é difícil de acreditar mas que, de fato, existe. Uma verdade que é difícil de acreditar mas que, de fato, existe. Uma verdade que é difícil de acreditar mas que, de fato, existe. Ah…

de “Seguir o Cordeiro e cantar cânticos novos”

Ver mais

O alarme dos últimos dias já tocou e grandes desastres já começaram. Você quer dar as boas-vindas ao retorno do Senhor e ter a chance de receber a proteção de Deus com sua família?

Compartilhar

Cancelar

Entre em contato conosco pelo WhatsApp