XVII. Palavras sobre os padrões de Deus para definir o desfecho do homem e sobre o fim para cada tipo de pessoa

745. Agora é o momento de Eu determinar o fim de cada pessoa, não a etapa de começar a operar o ser humano. Anoto no Meu livro de registros, uma por uma, as palavras e ações de cada pessoa, bem como a sua senda ao Me seguirem, suas características inerentes e seu desempenho final. Desse modo, nenhuma espécie de homem escapará à Minha mão e todos estarão com os de seu próprio tipo, segundo Eu designar. Eu decido o destino de cada pessoa não com base na idade, senioridade, quantidade de sofrimento, nem muito menos, o grau em que ela causa compaixão, mas de acordo com ela possuir ou não a verdade. Não há outra escolha além dessa. Vocês devem entender que todos os que não seguem a vontade de Deus serão punidos. Esse é um fato imutável. Logo, todos os punidos assim o são para a justiça de Deus e como retribuição por seus numerosos atos malignos.

Extraído de ‘Prepare boas ações suficientes para o seu destino’ em “A Palavra manifesta em carne”

746. Se você pode ser salvo não depende do tamanho de sua senioridade nem de quantos anos você tem trabalhado e muito menos depende de quantas credenciais você acumulou. Ao contrário, depende de sua busca ter frutificado. Você deve saber que aqueles que são salvos são as “árvores” que dão fruto, não as árvores com folhagem exuberante e flores abundantes que, no entanto, não geram fruto. Mesmo que você tenha passado muitos anos vagueando pelas ruas, o que isso importa? Onde está o seu testemunho? Sua reverência a Deus é muito menor que seu amor por si mesmo e seus desejos luxuriosos — esse tipo de pessoa não é um degenerado? Como pode ele ser um exemplo e modelo para a salvação? Sua natureza é incorrigível, você é rebelde demais, você está fora da salvação! Tais pessoas não são as que serão eliminadas? O tempo em que Minha obra estiver terminada não é o tempo da chegada de seu último dia? Eu fiz tanta obra e proferi tantas palavras entre vocês — quanto disso entrou verdadeiramente em seus ouvidos? A quanto disso você jamais obedeceu? Quando Minha obra terminar, esse será o tempo em que você parará de se opor a Mim, em que você parará de ficar contra Mim.

Extraído de ‘Prática (7)’ em “A Palavra manifesta em carne”

747. Busquei muitos na terra para serem Meus seguidores. Entre todos esses seguidores, há aqueles que servem como sacerdotes, aqueles que lideram, aqueles que formam os filhos, aqueles que constituem o povo e aqueles que servem. Eu os divido nessas várias categorias com base na lealdade que demonstram para Comigo. Quando todos os homens tiverem sido classificados de acordo com seu tipo, ou seja, quando a natureza de cada tipo de homem tiver sido revelada, Eu irei numerar cada homem entre seu tipo por direito e colocar cada tipo em seu lugar adequado para que Eu possa realizar o Meu objetivo de salvação para a humanidade. Cada um em sua vez, chamo grupos daqueles que desejo salvar para que retornem à Minha casa, então, Eu permito que todas essas pessoas aceitem Minha obra nos últimos dias. Ao mesmo tempo, Eu classifico os homens por tipo, então, recompenso ou castigo cada um deles com base em seus atos. Tais são os passos que compõem Minha obra.

Extraído de ‘Muitos são chamados, mas poucos são escolhidos’ em “A Palavra manifesta em carne”

748. Antes que a humanidade entre no descanso, a punição ou a recompensa de cada tipo de pessoa será determinada por buscarem ou não a verdade, conhecerem ou não a Deus, conseguirem ou não obedecer ao Deus visível. Aquelas que serviram ao Deus visível sem O conhecer ou sem Lhe obedecer carecem da verdade. Essas pessoas são malfeitoras e, sem dúvida, os malfeitores serão punidos; ademais, serão punidos de acordo com a própria má conduta. Deus é para que o homem creia Nele e também é digno da obediência do homem. Aqueles que só acreditam no Deus vago e invisível são os que não acreditam em Deus; além disso, são incapazes de obedecer a Deus. Se essas pessoas ainda não puderem acreditar no Deus visível por ocasião em que Sua obra de conquista estiver terminada, se persistirem em ser desobedientes e resistentes ao Deus que é visível na carne, essas pessoas que creem no Deus vago, sem dúvida, serão destruídas. Assim é com aqueles dentre vocês — aquele que reconhece verbalmente o Deus encarnado, mas que não pode praticar a verdade da obediência ao Deus encarnado, no fim será eliminado e destruído; aquele que reconhece verbalmente o Deus visível, que também come e bebe da verdade expressada pelo Deus visível, mas que busca o Deus vago e invisível, será ainda mais destruído no futuro. Nenhuma dessas pessoas pode permanecer até o tempo do descanso, depois que a obra de Deus estiver terminada; não pode haver pessoas como essas vivendo até o tempo de descanso. As pessoas demoníacas são aquelas que não praticam a verdade; a essência delas é a de resistir e ser desobedientes a Deus, já que não têm a menor intenção de obedecer a Deus. Todas essas pessoas serão destruídas. Se você tem a verdade e se você resiste a Deus, isso é determinado de acordo com a sua essência, não de acordo com a aparência nem com o discurso e a conduta ocasionais. A essência das pessoas é que decide se elas serão destruídas, o que é determinado de acordo com a essência revelada por sua conduta e pela busca da verdade. Dentre as pessoas que são iguais umas às outras no fato de realizarem obras, e que fazem obras em quantidades semelhantes, aquelas cuja essência humana é boa e que possuem a verdade são as que terão permissão para permanecer, enquanto aquelas cuja essência humana é má e que desobedecem ao Deus visível são as que serão objetos de destruição. Toda a obra ou todas as palavras de Deus relativas ao destino da humanidade lidarão com as pessoas apropriadamente, de acordo com a essência de cada indivíduo; não ocorrerá o menor erro, e nem um único engano será feito. É só quando as pessoas realizam uma obra que a emoção ou o significado humano entram na mistura. A obra que Deus realiza é a mais adequada; de forma alguma Ele trará falsas alegações contra qualquer criatura.

Extraído de ‘Deus e o homem entrarão em descanso juntos’ em “A Palavra manifesta em carne”

749. O padrão pelo qual o homem julga o homem baseia-se em seu comportamento: alguém que tenha boa conduta é uma pessoa justa, alguém que tenha uma conduta abominável é perverso. O padrão pelo qual Deus julga o homem é se a essência da pessoa Lhe obedece: a que obedece a Deus é uma pessoa justa, a que não Lhe obedece é uma inimiga, uma pessoa má, não importa se o comportamento dessa pessoa for bom ou ruim, não importa se o discurso dessa pessoa for correto ou incorreto. Algumas pessoas querem usar as boas ações para obter um bom destino no futuro e algumas querem usar o bom discurso para comprar um bom destino. Erroneamente as pessoas acreditam que Deus determina o desfecho do homem de acordo com seu comportamento ou discurso e, portanto, muitas vão procurar usar isso para obter por meio fraudulento um favor temporário. As pessoas que mais tarde vão sobreviver no descanso terão todas suportado o dia da tribulação e também dado testemunho de Deus; todas serão pessoas que cumpriram o dever e têm a intenção de obedecer a Deus. Aqueles que simplesmente desejam aproveitar a oportunidade de fazer serviço para evitar a prática da verdade não poderão permanecer. Deus tem padrões adequados para o arranjo dos resultados de todas as pessoas; Ele não toma essas decisões simplesmente de acordo com as palavras e com a conduta da pessoa, nem as toma de acordo com comportamento delas durante um único período de tempo. De forma alguma Ele será tolerante para com toda a má conduta de alguém por causa do serviço prestado a Deus, nem poupará alguém da morte por causa de um tempo gasto por Deus. Ninguém pode se esquivar da retribuição pela própria maldade, ninguém pode encobrir uma conduta perversa e com isso evitar o tormento da destruição. Se alguém verdadeiramente faz o próprio dever, isso significa que é eternamente fiel a Deus e não busca recompensas, independentemente de receber bênçãos ou sofrer desgraças. Se as pessoas são fiéis a Deus quando veem bênçãos, mas perdem sua fidelidade quando não conseguem ver as bênçãos e acabam se tornando incapazes de dar testemunho de Deus e de cumprir seu dever como deveriam, essas pessoas que antes prestaram serviço a Deus fielmente ainda serão destruídas. Em resumo, pessoas más não podem sobreviver até a eternidade, nem podem entrar no descanso; só os justos são os senhores do descanso.

Extraído de ‘Deus e o homem entrarão em descanso juntos’ em “A Palavra manifesta em carne”

750. Se alguém recebe bênçãos ou sofre infortúnios é determinado de acordo com a essência da pessoa, não de acordo com a essência comum que uns compartilham com outros. O reino simplesmente não tem esse tipo de dito popular ou de regra. Se por fim alguém consegue sobreviver, é porque atingiu os requisitos de Deus; e, se no final, alguém não consegue permanecer no tempo do descanso, é porque essa pessoa é desobediente a Deus e não satisfez Seus requisitos. Todos têm um destino adequado. Esses destinos são determinados de acordo com a essência de cada pessoa e são completamente dissociados dos demais. A má conduta de um filho não pode ser transferida para os pais e a retidão de um filho não pode ser compartilhada com seus pais. A má conduta de um pai não pode ser transferida para os filhos e a retidão dos pais não pode ser compartilhada com seus filhos. Todos carregam os respectivos pecados e todos desfrutam da respectiva sorte. Ninguém pode substituir o outro. Isso é justiça. Na visão humana, se os pais obtêm uma boa sorte, os filhos também obterão; se os filhos cometem o mal, os pais devem expiar o pecado dos filhos. Essa é a perspectiva do homem e o jeito humano de fazer as coisas. Não é a perspectiva de Deus. O fim de todos é determinado de acordo com a essência que vem da conduta de cada um e sempre é determinado de forma apropriada. Ninguém pode carregar os pecados do outro; ou melhor, ninguém pode receber punição no lugar do outro. Isso é absoluto. O cuidado excessivamente amoroso de um pai ou de uma mãe pelos filhos não significa que eles possam realizar ações justas no lugar dos filhos, assim como o afeto obediente de um filho para com os pais não significa que eles possam realizar ações justas no lugar dos pais. Esse é o verdadeiro significado por trás das palavras: “Então, estando dois homens no campo, será levado um e deixado outro; estando duas mulheres a trabalhar no moinho, será levada uma e deixada a outra”. Ninguém pode levar os filhos malfeitores ao descanso com base em seu profundo amor por esses filhos, nem pode levar a esposa (ou o marido) ao descanso com base em sua conduta justa. Essa é uma regra administrativa; não pode haver exceções para ninguém. Praticantes da justiça são praticantes da justiça e os malfeitores são malfeitores. Os praticantes da justiça serão capazes de sobreviver e os malfeitores serão destruídos. Os santos são santos, não são imundos. Os imundos são imundos e não têm uma única parte santa. Todas as pessoas más serão destruídas e todas as justas sobreviverão, mesmo que os filhos de um malfeitor realizem ações justas e mesmo que os pais de um justo cometam atos perversos. Não há relação entre um marido crédulo e uma esposa incrédula, assim como não há relação entre filhos crédulos e pais incrédulos. São dois tipos incompatíveis. Antes de entrar no descanso, a pessoa tem parentes físicos, mas, uma vez que tenha entrado no descanso, deixa de tê-los. Aqueles que cumprem o dever e os que não cumprem são inimigos; aqueles que amam a Deus e os que O odeiam opõem-se uns aos outros. Aqueles que entram no descanso e os que foram destruídos são dois tipos incompatíveis de criatura. As criaturas que cumprirem o dever serão capazes de sobreviver e as criaturas que não o cumprirem serão destruídas; mais ainda, isto durará por toda a eternidade.

Extraído de ‘Deus e o homem entrarão em descanso juntos’ em “A Palavra manifesta em carne”

751. Todos e cada um dos malfeitores e todos e cada um dos que não foram salvos serão destruídos quando os santos dentre a humanidade entrarem no descanso, independentemente de serem os espíritos dos mortos ou aqueles que ainda vivem na carne. Seja qual for a era a que pertençam esses espíritos malfeitores e essas pessoas malfeitoras ou os espíritos dos justos e das pessoas que agem corretamente, todos os malfeitores serão destruídos, e todos os justos sobreviverão. A pessoa ou o espírito receber a salvação não é algo inteiramente decidido com base na obra da era final; em vez disso, é determinado por terem ou não resistido a Deus ou sido desobedientes. Se as pessoas de eras anteriores fizeram o mal e não puderam ser salvas, elas sem dúvida serão alvos da punição. Se pessoas desta era fazem o mal e não podem ser salvas, elas também seguramente são alvos da punição. As pessoas são separadas com base no bem e no mal, não com base na era. Depois de separadas com base no bem e no mal, as pessoas não são punidas ou recompensadas de imediato; ao contrário, Deus apenas cumprirá Sua obra de punir o mal e recompensar o bem depois que Ele tiver terminado de cumprir Sua obra de conquista nos últimos dias. Na realidade, Ele tem usado o bem e o mal para separar a humanidade desde que começou a executar Sua obra em meio à humanidade. Ele apenas irá recompensar o justo e punir o iníquo quando completar Sua obra, em vez de separar os maus dos bons quando completar Sua obra no final e então, imediatamente, dedicar-Se à obra de punir o mal e recompensar o bem. Sua obra final de punir o mal e recompensar o bem é inteiramente realizada a fim de purificar completamente toda a humanidade, de tal modo que Ele possa levar uma humanidade inteiramente santa ao estado de descanso eterno. Esta etapa de Sua obra é a mais crucial de todas. É o último estágio de toda a Sua obra de gestão.

Extraído de ‘Deus e o homem entrarão em descanso juntos’ em “A Palavra manifesta em carne”

752. Os malfeitores e os justos, apesar de tudo, são criaturas. Criaturas que cometem maldades acabarão sendo destruídas e as criaturas cujas ações sejam justas sobreviverão. Essa é a disposição mais adequada para esses dois tipos de criaturas. Por causa da desobediência, os malfeitores não podem negar que sejam a criação de Deus, mas foram saqueadas por Satanás e, assim, são incapazes de serem salvos. Criaturas de conduta justa não podem valer-se do fato de que sobreviverão para negar que foram criadas por Deus, ainda que tenham recebido a salvação após serem corrompidas por Satanás. Malfeitores são criaturas desobedientes a Deus, são criaturas que não podem ser salvas e já foram completamente saqueadas por Satanás. As pessoas que cometem maldades também são pessoas; são pessoas que foram corrompidas ao extremo e que não podem ser salvas. Da mesma forma que elas também são criaturas, as pessoas de conduta justa também foram corrompidas, mas são pessoas que estão dispostas a se libertar do caráter corrupto e são capazes de obedecer a Deus. Pessoas de conduta justa não transbordam de justiça; em vez disso, elas receberam a salvação e se libertaram do caráter corrupto para obedecer a Deus; elas permanecerão firmes no final, o que não quer dizer, porém, que não tenham sido corrompidas por Satanás. Quando a obra de Deus terminar, dentre todas as Suas criaturas haverá aquelas que serão destruídas e as que sobreviverão. Essa é uma tendência inevitável de Sua obra de gerenciamento. Ninguém pode negar. Os malfeitores não podem sobreviver; os que obedecem e seguem a Ele até o fim certamente sobreviverão. Como essa obra é a de gerenciamento da humanidade, haverá quem permaneça e quem será eliminado. São esses os diferentes desfechos para os tipos diferentes de pessoa, são essas as disposições mais adequadas para Suas criaturas.

Extraído de ‘Deus e o homem entrarão em descanso juntos’ em “A Palavra manifesta em carne”

753. Aqueles que buscam e os que não buscam são agora dois tipos diferentes de pessoas, são dois tipos de pessoas com dois destinos diferentes. Aqueles que buscam o conhecimento da verdade e praticam a verdade são as pessoas que Deus salvará. Aqueles que não conhecem o caminho verdadeiro são demônios e inimigos, são os descendentes do arcanjo e serão destruídos. Mesmo os seguidores devotos de um Deus vago — eles também não são demônios? As pessoas que têm uma boa consciência, mas não aceitam o caminho verdadeiro, são demônios; a essência delas é a de resistência a Deus. Os que não aceitam o caminho verdadeiro são aqueles que resistem a Deus; mesmo que essas pessoas suportem muitas dificuldades, ainda assim, serão destruídas. Aqueles que não estão dispostos a abandonar o mundo, que não conseguem suportar separar-se de seus pais, que não conseguem suportar se livrar dos próprios prazeres da carne são todos desobedientes a Deus e todos serão destruídos. Quem não acredita no Deus encarnado é demoníaco; mais ainda, eles serão destruídos. Aqueles que acreditam embora não pratiquem a verdade, aqueles que não acreditam no Deus encarnado e aqueles que não acreditam de modo algum na existência de Deus serão destruídos. Quem for capaz de permanecer é uma pessoa que experimentou a amargura do refinamento e permaneceu firme; essa é uma pessoa que passou verdadeiramente por provações. Quem não reconhece Deus é um inimigo; isto é, qualquer um dentro ou fora dessa corrente que não reconhece Deus encarnado é um anticristo! Quem é Satanás, quem são os demônios, quem são os inimigos de Deus se não os resistentes que não acreditam em Deus? Não são essas pessoas as que desobedecem a Deus? Não são essas pessoas que verbalmente afirmam acreditar porém carecem da verdade? Não são essas pessoas que só buscam a obtenção de bênçãos, mas não conseguem dar testemunho de Deus? Você ainda pode se misturar com esses demônios hoje e ter consciência e amor para com eles, mas, nesse caso, você não está concedendo boas intenções para com Satanás? Você não está se associando com demônios? Se as pessoas nos dias de hoje ainda são incapazes de distinguir entre o bem e o mal, e continuam cegamente a ser amorosas e misericordiosas, sem nenhuma intenção de buscar a vontade de Deus ou de ser capazes, de alguma forma, de manter as intenções de Deus como se fossem suas, o fim dessas pessoas será ainda mais miserável.

Extraído de ‘Deus e o homem entrarão em descanso juntos’ em “A Palavra manifesta em carne”

754. Agora, você sabe verdadeiramente por que crê em Mim? Conhece verdadeiramente o motivo e significado da Minha obra? Sabe de verdade qual é o seu dever? Realmente conhece o Meu testemunho? Se você simplesmente crê em Mim, mas nem a Minha glória nem o Meu testemunho podem ser vistos em você, então Eu há muito tempo o rejeitei. Quanto àqueles que sabem tudo, são ainda mais como espinhos em Meu olho e, na Minha casa, não passam de pedras de tropeço. São joios que precisam ser totalmente separados da Minha obra; não têm a menor função nem o menor peso; há muito os abominei. Quanto àqueles sem testemunho, a Minha ira está perpetuamente sobre para com eles, e Minha vara nunca se afasta deles. Já faz muito tempo que Eu os entreguei às mãos do maligno, e eles não contam com nenhuma das Minhas bênçãos. Naquele dia, o castigo deles será muito mais doloroso do que o das mulheres tolas. Agora só estou fazendo a obra que é Meu dever fazer; atarei todo o trigo em molhos, junto a todos esses joios. Essa é a Minha obra agora. Esses joios devem ser separados na hora da Minha ceifa, então os grãos de trigo serão juntados no celeiro, e esses joios que foram separados devem ser colocados no fogo para queimar até virar pó. A Minha obra agora é simplesmente atar todos os homens em molhos, quer dizer, conquistá-los completamente. Então começarei a separação para revelar o fim de todos os homens.

Extraído de ‘O que você sabe sobre a fé?’ em “A Palavra manifesta em carne”

755. O tratamento dado por Deus às pessoas que blasfemam contra Ele ou resistem a Ele, ou mesmo àqueles que O difamam — pessoas que intencionalmente O atacam, difamam e amaldiçoam — Ele não deixa de ver, nem tem ouvidos surdos. Ele tem uma atitude clara para com eles. Ele despreza essas pessoas e, em Seu coração, Ele as condena. Ele até mesmo declara abertamente qual será o desfecho delas, para que as pessoas saibam que Ele tem uma atitude clara em relação aos que blasfemam contra Ele, e para que eles saibam como Ele determinará seu desfecho. No entanto, depois que Deus disse essas coisas, as pessoas raramente podiam enxergar a verdade de como Deus lidaria com aquelas pessoas, nem podiam compreender os princípios por trás do desfecho de Deus, do Seu veredicto para eles. Isto é, a humanidade não consegue ver a atitude especial e os métodos especiais que Deus tem para lidar com eles. Isso tem a ver com os princípios de Deus para fazer as coisas. Deus usa o advento dos fatos para lidar com o comportamento maligno de algumas pessoas. Isto é, Ele não anuncia seu pecado e não determina seu desfecho; em vez disso, Ele usa diretamente o advento dos fatos para que eles sejam punidos, que recebam sua devida retribuição. Quando esses fatos acontecem, é a carne das pessoas que sofre punição; são coisas que podem ser vistas pelos olhos humanos. Ao lidar com o comportamento maligno de algumas pessoas, Deus apenas as amaldiçoa com palavras, mas ao mesmo tempo, a ira de Deus recai sobre elas e a punição que elas recebem pode ser algo que as pessoas não podem ver, mas esse tipo de desfecho pode ser ainda mais sério do que os desfechos que as pessoas podem ver de ser punidos ou mortos. Isso porque, nas circunstâncias em que Deus decidiu não salvar esse tipo de pessoa, não demonstrar mais misericórdia ou tolerância para com elas, não lhes dar mais oportunidades, a atitude que Ele toma para com elas é colocá-las de lado. Qual é o significado de “colocar de lado”? O significado dessa expressão, sozinha, é pôr algo para um lado, não prestar mais atenção a isso. Mas aqui, quando Deus “põe uma pessoa de lado”, há duas explicações diferentes para o seu significado: a primeira é que Ele entregou a vida daquela pessoa, tudo daquela pessoa para que Satanás lide com ela. Deus não seria mais responsável e deixaria de gerenciar essa pessoa. Se essa pessoa fosse louca, ou estúpida, seja na vida ou na morte, ou se ela descesse ao inferno para a sua punição, isso não teria nada a ver com Deus. Isso significaria que aquela criatura não teria mais relação com o Criador. A segunda explicação é que Deus determinou que Ele Mesmo quer fazer algo com essa pessoa, com Suas próprias mãos. É possível que Ele vá utilizar o serviço desse tipo de pessoa, ou que Ele utilize esse tipo de pessoa como um contraste. É possível que Ele tenha uma maneira especial de lidar com esse tipo de pessoa, uma maneira especial de tratá-las — assim como Paulo. Este é o princípio e atitude no coração de Deus, a maneira como Ele decidiu lidar com esse tipo de pessoa. Assim, quando as pessoas resistem a Deus e O difamam e blasfemam contra Ele, se elas exasperam o Seu caráter, ou se chegam ao ponto final de Deus, as consequências são impensáveis. A consequência mais grave é que Deus entrega a vida e tudo deles a Satanás, de uma vez por todas. Elas não serão perdoadas, por toda a eternidade. Isso significa que essa pessoa se tornou alimento na boca de Satanás, um brinquedo na sua mão e, a partir daí, Deus já não tem mais nada a ver com ela.

Extraído de ‘A obra de Deus, o caráter de Deus e o Próprio Deus III’ em “A Palavra manifesta em carne”

756. Você entende agora o que é julgamento e o que é verdade? Se tiver entendido, exorto você a que se submeta obedientemente a ser julgado, caso contrário jamais terá a oportunidade de ser elogiado por Deus ou de ser trazido por Ele ao Seu reino. Aqueles que só aceitarem o julgamento, mas nunca puderem ser purificados, isto é, aqueles que fugirem em meio à obra de julgamento, serão para sempre detestados e rejeitados por Deus. Os pecados deles são mais numerosos e mais graves que os dos fariseus, pois eles traíram a Deus e são rebeldes contra Deus. Tais homens, que não são dignos nem mesmo de fazer serviço, irão receber punição mais severa, uma punição que é, mais que isso, eterna. Deus não irá poupar nenhum traidor que antes tenha manifestado lealdade com palavras, mas que depois O tenha traído. Homens assim irão receber retribuição por meio da punição do espírito, da alma e do corpo. Essa não é precisamente uma revelação do caráter justo de Deus? Não é o propósito de Deus ao julgar o homem e revelá-lo? Deus consigna todos aqueles que realizam todo tipo de atos perversos durante a época do julgamento a um lugar infestado de espíritos malignos, deixando esses espíritos malignos destruírem livremente seus corpos carnais. Seus corpos exalam o mau cheiro de cadáveres e tal é a sua adequada retribuição. Deus escreve em seus livros de registros cada um dos pecados desses falsos seguidores desleais, falsos apóstolos e falsos trabalhadores; então, no devido tempo, Ele os lança no meio de espíritos imundos, deixando esses espíritos imundos profanarem seus corpos inteiros à vontade, para que jamais possam ser reencarnados e jamais vejam a luz novamente. Aqueles hipócritas que fizeram serviço num momento, mas que são incapazes de permanecer leais até o fim, são contados por Deus dentre os perversos, para que andem no conselho dos perversos e se tornem parte de sua corja desordenada; no fim, Deus os aniquilará. Deus descarta e desconsidera aqueles que nunca foram leais a Cristo nem dedicaram qualquer esforço e aniquilará a todos na mudança das eras. Eles não existirão mais na terra, menos ainda terão acesso ao reino de Deus. Aqueles que nunca foram sinceros com Deus e que são forçados pelas circunstâncias a lidar superficialmente com Ele são contados entre aqueles que fazem serviços a Seu povo. Só um pequeno número de tais homens pode sobreviver, enquanto a maioria irá perecer juntamente com aqueles que não são qualificados nem para fazer serviços. Por fim, Deus trará a Seu reino todos os que forem de uma mesma mente com Ele, o povo e os filhos de Deus, bem como aqueles predestinados por Deus a serem sacerdotes. Tal é o destilado obtido por Deus por meio de Sua obra. Quanto àqueles que não puderem ser enquadrados em nenhuma categoria estabelecida por Deus, esses serão contados entre os descrentes. E vocês certamente podem imaginar qual será o resultado. Eu já disse a vocês tudo que deveria dizer; a estrada que vocês escolherem será uma decisão sua. O que vocês devem entender é o seguinte: a obra de Deus nunca espera por alguém que não possa acompanhar Seus passos e o caráter justo de Deus não mostra misericórdia para com qualquer homem.

Extraído de ‘Cristo realiza a obra do julgamento com a verdade’ em “A Palavra manifesta em carne”

Anterior: C. Sobre as advertências de Deus ao homem

Próximo: XVIII. Palavras sobre profetizar a beleza do reino e o destino da humanidade e sobre as promessas e bênçãos de Deus

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

Capítulo 26

Quem tem morado em Minha casa? Quem tem se levantado por Minha causa? Quem tem sofrido em Meu nome? Quem empenhou sua palavra diante de...

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro