Aplicativo da Igreja de Deus Todo-Poderoso

Ouça a voz de Deus e dê as boas vindas ao retorno do Senhor Jesus!

Convidamos a todos os buscadores da verdade que entrem em contato conosco.

A Palavra manifesta em carne

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Largura da página

0 resultados

Nenhum resultado encontrado

Capítulo 46

Eu não sei quão bem as pessoas estão se saindo em tornar Minhas palavras a base de sua existência. Eu sempre senti ansiedade pelo do destino do homem, mas as pessoas não parecem perceber nada disso — e, como resultado, elas nunca prestaram atenção aos Meus feitos e nunca desenvolveram qualquer adoração por causa da Minha atitude para com o homem. É como se elas tivessem perdido a emoção de satisfazer o Meu coração há muito tempo. Diante de tais circunstâncias, mais uma vez Eu Me calo. Por que Minhas palavras não são dignas da consideração das pessoas, de mais entrada? É porque Eu “não tenho realidade” e estou tentando encontrar algo que Eu possa usar contra as pessoas? Por que as pessoas sempre Me dão “tratamento especial”? Eu sou um inválido que está em sua própria ala especial? Por que, tendo as coisas chegado ao ponto que estão hoje, as pessoas ainda olham para Mim de maneira diferente? Existe alguma falha na Minha atitude para com o homem? Hoje, Eu comecei uma nova obra acima dos universos. Eu dei às pessoas da terra um novo começo e pedi a todas que deixassem a Minha casa. E, porque as pessoas sempre gostam de ser indulgentes consigo mesmas, Eu as aconselho a ser autoconscientes e a não atrapalhar sempre a Minha obra. Na “pousada” que Eu abri, nada inspira mais a Minha abominação do que o homem, porque as pessoas sempre Me causam problemas e Me desapontam. O comportamento delas Me envergonha e Eu nunca fui capaz de “manter Minha cabeça erguida”. Por conseguinte, Eu falo calmamente com elas, pedindo que deixem a Minha casa o mais rápido possível e parem de comer a Minha comida de graça. Se elas desejam permanecer, então devem passar por sofrimento e suportar Meu castigo. Na mente delas, Eu sou totalmente inconsciente e ignorante de seus feitos e, em consequência, elas sempre ficaram altivas diante de Mim, sem qualquer sinal de queda, meramente fingindo ser humanas para marcar presença. Quando Eu faço exigências às pessoas, elas ficam atônitas: elas nunca pensaram que Deus, que por tantos anos tem sido bondoso e amável, poderia dizer tais palavras, palavras que são impiedosas e injustificadas, e assim elas ficam sem palavras. Nesses momentos, vejo que o ódio por Mim no coração das pessoas voltou a crescer, porque elas retomaram o trabalho de reclamar. Elas sempre acusam a terra e maldizem o Céu. Apesar disso, em suas palavras, Eu não encontro nada que amaldiçoe a elas mesmas porque o seu amor a si mesmas é muito grande. Por conseguinte, Eu resumo o significado da vida humana: porque as pessoas se amam demais, toda a sua vida é angustiada e vazia e elas sofrem destruição autoinfligida por causa de seu ódio contra Mim.

Embora haja um “amor” incalculável por Mim nas palavras do homem, quando Eu levo essas palavras para o “laboratório” para testá-las e observá-las sob o microscópio, tudo o que está contido nelas é revelado com total clareza. Nesse momento, Eu compareço uma vez mais entre os homens para deixá-los dar uma olhada em sua “ficha médica”, para deixá-los sinceramente convencidos. Quando as pessoas a veem, seu rosto fica coberto de tristeza e sentem remorso em seu coração — e elas se mostram tão ansiosas que ficam muito afim de abandonar seus maus caminhos e retornar à senda correta para Me fazer feliz. Vendo sua determinação, Eu fico extremamente exultante tomado de alegria: “Na terra, quem senão homem poderia compartilhar alegria e tristeza Comigo? O homem não é o único?” No entanto, quando Eu saio, as pessoas rasgam sua ficha médica e a jogam no chão antes de se afastarem empertigadas. Nos dias que se passaram desde então, Eu tenho visto pouco nas ações das pessoas que seja segundo o Meu próprio coração. No entanto, suas resoluções diante de Mim se acumularam consideravelmente e, olhando para suas resoluções, Eu Me sinto enojado, pois nelas não há nada que possa ser retido para o Meu desfrute, elas estão muito contaminadas. Vendo a Minha desconsideração por sua resolução, as pessoas ficam frias. Depois, raramente elas fazem um “requerimento” porque o coração do homem nunca foi elogiado diante de Mim e só foi rejeitado por Mim — não há mais nenhum apoio espiritual na vida das pessoas e, assim, o zelo delas desaparece e Eu não sinto mais que o tempo está “escaldante”. As pessoas sofrem muito ao longo de suas vidas, ao ponto que, com a chegada da situação atual, estão tão “atormentadas” por Mim que pairam entre a vida e a morte; como resultado, o brilho de seu rosto se esvanece e elas perdem a “vivacidade”, pois todas “cresceram”. Não posso suportar ver o estado lastimável das pessoas quando elas são refinadas durante o castigo — mas quem poderá remediar as circunstâncias miseráveis do homem? Quem pode salvar o homem da vida humana miserável? Por que as pessoas nunca foram capazes de se libertar do abismo do mar da aflição? Eu faço as pessoas caírem deliberadamente na armadilha? As pessoas nunca entenderam o Meu humor e por isso Eu lamento para o universo que, entre todas as coisas no Céu e na terra, nada jamais tenha percebido o Meu coração, nada verdadeiramente Me ama. Até hoje, Eu ainda não sei porque as pessoas são incapazes de Me amar. Elas podem entregar-Me seu coração, elas são capazes de sacrificar seu destino por Mim, mas por que elas não conseguem dar-Me seu amor? Elas não possuem o que Eu peço? As pessoas são capazes de amar todas as coisas, menos a Mim — então por que elas não conseguem Me amar? Por que o amor delas está sempre escondido? Por que, estando elas diante de Mim até hoje, Eu nunca vi o amor delas? Isso é algo que elas não têm? Eu estou deliberadamente dificultando as coisas para as pessoas? Elas ainda têm escrúpulos em seu coração? Elas têm medo de amar a pessoa errada e serem incapazes de se emendar? Nas pessoas, existem incontáveis mistérios insondáveis e, em consequência, fico sempre “tímido e temeroso” diante do homem.

Hoje, na hora de avançar em direção ao portão do reino, todas as pessoas começam a avançar — mas, quando chegam diante do portão, Eu fecho o portão, Eu tranco as pessoas do lado de fora e exijo que elas mostrem seu cartão de entrada. Um movimento tão estranho não é o que as pessoas estavam esperando e todas elas ficam atônitas. Por que o portão — que sempre esteve escancarado — foi subitamente trancado hoje? As pessoas batem os pés e andam de um lado para o outro. Elas imaginam que podem dar um jeito de entrar, mas quando Me entregam seus cartões de entrada falsos, Eu os lanço no abismo de fogo na mesma hora — e, vendo seus “diligentes esforços” em chamas, elas perdem a esperança. Elas seguram suas cabeças, chorando, observando as belas cenas dentro do reino, mas incapazes de entrar. Contudo, Eu não as deixo entrar por causa de seu estado lastimável — quem pode atrapalhar Meu plano como bem entende? As bênçãos do futuro são dadas em troca do zelo das pessoas? O significado da existência humana está em entrar no Meu reino como alguém bem entender? Eu sou tão humilde? Se não fosse por Minhas duras palavras, as pessoas já não teriam entrado no reino há muito tempo? Por conseguinte, as pessoas sempre Me odeiam por causa de todo o incômodo que Minha existência lhes causa. Se Eu não existisse, elas poderiam desfrutar das bênçãos do reino durante o presente dia — e que necessidade haveria de suportar esse sofrimento? Por isso, Eu digo às pessoas que seria melhor se saíssem, que deveriam aproveitar o fato de as coisas estarem indo bem no presente para encontrar uma saída para si mesmas; elas devem aproveitar o presente, enquanto ainda são jovens, para aprender algumas habilidades. Se não fizerem isso, no futuro será tarde demais. Na Minha casa, ninguém jamais recebeu bênçãos. Eu digo às pessoas que se apressem e saiam, que não fiquem vivendo na “pobreza”; no futuro, será tarde demais para arrependimentos. Não seja duro demais consigo mesmo; por que se importar? No entanto, Eu também digo às pessoas que, quando elas não conseguem ganhar bênçãos, ninguém pode se queixar de Mim. Não tenho tempo para desperdiçar Minhas palavras com o homem. Eu espero que isso fique na mente das pessoas, que elas não se esqueçam disso — essas palavras são a verdade desconfortável que vem de Mim. Há muito que Eu perdi a fé no homem, há muito que Eu perdi a esperança nas pessoas, pois carecem de ambição, nunca conseguiram dar-Me um coração que ama a Deus e, em vez disso, sempre Me dão as suas motivações. Eu já falei muita coisa para o homem e, já que hoje as pessoas ainda ignoram o Meu conselho, Eu lhes digo da Minha opinião para impedi-las de entender mal Meu coração no futuro; se elas vivem ou morrem nos tempos que estão por vir, é assunto delas, pois Eu não tenho controle sobre isso. Eu espero que elas encontrem sua própria senda para a sobrevivência, pois Eu sou impotente quanto a isso. Como o homem não Me ama de verdade, simplesmente cada um vai para um lado; no futuro, não haverá mais nenhuma palavra entre nós, nada mais teremos para conversar, não vamos interferir um com o outro, cada um de nós seguirá o seu caminho, as pessoas não devem procurar por Mim, Eu nunca mais voltarei a pedir a “ajuda” do homem. Isso é algo que fica entre nós e já falamos sem equívocos para evitar problemas no futuro. Isso não facilita as coisas? Cada um de nós segue o seu próprio caminho e não tem nada a ver um com o outro — o que há de errado nisso? Espero que as pessoas deem a isso alguma consideração.

28 de maio de 1992

Anterior:Capítulo 45

Próximo:Capítulo 47

Conteúdo Relacionado