Capítulo 26

Quem tem morado em Minha casa? Quem tem lutado pela Minha causa? Quem tem sofrido por Mim? Quem empenhou sua palavra diante de Mim? Quem tem Me seguido até agora e ainda não se tornou indiferente? Por que todos os seres humanos são frios e insensíveis? Por que a humanidade Me abandonou? Por que a humanidade se cansou de Mim? Por que não há calor humano no mundo? Enquanto em Sião, Eu provei o afeto que há no céu, e enquanto em Sião Eu desfrutei a bênção que há no céu. Mais uma vez, Eu vivi entre os homens, Eu provei a amargura do mundo humano, Eu vi com os próprios olhos todos os estados diferentes que existem entre os homens. Inconscientemente, o homem tem mudado com as Minhas mudanças e só assim ele chegou ao dia de hoje. Eu não exijo que o homem seja capaz de fazer qualquer coisa por Minha causa, nem exijo que ele Me acrescente coisa alguma. Eu só desejo que ele seja capaz de agir de acordo com o Meu plano, de não Me desobedecer, de não se tornar uma vergonha para Mim, mas de dar um testemunho retumbante a Meu respeito. Entre os homens, tem havido aqueles que têm dado bom testemunho de Mim e glorificado o Meu nome, mas como podem as práticas do homem ou sua conduta satisfazer Meu coração de alguma forma? Como ele pode atender Meu desejo ou cumprir Minha vontade de alguma forma? As montanhas e águas da terra, as flores, relvas e árvores da terra, todas mostram a obra das Minhas mãos, todas existem pelo Meu nome. Ainda assim, por que o homem não consegue alcançar os padrões do que Eu exijo? Seria devido à sua baixeza abjeta? Poderia ser porque Eu o exaltei? Será que Eu sou cruel demais com ele? Por que o homem sempre tem medo das Minhas exigências? Hoje, dentre as multidões no reino, por que é que vocês só ouvem a Minha voz, mas não desejam ver o Meu rosto? Por que vocês olham somente para as Minhas palavras, sem tentar correspondê-las com o Meu Espírito? Por que vocês Me separam no céu acima e na terra abaixo? Será que, quando estou na terra, não sou o mesmo que sou no céu? Será que, quando estou no céu, não posso descer à terra? Será que, quando estou na terra, sou indigno de ser elevado ao céu? É como se Eu, quando estou na terra, fosse uma criatura humilde, como se Eu, quando estou no céu, fosse um ser exaltado, e como se houvesse um abismo intransponível entre céu e terra. Mas no mundo dos homens, eles parecem não saber nada sobre a origem dessas coisas, mas o tempo todo têm sido contrários a Mim, como se Minhas palavras só tivessem som e nenhum significado. Todos os homens gastam energia com as Minhas palavras, empreendendo investigações próprias sobre a Minha aparência exterior, mas todos eles se deparam com o fracasso, sem quaisquer resultados para mostrar; em vez disso, são abatidos por Minhas palavras e não ousam levantar-se novamente.

Quando Eu ponho em teste a fé da humanidade, nenhum ser humano sequer tem a capacidade de dar testemunho real, nenhum é capaz de ofertar tudo de si; ao contrário, o homem continua se escondendo e se recusa a abrir-se, como se Eu fosse arrebatar seu coração. Nem Jó jamais ficou realmente firme durante sua provação, nem emanou prazer em meio ao sofrimento. Todas as pessoas produzem um leve toque de verde no calor da primavera; elas nunca permanecem verdes nas rajadas frias do inverno. Com seus ossos e estatura macilenta, o homem não pode cumprir a Minha intenção. Em toda a humanidade, não há ninguém que possa servir de modelo para os outros, porque os homens são basicamente parecidos e não há diferença entre um e outro, com pouco que os possa distinguir um do outro. Por essa razão, até hoje os homens ainda são incapazes de conhecer plenamente Minhas obras. Só quando o Meu castigo descer sobre toda a humanidade, os homens, sem o saberem, vão se tornar conscientes das Minhas obras e, sem que Eu faça nada ou force ninguém, os homens virão a Me conhecer, e desse modo testemunhar Minhas obras. Esse é o Meu plano, é o aspecto das Minhas obras que é manifesto e é o que o homem deveria saber. No reino, as miríades de coisas criadas começam a reviver e a reaver sua força vital. Devido a mudanças no estado da terra, os limites entre uma terra e outra também começam a mudar. Outrora, Eu profetizei: quando terra se dividir de terra, e terra se unir com terra, é quando Eu esmagarei todas as nações em pedacinhos. Nesse momento, renovarei toda a criação e repartirei o universo inteiro, colocando o universo em ordem, transformando seu velho estado em um novo. Esse é o Meu plano. Essas são Minhas obras. Quando todas as nações e todos os povos do mundo voltarem e se apresentarem diante do Meu trono, Eu então tomarei toda a abundância do que há no céu e a conferirei ao mundo humano, de modo que, graças a Mim, ele ficará repleto de inigualável abundância. Mas enquanto o velho mundo continuar existindo, Eu lançarei Minha raiva sobre suas nações, promulgando abertamente os Meus decretos administrativos por todo o universo, e enviando castigo sobre quem quer que os viole:

Quando Eu volto a Minha face ao universo para falar, toda a humanidade ouve a Minha voz e então vê todas as obras que Eu realizei por todo o universo. Aqueles que forem contrários à Minha vontade, isto é, que se opõem a Mim com os feitos do homem, cairão sob o Meu castigo. Eu tomarei as numerosas estrelas dos céus e as farei de novo e, graças a Mim, o sol e a lua serão renovados — os céus não serão mais como eram; as miríades de coisas na terra serão renovadas. Tudo se tornará completo mediante Minhas palavras. As muitas nações do universo serão redivididas e substituídas pelo Meu reino, de modo que as nações sobre a terra desaparecerão para sempre e tudo se tornará um reino que Me adora; todas as nações da terra serão destruídas e deixarão de existir. Dos seres humanos do universo, todos aqueles que pertencem ao diabo serão exterminados; todos os que adoram Satanás serão abatidos pelo Meu fogo ardente — isto é, exceto aqueles que agora estão na corrente, o resto será transformado em cinzas. Quando Eu castigar os muitos povos, aqueles que estiverem no mundo religioso, em extensões diferentes, voltarão para o Meu reino, conquistados por Minhas obras, porque terão visto o advento do Santo vindo numa nuvem branca. Toda a humanidade seguirá a própria espécie e receberá castigos que variam conforme suas ações. Aqueles que se levantaram contra Mim irão todos perecer; quanto àqueles cujos feitos na terra não Me envolveram, por causa da maneira como se absolveram, continuarão a existir na terra sob a governança dos Meus filhos e do Meu povo. Eu Me revelarei à miríade de povos e à miríade de nações, ressoando com Minha própria voz sobre a terra, proclamando a completude da Minha grande obra, para que toda humanidade veja com os próprios olhos.

Conforme Minha voz aumenta em intensidade, Eu vou também observando o estado do universo. Através das Minhas palavras, as miríades de coisas criadas são todas renovadas. O céu muda, assim como a terra. A humanidade fica exposta em sua forma original e, lentamente, cada um de acordo com sua espécie, encontra, de modo inconsciente, seu caminho de volta ao seio de sua família. Nisso, ficarei muito satisfeito. Estou livre de interrupções e, imperceptivelmente, Minha grande obra é realizada, e todas as miríades de coisas da criação são transformadas. Quando criei o mundo, Eu modelei todas as coisas de acordo com sua espécie, colocando todas as coisas com formas junto à sua espécie. À medida que o fim do Meu plano de gerenciamento se aproxima, restaurarei o antigo estado da criação, restaurarei tudo ao modo como era originalmente, mudando profundamente todas as coisas, de maneira que tudo vai retornar ao seio do Meu plano. A hora chegou! A última etapa do Meu plano está prestes a ser cumprida. Ah, velho mundo impuro! Você certamente cairá sob Minhas palavras! Você certamente será reduzido a nada pelo Meu plano! Ah, miríades de coisas criadas! Vocês todas ganharão vida nova em Minhas palavras — vocês terão seu Senhor Soberano! Ah, novo mundo puro e imaculado. Você certamente reviverá em Minha glória! Ah, Monte Sião! Não se cale mais. Eu voltei em triunfo! Do centro da criação, Eu escrutino toda a terra. Na terra, a humanidade começou uma vida nova, ganhou esperança nova. Ah, Meu povo! Como vocês podem não voltar à vida na Minha luz? Como podem não pular de alegria sob a Minha direção? As terras estão gritando de júbilo, as águas ruidosas riem felizes! Ah, o Israel ressuscitado! Como você pode não sentir orgulho por causa da Minha predestinação? Quem chorou? Quem lamentou? O Israel antigo deixou de existir e o Israel de hoje se ergueu, ereto e muito alto no mundo, levantou-se no coração de toda a humanidade. O Israel de hoje certamente alcançará a fonte da existência através do Meu povo! Ah, Egito odioso! Certamente você não está mais contra Mim? Como você pode tirar vantagem da Minha misericórdia e tentar escapar do Meu castigo? Como você pode não existir em Meu castigo? Todos os que Eu amo com certeza viverão pela eternidade, e todos aqueles que estão contra Mim certamente serão castigados por Mim pela eternidade. Por Eu ser um Deus zeloso, não pouparei levianamente os homens por tudo que fizeram. Eu zelarei por toda a terra e, aparecendo no Oriente do mundo com justiça, majestade, ira e castigo, Me revelarei à miríade de multidões da humanidade!

29 de março de 1992

Anterior: Alegrai-vos, todos os povos!

Próximo: Capítulo 27

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

Capítulo 6

As pessoas ficam perplexas quando leem as declarações de Deus e pensam que Deus realizou um grande feito no reino espiritual, algo de que o...

Obra e entrada (6)

A obra e a entrada são inerentemente práticas; elas dizem respeito à obra de Deus e à entrada do homem. A total incapacidade do homem de...

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro