39. Finalmente vivendo uma semelhança humana

Por Zhou Hong, China

Quando me tornei uma líder da igreja em 2018, vi que havia uma irmã chamada Yang que tinha calibre bom e buscava a verdade. Pensei comigo: “Se eu a treinar bem, ela facilitará minha vida, nosso trabalho melhorará, e minha líder também me elogiará”. Assim, investi no treinamento dela. Eu comunicava com ela sempre que ela se deparava com um problema e a designei líder de uma equipe. Ela fez progresso rápido e era atenciosa em seu dever. Logo, o trabalho da nossa equipe acelerou. Pensei: “Se eu tivesse outros iguais à irmã Yang, o trabalho da nossa igreja melhoraria de modo significativo. Eu poderia relaxar um pouco, e nossos resultados seriam melhores, e todos diriam que estou fazendo um bom trabalho”. Um dia, precisávamos urgentemente de alguém que reunisse documentos sobre expurgar e expulsar anticristos e malfeitores. Todos concordamos que a irmã Yang deveria assumir isso. Para minha surpresa, ela logo entendeu os princípios e produziu documentos objetivos e precisos. Minha líder me perguntava com frequência se tínhamos alguém que sabia reunir documentos, e eu sabia que a irmã Yang seria perfeita. Mas quando pensei em vê-la transferida e no efeito que isso certamente teria sobre nosso trabalho, eu não quis que ela fosse e não a sugeri à líder.

Um dia, numa reunião, a líder disse que precisava de alguém para reunir documentos sobre expurgar e expulsar anticristos e malfeitores e perguntou se nós poderíamos fornecer alguém. Pensei: “A irmã Yang seria boa nisso, mas se eu a deixar ir, terei que treinar outra pessoa. Terei que fazer um esforço grande. O que minha líder pensará de mim se nosso trabalho piorar? A irmã Tang também é boa em reunir documentos, mas ela é um pouco passiva em seu dever e tende a precisar de muita ajuda. Vou sugeri-la. Dessa forma, fornecerei alguém para o trabalho e a irmã Yang poderá ficar. Nosso trabalho não será impactado”. Assim, sugeri a irmã Tang e exagerei seus pontos fortes e, intencionalmente, fiz a irmã Yang parecer não tão boa. Alguns dias depois, a irmã Tang foi escolhida para a tarefa. Mais tarde, descobri que a irmã Tang não conseguia dar conta sozinha. Pensei: “A irmã Yang conseguiria dar conta sem nenhum problema. Mas não a deixarei ir. Ela é tão boa em seu dever, o que aconteceria com nosso trabalho se ela fosse?” Mais uma vez, decidi não recomendar a irmã Yang. Alguns dias depois, minha líder pediu especificamente a irmã Yang e nos instruiu a encontrar alguém para substituí-la assim que possível. Isso era contrário à minha vontade. Pensei: “Se a irmã Yang for embora, quem reunirá os documentos da nossa igreja? Mesmo que encontremos alguém apropriado, será um novato e não conhecerá os princípios. Precisará de treinamento. Nosso trabalho sofrerá e exigirá muito trabalho e esforço da minha parte”. Eu sabia que era errado pensar assim, mas fiquei inventando desculpas: “Eu mesma treinei a irmã Yang. Se ela partir, não teremos ninguém em nosso time para fazer seu trabalho. Como poderemos fazê-lo? Não, preciso discutir isso com meus colegas de trabalho e escrever à líder pedindo que a irmã Yang fique mais alguns meses até treinarmos outra pessoa”. Quando compartilhei isso com meus colegas, eles me repreenderam, dizendo: “Treinamos pessoas para o trabalho da casa de Deus. Quando a irmã Yang partir, podemos treinar outra pessoa. Você não está sendo egoísta, tentando impedir que a irmã Yang vá embora?” Mas eu não refleti sobre mim mesma e, em vez disso, pensei: “Vocês são tão generosos. Acham que é fácil treinar as pessoas?” Eu estava ficando atormentada e resistia cada vez mais e fiquei ressentida porque meus colegas não viam o meu lado. Logo depois, senti como se estivesse queimando, como se estivesse em chamas, e me senti toda fraca. Pensei: “O tempo está bom, e não estou resfriada. Isso é muito estranho”. Percebi que eram o castigo e a disciplina de Deus. Lembrei das palavras de Deus: “Agora, quando estou operando entre vocês agora, vocês se comportam dessa maneira — se chegar o dia em que não houver ninguém para vigiar vocês, vocês não serão como bandidos que se declararam reis?” (‘Um problema muito sério: traição (1)’ em “A Palavra manifesta em carne”). Fiquei perplexa ao perceber que as palavras de Deus estavam revelando exatamente o meu estado. Eu estava tratando a irmã Yang como se ela fosse propriedade minha. Pensei que, já que a tinha treinado, ela devia ser minha e devia ficar na minha igreja e me fazer parecer bem. Eu não permitiria que ninguém ficasse com ela. Na verdade, todos os irmãos e irmãs fazem seu dever na casa de Deus, e suas comissões vêm de Deus. Eles fazem seus deveres quando e onde quer que a casa de Deus precisar deles e segundo os arranjos Dele. Mesmo assim, eu tinha sido enganosa com os outros em nome do meu próprio prestígio e status, fazendo de tudo para ficar com a irmã Yang para mim mesma. Eu não era um dos “bandidos que se declararam reis”? Eu tinha tentado controlar a irmã Yang e arrancá-la de Deus. Era o que os anticristos faziam e era uma senda para a ruína. Percebendo isso, senti remorso. Eu era tão arrogante e egoísta.

Então li estas palavras de Deus: “Qual é o critério pelo qual os feitos de uma pessoa são julgados como sendo bons ou maus? Depende de, em seus pensamentos, expressões e ações, você possuir o testemunho de pôr a verdade em prática ou não e de você viver a verdade-realidade. Se não tiver essa realidade ou não viver essa realidade, então sem dúvida você é um malfeitor” (‘Dê seu real coração a Deus e você poderá obter a verdade’ em “Registros das falas de Cristo”). “Se alguém crê em Deus, mas não acata Suas palavras, não aceita a verdade nem se submete aos Seus arranjos e orquestrações; se exibe apenas determinados comportamentos bons, mas é incapaz de abandonar a carne e não renuncia a nada de seu orgulho ou interesses; se, apesar de todas as aparências, ele cumprir seu dever, ele ainda vive segundo seus caracteres satânicos e não desistiu nem um pouco das filosofias e dos modos de existência de Satanás e não muda — como, então, ele pode possivelmente crer em Deus? Isso é crença na religião. Tais pessoas renunciam a coisas e se despendem superficialmente, mas a senda que trilham e a fonte e o ímpeto de tudo que fazem não se baseiam nas palavras de Deus nem na verdade; em vez disso, elas continuam a agir de acordo com suas próprias imaginações, desejos e suposições subjetivas, e as filosofias e os caracteres de Satanás continuam a ser a base de sua existência e ações. Em questões cuja verdade não entendem, elas não a buscam; em questões cuja verdade entendem, elas não a praticam, não exaltam Deus como grandioso nem valorizam a verdade. Embora sejam nominalmente seguidoras de Deus, isso ocorre apenas na palavra; a substância de suas ações é nada além da expressão de seus caracteres corruptos. Não há sinal de que seu motivo e sua intenção sejam praticar a verdade e agir de acordo com as palavras de Deus. Pessoas que consideram seus próprios interesses antes de qualquer outra coisa, que cumprem primeiro seus próprios desejos e intenções — essas são pessoas que seguem a Deus? (Não.) E pessoas que não seguem a Deus podem causar uma mudança em seu caráter? (Não.) E se elas não mudam seu caráter, elas não são patéticas?” (‘Crença em religião nunca levará à salvação’ em “Registros das falas de Cristo”). Refleti sobre as palavras de Deus e meu comportamento. Eu aparentava fazer sacrifícios por Deus, mas meu motivo em meu dever era satisfazer meus próprios interesses. Quando minha líder pediu alguém para reunir documentos, eu sabia que a irmã Yang era a melhor para o trabalho. Mas menti e enganei para proteger meus interesses e sugeri a irmã Tang no lugar dela. Mesmo quando vi que a irmã Tang não estava dando conta e sabia que ela causaria atrasos no trabalho, eu não recomendei a irmã Yang. Não pensei na casa de Deus e não dei atenção à vontade de Deus. Eu usava os irmãos e irmãs como ferramentas para proteger meu prestígio e status. Eu era tão má, perversa e egoísta. Eu acreditava em Deus há anos, mas todos os meus pensamentos e opiniões se baseavam em meus caracteres satânicos e nas táticas de sobrevivência de Satanás. Eu não seguia as palavras de Deus nem praticava a verdade. Eu era uma incrédula, exatamente como descrevem as palavras de Deus. Eu não podia mais ser egoísta. Eu devia fornecer alguém com talento e então treinar mais pessoas para a nossa igreja. Arranjamos alguém para assumir o trabalho da irmã Yang no nosso time e ela foi transferida. Mais tarde, eu soube que a irmã Yang tinha reunido rapidamente os documentos sobre expurgar e expulsar pessoas. Me senti mal quando ouvi isso. Se eu a tivesse sugerido mais cedo e ignorado meus próprios interesses, esse trabalho não teria sido adiado por tanto tempo. Isso tinha acontecido por causa do meu egoísmo. Eu tinha transgredido e cometido o mal. Vi isso como um alerta para não colocar meus interesses acima da casa de Deus.

Pensei que essa experiência tinha me mudado um pouco, mas esse mesmo problema só estava aguardando as condições certas para mostrar seu rosto feio mais uma vez. Não demorou, e minha líder me perguntou sobre a irmã Liu. Ela queria que ela ajudasse na rega de novos crentes numa igreja próxima. Relutei um pouco, mas entendi que não devia ser egoísta, que devia apoiar o trabalho da Igreja e que poderia treinar outra pessoa. Deixei a irmã Liu partir. Mas então ela disse que a irmã Li, que era responsável por reunir documentos, seria promovida e pediu que eu escrevesse uma avaliação. Isso foi demais para mim. Se a irmã Li partisse, quem seria responsável por reunir documentos? Eu não queria perder a irmã Li e adiei a avaliação dela. Eu queria atrasar sua partida por alguns dias para que minha líder pudesse encontrar outra pessoa e deixasse a irmã Li ficar. Minha colega percebeu que eu não estava escrevendo a avaliação e me pressionou. Eu me livrei dela dizendo que faria aquilo imediatamente, mesmo assim não o fiz. Uns dez dias depois, minha colega disse: “Nossa líder transferiu a irmã Li sem a avaliação”. Demorei para processar isso. Tudo estava acontecendo rápido demais! Todos os membros bons do meu time tinham sido levados. Agora, não conseguiríamos fazer nenhum trabalho. Esses pensamentos encheram minha cabeça ao ponto de explodi-la. Senti um grande peso no meu coração. Perdi o apetite por alguns dias. Só pensava em como teria de encontrar pessoas e quanta pressão eu estaria sofrendo. Tudo seria tão desgastante. Quanto mais pensava nisso, mais a preocupação me consumia, e fiquei exausta.

Certo dia, eu estava descendo a escada e escorreguei. Ouvi um estalo no pé, como se um osso tivesse partido. Pensei: “Acabou. Não posso cumprir meu dever com um pé quebrado”. Eu sabia que era a disciplina de Deus. Pensei em como tinha assistido às pessoas serem transferidas uma por uma e em como tinha resistido e discutido com Deus em meu coração. Minha atitude deve ter repugnado a Deus, e assim Ele tinha tirado meu dever de mim. Esse pensamento me assustou muito. Meu pé também doía muito. Fiquei orando a Deus, disposta a me arrepender de verdade. Para a minha surpresa, depois do almoço naquele dia, meu pé parou de doer como se eu nunca tivesse me machucado. Eu soube em meu coração que isso tinha sido um alerta de Deus para que eu refletisse e conhecesse a mim mesma. Perguntei-me: “Por que sempre coloco meus interesses em primeiro lugar?”

Mais tarde, assisti a um vídeo de uma leitura das palavras de Deus. Deus Todo-Poderoso diz: “Até que as pessoas tenham experimentado a obra de Deus e ganhado a verdade, é a natureza de Satanás que assume o controle e as domina por dentro. O que, especificamente, essa natureza acarreta? Por exemplo, por que você é egoísta? Por que protege a própria posição? Por que você tem emoções tão fortes? Por que aprecia aquelas coisas injustas? Por que gosta daqueles males? Qual é a base para sua afeição por tais coisas? De onde vêm essas coisas? Por que você fica tão feliz em aceitá-las? A esta altura, vocês todos vieram a entender que a razão principal por trás de todas essas coisas é que o veneno de Satanás está dentro de vocês. Quanto ao que é o veneno de Satanás, isso pode ser completamente expresso em palavras. Por exemplo, se você pergunta para alguns malfeitores por que agiram como agiram, eles responderão: ‘Por que é cada um por si, e o demônio pega quem fica por último’. Esse simples provérbio expressa a raiz exata do problema. A lógica de Satanás se tornou a vida das pessoas. Elas podem fazer coisas por este ou aquele propósito, mas só as estão fazendo para si mesmas. Todos pensam que, como é cada um por si e o demônio pega quem fica por último, as pessoas deveriam viver pelas próprias causas e fazer tudo que puderem para assegurar uma boa posição em prol de comida e roupas finas. ‘Cada um por si e o demônio pega quem fica por último’ — essa é a vida e a filosofia do homem e representa também a natureza humana. Essas palavras de Satanás são precisamente o veneno de Satanás e, quando as pessoas o internalizam, ele se torna a natureza delas. A natureza de Satanás é exposta por meio dessas palavras; elas o representam completamente. Esse veneno se torna a vida das pessoas bem como o fundamento de sua existência, e a humanidade corrupta tem sido constantemente dominada por esse veneno por milhares de anos” (‘Como trilhar a senda de Pedro’ em “Registros das falas de Cristo”).

As palavras de Deus dizem que, quando a humanidade foi corrompida por Satanás, todos os tipos de venenos satânicos foram plantados no nosso coração e se tornaram nossa natureza. Como “Cada um por si e o demônio pega quem fica por último”. Todos vivem segundo esse veneno satânico, tudo que fazemos é para nosso próprio lucro, e pensamos que isso é correto, assim nos tornamos cada vez mais egoístas e enganosos. Refleti sobre mim mesma. Quando a líder transferiu pessoas da minha igreja, eu resisti e tentei impedir isso, até ao ponto de ser enganosa. Tratei as pessoas como se pertencessem a mim e não permiti que a casa de Deus ficasse com elas. Eu era tão egoísta e desprezível, totalmente insensata. Eu estava obstruindo o trabalho da casa de Deus! Quando o Senhor Jesus veio para operar, os fariseus tentaram proteger seu status e sustento impedindo que as pessoas O seguissem. Trataram os crentes como seus e competiram com o Senhor por eles. No fim, ofenderam a Deus, e Ele os puniu. Como eu estava sendo diferente dos fariseus? Os irmãos e irmãs são ovelhas de Deus, e a casa de Deus tem o direito de dispor deles como deseja. Eu não tinha nenhum direito de interferir. Como líder da igreja, eu deveria fazer meu dever como a casa de Deus exige e alinhada com os princípios, comunicar a verdade para resolver problemas e treinar pessoas. Esse era meu dever, minha responsabilidade. Mas eu não tinha considerado a vontade de Deus nem alocado as pessoas de acordo com os princípios. Eu não me mostrei disposta a fazer o esforço de treinar mais pessoas. Eu não tinha oferecido aquelas que eram talentosas, mas tinha tentado mantê-las sob meu controle, para que trabalhassem e servissem ao meu prestígio. Eu não tinha feito o que eu queria em oposição à casa de Deus? Eu estava desafiando a Deus e trilhando a senda dos anticristos. Esse pensamento me assustou, e agradeci a Deus por me disciplinar e me impedir de cometer outros males.

Mais tarde, assisti a outro vídeo de leitura das palavras de Deus: Deus Todo-Poderoso diz: “As emoções da humanidade são egoístas e pertencem ao mundo das trevas. Elas não existem para o bem da vontade, muito menos para o plano de Deus, e assim homem e Deus jamais podem ser mencionados ao mesmo tempo. Deus é eternamente supremo e sempre honrável, enquanto o homem é eternamente baixo, eternamente desprezível. Isso porque Deus está eternamente fazendo sacrifícios e Se dedicando à humanidade; o homem, porém, para sempre toma e esforça-se apenas para si mesmo. Deus está eternamente fazendo esforços para a sobrevivência da humanidade, mas o homem jamais contribui com algo para o bem da luz ou para a justiça. Mesmo que o homem faça um esforço por um tempo, ele é tão fraco que não consegue resistir a um único golpe, pois o esforço do homem é sempre para o próprio bem, e não pelos outros. O homem é sempre egoísta, enquanto Deus é eternamente altruísta. Deus é a fonte de tudo que é justo, bom e belo, enquanto o homem é aquele que sucede a todo mal e fealdade e os torna manifestos. Deus jamais alterará Sua substância de justiça e beleza, mas o homem é perfeitamente capaz de, a qualquer momento e em qualquer situação, trair a justiça e afastar-se para longe de Deus” (‘É muito importante entender o caráter de Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”). As palavras de Deus me mostraram que Ele é altruísta. Tudo que Ele faz é para nos salvar, tudo nos beneficia. A casa de Deus promove e treina pessoas para que os de bom calibre que buscam a verdade possam adquirir mais prática e realizar as comissões de Deus. Isso beneficia os irmãos e irmãs e o trabalho da casa de Deus. Quanto a mim, eu tinha recebido a rega e o sustento das palavras de Deus e o treinamento da casa de Deus, mas não tinha pensado em cumprir meu dever para retribuir o amor de Deus. Tudo em que pensava era em como manter as pessoas sob meu controle. Quanto ao meu prestígio e status, eu não hesitei em impedir que a casa de Deus treinasse as pessoas, o que atrasou seu trabalho. Eu tinha sido egoísta e maliciosa, indigna de viver diante de Deus. Eu sabia que não podia continuar assim. Eu devia prover pessoas talentosas para a casa de Deus, para que mais irmãos e irmãs pudessem cumprir o dever que deveriam fazer no lugar certo. Após corrigir meus pensamentos, rapidamente encontrei alguém para assumir o trabalho da irmã Li e agradeci a Deus. Embora a pessoa nova não conhecesse os princípios e eu tivesse que trabalhar mais, eu me senti em paz e tranquila. Eu estava disposta a fazer sacrifícios para fazer o máximo que podia e a orar com meus irmãos e irmãs para fazermos bem o nosso trabalho.

Duas semanas depois, minha líder disse: “Precisamos da irmã Zhao para redigir artigos em outra igreja”. Quando ouvi isso, pensei: “Devo pensar em todo o trabalho da casa de Deus. Não posso mais ser egoísta. Por outro lado, acabamos de começar a treinar outra irmã para esse trabalho, e ela não conhece os princípios. Nosso trabalho sofrerá. É melhor que a irmã Zhao fique onde está”. Percebi que estava pensando de novo em meus interesses. Refleti sobre como eu tinha trilhado a senda dos anticristos, perturbando o trabalho da igreja vez após vez e ofendendo o caráter de Deus. Fiquei com tanto medo. Então, lembrei-me das palavras de Deus: “Não faça as coisas sempre pelo seu próprio bem, nem considere constantemente os interesses próprios; não pense em seu status, prestígio ou reputação. Tampouco considere os interesses do homem. Primeiro, você precisa pensar nos interesses da casa de Deus e fazer deles a sua primeira prioridade. Você deve ser atencioso para com a vontade de Deus e começar por contemplar se você tem sido impuro ou não no cumprimento de seu dever, se você fez ou não o melhor que pôde para ser leal, se você fez o melhor que pôde para cumprir suas responsabilidades, e deu tudo de si, e também se você pensou de todo o coração ou não sobre seu dever e a obra da casa de Deus. Você deve considerar essas coisas. Reflita sobre elas com frequência e será mais fácil para você cumprir bem o seu dever. Se seu calibre é baixo, sua experiência é superficial ou se você não é competente em seu trabalho profissional, então pode haver alguns erros ou deficiências em seu trabalho e os resultados podem não ser muito bons — mas você terá feito o maior esforço. Quando não estiver pensando em seus próprios desejos egoístas nem considerando seus interesses próprios nas coisas que faz, mas, em vez disso, estiver dando consideração constante ao trabalho da casa de Deus, tendo seus interesses em mente e desempenhando bem o seu dever, então, você estará acumulando boas obras perante Deus. Pessoas que realizam essas boas obras são aquelas que possuem verdade-realidade; como tais, elas têm dado testemunho” (‘Dê seu real coração a Deus e você poderá obter a verdade’ em “Registros das falas de Cristo”). As palavras de Deus me deram a senda para praticar. Eu devia pensar na vontade de Deus e no trabalho da igreja. Eu não podia ser egoísta e tentar ficar com o talento para mim mesma. Assim, fiz uma oração a Deus: “Amado Deus, tenho sido tão má e egoísta, sempre impedindo que a casa de Deus promova pessoas, impactando o trabalho da igreja. Não quero mais resistir a Ti. Por favor, guia-me para renunciar à minha carne e praticar a verdade…” Depois de orar, fui e falei com a irmã Zhao sobre a transferência dela. Embora fosse transferida, não me aborreci mais tanto quanto antes. Em vez disso, senti que eram a bondade e a bênção de Deus por eu ter sido capaz de fornecer tal talento para a casa de Deus. Eu também tinha sido capaz de cumprir meu dever, e meu coração se encheu de paz e alegria. Graças a Deus Todo-Poderoso!

Anterior: 38. Encontrando liberdade de status

Próximo: 40. Uma cura para a inveja

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.

Conteúdo relacionado

27. Como ver seu próprio dever

Por Zheng Ye, Coreia do SulPouco depois de me tornar um crente, reparei nos irmãos e irmãs que eram líderes frequentemente realizando...

19. Um calibre pobre não é desculpa

Eu não devo ser limitada pelo fato de meu calibre ser bom ou ruim. No futuro, tentarei buscar a verdade em todas as coisas, agir com princípio e ser uma pessoa honesta para satisfazer a Deus.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro