G. Sobre como cumprir o dever adequadamente

404. Como membros da raça humana e cristãos devotos, é responsabilidade e obrigação de todos nós oferecer nossa mente e nosso corpo para a realização da comissão de Deus, pois todo o nosso ser veio de Deus e existe graças à Sua soberania. Se a nossa mente e o nosso corpo não servirem à comissão de Deus e à causa justa da humanidade, então nossa alma será indigna daqueles que foram martirizados pela comissão de Deus e mais indigna ainda de Deus, que nos proveu de todas as coisas.

Extraído de ‘Deus preside o destino de toda a humanidade’ em “A Palavra manifesta em carne”

405. O modo como você vê as comissões de Deus é um assunto muito sério! Se você não consegue completar o que Deus lhe confiou, então não está apto para viver em Sua presença e deveria ser punido. É lei do Céu e princípio da terra que os humanos completem quaisquer comissões que Deus lhes confia; essa é a sua responsabilidade suprema, tão importante quanto a sua própria vida. Se você não leva a sério as comissões de Deus, então está traindo a Ele da maneira mais grave; nisso você é mais lamentável que Judas e você deveria ser amaldiçoado. As pessoas devem ganhar um entendimento completo de como ver o que Deus lhes confia e, no mínimo, devem compreender que as comissões que Ele confia à humanidade são exaltações e favores especiais de Deus; são as coisas mais gloriosas. Tudo o mais pode ser abandonado; mesmo que alguém deva sacrificar sua própria vida, ainda precisa cumprir a comissão de Deus.

Extraído de ‘Como conhecer a natureza do homem’ em “Registros das falas de Cristo”

406. Não há correlação entre o dever do homem e se ele é abençoado ou amaldiçoado. O dever é o que o homem deve cumprir; é sua vocação providencial, e não deveria depender de recompensa, condições ou razões. Só então ele está fazendo o seu dever. Ser abençoado é quando alguém é aperfeiçoado e desfruta das bênçãos de Deus após experimentar julgamento. Ser amaldiçoado é quando o caráter de alguém não muda depois de ter experimentado castigo e julgamento, é quando não experimenta ser aperfeiçoado, mas, sim, punido. Mas, independentemente de ser abençoados ou amaldiçoados, os seres criados devem cumprir seu dever, fazer o que devem fazer e fazer o que são capazes de fazer; isso é o mínimo que uma pessoa, uma pessoa que busca a Deus, deveria fazer. Você não deve fazer o seu dever apenas para ser abençoado e não deve se recusar a agir por medo de ser amaldiçoado. Deixe-Me dizer-lhes uma coisa só: o desempenho do homem de seu dever é o que ele deve fazer e, se ele é incapaz de desempenhar seu dever, então isso é a sua rebeldia. É através do processo de fazer o seu dever que o homem é gradualmente mudado e é através desse processo que ele demonstra sua lealdade. Assim, quanto mais você for capaz de fazer o seu dever, mais verdade você receberá e mais real sua expressão se tornará. Aqueles que simplesmente agem sem se envolver ao cumprir seu dever e não buscam a verdade serão eliminados no fim, pois tais pessoas não fazem seu dever na prática da verdade e não praticam a verdade no cumprimento de seu dever. Elas são aquelas que permanecem inalteradas e serão amaldiçoadas. Suas expressões não só são impuras, mas tudo que expressam é maldade.

Extraído de ‘A diferença entre o ministério de Deus encarnado e o dever do homem’ em “A Palavra manifesta em carne”

407. As criaturas de Deus deveriam cumprir seu dever; você vive sob o domínio de Deus, aceita tudo que é fornecido por Deus, tudo que vem de Deus, e por isso você deveria cumprir suas responsabilidades e obrigações — esse é o seu dever. Isso mostra que, para a humanidade, o cumprimento do dever de uma criatura de Deus é mais justo, mais lindo e mais nobre do que qualquer outra coisa feita durante a vida no mundo do homem; nada em meio à humanidade é mais significativo ou digno e nada traz maior significado e valor para a vida de uma criatura de Deus do que cumprir o dever de uma criatura de Deus. Uma criatura de Deus ser capaz de cumprir o dever de uma criatura de Deus, ser capaz de satisfazer o Criador, é a coisa mais maravilhosa em meio à humanidade e é algo que deve ser celebrado pela humanidade. Qualquer coisa confiada pelo Criador às criaturas de Deus deve ser aceita por elas incondicionalmente; para a humanidade, isso é algo abençoado e glorioso, e para toda a humanidade que cumpre o dever de uma criatura de Deus, nada é mais maravilhoso ou digno de comemoração — é algo positivo. E quanto a como o Criador trata aqueles que cumprem o dever de uma criatura de Deus e o que lhes promete, isso é um assunto do Criador e não interessa à humanidade criada. Francamente, isso cabe a Deus; você receberá o que Deus lhe der, e se Ele não lhe der nada, não há nada que você possa dizer a respeito. Quando uma criatura de Deus aceita a comissão de Deus e coopera com o Criador para cumprir seu dever e fazer o que puder, isso não é uma transação ou um negócio; as criaturas de Deus não devem tentar usar alguma atitude ou algo para trocar por bênçãos ou promessas de Deus. Quando o Criador lhes confia esse trabalho, é correto e apropriado que, como criaturas de Deus, vocês aceitem esse dever e comissão; não há transação envolvida. Da parte do Criador, Ele está disposto a confiar essa comissão a cada um de vocês; e da parte da humanidade, as pessoas devem aceitar esse dever com alegria, tratando-o como a obrigação de sua vida, como valor que devem viver nesta vida. Não existe transação alguma aqui, isso não é uma troca equivalente, muito menos envolve alguma recompensa ou qualquer tipo de interpretação. Não é um negócio, não é uma troca pelo preço que as pessoas pagam ou pelo trabalho com que contribuem quando cumprem seu dever. Deus nunca disse isso, e isso não deveria ser entendido desse jeito pelo homem.

Extraído de “Eles só cumprem seu dever para se distinguir e alimentar seus próprios interesses e ambições; eles nunca levam em consideração os interesses da casa de Deus e até traem esses interesses em troca de glória pessoal (VI)” em Expondo a natureza e essência dos anticristos

408. Quando uma pessoa aceita o que Deus confia, Deus tem um padrão para julgar se as ações da pessoa são boas ou más e se a pessoa obedeceu, e se a pessoa satisfez a vontade de Deus, e se o que ela faz está à altura do padrão. Deus se importa com o coração da pessoa, e não com seus gestos aparentes. Não é que Deus abençoa alguém desde que este faça alguma coisa, sem importar como faz. Isso é um equívoco das pessoas acerca de Deus. Deus não olha apenas para o resultado final das coisas, mas coloca mais ênfase em como é o coração da pessoa e qual é a atitude da pessoa durante o desenvolvimento das coisas, e olha se há obediência, consideração e desejo de satisfazer a Deus em seu coração.

Extraído de ‘A obra de Deus, o caráter de Deus e o Próprio Deus I’ em “A Palavra manifesta em carne”

409. Não importa que dever cumpra, você precisa sempre buscar compreender a vontade de Deus e entender quais são Suas exigências em relação a seu dever; só então você será capaz de lidar com as questões de uma maneira baseada em princípios. Ao realizar o seu dever, você não pode de maneira alguma seguir suas preferências pessoais, ao fazer só o que gostaria de fazer, o que você ficaria feliz e confortável fazendo, nem o que o faria parecer bom. Se você impuser forçosamente suas preferências pessoais para Deus ou praticá-las como se fossem a verdade, observando-as como se fossem as verdades-princípio, então isso não é cumprir o seu dever, e realizar o seu dever dessa maneira não será lembrado por Deus. Algumas pessoas não entendem a verdade e não sabem o que significa cumprir bem os seus deveres. Sentem que, já que investiram seu coração e esforço nisso, renunciaram à sua carne e sofreram, então o cumprimento de seus deveres deveria estar à altura do padrão — por que, então, Deus está sempre insatisfeito? Onde essas pessoas erraram? Seu erro foi não buscar as exigências de Deus e, em vez disso, agir de acordo com suas próprias ideias; trataram os próprios desejos, preferências e motivos egoístas como a verdade e os trataram como se fossem o que Deus ama, como se fossem Seus padrões e exigências. Eles viram o que acreditavam ser correto, bom e lindo como sendo a verdade; isso é errado. Na verdade, mesmo que, às vezes, as pessoas possam pensar que algo é certo e que está de acordo com a verdade, isso não significa necessariamente que está de acordo com a vontade de Deus. Quanto mais as pessoas acham que algo é certo, mais cautelosas deveriam ser e mais deveriam buscar a verdade para ver se aquilo que estão pensando cumpre as exigências de Deus. Caso seja contrário às Suas exigências e palavras, então você está errado ao pensar que é certo, nada mais é do que um pensamento humano e não estará necesseriamente de acordo com a verdade, não importa quão certo você acredite que seja. Sua determinação do certo e do errado deve se basear exclusivamente nas palavras de Deus, e não importa o quanto você acredite que algo seja certo, a não ser que exista para isso uma base nas palavras de Deus, você deve descartá-lo. O que é dever? É a comissão confiada às pessoas por Deus. Então, como você deveria cumprir seu dever? Ao agir de acordo com os padrões e exigências de Deus e ao basear seu comportamento nas verdades-princípio e não nos desejos humanos subjetivos. Dessa maneira, o cumprimento do seu dever estará de acordo com o padrão.

Extraído de ‘Só buscando as verdades-princípio é possível realizar bem o seu dever’ em “Registros das falas de Cristo”

410. Para algumas pessoas, não importa que problema possam encontrar ao realizar seus deveres, elas não buscam a verdade e sempre agem segundo os próprios pensamentos, noções, imaginações e desejos. Estão constantemente satisfazendo seus próprios desejos egoístas, e seus caracteres corruptos estão sempre em controle sobre suas ações. Embora possam completar os deveres aos quais foram designadas, elas não ganham verdade alguma. Então, em que essas pessoas estão confiando quando realizam seus deveres? Elas não estão confiando nem na verdade e nem em Deus. O pouco da verdade que elas entendem não assumiu soberania em seu coração; elas estão confiando em seus próprios dons e habilidades, em qualquer que seja o conhecimento que adquiriram e em seus talentos, como também em sua força de vontade ou boas intenções para completar esses deveres. Isso é um tipo diferente de natureza, não é? Embora às vezes você possa confiar em sua naturalidade, em suas imaginações, noções, conhecimento e aprendizado para cumprir o seu dever, nenhuma questão de princípio emerge em algumas das coisas que você faz. Superficialmente parece que você não tomou a senda errada, mas há uma coisa que não pode ser ignorada: durante o processo de cumprir o seu dever, se suas noções, imaginações e desejos pessoais nunca mudam e nunca são substituídos pela verdade, e se seus atos e feitos nunca são realizados de acordo com a verdade-princípio, então qual será o resultado final? Você se tornará um servidor. Isso é precisamente o que está escrito na Bíblia: “Muitos Me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em Teu nome? e em Teu nome não expulsamos demônios? e em Teu nome não fizemos muitos milagres? Então lhes direi claramente: Nunca vos conheci; apartai-vos de Mim, vós que praticais a iniquidade” (Mateus 7:22-23). Por que Deus chama essas pessoas que fazem esforço e prestam serviço de “vós que praticais a iniquidade”? Existe um ponto sobre o qual podemos ter certeza, e esse é que, não importa que deveres ou trabalho essas pessoas façam, suas motivações, o ímpeto, intenções e pensamentos surgem inteiramente de seus desejos egoístas, estão totalmente baseados em suas próprias ideias e interesses pessoais, e seus planos e considerações giram completamente em torno de sua reputação, status, vaidade e perspectivas para o futuro. No fundo, elas não possuem nenhuma verdade nem agem de acordo com a verdade-princípio. Assim, o que é crucial que vocês busquem agora? (Devemos buscar a verdade e cumprir nossos deveres de acordo com a vontade e as exigências de Deus.) O que, especificamente, vocês devem fazer ao cumprirem seus deveres de acordo com as exigências de Deus? No que diz respeito às suas intenções e ideias quando faz algo, você deve aprender a discernir se elas estão ou não de acordo com a verdade, como também se suas intenções e ideias estão voltadas para cumprir seus próprios desejos egoístas ou para os interesses da casa de Deus. Se suas intenções e ideias estiverem de acordo com a verdade, então você pode cumprir seu dever alinhado com seu pensamento; se, porém, elas não estiverem de acordo com a verdade, então você deve dar meia-volta rapidamente e abandonar aquela senda. Aquela senda não é certa, e você não pode praticar daquela maneira; se você continuar seguindo aquela senda, você acabará cometendo o mal.

Extraído de ‘Como vivenciar as palavras de Deus nos deveres de alguém’ em “Registros das falas de Cristo”

411. Ao cumprir seu dever, você deve sempre examinar a si mesmo para ver se está fazendo as coisas de acordo com os princípios, se o desempenho de seu dever está dentro do padrão, se você está simplesmente fazendo isso de maneira superficial, se tentou fugir de suas responsabilidades e se há algum problema com sua atitude e com a maneira como pensa. Depois de refletir sobre si mesmo e essas coisas ficarem claras para você, você terá mais facilidade em cumprir seu dever. Não importa o que você encontre ao desempenhar seu dever — negatividade e fraqueza, ou ficar de mau humor depois de lidarem com você — você deve tratar isso adequadamente e deve também procurar a verdade e entender a vontade de Deus. Ao fazer essas coisas, você terá uma senda para praticar. Se você deseja fazer um bom trabalho no cumprimento de seu dever, não deve ser afetado por seu humor. Não importa o quão negativo ou fraco você esteja se sentindo, você deve praticar a verdade em tudo o que faz, com absoluto rigor e aderindo aos princípios. Se você fizer isso, não só as outras pessoas aprovarão você, mas Deus também gostará de você. Assim, você será uma pessoa que é responsável e que assume um fardo; você será uma pessoa genuinamente boa que realmente cumpre seus deveres à altura dos padrões e que vive plenamente a semelhança de uma pessoa genuína. Essas pessoas são purificadas e alcançam verdadeira transformação ao cumprir seus deveres, e pode-se dizer que são honestas aos olhos de Deus. Somente pessoas honestas podem perseverar em praticar a verdade e obter êxito em agir com princípios e conseguem cumprir seus deveres de acordo com as normas. Pessoas que agem com princípios cumprem seus deveres meticulosamente quando estão de bom humor; elas não trabalham de maneira superficial, não são arrogantes e elas e não se exibem para fazer os outros as terem em alta estima. Quando estão de mau humor, no entanto, concluem as tarefas cotidianas com a mesma seriedade e responsabilidade, e mesmo que enfrentem algo que seja prejudicial ao cumprimento de seus deveres, ou que exerça alguma pressão sobre elas ou cause perturbações enquanto cumprem seus deveres, ainda conseguem acalmar seu coração diante de Deus e orar, dizendo: “Não importa o tamanho do problema que eu enfrente — mesmo que o céu desmorone — enquanto Deus permitir que eu continue vivendo, estou determinado a fazer o possível para cumprir meu dever. Todo dia que me for permitido viver é um dia em que trabalharei duro no cumprimento de meu dever, para que eu seja digno desse dever que me foi concedido por Deus, bem como do fôlego que Ele colocou em meu corpo. Não importa a dificuldade em que possa estar, deixarei tudo de lado, pois cumprir meu dever é da maior importância!” Aqueles que não são afetados por qualquer pessoa, evento, coisa ou ambiente, que não são controlados por qualquer humor ou situação externa e que colocam seus deveres e as comissões que Deus lhes confiou em primeiro lugar — são as pessoas que são leais a Deus e se submetem genuinamente a Ele. Pessoas assim obtiveram a entrada na vida e entraram na verdade-realidade. Esta é uma das expressões mais práticas e genuínas de viver a verdade.

Extraído de ‘A entrada na vida deve iniciar com a experiência de cumprir o dever da pessoa’ em “Registros das falas de Cristo”

412. Não importa o que Deus peça de você, você só precisa trabalhar para isso com toda a sua força, e Eu espero que você seja capaz de vir para diante de Deus e de dar para Ele toda a sua devoção no fim. Enquanto puder ver o sorriso gratificado de Deus sentado em Seu trono, mesmo que esse momento seja a hora determinada da sua morte, você deve ser capaz de rir e sorrir ao fechar seus olhos. Você deve, durante seu tempo na terra, cumprir seu dever final para Deus. No passado, Pedro foi crucificado de cabeça para baixo em nome de Deus; mas, no fim, você deve satisfazer a Deus e esgotar toda a sua energia para o bem Dele. O que um ser criado pode fazer em prol de Deus? Portanto, você deve se entregar a Deus o mais cedo e não o mais tarde possível, para que Ele possa dispor de você como Ele desejar. Contanto que isso deixe Deus feliz e satisfeito, permita que Ele faça o que quiser com você. Que direito os homens têm de falar palavras de queixa?

Extraído de ‘Capítulo 41’ das Interpretações dos mistérios das palavras de Deus para todo o universo em “A Palavra manifesta em carne”

413. O que vocês devem realizar hoje não são exigências adicionais, mas o dever do homem e aquilo que deve ser feito por todas as pessoas. Se vocês são incapazes de fazer o seu dever ou de fazê-lo corretamente, não estão criando problemas para si mesmos? Não estão cortejando a morte? Como podem ainda esperar ter um futuro e perspectivas? A obra de Deus é para o bem da humanidade e a colaboração do homem é dada para o bem do gerenciamento de Deus. Quando Deus tiver realizado tudo o que Ele deve realizar, requer-se que o homem não poupe esforços na sua prática e colabore com Deus. Na obra de Deus o homem não deve poupar esforços, deve oferecer sua lealdade e não se entregar a múltiplas noções, nem sentar-se passivamente esperando a morte. Deus pode se sacrificar pelo homem, por que o homem não pode oferecer a sua lealdade a Deus? Deus é uno de coração e mente para com o homem, então, por que o homem não pode oferecer um pouco de colaboração? Deus realiza Sua obra para a humanidade, então por que o homem não pode realizar parte de seu dever para ajudar o gerenciamento de Deus? A obra de Deus alcançou o estágio atual e mesmo assim vocês veem, mas não agem, vocês ouvem, mas não se movem. Pessoas assim não são objetos de perdição? Deus já Se dedicou inteiramente ao homem, então por que, hoje, o homem é incapaz de realizar o seu dever com seriedade? Para Deus, Sua obra é Sua primeira prioridade, e a obra de Seu gerenciamento é da maior importância. Para o homem, colocar as palavras de Deus em prática e cumprir as exigências de Deus são sua primeira prioridade. Vocês todos devem compreender isso.

Extraído de ‘A obra de Deus e a prática do homem’ em “A Palavra manifesta em carne”

414. O desempenho do homem de seu dever é, na verdade, a realização de tudo que é inerente ao homem, isto é, do que lhe é possível. É aí que o seu dever é cumprido. Os defeitos do homem durante seu serviço são reduzidos gradualmente por meio da experiência progressiva e do processo de submeter-se ao julgamento; eles não impedem nem afetam o dever do homem. Os que param de servir ou cedem e retrocedem por medo de que possa haver inconvenientes em seu serviço são os mais covardes de todos. Se as pessoas não podem expressar o que deviam expressar durante o serviço, nem alcançar o que lhes é inerentemente possível, e, em vez disso, se enganam e agem sem se envolver, elas perderam a função que um ser criado deveria ter. Essas pessoas são o que é conhecido por “mediocridades”; são refugo inútil. Como tais pessoas podem ser apropriadamente chamadas de seres criados? Não são seres corruptos que brilham por fora estando podres por dentro? Se um homem chama a si mesmo de Deus, mas é incapaz de expressar o ser divino, de fazer a obra do Próprio Deus ou representar Deus, sem dúvida alguma ele não é Deus, pois não tem a essência de Deus, e aquilo que Deus pode inerentemente alcançar não existe dentro dele. Se perde o que é inerentemente alcançável por ele, o homem não pode mais ser considerado homem e não é digno de permanecer como um ser criado nem de se achegar diante de Deus e O servir. Além disso, ele não é digno de receber a graça de Deus nem de ser cuidado, protegido e aperfeiçoado por Deus. Muitos que perderam a confiança de Deus prosseguem para perder a graça de Deus. Não apenas não desprezam seus erros, mas descaradamente propagam a ideia de que o caminho de Deus é incorreto, e os rebeldes até negam a existência de Deus. Como tais pessoas, que são possuídas por tanta rebeldia, podem ter direito de desfrutar da graça de Deus? Aqueles que não desempenham seu dever são muito rebeldes contra Deus, e devem muito a Ele, mas viram e reclamam que Deus está errado. Como esse tipo de homem poderia ser digno de ser aperfeiçoado? Isso não é o que precede a ser eliminado e punido? As pessoas que não fazem o seu dever diante de Deus já são culpadas do mais hediondo dos crimes, para quem até a morte é uma punição insuficiente, ainda assim elas têm o descaramento de debater com Deus e de se comparar a Ele. De que vale aperfeiçoar tais pessoas? Quando deixam de cumprir seu dever, as pessoas deveriam se sentir culpadas e em dívida; deveriam menosprezar sua fraqueza e inutilidade, sua rebeldia e corrupção e, além disso, deveriam dar sua vida por Deus. Só então elas são seres criados que realmente amam Deus, e só essas pessoas são dignas de desfrutar as bênçãos e promessas de Deus e de ser aperfeiçoadas por Ele. E que dizer da maioria de vocês? Como tratam o Deus que vive entre vocês? Como desempenharam seu dever diante Dele? Fizeram tudo que foram chamados para fazer, até mesmo ao custo da própria vida? O que sacrificaram? Vocês não receberam de Mim muitas coisas? Conseguem discernir? Quão leais vocês são a Mim? Como Me serviram? E quanto a tudo que Eu lhes tenho concedido e feito por vocês? Vocês calcularam tudo isso? Vocês todos julgaram e compararam isso com essa mínima consciência que vocês têm? Suas palavras e ações poderiam ser dignas de quem? Poderia ser que esse seu sacrifício minúsculo seja digno de tudo o que Eu concedi a vocês? Eu não tenho outra escolha e tenho sido dedicado a vocês de todo o coração, mesmo assim vocês abrigam intenções maldosas e são indiferentes para Comigo. Essa é a extensão do seu dever, da sua única função. Não é assim? Vocês não sabem que fracassaram totalmente em desempenhar o dever de um ser criado? Como vocês podem ser considerados seres criados? Não está claro para vocês o que estão expressando e vivendo? Vocês fracassaram em cumprir seu dever, mas buscam ganhar a tolerância e a graça abundante de Deus. Tal graça não foi preparada para pessoas tão desprezíveis e baixas como vocês, mas para aqueles que não pedem nada e se sacrificam alegremente. Pessoas como vocês, essas mediocridades, são totalmente indignas de desfrutar da graça do céu. Somente dificuldades e punições intermináveis acompanharão seus dias! Se vocês não puderem ser fiéis a Mim, seu destino será o de sofrimento. Se não puderem ser responsáveis por Minhas palavras e Minha obra, seu desfecho será o de punição. Todas as bênçãos, graça e a vida maravilhosa do reino não terão nada a ver com vocês. Esse é o fim que vocês merecem ter e é consequência do que vocês mesmos fizeram!

Extraído de ‘A diferença entre o ministério de Deus encarnado e o dever do homem’ em “A Palavra manifesta em carne”

Anterior: F. Sobre como praticar obediência a Deus

Próximo: H. Sobre como alcançar temer a Deus e evitar o mal

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.

Conteúdo relacionado

O Próprio Deus, o Único X

Deus é a fonte da vida para todas as coisas (IV)Estamos comunicando sobre um tópico especial hoje. Para cada um que crê, há apenas duas...

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro