Capítulo 31

O caráter de Deus perpassa todas as declarações de Deus, mas a linha principal de Suas palavras é revelar a rebelião de toda a humanidade e expor coisas como sua desobediência, insubordinação, iniquidade, injustiça e incapacidade de amar verdadeiramente a Deus, de modo que as palavras de Deus chegaram ao ponto em que Ele diz que cada poro no corpo das pessoas contém oposição a Deus, que até seus capilares contêm provocação a Deus. Se não tentarem examinar essas coisas, as pessoas sempre serão incapazes de conhecê-las e nunca serão capazes de se desfazer delas. Isso quer dizer que o vírus que é a oposição a Deus se espalhará dentro delas e, no fim, será como se seus glóbulos brancos tivessem devorado os glóbulos vermelhos de seu sangue, deixando seu corpo inteiro privado de glóbulos vermelhos; no fim, elas morrerão de leucemia. Esse é o estado real do homem e ninguém pode negar isso. Tendo nascido na terra em que jaz enrolado o grande dragão vermelho, há pelo menos uma coisa em cada pessoa que tipifica e exemplifica o veneno do grande dragão vermelho. Por conseguinte, nesse estágio da obra, a linha principal das palavras de Deus tem sido conhecer a si mesmo, negar a si mesmo, esquecer de si mesmo e matar a si mesmo. Pode-se dizer que essa é a obra precípua de Deus durante os últimos dias e que essa rodada da obra é a mais abrangente e completa de todas — isso mostra que Deus está planejando finalizar essa era. Ninguém esperava isso, mas, ao mesmo tempo, é algo que as pessoas anteciparam com seu sentimento. Embora Deus não tenha dito isso tão explicitamente, os sentidos das pessoas são altamente apurados — elas sempre sentem que o tempo é curto. Posso dizer que, quanto mais uma pessoa sente isso, tanto mais claro é o conhecimento que ela tem da era. Não é ver o mundo como normal e assim negar as palavras de Deus; ao contrário, é conhecer o conteúdo da obra de Deus por meio dos recursos com os quais Deus opera. Isso é determinado pelo tom das palavras de Deus. Há um segredo em relação no tom das declarações de Deus, que ninguém desvendou, e também é precisamente isso no qual as pessoas têm a maior dificuldade de entrar. O ponto crucial por que as pessoas não conseguem entender as palavras de Deus é que elas continuam ignorantes do tom com que Deus fala — se dominarem esse segredo, elas serão capazes de obter algum conhecimento das palavras de Deus. As palavras de Deus sempre obedeceram a um princípio: levar as pessoas a saber que as palavras de Deus são tudo e resolver todas as dificuldades do homem através das palavras de Deus. Da perspectiva do Espírito, Deus torna claros os Seus feitos; da perspectiva do homem, Ele expõe as noções das pessoas; da perspectiva do Espírito, Ele diz que o homem não está atento à Sua vontade; e, da perspectiva do homem, Ele diz que provou os sabores doce, azedo, amargo e picante da experiência humana, e Ele vem no vento e vou com a chuva, que Ele experimentou a perseguição da família e experimentou os altos e baixos da vida. Essas são palavras ditas de diferentes perspectivas. Quando Ele fala às pessoas de Deus, é como uma governanta repreendendo os escravos ou como um esquete de comédia; Suas palavras fazem as pessoas corar, sem ter onde se esconder de sua vergonha, como se tivessem sido detidas pelas autoridades feudais de um regime passado para confessar sob cruel tortura. Quando Ele fala às pessoas de Deus, Deus é tão incontido quanto estudantes universitários em protesto que expõem escândalos no governo central. Se todas as palavras de Deus fossem zombeteiras, elas seriam mais dificilmente aceitas pelas pessoas; por conseguinte, as palavras ditas por Deus são diretas; elas não contêm cifras para o homem, mas apontam diretamente para o estado real do homem — isso mostra que o amor de Deus pelo homem não são apenas palavras, mas que é real. Embora as pessoas valorizem a realidade, não há nada de real quanto a seu amor por Deus. Isso é o que está faltando no homem. Se o amor das pessoas por Deus não é real, então a totalidade de todas as coisas será vazia e ilusória, como se tudo fosse desaparecer por causa disso. Se seu amor por Deus ultrapassar os universos, então também seu status e sua identidade serão reais e não vazios, e até essas palavras serão reais e não vazias — você vê isso? Você viu as exigências de Deus para o homem? O homem não deveria meramente desfrutar as bênçãos do status, mas viver a realidade do status. É isso que Deus pede do povo de Deus e de todos os homens, e isso não é alguma grande teoria vazia.

Por que Deus fala palavras este tipo: “…como se tudo o que Eu fizesse fosse uma tentativa de agradá-las, do que resulta que elas sempre têm aversão às coisas que Eu faço”? Você é capaz de falar das manifestações reais da aversão que o homem tem de Deus? Nas noções das pessoas, homem e Deus se “amam apaixonadamente” e hoje o anseio das pessoas pelas palavras de Deus chegou ao ponto de desejarem avidamente engolir Deus de uma só vez — Deus, contudo, fala palavras deste tipo: “O homem Me despreza. Por que o Meu amor foi pago com o ódio do homem?” Esse não é um depósito mineral dentro das pessoas? Não é isso que deveria ser trazido à tona? Esse é o defeito na busca das pessoas; é um problema importante que deve ser resolvido, é o leão que se postou no caminho para o conhecimento humano de Deus e que precisa ser afastado para o homem — não é isso que deve ser feito? Porque o homem, como um porco, não tem memória e sempre cobiça prazeres, Deus ministra ao homem o remédio contra amnésia — Ele fala mais, diz mais e agarra as pessoas pelas orelhas e faz com que escutem com atenção, e Ele as dota de aparelhos auditivos. Quanto a algumas de Suas palavras, dizê-las uma só vez não resolve o problema; elas precisam ser ditas repetidas vezes, pois “as pessoas sempre sofrem de esquecimento em sua vida e os dias da vida de toda a humanidade estão em desordem”. Dessa maneira, as pessoas podem ser salvas do estado em que “elas leem quando têm tempo, escutam quando estão livres e as deixem em paz quando não têm tempo; se as palavras são ditas hoje, elas prestam atenção, mas, se não forem ditas amanhã, elas as colocarão em segundo plano nas suas mentes”. No que concerne à natureza das pessoas, se Deus falasse hoje de seu estado real e elas chegassem a ter conhecimento completo dele, elas ficariam tomadas de arrependimento — mas logo depois elas retornariam a seus caminhos antigos, lançando as palavras de Deus ao vento e repetindo a cena descrita acima só quando fossem lembradas. Por conseguinte, quando você trabalha ou fala, não esqueça essa essência do homem; seria um equívoco pôr de lado essa essência enquanto trabalha. Ao fazer toda a obra, é especialmente importante tratar das noções das pessoas quando falar. Em particular, você deve acrescentar ideias próprias às palavras de Deus e comungá-las. Essa é a senda para suprir as pessoas e possibilitar que elas conheçam a si mesmas. Suprir as pessoas com base no conteúdo das palavras de Deus inevitavelmente tornará possível captar seu estado real. Nas palavras de Deus, há o suficiente para captar o estado real do homem e, em consequência, supri-lo — e, sendo assim, nada mais direi sobre as palavras de Deus, ressaltando que “Deus aceitou o convite para sentar-se a uma mesa de banquete na terra”.

Anterior: Capítulo 30

Próximo: Capítulo 32

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

Prática (2)

No passado, as pessoas se treinavam para estar com Deus e viver no espírito em cada momento. Comparada com a prática de hoje, essa é uma...

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro