Palavras diárias de Deus | "Como trilhar a senda de Pedro" | Trecho 388

24 de Setembro de 2021

O que Pedro buscava era conhecer a si mesmo e ver o que tinha sido revelado nele através do refinamento das palavras de Deus e dentro das diversas provações que Deus providenciou para ele. Quando realmente veio a entender a si mesmo, Pedro percebeu o quão profundamente corruptos os humanos realmente são, quão inúteis e indignos de servir a Deus eles são e que não merecem viver diante Dele. Então, Pedro se prostrou diante de Deus. Por fim, ele pensou: “Conhecer a Deus é a coisa mais preciosa! Se eu morresse antes de conhecê-Lo, isso seria tão lamentável; sinto que conhecer a Deus é a coisa mais importante, mais significativa que existe. Se o homem não conhecer a Deus, então ele não merece viver e não tem vida”. Quando a experiência de Pedro alcançou esse ponto, ele já tinha conhecido sua natureza e ganhado um entendimento relativamente bom dela. Mesmo que não fosse capaz de explicá-la tão claramente quanto as pessoas fariam hoje em dia, Pedro tinha realmente alcançado esse estado. Portanto, buscar vida e alcançar aperfeiçoamento de Deus requer conhecer a própria natureza a partir das declarações de Deus e também compreender os aspectos de sua natureza e descrevê-la precisamente em palavras, falando clara e diretamente. Somente isso é realmente conhecer a si mesmo, e você terá obtido o resultado que Deus exige. Se seu conhecimento ainda não alcançou esse ponto, mas você alega conhecer a si mesmo e ter ganho vida, você não está simplesmente se gabando? Você não se conhece, tampouco sabe o que você é diante de Deus, se você realmente alcançou os padrões de ser humano ou quantos elementos satânicos você ainda tem dentro de si. Você ainda não tem clareza sobre a quem você pertence nem possui autoconhecimento algum — como, então, você pode ter razão diante de Deus? Quando Pedro estava buscando vida, ele se concentrou em se entender e transformar seu caráter ao longo de suas provações e se esforçou para conhecer a Deus e, no fim, ele pensou: “As pessoas devem buscar um entendimento de Deus na vida; conhecê-Lo é a coisa mais crítica. Se eu não conheço a Deus, eu não posso descansar em paz quando morrer. Uma vez que O conheço, se Deus permite que eu morra, então me sentirei muito gratificado em morrer; eu não me queixarei nem um pouco, e toda minha vida terá sido satisfatória”. Pedro não foi capaz de ganhar esse nível de entendimento ou de alcançar esse ponto imediatamente após começar a crer em Deus; primeiro teve que passar por muitas provações. Sua experiência teve que alcançar determinada marca, e ele teve que entender totalmente a si mesmo antes de poder sentir o valor de conhecer a Deus. Portanto, a senda que Pedro tomou foi uma senda de ganhar vida e de ser aperfeiçoado; esse era o aspecto em que sua prática específica se concentrava primariamente.

Qual é a senda que todos vocês estão trilhando agora? Se não for do mesmo nível da de Pedro em termos de buscar a vida, entender a si mesmo e conhecer a Deus, você não está trilhando a senda de Pedro. Atualmente, a maioria das pessoas está neste tipo de estado: “A fim de ganhar bênçãos, preciso me despender por Deus e pagar um preço por Ele. A fim de ganhar bênçãos, preciso abandonar tudo por Deus; preciso completar o que Ele me confiou e desempenhar bem o meu dever”. Isso é dominado pela intenção de ganhar bênçãos, o que é um exemplo de despender-se inteiramente pelo propósito de obter recompensas de Deus e ganhar uma coroa. Tais pessoas não têm a verdade no coração e seu entendimento certamente consiste apenas em poucas palavras de doutrina com as quais elas se exibem para onde quer que vão. A senda delas é a de Paulo. A crença de tais pessoas é um ato de labuta constante e, lá no fundo, elas sentem que, quanto mais fizerem, mais isso provará sua lealdade a Deus; que, quanto mais fizerem, certamente Ele ficará mais satisfeito e que, quanto mais fizerem, mais merecerão que uma coroa lhes seja concedida diante de Deus e que certamente receberão as maiores bênçãos na Sua casa. Elas pensam que, se puderem suportar sofrimento, pregar e morrer por Cristo, se sacrificarem a própria vida e se conseguirem completar todos os deveres que Deus lhes confiou, estarão entre os mais abençoados de Deus — aqueles que ganham as maiores bênçãos — e uma coroa certamente lhes será concedida. Isso é precisamente o que Paulo imaginava e buscava; é exatamente a senda que ele trilhou, e foi sob a orientação de tais pensamentos que ele trabalhou para servir a Deus. Tais pensamentos e intenções não têm origem numa natureza satânica? É como os humanos mundanos, que acreditam que, enquanto estiverem na terra, precisam buscar conhecimento e que somente após obtê-lo podem destacar-se da multidão, tornar-se oficiais e ter status; acreditam que, uma vez que tiverem status, poderão realizar suas ambições e levar seu lar e negócio a determinado nível. Não são os incrédulos, todos eles, que trilham essa senda? Aqueles que são dominados por essa natureza satânica só podem ser iguais a Paulo em sua fé: “Devo renunciar a tudo e despender-me por Deus; devo ser fiel diante Dele, e um dia receberei a coroa mais magnífica e as maiores bênçãos”. Essa é a mesma atitude das pessoas mundanas que buscam coisas mundanas; elas não são nem um pouco diferentes, e estão sujeitas à mesma natureza. Quando as pessoas têm esse tipo de natureza satânica, lá fora no mundo, elas buscarão obter conhecimento, status, aprendizado e destacar-se da multidão; na casa de Deus, buscarão despender-se por Deus, ser fiéis e, eventualmente, obter coroas e grandes bênçãos. Se, após se tornarem crentes em Deus, as pessoas não possuírem a verdade e não tiverem passado por uma mudança em seus caracteres, essa certamente será a trilha em que estarão. Essa é uma realidade que ninguém pode negar, e é uma senda que é diametralmente oposta à de Pedro. Em que senda todos vocês estão atualmente? Mesmo que você não tenha planejado seguir a senda de Paulo, sua natureza determinou que você seguisse esse caminho, e você está indo nessa direção mesmo que não queira. Apesar de querer embarcar na senda de Pedro, se não tiver clareza sobre como fazer isso, você seguirá a senda de Paulo involuntariamente: essa é a realidade.

Como, exatamente, se deve trilhar a senda de Pedro nos dias de hoje? Se você é incapaz de distinguir entre as sendas de Pedro e Paulo ou se não está familiarizado com elas, não importa quanto você alega estar trilhando a senda de Pedro, tudo isso não passa de palavras vazias. Você precisa, primeiro, ter uma ideia clara de qual é a senda de Pedro e de qual é a senda de Paulo. Se você realmente entender que a senda de Pedro é a senda da vida e a única senda para a perfeição, somente então você será capaz de conhecer e compreender as verdades e as maneiras específicas de seguir sua senda. Se você não entender a senda de Pedro, a senda que você seguirá definitivamente será a de Paulo, pois não haverá outra senda para você; você não terá escolha. As pessoas que não possuírem a verdade e não tiverem determinação terão dificuldade de trilhar a senda de Pedro. Pode-se dizer que, agora, Deus revelou a vocês a senda para a salvação e perfeição. Essa é a graça e elevação de Deus, e é Ele que guia vocês na senda de Pedro. Sem a orientação e o esclarecimento de Deus, ninguém seria capaz de seguir a senda de Pedro; a única escolha seria descer pela senda de Paulo, seguindo os passos de Paulo até a destruição. Na época, Paulo não achava que era errado seguir essa senda; acreditava totalmente que era correto. Ele não possuía a verdade e, sobretudo, não tinha passado por uma mudança de caráter. Acreditava demais em si mesmo e achava que não havia problema algum em seguir esse caminho. Ele continuou avançando, cheio de convicção e com extrema autoconfiança. No fim, ele nunca caiu em si; ainda achava que, para ele, viver era Cristo. Assim sendo, Paulo continuou seguindo essa senda até o fim, e quando finalmente foi punido, tudo tinha acabado para ele. A senda de Paulo não envolvia vir a conhecer a si mesmo, muito menos buscar uma mudança no caráter. Ele nunca analisou sua própria natureza nem ganhou nenhum conhecimento daquilo que ele era; sabia simplesmente que era o principal culpado pela perseguição de Jesus. Ele não tinha o mínimo entendimento de sua própria natureza e, após terminar seu trabalho, Paulo realmente achou que era Cristo e deveria ser recompensado. O trabalho que Paulo fez era meramente um serviço prestado a Deus. Pessoalmente, apesar de receber algumas revelações do Espírito Santo, Paulo não tinha nenhuma verdade ou vida. Ele não foi salvo por Deus, foi punido por Deus. Por que se diz que a senda de Pedro é a senda do aperfeiçoamento? É porque, na prática de Pedro, ele deu ênfase especial à vida e à busca de conhecer a Deus e a conhecer a si mesmo. Através de sua experiência da obra de Deus, ele veio a conhecer a si mesmo, ganhou um entendimento dos estados corruptos do homem, conheceu suas próprias falhas e descobriu a coisa mais valiosa que as pessoas devem buscar. Ele foi capaz de amar a Deus com sinceridade, aprendeu a como retribuir a Deus, ganhou alguma verdade e possuía a realidade que Deus exige. Todas as coisas que Pedro disse durante suas provações mostram que ele era, de fato, aquele com o maior entendimento de Deus. Por ter vindo a entender tanta verdade das palavras de Deus, sua senda se tornou cada vez mais clara e alinhada com a vontade de Deus. Se Pedro não tivesse possuído essa verdade, a senda que ele seguiu não poderia ter sido tão correta.

Extraído de “Registros das falas de Cristo”

Ver mais

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.

Compartilhar

Cancelar

Entre em contato conosco pelo Whatsapp