Conhecendo Deus 4

Palavras diárias de Deus Trecho 120

Entendendo a autoridade de Deus a partir da macro e da microperspectiva

A autoridade de Deus é única. É a expressão característica e a substância especial da identidade do Próprio Deus, que nenhum ser criado ou não criado possui; só o Criador possui esse tipo de autoridade. Ou seja, só o Criador — o Deus Único — é expresso dessa maneira e tem essa substância. Então, por que deveríamos conversar sobre a autoridade de Deus? Como a autoridade do Próprio Deus difere da “autoridade” que o homem concebe em sua mente? O que ela tem de especial? Por que é particularmente significativo falar dela aqui? Cada um de vocês deve considerar cuidadosamente essa questão. Para a maioria das pessoas, a “autoridade de Deus” é uma ideia vaga, que demanda grande esforço para se entender, e qualquer discussão sobre ela tende a ser abstrata. Portanto, invariavelmente haverá uma lacuna entre o conhecimento da autoridade de Deus que o homem é capaz de possuir e a substância da autoridade de Deus. Para encobrir essa lacuna, todos devem gradativamente vir a conhecer a autoridade de Deus por meio de pessoas, eventos, coisas e diversos fenômenos que estão ao alcance dos homens e dentro de sua capacidade de compreender, em sua vida real. Embora a frase “autoridade de Deus” possa parecer insondável, a autoridade de Deus não é de modo algum abstrata. Ele está presente com o homem em todos os minutos de sua vida, conduzindo-o todos os dias. Assim, em sua vida cotidiana, cada pessoa necessariamente verá e vivenciará o aspecto mais tangível da autoridade de Deus. Essa tangibilidade é prova suficiente de que a autoridade de Deus existe verdadeiramente e permite de forma plena que se reconheça e compreenda o fato de que Deus possui essa autoridade.

Deus criou tudo e, tendo criado tudo, tem domínio sobre todas as coisas. Além de ter domínio sobre todas as coisas, Ele está no controle de tudo. O que significa a ideia de que “Deus está no controle de tudo”? Como pode ser explicada? Como se aplica à vida real? Como entender o fato de que “Deus está no controle de tudo” leva a entender Sua autoridade? Da própria frase “Deus está no controle de tudo”, deveríamos ver que o que Deus controla não é uma parte dos planetas nem uma parte da criação, muito menos uma parte da humanidade, mas tudo: do imenso ao microscópico, do visível ao invisível, das estrelas dos cosmos às coisas vivas na terra, assim como microrganismos que não podem ser vistos a olho nu ou seres que existem em outras formas. Essa é a definição precisa do “tudo” de que Deus está “no controle”; é o escopo de Sua autoridade, a extensão de Sua soberania e Seu governo.

Antes de esta humanidade chegar a existir, o cosmos — todos os planetas, todas as estrelas nos céus — já existia. No nível macro, esses corpos celestes têm orbitado regularmente, sob o controle de Deus, por sua existência inteira, pelos tantos anos que se passaram. Que planeta vai a algum lugar em tal momento em particular; que planeta realiza tal tarefa, e quando; que planeta gira ao longo de tal órbita e quando desaparece ou é substituído — todas essas coisas prosseguem sem o menor erro. As posições dos planetas e as distâncias entre eles seguem padrões estritos, e todos eles podem ser descritos por dados precisos; os trajetos pelos quais eles viajam, a velocidade e os padrões de suas órbitas, os momentos em que se encontram em posições variadas — tudo isso pode ser quantificado com precisão e descrito por leis especiais. Por eras, os planetas têm seguido essas leis, sem o mínimo desvio. Nenhum poder consegue mudar ou interromper suas órbitas nem os padrões que eles seguem. Como as leis especiais que governam seus movimentos e os dados precisos que os descrevem são predestinados pela autoridade do Criador, eles obedecem a essas leis por conta própria, sob a soberania e o controle do Criador. No nível macro, não é difícil para o homem descobrir alguns padrões, alguns dados e algumas leis ou fenômenos estranhos e inexplicáveis. Embora a humanidade não admita que Deus existe, não aceite o fato de que o Criador criou tudo e tem domínio sobre tudo, e além disso não reconheça a existência da autoridade do Criador, cientistas, astrônomos e físicos humanos estão, não obstante, descobrindo cada vez mais que a existência de todas as coisas no universo e os princípios e os padrões que ditam seus movimentos são todos governados e controlados por uma energia escura vasta e invisível. Esse fato obriga o homem a encarar e reconhecer que existe um Ser Poderoso em meio a esses padrões de movimento, orquestrando tudo. Seu poder é extraordinário, e, embora ninguém possa ver Seu verdadeiro rosto, Ele governa e controla tudo a cada momento. Nenhum homem ou nenhuma força pode ir além de Sua soberania. Diante desse fato, o homem deve reconhecer que as leis que governam a existência de todas as coisas não podem ser controladas pelos humanos, não podem ser mudadas por ninguém; ele deve admitir também que os seres humanos não podem entender completamente essas leis, e que elas não ocorrem naturalmente, mas são ditadas por um Soberano. Estas são todas expressões da autoridade de Deus que a humanidade consegue perceber em um nível macro.

No nível micro, todas as montanhas, todos os rios, lagos, mares e massas de terra que o homem observa na terra, todas as estações que ele vivencia, todas as coisas que habitam a terra, incluindo plantas, animais, microrganismos e humanos, estão sujeitas à soberania e ao controle de Deus. Sob a soberania e o controle de Deus, todas as coisas vêm a existir ou desaparecem de acordo com Seus pensamentos; surgem leis que governam sua existência, e elas crescem e se multiplicam em conformidade a tais leis. Nenhum ser humano ou coisa está acima dessas leis. Por quê? A única resposta é: por causa da autoridade de Deus. Ou, para colocar de outra forma, por causa dos pensamentos de Deus e das palavras de Deus; por causa das ações particulares do Próprio Deus. Isso significa que são a autoridade de Deus e a mente de Deus que dão origem a essas leis, que variam e mudam de acordo com Seus pensamentos, e essas variações e mudanças todas acontecem ou desaparecem por causa do Seu plano. As epidemias, por exemplo. Elas irrompem sem aviso. Ninguém sabe suas origens nem as razões exatas pelas quais elas ocorrem, e, toda vez que uma epidemia chega a certo lugar, aqueles que estão fadados não podem escapar da calamidade. A ciência humana entende que as epidemias são causadas pela disseminação de micróbios malignos ou nocivos, e sua velocidade, seu alcance e método de transmissão não podem ser preditos nem controlados pela ciência humana. Embora resista a elas por todos os meios possíveis, a humanidade não consegue controlar quais pessoas ou animais são afetados inevitavelmente quando as epidemias irrompem. A única coisa que os seres humanos podem fazer é tentar preveni-las, resistir a elas e pesquisá-las. Mas ninguém sabe as causas originais que explicam o início ou o fim de qualquer epidemia em particular, e ninguém pode controlá-las. Diante do surto e da disseminação de uma epidemia, a primeira medida que os humanos tomam é desenvolver uma vacina, mas com frequência a epidemia desaparece por si só antes de a vacina ficar pronta. Por que as epidemias desaparecem? Alguns dizem que os germes foram controlados, outros dizem que desapareceram por causa da mudança das estações… Quanto a se essas especulações extravagantes são sustentáveis, a ciência não pode oferecer explicação nem dar uma resposta precisa. O que a humanidade enfrenta não são apenas essas especulações, mas a falta de entendimento e o medo das epidemias que tem o homem. Em última análise, ninguém sabe por que as epidemias começam nem por que terminam. Como tem fé apenas na ciência e confia inteiramente nela, e não reconhece a autoridade do Criador nem aceita a Sua soberania, a humanidade nunca terá uma resposta.

Sob a soberania de Deus, todas as coisas proliferam, existem e perecem por causa de Sua autoridade e de Sua gestão. Algumas coisas vêm e vão silenciosamente, e o homem não consegue dizer de onde vieram nem entender os padrões que elas seguem, muito menos compreender as razões de elas virem e irem. Embora o homem possa ver, com os próprios olhos, tudo que acontece entre todas as coisas, e possa ouvir com seus ouvidos, e possa vivenciar com seu corpo; embora tudo isso tenha ligação com o homem, e embora o homem subconscientemente compreenda a condição incomum, a regularidade ou até a estranheza dos diversos fenômenos, ele ainda nada sabe sobre o que existe por trás deles, que são a vontade e a mente do Criador. Há muitas histórias por trás desses fenômenos, muitas verdades ocultas. Como o homem tem se desviado muito do Criador, como não aceita o fato de que a autoridade do Criador governa todas as coisas, ele nunca vai saber e compreender tudo que acontece sob a soberania da autoridade do Criador. Na maioria das vezes, o controle e a soberania de Deus excedem os limites da imaginação humana, do conhecimento humano, do entendimento humano, e do que a ciência humana pode alcançar; elas estão além das habilidades da humanidade criada. Algumas pessoas dizem: “Já que você não testemunhou a soberania de Deus por si mesmo, como pode acreditar que tudo está sujeito à Sua autoridade?”. Ver nem sempre é acreditar, e nem sempre é reconhecer e compreender. Então, de onde a crença vem? Posso dizer com certeza: “A crença vem do grau e da profundidade da percepção e da experiência que as pessoas têm da realidade e das causas originais das coisas”. Se você acredita que Deus existe, mas não consegue reconhecer, muito menos perceber, o fato do controle de Deus e da soberania de Deus sobre todas as coisas, então em seu coração você nunca admitirá que Deus tem esse tipo de autoridade e que a autoridade de Deus é única. Você nunca aceitará verdadeiramente que o Criador é seu Senhor, seu Deus.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único III’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 121

O destino da humanidade e o destino do universo são inseparáveis da soberania do Criador

Vocês são todos adultos. Alguns de vocês são de meia-idade; alguns já entraram na velhice. Vocês passaram de não acreditar em Deus para acreditar Nele, e de começar a acreditar em Deus para aceitar a Sua palavra e vivenciar Sua obra. Quanto conhecimento vocês têm da soberania de Deus? Que percepções vocês ganharam sobre o destino do homem? Pode-se conseguir tudo o que se deseja na vida? Quantas coisas, em suas poucas décadas de existência, vocês foram capazes de realizar como desejavam? Quantas coisas aconteceram que vocês não esperavam? Quantas coisas vêm como surpresas agradáveis? Quantas coisas as pessoas ainda esperam ver frutificar — inconscientemente aguardando o momento certo, aguardando a vontade do Céu? Quantas coisas fazem as pessoas se sentirem impotentes e frustradas? Todos estão cheios de esperanças sobre seu destino, esperando que tudo em sua vida sairá como desejam, que não lhes faltará comida nem roupa, que suas riquezas aumentarão de modo espetacular. Ninguém quer uma vida que seja pobre e oprimida, cheia de adversidades, assediada por calamidades. Mas as pessoas não podem prever nem controlar essas coisas. Para algumas, talvez, o passado seja apenas um amontoado de experiências; elas nunca aprendem qual é a vontade do Céu, nem se importam com qual é. Vão vivendo a vida de maneira irrefletida, como animais, dia após dia, sem se importar com o destino da humanidade, com o motivo de os seres humanos estarem vivos ou como eles deveriam viver. Essas pessoas chegam à velhice sem ter ganhado entendimento algum do destino humano, e até o momento em que morrem não têm ideia do que é a vida. Tais pessoas estão mortas; são seres sem espírito; são bestas. Embora vivam em meio à criação e tirem contentamento dos muitos modos pelos quais o mundo satisfaz suas necessidades materiais, e embora vejam este mundo material avançar constantemente, entretanto, sua experiência — o que seu coração e seu espírito sentem e vivenciam — nada tem a ver com coisas materiais, e nada que é material substitui a experiência. A experiência é um reconhecimento que se dá no fundo do coração, algo que não pode ser visto a olho nu. Esse reconhecimento reside na compreensão e no sentimento da vida humana e do destino humano. E com frequência leva as pessoas à apreensão de que um Mestre invisível está arranjando todas as coisas, orquestrando tudo para o homem. Em meio a tudo isso, as pessoas não podem deixar de aceitar os arranjos e as orquestrações do destino; ao mesmo tempo, não podem deixar de aceitar a senda que o Criador traçou à frente, a soberania do Criador sobre seu destino. Esse é um fato inconteste. Sejam quais forem a percepção e a atitude que se têm a respeito do destino, ninguém pode mudar esse fato.

Aonde você irá cada dia, o que você fará, o que ou quem você vai encontrar, o que você dirá, o que acontecerá com você — é possível predizer algo disso? As pessoas não podem prever todos esses acontecimentos, muito menos controlar como essas situações se desenvolvem. Na vida, esses eventos imprevisíveis ocorrem o tempo inteiro; são ocorrências corriqueiras. Essas vicissitudes cotidianas e os modos como se desdobram, ou os padrões que seguem, são lembretes constantes para a humanidade de que nada acontece ao acaso, de que o processo sob o qual cada evento ocorre, a natureza inevitável de cada evento, não podem ser alterados pela vontade humana. Todo acontecimento transmite uma advertência do Criador à humanidade, bem como envia a mensagem de que os seres humanos não podem controlar o próprio destino. Cada evento é uma refutação à ambição selvagem e fútil da humanidade e ao desejo de tomar seu destino nas próprias mãos. São como fortes tapas no rosto da humanidade, um após outro, obrigando as pessoas a reconsiderar quem, afinal, governa e controla seu destino. E como suas ambições e seus desejos se frustram e estilhaçam repetidamente, os humanos chegam naturalmente a uma aceitação inconsciente do que o destino tem reservado — uma aceitação da realidade, da vontade do Céu e da soberania do Criador. Dessas vicissitudes cotidianas ao destino de vidas humanas inteiras, não há nada que não revele os planos do Criador e Sua soberania; não há nada que não envie a mensagem de que “a autoridade do Criador não pode ser superada”, que não transmita a eterna verdade de que “a autoridade do Criador é suprema”.

O destino da humanidade e o do universo estão intimamente entretecidos com a soberania do Criador, inseparavelmente ligados às orquestrações do Criador; no fim, são inseparáveis da autoridade do Criador. Através das leis de todas as coisas, o homem vem a entender a orquestração do Criador e Sua soberania; através das regras de sobrevivência de todas as coisas, ele vem a perceber a governança do Criador; do destino de todas as coisas, ele tira conclusões sobre os meios com que o Criador exerce Sua soberania e Seu controle sobre elas; e, nos ciclos de vida de seres humanos e de todas as coisas, o homem vivencia verdadeiramente as orquestrações e os arranjos do Criador para todas as coisas e todos os seres vivos, e testemunha como essas orquestrações e esses arranjos suplantam todas as leis, regras e instituições terrenas, todos os demais poderes e forças. Sendo assim, a humanidade é forçada a reconhecer que a soberania do Criador não pode ser violada por qualquer ser criado, que nenhuma força pode usurpar ou alterar os eventos e as coisas predestinados pelo Criador. É sob essas leis e regras divinas que os humanos e todas as coisas vivem e se propagam, geração após geração. Isso não é a verdadeira corporificação da autoridade do Criador? Embora o homem veja, nas leis objetivas, a soberania do Criador e Sua ordenação para todos os eventos e todas as coisas, quantas pessoas são capazes de compreender o princípio da soberania do Criador sobre o universo? Quantas pessoas podem verdadeiramente conhecer, reconhecer, aceitar e submeter-se à soberania e ao arranjo do Criador sobre o próprio destino? Quem, tendo acreditado no fato da soberania do Criador sobre todas as coisas, acreditará e reconhecerá verdadeiramente que o Criador também dita o destino da vida dos homens? Quem pode compreender verdadeiramente o fato de que o destino do homem repousa na palma da mão do Criador? Que tipo de atitude a humanidade deveria tomar em relação à soberania do Criador, quando confrontada com o fato de que Ele governa e controla o destino da humanidade? Essa é uma decisão que todo ser humano que agora é confrontado com esse fato deve tomar por si mesmo.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único III’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 122

As seis conjunturas em uma vida humana

No curso da vida, toda pessoa chega a uma série de conjunturas críticas. São as etapas mais fundamentais, e mais importantes, que determinam o destino de uma pessoa na vida. O que segue é uma breve descrição desses marcos pelos quais toda pessoa deve passar no curso da sua vida.

Nascimento: a primeira conjuntura

Onde uma pessoa nasce, a família na qual ela nasce, seu gênero, sua aparência e o momento do nascimento — esses são os detalhes da primeira conjuntura da vida de uma pessoa.

Ninguém pode escolher certos detalhes dessa conjuntura; são todos predestinados com grande antecedência pelo Criador. Não são influenciados de modo algum pelo ambiente externo, e nenhum fator resultante de ação humana pode mudar esses fatos, que são predeterminados pelo Criador. Pois uma pessoa nascer significa que o Criador já realizou a primeira etapa do destino que arranjou para essa pessoa. Como Ele predeterminou todos esses detalhes com grande antecedência, ninguém tem o poder de alterar nenhum deles. Qualquer que seja o destino subsequente de uma pessoa, as condições de seu nascimento estão predestinadas e permanecem como são; não são influenciadas, de modo algum, pelo destino da pessoa na vida, nem afetam, de modo algum, a soberania do Criador sobre ela.

1. Uma vida nova nasce dos planos do Criador

Quais detalhes da primeira conjuntura — o lugar de nascimento, a família, o gênero, a aparência física, o momento do nascimento — uma pessoa é capaz de escolher? Obviamente, o nascimento de alguém é um evento passivo. Nasce-se involuntariamente, em certo lugar, em certo momento, em certa família, com certa aparência física; involuntariamente, a pessoa se torna membro de certa unidade familiar, o galho de certa árvore genealógica. Não se tem escolha nessa primeira conjuntura da vida, mas se nasce em um ambiente fixado de acordo com os planos do Criador, em uma família específica, com um gênero e uma aparência específicos, e em um momento específico que está intimamente ligado ao curso da vida da pessoa. O que a pessoa pode fazer nessa conjuntura crítica? Considerando tudo que foi dito, não se tem escolha em relação a nenhum desses detalhes acerca do próprio nascimento. Não fosse pela predestinação do Criador e por Sua orientação, uma vida recém-nascida neste mundo não saberia para onde ir nem onde ficar, não teria relações, não pertenceria a lugar algum, não teria um lar real. Mas por causa dos arranjos meticulosos do Criador, essa nova vida tem um lugar para ficar, pais, um local ao qual pertence, e parentes, e assim essa vida entra no curso de sua jornada. Ao longo desse processo, a materialização dessa nova vida é determinada pelos planos do Criador, e tudo que ela vier a possuir lhe será concedido pelo Criador. De um corpo que flutua livre sem nada em seu nome, ela vai gradualmente se tornando um ser humano de carne e osso, visível, tangível, uma das criações de Deus, que pensa, respira e sente calor e frio; que pode participar de todas as atividades habituais de um ser criado no mundo material; e que passará por todas as coisas que um ser humano criado deve experimentar na vida. A predeterminação do nascimento de uma pessoa pelo Criador significa que Ele concederá a essa pessoa todas as coisas necessárias para a sobrevivência; e, também, o fato de uma pessoa nascer significa que ela receberá do Criador todas as coisas necessárias para a sobrevivência, e daí em diante viverá em outra forma, provida pelo Criador e sujeita à soberania do Criador.

2. Por que diferentes seres humanos nascem sob circunstâncias diferentes?

Com frequência, as pessoas gostam de imaginar que, se fossem nascer de novo, seria em uma família ilustre; se fossem mulheres, se pareceriam com a Branca de Neve e seriam amadas por todos, e, se fossem homens, seriam o príncipe encantado, a quem nada falta, com o mundo inteiro à sua disposição. Há com frequência pessoas que têm muitas ilusões sobre seu nascimento e estão muito insatisfeitas com ele, ressentidas com sua família, sua aparência, seu gênero, até com o momento de seu nascimento. Mas as pessoas nunca entendem por que nascem em determinada família nem por que têm certa aparência. Elas não sabem que, não importa onde nasceram ou qual é sua aparência, elas terão de desempenhar diversos papéis e cumprir diferentes missões na gestão do Criador, e esse propósito jamais mudará. Aos olhos do Criador, o lugar em que se nasce, o gênero e a aparência física são todos coisas temporárias. São uma série de ninharias minúsculas, símbolos diminutos em cada fase de Sua gestão da humanidade inteira. E o destino e o fim reais de uma pessoa não são determinados por seu nascimento em uma fase em particular, mas pela missão que ela cumpre em cada vida, pelo julgamento do Criador sobre elas quando Seu plano de gestão está completo.

Diz-se que existe uma causa para todo efeito, e que não há efeito sem causa. Portanto, o nascimento de uma pessoa está necessariamente ligado tanto à sua vida atual quanto à sua vida anterior. Se a morte de uma pessoa encerra seu período de vida atual, seu nascimento é o início de um novo ciclo; se um ciclo antigo representa a vida anterior de uma pessoa, o novo ciclo é, naturalmente, sua vida atual. Posto que o nascimento de alguém está conectado tanto à sua vida passada quanto à sua vida atual, então o local, a família, o gênero, a aparência e outros fatores desse tipo, que estão associados com o nascimento da pessoa, estão todos necessariamente relacionados à sua vida anterior e à atual. Isto é, os fatores do nascimento de uma pessoa não são influenciados somente por sua vida anterior, mas são determinados por seu destino na vida atual, o que explica a variedade de circunstâncias diferentes em que as pessoas nascem: algumas nascem em famílias pobres, outras, em famílias ricas. Algumas são de origem comum, outras têm linhagens ilustres. Algumas nascem no sul, outras no norte. Algumas nascem no deserto, outras em terras verdejantes. O nascimento de algumas pessoas é acompanhado de alegria, riso e celebrações; outros trazem lágrimas, calamidade e desgraça. Algumas nascem para ser estimadas, outras, para ser rejeitadas como ervas daninhas. Algumas nascem com feições belas, outras têm feições deformadas. Algumas são adoráveis de olhar, outras são feias. Algumas nascem à meia-noite, outras, sob o brilho do sol do meio-dia… O nascimento de pessoas de todas as classes é determinado pelo destino que o Criador reserva para elas; seu nascimento determina seu destino na vida atual, bem como os papéis que elas desempenharão e as missões que cumprirão. Tudo isso está sujeito à soberania do Criador, predestinado por Ele; ninguém pode escapar da sua sorte predestinada, ninguém pode mudar seu nascimento e ninguém pode escolher o próprio destino.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único III’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 123

Crescimento: a segunda conjuntura

Dependendo do tipo de família em que nascem, as pessoas crescem em diferentes ambientes domésticos e aprendem diferentes lições de seus pais. Isso determina as condições sob as quais uma pessoa atinge a maioridade, e crescer representa a segunda conjuntura crítica da vida de uma pessoa. É desnecessário dizer que as pessoas também não têm escolha nessa conjuntura. Ela também é fixa, pré-arranjada.

1. As circunstâncias sob as quais a pessoa cresce são fixadas pelo Criador

Uma pessoa não pode escolher as pessoas, eventos ou coisas pelas quais é edificada e influenciada ao crescer. Não se pode escolher que conhecimentos ou habilidades se adquirem, que hábitos se formam. Não se pode escolher quem serão os pais e parentes, em que tipo de ambiente a pessoa vai crescer; os relacionamentos com as pessoas, os eventos e as coisas nos arredores da pessoa, e como influenciam seu desenvolvimento, estão todos além do controle da pessoa. Então, quem decide essas coisas? Quem as arranja? Uma vez que as pessoas não têm escolha nessa questão, uma vez que não podem decidir essas coisas por si mesmas, e uma vez que estas obviamente não tomam forma naturalmente, é desnecessário dizer que a formação de todas essas pessoas, eventos e coisas está nas mãos do Criador. É claro que, assim como o Criador arranja as circunstâncias particulares do nascimento de cada pessoa, Ele também arranja as circunstâncias específicas sob as quais ela cresce. Se o nascimento de alguém trouxer mudanças para pessoas, eventos e coisas que o cercam, o crescimento e o desenvolvimento dessa pessoa necessariamente irão afetá-los também. Por exemplo, algumas pessoas nascem em famílias pobres, mas crescem rodeadas de riqueza; outras nascem em famílias abastadas, mas causam o declínio da fortuna das famílias, de modo que crescem em ambientes pobres. Nenhum nascimento é governado por uma regra fixa, e ninguém cresce sob um conjunto de circunstâncias inevitável e fixo. Estas não são coisas que alguém pode imaginar ou controlar; elas são os produtos do destino da pessoa e são determinadas pelo destino da pessoa. Claro que, em sua origem, essas coisas são determinadas pelo destino que o Criador predestina para cada pessoa; são determinadas pela soberania do Criador sobre o destino dessa pessoa e por Seus planos para ele.

2. As diversas circunstâncias sob as quais as pessoas crescem dão origem aos diferentes papéis

As circunstâncias do nascimento de uma pessoa estabelecem num nível básico o ambiente e as circunstâncias em que ela cresce, e as circunstâncias em que uma pessoa cresce são, do mesmo modo, um produto das circunstâncias de seu nascimento. Durante esse período, a pessoa começa a aprender o idioma, e sua mente começa a encontrar e assimilar muitas coisas novas, em cujo processo ela está crescendo constantemente. As coisas que uma pessoa ouve com seus ouvidos, que vê com os olhos e absorve com a mente gradualmente enriquecem e animam seu mundo interior. As pessoas, os eventos e as coisas com que uma pessoa entra em contato; o senso comum, o conhecimento e as habilidades que ela aprende; as maneiras de pensar que a influenciam, que lhe são inculcadas ou ensinadas, vão guiar e influenciar seu destino na vida. O idioma que se aprende ao crescer e o modo de pensar são inseparáveis do ambiente em que se passa a juventude, ambiente esse que consiste em pais, irmãos e outras pessoas, eventos e coisas circundantes. Logo, o curso do desenvolvimento de uma pessoa é determinado pelo ambiente em que ela cresce e depende também das pessoas, dos eventos e das coisas com que ela entra em contato durante esse período de tempo. Como as condições sob as quais uma pessoa cresce são predeterminadas com grande antecedência, o ambiente em que ela vive durante esse processo também é predeterminado, naturalmente. Não é decidido por escolhas e preferências da pessoa, mas de acordo com os planos do Criador, determinado pelos arranjos cuidadosos do Criador, por Sua soberania sobre o destino da pessoa na vida. Por isso, todas as pessoas que qualquer um encontra no curso de seu crescimento e as coisas com as quais entra em contato estão todas inevitavelmente ligadas à orquestração e ao arranjo do Criador. As pessoas não podem prever inter-relações complexas desses tipos, nem as podem controlar ou compreender. Muitas coisas e muitas pessoas diferentes têm ligação com o ambiente em que uma pessoa cresce, e nenhum ser humano é capaz de arranjar e orquestrar uma rede tão vasta de conexões. Nenhuma pessoa ou coisa, com exceção do Criador, pode controlar a aparição, a presença e o desaparecimento de todas as diversas pessoas, de todos os diversos eventos e coisas, e é precisamente essa vasta rede de conexões que molda o desenvolvimento da pessoa como predestinado pelo Criador, forma os diversos ambientes em que as pessoas crescem e cria as diversas funções necessárias à obra de gestão do Criador, deitando alicerces sólidos e fortes para elas cumprirem suas missões com sucesso.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único III’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 124

A terceira conjuntura: independência

Depois de passar pela infância e pela adolescência e gradual e inevitavelmente chegar à maturidade, o próximo passo para a pessoa é despedir-se completamente da sua juventude, dizer adeus a seus pais e encarar a estrada adiante como um adulto independente. Nesse ponto, ela deve confrontar todas as pessoas, todos os eventos e coisas que um adulto deve encarar, confrontar todas as partes de seu destino, as quais logo se apresentarão. Essa é a terceira conjuntura pela qual uma pessoa deve passar.

1. Após tornar-se independente, a pessoa começa a vivenciar a soberania do Criador

Se o nascimento e o crescimento de uma pessoa são o “período preparatório” para sua jornada na vida, deitando a pedra fundamental de seu destino, então sua independência é o solilóquio de estreia de seu destino na vida. Se o nascimento e o crescimento de uma pessoa são a riqueza que ela acumulou para seu destino na vida, então sua independência é quando ela começa a gastar ou aumentar essa riqueza. Quando a pessoa deixa seus pais e se torna independente, as condições sociais com que depara e o tipo de trabalho e carreira disponíveis são ambos decretados pelo destino e nada têm a ver com seus pais. Algumas pessoas escolhem um bom curso na faculdade e acabam encontrando um emprego satisfatório após a graduação, fazendo um primeiro avanço triunfal na jornada de sua vida. Algumas pessoas aprendem e dominam muitas habilidades diferentes, mas nunca encontram um trabalho adequado para si nem acham seu lugar, muito menos têm uma carreira; no início de sua jornada de vida, elas se veem frustradas a cada ocasião, atormentadas por problemas, por suas perspectivas sombrias e vida incerta. Algumas pessoas dedicam-se diligentemente aos estudos, mas perdem por pouco todas as chances de receber uma educação superior; parecem fadadas a nunca alcançar o sucesso, sua primeira aspiração na jornada da vida se dissolvendo no ar. Não sabendo se a estrada adiante é fácil ou cheia de pedras, elas sentem, pela primeira vez, quão cheio de variáveis é o destino humano e, portanto, veem a vida com expectativa e medo. Algumas pessoas, apesar de não serem educadas muito bem, escrevem livros e alcançam certa fama; algumas, embora quase totalmente iletradas, ganham dinheiro nos negócios e com isso são capazes de sustentar-se… Que ocupação se escolhe, como se ganha a vida: as pessoas têm algum controle sobre se fazem uma boa ou uma má escolha? Essas coisas estão de acordo com seus desejos e suas decisões? A maioria das pessoas desejaria poder trabalhar menos e ganhar mais, não labutar debaixo de sol e chuva, vestir-se bem, brilhar e resplandecer em toda parte, estar em posição superior a outrem e trazer honra a seus antepassados. Os desejos das pessoas são tão perfeitos, mas, quando dão seus primeiros passos na jornada da vida, elas vão se dando conta de como o destino humano é imperfeito e, pela primeira vez, compreendem verdadeiramente o fato de que, embora possam fazer planos ousados para seu futuro, embora possam nutrir fantasias audaciosas, ninguém tem a capacidade ou o poder de realizar os próprios sonhos, ninguém está em posição de controlar o próprio futuro. Sempre haverá alguma distância entre os sonhos da pessoa e as realidades que ela deve confrontar; as coisas nunca são como as pessoas gostariam que fossem, e, diante de tais realidades, as pessoas podem nunca alcançar satisfação ou contentamento. Algumas pessoas até farão tudo que for imaginável, farão enormes esforços e grandes sacrifícios por sua subsistência e seu futuro, tentando mudar o próprio destino. No fim, todavia, mesmo se conseguem realizar seus sonhos e desejos graças ao próprio trabalho duro, elas não conseguem mudar seu destino e, por maior que seja a obstinação com que tentem, não conseguem superar o que o destino lhes atribuiu. Ainda que tenham diferenças de habilidade, inteligência e força de vontade, todas as pessoas são iguais perante o destino, que não faz distinção entre o grande e o pequeno, o alto e o baixo, o exaltado e o humilhado. A função que a pessoa exerce, o que ela faz para ganhar a vida e a quantidade de riqueza que acumula na vida não são decididos pelos pais, pelos talentos, pelos esforços ou ambições da pessoa, mas são predeterminados pelo Criador.

2. Deixar os pais e começar realmente a desempenhar seu papel no teatro da vida

Ao chegar à maturidade, a pessoa é capaz de deixar seus pais e tomar o próprio rumo, e é nesse momento que ela começa de fato a desempenhar seu papel, que sua missão na vida deixa de ser obscura e vai se tornando gradualmente clara. Nominalmente, a pessoa ainda continua a ter estreita ligação com os pais, mas, como sua missão e o papel que ela desempenha na vida nada têm a ver com a mãe e o pai, na essência esse laço íntimo se desfaz lentamente à medida que a pessoa se torna gradualmente independente. De uma perspectiva biológica, as pessoas ainda não podem deixar de ser dependentes dos pais em aspectos subconscientes, mas, falando objetivamente, uma vez que crescem, elas têm vida inteiramente separada de seus pais e desempenharão os papéis que assumem independentemente. Além do nascimento e da criação, a responsabilidade dos pais na vida de um filho é simplesmente proporcionar-lhe um ambiente formal para crescer, pois nada, exceto a predestinação do Criador, tem relação com o destino da pessoa. Ninguém pode controlar que tipo de futuro uma pessoa terá; ele é predeterminado com grande antecedência e nem mesmo os pais podem mudar o destino da pessoa. No que diz respeito ao destino, todos são independentes, e todos têm destino próprio. Logo, nenhum pai pode protelar o destino da pessoa na vida nem exercer a menor influência sequer no papel que ela desempenha na vida. Pode-se dizer que a família em que uma pessoa é destinada a nascer e o ambiente em que ela cresce nada mais são do que as precondições para o cumprimento da sua missão na vida. De modo algum eles determinam o destino da pessoa na vida nem o tipo de destino em meio ao qual ela cumpre a sua missão. E, portanto, os pais não podem ajudar a pessoa a realizar sua missão na vida, nem os parentes podem ajudá-la a assumir seu papel na vida. Como uma pessoa realiza sua missão e em que tipo de ambiente vital ela exerce seu papel são inteiramente determinados pelo destino da pessoa na vida. Ou seja, nenhuma outra condição objetiva pode influenciar a missão de uma pessoa, que é predestinada pelo Criador. Todas as pessoas amadurecem em seus ambientes específicos de crescimento; depois, gradativamente, passo a passo, tomam as próprias estradas na vida e consumam os destinos planejados para elas pelo Criador. Natural e involuntariamente, elas entram no vasto mar da humanidade e assumem seus postos na vida, onde começam a desempenhar suas responsabilidades como seres criados em prol da predestinação do Criador, em prol da Sua soberania.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único III’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 125

A quarta conjuntura: casamento

À medida que fica mais velha e amadurece, a pessoa vai se distanciando dos pais e do ambiente em que nasceu e cresceu, e, ao contrário, começa a buscar um rumo para sua vida e perseguir as próprias metas de vida em um estilo diferente daquele dos pais. Durante esse tempo, a pessoa não precisa mais dos pais, mas, sim, de um parceiro com quem possa passar a vida: um cônjuge, uma pessoa com a qual seu destino esteja intimamente entrelaçado. Assim, o primeiro evento importante na vida após a independência é o casamento, a quarta conjuntura pela qual a pessoa deve passar.

1. Não se tem escolha quanto ao casamento

O casamento é um acontecimento importante na vida de qualquer pessoa; é o momento em que ela realmente passa a assumir diversos tipos de responsabilidades, e começa gradativamente a cumprir missões de diversos tipos. As pessoas alimentam muitas ilusões sobre o casamento antes de experimentá-lo por si mesmas, e todas essas ilusões são belas. As mulheres imaginam que sua cara-metade será o príncipe encantado, e os homens imaginam que se casarão com a Branca de Neve. Essas fantasias mostram que toda pessoa tem certas exigências para o casamento, um conjunto próprio de demandas e padrões. Ainda que, nesta era de maldade, as pessoas sejam bombardeadas constantemente com mensagens distorcidas sobre o casamento, que criam ainda mais exigências e lhes dão toda espécie de bagagem e atitudes estranhas, qualquer pessoa que vivenciou o casamento sabe que seja lá como a pessoa o entende ou qual é sua atitude para com ele, o casamento não é uma questão de escolha individual.

As pessoas encontram muitas outras em sua vida, mas ninguém sabe quem se tornará seu parceiro no casamento. Embora todos tenham suas ideias e posturas pessoais sobre o tema do casamento, ninguém pode prever quem finalmente se tornará sua verdadeira cara-metade, e as ideias de cada um acerca do assunto valem pouco. Após conhecer uma pessoa de seu agrado, você pode procurá-la; porém, se ela está interessada em você, se pode vir a se tornar sua parceira, não é você quem decide. O objeto de seus afetos não necessariamente é a pessoa com a qual você será capaz de compartilhar sua vida; e, enquanto isso, alguém que você não esperava entra silenciosamente em sua vida e se torna seu parceiro, o elemento mais importante em seu destino, sua cara-metade, a quem seu destino está inextricavelmente ligado. E assim, mesmo havendo milhões de casamentos no mundo, todos são diferentes: tantos casamentos são insatisfatórios, tantos são felizes; tantos percorrem de leste a oeste, tantos de norte a sul; tantos são pares perfeitos, tantos são de classe social igual; tantos são felizes e harmoniosos, tantos são penosos e tristes; tantos são motivo de inveja de outrem, tantos são mal compreendidos e alvo de desaprovação; tantos transbordam de alegria, tantos são um mar de lágrimas e causam desespero… Nessa miríade de tipos de casamento, os humanos revelam lealdade e compromisso perpétuo para com o casamento; revelam amor, ligação e inseparabilidade, ou resignação e incompreensão. Alguns traem seu casamento, ou chegam a ter ódio dele. Quer o casamento em si traga felicidade ou dor, a missão de toda pessoa no casamento é predestinada pelo Criador e não há de mudar; essa missão é algo que todos devem cumprir. O destino de cada pessoa que está por trás de todo casamento é inalterável, determinado com grande antecedência pelo Criador.

2. O casamento nasce do destino de dois parceiros

O casamento é uma conjuntura importante na vida de uma pessoa. É o produto do destino de uma pessoa, um elo crucial no destino da pessoa; não se baseia na volição nem nas preferências individuais de ninguém, nem é influenciado por quaisquer fatores externos, mas é completamente determinado pelo destino das duas partes, pelos arranjos e predeterminações do Criador com relação ao destino dos membros do casal. Aparentemente, o propósito do matrimônio é a continuidade da raça humana, mas na verdade o casamento é apenas um ritual pelo qual a pessoa passa durante o processo de cumprir sua missão. No casamento, as pessoas não somente cumprem o papel de criar a geração seguinte; elas adotam todos os diversos papéis envolvidos em manter o casamento e as missões que esses papéis demandam que a pessoa cumpra. Como o nascimento influencia a mudança pela qual passam as pessoas, os eventos e coisas que o cercam, o casamento também afetará, inevitavelmente, essas pessoas, esses eventos e coisas e, ademais, os transformará de várias maneiras diferentes.

Ao tornar-se independente, a pessoa inicia a própria jornada na vida, que a leva passo a passo em direção a pessoas, eventos e coisas relacionados a seu casamento. Ao mesmo tempo, a outra pessoa que constituirá esse casamento está se aproximando, passo a passo, dessas mesmas pessoas, desses mesmos eventos e coisas. Sob a soberania do Criador, duas pessoas não relacionadas com destinos relacionados gradualmente entram em um casamento e se tornam, milagrosamente, uma família, “dois gafanhotos agarrados à mesma corda”. Então, quando alguém entra em um casamento, sua jornada na vida influenciará e tocará sua cara-metade, e, da mesma forma, a jornada na vida do parceiro influenciará e tocará seu destino na vida. Em outras palavras, os destinos dos homens estão interconectados, e ninguém pode cumprir sua missão na vida nem desempenhar seu papel em completa independência dos outros. O nascimento tem relação com uma enorme cadeia de relacionamentos; crescer também envolve uma complexa cadeia de relacionamentos; e, de modo similar, um casamento inevitavelmente existe e se sustenta em uma rede vasta e complexa de conexões humanas, que envolve todos os membros dessa rede e influencia o destino de todos os que fazem parte dela. Um casamento não é o produto das famílias de ambos os membros, das circunstâncias em que eles cresceram, de suas aparências, de suas idades, suas qualidades, seus talentos ou quaisquer outros fatores; antes, ele resulta de uma missão compartilhada e de um destino relacionado. Essa é a origem do casamento, um produto do destino humano orquestrado e arranjado pelo Criador.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único III’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 126

A quinta conjuntura: progênie

Depois de se casar, a pessoa começa a criar a próxima geração. Ninguém decide quantos nem que tipo de filhos terá; isso também é determinado pelo destino da pessoa, predestinado pelo Criador. Essa é a quinta conjuntura pela qual uma pessoa deve passar.

Se uma pessoa nasce para cumprir o papel de filho de alguém, ela cria a seguinte geração para cumprir o papel de pai de alguém. Essa mudança de papéis faz com que a pessoa experimente distintas fases da vida de diferentes perspectivas. Ela também lhe dá diferentes conjuntos de experiências de vida, pelos quais a pessoa vem a conhecer a soberania do Criador, que é sempre encenada da mesma maneira, e pelos quais depara com o fato de que ninguém pode exceder ou alterar a predestinação do Criador.

1. Ninguém tem controle sobre como será a sua prole

Nascimento, crescimento e casamento, todos trazem desapontamento de diversos tipos e diferentes graus. Algumas pessoas estão insatisfeitas com sua família ou com sua aparência física; algumas não gostam dos pais; algumas se ressentem ou têm muitas questões a resolver com o ambiente em que cresceram. E, para a maioria das pessoas, dentre todos esses desapontamentos, o casamento é o mais insatisfatório. Por mais insatisfeita que a pessoa esteja com seu nascimento, crescimento ou casamento, todos que já passaram por essas coisas sabem que não se pode escolher onde e quando nascer, que aparência ter, quem serão seus pais nem quem será seu cônjuge; deve-se simplesmente aceitar a vontade do Céu. No entanto, quando chegar o tempo de criarem a geração seguinte, as pessoas vão projetar todos os seus desejos irrealizados na primeira metade de sua vida em seus descendentes, esperando que a prole compense todos os desapontamentos dessa primeira metade de sua vida. Por isso elas se entregam a todos os tipos de fantasias em relação aos filhos: que suas filhas crescerão para ser beldades estonteantes, e seus filhos, cavalheiros atraentes; que suas filhas serão cultas e talentosas, e seus filhos, alunos brilhantes e atletas destacados; que suas filhas serão gentis, virtuosas e sensatas, e seus filhos, inteligentes, capazes e sensíveis. Esperam que, sendo filhas ou filhos, eles respeitem os mais velhos, tenham consideração por seus pais, sejam amados e elogiados por todos… Nesse ponto, as esperanças de vida brotam novamente, e novas paixões se acendem no coração das pessoas. As pessoas sabem que são impotentes, que não têm mais esperanças nesta vida, que não terão outra chance, outra esperança de distinguir-se dos outros, e que não têm opção a não ser aceitar seu destino. E assim elas projetam todas as suas esperanças, seus desejos e ideais irrealizados na geração seguinte, esperando que os filhos possam ajudá-las a concretizar seus sonhos e realizar seus desejos; que seus filhos e filhas trarão glória para o nome da família, serão importantes, ricos ou famosos. Em suma, querem ver a prosperidade de seus filhos decolar. Os planos e as fantasias das pessoas são perfeitos; elas não sabem que o número de filhos que têm, a aparência, as habilidades deles, e assim por diante, não são para elas decidirem, que nem um pouco do destino de seus filhos está nas mãos delas? Os humanos não são senhores do próprio destino, mas desejam mudar o destino da geração mais jovem; são impotentes para escapar do próprio destino, mas tentam controlar o de seus filhos e filhas. Eles não estão se superestimando? Isso não é tolice, ignorância humana? As pessoas fazem todo o possível pelo bem de seus filhos, mas no fim seus planos e desejos não podem ditar quantos filhos elas terão ou como serão esses filhos. Algumas pessoas não têm um tostão, mas geram muitos filhos; outras são ricas, mas não têm filho algum. Algumas querem uma filha, mas têm esse desejo negado; algumas querem um filho, mas não conseguem gerar um menino. Para algumas, os filhos são uma bênção; para outras, são uma maldição. Alguns casais são inteligentes, mas têm filhos obtusos; alguns pais são esforçados e honestos, mas os filhos que criam são indolentes. Alguns pais são bons e corretos, mas têm filhos que se mostram ardilosos e depravados. Alguns pais são sadios de corpo e mente, mas geram filhos incapacitados. Alguns pais são medíocres e malsucedidos, mas têm filhos que conseguem grandes coisas. Alguns pais são de status baixo, mas têm filhos que ascendem à eminência…

2. Após criar a geração seguinte, as pessoas ganham uma nova compreensão do destino

A maioria das pessoas que se casam o faz por volta dos trinta anos de idade, ponto da vida em que ainda não tem compreensão alguma do destino humano. Mas quando começam a criar filhos, conforme sua prole cresce, as pessoas observam a nova geração repetir a vida e todas as experiências da geração anterior, veem o próprio passado refletido nela e percebem que a senda percorrida pela geração mais jovem, exatamente como a delas, não pode ser planejada nem escolhida. Em face desse fato, elas não têm opção a não ser admitir que o destino de toda pessoa é predestinado, e, quase sem perceber, gradualmente abandonam os próprios desejos, e as paixões no coração delas crepitam e se extinguem… As pessoas, durante esse período, tendo passado pelos marcos importantes da vida e alcançado uma nova compreensão da vida, adotaram uma atitude nova. Quanto uma pessoa dessa idade pode esperar do futuro e que prospectos ela tem com os quais contar? Que mulher de cinquenta anos ainda sonha com o príncipe encantado? Que homem de cinquenta anos ainda está procurando sua Branca de Neve? Que mulher de meia-idade ainda espera transformar um patinho feio em cisne? A maioria dos homens mais velhos tem o mesmo empenho profissional que os moços? Em suma, seja homem ou mulher, quem vive até essa idade é provável que tenha uma atitude relativamente racional e prática quanto a casamento, família e filhos. Tal pessoa não tem, essencialmente, escolha alguma, não tem anseio de desafiar o destino. Pelo que a experiência humana indica, assim que atinge essa idade, a pessoa desenvolve naturalmente certa atitude: “Temos de aceitar o destino; nossos filhos têm o próprio fado; o destino humano é ordenado pelo Céu”. A maioria das pessoas que não entendem a verdade, após ter resistido a todas as vicissitudes, frustrações e dificuldades deste mundo, resumirá suas percepções sobre a vida humana com duas palavras: “É o destino!”. Embora essa frase sintetize a compreensão das pessoas mundanas sobre o destino humano e a conclusão a que chegaram, e embora expresse a impotência da humanidade e possa ser descrita como incisiva e exata, ela está longe de ser um entendimento da soberania do Criador e simplesmente não substitui o conhecimento da Sua autoridade.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único III’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 127

Acreditar no destino não é substituto para um conhecimento da soberania do Criador

Tendo seguido Deus por tantos anos, existe uma diferença substancial entre o seu conhecimento de destino e aquele das pessoas mundanas? Vocês compreenderam verdadeiramente a predestinação do Criador e verdadeiramente chegaram a conhecer a soberania do Criador? Algumas pessoas têm uma compreensão profunda e intensamente sentida da frase “é o destino”, mas não acreditam nem um pouco na soberania de Deus; não acreditam que o destino humano é arranjado e orquestrado por Deus, e não estão dispostas a submeter-se à soberania de Deus. Tais pessoas estão como que à deriva no oceano, sacudidas pelas ondas, flutuando com a corrente, sem alternativa além de esperar passivamente e se resignar ao destino. Mesmo assim, não reconhecem que o destino humano está sujeito à soberania de Deus; não conseguem, por iniciativa própria, vir a conhecer a soberania de Deus e com isso alcançar o conhecimento da autoridade de Deus, submeter-se às orquestrações e aos arranjos de Deus, parar de resistir ao destino e viver sob o cuidado, a proteção e a orientação de Deus. Em outras palavras, aceitar o destino não é a mesma coisa que se submeter à soberania do Criador; crer no destino não significa que alguém aceita, reconhece e conhece a soberania do Criador; crer no destino é apenas reconhecer sua verdade e suas manifestações superficiais. Isso é diferente de saber como o Criador governa o destino da humanidade, de reconhecer que o Criador é a fonte de domínio sobre o destino de todas as coisas, e certamente muito diferente de submeter-se às orquestrações e aos arranjos do Criador para o destino da humanidade. Se uma pessoa acredita apenas no destino — mesmo que no fundo do coração —, mas nem por isso é capaz de conhecer e reconhecer a soberania do Criador sobre o destino da humanidade, de se submeter e aceitá-la, então sua vida, não obstante, será uma tragédia, uma vida vivida em vão, um vazio; ela ainda será incapaz de se dispor ao domínio do Criador, de se tornar um ser humano criado no sentido mais verdadeiro do termo, e de desfrutar da aprovação do Criador. Uma pessoa que verdadeiramente conhece e vivencia a soberania do Criador deveria estar em um estado ativo, não num estado passivo ou impotente. Embora aceite que todas as coisas estão fadadas, essa pessoa deveria possuir uma definição precisa da vida e do destino: toda vida está sujeita à soberania do Criador. Ao olhar para trás, para a estrada que trilhou, ao relembrar cada etapa da sua jornada, a pessoa vê que, em cada passo, tenha a estrada sido árdua ou fácil, Deus esteve guiando a sua senda, planejando-a. Foram os arranjos meticulosos de Deus, Seu planejamento cuidadoso, que a conduziram, sem ela saber, até hoje. Ser capaz de aceitar a soberania do Criador, de receber Sua salvação — isso é uma sorte imensa! Se uma pessoa tem uma atitude negativa em relação ao destino, isso prova que ela está resistindo a tudo que Deus arranjou para ela, que não tem uma atitude submissa. Se a pessoa tem uma atitude positiva em relação à soberania de Deus sobre o destino humano, então, quando olhar para trás, para a sua jornada, quando verdadeiramente começar a lidar com a soberania de Deus, ela desejará com maior sinceridade submeter-se a tudo que Deus arranjou, terá mais determinação e confiança para deixar Deus orquestrar seu destino, para parar de se rebelar contra Deus. Pois ela vê que, quando não compreende o destino, quando não entende a soberania de Deus, quando anda às cegas obstinadamente, cambaleando e tateando, através da neblina, a jornada fica difícil demais, dolorosa demais. Assim, quando as pessoas reconhecem a soberania de Deus sobre o destino humano, as inteligentes optam por conhecê-la e aceitá-la, por despedir-se dos dias penosos em que tentavam construir uma vida boa com suas duas mãos, e por parar de lutar contra o destino e de perseguir suas pretensas “metas de vida” à sua maneira. Quando não se tem Deus, quando não se é capaz de vê-Lo, quando não se consegue reconhecer claramente a soberania de Deus, todo dia é sem sentido, sem valor e miserável. Onde quer que esteja, seja qual for o trabalho, os meios de vida e a busca de metas de uma pessoa, isso só lhe trará dor infindável e sofrimento irremediável, a ponto de ela não suportar olhar para trás. Só quando aceitar a soberania do Criador, se submeter a Seus arranjos e orquestrações e buscar a verdadeira vida humana, aos poucos ela se libertará de toda dor e todo sofrimento, se livrará de todo o vazio da vida.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único III’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 128

Somente aqueles que se submetem à soberania do Criador podem alcançar a verdadeira liberdade

Como não reconhecem as orquestrações de Deus e a soberania de Deus, as pessoas sempre encaram o destino de modo desafiador, com uma atitude rebelde, e sempre querem se livrar da autoridade e soberania de Deus e das coisas que o destino reserva, esperando em vão mudar suas circunstâncias atuais e alterar seu destino. Mas elas nunca conseguem ter sucesso; ficam frustradas toda vez. Essa luta, que se dá no fundo da alma da pessoa, gera uma dor profunda do tipo que fica gravada nos ossos, enquanto a pessoa desperdiça sua vida esse tempo todo. Qual é a causa dessa dor? É por causa da soberania de Deus ou porque a pessoa nasceu sem sorte? Obviamente, nenhuma das duas é verdade. Na realidade, é por causa das sendas que as pessoas tomam, dos modos com que escolhem viver sua vida. Algumas pessoas podem não ter percebido essas coisas. Mas quando você realmente sabe, quando vem realmente a reconhecer que Deus tem soberania sobre o destino humano, quando realmente entende que tudo que Deus planejou e decidiu para você é um grande benefício e uma grande proteção, então você sente sua dor aliviar gradativamente e seu ser inteiro fica relaxado, livre, liberto. A julgar pelo estado da maioria das pessoas, elas não conseguem verdadeiramente, objetivamente, aceitar o valor e o significado práticos da soberania do Criador sobre o destino humano, ainda que, em um nível subjetivo, não queiram continuar a viver como viviam antes, e queiram alívio da dor; elas não conseguem verdadeiramente, objetivamente, reconhecer e se submeter à soberania do Criador, e menos ainda sabem como buscar e aceitar as orquestrações e os arranjos do Criador. Assim, se as pessoas não conseguem verdadeiramente reconhecer o fato de que o Criador tem soberania sobre o destino humano e sobre todas as questões do ser humano, se não conseguem verdadeiramente submeter-se ao domínio do Criador, então será difícil para elas não serem guiadas, e acorrentadas, pela ideia de que “o destino da pessoa está em suas mãos”. Será difícil para elas livrar-se da dor de sua luta intensa contra o destino e contra a autoridade do Criador, e nem é preciso dizer que será difícil para elas serem verdadeiramente libertas e livres, serem pessoas que adoram a Deus. Há um jeito mais simples de se livrar desse estado: despedir-se do modo de viver antigo, dizer adeus aos objetivos prévios na vida, resumir e analisar o estilo de vida, a maneira de ver a vida, as buscas, os desejos e os ideais anteriores, depois compará-los com a vontade e as exigências de Deus para o homem e ver se algum deles condiz com a vontade e as exigências de Deus, se algum deles traz os valores corretos da vida, se conduz a uma compreensão maior da verdade e permite viver com humanidade e semelhança humana. Quando investigar repetidas vezes e dissecar atentamente as diversas metas de vida que as pessoas perseguem e as várias e diferentes maneiras de viver, você descobrirá que nenhuma delas corresponde à intenção original do Criador quando criou a humanidade. Todas elas afastam as pessoas da soberania e do cuidado do Criador; todas são armadilhas que fazem com que as pessoas se tornem depravadas e que a levam ao inferno. Depois de reconhecer isso, sua tarefa é pôr de lado a antiga visão da vida, ficar longe das diversas armadilhas, deixar que Deus se encarregue de sua vida e faça arranjos para você, tentar apenas se submeter às orquestrações e à orientação de Deus, não ter escolha e tornar-se uma pessoa que adora a Deus. Isso parece fácil, mas é difícil de fazer. Algumas pessoas conseguem suportar a dor disso, outras não. Algumas estão dispostas a aquiescer, outras não. Aquelas que não estão dispostas carecem do desejo e da determinação para fazê-lo; estão claramente cientes da soberania de Deus, sabem perfeitamente bem que é Deus quem planeja e arranja o destino humano, mas ainda esperneiam e lutam, ainda não se resignaram a deixar seu destino nas mãos de Deus e submeter-se à Sua soberania, e ademais se ressentem das orquestrações e dos arranjos de Deus. Por isso, sempre haverá algumas pessoas que querem ver por si mesmas do que são capazes; querem mudar seu destino com as próprias mãos ou alcançar a felicidade com o próprio poder, ver se podem ultrapassar os limites da autoridade de Deus e superar Sua soberania. A tristeza do homem não é que ele busca uma vida feliz, nem que persegue fama e fortuna ou luta contra o próprio destino através da neblina, mas que, depois de ter visto a existência do Criador, depois de ter aprendido o fato de que o Criador tem soberania sobre o destino humano, ele ainda não consegue corrigir seus caminhos, não consegue tirar o pé da lama, mas endurece seu coração e persiste nos erros. Ele prefere continuar debatendo-se na lama, rivalizando obstinadamente com a soberania do Criador, resistindo a ela até o amargo fim, sem o menor sinal de contrição, e só quando jaz quebrado e sangrando é que, por fim, resolve desistir e voltar atrás. Esse é o verdadeiro sofrimento humano. Por isso, Eu digo: aqueles que optam por submeter-se são sábios e aqueles que optam por escapar são estupidamente teimosos.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único III’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 129

A sexta conjuntura: morte

Após tanta agitação, tantas frustrações e decepções, após tantas alegrias e tristezas, tantos altos e baixos, após tantos anos inesquecíveis, depois de observar as estações mudarem tantas vezes, a pessoa passa pelos marcos importantes da vida sem reparar e, de repente, descobre que está em seus anos de declínio. As marcas do tempo estão estampadas no corpo inteiro: a pessoa não consegue mais ficar ereta, o cabelo passa de escuro a branco, os olhos brilhantes e lúcidos tornam-se turvos e nublados, a pele lisa e elástica se torna enrugada e manchada. A audição diminui, os dentes se soltam e caem, as reações demoram, os movimentos ficam lentos… Nesse ponto, a pessoa já se despediu completamente dos anos apaixonados da juventude e entrou no crepúsculo da vida: a velhice. A seguir, ela enfrentará a morte, a última conjuntura da vida humana.

1. Só o Criador detém o poder de vida e morte sobre o homem

Se o nascimento da pessoa foi destinado pela vida anterior, então sua morte marca o fim desse destino. Se o nascimento da pessoa é o início de sua missão nesta vida, a morte marca o fim dessa missão. Visto que o Criador determinou um conjunto fixo de circunstâncias para o nascimento de uma pessoa, é desnecessário dizer que Ele também arranjou um conjunto fixo de circunstâncias para a morte dessa pessoa. Em outras palavras, ninguém nasce por acaso, a morte de ninguém é inesperada, e tanto o nascimento quanto a morte estão necessariamente conectados com a vida anterior e a do presente. As circunstâncias do nascimento e da morte da pessoa são predeterminadas pelo Criador; esse é o destino da pessoa, a sina da pessoa. Assim como muito se pode dizer sobre o nascimento, a morte ocorrerá sob um conjunto diferente de circunstâncias especiais, daí as expectativas de vida variadas e os diferentes modos e épocas da morte das pessoas. Algumas pessoas são fortes e saudáveis, mas morrem prematuramente; outras são fracas e doentes, mas vivem até a velhice e falecem serenamente. Algumas perecem de causas não naturais, outras, de causas naturais. Algumas chegam ao fim da vida longe de casa, outras fecham seus olhos pela última vez tendo seus entes queridos ao seu lado. Algumas pessoas morrem em pleno ar, outras, embaixo da terra. Algumas afundam na água, outras se perdem nos desastres. Algumas morrem de manhã, outras, à noite… Todos querem um nascimento ilustre, uma vida brilhante e uma morte gloriosa, mas ninguém pode exceder o próprio destino, ninguém pode escapar da soberania do Criador. Essa é a sina humana. O homem pode fazer todo tipo de planos para o futuro, mas ninguém pode planejar o modo e o tempo de seu nascimento e de sua partida do mundo. Embora as pessoas façam de tudo para evitar a chegada da morte e lhe resistir, mesmo assim, sem seu conhecimento, a morte aproxima-se silenciosamente. Ninguém sabe quando perecerá ou como perecerá, muito menos quando acontecerá. Obviamente, não é a humanidade que detém o poder da vida e da morte, tampouco algum ser do mundo natural, mas o Criador, cuja autoridade é única. A vida e a morte da humanidade não são o produto de alguma lei do mundo natural, mas uma consequência da soberania da autoridade do Criador.

2. Quem não conhece a soberania do Criador será perseguido pelo medo da morte

Quando alguém entra na velhice, o desafio que enfrenta não é prover a uma família nem estabelecer suas grandes ambições na vida, mas como se despedir da própria vida, como receber o fim da vida, como pôr um ponto no fim da própria existência. Embora superficialmente pareça que as pessoas prestam pouca atenção à morte, ninguém pode evitar explorar o assunto, porque ninguém sabe se outro mundo está do outro lado da morte, um mundo que os humanos não conseguem perceber nem sentir, sobre o qual não sabem nada. Isso faz as pessoas terem medo de encarar a morte de frente, medo de enfrentá-la como deveriam; em vez disso, elas fazem de tudo para evitar o assunto. E assim isso enche todos de pavor em relação à morte e acrescenta um véu de mistério a esse fato inevitável da vida, lançando uma sombra persistente sobre o coração de toda pessoa.

Quando sente o corpo deteriorar, quando percebe que se aproxima da morte, a pessoa sente um pavor vago, um medo inexprimível. O medo da morte a faz sentir-se ainda mais só e indefesa, e nesse momento ela se pergunta: de onde veio o homem? Para onde o homem vai? É assim que o homem vai morrer, a vida passando por ele como uma brisa? É esse o período que marca o fim da vida do homem? No fim, qual é o significado da vida? De que vale a vida, afinal? Trata-se de fama e fortuna? É questão de criar uma família?… Se pensou ou não nessas perguntas específicas, a despeito de quão profundamente se teme a morte, nas profundezas do coração de toda pessoa há sempre um desejo de sondar os mistérios, uma sensação de incompreensão sobre a vida e, misturado com eles, um sentimentalismo quanto ao mundo, uma relutância em partir. Talvez ninguém possa articular claramente o que é que o homem teme, o que o homem quer sondar, sobre o que ele é sentimental e o que está relutante em deixar para trás…

Por temerem a morte, as pessoas preocupam-se demais; por temerem a morte, não conseguem renunciar a muitas coisas. Quando estão prestes a morrer, algumas pessoas afligem-se com isso ou aquilo; preocupam-se com os filhos, os entes queridos, sua riqueza, como se, preocupando-se, pudessem apagar o sofrimento e o pavor que a morte provoca, como se, ao manter uma espécie de intimidade com os vivos, pudessem escapar do desamparo e da solidão que acompanham a morte. Nas profundezas do coração humano reside um medo incipiente, um medo de ser separado dos entes queridos, de nunca mais deitar os olhos sobre o céu azul, de nunca mais olhar para o mundo material. Uma alma solitária, acostumada à companhia de seus entes queridos, reluta em se libertar de seus domínios e partir, totalmente sozinha, para um mundo estranho e desconhecido.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único III’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 130

Uma vida vivida em busca de fama e fortuna deixará a pessoa perplexa em face da morte

Por causa da soberania e da predestinação do Criador, uma alma solitária que começou sem nada em seu nome ganha pais e uma família, ganha a chance de se tornar membro da raça humana, a chance de experimentar a vida humana e ver o mundo. Essa alma também ganha a chance de experimentar a soberania do Criador, de conhecer a maravilha da criação feita pelo Criador e, acima de tudo, de conhecer e tornar-se sujeita à autoridade do Criador. Mas a maioria das pessoas não aproveita de fato essa oportunidade rara e fugaz. Esgota a energia digna de uma vida inteira lutando contra o destino, gasta todo o tempo de uma vida tentando alimentar a família e movendo-se de um lado para outro entre riqueza e status. As coisas que as pessoas entesouram são família, dinheiro e fama; veem-nos como as coisas mais valiosas na vida. Todos se queixam de seu destino, mas empurram para o fundo da mente as questões que são mais imperativas a examinar e compreender: por que o homem está vivo, como o homem deveria viver, quais são o valor e o significado da vida. Durante a vida inteira, pelo tempo que durar, as pessoas correm em busca de fama e fortuna, até a juventude ter fugido, até elas ficarem grisalhas e enrugadas; até verem que fama e fortuna não podem parar seu deslizar rumo à senilidade, que o dinheiro não pode preencher o vazio do coração; até entenderem que ninguém está isento da lei do nascimento, do envelhecimento, da enfermidade e da morte, que ninguém pode escapar do que o destino tem reservado. Só quando são forçadas a enfrentar a conjuntura final da vida é que compreendem verdadeiramente que, mesmo se alguém possuir milhões em propriedades, mesmo que seja privilegiado e de posição social elevada, ninguém pode escapar da morte, toda pessoa retornará à sua posição original: uma alma solitária, sem nada em seu nome. Quando tem pais, a pessoa acredita que seus pais são tudo; quando tem propriedade, a pessoa pensa que o dinheiro é seu esteio, que é o meio pelo qual se vive; quando tem status, a pessoa apega-se a ele com força e arriscaria a vida por causa dele. Só quando estão prestes a deixar este mundo as pessoas percebem que as coisas que elas passaram a vida perseguindo são apenas nuvens fugidias, que não podem se agarrar a nenhuma delas, que não podem levar nenhuma consigo, que nenhuma pode isentá-las da morte, que nenhuma pode proporcionar companhia nem consolo a uma alma solitária no seu caminho de volta; e, menos ainda, que nenhuma pode dar-lhes a salvação, permitir-lhes transcender à morte. A fama e a fortuna ganhas no mundo material dão satisfação temporária, prazer passageiro, uma falsa sensação de sossego; entrementes, fazem a pessoa perder o rumo. E assim, enquanto se debatem no vasto mar da humanidade, ansiando por paz, conforto e tranquilidade no coração, as pessoas são engolfadas por onda após onda. Quando ainda têm de calcular as questões que são mais cruciais de entender — de onde vêm, por que estão vivas, para onde vão e assim por diante —, elas são seduzidas pela fama e pela fortuna, iludidas, controladas por elas, irrevogavelmente perdidas. O tempo voa; os anos passam num piscar de olhos; antes que o perceba, a pessoa se despediu dos melhores anos de sua vida. Quando está prestes a partir do mundo, ela chega à percepção gradual de que tudo no mundo está se afastando, que já não pode se apegar às coisas que possuía; então ela sente verdadeiramente que ainda não possui nada, como um bebê chorão que acaba de surgir no mundo. Nesse ponto, a pessoa é forçada a ponderar sobre o que fez na vida, que estar viva vale a pena, o que isso significa, por que ela veio ao mundo. E, nesse ponto, quer saber cada vez mais se realmente existe outra vida, se o Céu realmente existe, se realmente existe retribuição… Quanto mais perto da morte está, mais ela quer entender o que é realmente a vida; quanto mais perto da morte, mais vazio o coração parece; quanto mais perto da morte, mais desamparada a pessoa se sente; e assim seu medo da morte cresce a cada dia. Há duas razões pelas quais as pessoas se comportam dessa maneira conforme se aproximam da morte: primeiro, porque estão prestes a perder a fama e a riqueza das quais sua vida dependeu, estão prestes a deixar para trás tudo que é visível no mundo; segundo, porque estão prestes a se confrontar, completamente sozinhas, com um mundo não familiar, um reino misterioso e desconhecido em que estão temerosas de pôr os pés, em que não têm entes queridos nem meios de apoio. Por essas duas razões, toda pessoa que encara a morte se sente inquieta, experimenta um pânico e uma sensação de desamparo que nunca conheceu. Só quando chegam realmente a esse ponto, as pessoas percebem que a primeira coisa que devem entender, ao pisar nesta terra, é de onde os seres humanos vêm, por que as pessoas estão vivas, quem dita o destino humano, quem provê à existência humana e tem soberania sobre ela. Esse conhecimento é o verdadeiro meio pelo qual uma pessoa vive, a base essencial para a sobrevivência humana, e não aprender como prover à família ou como alcançar fama e riqueza, e não aprender como se sobressair na multidão ou como viver uma vida mais abastada, muito menos aprender como se destacar e ter sucesso ao competir com os outros. Embora as diversas habilidades de sobrevivência que as pessoas passam a vida aprendendo a dominar possam oferecer conforto material em abundância, elas nunca trazem paz e consolo verdadeiros para o coração, mas, em vez disso, fazem com que as pessoas percam seu rumo constantemente, tenham dificuldade de controlar-se, percam toda oportunidade de aprender o significado da vida; essas habilidades de sobrevivência criam uma subcorrente de ansiedade em relação a como encarar a morte de forma adequada. A vida das pessoas é arruinada dessa maneira. O Criador trata todos justamente, dando a todos uma vida de oportunidades para experimentar e conhecer Sua soberania, mas só quando a morte se aproxima, quando o espectro da morte paira sobre eles, é que eles começam a ver a luz — e então é tarde demais!

As pessoas passam a vida correndo atrás de dinheiro e fama; elas tentam se agarrar a esses montes de palha, pensando serem seus únicos recursos, como se, ao tê-los, pudessem continuar a viver, pudessem isentar-se da morte. Mas só quando estão perto de morrer elas percebem quanto essas coisas estão distantes, quão fracas são em face da morte, quão facilmente se estilhaçam, quão solitárias e desamparadas estão, sem ter para onde se voltar. Percebem que a vida não pode ser comprada com dinheiro ou fama, que não importa quanto uma pessoa é rica, não importa quanto sua posição é elevada, todas as pessoas são igualmente pobres e irrelevantes diante da morte. Percebem que o dinheiro não pode comprar a vida, que a fama não pode apagar a morte, que nem o dinheiro nem a fama podem prolongar a vida de ninguém nem por um só minuto, um só segundo. Quanto mais pensam assim, mais as pessoas anseiam por continuar vivendo; quanto mais pensam assim, mais temem a aproximação da morte. Só nesse ponto elas percebem verdadeiramente que sua vida não lhes pertence, que não lhes cabe controlar, que não podem escolher se vivem ou morrem — que tudo isso está fora de seu controle.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único III’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 131

Entregue-se o domínio do Criador e encare a morte calmamente

No momento em que uma pessoa nasce, uma alma solitária começa sua experiência de vida na terra, sua experiência da autoridade do Criador que o Criador arranjou para ela. Por certo, para a pessoa — a alma — essa é uma excelente oportunidade de ganhar conhecimento sobre a soberania do Criador, de vir a conhecer Sua autoridade e vivenciá-la pessoalmente. As pessoas vivem a vida sob as leis do destino estipuladas para elas pelo Criador, e, para qualquer pessoa racional dotada de consciência, aceitar a soberania do Criador e conhecer Sua autoridade ao longo de suas várias décadas na terra não é uma coisa difícil de fazer. Portanto, seria muito fácil para toda pessoa reconhecer, pelas próprias experiências de vida no decorrer das várias décadas, que todos os destinos humanos são predestinados e compreender ou recapitular o que significa estar vivo. Conforme for abraçando essas lições de vida, a pessoa gradualmente virá a entender de onde vem a vida, a compreender o que o coração necessita de verdade, o que a levará para a verdadeira senda da vida, quais deveriam ser a missão e a meta da vida humana. Gradualmente, reconhecerá que, se não adorar o Criador, se não estiver sob Seu domínio, quando chegar o momento de se confrontar com a morte — quando sua alma estiver prestes a encarar o Criador mais uma vez —, seu coração estará cheio de pavor e desconforto ilimitados. Se uma pessoa existe no mundo há muitas décadas e ainda não entendeu de onde vem a vida humana, e ainda não reconheceu em que mãos está o destino humano, então não é de surpreender que ela não será capaz de encarar a morte calmamente. Uma pessoa que ganhou, após experimentar várias décadas da vida humana, o conhecimento da soberania do Criador é uma pessoa com uma apreciação correta do significado e do valor da vida. Essa pessoa tem um conhecimento profundo do propósito da vida, tem experiência e compreensão reais da soberania do Criador, e, mais ainda, é capaz de se submeter à autoridade do Criador. Tal pessoa compreende o significado da criação da humanidade por Deus, compreende que o homem deve adorar o Criador, que tudo que o homem possui vem do Criador e retornará a Ele algum dia não distante no futuro. Tal pessoa compreende que o Criador arranja o nascimento do homem e tem soberania sobre a morte do homem, e que tanto a vida quanto a morte são predestinadas pela autoridade do Criador. Por isso, quando verdadeiramente compreende essas coisas, naturalmente ela será capaz de encarar a morte com calma, de deixar de lado todas as suas posses terrenas com calma, de aceitar e submeter-se alegremente a tudo que vem a seguir e dar as boas-vindas à última conjuntura da vida arranjada pelo Criador, em vez de temê-la e lutar contra ela cegamente. Se a pessoa vê a vida como uma oportunidade de experimentar a soberania do Criador e vier a conhecer Sua autoridade, se ela vê a vida como uma chance rara de cumprir seu dever como ser humano criado e realizar sua missão, então ela necessariamente terá a perspectiva correta sobre a vida, viverá uma vida abençoada e guiada pelo Criador, andará na luz do Criador, conhecerá a soberania do Criador, estará sob Seu domínio, e certamente se tornará testemunha de Seus feitos miraculosos, testemunha de Sua autoridade. Por certo, tal pessoa necessariamente será amada e aceita pelo Criador, e somente uma pessoa como essa pode manter uma atitude calma em relação à morte, pode dar boas-vindas alegremente à conjuntura final da vida. Uma pessoa que obviamente teve esse tipo de atitude em relação à morte foi Jó. Jó estava em posição de aceitar alegremente a conjuntura final da vida e, tendo levado a jornada de sua vida a uma conclusão serena, tendo terminado sua missão na vida, voltou para o lado do Criador.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único III’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 132

As buscas e os ganhos de Jó em vida lhe permitem encarar a morte calmamente

Nas Escrituras, é relatado sobre Jó: “Então morreu Jó, velho e cheio de dias” (Jó 42:17). Isso significa que, quando faleceu, Jó não tinha arrependimentos e não sentia mágoa, mas partiu deste mundo naturalmente. Como todos sabem, Jó foi um homem que temeu a Deus e evitou o mal enquanto viveu. Deus elogiou seus feitos justos, as pessoas lembravam-se deles, e sua vida, mais do que a de qualquer outro, teve valor e significado. Jó desfrutou das bênçãos de Deus e foi chamado de justo por Ele na terra; também foi provado por Deus e testado por Satanás. Ele foi testemunha de Deus e mereceu ser chamado de uma pessoa justa. Durante as várias décadas depois que foi provado por Deus, ele viveu uma vida que era ainda mais valiosa, significativa, fundamentada e pacífica que antes. Em razão de seus feitos justos, Deus o pôs à prova; em razão de seus feitos justos, Deus apareceu-lhe e lhe falou diretamente. Então, durante os anos seguintes a essa provação, Jó compreendeu e apreciou o valor da vida de maneira mais concreta, alcançou uma compreensão mais profunda da soberania do Criador e ganhou um conhecimento mais preciso e certo de como o Criador dá e tira Suas bênçãos. O Livro de Jó registra que Deus Jeová concedeu a Jó bênçãos ainda maiores que antes, deixando-o em situação ainda melhor para conhecer a soberania do Criador e encarar a morte calmamente. Então Jó, ao envelhecer e encarar a morte, certamente não ficaria ansioso quanto à sua propriedade. Ele não tinha preocupações, não tinha nada para lamentar, e é claro que não temia a morte, pois passara a vida toda trilhando o caminho de quem teme a Deus e evita o mal, e não tinha motivo para se preocupar com o próprio fim. Quantas pessoas poderiam agir hoje de todas as maneiras que Jó agiu quando se confrontou com a própria morte? Por que ninguém é capaz de manter uma conduta aparente tão simples? Por uma única razão: Jó viveu sua vida na busca subjetiva da fé, do reconhecimento e da submissão à soberania de Deus, e foi com essa fé, esse reconhecimento e essa submissão que ele passou pelas conjunturas importantes da vida, viveu seus últimos anos e saudou a conjuntura final de sua vida. Seja lá o que Jó experimentou, suas buscas e metas na vida foram felizes, não dolorosas. Ele era feliz não só por causa das bênçãos ou do elogio que o Criador lhe concedera, mas, o que é mais importante, por causa de suas buscas e metas de vida, por causa do conhecimento gradual e da verdadeira compreensão da soberania do Criador que ele alcançou ao temer a Deus e evitar o mal, e além disso por causa dos maravilhosos feitos Dele que Jó experimentou pessoalmente durante seu tempo como sujeito da soberania do Criador, das experiências e recordações calorosas e inesquecíveis de coexistência, familiaridade e mútua compreensão entre o homem e Deus. Jó era feliz por causa do conforto e da alegria decorrentes de conhecer a vontade do Criador, e por causa da reverência que surgiu após ver que Ele é grande, maravilhoso, amável e fiel. O motivo de ser capaz de encarar a morte sem sofrimento algum foi que Jó sabia que, ao morrer, voltaria para o lado do Criador. Foram suas buscas e seus ganhos em vida que lhe permitiram encarar a morte calmamente, lhe permitiram encarar calmamente a perspectiva de o Criador tomar de volta a sua vida, e, ademais, lhe permitiram pôr-se imaculado e livre de preocupação diante do Criador. Hoje em dia as pessoas conseguem alcançar o tipo de felicidade que Jó possuía? Vocês estão em condições de fazer isso? Uma vez que as pessoas da atualidade estejam, por que são incapazes de viver com alegria, como Jó? Por que são incapazes de escapar do sofrimento do medo da morte? Quando encaram a morte, algumas pessoas se molham; outras tremem, desmaiam, vociferam contra o Céu e contra o homem igualmente; algumas até lamuriam e choram. Essas não são, de modo algum, as reações naturais que ocorrem subitamente quando a morte se aproxima. As pessoas têm esses comportamentos constrangedores principalmente porque, no fundo do coração, elas temem a morte, porque não têm conhecimento e apreciação claros da soberania de Deus e de Seus arranjos, muito menos se submetem verdadeiramente a eles. As pessoas reagem desse jeito porque não querem nada além de arranjar e governar tudo sozinhas, controlar o próprio destino, a própria vida e morte. Não é de surpreender, portanto, que as pessoas nunca sejam capazes de escapar do medo da morte.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único III’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 133

Somente aceitando a soberania do Criador se pode voltar para o Seu lado

Quando não se tem conhecimento claro e clara experiência da soberania de Deus e de Seus arranjos, o conhecimento do destino e da morte será necessariamente incoerente. As pessoas não conseguem enxergar com clareza que tudo isso está nas mãos de Deus, não percebem que Ele está no controle e detém a soberania sobre elas, não reconhecem que o homem não pode rejeitar nem escapar de tal soberania. Por esse motivo, quando chega sua vez de encarar a morte, não há fim para suas últimas palavras, preocupações e remorsos. Elas ficam oprimidas sob tanta bagagem, tanta relutância, tanta confusão. Tudo isso faz com que temam a morte. Para toda pessoa nascida neste mundo, o nascimento é necessário e a morte é inevitável; ninguém pode ultrapassar este curso. Se alguém deseja partir deste mundo de modo indolor, se alguém quer ser capaz de encarar a conjuntura final da vida sem relutância ou preocupação, a única maneira é não deixar remorsos. E a única maneira de partir sem remorsos é conhecer a soberania do Criador, conhecer Sua autoridade e submeter-se a elas. Só assim é possível manter-se longe das contendas humanas, do mal, do cativeiro de Satanás; só assim é possível viver uma vida como a de Jó, guiada e abençoada pelo Criador, uma vida livre e liberta, uma vida com valor e significado, uma vida que é honesta e sincera. Só assim é possível submeter-se, como Jó, a ser provado e despojado pelo Criador, submeter-se às orquestrações e aos arranjos do Criador. Só assim é possível adorar o Criador a vida toda e ganhar Seu elogio, como Jó ganhou, e ouvir Sua voz, vê-Lo aparecer. Só assim é possível viver e morrer com alegria, como Jó, sem dor, sem preocupação, sem remorsos. Só assim é possível viver na luz, como Jó, passar por todas as conjunturas da vida na luz, completar sem dificuldades a jornada na luz, realizar a missão com sucesso — experimentar, aprender e chegar a conhecer a soberania do Criador como ser criado — e falecer na luz, e depois permanecer para sempre ao lado do Criador como um ser humano criado, elogiado por Ele.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único III’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 134

Não perca a oportunidade de conhecer a soberania do Criador

O período de décadas que constitui uma vida humana não é longo nem curto. Os vinte e tantos anos entre o nascimento e a maioridade passam num piscar de olhos, e, embora nesse ponto da vida as pessoas sejam consideradas adultas, quem está nessa faixa etária sabe quase nada sobre a vida humana e o destino humano. À medida que ganham mais experiência, as pessoas vão entrando gradualmente na meia-idade. Pessoas nos seus trinta e quarenta anos adquirem uma experiência inicial de vida e destino, mas suas ideias sobre essas coisas ainda são muito confusas. Não é até os quarenta anos de idade que algumas pessoas começam a entender a humanidade e o universo, os quais foram criados por Deus, a compreender de que se trata a vida humana, de que se trata o destino. Algumas pessoas, mesmo sendo seguidoras de Deus há muito tempo e já de meia-idade, ainda não possuem um conhecimento e uma definição corretos da soberania de Deus, muito menos uma submissão verdadeira. Algumas pessoas não se importam com nada além de buscar receber bênçãos e, embora tenham vivido muitos anos, não conhecem nem entendem de modo algum o fato da soberania do Criador sobre o destino humano e, portanto, não entraram nem um pouco na lição prática de se submeter às orquestrações e aos arranjos de Deus. Tais pessoas são completamente tolas e vivem a vida em vão.

Se for dividida de acordo com o grau de experiência de vida de uma pessoa e seu conhecimento do destino humano, a vida humana se pode ser dividida aproximadamente em três fases. A primeira fase é a juventude, os anos entre o nascimento e a meia-idade, ou do nascimento aos trinta anos. A segunda fase é o amadurecimento, da meia-idade à velhice, ou dos trinta aos sessenta anos. E a terceira fase é o período da maturidade, da velhice, começando aos sessenta anos até a pessoa partir do mundo. Em outras palavras, do nascimento à meia-idade, o conhecimento da maioria das pessoas sobre destino e vida é limitado a papaguear ideias alheias, quase não tem substância real e prática. Durante esse período, a perspectiva sobre a vida e o modo de traçar o próprio caminho no mundo são muito superficiais e ingênuos. Esse é o período juvenil da pessoa. Só depois de ter experimentado todas as alegrias e tristezas da vida é que a pessoa ganha uma compreensão real de destino e, gradualmente — de maneira subconsciente, no fundo do coração — ela chega a apreciar a irreversibilidade do destino e percebe devagar que a soberania do Criador sobre o destino humano existe verdadeiramente. Esse é o período de amadurecimento da pessoa. Quando para de lutar contra o destino, quando não está mais disposta a ser atraída por contendas, mas sabe de seu fado, ela se submete à vontade do Céu, recapitula as próprias realizações e seus erros na vida e espera o julgamento do Criador sobre a sua vida. Esse é o período da maturidade. Considerando os diferentes tipos de experiências e ganhos que as pessoas obtêm durante esses três períodos, em circunstâncias normais, sua janela de oportunidade para conhecer a soberania do Criador não é muito grande. Se viver até os sessenta anos, a pessoa tem apenas cerca de trinta anos para conhecer a soberania de Deus; se quiser um período de tempo maior, isso só é possível se ela viver o bastante, se for capaz de viver um século. Então Eu digo que, conforme as leis normais da existência humana, embora seja um processo muito longo desde que a pessoa se depara pela primeira vez com a questão de conhecer a soberania do Criador até ser capaz de reconhecer o fato da soberania do Criador, e dali até o ponto em que é capaz de se submeter a ela, se alguém de fato contar os anos, não há mais de trinta ou quarenta durante os quais tem a chance de ganhar essas recompensas. E com frequência as pessoas se deixam levar por seus desejos e suas ambições de receber bênçãos; elas não conseguem discernir onde reside a essência da vida humana, não compreendem a importância de conhecer a soberania do Criador e assim não acalentam essa oportunidade preciosa de entrar no mundo humano para experimentar a vida humana e a soberania do Criador, e não percebem quão inestimável é para um ser criado receber a orientação pessoal do Criador. Então Eu digo: as pessoas que querem que a obra de Deus acabe rápido, que desejam que Deus arranje o fim do homem assim que possível para poderem contemplar de imediato a Sua pessoa real e logo ser abençoadas, são culpadas do pior tipo de desobediência e tolas ao extremo. Entretanto, as pessoas sábias, aquelas que possuem a maior acuidade mental, são aquelas que desejam, durante seu tempo limitado, agarrar essa oportunidade única de conhecer a soberania do Criador. Esses dois desejos diferentes expõem duas perspectivas e buscas enormemente diferentes: aqueles que buscam bênçãos são egoístas e baixos e não mostram consideração pela vontade de Deus, nunca buscam conhecer a soberania de Deus, nunca desejam submeter-se a ela, simplesmente querem viver como lhes agrada. São degenerados felizes, e essa é a categoria de pessoas que será destruída. Aqueles que buscam conhecer a Deus são capazes de pôr de lado seus desejos, estão dispostos a submeter-se à soberania de Deus e aos arranjos de Deus, e tentam ser o tipo de pessoa que é submissa à autoridade de Deus e que satisfaz o desejo de Deus. Tais pessoas vivem na luz, vivem em meio às bênçãos de Deus, e certamente serão elogiadas por Deus. Seja qual for, a escolha humana é inútil, e os humanos não podem opinar sobre quanto tempo a obra de Deus vai levar. É melhor que as pessoas se ponham à mercê de Deus e se submetam à Sua soberania. Se você não se puser à mercê Dele, o que poderá fazer? Deus sofrerá alguma perda, como resultado? Se você não se puser à mercê Dele, se tentar ficar no comando, estará fazendo uma escolha tola e será o único a sofrer uma perda no fim. Somente se as pessoas cooperarem com Deus o mais rápido possível, somente se elas se apressarem em aceitar Suas orquestrações, conhecerem Sua autoridade e entenderem tudo o que Ele tem feito por elas é que terão esperança, sua vida não será vivida em vão, e elas alcançarão a salvação.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único III’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 135

Ninguém pode mudar o fato de que Deus tem soberania sobre o destino humano

Sob a autoridade de Deus, toda pessoa aceita ativa ou passivamente Sua soberania e Seus arranjos e, como quer que ela lute no curso de sua vida, não importa quantas sendas tortuosas ela percorra, no fim retornará à órbita de destino que o Criador traçou para ela. Isso é a insuperabilidade da autoridade do Criador, o modo de a Sua autoridade controlar e governar o universo. É essa insuperabilidade, essa forma de controle e governança que é responsável pelas leis que ditam as vidas de todas as coisas, que permitem aos humanos reencarnar repetidas vezes sem interferência, que fazem o mundo girar regularmente e avançar, dia após dia, ano após ano. Vocês testemunharam todos esses fatos e os compreendem, quer superficialmente, quer em profundidade; a profundidade de sua compreensão depende de sua experiência e seu conhecimento da verdade, bem como de seu conhecimento de Deus. Quão bem você conhece a verdade-realidade, quanto você vivenciou das palavras de Deus, quão bem você conhece a essência e o caráter Dele — tudo isso representa a profundidade de sua compreensão da soberania e dos arranjos de Deus. A existência da soberania e dos arranjos de Deus depende de os seres humanos se submeterem a eles? O fato de Deus possuir essa autoridade é determinado pelo fato de a humanidade se submeter ou não a ela? A autoridade de Deus existe apesar das circunstâncias; em todas as situações, Deus dita e arranja todo destino humano e todas as coisas de acordo com Seus pensamentos, com Seus desejos. Isso não mudará como resultado da mudança do homem; independe da vontade do homem, não pode ser alterado por quaisquer mudanças de tempo, espaço e geografia, pois a autoridade de Deus é Sua substância. O homem ser ou não capaz de conhecer e aceitar a soberania de Deus, e se o homem é capaz de se submeter a ela — nenhuma dessas considerações altera de maneira alguma o fato da soberania de Deus sobre o destino humano. Isto é, seja qual for a atitude que o homem tome quanto à soberania de Deus, ela simplesmente não pode mudar o fato de que Ele tem soberania sobre o destino humano e sobre todas as coisas. Mesmo que você não se submeta à soberania de Deus, Ele ainda comanda seu destino; mesmo que você não possa conhecer Sua soberania, a autoridade Dele ainda existe. A autoridade de Deus e o fato da Sua soberania sobre o destino humano independem da vontade humana, não mudam de acordo com as preferências e escolhas do homem. A autoridade de Deus está em toda parte, a toda hora, a todo instante. Se o céu e a terra passassem, a autoridade Dele jamais passaria, porque Ele é o Próprio Deus, Ele possui a autoridade única, e Sua autoridade não é restrita ou limitada por pessoas, eventos nem coisas, pelo espaço nem pela geografia. A todo momento, Deus exerce Sua autoridade, mostra Seu poder, continua Sua obra de gestão como sempre; a todo momento, Ele dirige todas as coisas, provê a todas as coisas, orquestra todas as coisas — como sempre fez. Ninguém pode mudar isso. É um fato; tem sido a verdade imutável desde tempos imemoriais!

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único III’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 136

Atitude e prática corretas para quem deseja submeter-se à autoridade de Deus

Com que atitude o homem deveria conhecer e considerar agora a autoridade de Deus, o fato da soberania de Deus sobre o destino humano? Eis um problema real com o qual toda pessoa se depara. Em face de problemas da vida real, como você deveria conhecer e entender a autoridade de Deus e Sua soberania? Quando enfrenta esses problemas e não sabe entender, manejar e vivenciá-los, que atitude você deveria adotar para mostrar sua intenção, seu desejo e sua realidade de submeter-se à soberania e aos arranjos de Deus? Primeiro, você deve aprender a esperar; depois, você deve aprender a buscar; em seguida, você deve aprender a submeter-se. “Esperar” significa esperar o tempo de Deus, aguardar as pessoas, os eventos e as coisas que Ele arranjou para você, esperando que Sua vontade paulatinamente se revele a você. “Buscar” significa observar e compreender as intenções ponderadas de Deus para você, por meio das pessoas, dos eventos e das coisas que Ele dispôs, entender a verdade por meio deles, compreender o que os seres humanos devem realizar e os caminhos em que eles devem se manter, compreender quais resultados Deus pretende alcançar nos humanos e quais realizações Ele pretende atingir neles. “Submeter-se”, claro, refere-se a aceitar as pessoas, os eventos e as coisas que Deus orquestrou, aceitar Sua soberania e, mediante ela, vir a saber como o Criador dita o destino do homem, como Ele provê ao homem a Sua vida, como Ele trabalha a verdade no homem. Todas as coisas sujeitas aos arranjos e à soberania de Deus obedecem a leis naturais, e, se você resolver deixar Deus arranjar e ditar tudo por você, você deve aprender a esperar, deve aprender a buscar, deve aprender a submeter-se. Essa é a atitude que quem quiser se submeter à autoridade de Deus deve tomar, a qualidade básica que deve possuir toda pessoa que quiser aceitar a soberania e os arranjos de Deus. Para manter tal atitude, para possuir tal qualidade, vocês devem trabalhar mais arduamente, e só assim poderão entrar na verdadeira realidade.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único III’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 137

Aceitar Deus como o seu único Mestre é o primeiro passo para alcançar a salvação

As verdades referentes à autoridade de Deus são verdades que toda pessoa deve considerar seriamente, deve experimentar e compreender com o coração; pois essas verdades têm relevância para a vida, o passado, o presente e o futuro de toda pessoa e as conjunturas cruciais que se deve atravessar na vida, o conhecimento do homem sobre a soberania de Deus e a atitude com a qual ele deve enfrentar a Sua autoridade e, naturalmente, o destino final de toda pessoa. Por isso, é preciso dedicar a energia de uma vida inteira a conhecê-las e compreendê-las. Quando levar a autoridade de Deus a sério, quando aceitar a soberania de Deus, paulatinamente você virá a perceber e entender que essa autoridade existe de fato. Mas se nunca reconhecer a autoridade de Deus e nunca aceitar Sua soberania, não importa quantos anos viva, você não ganhará o menor conhecimento da soberania de Deus. Se você não conhecer e compreender verdadeiramente a autoridade de Deus, quando chegar ao fim da estrada, mesmo se tiver acreditado em Deus durante décadas, sua vida não terá nenhum resultado visível, seu conhecimento da soberania de Deus sobre o destino humano será inevitavelmente nulo. Isso não é algo muito triste? Portanto, não importa quanto você caminhou na vida, não importa a sua idade atual, não importa quanto resta da sua jornada, primeiro você deve reconhecer a autoridade de Deus e levá-la a sério, aceitar o fato de que Deus é seu único Mestre. Alcançar conhecimento e compreensão claros e precisos dessas verdades concernentes à soberania de Deus sobre o destino humano é lição obrigatória para todo mundo, é a chave para se conhecer a vida humana e alcançar a verdade. É a vida de conhecer a Deus, é a lição básica que todo mundo enfrenta a cada dia e que ninguém pode evitar. Se algum de vocês deseja tomar atalhos para alcançar essa meta, então Eu digo a você que é impossível! Se você quiser escapar da soberania de Deus, isso é ainda mais impossível! Deus é o único Senhor do homem, é o Mestre exclusivo do destino humano, de modo que para o homem é impossível ditar o próprio destino, é impossível para ele superá-lo. Por maiores que sejam as habilidades de alguém, não se pode influenciar — muito menos orquestrar, arranjar, controlar ou mudar — o destino de outrem. Só o Próprio Deus único dita todas as coisas para o homem, porque só Ele possui a autoridade exclusiva que exerce soberania sobre o destino humano, e por isso só o Criador é o Mestre exclusivo do homem. A autoridade de Deus tem soberania não só sobre a humanidade criada, mas também sobre seres não criados que nenhum ser humano pode ver, sobre as estrelas, sobre o cosmo. Isso é um fato incontestável, um fato que realmente existe, que nenhum ser humano nem coisa pode mudar. Se alguém ainda estiver insatisfeito com as coisas do jeito que estão, acreditando que tem algum talento ou habilidade especial e ainda pensando que pode dar sorte e mudar suas circunstâncias atuais ou então evitá-las; se você tenta mudar seu próprio destino por meio de esforço humano e assim sobressai aos outros e ganha fama e fortuna; então Eu lhe digo: você está tornando as coisas difíceis para si mesmo, está só procurando problemas, está cavando a própria cova! Um dia, mais cedo ou mais tarde, você vai descobrir que fez a escolha errada, que seus esforços foram desperdiçados. Sua ambição, seu desejo de lutar contra o destino e sua conduta escandalosa o levarão por um caminho sem retorno, e você pagará um preço amargo por isso. Embora agora você não veja a gravidade da consequência, à medida que experimentar e apreciar cada vez mais a fundo a verdade de que Deus é o Mestre do destino humano, aos poucos você virá a perceber o que estou falando hoje e suas reais implicações. Você ter realmente um coração e um espírito, ser uma pessoa que ama a verdade, isso depende do tipo de atitude que toma com relação à soberania de Deus e à verdade. E, naturalmente, isso determina se você pode realmente conhecer e compreender a autoridade de Deus. Se nunca na vida sentiu a soberania de Deus e Seus arranjos e muito menos reconheceu e aceitou Sua autoridade, você será totalmente inútil, será sem dúvida objeto de detestação e rejeição de Deus, graças à senda que tomou e à escolha que fez. Todavia, aqueles que, na obra de Deus, puderem aceitar Sua provação, aceitar Sua soberania, submeter-se à Sua autoridade e paulatinamente ganhar experiência real de Suas palavras terão alcançado real conhecimento da autoridade de Deus, real compreensão da Sua soberania; terão se tornado verdadeiramente sujeitos ao Criador. Só tais pessoas terão sido salvas verdadeiramente. Porque elas conheceram a soberania de Deus, porque a aceitaram, sua apreciação e sua submissão ao fato da soberania de Deus sobre o destino humano é real e precisa. Quando enfrentarem a morte, elas serão capazes, como Jó, de ter uma mente que não teme a morte, de se submeter às orquestrações e aos arranjos de Deus em todas as coisas, sem escolha individual, sem desejo individual. Somente uma pessoa assim será capaz de voltar para o lado do Criador como um verdadeiro ser humano criado.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único III’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 138

A ordem de Deus Jeová para o homem

Gênesis 2:15-17 Tomou, pois, Deus Jeová o homem, e o pôs no jardim do Éden para o lavrar e guardar. Ordenou Deus Jeová ao homem, dizendo: De toda árvore do jardim podes comer livremente; mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dessa não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás.

A sedução da mulher pela serpente

Gênesis 3:1-5 Ora, a serpente era o mais astuto de todos os animais do campo, que Deus Jeová tinha feito. E esta disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim? Respondeu a mulher à serpente: Do fruto das árvores do jardim podemos comer, mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Não comereis dele, nem nele tocareis, para que não morrais. Disse a serpente à mulher: Não é certo que morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que comerdes desse fruto, vossos olhos se abrirão, e sereis como Deus, conhecendo o bem e o mal.

Essas duas passagens são trechos do Livro de Gênesis, na Bíblia. Todos vocês estão familiarizados com essas duas passagens? Elas relatam eventos que aconteceram no princípio, quando a humanidade tinha acabado de ser criada; esses eventos foram reais. Primeiro, vejamos que tipo de ordem Deus Jeová deu a Adão e Eva; o conteúdo dessa ordem é muito importante para o nosso tópico de hoje. “Ordenou Deus Jeová ao homem, dizendo: De toda árvore do jardim podes comer livremente; mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dessa não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás.” Qual é o significado da ordem de Deus para o homem nessa passagem? Em primeiro lugar, Deus diz ao homem o que ele pode comer, a saber, os frutos de muitos tipos de árvores. Não há perigo nem veneno: todos podem ser comidos, e comidos livremente segundo o desejo do homem, livre de preocupação e dúvida. Essa é uma parte da ordem de Deus. A outra parte é uma advertência. Nessa advertência, Deus diz ao homem que ele não deve comer o fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal. O que acontecerá se ele comer dessa árvore? Deus disse ao homem: “Se você comer dela, seguramente morrerá”. Essas palavras não são diretas? Se Deus lhe dissesse isso, mas você não entendesse o porquê, você trataria Suas palavras como uma regra ou uma ordem a ser obedecida? Tais palavras deveriam ser obedecidas, não deveriam? Mas, quer o homem seja ou não capaz de obedecer, as palavras de Deus são inequívocas. Deus disse muito claramente ao homem o que ele pode comer e o que não pode comer e o que acontecerá se ele comer o que não deve comer. Nessas breves palavras que Deus disse, você consegue ver qualquer coisa do caráter de Deus? Essas palavras de Deus são verdadeiras? Existe alguma trapaça? Existe alguma falsidade? Existe alguma intimidação? (Não.) Honesta, leal e sinceramente Deus disse ao homem o que ele pode comer e o que não pode. Deus falou em termos claros e simples. Existe algum sentido oculto nessas palavras? Essas palavras não são diretas? Há alguma necessidade de conjectura? (Não.) Não há necessidade de adivinhar. O sentido delas é óbvio de imediato. Ao lê-las, sentimo-nos totalmente claros em relação ao seu significado. Ou seja, o que Ele quer dizer e o que Ele quer expressar vêm de Seu coração. As coisas que Deus expressa são simples, diretas e claras. Não há motivos escusos nem significados ocultos. Ele fala diretamente ao homem, dizendo-lhe o que ele pode comer e o que não pode. Isso significa que, por meio dessas palavras de Deus, o homem pode ver que o coração de Deus é transparente e verdadeiro. Não existe nenhum traço de falsidade aqui; não é um caso de dizer-lhe que você não pode comer o que é comestível ou de lhe dizer: “Faça isso e veja o que acontece” com coisas que você não pode comer. Não é isso que Deus quer dizer. Aquilo que Deus pensa em Seu coração, isso é o que Ele diz. Se Eu digo que Deus é santo porque Ele Se mostra e Se revela por meio dessas palavras dessa maneira, você talvez ache que fiz uma montanha de um formigueiro ou que forcei um ponto um pouco demais. Nesse caso, não se preocupe: ainda não terminamos.

Falemos agora da “Sedução da mulher pela serpente”. Quem é a serpente? (Satanás.) Satanás desempenha o papel do contraste no plano de gestão de Deus de seis mil anos. Esse é um papel que devemos mencionar quando comunicamos sobre a santidade de Deus. Por que digo isso? Se você não conhece o mal e a corrupção de Satanás, se você não conhece a natureza de Satanás, então você não tem meios para reconhecer santidade, e não pode saber o que a santidade realmente é. Na confusão, as pessoas acreditam que aquilo que Satanás faz é o certo porque elas vivem dentro desse tipo de caráter corrupto. Sem contraste, sem ponto de comparação, você não pode saber o que é santidade. É por isso que Satanás deve ser mencionado aqui. Tal menção não é conversa vazia. Por meio das palavras e dos atos de Satanás, nós veremos como Satanás age, como Satanás corrompe a humanidade e quais são a natureza e o semblante de Satanás. Assim, o que a mulher disse à serpente? A mulher repetiu para a serpente o que Deus Jeová lhe havia dito. Quando ela disse essas palavras, ela tinha certeza de que aquilo que Deus tinha dito a ela era verdade? Ela não podia ter certeza, podia? Sendo alguém recém-criado, ela não possuía a habilidade de discernir o bem e o mal, tampouco tinha qualquer cognição de qualquer coisa à sua volta. A julgar pelas palavras que ela disse à serpente, ela não tinha certeza em seu coração de que as palavras de Deus eram certas; tal era sua atitude. Portanto, quando a serpente viu que a mulher tinha uma atitude de incerteza a respeito das palavras de Deus, ela disse: “Não é certo que morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que comerdes desse fruto, vossos olhos se abrirão, e sereis como Deus, conhecendo o bem e o mal”. Há alguma coisa problemática nessas palavras? Quando vocês leem essa sentença, vocês ganham um senso da intenção da serpente? Quais são essas intenções? (Tentar o homem e induzi-lo a pecar.) Ela queria tentar essa mulher para impedi-la de dar ouvidos às palavras de Deus. Mas a serpente não disse essas coisas diretamente. Por isso podemos dizer que ela é muito astuta. Ela expressa o seu propósito de maneira sorrateira e evasiva a fim de alcançar o objetivo pretendido que ela mantém escondido em sua mente, escondido do homem — tal é a astúcia da serpente. Essa sempre tem sido a maneira de Satanás de falar e agir. Ele diz “não é certo” sem confirmar uma coisa nem a outra. Mas, ao ouvir isso, o coração dessa mulher ignorante se comoveu. A serpente ficou satisfeita, porque suas palavras tiveram o efeito desejado — tal era a sua astuciosa intenção. Além disso, ao prometer um resultado que parece desejável aos humanos, ela seduziu a mulher, dizendo: “no dia em que comerdes desse fruto, vossos olhos se abrirão”. Assim, ela pensa: “É uma boa coisa que meus olhos se abram!” E então a serpente disse algo ainda mais sedutor, palavras jamais conhecidas ao homem até então, palavras que possuem um grande poder de tentação para quem as ouve: “e sereis como Deus, conhecendo o bem e o mal”. Essas palavras não são poderosamente sedutoras para o homem? É como alguém dizer a você: “Seu rosto tem um formato maravilhoso, exceto a ponte do nariz, que é um pouco curta. Se corrigir isso, então você se tornará uma beleza de padrão mundial!”. Essas palavras comoveriam o coração de uma pessoa que, até então, nunca abrigara qualquer desejo de fazer uma cirurgia plástica? Essas palavras não são sedutoras? Essa não é uma sedução tentadora para você? E isso não é uma tentação? (Sim.) Deus diz coisas desse tipo? Havia nas palavras de Deus algum indício disso que acabamos de ler? (Não.) Deus fala o que pensa em Seu coração? O homem pode enxergar o que há no coração de Deus por meio de Suas palavras? (Sim.) Mas, quando a serpente falou aquelas palavras para a mulher, você conseguiu enxergar o que havia em seu coração? (Não.) E, por causa da ignorância do homem, o homem foi facilmente seduzido pelas palavras da serpente, facilmente enganado. Você conseguiu então enxergar a intenção de Satanás? Você conseguiu enxergar o propósito por trás do que Satanás disse? Você conseguiu perceber as tramas e os estratagemas de Satanás? (Não.) Que tipo de caráter é representado pelo modo de falar de Satanás? Que tipo de essência você viu em Satanás através dessas palavras? Ele não é insidioso? Talvez, por fora, ele sorria para você ou talvez não revele nenhuma expressão. Mas, no coração dele, ele está calculando como obter seu objetivo, e é esse objetivo que você não consegue ver. Todas as promessas que ele lhe faz, todas as vantagens que ele descreve são o disfarce de sua sedução. Você vê essas coisas como boas, assim sente que aquilo que ele diz é mais útil, mais substancial do que o que Deus diz. Quando isso acontece, o homem não se torna então um prisioneiro submisso? Essa estratégia que Satanás usou não é diabólica? Você se permite afundar em degeneração. Sem que Satanás tenha de mover um dedo, mas meramente falando essas duas sentenças, você se torna feliz em acompanhar Satanás, em obedecer a Satanás. Assim, o objetivo de Satanás foi alcançado. Essa não é uma intenção sinistra? Essa não é a mais elementar fisionomia de Satanás? A partir das palavras de Satanás, o homem pode ver seus motivos sinistros, sua hedionda fisionomia e sua essência. Não é assim? Comparando essas sentenças, sem análise, talvez você ache que as palavras de Deus Jeová são enfadonhas, comuns e banais, que elas não justificam falar com entusiasmo aqui em louvor à honestidade de Deus. Contudo, quando tomamos as palavras de Satanás e a hedionda fisionomia de Satanás como um contraste, essas palavras de Deus não têm peso significativo para as pessoas de hoje? (Sim.) Por meio dessa comparação, o homem é capaz de perceber a pura perfeição de Deus. Toda palavra que Satanás pronuncia, assim como os motivos e as intenções de Satanás e o modo como fala são todos adulterados. Qual é o aspecto principal do modo de falar de Satanás? Satanás usa equívocos para seduzir você sem deixar que você enxergue sua duplicidade, nem lhe permite discernir seu objetivo; Satanás deixa que você morda a isca, mas você também deve elogiá-lo e louvar seus méritos. Essa tramoia não é o método habitual preferido de Satanás? (Sim.)

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único IV’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 139

Diálogo entre Satanás e Deus Jeová

Jó 1:6-11 Ora, chegado o dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante Jeová, veio também Satanás entre eles. Jeová perguntou a Satanás: Donde vens? E Satanás respondeu a Jeová, dizendo: De rodear a terra, e de passear por ela. Disse Jeová a Satanás: Notaste porventura o Meu servo Jó, que ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, que teme a Deus e se desvia do mal? Então respondeu Satanás a Jeová, e disse: Porventura Jó teme a Deus debalde? Não o tens protegido de todo lado a ele, a sua casa e a tudo quanto tem? Tens abençoado a obra de suas mãos, e os seus bens se multiplicam na terra. Mas estende agora a Tua mão, e toca-lhe em tudo quanto tem, e ele blasfemará de Ti na Tua face!

Jó 2:1-5 Chegou outra vez o dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante Jeová; e veio também Satanás entre eles apresentar-se perante Jeová. Então Jeová perguntou a Satanás: Donde vens? Respondeu Satanás a Jeová, dizendo: De rodear a terra, e de passear por ela. Disse Jeová a Satanás: Notaste porventura o Meu servo Jó, que ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, que teme a Deus e se desvia do mal? Ele ainda retém a sua integridade, embora Me incitasses contra ele, para o consumir sem causa. Então Satanás respondeu a Jeová: Pele por pele! Tudo quanto o homem tem dará pela sua vida. Estende agora a mão, e toca-lhe nos ossos e na carne, e ele blasfemará de Ti na Tua face!

Essas duas passagens consistem inteiramente num diálogo entre Deus e Satanás; elas registram o que Deus disse e o que Satanás disse. Deus não falou muito, e Ele falou com grande simplicidade. Podemos ver a santidade de Deus em Suas simples palavras? Alguns dirão que isso não é fácil. Podemos então ver a hediondez de Satanás em suas respostas? (Sim.) Vejamos primeiro o tipo de pergunta que Deus Jeová fez a Satanás. “Donde vens?” Essa não é uma pergunta direta? Existe algum significado oculto? (Não.) É apenas uma pergunta, pura, inadulterada por nenhuma segunda intenção. Se Eu perguntasse a vocês: “De onde você vem?”, como vocês responderiam? É uma pergunta difícil de responder? Vocês diriam: “De ir para cá e para lá e de andar para cima e para baixo”? (Não.) Vocês não responderiam desse modo. Então, como é que vocês se sentem quando veem Satanás respondendo assim? (Achamos que Satanás está sendo absurdo, mas também enganoso.) Vocês conseguem saber o que Eu estou sentindo? Toda vez que vejo essas palavras de Satanás, Me sinto enojado, porque Satanás fala, no entanto, suas palavras não contêm substância. Satanás respondeu à pergunta de Deus? Não, as palavras que Satanás falou não eram uma resposta, elas não produziram nada. Não eram uma resposta à pergunta de Deus. “De rodear a terra, e de passear por ela.” Qual é seu entendimento dessas palavras? De onde exatamente é que Satanás vem? Vocês receberam uma resposta a essa pergunta? (Não.) Esse é o “gênio” dos esquemas astutos de Satanás — não deixar que ninguém descubra o que ele está realmente dizendo. Tendo ouvido essas palavras, você ainda não consegue discernir o que ele disse, embora Satanás já tenha terminado de responder. No entanto, Satanás acredita que respondeu perfeitamente. Como você se sente então? Enojado? (Sim.) Agora, você começa a sentir nojo em reação a essas palavras. Satanás não fala diretamente, mas deixa você coçando a cabeça, incapaz de perceber a fonte das palavras dele. Às vezes, ele fala deliberadamente e, às vezes, quando ele fala, suas palavras são governadas por sua própria essência, por sua própria natureza. Essas são palavras que vêm diretamente da boca de Satanás. Satanás não ponderou essas palavras por muito tempo nem as falou de maneira que ele considerasse esperta; ao contrário, ele as expressou naturalmente. Assim que você pergunta a Satanás de onde ele vem, ele responde assim, com essas palavras. Você se sente muito intrigado, sem saber exatamente de onde Satanás vem. Há alguém dentre vocês que fale assim? (Sim.) Que jeito de falar é esse? (É ambíguo e não dá uma resposta certa.) Que tipo de palavras devemos usar para descrever esse modo de falar? É diversivo e enganoso, não é? Imagine que alguém não queira que os outros saibam onde ele foi ontem. Você lhe pergunta: “Ontem eu te vi. Aonde você estava indo?”. Ele não lhe diz diretamente aonde foi ontem. Ao contrário, ele diz: “Que dia tive ontem! Foi tão cansativo!” Ele respondeu à sua pergunta? Respondeu, mas ele não lhe deu a resposta que você queria. Esse é o “gênio” no artifício da fala do homem. Você nunca consegue descobrir o que ele quer dizer, nem percebe a fonte ou a intenção de suas palavras. Você não sabe o que ele está tentando evitar porque, no coração dele, ele tem a sua própria história; isso é insídia. Vocês também costumam falar assim? (Sim.) Então, qual é o seu propósito? Seria, algumas vezes, proteger seus próprios interesses, manter sua própria posição, sua própria imagem, guardar os segredos de sua vida particular, salvar a própria reputação? Seja qual for o propósito, ele é inseparável de seus interesses, está ligado aos seus interesses. Não é essa a natureza do homem? Não são semelhantes a Satanás todos os que têm esse tipo de natureza? Podemos expressá-lo assim, não podemos? Falando em termos gerais, essa manifestação é detestável e abominável. Agora vocês também se sentem enojados, não é? (Sim.)

Olhando mais uma vez para a primeira passagem, Satanás responde novamente à pergunta de Jeová, dizendo: “Porventura Jó teme a Deus debalde?”. Satanás está lançando um ataque contra a avaliação que Jeová faz de Jó, e esse ataque é marcado pela hostilidade. “Não o tens protegido de todo lado a ele, a sua casa e a tudo quanto tem?” Esse é o entendimento de Satanás e a avaliação da obra de Jeová em Jó. Satanás a avalia assim, dizendo: “Tens abençoado a obra de suas mãos, e os seus bens se multiplicam na terra. Mas estende agora a Tua mão, e toca-lhe em tudo quanto tem, e ele blasfemará de Ti na Tua face!”. Satanás sempre fala com ambiguidade, mas aqui ele fala em termos certos. Entretanto, essas palavras, embora sejam ditas em termos certos, são um ataque, uma blasfêmia e um ato de desafio a Deus Jeová, ao Próprio Deus. Como vocês se sentem ao ouvir essas palavras? Vocês sentem aversão? Vocês são capazes de enxergar as intenções de Satanás? Primeiramente, Satanás repudia a avaliação que Jeová faz de Jó — um homem que teme a Deus e evita o mal. Então Satanás repudia tudo que Jó diz e faz, isto é, ele repudia o temor de Jó a Jeová. Isso não é acusador? Satanás está acusando, repudiando e duvidando de tudo que Jeová faz e diz. Ele não acredita, dizendo: “Se você diz que as coisas são assim, como, então, eu não tenho visto isso? Você tem dado a ele tantas bênçãos, como, então, pode ele não temê-Lo?”. Isso não é uma repudiação de tudo que Deus faz? Acusação, repudiação, blasfêmia — as palavras de Satanás não são um assalto? Elas não são uma verdadeira expressão do que Satanás pensa em seu coração? Essas palavras não são certamente as mesmas palavras que acabamos de ler agora: “De rodear a terra, e passear por ela”. Elas são completamente diferentes. Através dessas palavras, Satanás revela completamente o conteúdo de seu coração — sua atitude em relação a Deus e sua aversão ao temor de Jó por Deus. Quando isso acontece, sua natureza maliciosa e maligna é completamente exposta. Ele odeia aqueles que temem a Deus, odeia aqueles que evitam o mal, e ainda mais odeia a Jeová por conceder bênçãos ao homem. Ele quer usar essa oportunidade para destruir Jó, a quem Deus o criou com Suas próprias mãos, para arruiná-lo, dizendo: “Você diz que Jó O teme e evita o mal. Eu vejo isso de maneira diferente”. Ele usa várias maneiras para provocar e tentar Jeová, e usa várias tramoias para que Deus Jeová entregue Jó nas mãos de Satanás para ser deliberadamente manipulado, ferido e maltratado. Ele quer tirar vantagem dessa oportunidade para destruir esse homem que é justo e perfeito aos olhos de Deus. Isso é meramente um impulso momentâneo que faz com que Satanás tenha esse tipo de coração? Não, não é. Isso tem sido preparado há muito tempo. Deus faz sua obra, Deus cuida de uma pessoa, olha para essa pessoa, e, enquanto isso, Satanás segue cada um de Seus passos. A quem quer que Deus favoreça, Satanás também observa, seguindo atrás dele. Se Deus quer essa pessoa, Satanás faz tudo em seu poder para obstruir Deus, usando vários artifícios malignos para tentar, interromper e destruir a obra que Deus faz, tudo isso com intuito de atingir seu objetivo oculto. Qual é esse objetivo? Ele não quer que Deus ganhe ninguém; todos aqueles que Deus quer, ele os quer para si mesmo, quer ocupá-los, controlá-los, para comandá-los para que eles o adorem, para que se juntem a ele para cometer atos malignos. Não é esse o motivo sinistro de Satanás? Vocês dizem com frequência que Satanás é tão vil, tão ruim, mas vocês já o viram? Vocês apenas conseguem ver quanto o homem é mau. Vocês não têm visto na realidade quanto Satanás é mau na verdade. Mas vocês viram a maldade de Satanás na questão referente a Jó? (Sim.) Esse assunto tornou o rosto hediondo e a essência de Satanás muito claros. Ao guerrear contra Deus e ficar andando atrás Dele, o objetivo de Satanás é demolir toda a obra que Deus quer realizar, para ocupar e controlar aqueles a quem Deus quer ganhar, para extinguir completamente aqueles a quem Deus quer ganhar. Se eles não são extintos, então eles se juntam às posses de Satanás para serem usados por ele — esse é seu objetivo. E o que Deus faz? Deus diz apenas uma simples sentença nessa passagem; não há mais nenhum registro de algo mais que Deus faça, mas vemos que há muitos outros registros do que Satanás faz e diz. Na passagem seguinte das escrituras, Jeová pergunta a Satanás: “Donde vens?”. Qual é a resposta de Satanás? (Ela ainda é: “De rodear a terra, e de passear por ela”.) Ainda é aquela mesma frase. Isso se tornou o lema de Satanás, seu cartão de visita. Como assim? Satanás não é odioso? Certamente basta pronunciar essa frase nojenta uma única vez. Por que Satanás continua repetindo ela? Isso prova uma coisa. A natureza de Satanás é imutável. Satanás não pode usar fingimento para esconder sua face feia. Deus faz-lhe uma pergunta, e é assim que ele responde. Já que é assim, imaginem então como ele deve tratar os humanos! Satanás não tem medo de Deus, não teme a Deus e não obedece a Deus. Então se atreve a ser intencionalmente presunçoso diante de Deus, a usar essas mesmas palavras para dispensar a pergunta de Deus, para usar essa mesma resposta à pergunta de Deus repetidamente, para tentar usar essa resposta para confundir Deus — essa é a face feia de Satanás. Ele não crê na onipotência de Deus, não crê na autoridade de Deus e certamente não está disposto a se submeter ao domínio de Deus. Ele está constantemente em oposição a Deus, constantemente atacando tudo que Deus faz, tentando destruir tudo que Ele faz — esse é o seu objetivo maligno.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único IV’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 140

Diálogo entre Satanás e Deus Jeová

Jó 1:6-11 Ora, chegado o dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante Jeová, veio também Satanás entre eles. Jeová perguntou a Satanás: Donde vens? E Satanás respondeu a Jeová, dizendo: De rodear a terra, e de passear por ela. Disse Jeová a Satanás: Notaste porventura o Meu servo Jó, que ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, que teme a Deus e se desvia do mal? Então respondeu Satanás a Jeová, e disse: Porventura Jó teme a Deus debalde? Não o tens protegido de todo lado a ele, a sua casa e a tudo quanto tem? Tens abençoado a obra de suas mãos, e os seus bens se multiplicam na terra. Mas estende agora a Tua mão, e toca-lhe em tudo quanto tem, e ele blasfemará de Ti na Tua face!

Jó 2:1-5 Chegou outra vez o dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante Jeová; e veio também Satanás entre eles apresentar-se perante Jeová. Então Jeová perguntou a Satanás: Donde vens? Respondeu Satanás a Jeová, dizendo: De rodear a terra, e de passear por ela. Disse Jeová a Satanás: Notaste porventura o Meu servo Jó, que ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, que teme a Deus e se desvia do mal? Ele ainda retém a sua integridade, embora Me incitasses contra ele, para o consumir sem causa. Então Satanás respondeu a Jeová: Pele por pele! Tudo quanto o homem tem dará pela sua vida. Estende agora a mão, e toca-lhe nos ossos e na carne, e ele blasfemará de Ti na Tua face!

Como está documentado no livro de Jó, essas duas passagens de fala professada por Satanás e as coisas que Satanás fez são representativas de sua resistência a Deus em Seu plano de gerenciamento de seis mil anos — aqui, as cores verdadeiras de Satanás são reveladas. Você viu as palavras e os feitos de Satanás na vida real? Quando você os vê, talvez não pense que são coisas ditas por Satanás, mas, em vez disso, ache que são coisas ditas pelo homem. O que é representado quando tais coisas são ditas pelo homem? Satanás é representado. Mesmo que o reconheça, você ainda não consegue perceber que aquilo está realmente sendo dito por Satanás. Mas, aqui e agora, você viu inequivocamente o que o próprio Satanás disse. Agora, você tem um entendimento inequívoco e claro como cristal de sua hedionda fisionomia e do mal de Satanás. Portanto, essas duas passagens ditas por Satanás têm algum valor para ajudar as pessoas hoje a ganhar conhecimento sobre a natureza de Satanás? Essas duas passagens valem a pena ser lembradas cuidadosamente para que hoje a humanidade seja capaz de reconhecer a face hedionda de Satanás, reconhecer sua verdadeira face original? Embora isso possa não parecer uma coisa muito apropriada a se dizer, essas palavras, expressadas dessa forma, podem mesmo assim ser consideradas corretas. Na verdade, essa é a única maneira em que Eu posso expressar essa ideia, e se vocês puderem entender, isso é suficiente. Incansavelmente, Satanás ataca as coisas que Jeová faz, atirando acusações sobre o temor de Jó a Deus Jeová. Satanás tenta provocar Jeová através de vários métodos, tentando fazer com que Jeová tolere sua tentação de Jó. Suas palavras, portanto, têm uma natureza altamente provocativa. Portanto, digam-Me, uma vez que Satanás disse essas palavras, Deus pode enxergar claramente o que Satanás quer fazer? (Sim.) No coração de Deus, esse homem, Jó, que Deus observa — esse servo de Deus que é por Ele considerado um homem justo, um homem perfeito — ele consegue resistir a tal tipo de tentação? (Sim.) Por que Deus diz tem tanta certeza disso? Deus está sempre examinando o coração dos homens? (Sim.) Então, Satanás é capaz de examinar o coração dos homens? Satanás não pode fazer isso. Ainda que Satanás conseguisse ver seu coração, sua natureza maligna nunca permitiria que ele acreditasse que santidade é santidade ou que sordidez é sordidez. O maligno Satanás nunca pode valorizar nada que seja santo, justo ou iluminado. Satanás não pode evitar de agir incansavelmente de acordo com sua natureza, sua maldade, e de acordo com seus métodos habituais. Ainda que ao custo de ser ele mesmo punido ou destruído por Deus, Satanás não hesita em se opor obstinadamente a Deus; isso é maligno, essa é a natureza de Satanás. Assim, nessa passagem, Satanás diz: “Pele por pele! Tudo quanto o homem tem dará pela sua vida. Estende agora a mão, e toca-lhe nos ossos e na carne, e ele blasfemará de Ti na Tua face!”. Satanás pensa que o temor que o homem sente de Deus se deve ao fato de ele ter obtido muitas vantagens de Deus. O homem obtém vantagens de Deus, então diz que Deus é bom. Mas não porque Deus é bom; é somente porque o homem obtém muitas vantagens que ele pode temer a Deus dessa maneira. Assim que Deus o priva dessas vantagens, o homem então O abandona. Na natureza maligna de Satanás, ele não acredita que o coração do homem pode verdadeiramente temer a Deus. Por causa de sua natureza maligna, ele não sabe o que é a santidade, e menos ainda o que é uma reverência temerosa. Ele não sabe o que é obedecer a Deus, nem o que é temer a Deus. Por não conhecer essas coisas, ele pensa que o homem tampouco pode temer a Deus. Digam-Me, Satanás não é maligno? Excetuando nossa igreja, nenhuma das várias religiões e denominações ou grupos religiosos e sociais, acredita na existência de Deus, muito menos acredita que Deus Se tornou carne e está realizando a obra de julgamento, então pensam que aquilo em que você acredita não é Deus. Um homem promíscuo olha em volta e vê todas as outras pessoas como promíscuas, assim como ele mesmo é. Um homem mentiroso olha em volta e vê apenas desonestidade e mentiras. Um homem mau vê todos os outros como maus e quer lutar contra todos que vê. Aqueles que possuem uma medida de honestidade veem todos os outros como honestos, portanto, são sempre ludibriados, sempre enganados, e não há nada que possam fazer a respeito. Eu dou esses poucos exemplos para fortalecê-los em sua convicção: a natureza maligna de Satanás não é uma compulsão passageira ou determinada pelas circunstâncias, nem é uma manifestação temporária resultante de alguma razão ou fatores contextuais. Absolutamente não! Satanás simplesmente não pode evitar ser desse modo! Ele não pode fazer nada de bom. Mesmo quando diz algo que seja agradável de ouvir, isso só serve para seduzir você. Quanto mais agradáveis, mais diplomáticas e mais gentis forem as palavras de Satanás, mais maliciosas e sinistras são as intenções por trás dessas palavras. Que espécie de face, que espécie de natureza Satanás mostra nessas duas passagens? (Insidiosa, maliciosa e maligna.) A característica fundamental de Satanás é má, acima de tudo, Satanás é mau e malicioso.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único IV’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 141

Deus criou o homem e, desde então, sempre tem guiado a vida da humanidade. Quer ao conceder bênçãos à humanidade, ao criar leis e mandamentos para os homens, ou ao estipular as várias regras para a vida, vocês sabem quais são os objetivos pretendidos por Deus ao fazer essas coisas? Em primeiro lugar, vocês podem dizer com certeza que tudo que Deus faz é para o bem da humanidade? Essas podem lhes parecer palavras grandes e vazias, mas ao examinar os detalhes nelas, tudo que Deus faz não é feito com a intenção de conduzir e guiar o homem na direção de uma vida normal? Quer seja para fazer com que o homem siga Suas regras ou guarde Suas leis, o objetivo de Deus para o homem é que ele não caia na adoração de Satanás e não seja prejudicado por Satanás; isso é mais fundamental e foi isso que aconteceu no princípio. No começo de tudo, quando o homem não entendia a vontade de Deus, Deus criou algumas leis e regras simples e fez regulamentações que cobriam todos os assuntos concebíveis. Essas regulamentações são simples e, não obstante, contêm a vontade de Deus. Deus preza, valoriza e ama profundamente a humanidade. Não é esse o caso? (Sim.) Podemos então dizer que Seu coração é santo? Podemos dizer que Seu coração é puro? (Sim.) Deus tem alguma motivação adicional? (Não.) Então, esse Seu objetivo é correto e positivo? (Sim.) No curso da obra de Deus, todas as regulamentações que Ele fez têm um efeito positivo sobre o homem, mostrando o caminho para o homem. Existe então algum pensamento interesseiro na mente de Deus? Deus tem quaisquer objetivos adicionais no que diz respeito ao homem? Deus quer se aproveitar do homem de alguma maneira? (Não.) Nem de longe. Deus faz o que diz, e Suas palavras e ações condizem com Seus pensamentos em Seu coração. Não existem propósitos manchados, nem pensamentos interesseiros. Nada daquilo que faz é para Si Mesmo, Ele faz tudo para homem, sem nenhum objetivo particular. Embora Ele tenha planos e intenções que Ele coloca sobre o homem, nada disso é para Si Mesmo. Tudo que Ele faz é feito puramente para humanidade, para protegê-la e impedi-la de ser desviada. Esse Seu coração, portanto, não é precioso? Você consegue ver em Satanás o menor sinal de tal coração precioso? Você não consegue ver o menor indício disso em Satanás. Tudo que Deus faz é revelado naturalmente. Agora vejamos como Deus opera; como é que Ele faz a Sua obra? Deus pega essas leis e Suas palavras e as amarra bem apertado em volta da cabeça de cada pessoa como o feitiço de apertar o aro,[a] impondo-as a cada ser humano? Ele opera desse modo? (Não.) Então, de que maneira Deus faz Sua obra? (Ele nos guia. Ele nos aconselha e encoraja.) Ele ameaça? Usa rodeios quando fala com vocês? (Não.) Quando você não compreende a verdade, como Deus guia você? (Ele acende uma luz.) Ele acende uma luz em você, dizendo-lhe claramente que isso não está de acordo com a verdade, e então Ele lhe diz o que você deve fazer. Com base nessas maneiras como Deus opera, que espécie de relacionamento você sente que tem com Deus? Você sente que Deus está fora do alcance de seu entendimento? (Não.) Como, então, você se sente quando você vê essas maneiras em que Deus opera? Deus está excepcionalmente próximo de você, não existe distância entre você e Deus. Quando Deus guia você, quando Ele provê para você, ajuda e apoia você, você sente como Deus é amável, a reverência que Ele inspira; você sente como Ele é adorável; você sente Seu calor. Mas quando Deus reprova você por corrupção, ou quando Ele julga e disciplina você por se rebelar contra Ele, que método Ele usa? Ele o repreende com palavras? Ele o disciplina por meio do seu ambiente e das pessoas, das situações e das coisas? (Sim.) Em que extensão Deus disciplina você? Deus disciplina o homem na mesma medida em que Satanás prejudica o homem? (Não, Deus disciplina o homem apenas na medida que o homem pode suportar.) Deus opera de maneira sutil, delicada, amorosa e atenciosa, de maneira extraordinariamente dosada e apropriada. Sua maneira não provoca em você reações emocionais intensas como: “Deus deve me deixar fazer isto” ou: “Deus deve me deixar fazer aquilo”. Deus nunca lhe proporciona esse tipo de intensidade mental ou emocional que torna as coisas insuportáveis. Isso não é assim? Mesmo quando você aceita as palavras de Deus de julgamento e castigo, como é que você se sente então? Quando sente a autoridade e o poder de Deus, como você se sente então? Você sente que Deus é divino e inviolável? (Sim.) Você sente uma distância entre você e Deus nesses momentos? Sente o temor de Deus? Não, em vez disso, você sente uma temerosa reverência em relação a Deus. Não é por causa da obra de Deus que as pessoas sentem todas essas coisas? Elas teriam esses sentimentos se fosse Satanás que estivesse operando? (Não.) Deus usa Suas palavras, Sua verdade e Sua vida para prover continuamente ao homem, para apoiá-lo. Quando o homem é fraco, quando o homem está se sentindo desanimado, Deus certamente não fala asperamente, dizendo: “Não fique desanimado. Que motivo há para se sentir desanimado? Por que você está fraco? Que razão existe para estar fraco? Você é sempre tão fraco e sempre é tão negativo! De que adianta viver? Morra de uma vez e acabe logo com isso!” Deus opera desse modo? (Não.) Deus tem autoridade para agir desse modo? (Sim.) No entanto, Deus não age desse modo. A razão pela qual Deus não age desse modo é Sua essência, a essência da santidade de Deus. Seu amor pelo homem, Seu valorizar e estimar o homem não podem ser claramente expressos em apenas uma ou duas sentenças. Não é algo que é ocasionado pelo vangloriar do homem, mas é algo que Deus cria na prática real; é a revelação de Sua essência. Podem todas essas maneiras pelas quais Deus opera fazer com que o homem veja a santidade de Deus? Em todas essas maneiras pelas quais Deus opera, incluindo Suas boas intenções, incluindo os efeitos que Deus deseja operar no homem, incluindo os diferentes meios que Ele adota para operar no homem, o tipo de obra que realiza, o que Ele quer que o homem compreenda, você enxergou alguma maldade ou enganação nas boas intenções de Deus? (Não.) Então, em tudo que Deus faz, em tudo que Deus diz, em tudo que Ele tem em Seu coração, assim como toda a essência que Ele revela, podemos chamar Deus de santo? (Sim.) Algum homem já viu alguma vez essa santidade no mundo ou dentro de si mesmo? Além de Deus, você a viu em qualquer ser humano ou em Satanás? (Não.) Com base na nossa discussão até agora, podemos chamar Deus de o Próprio Deus único e santo? (Sim.) Tudo que Deus dá ao homem, incluindo Suas palavras, as diferentes maneiras pelas quais Deus opera no homem, o que Ele diz ao homem, o que Deus faz o homem recordar, o que Ele aconselha e encoraja — tudo isso se origina da mesma essência: da santidade de Deus. Se não houvesse um Deus santo assim, homem algum poderia ocupar Seu lugar para realizar a obra que Ele faz. Se Deus entregasse esses homens inteiramente a Satanás, vocês já pensaram em que tipo de condição todos vocês estariam hoje? Vocês estariam todos sentados aqui, íntegros e inviolados? Vocês também diriam: “De rodear a terra, e de passear por ela”? Vocês seriam tão descarados, tão convencidos e tão cheios de ginga a ponto de falar tais palavras e se vangloriar sem vergonha diante de Deus? (Sim.) Absolutamente, sim, sem sombra de dúvida! A atitude de Satanás quanto ao homem permite ao homem enxergar que a natureza-essência de Satanás é radicalmente diferente da de Deus. O que há na essência de Satanás que é o oposto da santidade de Deus? (A maldade de Satanás.) A natureza maligna de Satanás é o oposto da santidade de Deus. A razão pela qual a maioria das pessoas não reconhece essa revelação de Deus e essa essência da santidade de Deus é porque elas vivem sob o império de Satanás, dentro da corrupção de Satanás, no recinto onde Satanás vive. Elas não sabem o que a santidade é nem como definir santidade. Mesmo quando você percebe a santidade de Deus, você ainda não consegue defini-la como a santidade de Deus com qualquer certeza. Isso é uma disparidade dentro do conhecimento da santidade de Deus pelo homem.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único IV’ em “A Palavra manifesta em carne”

Nota de rodapé:

a. “O feitiço de apertar o aro” é um feitiço usado pelo monge Tang Sanzang no romance chinês “Jornada ao Oeste”. Ele usa esse feitiço para controlar Sun Wukong ao apertar um aro de metal ao redor da cabeça deste, causando-lhe profundas dores de cabeça e, assim, submetendo-o a seu controle. Tornou-se uma metáfora para descrever algo que amarra uma pessoa.

Palavras diárias de Deus Trecho 142

Que tipo de aspecto representativo caracteriza a obra de Satanás no homem? Vocês deveriam ser capazes de aprender isso por meio de suas próprias experiências — é o aspecto mais representativo de Satanás, o que ele faz repetidamente, aquilo que ele tenta fazer com cada pessoa. Talvez vocês não consigam ver essa característica, de modo que não acham que Satanás seja tão temível e odioso. Alguém sabe qual é essa característica? (Tudo que ele faz é feito para prejudicar o homem.) Como ele prejudica o homem? Vocês podem Me dizer mais especificamente, em mais detalhes? (Ele seduz, provoca e tenta o homem.) Isso é correto; essas são várias maneiras como essa característica se manifesta. Satanás também ilude, ataca e acusa o homem — tudo isso são manifestações. Há mais alguma? (Ele mente.) Trapacear e mentir é muito natural para Satanás. Ele faz essas coisas com tanta frequência que as mentiras saem de sua boca sem que ele nem precise pensar. Há ainda outras? (Ele semeia a discórdia.) Essa não é tão importante. Agora vou descrever para vocês algo fará com que seus cabelos fiquem de pé, mas não faço isso para amedrontar vocês. Deus opera no homem e estima o homem tanto em Suas atitudes como em Seu coração. Satanás, por sua vez, estima o homem? Não, ele não estima o homem. Ao contrário, ele gasta muito tempo pensando em prejudicar o homem. Não é assim? Quando pensa em prejudicar o homem, seu estado de espírito é de urgência? (Sim.) Portanto, no que diz respeito à obra de Satanás no homem, tenho duas frases que podem descrever amplamente a natureza maliciosa e maligna de Satanás, que realmente podem permitir a vocês conhecer a odiosidade de Satanás: na maneira como ele aborda o homem, Satanás sempre quer ocupar e possuir à força o homem, cada um deles, a ponto de poder ganhar controle completo sobre o homem e prejudicá-lo gravemente, a fim de atingir seu objetivo e cumprir sua louca ambição. O que significa “ocupar à força”? É algo que acontece com o seu consentimento ou sem? Acontece com o seu conhecimento ou sem? A resposta é que acontece completamente sem o seu conhecimento! Acontece em situações nas quais você não está ciente, talvez sem que ele diga ou faça nada a você, sem premissa, sem contexto — ali está Satanás, rodeando você, cercando você. Ele busca uma oportunidade para explorar e então ocupa você à força, possui você, atingindo seu objetivo de ganhar controle completo sobre você e de prejudicar você. Essa é uma intenção e conduta muito típica de Satanás ao lutar para afastar a humanidade de Deus. Como vocês se sentem quando ouvem isso? (Aterrorizados e temerosos em nosso coração.) Vocês se sentem enojados? (Sim.) Quando sentem esse nojo, vocês acham que Satanás não tem vergonha? Quando pensam que Satanás não tem vergonha, vocês então se sentem enojados com essas pessoas à sua volta que sempre querem controlá-los, que têm uma descontrolada ambição por status e interesses? (Sim.) E quais métodos Satanás usa para possuir à força o homem e ocupá-lo? Vocês têm clareza a esse respeito? Quando ouvem esses dois termos — “ocupação à força” e “possessão” — vocês sentem nojo e podem sentir a maldade nessas palavras. Sem seu conhecimento ou consentimento, Satanás possui você, ocupa você à força e o corrompe. Que gosto você consegue sentir em seu coração? Você sente abominação e nojo? (Sim.) Quando você sente essa abominação e esse enojo por esses métodos de Satanás, que tipo de sentimento você tem por Deus? (Gratidão.) Gratidão a Deus por salvá-lo. Assim, neste momento, você tem o desejo ou a vontade de deixar que Deus assuma e controle tudo que você tem e é? (Sim.) Em que contexto você responde assim? Você diz “sim” porque teme ser ocupado e possuído à força por Satanás? (Sim.) Você não deve ter esse tipo de mentalidade; não é correto. Não tenha medo, pois Deus está aqui. Não há nada a temer. Quando você tiver entendido a essência maligna de Satanás, você deverá ter um entendimento mais preciso ou uma apreciação mais profunda do amor de Deus, de Suas boas intenções, da compaixão e da tolerância de Deus em relação ao homem, e de Seu caráter justo. Satanás é tão odioso e, no entanto, se isso ainda não inspira seu amor por Deus, sua dependência de Deus e sua confiança Nele, então que espécie de pessoa você é? Você está disposto a deixar que Satanás o prejudique tanto assim? Depois de enxergar o mal e a hediondez de Satanás, nós nos viramos e então olhamos para Deus. Seu conhecimento de Deus agora passou por alguma mudança? Podemos dizer que Deus é santo? Podemos dizer que Deus é sem mácula? “Deus é santidade única” — Deus pode fazer jus a essa designação? (Sim.) Portanto, no mundo e entre todas as coisas, não é somente o Próprio Deus que pode fazer jus a esse entendimento que o homem tem de Deus? Existe mais alguém? (Não.) Então, o que exatamente Deus dá ao homem? Ele lhe dispensa somente poucos cuidados, interesse e consideração sem você estar ciente disso? O que Deus deu ao homem? Deus deu vida ao homem, deu-lhe tudo, e lhe outorga tudo isso incondicionalmente sem exigir nada, sem nenhuma motivação ulterior. Ele usa a verdade, Suas palavras e Sua vida para conduzir e guiar o homem, afastando-o dos danos de Satanás, de suas tentações e estímulos, permitindo que o homem enxergue claramente através da natureza maligna da face hedionda de Satanás. O amor e o interesse de Deus pela humanidade são verdadeiros? São algo que cada um de vocês pode experimentar? (Sim.)

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único IV’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 143

Revejam sua vida até agora, todas as coisas que Deus operou em você em todos os anos de sua fé. Quer sejam profundos ou rasos os sentimentos que isso evoca em você, não é essa a coisa mais necessária de todas para você? Não foi o que você mais necessitava obter? (Sim.) Isso não é verdade? Isso não é a vida? (Sim.) Alguma vez Deus lhe concedeu iluminação e então pediu que você Lhe desse qualquer coisa em troca por tudo aquilo que Ele lhe deu? (Não.) Então, qual é o propósito de Deus? Por que Deus faz isso? Deus tem o objetivo de ocupar você? (Não.) Deus quer elevar Seu trono no coração do homem? (Sim.) Então, qual é a diferença entre Deus elevar Seu trono e a ocupação à força de Satanás? Deus quer ganhar o coração do homem, Ele quer ocupar o coração do homem. O que isso quer dizer? Quer dizer que Deus quer que o homem se torne Sua marionete, Sua máquina? (Não.) Então, qual é o propósito de Deus? Existe diferença entre Deus querer ocupar o coração dos homens e a ocupação à força de Satanás e sua posse do homem? (Sim.) Qual é a diferença? Você pode me dizer com clareza? (Satanás faz isso por meio da força, enquanto Deus permite que o homem se voluntarie.) É essa a diferença? Que utilidade seu coração tem para Deus? E que utilidade ocupar você tem para Deus? Como é que, no seu coração, vocês entendem “Deus ocupa o coração dos homens”? Devemos ser justos na maneira como falamos sobre Deus aqui, caso contrário as pessoas sempre entenderão errado e pensarão: “Deus sempre quer me ocupar. Para que Ele quer me ocupar? Não quero ser ocupado, só quero ser senhor de mim mesmo. Você diz que Satanás ocupa as pessoas, mas Deus também ocupa as pessoas. Não é a mesma coisa? Não quero deixar ninguém me ocupar. Eu sou eu mesmo!”. Qual a diferença aqui? Pense um pouco. Pergunto a vocês: a frase “Deus ocupa o homem” é vazia? A ocupação do homem por Deus significa que Ele vive no seu coração e controla cada palavra e cada movimento seu? Se Ele lhe diz para sentar, você não ousa ficar em pé? Se Ele lhe diz para ir para o leste, você não ousa ir para o oeste? Essa “ocupação” se refere a algo ao longo dessas linhas? (Não. Deus quer que o homem viva o que Deus tem e é.) Através desses anos em que Deus gerenciou o homem, em Sua obra no homem até agora, neste último estágio, qual tem sido o efeito pretendido no homem de todas as palavras que Ele pronunciou? É que o homem viva o que Deus tem e é? Considerando o sentido literal de “Deus ocupa o coração do homem”, parece que Deus pega o coração do homem e o ocupa, vive nele e não sai mais dali; Ele Se torna o senhor do coração do homem e é capaz de dominar e manipular o coração do homem à vontade, de modo que o homem deve fazer o que quer que Deus lhe disser que faça. Nesse sentido, pareceria que todas as pessoas podem se tornar Deus e possuir a Sua essência e o Seu caráter. Nesse caso, portanto, poderia o homem também realizar os feitos de Deus? Pode-se explicar a “ocupação” desse modo? (Não.) Então o que é? Eu lhes pergunto isto: todas as palavras e a verdade que Deus fornece ao homem são uma revelação da essência de Deus e do que Ele tem e é? (Sim.) Isso é certamente verdade. Mas é essencial que o Próprio Deus pratique e possua todas as palavras que Ele fornece ao homem? Reflita sobre isso. Quando Deus julga o homem, por que Ele julga? Como essas palavras vieram a ser? Qual é o conteúdo dessas palavras que Deus fala quando Ele julga o homem? Em que elas se baseiam? É o caráter corrupto do homem no qual elas se baseiam? (Sim.) Então, o efeito alcançado pelo julgamento do homem por Deus está baseado na essência de Deus? (Sim.) Assim, é a “ocupação do homem” por Deus uma frase vazia? Certamente não. Então, por que Deus diz essas palavras para o homem? Qual é Seu propósito ao dizer tais palavras? Ele quer usar essas palavras para que sirvam como a vida do homem? (Sim.) Deus quer usar toda essa verdade que Ele falou naquelas palavras para que ajam como a vida do homem. Quando o homem toma toda essa verdade e a palavra de Deus e as transforma em sua própria vida, o homem pode então obedecer a Deus? O homem pode então temer a Deus? O homem pode evitar o mal? Quando o homem tiver alcançado esse ponto, ele poderá então obedecer à soberania e aos arranjos de Deus? O homem está então em posição de se submeter à autoridade de Deus? Quando pessoas como Jó ou Pedro chegam ao fim de seu caminho, quando se pode considerar que sua vida tenha alcançado a maturidade, quando possuem um real entendimento de Deus, Satanás então ainda consegue levá-las para longe? Satanás então ainda consegue ocupá-las? Satanás ainda consegue possuí-las à força? (Não.) Então, que espécie de pessoa é essa? É alguém que foi completamente ganho por Deus? (Sim.) Nesse nível de significado, como vocês veem essa espécie de pessoa que foi completamente ganha por Deus? Sob a perspectiva de Deus, nessas circunstâncias, Ele já ocupou o coração dessa pessoa. Mas o que ela sente? É o caso de a palavra de Deus, Sua autoridade e o caminho de Deus tornarem-se vida no interior do homem que essa vida ocupa o ser inteiro do homem, tornando as coisas que ele vive, assim como sua essência, adequadas para satisfazer a Deus? Sob a perspectiva de Deus, o coração da humanidade neste exato momento está ocupado por Ele? (Sim.) Como vocês entendem este nível de significado agora? É o Espírito de Deus que ocupa você? (Não, é a palavra de Deus que nos ocupa.) É o caminho de Deus e Sua palavra que se tornaram sua vida, e é a verdade que se tornou sua vida. Neste momento, o homem possui então a vida que vem de Deus, mas não podemos dizer que esta vida é a vida de Deus. Em outras palavras, não podemos dizer que a vida que o homem deve derivar da palavra de Deus é a vida de Deus. Assim, não importa por quanto tempo o homem siga a Deus, não importa quantas palavras o homem obtenha de Deus, o homem nunca pode se tornar Deus. Mesmo se um dia Deus disser: “Ocupei o seu coração; agora você possui a Minha vida”, você então sentiria que você é Deus? (Não.) O que você se tornaria então? Você não teria uma obediência absoluta a Deus? Seu coração não estaria repleto da vida que Deus lhe concedeu? Isso seria uma manifestação muito normal daquilo que acontece quando Deus ocupa o coração dos homens. Isso é fato. Assim, vendo por esse aspecto, o homem pode se tornar Deus? Quando o homem tiver obtido todas as palavras de Deus, quando o homem puder temer a Deus e evitar o mal, o homem poderá então possuir a identidade e a essência de Deus? (Não.) Não importa o que aconteça, o homem ainda é homem depois que tudo tiver sido dito e feito. Você é um ser da criação; quando tiver recebido de Deus a palavra de Deus e tiver recebido o Seu caminho, você só possui a vida que vem da palavra de Deus e nunca pode se tornar Deus.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único IV’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 144

A tentação de Satanás

Mateus 4:1-4 Então foi conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo Diabo. E, tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites, depois teve fome. Chegando, então, o tentador, disse-Lhe: Se Tu és Filho de Deus manda que estas pedras se tornem em pães. Mas Jesus lhe respondeu: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus.

Essas são as palavras com as quais o diabo começou a tentar o Senhor Jesus. Qual é o conteúdo do que o diabo disse? (“Se Tu és Filho de Deus manda que estas pedras se tornem em pães.”) Essas palavras ditas pelo diabo eram bem simples, mas há algum problema com sua essência? O diabo disse: “Se Tu és Filho de Deus”, mas em seu coração ele sabia ou não sabia que Jesus era o Filho de Deus? Ele sabia ou não sabia que Ele era Cristo? (Sabia.) Então por que ele disse: “Se Tu és”? (Ele estava procurando tentar Deus.) Mas qual foi seu propósito ao fazer isso? Ele disse: “Se Tu és Filho de Deus”. Em seu coração, ele sabia que Jesus Cristo era o Filho de Deus, ele não tinha nenhuma dúvida em relação a isso em seu coração, mas, a despeito de saber disso, ele se submeteu a Ele ou O adorou? (Não.) O que ele quis fazer? Ele quis usar esse método e essas palavras para irritar o Senhor Jesus e então ludibria-Lo a agir de modo que estivesse alinhado com suas intenções. Não era esse o significado por trás das palavras do diabo? No seu coração, ele sabia claramente que Aquele era o Senhor Jesus Cristo, mas, ainda assim, ele disse essas palavras. Essa não é a natureza de Satanás? Qual é a natureza de Satanás? (Ser astuto, maligno e não ter reverência por Deus.) Quais consequências resultariam de não ter reverência por Deus? Não era que ele queria atacar Deus? Ele queria usar esse método para atacar Deus e por isso disse: “Se Tu és Filho de Deus manda que estas pedras se tornem em pães”; essa não é a intenção maligna de Satanás? O que ele realmente estava tentando fazer? Seu propósito é muito óbvio: ele estava tentando usar esse método para negar a posição e a identidade do Senhor Jesus Cristo. O que Satanás quis dizer com estas palavras é: “Se Tu és Filho de Deus manda que estas pedras se tornem em pães. Se puderes fazer isso, então não és o Filho de Deus, portanto não deverias mais realizar a Tua obra”. Não é assim? Ele quis usar esse método para atacar Deus, ele quis desmantelar e destruir a obra de Deus; essa é a malevolência de Satanás. Sua malevolência é uma expressão natural de sua natureza. Embora ele soubesse que Senhor Jesus Cristo era o Filho de Deus, a encarnação do Próprio Deus, ele não pôde deixar de fazer esse tipo de coisa, seguindo Deus de perto pelas costas, atacando-O persistentemente e fazendo grandes esforços para interromper e sabotar a obra de Deus.

Analisemos agora esta frase dita por Satanás: “manda que estas pedras se tornem em pães”. Transformar pedras em pães — isso significa algo? Se há comida, por que não comê-la? Por que é necessário transformar pedras em comida? Pode-se dizer que não há sentido aqui? Embora estivesse jejuando naquele tempo, o Senhor Jesus certamente tinha comida para comer? (Ele tinha.) Assim, podemos ver aqui o despropósito das palavras de Satanás. Apesar de toda sua perfídia e malícia, ainda conseguimos ver seu despropósito e absurdidade. Satanás faz várias coisas que lhe permitem ver sua natureza maliciosa; você pode vê-lo fazendo coisas que sabotam a obra de Deus, e, ao ver isso, você sente que ele é odioso e enfurecedor. Em contrapartida, porém, você não consegue enxergar uma natureza infantil e absurda por trás de suas palavras e ações? Essa é uma revelação sobre a natureza de Satanás; já que ele tem esse tipo de natureza, ele fará esse tipo de coisa. Para as pessoas de hoje, essas palavras de Satanás são absurdas e risíveis. Mas Satanás realmente é capaz de proferir tais palavras. Podemos dizer que ele é ignorante e absurdo? A maldade de Satanás está em toda parte, e ele está constantemente sendo revelado. E como respondeu o Senhor Jesus? (“Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus”.) Essas palavras têm algum poder? (Elas têm.) Por que dizemos que elas têm poder? Porque essas palavras são a verdade. Ora, o homem vive só de pão? O Senhor Jesus jejuou por quarenta dias e noites. Ele morreu de fome? (Não.) Ele não morreu de fome, de modo que Satanás se aproximou Dele, instando-O a transformar as pedras em comida ao dizer coisas como: “Se transformares as pedras em comida, não terás coisas para comer? Nesse caso, não precisarias jejuar, não precisarias ficar faminto?” Porém, o Senhor Jesus disse: “Nem só de pão viverá o homem”, o que significa que, embora o homem viva em um corpo físico, não é a comida que permite a seu corpo físico viver e respirar, mas cada uma das palavras professadas pela boca de Deus. De um lado, essas palavras são verdade; elas dão fé às pessoas, fazem-nas sentir que podem confiar em Deus e que Ele é a verdade. De outro lado, há um aspecto prático nessas palavras? O Senhor Jesus não continuava de pé, ali, não continuava vivo depois de jejuar por quarenta dias e noites? Isso não é um exemplo real? Ele não tinha ingerido nenhuma comida por quarenta dias e noites, mesmo assim ainda estava vivo. Essa é uma poderosa evidência que confirma a verdade de Suas palavras. Essas palavras são simples, mas, quanto ao Senhor Jesus, Ele as falou somente quando Satanás o tentou, ou elas já eram parte natural Dele? Posto de outra maneira, Deus é verdade e Deus é vida, mas a verdade e a vida de Deus foram um acréscimo subsequente? Elas nasceram de uma experiência posterior? Não, são inatas a Deus. Isso significa, verdade e vida são a substância de Deus. O que quer que aconteça com ele, tudo que Ele revela é verdade. Essa verdade, essas palavras — quer o conteúdo de Sua fala seja longo ou breve — podem capacitar o homem viver, pode dar-lhe vida; ela pode capacitar o homem a viver e dar vida ao homem; podem capacitar as pessoas a ganhar verdade e clareza sobre a senda da vida humana e capacitá-las a ter fé em Deus. Em outras palavras, a fonte do uso que Deus faz dessas palavras é positiva. Então, podemos dizer que essa coisa positiva é santa? (Sim.) Aquelas palavras de Satanás provém da natureza de Satanás. Satanás revela sua natureza má e maliciosa constantemente em todo lugar. Ora, Satanás faz essas revelações de modo natural? Alguém o orienta para fazer isso? Alguém o ajuda? Alguém o coage? (Não.) Ele faz todas essas revelações por conta própria. Essa é a natureza maligna de Satanás. O que quer que Deus faça e como quer que Ele o faça, Satanás O segue no encalço. A substância e a verdadeira natureza dessas coisas que Satanás diz e faz são a substância de Satanás — uma substância que é má e maliciosa.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único V’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 145

Mateus 4:5-7 Então o Diabo O levou à cidade santa, colocou-O sobre o pináculo do templo, e disse-Lhe: Se Tu és Filho de Deus, lança-Te daqui abaixo; porque está escrito: Aos Seus anjos dará ordens a Teu respeito; e: eles Te susterão nas mãos, para que nunca tropeces em alguma pedra. Respondeu-lhe Jesus: Também está escrito: Não tentarás o Senhor teu Deus.

Analisemos primeiro as palavras que Satanás falou aqui. Satanás disse: “Se Tu és Filho de Deus, lança-Te daqui abaixo” e, então, ele citou as Escrituras: “Aos Seus anjos dará ordens a Teu respeito; e: eles Te susterão nas mãos, para que nunca tropeces em alguma pedra”. Como você se sente ao ouvir as palavras de Satanás? Elas não são muito infantis? Elas são infantis, absurdas e repugnantes. Por que Eu digo isso? Satanás faz coisas tolas com frequência, e ele acredita ser muito esperto. Com frequência ele cita as Escrituras — até as próprias palavras ditas por Deus —, tentando usar essas palavras contra Deus para atacá-Lo e tentá-Lo numa tentativa de alcançar seu objetivo de sabotar o plano da obra de Deus. Você consegue enxergar qualquer coisa nessas palavras ditas por Satanás? (Satanás abriga intenções malignas.) Em tudo que Satanás faz, ele sempre tem buscados tentar a humanidade. Satanás não fala francamente, mas de modo enviesado, usando tentação, encanto e sedução. Satanás aborda sua tentação de Deus como se Ele fosse um ser humano comum, acreditando que Deus também é ignorante, tolo e incapaz de distinguir claramente a forma verdadeira das coisas, exatamente como o homem é incapaz de fazê-lo. Satanás pensa que Deus e o homem são igualmente incapazes de enxergar sua substância, sua enganação e sua intenção sinistra. Não é isso que é a tolice de Satanás? Ademais, Satanás abertamente cita as Escrituras, acreditando que isso lhe dá credibilidade e que você será incapaz de identificar qualquer falha em suas palavras ou de evitar ser iludido. Isso não é a absurdez e infantilidade de Satanás? Isso é exatamente como quando as pessoas disseminam o evangelho e dão testemunho de Deus: os incrédulos não dirão às vezes algo semelhante ao que Satanás disse? Vocês ouviram pessoas dizer algo similar? Como você se sente quando ouve tais coisas? Você se sente enojado? (Sim.) Quando você se sente enojado, você também sente aversão e ódio? Quando você tem esses sentimentos, você é capaz de reconhecer que Satanás e o caráter corrupto que Satanás incute no homem são perversos? Alguma vez você teve em seu coração esta percepção: “Quando Satanás fala, ele o faz como ataque e tentação; as palavras de Satanás são absurdas, risíveis, infantis e repugnantes; no entanto, Deus jamais falaria ou operaria desse modo e de fato nunca fez isso”? É claro que, nessa situação, as pessoas só são capazes de sentir isso fracamente e permanecem incapazes de entender a santidade de Deus. Não é assim? Com sua estatura atual, vocês sentem meramente que: “Tudo que Deus diz é verdade, é benéfico para nós, e nós devemos aceitá-lo”. Independentemente de vocês serem ou não capazes de aceitar isso, vocês dizem, sem exceção, que a palavra de Deus é verdade e que Deus é verdade, mas vocês não sabem que a verdade em si é a santa e que Deus é santo.

Então, qual foi a resposta de Jesus a essas palavras? “Respondeu-lhe Jesus: Também está escrito: Não tentarás o Senhor teu Deus.” Há verdade nessas palavras ditas por Jesus? (Sim.) Há verdade nelas. Na superfície, essas palavras são um mandamento para as pessoas seguirem, uma frase simples, mesmo assim, tanto o homem quanto Satanás ofenderam com frequência essas palavras. Assim, o Senhor Jesus disse para Satanás: “Não tentarás o Senhor teu Deus”, porque isso é o que Satanás fez com frequência e, fazendo todo o esforço ao agir assim. Pode-se dizer que Satanás fez isso descaradamente e sem vergonha. É da natureza-essência de Satanás não temer a Deus e não ter reverência por Deus em seu coração. Mesmo quando Satanás estava ao lado de Deus e podia vê-Lo, ele não conseguia deixar de tentar Deus. Por essa razão, o Senhor Jesus disse a Satanás: “Não tentarás o Senhor teu Deus”. Essas são palavras que Deus disse para Satanás com frequência. Então, é apropriado aplicar essa frase aos dias de hoje? (Sim, porque nós também tentamos a Deus com frequência.) Por que as pessoas tentam a Deus com frequência? É porque as pessoas estão cheias de um caráter satânico corrupto? (Sim.) Assim, as palavras de Satanás estão acima de algo que as pessoas dizem com frequência? E em que situações as pessoas dizem essas palavras? Pode-se dizer que as pessoas têm dito coisas como essa independentemente de tempo e lugar. Isso prova que o caráter das pessoas não é diferente do caráter corrupto de Satanás. O Senhor Jesus disse algumas palavras simples, palavras que representam a verdade, palavras que as pessoas precisam. No entanto, nessa situação, o Senhor Jesus estava falando de modo a discutir com Satanás? Havia alguma coisa confrontativa no que Ele disse a Satanás? (Não.) Como o Senhor Jesus se sentiu em relação à tentação de Satanás em Seu coração? Ele sentiu repugnância e repulsa? (Sim.) O Senhor Jesus sentiu repulsa e repugnância, mesmo assim Ele não discutiu com Satanás e muito menos falou sobre quaisquer grandes princípios. Por quê? (Porque Satanás é sempre assim: ele jamais pode mudar.) Pode-se dizer que Satanás é impermeável à razão? (Sim.) Satanás pode reconhecer que Deus é a verdade? Satanás jamais reconhecerá que Deus é a verdade e jamais admitirá que Deus é a verdade; essa é sua natureza. Existe ainda outro aspecto da natureza de Satanás que é repulsiva. O que é? Em seus esforços para tentar o Senhor Jesus, Satanás pensava que, mesmo que não fosse bem-sucedido, ele mesmo assim tentaria fazê-lo. Mesmo que fosse punido, ele decidiu fazer de qualquer modo. Embora ele não ganhasse nenhuma vantagem bom fazendo isso, ele o tentaria mesmo assim, persistindo em seus esforços e se opondo a Deus até o fim. Que tipo de natureza é essa? Isso não é maligno? Se um homem se enfurece e explode de raiva quando Deus é mencionado, ele viu a Deus? Ele sabe quem Deus é? Ele não sabe quem Deus é, não crê Nele, e Deus não falou com ele. Deus nunca o perturbou, então por que ele estaria zangado? Poderíamos dizer que essa pessoa é maligna? Tendências mundanas, comer, beber, buscar diversão e perseguir celebridades — nenhuma dessas coisas incomodaria tal homem. No entanto, à mera menção da palavra “Deus” ou da palavra a verdade de Deus, ele explode em fúria. Isso não constitui ter uma natureza maligna? Isso basta para provar que isso é a natureza maligna do homem. Agora, falando por vocês mesmos, há momentos em que a verdade é mencionada ou quando são mencionadas as provações da humanidade ou as palavras de julgamento de Deus e vocês sentem uma aversão; vocês se sentem repugnados e não querem ouvir tais coisas? O coração de vocês talvez pense: “As pessoas todas não disseram que Deus é a verdade? Algumas dessas palavras não são a verdade! São claramente apenas palavras de admoestação de Deus dirigidas ao homem!” Algumas pessoas podem até sentir uma forte aversão em seu coração e pensar: “Falam disso todo dia — Suas provações, Seu julgamento, quando tudo isso acabará? Quando receberemos a boa destinação?” Não se sabe de onde vem essa raiva irracional. Que tipo de natureza é essa? (Natureza maligna.) Ela é orientada e guiada pela natureza maligna de Satanás. A partir da perspectiva de Deus, no que diz respeito à natureza maligna de Satanás e ao caráter corrupto do homem, Ele jamais discute ou guarda mágoas contra as pessoas e Ele jamais faz um escarcéu quando as pessoas agem tolamente. Você jamais verá Deus sustentar opiniões similares sobre coisas aos seres humanos e, ademais, você não O verá usar os pontos de vista, o conhecimento, a ciência, a filosofia nem a imaginação da humanidade para tratar dos assuntos. Ao contrário, tudo que Deus faz e tudo que Ele revela está conectado com a verdade. Isto é, toda palavra que Ele disse e toda ação que Ele fez estão presas à verdade. Essa verdade não o produto de alguma fantasia sem fundamento; essa verdade e essas palavras são expressas por Deus em virtude de Sua substância e vida. Visto que essas palavras e a substância de tudo que Deus tem feito são a verdade, podemos dizer que a substância de Deus é santa. Em outras palavras, tudo que Deus diz e faz traz vitalidade e luz às pessoas, capacita as pessoas a verem coisas positivas e a realidade dessas coisas positivas e aponta o caminho para a humanidade de modo que ela possa trilhar a senda correta. Todas essas coisas são determinadas pela substância de Deus e pela substância de Sua santidade.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único V’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 146

Mateus 4:8-11 Novamente o Diabo O levou a um monte muito alto; e mostrou-Lhe todos os reinos do mundo, e a glória deles; e disse-Lhe: Tudo isto Te darei, se, prostrado, me adorares. Então disse-lhe Jesus: Vai-te, Satanás; porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a Ele servirás. Então o Diabo O deixou; e eis que vieram os anjos e O serviram.

O diabo Satanás, tendo falhado nas duas manobras anteriores, tentou mais outra: ele mostrou todos os reinos do mundo e sua glória ao Senhor Jesus e pediu que Ele o adorasse. O que você pode ver sobre as verdadeiras características do diabo a partir dessa situação? O diabo Satanás não é absolutamente descarado? (Sim.) Como ele é descarado? Todas as coisas foram criadas por Deus, no entanto, Satanás inverteu tudo e mostrou todas as coisas para Deus, dizendo: “Olha para a riqueza e a glória de todos esses reinos. Se me adorares, eu Te darei tudo isso”. Isso não é uma inversão completa dos papéis? Satanás não é descarado? Deus fez todas as coisas, mas Ele fez todas as coisas para o Seu próprio prazer? Deus deu tudo à humanidade, mas Satanás quis tomar tudo isso e, depois de se apoderar de tudo, ele disse a Deus: “Adora-me! Adora-me e eu Te darei tudo isso”. Essa é a face feia de Satanás; ele é absolutamente descarado! Satanás nem mesmo conhece o sentido da palavra “vergonha”. Isso é apenas outro exemplo de sua maldade. Ele nem sabe o que é vergonha. Satanás sabe claramente que Deus criou todas as coisas e que Ele gerencia e tem domínio sobre todas as coisas. Todas as coisas pertencem não ao homem e muito menos a Satanás, mas a Deus, mesmo assim, o diabo Satanás despudoradamente disse que daria todas as coisas para Deus. Isso não é outro exemplo de Satanás uma vez mais agir de modo absurdo e descarado? Isso faz com que Deus odeie Satanás ainda mais, não é? Contudo, não importava o que Satanás tentasse, o Senhor Jesus se deixou enganar? O que disse o Senhor Jesus? (“Ao Senhor teu Deus adorarás e só a Ele servirás.”) Essas palavras têm algum sentido prático? (Sim.) Que tipo de sentido prático? Vemos a maldade e o descaramento de Satanás em sua fala. Assim, se o homem adorasse a Satanás, qual seria o resultado? Ele obteria a riqueza e a glória de todos os reinos? (Não.) O que ele obteria? A humanidade se tornaria tão descarada e risível quanto Satanás? (Sim.) Ela, então, não seria diferente de Satanás. Por essa razão, o Senhor Jesus disse estas palavras, que são importantes para todo e qualquer ser humano: “Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a Ele servirás”. Isso significa que, se você servir a outro que não seja o Senhor, que não seja o Próprio Deus, se adorar o diabo Satanás, você chafurdará na mesma imundície que Satanás. Então você compartilharia o descaramento de Satanás e sua maldade e, exatamente como Satanás, você tentaria Deus e atacaria Deus. Qual seria, então, o resultado para você? Você seria desprezado por Deus, derrubado por Deus e destruído por Deus. Após tentar o Senhor Jesus várias vezes sem sucesso, Satanás tentou de novo? Satanás não tentou de novo e, então, foi embora. O que isso prova? Isso prova que a natureza maligna de Satanás, que sua malícia, absurdidade e despropósito não são dignos nem mesmo de serem mencionados na face de Deus. O Senhor Jesus derrotou Satanás com apenas três sentenças, e depois Satanás fugiu com o rabo entre as pernas, demasiado envergonhado para mostrar sua face e nunca mais voltou a tentar o Senhor Jesus. Já que o Senhor Jesus tinha derrotado essa tentação de Satanás, Ele pôde agora continuar facilmente a obra que tinha para realizar e as tarefas que estavam diante Dele. Isso tudo que o Senhor Jesus fez e disse nessa situação teria qualquer sentido prático para cada um dos seres humanos se fosse aplicado nos dias atuais? (Sim.) Que tipo de sentido prático? Derrotar Satanás é coisa fácil de fazer? As pessoas devem ter um entendimento claro da natureza maligna de Satanás? As pessoas devem ter um entendimento preciso das tentações de Satanás? (Sim.) Quando você experimenta as tentações de Satanás em sua própria vida, se fosse capaz de enxergar a natureza maligna de Satanás, você não seria capaz de derrotá-lo? Se você conhecesse a absurdez e o despropósito de Satanás, você ainda ficaria do lado de Satanás e atacaria Deus? Se você entendesse como a malícia e o descaramento de Satanás estão sendo revelados através de você — se você reconhecesse e entendesse claramente essas coisas — você ainda atacaria e tentaria Deus desse modo? (Não, não faríamos isso.) O que vocês fariam? (Nós nos rebelaríamos contra Satanás e o abandonaríamos.) Isso é coisa fácil de fazer? Não é fácil. Para fazer isso, as pessoas devem orar com frequência, elas devem se colocar com frequência diante de Deus e examinar a si mesmas. E devem permitir que a disciplina de Deus e Seu julgamento e castigo venham sobre elas. Só desse modo as pessoas se desembaraçarão gradualmente da enganação e do controle de Satanás.

Agora, analisando todas essas palavras ditas por Satanás, faremos um resumo das coisas que constituem a substância de Satanás. Em primeiro lugar, pode-se dizer, em termos gerais, que a substância de Satanás é maligna, contrária à santidade de Deus. Por que digo que a substância de Satanás é maligna? Para responder a essa pergunta, é preciso examinar as consequências do que Satanás faz às pessoas. Satanás corrompe e controla o homem, e o homem age sob o caráter corrupto de Satanás e vive em um mundo de pessoas corrompidas por Satanás. A humanidade é involuntariamente possuída e assimilada por Satanás; por isso, o homem tem o caráter corrupto de Satanás, que é a natureza de Satanás. Em tudo que Satanás disse e fez, vocês viram sua arrogância? Vocês viram seu engano e sua malícia? Como a arrogância de Satanás se manifesta principalmente? Satanás sempre abriga o desejo de ocupar a posição de Deus? Satanás sempre quer desmantelar a obra de Deus e a posição de Deus e tomá-la para si, para que as pessoas sigam, apoiem e adorem Satanás; essa é a natureza arrogante de Satanás. Quando corrompe as pessoas, Satanás lhes diz diretamente o que devem fazer? Quando tenta a Deus, Satanás vem e diz: “Eu estou tentando a Ti, eu vou Te atacar”? Não, em absoluto. Que método, então, Satanás usa? Ele seduz, tenta, ataca e planta armadilhas e até cita as Escrituras. Satanás fala e age de várias maneiras para alcançar seus objetivos sinistros e cumprir suas intenções. Depois que Satanás fez isso, o que se pode ver a partir daquilo que é manifestado no homem? As pessoas também não se tornam arrogantes? O homem sofreu a corrupção de Satanás por milhares de anos e, assim, o homem se tornou arrogante, enganador, malicioso e sem razão. Todas essas coisas são causadas devido à natureza de Satanás. Dado que a natureza de Satanás é maligna, ele deu ao homem essa natureza maligna e trouxe ao homem esse caráter corrupto e maligno. Por essa razão, o homem vive sob o caráter satânico corrupto e, como Satanás, resiste a Deus, ataca Deus e O tenta, de modo que o homem não pode adorar a Deus e não tem um coração que O reverencia.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único V’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 147

Como Satanás usa o conhecimento para corromper o homem

Conhecimento é algo que todos consideram ser uma coisa positiva? No mínimo, as pessoas pensam que a conotação da palavra “conhecimento” é mais positiva do que negativa. Então, por que estamos dizendo aqui que Satanás usa o conhecimento para corromper o homem? A teoria da evolução não é um aspecto do conhecimento? As leis científicas de Newton não são uma parte do conhecimento? A atração gravitacional da terra também é uma parte do conhecimento, não é? (Sim.) Por que, então, o conhecimento está listado entre as coisas que Satanás usa para corromper a humanidade? Qual é a visão de vocês sobre isso? O conhecimento tem algum fiapo de verdade nele? (Não.) Então qual é a substância do conhecimento? Com base em que o homem aprende todo o conhecimento que ele adquire? É baseado na teoria da evolução? O conhecimento que o homem ganhou através de exploração e adição não se baseia no ateísmo? Algo desse conhecimento tem conexão com Deus? Ele está conectado com a adoração de Deus? Ele está conectado com a verdade? (Não.) Então como Satanás usa o conhecimento para corromper o homem? Eu acabei de dizer que nada desse conhecimento está conectado com a adoração de Deus ou com a verdade. Algumas pessoas pensam assim sobre isso: “Conhecimento pode não ter nada a ver com a verdade, mas ainda assim não corrompe as pessoas”. Qual é a opinião de vocês sobre isso? Você foi ensinado segundo o conhecimento de que a felicidade das pessoas deve ser criada com as próprias mãos? O conhecimento lhe ensinou que o destino do homem está em suas próprias mãos? (Sim.) Que tipo de conversa é essa? (É conversa diabólica.) Absolutamente correto! É conversa diabólica! Conhecimento é um tema complicado para se discutir. Você pode afirmar simplesmente que um campo de conhecimento nada mais é que conhecimento. É um campo do conhecimento que é aprendido sobre a base da não adoração a Deus e da falta de entendimento de que Deus criou todas as coisas. Quando estudam esse tipo de conhecimento, as pessoas não veem Deus como tendo soberania sobre todas as coisas; elas não veem Deus como responsável ou gerenciando todas as coisas. Em vez disso, tudo que elas fazem é pesquisar e explorar infinitamente essa área de conhecimento e buscar respostas baseadas no conhecimento. No entanto, não é verdade que, se as pessoas não creem em Deus e, em vez disso, somente buscam a pesquisa, elas jamais encontrarão as verdadeiras respostas? Tudo que o conhecimento pode lhe dar é um meio de subsistência, um emprego, uma renda para que você não passe fome; mas jamais fará você adorar a Deus e jamais manterá você longe do mal. Quanto mais você estudar o conhecimento, tanto mais você desejará se rebelar contra Deus, submeter Deus aos seus estudos, tentar Deus e resistir a Deus. Então, o que vemos agora que o conhecimento ensina às pessoas? É tudo filosofia de Satanás. As filosofias e as regras de sobrevivência espalhadas por Satanás entre os homens corruptos têm alguma relação com a verdade? Elas não têm nada a ver com a verdade e, de fato, são o oposto da verdade. As pessoas dizem com frequência: “Vida é movimento” e “O homem é ferro, o arroz é aço, o homem sente fome se pular uma refeição”; o que são esses ditos? São falácias e ouvi-las causa uma sensação de nojo. No assim chamado conhecimento do homem, Satanás embutiu bastante de sua filosofia para viver e do seu pensamento. E, ao fazer isso, ele permite que o homem adote seu pensamento, sua filosofia e seus pontos de vista, de modo que o homem possa negar a existência de Deus, negar o domínio de Deus sobre todas as coisas e sobre o destino do homem. Assim, à medida que os estudos do homem progridem e ele ganha mais conhecimento, ele sente que a existência de Deus se torna vaga e pode até deixar de sentir que Deus existe. Como Satanás adicionou pontos de vista, noções e pensamentos na mente do homem, o homem não foi corrompido durante esse processo? (Sim.) No que o homem baseia a sua vida agora? Ele realmente vive com base nesse conhecimento? Não; o homem está baseando sua vida nos pensamentos, nas visões e filosofias de Satanás que estão escondidos nesse conhecimento. É aí que ocorre a parte essencial da corrupção do homem por Satanás; essa é a meta de Satanás e seu método para corromper o homem.

Começaremos tratando do aspecto mais superficial do conhecimento. A gramática e as palavras nas línguas são capazes de corromper as pessoas? Palavras podem corromper as pessoas? (Não.) Palavras não corrompem pessoas; elas são uma ferramenta que as pessoas usam para falar e também são uma ferramenta com a qual as pessoas se comunicam com Deus, sem mencionar que, atualmente, língua e palavras são o modo como Deus Se comunica com as pessoas. Elas são ferramentas e são uma necessidade. Um mais um é igual a dois, e dois multiplicado por dois é igual a quatro; isso não é conhecimento? Mas isso pode corromper você? Isso é conhecimento — é um padrão fixo — e assim não pode corromper as pessoas. Então, que tipo de conhecimento corrompe as pessoas? Conhecimento que corrompe é conhecimento que se misturou com os pontos de vista e pensamentos de Satanás, Satanás procura inculcar esses pontos de vista e esses pensamentos na humanidade por meio da mídia do conhecimento. Por exemplo, em um artigo, não há nada errado com as palavras escritas em si. O problema está nos pontos de vista e na intenção do autor quando escreveu o artigo, bem como no conteúdo dos seus pensamentos. Essas são coisas do espírito e elas são capazes de corromper as pessoas. Por exemplo, se você estivesse assistindo um show na televisão, que tipo de coisas nesse show poderiam mudar a visão das pessoas? Aquilo que os artistas disseram e as palavras em si seriam capazes de corromper as pessoas? (Não.) Que tipo de coisas corromperiam as pessoas? Os pensamentos centrais e o conteúdo do show que representariam as opiniões do diretor. A informação transportada por essas opiniões poderia convencer o coração e a mente das pessoas. Não é assim? Agora, vocês sabem a que Me refiro em Minha discussão sobre o uso que Satanás faz do conhecimento para corromper as pessoas. Vocês não entenderão mal, entenderão? Assim, na próxima vez quando você ler um romance ou um artigo, você será capaz de avaliar se os pensamentos expressos em palavras escritas corrompem a humanidade ou contribuem para a humanidade? (Sim, em medida pequena.) Isso é algo que precisa ser estudado e experimentado em ritmo lento e não é algo que possa ser facilmente entendido de imediato. Por exemplo, quando se pesquisa ou estuda uma área de conhecimento, alguns aspectos positivos desse conhecimento podem ajudar você a entender algum conhecimento geral sobre aquele campo e, ao mesmo tempo, capacitá-lo a saber o que as pessoas deveriam evitar. Tome como exemplo a “eletricidade” — este é um campo de conhecimento, não é? Você não seria ignorante se não soubesse que a eletricidade pode dar choque e machucar as pessoas? Porém, uma vez que você entende esse campo de conhecimento, você não será descuidado quanto a tocar objeto com corrente elétrica e você saberá como usar a eletricidade. Ambas as coisas são positivas. Vocês têm clareza agora sobre o que temos discutido em termos de como o conhecimento corrompe as pessoas? Há muitos tipos de conhecimento estudados no mundo, e vocês devem tomar seu tempo para diferenciá-los por vocês mesmos.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único V’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 148

Como Satanás usa a ciência para corromper o homem

O que é ciência? A ciência não é algo que goza de grande prestígio na mente de cada humano e é considerada profunda? Quando a ciência é mencionada, as pessoas não sentem: “Isso é algo fora do alcance de gente normal; isso é um tópico que só pesquisadores científicos ou especialistas podem tratar; isso nada tem a ver conosco, com gente normal”? Existe alguma conexão com gente normal? (Sim.) Como Satanás usa a ciência para corromper as pessoas? Na nossa discussão aqui, falaremos apenas sobre as coisas que as pessoas encontram com frequência em sua própria vida e ignoraremos outros assuntos. Existe uma palavra: “genes”. Vocês já a ouviram? Todos vocês estão familiarizados com esse termo, não estão? Os genes não foram descobertos pela ciência? O que, exatamente, os genes significam para as pessoas? Eles não fazem as pessoas sentir que o corpo é uma coisa misteriosa? Quando as pessoas forem apresentadas a esse tópico, não haverá algumas pessoas — especialmente as curiosas — que vão querer saber mais ou vão querer mais detalhes? Essas pessoas curiosas concentrarão sua energia nesse tema e, quando não tiverem outras coisas para fazer, procurarão informações em livros e na internet para aprender mais detalhes sobre ele. O que é ciência? Falando claramente, a ciência consiste nos pensamentos e nas teorias de coisas sobre as quais o homem é curioso, coisas que são desconhecidas e que não lhe foram ditas por Deus; a ciência consiste nos pensamentos e nas teorias sobre os mistérios que o homem quer explorar. Qual é o escopo da ciência? Pode-se dizer que como é bastante amplo; o homem Pesquisa e estuda tudo que lhe interessa. A ciência envolve pesquisar os detalhes e as leis dessas coisas e, então, expor teorias plausíveis que fazem todos pensar: “Esses cientistas são realmente sensacionais! Eles sabem tanta coisa, o suficiente para entender essas coisas!” Eles têm tanta admiração pelos cientistas, não têm? As pessoas que pesquisam a ciência, que tipo de visões elas têm? Elas não querem pesquisar o universo, pesquisar as coisas misteriosas em sua área de interesse? Qual é o resultado final disso? Em algumas das ciências, as pessoas tiram suas conclusões através de conjeturas, e em outras, elas se baseiam na experiência humana para tirar suas conclusões. E ainda em outros campos científicos, as pessoas chegam às suas conclusões com base em observações históricas e contextuais. Não é assim? Então o que a ciência faz pelas pessoas? O que a ciência faz é meramente permitir que as pessoas vejam os objetos no mundo físico e satisfaz a curiosidade do homem, mas ela não pode capacitar o homem ver as leis pelas quais Deus tem domínio sobre todas as coisas. O homem parece encontrar respostas na ciência, mas essas respostas são enigmáticas e trazem satisfação apenas temporária, uma satisfação que só serve para confinar o coração do homem no mundo material. O homem sente que recebeu respostas da ciência, de modo que, para qualquer questão que surgir, ele usa suas visões científicas como base para provar e aceitar aquela questão. O coração do homem fica possuído pela ciência e é seduzido por ela ao ponto em que o homem não mais ter a condição mental de conhecer a Deus, adorar a Deus e crer que todas as coisas provêm de Deus e que o homem deveria olhar para Ele para obter respostas. Não é assim? Quanto mais uma pessoa crê na ciência, mais absurda ela se torna, crendo que tudo tem uma solução científica, que a pesquisa pode resolver qualquer coisa. Ela não busca Deus e não crê que Ele existe; até mesmo algumas pessoas que seguiram a Deus por muitos anos pesquisarão bactérias por capricho ou buscarão alguma informação para responder uma questão. Tais pessoas não veem as questões sob a perspectiva da verdade e, na maioria dos casos, querem confiar em visões ou conhecimento científicos ou soluções científicas para resolver os problemas; elas não confiam em Deus nem buscam Deus. Pessoas como essas têm Deus em seu coração? (Não.) Há até algumas pessoas que querem pesquisar Deus do mesmo modo como estudam a ciência. Por exemplo, muitos especialistas religiosos foram até a montanha onde a arca veio a repousar e assim provaram a existência da arca. Mas na aparição da arca, eles não veem a existência de Deus. Eles creem apenas nas narrativas e na história; esse é o resultado de sua pesquisa científica e do estudo do mundo material. Se você pesquisar coisas materiais, seja na microbiologia, na astronomia ou na geografia, você jamais encontrará um resultado que determina que Deus existe ou que Ele tem soberania sobre todas as coisas. Então, o que a ciência faz pelo homem? Ela não distancia o homem de Deus? Ela não faz com que as pessoas submetam Deus aos estudos? Isso não deixa as pessoas com mais dúvidas sobre a existência de Deus? (Sim.) Então, como Satanás pretende usar a ciência para corromper o homem? Satanás não quer usar conclusões científicas para enganar e entorpecer as pessoas e usar as respostas ambíguas para reter o coração das pessoas, para que elas não investiguem ou acreditem na existência de Deus? (Sim.) Essa é, portanto, a razão pela qual Eu digo que a ciência é uma das maneiras pelas quais Satanás corrompe as pessoas.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único V’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 149

Como Satanás usa a cultura tradicional para corromper o homem

Há ou não há muitas coisas que são consideradas parte da cultura tradicional? (Há.) O que significa essa “cultura tradicional”? Alguns dizem que ela é repassada desde os ancestrais — esse é um dos aspectos. Desde o início, modos de vida, costumes, provérbios e regras têm sido repassados em famílias, grupos étnicos e até toda a raça humana, e eles ficaram instilados nos pensamentos das pessoas. As pessoas os consideram parte indispensável de sua vida e os veem como regras, observando-os como se fossem a própria vida. Na verdade, nunca querem mudar nem abandonar essas coisas porque foram repassadas desde os seus ancestrais. Há outros aspectos da cultura tradicional que estão enraizados nos próprios ossos das pessoas, como as coisas que foram repassadas desde Confúcio e Mêncio e as coisas ensinadas às pessoas pelo taoísmo chinês e pelo confucionismo. Não é assim? Que coisas estão incluídas na cultura tradicional? Ela inclui os feriados que as pessoas celebram? Por exemplo: o Festival da Primavera, o Festival das Lanternas, o Dia da Limpeza dos Túmulos, o Festival do Barco-Dragão, bem como o Festival dos Fantasmas e o Festival do Meio do Outono. Algumas famílias até celebram os dias em que os sêniores atingem uma certa idade ou quando crianças alcançam um mês de idade ou 100 dias de vida. E assim em diante. Todos esses são feriados tradicionais. Não há uma cultura tradicional que subjaz a esses feriados? Qual é o núcleo da cultura tradicional? Ele tem alguma coisa a ver com adorar a Deus? Ele tem alguma coisa a ver com instruir as pessoas para que pratiquem a verdade? Há algum feriado para que as pessoas ofereçam sacrifício a Deus, visitem o altar de Deus e recebam Seus ensinamentos? Há algum feriado assim? (Não.) O que as pessoas fazem em todos esses feriados? Nos tempos modernos, eles são vistos como ocasiões para comer, beber e se divertir. Qual é a fonte subjacente à cultura tradicional? De quem vem a cultura tradicional? (De Satanás.) Ela vem de Satanás. Por trás das cenas desses feriados tradicionais, Satanás instila coisas no homem. Que coisas são essas? Assegurar que as pessoas se lembrem de seus ancestrais — essa é uma delas? Por exemplo, durante o Dia de Limpeza dos Túmulos, as pessoas arrumam as sepulturas e oferecem sacrifícios aos seus ancestrais, para que não se esqueçam de seus ancestrais. Ademais, Satanás assegura que as pessoas se lembrem de ser patrióticas, e um exemplo disso é o Festival do Barco-Dragão. E quanto ao Festival do Meio do Outono? (Reuniões de família.) Qual é o pano de fundo das reuniões de família? Qual é a razão delas? É para se comunicar e se conectar emocionalmente. É claro que, quer se esteja celebrando a Véspera do Ano Novo Lunar ou o Festival das Lanternas, há muitas maneiras de descrever as razões por trás dessas celebrações. Como quer que se descreva a razão por trás delas, cada uma delas é uma maneira de Satanás instilar sua filosofia e seu pensamento nas pessoas, para que elas se extraviem de Deus, e não saibam que Deus existe, e ofereçam sacrifícios aos seus ancestrais ou a Satanás, ou comam, bebam e se divirtam em nome dos desejos da carne. Quando cada um desses feriados é celebrado, os pensamentos e as opiniões de Satanás são plantados profundamente nas mentes das pessoas sem seu conhecimento. Quando as pessoas chegam aos quarenta, cinquenta anos ou a uma idade ainda mais avançadaa, esses pensamentos e pontos de vista de Satanás já estão profundamente enraizados em seu coração. Além disso, as pessoas se esforçam ao máximo para transmitir essas ideias, sejam elas corretas ou erradas, para a próxima geração, indiscriminadamente, sem ressalva. Não é assim? (Sim.) Como a cultura tradicional e esses feriados corrompem as pessoas? Vocês sabem? (As pessoas são restringidas e amarradas pelas regras dessas tradições de tal modo que não têm tempo nem energia para buscar a Deus.) Esse é um dos aspectos. Por exemplo, todos celebram durante o Ano Novo Lunar — se você não o celebrasse, você não se sentiria triste? Há alguma superstição que você abriga em seu coração? Você sentiria: “Eu não celebrei o Ano Novo, e já que o dia de Ano Novo Lunar foi um dia ruim, todo o resto do ano não será ruim também”? Você não se sentiria pouco à vontade e um tanto temeroso? Há até algumas pessoas que não fizeram sacrifícios aos seus ancestrais por anos e que, repentinamente, têm um sonho em que uma pessoa falecida lhes pede dinheiro. O que elas sentiriam? “Que triste que essa pessoa que já se foi necessita de dinheiro para gastar! Queimarei algumas notas de dinheiro para ela. Não fazer isso não seria certo. Isso poderia causar problemas para nós, os vivos, quem poderá dizer quando o infortúnio nos atingirá?” Elas sempre terão essa pequena nuvem de medo e preocupação em seu coração. Quem lhes dá essa preocupação? (Satanás.) Satanás é a fonte dessa preocupação. Essa não é uma das maneiras pelas quais Satanás corrompe o homem? Ele usa diferentes meios e pretextos para controlar você, para ameaçar você e prender você, para que você caia em uma espécie de torpor, se renda e se submeta a ele; é assim que Satanás corrompe o homem. Muitas vezes, quando as pessoas estão debilitadas ou quando não estão plenamente conscientes da situação, elas podem inadvertidamente fazer algo de modo confuso; isto é, elas inadvertidamente caem nas garras de Satanás e podem agir inconscientemente, podem fazer coisas sem saber o que estão fazendo. Esse é o modo como Satanás corrompe o homem. Há até bastante pessoas agora que relutam em romper com a cultura tradicional profundamente enraizada, que simplesmente não conseguem abandoná-la. É especialmente quando estão debilitadas e passivas que elas desejam celebrar esses tipos de feriados e desejam encontrar Satanás e satisfazê-lo de novo, para trazer consolo ao seu coração. Qual é o pano de fundo para a cultura tradicional? A mão negra de Satanás está puxando as cordas nos bastidores? A natureza maligna de Satanás está manipulando e controlando? Satanás impera sobre tudo isso? (Sim.) Quando as pessoas vivem em uma cultura tradicional e celebram esses tipos de feriados tradicionais, poderíamos dizer que esse é um ambiente no qual elas são enganadas e corrompidas por Satanás e, ademais, que elas estão felizes por serem enganadas e corrompidas por Satanás? (Sim.) Isso é algo que todos vocês admitem, algo que vocês conhecem.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único V’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 150

Como Satanás usa a superstição para corromper o homem

Como Satanás usa a superstição para corromper o homem? Todas as pessoas querem saber seu destino, então Satanás aproveita sua curiosidade para seduzi-las. As pessoas se envolvem em adivinhação, predição da sorte e leitura da face para descobrir o que acontecerá com elas no futuro e que tipo de estrada está à frente. No final, porém, em cujas mãos estão o destino e as perspectivas com os quais as pessoas se preocupam tanto? (Nas mãos de Deus.) Todas essas coisas estão nas mãos de Deus. Ao usar esses métodos, o que Satanás quer que as pessoas saibam? Satanás quer usar a leitura da face e a predição da sorte para dizer às pessoas que ele conhece sua sorte futura e que ele não só conhece essas coisas, mas também tem controle sobre elas. Satanás quer tirar vantagem dessa oportunidade e usar esses métodos para controlar as pessoas, de modo que as pessoas tenham fé cega nele e obedeçam a cada palavra sua. Por exemplo, quando você pede a leitura da face e o vidente fecha seus olhos e conta tudo que aconteceu com você nas últimas poucas décadas com toda clareza, como você se sentiria interiormente? Você sentiria imediatamente: “Ele é tão preciso! Eu nunca falei sobre meu passado com ninguém antes, como ele soube a respeito disso? Eu realmente admiro esse adivinhador!” Não é muito fácil para Satanás conhecer seu passado? Deus conduziu você até onde você está hoje e, durante esse tempo todo, Satanás tem corrompido as pessoas e seguido você. A passagem das décadas de sua vida não é nada para Satanás e, para Satanás, não é difícil saber essas coisas. Quando você descobre que tudo que Satanás diz é correto, você não está entregando seu coração a ele? Você não está confiando nele para que ele assuma o controle sobre seu futuro e suas fortunas? Em um instante, seu coração sentirá algum respeito ou reverência por ele e, no caso de algumas pessoas, sua alma pode já ter sido arrebatada por ele a essa altura. E você perguntará imediatamente ao adivinhador: “O que devo fazer agora? O que devo evitar no ano que vem? Que coisas não devo fazer?”. Então ele dirá: “Você não deve ir para aquele lugar, você não deve fazer isso, não vista roupas de certa cor, você deve ir menos a certos lugares, você deve fazer mais certas coisas…” Você não levará a sério imediatamente tudo o que ele diz? Você memorizaria suas palavras mais rapidamente do que as palavras de Deus. Por que você as memorizaria tão rapidamente? Porque você iria querer confiar em Satanás para ter boa sorte. Não é aí que ele se apodera de seu coração? Quando suas predições se cumprissem uma após a outra, você não iria querer voltar logo para ele para descobrir que sorte o próximo ano trará? (Sim.) Você faria tudo que Satanás lhe disser para fazer e evitaria as coisas que ele o instruiria a evitar. Dessa forma, você não está obedecendo a tudo o que ele diz? Muito rapidamente, você cairá em seu abraço, será enganado e ficará sob seu controle. Isso acontece porque você crê que é verdade o que ele diz e porque você crê que ele conhece sua vida passada, sua vida atual e o que o futuro trará. Esse é o método que Satanás usa para controlar as pessoas. Porém, na realidade, quem realmente está no controle? O Próprio Deus está no controle, não Satanás. Satanás está apenas usando suas manobras espertas nesse caso para enganar pessoas ignorantes, enganar as pessoas que veem tão somente o mundo material para que creiam e confiem nele. Então, elas caem nas garras de Satanás e obedecem a cada palavra dele. Mas será que Satanás alguma vez alarga as amarras quando as pessoas querem crer em Deus e segui-Lo? Satanás não faz isso. Nessa situação, as pessoas realmente estão caindo nas garras de Satanás? (Sim.) Poderíamos dizer que o comportamento de Satanás nesse tocante é descarado? (Sim.) Por que diríamos isso? Porque essas são táticas fraudulentas e enganadoras. Satanás é descarado e ilude as pessoas, fazendo-as pensar que ele controla tudo que diz respeito a elas e que ele controla seu destino. Isso faz com que as pessoas ignorantes obedeçam a ele completamente. Elas são enganadas com poucas palavras. Em seu aturdimento, as pessoas se curvam diante dele. Assim, que tipo de métodos Satanás usa, o que ele diz para fazer com que você creia nele? Por exemplo, você pode não ter contado para Satanás quantas pessoas há em sua família, mesmos assim ele poderá dizer quantas pessoas há e as idades de seus pais e filhos. Embora você pode ter tido suas suspeitas e dúvidas sobre Satanás antes disso, mas, ao ouvi-lo dizer essas coisas, você não acharia que ele é um pouco mais confiável? Então, Satanás poderá dizer como o trabalho tem sido difícil para você recentemente, que seus superiores não lhe dão o reconhecimento que você merece e estão sempre trabalhando contra você, e assim por diante. Depois de ouvir isso, você pensaria: “Isso está absolutamente correto! As coisas não têm sido fáceis no trabalho”. Assim, você acreditaria um pouco mais em Satanás. Então, ele diria alguma outra coisa para enganar você, fazendo você acreditar ainda mais nele. Pouco a pouco, você se acharia incapaz de resistir ou de permanecer desconfiado em relação a ele. Satanás meramente usa uns poucos ardis banais, até pequenos truques triviais, e assim confunde você. Quando estiver confundido, você será incapaz de estabelecer seu rumo, você não saberá mais o que fazer e começará a seguir o que Satanás diz. Esse é o método “brilhante” usado por Satanás para corromper o homem, o que faz com que você caia involuntariamente na sua armadilha e seja seduzido por ele. Satanás lhe diz algumas poucas coisas que as pessoas imaginam ser boas e, então, ele lhe diz o que fazer e o que evitar. É assim que você é involuntariamente enganado. Uma vez que tenha caído nessa, as coisas começarão a ficar complicadas para você; você pensará constantemente no que Satanás falou e no que ele lhe disse para fazer e, inadvertidamente, será possuído por ele. Por que isso? É porque a humanidade carece da verdade e, assim, é incapaz de permanecer firme e resistir à sedução e tentação de Satanás. Confrontada com a maldade de Satanás e seu engano, sua traição e malícia, a humanidade é tão ignorante, imatura e fraca, não é? Essa não é uma das maneiras pelas quais Satanás corrompe o homem? (Sim.) O homem é involuntariamente iludido e enganado pouco a pouco pelos vários métodos de Satanás, porque ele carece da capacidade de diferenciar o positivo do negativo. Ele carece dessa estatura e da capacidade de triunfar sobre Satanás.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único V’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 151

Como Satanás usa as tendências sociais para corromper o homem

Quando as tendências sociais vieram a existir? Elas só vieram a existir nos dias atuais? Pode-se dizer que as tendências sociais passaram a existir quando Satanás começou a corromper as pessoas. O que as tendências sociais incluem? (Estilos de roupa e maquiagem.) Essas são coisa com as quais as pessoas frequentemente têm contato. Estilos de roupa, moda e tendências — essas são coisas que constituem um pequeno aspecto. Há algo mais? As frases populares de que as pessoas usam com frequência também contam? Os estilos de vida que as pessoas desejam contam? Os astros da música, as celebridades, as revistas e os romances de que as pessoas gostam contam? (Sim.) Na opinião de vocês, qual é o aspecto das tendências sociais que é capaz de corromper o homem? Qual dessas tendências é mais atraente para vocês? Algumas pessoas dizem: “Todos nós chegamos a certa idade, passamos dos cinquenta, sessenta, setenta ou oitenta e não nos encaixamos mais nessas tendências e elas não prendem nossa atenção”. Isso está correto? Outras dizem: “Nós não seguimos celebridades, isso é algo que os jovens na faixa dos vinte fazem; tampouco vestimos roupas da moda, isso é algo que as pessoas preocupadas com a sua imagem fazem”. Então, quais dessas são capazes de corromper vocês? (Os ditos populares.) Esses ditos podem corromper as pessoas? Darei um exemplo, e vocês podem ver se ele corrompe as pessoas ou não: “O dinheiro faz o mundo girar”; isso é uma tendência? Comparado com as tendências da moda e da comida que vocês mencionaram, isso não é muito pior? “O dinheiro faz o mundo girar” é uma filosofia de Satanás, e ela prevalece em meio à humanidade inteira, em cada sociedade humana. Você pode dizer que é uma tendência porque foi incutida no coração de cada pessoa. Nos primórdios, as pessoas não aceitavam esse dito, mas então o aceitaram tacitamente quando entraram em contato com a vida real e começaram a sentir que essas palavras eram realmente verdadeiras. Isso não é um processo de Satanás corromper o homem? Talvez as pessoas não entendam esse dito no mesmo grau, mas cada qual tem graus diferentes de interpretação e reconhecimento desse dito baseado em coisas que aconteceram à sua volta e em suas próprias experiências pessoais. Não é esse o caso? Independentemente de quanta experiência alguém tenha com esse dito, qual é o efeito negativo que ele pode ter sobre o coração de alguém? Algo é revelado através do caráter humano das pessoas neste mundo, incluindo cada um de vocês. Como essa coisa que é revelada deve ser interpretada? É o culto ao dinheiro. É difícil remover isso do coração de alguém? É muito difícil! Parece que a corrupção do homem por Satanás é de fato profunda! Assim, depois que Satanás usa essa tendência para corromper as pessoas, como ela se manifesta nelas? Vocês não sentem que não poderiam sobreviver neste mundo sem qualquer dinheiro, que mesmo um dia sem dinheiro seria impossível? O status das pessoas está baseado em quanto dinheiro elas têm, e o mesmo vale para o respeito que exigem. As costas do pobre estão curvadas de vergonha, enquanto os ricos desfrutam do seu status elevado. Eles assumem uma postura ereta e altiva, falam alto e vivem com arrogância. O que esse dito e essa tendência trazem às pessoas? Não é verdade que muitas pessoas fazem qualquer sacrifício na busca de dinheiro? Muitas pessoas não perdem sua dignidade e integridade na busca de mais dinheiro? Além disso, muitas pessoas não perdem a oportunidade de cumprir seu dever e seguir a Deus por causa do dinheiro? Isso não é uma perda para as pessoas? (Sim.) Satanás não é sinistro ao usar esse método e esse dito para corromper o homem a tal ponto? Esse não é um ardil malicioso? Na medida em que você progride de se opor a esse dito popular para finalmente aceitá-lo como verdade, seu coração cai completamente nas garras de Satanás e, por isso, você inadvertidamente passa a viver segundo o dito. Em que medida esse dito afetou você? Você pode conhecer o caminho verdadeiro e você pode conhecer a verdade, mas você é impotente para buscá-la. Você pode saber claramente que as palavras de Deus são a verdade, mas você não está disposto a pagar o preço ou a sofrer a fim de ganhar a verdade. Em vez disso, você prefere sacrificar seu próprio futuro e destino para resistir a Deus até o fim. Não importa o que Deus diga, não importa o que Deus faça, não importa se você entende quão profundo e grande é o amor de Deus por você, você insiste obstinadamente em fazer o que você quer e em pagar o preço por esse dito. Isso equivale a dizer que esse dito já controla seu comportamento e seus pensamentos e que você prefere ter seu destino controlado por ele a renunciar a tudo. O fato de as pessoas agirem dessa forma, de serem controladas e manipuladas por esse dito não ilustra que a corrupção do homem por Satanás é eficaz? Isso não é a filosofia e o caráter corrupto de Satanás lançando raiz no seu coração? Se você faz isso, Satanás não atingiu seu objetivo? (Sim.) Você consegue ver como Satanás corrompeu o homem desse modo? Você consegue senti-lo? (Não.) Você não o viu nem sentiu. Você vê a maldade de Satanás aqui? Satanás corrompe o homem em todos os momentos e em todos os lugares. Satanás torna impossível que o homem se defenda contra essa corrupção e faz com que o homem seja impotente contra ela. Satanás faz com que você aceite seus pensamentos, seus pontos de vista e as coisas más que advêm dele em situações em que você não está ciente e quando você não reconhece o que está acontecendo com você. As pessoas aceitam essas coisas e não fazem nenhuma exceção a elas. Elas as estimam e se agarram a elas como a um tesouro; elas deixam essas coisas manipulá-las e brincar com elas; é assim que a corrupção do homem por Satanás se torna cada vez mais profunda.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único V’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 152

Satanás usa esses vários métodos para corromper o homem. O homem tem conhecimento e um entendimento de alguns princípios científicos, o homem vive sob a influência da cultura tradicional e todo humano é um herdeiro e um transmissor da cultura tradicional. O homem tende a levar adiante a cultura tradicional dada a ele por Satanás, e o homem também se conforma às tendências sociais que Satanás provê para a humanidade. O homem é inseparável de Satanás e se conforma a tudo que Satanás faz em todos os momentos, aceitando seu mal, seu engano, sua malícia e arrogância. Uma vez que o homem veio a possuir esses caracteres de Satanás, ele tem sido feliz ou infeliz por viver em meio a esta humanidade corrupta? (Infeliz.) Por que você diz isso? (Porque o homem está atado e é controlado por essas coisas corrompidas, ele vive em pecado e está imerso numa luta árdua.) Algumas pessoas usam óculos e aparentam ser muito intelectuais; talvez falem de modo muito respeitável, com eloquência e razão e, por terem passado por muitas coisas, talvez sejam muito experientes e sofisticadas. Elas podem ser capazes de falar detalhadamente sobre temas grandes e pequenos; elas podem também ser capazes de avaliar a autenticidade e a razão das coisas. Algumas podem olhar para o comportamento e a aparência dessas pessoas como também para seu caráter, sua humanidade e sua conduta e assim por diante e não encontrar falha nelas. Tais pessoas são particularmente capazes de se adaptar às atuais tendências sociais. Embora essas pessoas possam ser mais velhas, elas nunca ficam para trás das tendências do seu tempo e nunca são velhas demais para aprender. Na superfície, ninguém consegue encontrar falhas em tal pessoa, mas até a sua essência interior ela está completa e totalmente corrompida por Satanás. Embora nenhuma falha externa possa ser encontrada nessas pessoas, embora, na superfície, elas sejam gentis, refinadas e possuam conhecimento e certa moralidade e elas tenham integridade, e embora, em termos de conhecimento, elas de forma alguma sejam inferiores a pessoas jovens, no que se refere à sua natureza-essência, tais pessoas são um modelo vivo e completo de Satanás; são a imagem idêntica de Satanás. Esse é o “fruto” da corrupção do homem por Satanás. O que Eu disse pode machucar vocês, mas é tudo verdadeiro. O conhecimento que o homem estuda, a ciência que ele entende e os meios que ele escolhe para se enquadrar nas tendências sociais são, sem exceção, ferramentas da corrupção do homem por Satanás. Isso é absolutamente verdadeiro. Por essa razão, o homem vive dentro de um caráter que foi completamente corrompido por Satanás, e o homem não tem maneira de saber o que é a santidade de Deus nem o que é a substância de Deus. Isso é assim porque, na superfície, não se consegue descobrir falhas nas maneiras pelas quais Satanás corrompe o homem; não se consegue dizer a partir do comportamento de alguém que algo está faltando. Todos fazem o seu trabalho normalmente e vivem uma vida normal; eles leem livros e jornais normalmente, estudam e falam normalmente. Algumas pessoas aprenderam a ter alguma ética e são eloquentes, são compreensivas e amigáveis, são solícitas e caridosas e não compram brigas mesquinhas ou tiram vantagem de outras pessoas. No entanto, seu caráter satânico corrupto está enraizado profundamente dentro delas; e essa substância não pode ser mudada por meio da dependência do esforço externo. Por causa dessa substância, o homem não é capaz de conhecer a santidade de Deus e, a despeito da substância da santidade de Deus ter sido revelada ao homem, o homem não a leva a sério. Isso é assim porque Satanás, através de vários meios, já chegou a possuir completamente os sentimentos, as ideais, os pontos de vista e os pensamentos do homem. Essa possessão e corrupção não são temporárias nem ocasionais, mas estão presentes em toda parte e em todos os momentos. Assim, muitas pessoas que têm acreditado em Deus por três ou quatro ou até mesmo cinco ou seis anos, ainda têm esses pensamentos, opiniões, lógicas e filosofias que Satanás instilou nelas como tesouros e são incapazes de abrir mão deles. Porque o homem aceitou as coisas más, arrogantes e maliciosas que vêm da natureza de Satanás, inevitavelmente há frequentes conflitos, discussões e incompatibilidade nas relações interpessoais do homem, que surgem como resultado natureza arrogante de Satanás. Se Satanás tivesse dado coisas positivas à humanidade — por exemplo, se o confucionismo e o taoísmo da cultura tradicional que o homem aceitou fossem coisas boas — tipos similares de pessoas deveriam ser capazes de conviver umas com as outras depois de aceitar essas coisas. Então por que há uma divisão tão grande entre pessoas que aceitaram as mesmas coisas? Por que isso? É porque essas coisas vêm de Satanás, e Satanás cria divisão entre as pessoas. As coisas de Satanás, não importa o quanto pareçam dignificadas ou grandes na superfície, trazem ao homem e produzem na vida do homem somente arrogância e nada além do engano da natureza má de Satanás. Não é assim? Alguém que é capaz de se disfarçar, que possui riqueza de conhecimento ou que tem uma boa educação ainda assim teria dificuldade para esconder seu caráter satânico corrupto. Isso equivale a dizer que, não importa de quantas maneiras essa pessoa tenha se disfarçado, se você pensou que ela era uma santa, ou se você pensou que ela era perfeita, ou se você pensou que ela era um anjo, não importa quão pura você pensou que ela fosse, como é a vida real dela nos bastidores? Que substância você veria na revelação do seu caráter? Sem dúvida você veria a natureza má de Satanás. É admissível dizer isso? (Sim.) Por exemplo, digamos que você conhece alguém próximo a vocês que você pensava ser uma boa pessoa, talvez alguém que você idolatrava. Com a sua atual estatura, o que você pensa dela? Primeiro, você avalia se esse tipo de pessoa tem ou não tem humanidade, se ela é honesta, se ela tem amor verdadeiro pelas pessoas, se suas palavras e ações beneficiam e ajudam outras. (Não fazem isso.) O que é realmente a assim chamada amabilidade, o amor ou a bondade que essas pessoas revelam? É tudo falso, é tudo fachada. Por trás dessa fachada existe um propósito maligno ulterior: tornar aquela pessoa adorada e idolatrada. Vocês veem isso claramente? (Sim.)

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único V’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 153

O que os métodos usados por Satanás para corromper as pessoas trazem à humanidade? Eles trazem alguma coisa positiva? Em primeiro lugar, o homem consegue diferenciar entre o bem e o mal? Você diria que, neste mundo, quer se trate de alguma pessoa famosa ou importante ou de alguma revista ou outra publicação, os padrões que usam para julgar se algo é bom ou mau, correto ou errado, são corretos? Suas avaliações de eventos e pessoas são justas? Elas contêm verdade? Este mundo, esta humanidade, avalia as coisas positivas e negativas com base no padrão para a verdade? (Não.) Por que as pessoas não têm essa capacidade? As pessoas estudaram tanto conhecimento e sabem tanto sobre ciência, de modo que possuem grandes habilidades, não possuem? Por que, então, elas são incapazes de diferenciar entre coisas positivas e negativas? Por que isso? (Porque as pessoas não têm a verdade; ciência e conhecimento não são a verdade.) Tudo que Satanás traz para a humanidade é maligno, corrupto e carece de verdade, dae vida e do caminho. Com a maldade e a corrupção que Satanás traz ao homem, você pode dizer que Satanás tem amor? Você pode dizer que o homem tem amor? Algumas pessoas podem até dizer: “Você está errado: há muitas pessoas ao redor do mundo que ajudam os pobres e sem-teto. Elas não são boas pessoas? Há também organizações caritativas que fazem um bom trabalho; o trabalho que fazem não é trabalho bom?” O que você responderia a isso? Satanás usa muitos métodos e teorias diferentes para corromper o homem; essa corrupção do homem é um conceito vago? Não, não é vago. Satanás também faz algumas coisas práticas e também promove um ponto de vista ou uma teoria neste mundo e na sociedade. Em cada dinastia e em cada época, ele promove uma teoria e instila alguns pensamentos na mente do homem. Esses pensamentos e teorias gradualmente fixam suas raízes no coração das pessoas, e então elas começam a viver segundo elas. Uma vez que começam a viver segundo essas coisas, elas não se convertem involuntariamente em Satanás? As pessoas não se tornam um com Satanás? Quando as pessoas se tornaram um com Satanás, qual é sua atitude em relação a Deus no final? Não é a mesma atitude que Satanás tem em relação a Deus? Ninguém ousa admitir isso, ousa? Como isso é assustador! Por que digo que a natureza de Satanás é maligna? Não digo isso sem fundamento; ao contrário, a natureza de Satanás é determinada e analisada com base naquilo que ele tem feito e nas coisas que ele tem revelado. Se Eu apenas dissesse que Satanás é maligno, o que vocês pensariam? Vocês pensariam: “Obviamente Satanás é maligno”. Então Eu pergunto a você: “Quais aspectos de Satanás são malignos?” Se você disser: “A resistência de Satanás a Deus é maligna”, você ainda não estaria falando com clareza. Agora que tenho falado sobre os detalhes desse modo, vocês têm algum entendimento sobre o conteúdo específico da substância da maldade de Satanás? (Sim.) Se vocês forem capazes de enxergar claramente a natureza maligna de Satanás, então verão sua própria condição. Existe alguma relação entre essas duas coisas? Isso é útil para vocês ou não? (Sim, é.) Quando Eu comunico sobre a substância da santidade de Deus, é necessário que Eu comunique sobre a substância maligna de Satanás? Qual é sua opinião sobre isso? (Sim, é necessário.) Por quê? (A maldade de Satanás põe em alto relevo a santidade de Deus.) É assim que é? Isso é parcialmente correto no sentido de que, sem a maldade de Satanás, as pessoas não saberiam que Deus é santo; é correto dizer isso. No entanto, se você disser que a santidade de Deus somente existe devido ao seu contraste com a maldade de Satanás, isso está certo? Essa forma dialética de pensar está errada. A santidade de Deus é a substância inerente de Deus; mesmo quando Deus a revela por meio de Seus feitos, isso ainda é uma expressão natural da substância de Deus e ainda é a substância inerente a Deus; ela sempre existiu e é inata ao Próprio Deus, embora o homem não consiga vê-la. Isso é porque o homem vive em meio ao caráter corrupto de Satanás e sob a influência de Satanás e não conhece a santidade, muito menos o conteúdo específico da santidade de Deus. Assim, é essencial comunicarmos primeiro sobre a substância maligna de Satanás? (É, sim.) Algumas pessoas podem até expressar alguma dúvida: “Você está comunicando algo sobre o Próprio Deus, por que, então, está sempre falando sobre como Satanás corrompe as pessoas e como a natureza de Satanás é maligna?” Agora você pôs fim a essas dúvidas, não é? Quando as pessoas tiverem discernimento do mal de Satanás e quando tiverem uma definição correta dele, quando as pessoas conseguirem ver claramente o conteúdo específico e a manifestação do mal, a fonte e a substância do mal, somente então, por meio da discussão sobre a santidade de Deus, as pessoas podem perceber ou reconhecer claramente o que é a santidade de Deus, o que é santidade. Se Eu não discutir a maldade de Satanás, algumas pessoas acreditarão erroneamente que algumas coisas que as pessoas fazem na sociedade e entre as pessoas — ou certas coisas que existem neste mundo — podem ter alguma relação com a santidade. Isso não é um ponto de vista errado? (É sim.)

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único V’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 154

Satanás usa o conhecimento como isca. Escute atentamente: conhecimento é só um tipo de isca. As pessoas são seduzidas a estudar com afinco e aprimorar-se dia após dia, a usar o conhecimento como arma e armar-se com ele e, então, usar o conhecimento para abrir a porta de entrada para a ciência; em outras palavras, quanto mais conhecimento você ganhar, mais você entenderá. Satanás diz às pessoas tudo isso; ele diz às pessoas que fomentem ideais elevados quando estão adquirindo conhecimento, instruindo-as a desenvolver ambições e ideais. Sem que o homem se dê conta, Satanás transmite muitas mensagens como essa, fazendo com que as pessoas sintam inconscientemente que essas coisas são corretas ou benéficas. Inconscientemente, as pessoas colocam os pés nessa senda, sem que o saibam, são levadas adiante por seus próprios ideais e ambições. Passo a passo, elas aprendem inadvertidamente, a partir do conhecimento dado por Satanás, as maneiras em que pessoas importantes ou famosas pensam. Elas também aprendem algumas coisas a partir dos feitos de pessoas consideradas heróis. O que Satanás está advogando para o homem nos feitos desses heróis? O que ele quer incutir no homem? Que o homem deve ser patriota, ter uma integridade nacional e ser heroico em espírito. O que o homem aprende de narrativas históricas ou de biografias de figuras heroicas? A ter um senso de lealdade pessoal, a estar preparado para fazer qualquer coisa por seus amigos e irmãos. Dentro desse conhecimento de Satanás, o homem aprende inadvertidamente muitas coisas que, de forma alguma, são positivas. Em meio à falta de consciência do homem, as sementes preparadas por Satanás são plantadas na mente imatura das pessoas. Essas sementes fazem com que elas sintam que deveriam ser pessoas importantes, que deveriam ser famosas, que deveriam ser heróis, ser patriotas, ser pessoas que amam sua família e ser pessoas que fariam qualquer coisa por um amigo e têm um senso de lealdade pessoal. Seduzidas por Satanás, elas, sem saber, percorrem a estrada que foi preparada para elas. Enquanto percorrem essa estrada, elas são forçadas a aceitar as regras de vida de Satanás. Completamente inconscientes, elas desenvolvem suas próprias regras pelas quais vivem, mas essas não são nada mais que regras de Satanás, que ele forçosamente incutiu nelas. Satanás as obriga durante o processo de aprendizagem a fomentar seus próprios objetivos e a determinar seus próprios objetivos de vida, regras pelas quais vivem e o rumo na vida, durante todo o tempo incutindo nelas as coisas de Satanás, usando narrativas, biografias e todos os outros meios possíveis para seduzir as pessoas, pouco a pouco, até que mordam a isca. Desse modo, no curso de sua aprendizagem, algumas vêm a preferir literatura, algumas economia, outras astronomia ou geografia. Então, há algumas que vêm a gostar de política, algumas que gostam de física, algumas, de química, e ainda outras que até preferem teologia. Tudo isso são partes de um todo maior que é o conhecimento. Em seu coração, cada um de vocês sabe do que essas coisas realmente tratam; cada um de vocês já teve contato com elas antes. Cada um de vocês é capaz de falar sem parar sobre um ou outro desses ramos de conhecimento. E assim fica claro quão profundamente esse conhecimento entrou na mente do homem; é evidente a posição ocupada pelo conhecimento na mente das pessoas e como é profundo o efeito que tem sobre elas. Uma vez que alguém desenvolve afeto por uma faceta do conhecimento, quando uma pessoa se apaixonou profundamente por ela, ela inadvertidamente desenvolve ambições: algumas pessoas querem ser autores, algumas querem ser escritores literários, algumas querem fazer uma carreira na política e algumas querem se envolver com economia e se tornar homens de negócio. Então, há uma porção de pessoas que querem ser heróis, para ser importantes ou famosas. Independentemente do tipo de pessoa que alguém queira ser, seu objetivo é tomar esse método de adquirir conhecimento e usá-lo para os seus próprios fins, para realizar seus próprios desejos, suas próprias ambições. Não importa o quanto isso soa bem — queiram elas realizar seus sonhos, não desperdiçar sua vida ou ter determinada carreira — elas fomentam esses ideais e ambições elevados, mas para que serve tudo isso em essência? Vocês já contemplaram essa pergunta antes? Por que Satanás age dessa maneira? Qual é o propósito de Satanás ao incutir essas coisas no homem? O coração de vocês deve ter clareza sobre essa questão.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único VI’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 155

Durante o processo de aquisição de conhecimento pelo homem, Satanás emprega todos os tipos de métodos, quer seja contando histórias, simplesmente dando-lhe alguma porção individual de conhecimento, quer seja permitindo que ele satisfaça seus desejos ou ambições. Por qual estrada Satanás quer conduzir você? As pessoas pensam que não há nada errado com a aquisição de conhecimento, que isso é totalmente natural. Para dizer isso de forma que soe mais atraente, fomentar ideais elevados ou ter ambições é ter impulso, e isso deveria ser a senda certa na vida. Não é uma maneira mais gloriosa de viver para as pessoas se elas podem realizar seus próprios ideais ou estabelecer uma carreira de forma bem-sucedida? Fazendo essas coisas, elas podem não só honrar seus ancestrais, mas também ter a chance de deixar uma marca na história — isso não é uma coisa boa? Isso é uma coisa boa aos olhos das pessoas mundanas, e para elas deveria ser correto e positivo. Satanás, todavia, com seus motivos sinistros, leva as pessoas para esse tipo de estrada, e não há nada mais nisso? É claro que não. Na verdade, não importa quão elevados sejam os ideais do homem, não importa quão realistas sejam seus desejos ou quão apropriados possam ser, tudo que o homem deseja alcançar, tudo que o homem busca está inextricavelmente ligado a duas palavras. Essas duas palavras são de vital importância para a vida de cada pessoa, e elas são coisas que Satanás pretende incutir no homem. Quais são essas duas palavras? São “fama” e “ganho”. Satanás usa um tipo de método muito sutil, um método muito mais de acordo com as noções das pessoas que de forma alguma é radical, através do qual ele faz com que as pessoas aceitem inadvertidamente o modo de vida de Satanás, suas regras para viver e para estabelecer metas de vida e seu rumo na vida e, ao fazê-lo, elas também chegam inadvertidamente a ter ambições na vida. Não importa o quanto essas ambições de vida possam parecer grandiosas, elas estão inextricavelmente ligadas a “fama” e “ganho”. Tudo que qualquer pessoa importante ou famosa — todas as pessoas na verdade — segue na vida tem relação unicamente com essas duas palavras: “fama” e “ganho”. As pessoas pensam que, uma vez que tenham fama e ganho, elas poderão tirar proveito dessas coisas para desfrutar de alto status e grande riqueza e aproveitar a vida. Pensam que fama e ganho são um tipo de capital que elas podem usar para obter uma vida de busca de prazer e desfrute irresponsável da carne. Por amor a essa fama e ganho que a humanidade tanto cobiça, as pessoas voluntariamente, ainda que inadvertidamente, entregam seu corpo, sua mente e tudo o que têm, seu futuro e destino a Satanás. Elas agem assim sem hesitar um instante sequer, sempre ignorantes da necessidade de recuperar tudo que entregaram. As pessoas podem reter qualquer controle sobre si mesmas uma vez que se refugiaram em Satanás dessa forma e se tornaram leais a ele? Certamente não. Elas são completa e totalmente controladas por Satanás. Elas afundaram completa e totalmente num atoleiro e são incapazes de se libertar. Uma vez que alguém está atolado em fama e ganho, ele já não busca aquilo que é claro, o que é justo nem aquelas coisas que são belas e boas. Isso é assim porque o poder sedutor que a fama e o ganho têm sobre as pessoas é grande demais; elas se tornam coisas para as pessoas buscarem por toda a sua vida e mesmo por toda a eternidade sem fim. Não é verdade? Algumas pessoas dirão que aprender o conhecimento nada mais é que ler livros ou aprender algumas coisas que elas não sabem ainda, para não ficar para trás dos tempos ou serem deixadas para trás pelo mundo. O conhecimento só é aprendido para que possam pôr comida na mesa, para o seu próprio futuro ou para prover as suas necessidades básicas. Há alguma pessoa que suportaria uma década de estudo árduo somente para as necessidades básicas, somente para resolver a questão da comida? Não, não existe ninguém assim. Então, por que uma pessoa sofre essas dificuldades e sofre durante todos esses anos? É por fama e ganho. Fama e ganho as estão esperando na distância, chamando por elas, e elas acreditam que é somente através de sua própria diligência, dificuldades e lutas que elas poderão seguir a estrada que as levará para obter fama e ganho. Tal pessoa deve sofrer essas dificuldades por sua própria senda futura, por seu desfrute futuro e para ganhar uma vida melhor. O que, afinal, é esse conhecimento — vocês podem Me dizer? Não são regras de vida incutidas nas pessoas, regras que Satanás ensina a elas no decurso de sua aquisição de conhecimento? Não são os ideais de vida elevados incutidos no homem por Satanás? Tome, por exemplo, as ideias das pessoas grandes, a integridade dos famosos ou o espírito corajoso das figuras heroicas ou tome ainda o cavalheirismo e a bondade dos protagonistas e espadachins nas novelas de artes marciais — não são todas elas maneiras como Satanás incute esses ideais. (Sim, elas são.) Essas ideias influenciam uma geração após outra, e as pessoas de cada geração são levadas a aceitar essas ideias, a viver por essas ideias e a buscá-las infinitamente. Esse é o caminho, o canal, através do qual Satanás usa o conhecimento para corromper o homem. Então, depois de Satanás ter levado as pessoas para essa estrada, ainda é possível para elas adorarem a Deus? O pensamento e o conhecimento incutidos no homem por Satanás contêm qualquer pingo de adoração a Deus? Eles retêm alguma coisa que pertença à verdade? Eles contêm qualquer coisa que tema a Deus e evite o mal? (Não, não contêm.) Vocês parecem um pouco incertos, mas não importa. Contanto que você reconheça que “fama” e “ganho” são as duas palavras-chave que Satanás usa para atrair as pessoas para a senda do mal, isso é o suficiente.

Vamos recapitular brevemente o que temos discutido até agora: o que Satanás usa para manter o homem firmemente sob seu controle? (Fama e ganho.) Então Satanás usa a fama e o ganho para controlar os pensamentos do homem até que tudo em que as pessoas consigam pensar seja fama e ganho. Elas lutam por fama e ganho, passam por dificuldades por fama e ganho, suportam humilhação por fama e ganho, sacrificam tudo o que tem por fama e ganho e farão qualquer julgamento ou tomarão qualquer decisão para o bem de fama e ganho. Dessa forma, Satanás amarra as pessoas com grilhões invisíveis e elas não têm nem a força nem a coragem para se livrar deles. Elas, sem saber, carregam esses grilhões e caminham penosamente sempre adiante com grande dificuldade. Por causa dessa fama e ganho, a humanidade se afasta de Deus e O trai e se torna cada vez mais perversa. Dessa forma, portanto, uma geração após a outra é destruída em meio à fama e ao ganho de Satanás. Olhando agora para as ações de Satanás, seus motivos sinistros não são totalmente detestáveis? Talvez, hoje, vocês ainda não consigam discernir os motivos sinistros de Satanás por pensarem que não se pode viver sem fama e ganho. Vocês pensam que, se as pessoas deixarem para trás a fama e o ganho, elas não serão mais capazes de ver o caminho adiante, não serão mais capazes de ver seus objetivos, que seu futuro se tornará escuro, turvo e sombrio. Lentamente, porém, todos vocês reconhecerão um dia que fama e ganho são grilhões monstruosos que Satanás usa para amarrar o homem. Quando aquele dia vier, você resistirá completamente ao controle de Satanás e resistirá completamente aos grilhões que Satanás usa para amarrá-lo. Quando chegar a hora em que você desejar livrar-se de todas as coisas que Satanás tem incutido em você, você fará uma ruptura clara com Satanás e você detestará verdadeiramente tudo que Satanás trouxe para você. Só então a humanidade terá amor e anseio verdadeiro por Deus.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único VI’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 156

Satanás usa o nome da ciência para satisfazer a curiosidade do homem, o desejo do homem de explorar a ciência e investigar mistérios. Em nome da ciência, Satanás satisfaz as necessidades materiais do homem e a exigência do homem de melhorar a sua qualidade de vida continuamente. Assim, é com esse pretexto que Satanás usa a ciência para corromper o homem. É apenas o pensamento do homem ou a mente do homem que Satanás corrompe usando a ciência dessa maneira? Das pessoas, eventos e coisas à nossa volta que podemos ver e com as quais entramos em contato, o que mais deles Satanás corrompe com a ciência? (O ambiente natural.) Correto. Parece que vocês foram profundamente prejudicados por isso e profundamente afetados. Além de usar todas as variadas descobertas e conclusões da ciência para iludir o homem, Satanás também usa a ciência como um meio para levar a cabo a destruição arbitrária e a exploração do ambiente de vida que foi dado ao homem por Deus. Ele o faz sob o pretexto de que, se o homem realizar pesquisas científicas, então o ambiente de vida do homem e a qualidade de vida progredirá constantemente e, além disso, que o o propósito do desenvolvimento científico serve para atender às crescentes necessidades materiais diárias das pessoas e à sua necessidade de melhorar continuamente a sua qualidade de vida. Essa é a base teórica do desenvolvimento da ciência por Satanás. No entanto, o que a ciência tem trazido para a humanidade? Em que consiste o ambiente ao que estamos conectados? O ar que a humanidade respira não se tornou poluído? A água que bebemos ainda é realmente pura? (Não.) A comida que consumimos é natural? A maior parte é cultivada com o uso de fertilizantes químicos e com o uso de modificação genética, e há também mutações causadas através do uso de vários métodos científicos. Até os vegetais e frutas que comemos não são mais naturais. Até ovos naturais são difíceis de encontrar e ovos não têm mais o mesmo sabor de antigamente, já tendo sido processados pela chamada ciência de Satanás. Observando o quadro maior, a atmosfera inteira foi destruída e poluída; montanhas, lagos, florestas, rios, oceanos e tudo acima e abaixo do solo foram arruinados pelas chamadas conquistas científicas. Em suma, todo o ambiente natural, o ambiente de vida dado por Deus à humanidade foi destruído e arruinado pela chamada ciência. Embora haja muitas pessoas que têm obtido o que sempre esperavam em termos da qualidade de vida que buscam, satisfazendo seus desejos e sua carne, o ambiente em que o homem vive foi basicamente destruído e arruinado pelas várias “conquistas” trazidas pela ciência. Agora, não temos mais o direito de respirar um só fôlego de ar puro. Não é essa a tristeza da humanidade? Ainda resta alguma felicidade para o homem da qual se possa falar quando ele é obrigado a viver nesse tipo de espaço? Esse espaço e ambiente de vida em que o homem vive foi, desde o início, criado por Deus para o homem. A água que as pessoas bebem, o ar que as pessoas respiram, os alimentos que as pessoas comem, as plantas, as árvores e os oceanos — cada parte desse ambiente de vida foi dada ao homem por Deus; é natural, operando de acordo com uma lei natural estabelecida por Deus. Se não houvesse ciência, as pessoas seriam felizes e poderiam ter desfrutado de todas as coisas em seu estado mais puro, de acordo com o modo de Deus e de acordo com o que Deus lhes concedeu para desfrutar. Agora, no entanto, tudo isso foi destruído e arruinado por Satanás; o espaço de vida fundamental do homem não é mais puro. Mas ninguém é capaz de reconhecer o que causou isso ou como isso veio a ocorrer, e muitas outras pessoas abordam a ciência e a entendem através de ideias incutidas nelas por Satanás. Isso não é totalmente detestável e lamentável? Agora que Satanás se apossou do espaço em que as pessoas existem e também de seu ambiente de vida e os corrompeu até esse estado, e com a humanidade continuando a se desenvolver dessa maneira, há alguma necessidade de Deus destruir pessoalmente essas pessoas? Se as pessoas continuarem a se desenvolver dessa forma, que direção elas tomarão? (Elas serão exterminadas.) Como elas serão exterminadas? Além de sua busca gananciosa por fama e ganho, as pessoas seguem realizando explorações científicas e se aprofundam nas pesquisas, e então, incessantemente, agem de tal modo a satisfazer suas necessidades materiais e seus desejos; quais são, então, as consequências para o homem? Primeiramente, o equilíbrio ecológico está danificado, e quando isso acontece, o corpo das pessoas, seus órgãos internos, é manchado e danificado por esse ambiente desequilibrado, e várias doenças infecciosas e pestes se espalham pelo mundo afora. Não é verdade que esta é agora uma situação sobre a qual o homem não tem mais controle? Agora que vocês entendem isso, se a humanidade não seguir a Deus, mas sempre seguir Satanás dessa maneira — usando o conhecimento para enriquecer-se continuamente, usando a ciência para explorar incessantemente o futuro da vida humana, usando esse tipo de método para continuar vivendo — vocês conseguem reconhecer como isso terminará para a humanidade? (Significará extinção.) Sim, terminará em extinção: a humanidade se aproxima cada vez mais de sua própria extinção um passo após o outro! Parece agora que a ciência é algum tipo de poção mágica que Satanás preparou para o homem, de modo que, quando vocês tentam discernir as coisas, vocês o fazem através de uma neblina densa; não importa com que intensidade vocês olhem, não conseguem enxergar as coisas claramente, e por mais que tentem, não conseguem entendê-las. Satanás, no entanto, usa o nome da ciência para aguçar seu apetite e conduzi-lo pelo nariz, um pé adiante do outro, em direção ao abismo e à morte.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único VI’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 157

Satanás usa cultura tradicional para corromper o homem. Existem muitas semelhanças entre cultura tradicional e superstição, mas a diferença é que somente a cultura tradicional tem certas histórias, alusões e fontes. Satanás fabricou e inventou muitas histórias populares ou histórias que aparecem nos livros de história, deixando as pessoas com profundas impressões de figuras culturais ou supersticiosas tradicionais. Na China, por exemplo, existem “Os Oito Imortais Atravessam o Mar”, “Jornada para o Oeste”, o Imperador de Jade, “Nezha Conquista o Rei Dragão” e “A Investidura dos Deuses”. Esses não se tornaram profundamente arraigados na mente do homem? Mesmo que alguns de vocês não conheçam todos os detalhes, vocês ainda conhecem as histórias gerais, e é esse conteúdo geral que se fixa no seu coração e em sua mente, de modo que você não consegue esquecê-lo. Essas são várias ideias ou lendas que Satanás preparou para o homem há muito tempo e que foram disseminadas em diferentes momentos. Essas coisas prejudicam e corroem diretamente a alma das pessoas e põem as pessoas debaixo de um feitiço após o outro. Isso quer dizer que, uma vez que você aceitou tal cultura tradicional, tais histórias ou coisas supersticiosas, uma vez que elas são estabelecidas na sua mente e uma vez que elas são incutidas em seu coração, então, é como se você estivesse enfeitiçado — você começa a ser enredado e influenciado por essas armadilhas culturais, essas ideias e histórias tradicionais. Elas influenciam a sua vida, sua perspectiva de vida e seu julgamento das coisas. Influenciam ainda mais a sua busca pela verdadeira senda da vida: isso, sim, é um feitiço maligno. Por mais que tente, você não consegue se livrar delas; você as corta, mas não consegue abatê-las; você bate nelas, mas não consegue derrubá-las. Além disso, depois que as pessoas são colocadas inadvertidamente sob esse tipo de feitiço, elas, sem o saber, começam a adorar a Satanás, fomentando a imagem de Satanás em seu coração. Em outras palavras, elas estabelecem Satanás como seu ídolo, um objeto para adorar e admirar, chegando ao ponto até de considerá-lo como Deus. Sem que as pessoas o saibam, essas coisas estão no coração delas, controlando suas palavras e ações. Além disso, primeiro você considera essas histórias e lendas como falsas, mas então, sem saber, reconhece sua existência, fazendo delas figuras reais e transformando-as em objetos reais existentes. Sem ter consciência disso, em seu subconsciente, você recebe essas ideias e a existência dessas coisas. Subconscientemente você também recebe diabos, Satanás e ídolos dentro da sua própria casa e no seu coração — isso é de fato um feitiço. Essas palavras ressoam com vocês? (Sim.) Há alguém entre vocês que queimou incenso e adorou Buda? (Sim.) Então, qual foi o propósito de queimar incenso e adorar Buda? (Orando pela paz.) Pensando sobre isso agora, não é absurdo orar a Satanás por paz? Satanás traz a paz? (Não.) Vocês não veem como eram ignorantes na época? Esse tipo de comportamento é absurdo, ignorante e ingênuo, não é? Satanás só se preocupa com como corromper você. É impossível que Satanás lhe dê paz, apenas alívio temporário. Mas para ganhar esse alívio, você precisa fazer um voto, e se você quebrar a sua promessa ou o voto que fez a Satanás, você verá como ele o atormentará. Ao fazer você fazer um voto, na realidade ele quer controlá-lo. Quando vocês oraram por paz, vocês obtiveram paz? (Não.) Vocês não obtiveram paz, mas, ao contrário, seus esforços trouxeram infortúnio e desastres intermináveis — verdadeiramente um oceano imenso de amargura. A paz não está dentro do império de Satanás, e essa é a verdade. Essa é a consequência que a superstição feudal e a cultura tradicional trouxeram para a humanidade.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único VI’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 158

Satanás usa tendências sociais para corromper o homem. “Tendências sociais” incluem muitas coisas. Algumas pessoas perguntam: “Significam a última moda, cosméticos, penteados e comida gourmet?”. Essas coisas são consideradas tendências sociais? Elas constituem parte das tendências sociais, mas não estaremos falando sobre elas aqui. Desejamos apenas falar sobre as ideias que as tendências sociais geram nas pessoas, o modo como elas levam as pessoas a se comportarem no mundo e as metas de vida e as perspectivas que elas geram nas pessoas. Essas coisas são muito importantes; elas podem controlar e influenciar o estado da mente do homem. Essas tendências surgem uma após a outra, e todas elas carregam uma influência maligna que rebaixa continuamente a humanidade, fazendo com que as pessoas percam a consciência, a humanidade e a razão, enfraquecendo sua moral e sua qualidade de caráter cada vez mais, ao ponto que podemos até dizer que a maioria das pessoas de agora não tem integridade, nem humanidade e nem qualquer consciência e muito menos qualquer razão. Então, o que são essas tendências? São tendências que você não pode ver a olho nu. Quando uma tendência nova se alastra pelo mundo, talvez apenas um pequeno número de pessoas esteja na vanguarda, agindo como formador de tendências. Elas começam fazendo alguma coisa nova, depois aceitando algum tipo de ideia ou algum tipo de perspectiva. A maioria das pessoas, contudo, será continuamente infectada, assimilada e atraída por esse tipo de tendência num estado de inconsciência, até que elas todas, sem se darem conta e involuntariamente, o aceitam e se tornam todas submersas nela e controladas por ela. Uma após a outra, tais tendências levam as pessoas, que não são de corpo e mente sãos, que não sabem o que é a verdade e que não conseguem diferenciar entre coisas positivas e negativas, a aceitá-las alegremente, bem como as visões de vida e os valores que vêm de Satanás. Elas aceitam o que Satanás lhes diz sobre como abordar a vida e o modo de viver que Satanás “concede” a elas, e não têm nem a força, nem a habilidade, muito menos a consciência para resistir. Então, o que, exatamente, são essas tendências? Eu escolhi um exemplo simples que vocês talvez venham a compreender gradualmente. Por exemplo, no passado, as pessoas administravam seus negócios de uma forma que ninguém era enganado; vendiam seus produtos com o mesmo preço, não importando quem estivesse comprando. Não se transmitem aqui alguns elementos de boa consciência e humanidade? Quando as pessoas conduziam seus negócios dessa forma, de boa fé, podemos ver que elas ainda tinham alguma consciência e alguma humanidade naquele tempo. Mas com a exigência crescente do homem de dinheiro, as pessoas, inadvertidamente, vieram a amar o dinheiro, o ganho e o prazer mais e mais. Em suma, as pessoas vieram a ver o dinheiro como mais importante do que antes. Quando as pessoas veem o dinheiro como mais importante, elas inadvertidamente começam a dar menos importância à sua reputação, sua fama, seu bom nome e sua integridade, não é? Quando você se envolve com negócios, você vê os outros usando vários artifícios para enganar as pessoas e ficar ricos. Embora o dinheiro ganho seja mal ganho, eles ficam cada vez mais ricos. Mesmo que se envolvam no mesmo negócio que você, toda a família deles desfruta da vida mais que você, e você se sente mal, dizendo a si mesmo: “Por que não consigo fazer isto? Por que não consigo ganhar tanto quanto eles? Devo pensar em um jeito de conseguir mais dinheiro e fazer meu negócio prosperar”. Você, então, faz o máximo para ponderar sobre como ganhar muito dinheiro. De acordo com o método usual de fazer dinheiro, vendendo as coisas pelo mesmo preço para todos os clientes, qualquer lucro que você faz é feito em sã consciência. No entanto, esse não é o caminho para ficar rico rapidamente. Impulsionado pelo desejo de lucrar, seu pensamento passa por uma transformação gradual. Durante essa transformação, seus princípios de conduta também começam a mudar. Quando você engana alguém pela primeira vez, você tem suas reservas, dizendo: “Esta é a única vez que engano alguém. Não farei isso novamente. Eu não posso enganar as pessoas. Enganar tem consequências sérias. Isso me trará muitos problemas!” Quando você engana alguém pela primeira vez, seu coração tem alguns escrúpulos; essa é a função da consciência humana — fazê-lo sentir escrúpulos e repreender você, de modo que não pareça natural quando você engana alguém. Mas, após ter enganado alguém com sucesso, você vê que agora tem mais dinheiro do que tinha antes, e você acha que esse método pode ser muito benéfico para você. Apesar da dor enfadonha em seu coração, você ainda sente vontade de se parabenizar pelo seu sucesso e você se sente um tanto satisfeito consigo mesmo. Pela primeira vez, você aprova o seu próprio comportamento, seus próprios modos enganosos. Depois disso, uma vez que o homem foi contaminado por essa trapaça, é o mesmo que alguém que se envolve com jogos de azar e, então, se torna um apostador. Em sua inconsciência, você dá sua aprovação ao próprio comportamento trapaceador e o aceita. Inconscientemente, você assume a trapaça como um comportamento comercial legítimo e o meio mais útil para sua sobrevivência e seu sustento; você acha que, fazendo isso, pode ganhar uma fortuna rapidamente. Isso é um processo: no princípio desse processo, as pessoas não conseguem aceitar esse tipo de comportamento e desprezam esse comportamento e prática. Então começam a vivenciar esse comportamento pessoalmente, experimentando-o à sua própria maneira, e seu coração começa a se transformar gradativamente. Que tipo de transformação é essa? É uma aprovação e admissão dessa tendência, dessa ideia inculcado em você pela tendência social. Sem perceber, se você não engana as pessoas quando está fazendo negócios com elas, você sente que fica na pior; se você não engana as pessoas, sente como se tivesse perdido algo. Sem o saber, essa trapaça torna-se sua própria alma, sua espinha dorsal e um tipo indispensável de comportamento que é um princípio na sua vida. Depois que o homem aceita esse comportamento e esse modo de pensar, isso não causou uma mudança em seu coração? Seu coração mudou, então sua integridade mudou também? Sua humanidade mudou? Sua consciência mudou? (Sim.) Sim, cada parte dessa pessoa passa por uma mudança qualitativa, desde seu coração até seus pensamentos, a tal ponto que ela é transformada de dentro para fora. Essa mudança o afasta cada vez mais de Deus, e você se torna cada vez mais alinhado com Satanás, mais e mais igual a ele.

Ao olhar para essas tendências sociais, você diria que elas têm uma grande influência sobre as pessoas? Elas têm um profundo efeito prejudicial sobre as pessoas? (Sim.) Elas têm um efeito prejudicial muito profundo sobre as pessoas. O que o homem tem que Satanás corrompe usando uma tendência social após a outra? (A consciência, razão, humanidade, moralidade, visão da vida do homem.) Elas causam uma degeneração gradativa nas pessoas, não é? Satanás usa essas tendências sociais para atrair as pessoas um passo de cada vez para um ninho de diabos, de forma que as pessoas presas nas tendências sociais defendam inadvertidamente os desejos materiais e de dinheiro, a maldade e a violência. Uma vez que essas coisas entraram no coração do homem, o que o homem se torna? O homem se torna o diabo Satanás! Por quê? Porque, que inclinação psicológica existe no coração humano? O que o homem reverencia? Ele começa a sentir prazer na maldade e violência, demonstrando nenhum amor pela beleza ou bondade, muito menos pela paz. As pessoas não têm vontade de viver a vida simples da humanidade normal, mas, ao contrário, desejam desfrutar de um alto status e grande riqueza, de regozijar-se nos prazeres da carne, não medindo esforços para satisfazer a sua própria carne, sem restrições, nem laços para impedi-las; em outras palavras, fazendo o que quer que desejem. Então, quando o homem imerge nesse tipo de tendências, o conhecimento que você adquiriu é capaz de ajudar você a se libertar? Seu entendimento da cultura tradicional e das superstições podem ajudá-lo a escapar dessa difícil situação? A moral e as cerimônias tradicionais conhecidas podem ajudar as pessoas a exercer restrição? Tome o “Clássico dos Três Caracteres”, por exemplo. Isso pode ajudar as pessoas a tirarem os pés do atoleiro dessas tendências? (Não, não podem.) Assim, o homem se torna cada vez mais maléfico, arrogante, condescendente, egoísta e malicioso. Não há mais qualquer afeto entre as pessoas, não há mais amor entre os membros da família, não há mais entendimento entre parentes e amigos; as relações humanas tornaram-se caracterizadas pela violência. Cada uma das pessoas busca usar métodos violentos para viver entre seus semelhantes; ela conquista seu pão de cada dia usando violência; ela ganha sua posição e obtêm seus lucros usando violência e usa modos malignos e violentos para fazer tudo que quer. Essa humanidade não é horrorosa? (Sim.) Depois de ouvirem todas essas coisas que acabei de falar, vocês não acham aterrorizante viver neste ambiente, neste mundo e entre esses tipos de pessoas, dentro dos quais Satanás corrompe a humanidade? (Sim.) Então, vocês já se sentiram miseráveis? Você deve se sentir um pouco assim neste momento, certo? (Sinto.) Ouvindo seu tom, parece que vocês estão pensando: “Satanás tem tantas maneiras distintas de corromper o homem. Ele aproveita cada oportunidade e está em todo lugar para o qual nos voltamos. O homem ainda pode ser salvo?”. O homem ainda pode ser salvo? O homem pode salvar a si mesmo? (Não.) O Imperador de Jade pode salvar o homem? Confúcio pode salvar o homem? O Guanyin Bodhisattva pode salvar o homem? (Não.) Então, quem pode salvar o homem? (Deus.) Contudo, algumas pessoas levantarão em seu coração perguntas como: “Satanás nos prejudica gravemente, num frenesi tão louco, que não temos esperança de viver a vida, nem qualquer confiança de viver a vida. Nós todos vivemos em meio à corrupção, e cada pessoa resiste a Deus de alguma maneira, e agora nosso coração ficou tão desanimado quanto possível. Então, onde está Deus enquanto Satanás está nos corrompendo? O que Deus está fazendo? Seja o que for que Deus estiver fazendo por nós, nunca o sentimos!” Algumas pessoas inevitavelmente se sentem deprimidas e um tanto desanimadas, correto? Para vocês, esse sentimento é muito profundo porque tudo que Eu tenho dito tem sido para permitir com que as pessoas, pouco a pouco, venham a compreender, a sentir cada vez mais que elas estão desesperançosas, e que foram abandonadas por Deus. Mas, não se preocupem. O tema de nossa comunicação para hoje, “a maldade de Satanás”, não é nosso tema verdadeiro. Para falar sobre a essência da santidade de Deus, contudo, precisamos discutir primeiro como Satanás corrompe o homem e a maldade de Satanás a fim de tornar mais claro para as pessoas em que tipo de condição o homem está agora. Um objetivo ao falar disso é permitir que as pessoas conheçam a maldade de Satanás, enquanto o outro é permitir às pessoas que compreendam mais profundamente o que a santidade verdadeira é.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único VI’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 159

Sempre que Satanás corrompe o homem ou inflige ao homem um dano descontrolado, Deus não fica olhando ociosamente e nem ignora ou finge que não vê aqueles que Ele escolheu. Deus entende com perfeita clareza tudo que Satanás faz. Não importa o que Satanás faça, não importa que tendência ele faça surgir, Deus sabe tudo que Satanás está tentando fazer, e Deus não desiste daqueles que Ele escolheu. Ao contrário, sem atrair qualquer atenção — em segredo e silêncio — Deus faz tudo que é necessário. Quando Deus começa a obra em alguém, quando Ele escolhe alguém, Ele não proclama essa novidade a ninguém, nem proclama isso a Satanás, muito menos faz algum grande gesto. Ele apenas, muito tranquilamente, muito naturalmente, faz o que é necessário. Primeiro, Ele escolhe uma família para você; seu contexto familiar, seus pais, seus ancestrais — tudo isso Deus decide de antemão. Em outras palavras, Deus não toma essas decisões por capricho; Ele começou essa obra muito tempo atrás. Uma vez que Deus escolheu uma família para você, Ele então escolhe a data em que você vai nascer. Então, Deus observa como você nasce e vem ao mundo chorando. Ele observa seu nascimento, observa quando você diz suas primeiras palavras, observa quando você tropeça e dá seus primeiros passos quando aprende a andar. Primeiro, você dá um passo e, então, outro… e agora você consegue correr, pular, falar e expressar seus sentimentos. À medida que as pessoas crescem, o olhar de Satanás está fixo em cada uma delas, como um tigre espreitando sua presa. Mas, ao fazer Sua obra, Deus nunca esteve sujeito a quaisquer limitações que surgissem de pessoas, eventos ou coisas, do espaço ou do tempo; Ele faz o que deve e precisa fazer. No processo do crescimento, você pode encontrar muitas coisas que não são do seu agrado, tais como enfermidade e frustração. Mas enquanto você trilha essa senda, sua vida e seu futuro estão estritamente sob os cuidados de Deus. Deus lhe dá uma garantia genuína que dura toda sua vida, pois Ele está bem ao seu lado, protegendo você e cuidando de você. Você cresce sem ter consciência disso. Você começa a entrar em contato com coisas novas e começa a conhecer este mundo e esta humanidade. Tudo é fresco e novo para você. Você tem algumas coisas que você gosta de fazer. Você vive dentro de sua própria humanidade, você vive dentro de seu próprio espaço e não possui a menor percepção da existência de Deus. Mas Deus observa você a cada passo do caminho enquanto você cresce, e Ele o observa enquanto você avança. Mesmo quando você está adquirindo conhecimento ou estudando ciências, Deus nunca saiu de seu lado durante um único passo. Você é exatamente igual às outras pessoas quanto a isso, no decurso de conhecer e entrar em contato o mundo e de interagir com ele, você estabeleceu seus próprios ideais, tem seus próprios hobbies, seus próprios interesses e também nutre ambições elevadas. Você frequentemente pondera sobre seu próprio futuro, muitas vezes esboçando o perfil de como deve ser seu futuro. Mas, não importa o que transpire ao longo do caminho, Deus vê claramente como tudo acontece. Talvez você mesmo tenha se esquecido de seu próprio passado, mas para Deus, não há ninguém que possa entendê-lo melhor que Ele. Você vive sob o olhar de Deus, crescendo, amadurecendo. Durante esse período, a tarefa mais importante de Deus é algo que ninguém jamais percebe, algo que ninguém sabe. Deus certamente não conta para ninguém a respeito. Então, que coisa mais crucial é essa? Pode-se dizer que é a garantia que Deus salvará uma pessoa. Isso significa que, se Deus quer salvar essa pessoa, Ele deve fazer isso. Essa tarefa é de vital importância para ambos, o homem e Deus. Vocês sabem o que é? Parece que vocês não têm nenhum sentimento a respeito disso ou nenhum conceito sobre isso, assim sendo, Eu lhes direi. Desde a hora em que você nasceu até agora, Deus realizou muita obra em você, mas Ele não lhe dá um relato exaustivo de tudo o que Ele tem feito. Deus não lhe permite saber, tampouco Ele lhe contou. No entanto, para a humanidade, tudo que Ele faz é importante. No que diz respeito a Deus, é algo que Ele deve fazer. Em Seu coração há algo importante que Ele necessita fazer que excede em muito qualquer uma dessas coisas. Isto é, desde a hora em que uma pessoa nasce até o dia de hoje, Deus deve garantir a segurança dela. Quando vocês ouvem essas palavras, talvez achem que não entenderam completamente. Talvez perguntem: “Esta segurança é tão importante?”. Bem, qual o significado literal de “segurança”? Talvez vocês entendam que ela signifique paz ou talvez vocês entendam que ela signifique nunca vivenciar nenhum desastre ou calamidade, viver bem, viver uma vida normal. Mas em seu coração vocês devem saber que não é tão simples assim. Então, o que exatamente é essa coisa sobre a qual venho falando, que Deus tem que fazer? O que segurança significa para Deus? É realmente uma garantia do significado normal de “segurança”? Não. Então o que é isso que Deus faz? Essa “segurança” significa que você não será devorado por Satanás. Isso é importante? Não ser devorado por Satanás diz respeito à sua segurança, ou não? Sim, isso diz respeito à sua segurança pessoal, e não pode haver nada mais importante. Uma vez que você tiver sido devorado por Satanás, sua alma e sua carne não pertencem mais a Deus. Deus não mais o salvará. Deus abandona almas e pessoas que foram devoradas por Satanás. Por isso, Eu digo que a coisa mais importante que Deus tem a fazer é garantir essa sua segurança, garantir que você não seja devorado por Satanás. Isso é muito importante, não é? Então, por que vocês não conseguem responder? Parece que vocês são incapazes de sentir a grande bondade de Deus!

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único VI’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 160

Deus faz muito mais além de garantir a segurança das pessoas, garantindo que elas não serão devoradas por Satanás. Ele também faz uma grande quantidade de obra preparatória antes de escolher e salvar alguém. Em primeiro lugar, Deus faz preparativos meticulosos referentes ao tipo de caráter você terá, em que tipo de família você nascerá, quem serão seus pais, quantos irmãos e irmãs você terá, e quais serão a situação, o status econômico e as condições da família em que você nascerá. Vocês sabem em que tipo de família a maioria das pessoas escolhidas por Deus nasce? São famílias proeminentes? Não podemos dizer com certeza que não há ninguém que nasça em uma família proeminente. Pode haver alguns, mas são muito poucos. Eles nascem em famílias de riqueza excepcional, em famílias de bilionários ou multimilionários? Não, elas quase nunca nascem nesse tipo de família. Então, que tipo de família Deus arranja para a maioria dessas pessoas? (Famílias comuns.) Então, quais famílias podem ser consideradas “famílias comuns”? Elas incluem famílias trabalhadoras — isto é, aquelas que dependem de salários para sobreviver, podem custear as necessidades básicas e não são abastadas demais; elas também incluem famílias agrícolas. Os agricultores dependem do plantio da safra para a sua alimentação, têm cereais para comer e roupas para vestir e não passam fome nem congelam. Depois, há algumas famílias que administram pequenos negócios, e algumas nas quais os pais são intelectuais e essas também podem ser consideradas famílias comuns. Há também alguns pais que são funcionários de escritório ou oficiais de baixo escalão no governo, que também não podem ser considerados como sendo famílias proeminentes. A maioria nasce em famílias comuns, e tudo isso é arranjado por Deus. Isso significa, em primeiro lugar, que esse ambiente em que você vive não é a família de meios substanciais que as pessoas talvez imaginem e é uma família destinada por Deus para você, e a maioria das pessoas viverá dentro dos limites desse tipo de família. Então, o que dizer do status social? As condições econômicas da maioria dos pais são medianas, e eles não têm um status social elevado — para eles, só ter um trabalho já é bom. Eles incluem governadores? Ou presidentes nacionais? (Não.) No máximo, são pessoas como gerentes de pequenas empresas ou donos de pequenos negócios. Seu status social é mediano e suas condições econômicas são médias. Outro fator é o ambiente de vida da família. Acima de tudo, não há pais entre essas famílias que claramente influenciariam seus filhos para trilhar a senda da adivinhação e da leitura da sorte; são muito poucos esses que se envolvem em tais coisas. A maioria dos pais é bastante normal. Ao mesmo tempo, Deus escolhe pessoas, Ele estabelece esse tipo de ambiente para elas, o que é muito benéfico para a Sua obra de salvar as pessoas. Na superfície, parece que Deus não fez nada particularmente avassalador pelo homem; Ele apenas procede secreta e silenciosamente a fazer todas as coisas que faz, humildemente e em silêncio. Mas, na verdade, tudo o que Deus faz, Ele faz para lançar um fundamento para a sua salvação, para preparar a estrada à frente e todas as condições necessárias para a sua salvação. Em seguida, Deus traz cada pessoa de volta para diante Dele, cada uma em uma hora especificada: é então que você ouve a voz de Deus; é então que você vem para diante Dele. No momento em que isso acontece, algumas pessoas já se tornaram pais elas mesmas, enquanto outras ainda são filhos de alguém. Em outras palavras, algumas pessoas se casaram e tiveram filhos, enquanto outras ainda estão solteiras e ainda não constituíram suas próprias famílias. Mas independentemente de sua situação, Deus já estabeleceu os tempos em que você será escolhido e em que Seu evangelho e Suas palavras alcançarão você. Deus estabeleceu as circunstâncias, decidiu sobre uma determinada pessoa ou um determinado contexto através do qual o evangelho será passado para você, para que você possa ouvir as palavras de Deus. Deus já preparou para você todas as condições necessárias. Desse modo, mesmo que o homem não esteja ciente daquilo que está acontecendo, o homem vem para diante Dele e retorna para a família de Deus. O homem também, sem o saber, segue a Deus e entra em cada passo da Sua obra, entrando em cada passo do caminho da obra de Deus que Ele preparou para o homem. Que caminhos Deus usa quando Ele faz coisas para o homem nesse momento? Primeiro, o mínimo absoluto é o cuidado e a proteção de que o homem desfruta. Além disso, Deus estabelece várias pessoas, eventos e coisas de modo que, através deles, o homem possa ver Sua existência e Suas ações. Por exemplo, algumas pessoas acreditam em Deus porque alguém na sua família está doente. Quando os outros pregam o evangelho para elas, começam a crer em Deus e essa crença em Deus surge devido à situação. Então, quem arranjou essa situação? (Deus.) Por meio dessa doença, há algumas famílias em que cada um é um crente, enquanto há outras famílias em que apenas poucas pessoas na família creem. Na superfície, pode parecer que alguém em sua família tem uma doença, mas na verdade é uma condição que lhe foi outorgada para que você pudesse vir para diante de Deus — essa é a amabilidade de Deus. Porque a vida familiar é difícil para algumas pessoas e elas não conseguem encontrar paz, uma oportunidade casual pode se apresentar: alguém comunica o evangelho e diz: “Creia no Senhor Jesus e você terá paz”. Assim, inconscientemente, elas passam a crer em Deus sob circunstâncias muito naturais; então, isso não é um tipo de condição? E o fato de sua família não estar em paz não é uma graça que lhes foi dada por Deus? Há também alguns que passam a crer em Deus por outras razões. Há diferentes razões e diferentes caminhos de crença, mas não importa qual a razão que leva você a crer Nele, tudo, na realidade, é arranjado e guiado por Deus. A princípio, Deus emprega vários caminhos para escolher você e para trazê-lo para a Sua família. Essa é a graça que Deus concede a cada pessoa.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único VI’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 161

No estágio atual da obra de Deus nestes últimos dias, Ele não mais simplesmente concede graça e bênçãos ao homem como Ele fez no passado, nem persuade o homem a avançar. Durante esse estágio da obra, o que o homem tem visto de todos os aspectos da obra de Deus que ele tem experimentado? O homem viu o amor de Deus e o juízo e o castigo de Deus. Durante este período de tempo, Deus provê, sustenta, ilumina e guia o homem para que o homem gradualmente venha a conhecer Suas intenções, as palavras que Ele fala e a verdade que Ele concede ao homem. Quando o homem estiver fraco, quando ele estiver desanimado, quando não tiver para onde ir, Deus usará as Suas palavras para consolar, aconselhar e encorajar o homem, para que a pequena estatura do homem possa gradualmente crescer em termos de força, ascender em positividade e tornar-se disposto a cooperar com Deus. Mas quando o homem desobedecer a Deus ou resistir a Ele, ou quando o homem revelar sua corrupção, Deus não mostrará misericórdia ao castigar e disciplinar o homem. Entretanto, Deus demonstrará tolerância e paciência com a loucura, a ignorância, a fraqueza e a imaturidade do homem. Dessa forma, através de toda a obra que Deus faz pelo homem, este gradualmente amadurece, cresce e passa a conhecer as intenções de Deus, passa a conhecer certa verdade, a conhecer quais coisas são positivas e quais são negativas, a conhecer o que é o mal e o que são as trevas. Deus não assume uma única abordagem de sempre castigar e disciplinar o homem, mas tampouco sempre mostra tolerância e paciência. Antes, Ele provê para cada pessoa de diferentes maneiras, em seus diferentes estágios e de acordo com suas diferentes estaturas e calibres. Ele faz muitas coisas pelo homem e com grande custo; o homem não percebe nada dessas coisas ou do custo, mesmo assim, na prática, tudo o que Ele faz é verdadeiramente executado em cada pessoa individual. O amor de Deus é prático: através da graça de Deus, o homem evita um desastre depois do outro, e durante tudo isso, Deus demonstra reiteradamente Sua tolerância com a fraqueza do homem. O julgamento e o castigo de Deus permitem que as pessoas gradualmente venham a conhecer a corrupção da humanidade e a essência satânica. O que Deus provê, Sua iluminação do homem e Sua orientação permitem a humanidade conhecer cada vez mais da essência da verdade e conhecer de maneira crescente do que as pessoas precisam, que estrada devem tomar, para que vivem, o valor e o sentido de suas vidas e como percorrer a estrada à frente. Todas essas coisas que Deus faz são inseparáveis do Seu único propósito original. Qual é, pois, esse propósito? Por que Deus usa esses métodos para executar Sua obra no homem? Que resultado Ele quer alcançar? Em outras palavras, o que Ele quer ver no homem? O que Ele quer obter do homem? O que Deus quer ver é que o coração do homem pode ser reavivado. Esses métodos que Ele usa para operar no homem são um esforço contínuo para despertar o coração do homem, para despertar o espírito do homem, para capacitar o homem a entender de onde ele veio, quem está guiando, apoiando e provendo para ele e quem tem permitido ao homem viver até o dia presente; eles são um meio para capacitar o homem a entender quem é o Criador, a quem ele deve adorar, que tipo de estrada ele deve seguir e de que maneira o homem deveria chegar diante de Deus; eles são um meio para gradualmente reavivar o coração do homem, para que o homem conheça o coração de Deus, entenda o coração de Deus e compreenda o grande cuidado e pensamento por trás da Sua obra para salvar o homem. Quando o coração do homem é reavivado, o homem não deseja mais viver com um caráter degenerado e corrupto, mas, em vez disso, deseja seguir a verdade a fim de satisfazer a Deus. Quando o coração do homem foi despertado, o homem é capaz de afastar-se completamente de Satanás. Ele não será mais prejudicado por Satanás, não será mais controlado ou enganado por ele. Em vez disso, o homem pode cooperar proativamente na obra de Deus e Suas palavras para satisfazer o coração de Deus, alcançando assim o temor a Deus e a evitação do mal. Esse é o propósito original da obra de Deus.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único VI’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 162

A discussão que acabamos de ter sobre o mal de Satanás fez com que todos se sintam como se o homem vivesse em meio a uma grande infelicidade e como se a vida do homem fosse cercada de desgraças. Mas quando falo agora da santidade de Deus e da obra que Ele realiza no homem, como isso faz vocês se sentirem? (Muito felizes.) Podemos ver agora que tudo o que Deus faz, tudo o que Ele arranja meticulosamente para o homem é imaculado. Tudo o que Deus faz é sem erro, o que significa que é impecável, não precisando de ninguém para o corrigir, aconselhar ou fazer qualquer mudança nisso. Tudo o que Deus faz para todo indivíduo está acima de dúvida; Ele conduz todo mundo pela mão, cuida de você a cada momento que passa e não saiu do seu lado uma única vez. À medida que as pessoas crescem neste tipo de ambiente e com este tipo de experiência, poderíamos dizer que as pessoas de fato crescem na palma da mão de Deus? (Sim.) Então agora vocês ainda têm uma sensação de perda? Alguém ainda se sente desanimado? Alguém sente que Deus abandonou a humanidade? (Não.) Então, o que, exatamente, foi que Deus fez afinal? (Ele ficou vigiando a humanidade.) O grande pensamento e cuidado que Deus investe em tudo está acima de questionamento. Além disso, ao realizar Sua obra, Ele sempre o tem feito incondicionalmente. Ele nunca exigiu que qualquer um de vocês soubesse o preço que Ele paga por você, para fazer com que você se sentisse profundamente grato a Ele. Deus alguma vez fez exigiu isso de você? (Não.) Ao longo decurso da vida humana, quase todo indivíduo encontrou muitas situações perigosas e encarou muitas tentações. Isso é assim porque Satanás está ao seu lado, seus olhos constantemente fixos em você. Quando acontece um desastre com você, Satanás se regozija com isso; quando calamidades assolam você, quando nada dá certo para você, quando você se emaranha na rede de Satanás, Satanás extrai grande prazer dessas coisas. Quanto ao que Deus está fazendo, Ele está protegendo você a cada momento que passa, guiando você para longe de um infortúnio após o outro e um desastre após o outro. É por isso que Eu digo que tudo que o homem tem — paz e alegria, bênçãos e segurança pessoal — está, de fato, sob o controle de Deus; Ele guia e decide o destino de cada indivíduo. Mas Deus tem uma percepção exagerada de Sua posição, como dizem algumas pessoas? Deus declara a você: “Eu sou o maior de todos. Sou Eu que tomo conta de vocês. Todos vocês devem implorar a Mim por misericórdia, e a desobediência será punida com a morte”? Deus já ameaçou a humanidade desse jeito? (Não.) Ele já disse que “a humanidade é corrupta, portanto, não importa como Eu a trate, e ela pode ser tratada de qualquer jeito; Eu não preciso fazer arranjos sensatos para ela”? Deus pensa dessa maneira? Deus agiu dessa maneira? (Não.) Pelo contrário, o tratamento de Deus para cada pessoa é sério e responsável. Ele trata você de modo até mais responsável do que você trata a si mesmo. Não é assim? Deus não fala em vão, nem exibe sua posição elevada ou engana as pessoas irreverentemente. Em vez disso, Ele honesta e silenciosamente faz as coisas que Ele Próprio precisa fazer. Essas coisas trazem bênçãos, paz e alegria ao homem. Elas trazem o homem pacífica e alegremente para a vista de Deus e para dentro de Sua família; então, elas vivem diante de Deus e aceitam a salvação de Deus com o pensamento e a razão normais. Então, Deus já foi dúplice com o homem em Sua obra? Ele alguma vez fez uma falsa demonstração de amabilidade, primeiro enganando o homem com alguns agrados e depois dando as costas? (Não.) Deus alguma vez disse uma coisa e depois fez outra? Deus já fez promessas vazias e Se gabou, dizendo às pessoas que pode fazer isso por elas ou ajudar a fazer aquilo por elas, mas depois sumiu? (Não.) Não há engano em Deus, nem falsidade. Deus é fiel e Ele é verdadeiro em tudo que faz. Ele é o único com quem as pessoas podem contar; Ele é o Deus ao qual as pessoas podem confiar sua vida e tudo que têm. Visto que não há engano em Deus, poderíamos dizer que Deus é o mais sincero? (Sim.) É claro que podemos! Embora a palavra “sincero” seja fraca demais, humana demais, quando aplicada a Deus, que outra palavra poderíamos usar? Tais são os limites da linguagem humana. Mesmo que seja um tanto inadequado chamar Deus de “sincero”, usaremos essa palavra mesmo assim por enquanto. Deus é fiel e sincero. Então, quando falamos sobre esses aspectos, ao que estamos nos referindo? Estamos nos referindo às diferenças entre Deus e o homem e as diferenças entre Deus e Satanás? Sim, poderíamos dizer isso. Isso é assim porque o homem não pode ver um traço do caráter corrupto de Satanás em Deus. Estou correto em dizer isso? Amém? (Amém!) Não vemos nenhuma das maldades de Satanás revelada em Deus. Tudo o que Deus faz e revela é totalmente benéfico e ajuda o homem, é feito inteiramente para prover para o homem, é cheio de vida e dá ao homem uma estrada para seguir e uma direção a tomar. Deus não é corrupto e, além disso, olhando agora para tudo o que Deus faz, podemos dizer que Deus é santo? (Sim.) Já que Deus não tem nada da corrupção da humanidade nem nada do mesmo caráter corrupto da humanidade ou da essência de Satanás, e nada em relação a Deus tem qualquer semelhança com essas coisas, desse ponto de vista, podemos dizer que Deus é santo. Deus não manifesta nenhuma corrupção, e a revelação de Sua própria essência em Sua obra é toda a confirmação de que o Próprio Deus é santo. Vocês veem isso? Para conhecer a essência santa de Deus, vamos olhar para estes dois aspectos por enquanto: 1) não há um traço sequer de caráter corrupto em Deus; 2) a essência da obra de Deus no homem permite ao homem ver a própria essência de Deus, e essa essência é inteiramente positiva. Pois as coisas que toda parte da obra de Deus traz ao homem são todas positivas. Em primeiro lugar, Deus exige que o homem seja honesto — isso não é uma coisa positiva? Deus dá sabedoria ao homem — isso não é positivo? Deus torna o homem capaz de discernir entre o bem e o mal — isso não é positivo? Ele permite que o homem entenda o significado e o valor da vida humana — isso não é positivo? Ele permite que o homem investigue a essência das pessoas, dos eventos e das coisas de acordo com a verdade — isso não é positivo? (Sim, é.) E o resultado de tudo isso é que o homem não é mais enganado por Satanás, não continuará mais a ser prejudicado ou controlado por Satanás. Em outras palavras, essas coisas permitem que as pessoas se libertem completamente da corrupção de Satanás e, portanto, gradualmente andem na senda de temer a Deus e evitar do mal.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único VI’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 163

Há seis truques primários que Satanás usa para corromper o homem.

O primeiro é controle e coerção. Isto é, Satanás fará tudo o possível para assumir o controle do seu coração. O que significa “coerção”? Significa usar táticas forçosas e ameaçadoras para fazer você obedecer a ele, fazendo você pensar nas consequências se não obedecer. Você tem medo e não ousa desafiá-lo e, então, submete-se a ele.

O segundo é enganar e iludir. O que significa “enganar e iludir”? Satanás inventa algumas histórias e mentiras, enganando você para crer nelas. Ele nunca diz a você que o homem foi criado por Deus, mas também não diz diretamente que você não foi feito por Deus. Ele não usa a palavra “Deus”, mas usa outra coisa como um substituto, usando essa coisa para enganá-lo para que você basicamente não tenha ideia da existência de Deus. É claro, essa “ilusão” inclui muitos aspectos, não apenas esse.

O terceiro é a doutrinação forçada. Com o que as pessoas são forçadamente doutrinadas? A doutrinação forçada é feita por escolha própria do homem? Ela é feita com o consentimento do homem? (Não.) Mesmo que você não consinta, não há nada que você possa fazer a respeito. Em sua inadvertência, Satanás doutrina você, incute em você seu pensamento, suas regras de vida e sua essência.

O quarto consiste em intimidação e sedução. Isto é, Satanás emprega vários truques para fazer com que você o aceite, o siga e trabalhe a seu serviço. Ele fará qualquer coisa para alcançar seus objetivos. Às vezes, ele concede pequenos favores a você, ao mesmo tempo em que ele o atrai para que você cometa pecado. Se você não o seguir, ele fará com que você sofra, castigará você e usará várias maneiras de atacar e ludibriar você.

O quinto é o engano e a paralisia. “Engano e paralisia” é quando Satanás tece algumas palavras e ideias agradáveis que se alinham com as noções das pessoas para fazer parecer que ele está levando em consideração a situação carnal das pessoas, sua vida e seu futuro, quando, na verdade, seu único objetivo é enganar você. Ele, então, paralisa você para que você não saiba o que é certo e o que é errado, de modo que você é involuntariamente enganado e, assim, fique sob seu controle.

O sexto é a destruição do corpo e da mente. Que parte do homem Satanás destrói? (A mente do homem e todo o seu ser.) Satanás destrói sua mente, fazendo você impotente para resistir, o que significa que, aos poucos, o seu coração se volta para Satanás a despeito de você mesmo. Ele incute essas coisas em você todos os dias, usando todos os dias essas ideias e culturas para influenciar e embelezar você, minando você pouco a pouco, para que, eventualmente, não deseje mais ser uma boa pessoa, para que você não queira mais defender o que você chama de “justiça”. Sem o saber, você não tem mais a força de vontade para nadar contra a corrente, mas, em vez disso, se deixa levar por ela. “Destruição” significa que Satanás atormenta tanto as pessoas que elas se tornam sombras de si mesmas, não mais humanas. Isso é quando Satanás ataca, prendendo-as e devorando-as.

Cada um desses truques que Satanás usa para corromper o homem torna o homem impotente para resistir; qualquer um deles pode ser mortal para o homem. Em outras palavras, qualquer coisa que Satanás faz e qualquer truque que ele usa pode fazer com que você se degenere, pode deixar você sob o controle de Satanás e pode atolar você em um pântano de maldade e pecado. Tais são os truques que Satanás emprega para corromper o homem.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único VI’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 164

Por ora, seu entendimento perceptivo da essência de Deus ainda requer um longo período de tempo para aprendê-la, confirmá-la, senti-la e experimentá-la, até que, um dia, vocês saberão, a partir do centro de seu coração, que “a santidade de Deus” significa que a essência de Deus é sem mácula, que o amor de Deus é altruísta, que tudo que Deus provê para o homem é altruísta, e vocês virão a saber que a santidade de Deus é imaculada e irrepreensível. Esses aspectos da essência de Deus não são apenas palavras que Ele usa para exibir Seu status, mas antes Deus usa Sua essência para tratar de cada indivíduo com sinceridade quieta. Em outras palavras, a essência de Deus não é vazia, tampouco é teórica ou doutrinária e certamente não é um tipo de conhecimento. Ela não é um tipo de educação para o homem; ao contrário, é a verdadeira revelação das próprias ações de Deus e a essência revelada do que Deus tem e é. O homem devia conhecer essa essência e compreendê-la, pois tudo que Deus faz e cada palavra que Ele diz é de grande valor e significância para cada uma das pessoas. Quando você chegar a compreender a santidade de Deus, você poderá realmente crer em Deus; quando você chegar a compreender a santidade de Deus, você poderá, então, realmente entender o verdadeiro significado das palavras “o Próprio Deus, o Único”. Você não mais terá fantasias, pensando que existem outras sendas além dessa que você possa escolher seguir, e não mais estará disposto a trair tudo que Deus tem arranjado para você. Porque a essência de Deus é santa, isso significa que somente por meio de Deus você pode caminhar pela vida na senda justa da luz; somente por meio de Deus você pode conhecer o significado da vida, somente por meio de Deus você pode viver a humanidade real e possuir e conhecer a verdade. É somente por meio de Deus que você pode obter a vida a partir da verdade. Somente o Próprio Deus pode ajudá-lo a evitar o mal e libertá-lo do dano e controle de Satanás. Além de Deus, ninguém e nada podem salvá-lo do mar de sofrimento de maneira que você não sofra mais. Isso é determinado pela essência de Deus. Somente o Próprio Deus o salva tão desinteressadamente, somente Deus é definitivamente responsável pelo seu futuro, por seu destino e por sua vida, e Ele arranja todas as coisas para você. Isso é algo que nada criado ou não criado pode alcançar. Pois nada que foi criado ou que não foi criado possui uma essência igual à essência de Deus, nenhuma pessoa ou coisa tem a habilidade de salvá-lo ou de liderá-lo. Essa é a importância da essência de Deus para o homem. Talvez vocês sintam que essas palavras que Eu disse possam ajudar um pouco, em princípio. Mas se você busca a verdade, se você ama a verdade, então você virá a experimentar como essas palavras não somente mudarão seu destino, mas, além disso, trarão você para a senda certa da vida humana.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único VI’ em “A Palavra manifesta em carne”

Palavras diárias de Deus Trecho 165

Eu gostaria de falar com vocês sobre algo que vocês fizeram no início de nossa reunião de hoje que Me surpreendeu. Alguns de vocês talvez estivessem nutrindo um senso de gratidão, talvez estivessem sentindo-se agradecidos e, então, sua emoção provocou uma ação correspondente. O que vocês fizeram não é algo que precise ser repreendido; não está nem certo nem errado. Mas Eu gostaria que vocês entendessem uma coisa. O que é que vocês querem entender? Primeiro, Eu gostaria de perguntar a vocês sobre o que vocês fizeram nesse momento. Vocês se prostraram ou ajoelharam para adorar? Alguém pode Me dizer? (Achamos que estávamos prostrados.) Vocês acham que estavam prostrados e, então, qual é o significado de prostração? (Adoração.) Então, o que é ajoelhar para adorar? Eu não comunguei sobre isso com vocês antes, mas hoje Eu sinto que é necessário fazê-lo. Vocês se prostram em suas reuniões normais? (Não.) Vocês se prostram quando vocês fazem suas orações? (Sim.) Vocês se prostram toda vez que oram, quando as condições permitem? (Sim.) Isso é bom. Mas o que Eu gostaria que vocês entendessem hoje é que Deus só aceita as genuflexões de dois tipos de pessoas. Nós não precisamos consultar a Bíblia ou os feitos e a conduta de quaisquer figuras espirituais. Em vez disso, aqui e agora, Eu direi a vocês algo verdadeiro. Em primeiro lugar, prostração e ajoelhar-se para adorar não são a mesma coisa. Por que Deus aceita as genuflexões daqueles que se prostram? É porque Deus chama alguém para Ele e convoca essa pessoa para aceitar a comissão de Deus e, então, Deus permitirá que ela se prostre diante Dele. Esse é o primeiro tipo de pessoa. O segundo tipo é o ajoelhar-se para adorar de alguém que teme a Deus e evita o mal. Existem apenas esses dois tipos de pessoas. Então, a que tipo vocês pertencem? Vocês são capazes de dizer? Essa é a verdade factual, embora possa ferir um pouco seus sentimentos. Não há nada a dizer sobre as genuflexões das pessoas durante a oração — isso é apropriado e é como deveria ser, porque quando as pessoas oram estão principalmente orando por alguma coisa, abrindo o coração para Deus e ficando face a face com Ele. É comunicação e troca, de coração para coração com Deus. Adorar de joelhos não deveria ser mera formalidade. Eu não quero repreendê-los pelo que vocês fizeram hoje. Eu só quero deixar isso claro para vocês para que entendam esse princípio — vocês sabem disso, não sabem? (Sabemos.) Eu estou lhes dizendo isso para que não aconteça de novo. Então, as pessoas têm alguma oportunidade de se prostrar e se ajoelhar diante da face de Deus? Não é que nunca existirá essa oportunidade. Cedo ou tarde chegará o dia, mas a hora não é agora. Vocês veem? Isso faz vocês se sentirem chateados? (Não.) Isso é bom. Talvez essas palavras motivem ou inspirem vocês para que possam saber em seu coração o dilema atual entre Deus e o homem e que tipo de relação existe agora entre Deus e o homem. Embora recentemente tenhamos conversado e trocado um pouco mais, o entendimento do homem sobre Deus ainda está longe de ser suficiente. O homem ainda tem um longo caminho a percorrer nessa estrada de buscar entender a Deus. Não é Minha intenção fazer com que vocês façam isso como uma questão de urgência, nem que se apressem em expressar esse tipo de aspiração ou sentimento. O que vocês fizeram hoje pode revelar e expressar os sentimentos verdadeiros de vocês, e Eu os senti. Então, enquanto vocês estavam fazendo isso, Eu só queria Me levantar e dar a vocês Meus cumprimentos, porque Eu desejo que todos vocês fiquem bem. Assim, em todas as Minhas palavras e em todas as Minhas ações, faço o máximo para ajudá-los, para guiá-los, para que vocês possam ter a compreensão correta e a visão correta de todas as coisas. Vocês podem compreender isso, não podem? (Sim.) Isso é bom. Embora as pessoas tenham alguma compreensão dos vários caracteres de Deus, os aspectos do que Deus tem e é e a obra que Deus faz, a maior parte desse entendimento não vai além de ler palavras em uma página ou entendê-las em princípio ou apenas pensar nelas. O que mais falta às pessoas é o entendimento e a percepção reais que vêm da experiência real. Mesmo que Deus use vários métodos para despertar o coração das pessoas, ainda há uma longa estrada a percorrer antes que isso possa ser realizado. Eu não quero ver ninguém sentindo como se Deus o tivesse deixado ao relento, como se Deus o tivesse abandonado ou lhe dado as costas. Tudo que quero ver é todos na estrada para buscar a verdade e procurar entender Deus, avançando corajosamente com uma determinação inabalável, sem receios ou fardos. Não importa que erros você tenha cometido, não importa o quanto você tenha se desviado ou quão seriamente tenha transgredido, não permita que esses se tornem fardos ou excesso de bagagem que você tenha que levar consigo em sua busca para entender Deus. Continue marchando adiante. Em todos os momentos, Deus mantém a salvação do homem em Seu coração; isso nunca muda. Essa é a parte mais preciosa da essência de Deus.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único VI’ em “A Palavra manifesta em carne”

Anterior: Conhecendo Deus 3

Próximo: Conhecendo Deus 5

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.

Conteúdo relacionado

Capítulo 21

O homem cai em meio à Minha luz e permanece firme por causa da Minha salvação. Quando Eu trago salvação para todo o universo, o homem tenta...

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro