Prática (6)

Hoje, desconsiderem a questão de alcançar o senso que Pedro possuía — muitas pessoas não conseguem nem alcançar o senso que Paulo possuía. Elas não têm sequer a autoconsciência de Paulo. Embora Paulo tenha sido derrubado pelo Senhor porque perseguiu o Senhor Jesus, mais tarde teve a determinação de trabalhar e sofrer pelo Senhor. Jesus lhe deu uma doença, e, mais tarde, Paulo continuou a sofrer dessa doença quando começou a trabalhar. Por que ele dizia que tinha um espinho na carne? Na verdade, o espinho era doença — e, para Paulo, era uma fraqueza fatal. Não importava quanto trabalho fizesse ou quão grande fosse sua determinação para sofrer, ele não conseguia se livrar desse espinho. No entanto, Paulo tinha um calibre muito melhor do que o de vocês hoje, e também tinha autoconsciência e possuía mais senso que vocês. Depois que foi derrubado por Jesus, Paulo deixou de perseguir Seus discípulos e começou a pregar e a sofrer por Jesus. E o que o inspirou a suportar o sofrimento? Paulo acreditava que, visto que tinha contemplado a grande luz, ele devia dar testemunho do Senhor Jesus, não devia mais perseguir os discípulos de Jesus, e não devia mais se opor à obra de Deus. Paulo foi uma das figuras de alto nível da religião. Era muito conhecedor e talentoso, desprezava as pessoas medianas e tinha uma personalidade mais forte do que a da maioria. Mas depois que sobre ele brilhou a “grande luz”, ele foi capaz de trabalhar para o Senhor Jesus, de decidir sofrer por Deus e se oferecer a Deus, o que prova que ele possuía senso. Quando ele estava perseguindo e prendendo os discípulos de Jesus, este apareceu para ele e disse: “Paulo, por que você Me persegue?”. Paulo caiu imediatamente e disse: “Quem és Tu, Senhor?” Uma voz do céu disse: “Eu sou Jesus, a quem você persegue”. Imediatamente, Paulo acordou e só então soube que Jesus era o Cristo, que Ele era Deus. “Eu devo obedecer. Deus me deu essa graça e eu O persegui dessa forma, ainda assim Ele não me abateu, nem me amaldiçoou. Devo sofrer por Ele.” Paulo reconheceu que tinha perseguido o Senhor Jesus Cristo e agora estava matando Seus discípulos, que Deus não o tinha amaldiçoado, mas fez brilhar a luz sobre ele. Isso o inspirou, e ele disse: “Embora não tenha visto Seu rosto, ouvi Sua voz e contemplei Sua grande luz. Somente agora realmente vejo que Deus verdadeiramente me ama, e que o Senhor Jesus Cristo é realmente o Deus que tem misericórdia do homem e perdoa os pecados do homem por toda a eternidade. Realmente vejo que sou um pecador”. Embora, depois disso, Deus tenha usado os dons de Paulo para operar, esqueça isso por enquanto. Sua determinação naquele momento, seu senso humano normal e sua autoconsciência — vocês são incapazes de alcançar essas coisas. Hoje, vocês não receberam muita luz? Muitas pessoas não viram que o caráter de Deus é de majestade, ira, julgamento e castigo? Muitas vezes, maldições, provações e refinamento acontecem com as pessoas — e o que elas aprenderam? O que você ganhou com ser disciplinado e tratado? Palavras severas, golpes e julgamento já lhe aconteceram muitas vezes, mas você não lhes presta atenção. Você não tem nem mesmo o pequeno senso possuído por Paulo — você não é extremamente retrógrado? Também havia muita coisa que Paulo não via com clareza. Ele sabia apenas que a luz havia brilhado sobre ele, mas não percebeu que havia sido derrubado; ele cria pessoalmente que, depois que a luz brilhou sobre ele, ele devia despender-se por Deus, sofrer por Deus, fazer tudo para preparar o caminho para o Senhor Jesus Cristo e ganhar mais pecadores para serem redimidos pelo Senhor. Essa era a sua determinação, o único objetivo de seu trabalho — mas quando ele trabalhava, a doença mesmo assim não o deixava — até sua morte. Paulo trabalhou por mais de vinte anos. Sofreu muito e passou por muitas perseguições e tribulações, embora, é claro, estas tenham sido muito inferiores às de Pedro. Quão patético será se vocês não tiverem nem o senso de Paulo? Sendo esse o caso, como Deus poderia embarcar em uma obra ainda maior em vocês?

Quando divulgava o evangelho, Paulo sofria grande tormento. A obra que ele fez, sua determinação, sua fé, lealdade, amor, paciência e humildade na época e as muitas outras coisas externas que ele viveu eram mais elevados do que os de vocês, hoje. Dentro de vocês, para colocar de forma mais severa, não há senso normal; vocês nem possuem consciência nem humanidade. Falta tanta coisa em vocês! Assim, muitas vezes, no que vocês vivem, não há nenhum sentido normal a ser encontrado, e nenhum sinal de autoconsciência. Embora sofresse de doença corporal na época, Paulo continuava orando e buscando: “O que é essa doença, na verdade? Eu fiz toda essa obra para o Senhor, por que essa aflição não me deixa? Será que o Senhor Jesus está me testando? Ele me derrubou? Se Ele tivesse me derrubado, eu teria morrido no momento e sido incapaz de fazer toda essa obra para Ele, nem poderia ter recebido tanta luz. E também Ele percebeu minha determinação”. Paulo sempre sentiu que essa doença era Deus o testando, que estava temperando sua fé e força de vontade — era assim que Paulo a via. Na realidade, sua doença era uma sequela de quando o Senhor Jesus o derrubou. Colocou-o sob pressão emocional e pôs rédeas em sua rebeldia. Se vocês se encontrarem nas circunstâncias de Paulo, o que farão? Sua resolução e sua habilidade para sofrer poderiam se comparar às de Paulo? Hoje, se forem afligidos por alguma doença ou passarem por uma grande provação, e tiverem de sofrer, sabe-se lá como vocês serão. Se ficassem trancados em uma gaiola e recebessem provisões constantemente, vocês estariam bem. Caso contrário, seriam exatamente como lobos, carecendo de qualquer humanidade. Então, quando vocês sofrem um pouco de constrangimento ou dificuldade, isso lhes faz bem; se vocês tivessem tudo fácil, seriam arruinados, e então como poderiam ser protegidos? Hoje, é porque são castigados, julgados e amaldiçoados que vocês recebem proteção. É porque sofreram muito que vocês são protegidos. Se não, há muito vocês teriam caído em depravação. Isso não é tornar as coisas difíceis para vocês intencionalmente — a natureza do homem é difícil de mudar, e deve ser dessa forma para que o caráter dele seja mudado. Hoje, vocês não têm nem a consciência nem o senso que Paulo possuía, não têm nem mesmo sua autoconsciência. Vocês sempre têm de ser pressionados e sempre têm de ser castigados e julgados para despertar seu espírito. Castigo e julgamento são o melhor para sua vida. E quando necessário, deve haver também o castigo dos fatos chegando sobre vocês; só então vocês se submeterão completamente. A natureza de vocês é tal que, sem castigo e maldição, vocês não estariam dispostos a inclinar sua cabeça, a se submeter. Sem os fatos diante de seus olhos, não haveria efeito algum. Vocês são muito inferiores e inúteis em caráter! Sem castigo e julgamento, seria difícil para vocês serem conquistados e difícil para que sua injustiça e sua desobediência fossem vencidas. Sua velha natureza está tão profundamente enraizada. Se vocês fossem colocados no trono, não teriam ideia da altura do céu e da profundidade da terra, muito menos de aonde estão indo. Vocês nem sabem de onde vieram, então como poderiam conhecer o Senhor da criação? Sem o castigo e a maldição oportunos de hoje, seus últimos dias teriam chegado há muito tempo. Isso sem mencionar seu destino — ele não está ainda mais em risco? Sem esse castigo e julgamento oportunos, quem sabe quão arrogantes ficariam e quão depravados vocês se tornariam. Esse castigo e esse julgamento trouxeram vocês até o dia de hoje e preservaram sua existência. Se vocês ainda fossem ensinados por meio dos mesmos métodos do seu “pai”, sabe-se lá em que reino entrariam! Vocês não têm habilidade de controlar-se e refletir sobre si mesmos. Para pessoas como vocês, se vocês simplesmente seguirem e obedecerem, sem causar interferência nem interrupções, Meus objetivos serão alcançados. Não seria melhor para vocês se aceitassem o castigo e o julgamento de hoje? Que outras escolhas vocês têm? Quando Paulo viu o Senhor Jesus falando e operando, ainda assim ele não acreditou. Mais tarde, após o Senhor Jesus ser pregado na cruz e então ressurgiu, ele soube desse fato, mas continuou a perseguir e se opor. É isso que significa pecar intencionalmente, e por isso ele foi derrubado. No início, ele sabia que havia um Rei chamado Jesus entre os judeus, ele tinha ouvido isso. Mais tarde, quando dava sermões no templo e pregava por toda a terra, ele foi contra Jesus, recusando-se arrogantemente a obedecer a qualquer homem. Essas coisas se tornaram um obstáculo enorme para a obra da época. Quando Jesus estava operando, Paulo não perseguia as pessoas diretamente e as prendia, mas utilizava a pregação e as palavras para derrubar a obra de Jesus. Mais tarde, quando o Senhor Jesus Cristo foi pregado na cruz, ele começou a prender os discípulos, correndo de um lugar para outro e fazendo tudo que podia para persegui-los. Foi apenas após a “luz” brilhar sobre ele que ele despertou e experimentou grande arrependimento. Após ser derrubado, sua doença nunca o deixou. Às vezes, ele sentia que sua aflição tinha piorado e era incapaz de se levantar da cama. Pensava: “O que está acontecendo? Será que realmente fui derrubado?”. A doença nunca o deixou, e foi por causa dessa doença que ele fez muito trabalho. Pode-se dizer que Jesus colocou essa doença em Paulo por causa de sua arrogância e teimosia; foi uma punição sobre Paulo, mas isso também foi feito para fazer uso dos dons de Paulo na obra de Deus, de modo que Sua obra pudesse ser expandida. Na verdade, não era intenção de Deus salvar Paulo, mas, sim, utilizá-lo. No entanto, o caráter de Paulo era muito arrogante e obstinado, e, por isso, foi colocado nele um “espinho”. Por fim, quando Paulo terminou seu trabalho, a doença não parecia mais um grande tormento para ele, e, como seu trabalho estava terminando, ele foi capaz de dizer as palavras “eu lutei o bom combate, terminei minha carreira e guardei a fé: de agora em diante está reservada para mim uma coroa de justiça” — algo que ele falou porque não conhecia a obra de Deus. Há muitos entre vocês como Paulo, mas se realmente tiverem a determinação de seguir até o fim da estrada, vocês não serão maltratados. Nós não discutiremos, aqui, sobre as maneiras com que Paulo foi rebelde e resistente; vamos nos ater à parte em que ele foi positivo e louvável: ele tinha uma consciência e, depois que recebeu a “luz” uma vez, foi capaz de se dedicar a Deus e sofrer por Deus. Esse era um ponto forte dele. Entretanto, se há aqueles que acreditam que, porque tinha um ponto forte, ele foi abençoado, se pensam que ele não foi necessariamente castigado, essas são palavras de pessoas sem sentido.

Quando oram e leem as palavras de Deus, muitas pessoas dizem que estão dispostas a se submeter a Deus, mas então se tornam dissolutas em particular e não pensam mais nisso. As palavras de Deus são proferidas repetidamente, revelando camada após camada, e somente quando a camada mais profunda das pessoas é exposta, elas “encontram paz” e se tornam menos orgulhosas e obstinadas, menos insuportavelmente arrogantes. Com o estado de vocês como está hoje, vocês ainda devem ser impiedosamente atacados e expostos e julgados detalhe por detalhe, para que não tenham a oportunidade de recuperar o fôlego. Para vocês, é melhor que o castigo e o julgamento severos não os deixem, e que a condenação e as maldições não fiquem longe de vocês, permitindo que vejam que a mão dos decretos administrativos de Deus nunca se afasta de vocês. Assim como na Era da Lei, quando Aarão via que Jeová nunca o deixava (o que ele via era a constante orientação e proteção de Jeová; a orientação de Deus que vocês veem hoje são castigos, maldições e julgamento), hoje, a mão dos decretos administrativos de Jeová também não os deixa. Entretanto, há uma coisa com relação à qual vocês podem relaxar: não importa como vocês se opõem, se revoltam e julgam, não haverá dano algum à sua carne. Mas se há pessoas que vão longe demais em sua oposição e obstruem a obra, isso não é aceitável; existe um limite. Não interrompa nem prejudique a vida da igreja, não interrompa a obra do Espírito Santo. Quanto ao restante, você pode fazer o que quiser. Você diz que não quer buscar a vida e deseja retornar ao mundo, então se apresse e vá! Vocês podem fazer o que quiserem, desde que isso não obstrua a obra de Deus. Mas há mais uma coisa que você deve saber: no final, esses pecadores intencionais serão eliminados. Hoje, você pode não ser repreendido, mas, no final, apenas uma parte das pessoas será capaz de dar testemunho — e o resto todo estará em perigo. Se você não quiser estar nessa corrente, tudo bem. As pessoas de hoje são tratadas com tolerância; Eu não o limito, desde que você não tenha medo do castigo de amanhã. Mas se está nessa corrente, você deve dar testemunho e deve ser castigado. Se você quiser recusar isso e voltar para o mundo, tudo bem — ninguém o está impedindo! Mas se fizer um trabalho que seja destrutivo e que prejudique a obra de Deus, você simplesmente não pode ser perdoado por isso! Quanto àquilo que seus olhos veem e seus ouvidos ouvem sobre quais pessoas são castigadas e as famílias de quem são amaldiçoadas — há limites e delimitações para isso. O Espírito Santo não faz as coisas levianamente. Com base nos pecados que vocês cometeram, se vocês fossem tratados e levados a sério conforme sua própria injustiça, quais de vocês conseguiriam sobreviver? Todos vocês sofreriam calamidade, e nenhum de vocês teria um bom desfecho. Hoje, porém, muitas pessoas são tratadas com tolerância. Mesmo que vocês julguem, se revoltem e se oponham, contanto que não interrompam, Eu os encararei com um sorriso. Se vocês verdadeiramente buscam a vida, então devem sofrer um pequeno castigo e devem suportar a dor de se separar daquilo que vocês amam para ir à mesa cirúrgica para uma operação; vocês devem suportar a dor, assim como Pedro aceitou provações e sofrimento. Hoje, vocês estão diante do tribunal do julgamento. No futuro, devem ir à “guilhotina”, que será quando vocês se “sacrificarão”.

Durante este último estágio da obra nos últimos dias, talvez você creia que Deus não aniquilará sua carne, e pode-se dizer que talvez você não sofra doença alguma, mesmo que se oponha a Ele e O julgue — mas quando as palavras severas de Deus caírem sobre você, quando sua rebeldia, sua resistência e seu semblante feio forem todos expostos, você não será capaz de se esconder. Você será tomado de pânico e ficará perdido, sem saber o que fazer. Hoje, vocês precisam ter um pouco de consciência. Não façam o papel dos malignos que se opõem e se rebelam contra Deus. Você deve dar as costas ao seu antigo ancestral; essa é a estatura que você deveria ter, e essa é a humanidade que você deve possuir. Você é sempre incapaz de deixar de lado suas perspectivas ou os prazeres de hoje. Deus diz: “Contanto que vocês façam tudo que puderem para Me seguir e buscar a verdade, certamente os tornarei perfeitos. Depois que forem aperfeiçoados, vocês terão um belo destino — serão trazidos ao Meu reino para desfrutar de bênçãos Comigo”. Um lindo destino foi prometido a vocês, mas as exigências impostas a vocês não podem nunca diminuir. Também há uma condição: não importa se serão conquistados ou aperfeiçoados, hoje vocês devem ser submetidos a algum castigo e algum sofrimento; devem ser golpeados e disciplinados; devem ouvir Minhas palavras, seguir Meu caminho e realizar a vontade de Deus — é o que os humanos deveriam fazer. Seja lá como busca, você deve ouvir claramente esse caminho. Se você realmente tem percepções genuínas, então pode continuar seguindo. Se acredita que não há perspectivas ou esperanças aqui, então pode ir. Essas palavras lhe foram ditas claramente, mas se realmente deseja ir, isso mostra apenas que você não tem a menor consciência; essa sua ação basta para provar que você é um demônio. Embora diga que deixa tudo para as orquestrações de Deus, baseado na sua carne e no que vive, você ainda vive sob o império de Satanás. Embora Satanás também esteja nas mãos de Deus, você mesmo pertence a Satanás e ainda há de ser verdadeiramente salvo por Deus, pois ainda vive sob a influência de Satanás. Como você deve buscar para ser salvo? A escolha é sua — você deve escolher a estrada a seguir. No final, se você puder dizer: “não tenho nada melhor, retribuo o amor de Deus com minha consciência e preciso ter um pouco de humanidade. Não consigo alcançar nada maior, e meu calibre não é tão alto; não entendo as visões e o significado da obra de Deus. Apenas retribuo o amor de Deus, faço o que Deus pede e faço tudo que posso. Cumpro meu dever corretamente como criatura de Deus”, então serei grato. Esse é o maior testemunho do qual você é capaz. Esse é o mais alto padrão exigido de uma porção de pessoas: cumprir o dever de uma criatura de Deus. Simplesmente faça tanto quanto for capaz; as exigências que Deus faz de você não são muito elevadas; contanto que você faça tudo o que puder, então esse é o seu testemunho.

Anterior: A verdade interna da obra de conquista (4)

Próximo: Prática (7)

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Venha conversar com a gente
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

Capítulos 44 e 45

Desde o tempo em que Deus falou ao homem sobre o “amor a Deus” — a mais profunda de todas as lições —, Ele Se concentrou em falar desse...

Obra e entrada (4)

Se o homem puder realmente entrar em acordo com a obra do Espírito Santo, sua vida germinará rapidamente como um broto de bambu depois de...

Capítulo 26

Em todas as palavras pronunciadas por Deus, pode-se ver que o dia de Deus se aproxima cada dia que passa. É como se esse dia estivesse bem...

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro