229 Autorreflexão abre o caminho à frente

1 Nunca na senda de seguir a Deus, eu me concentrei em praticar a verdade. Muitas vezes, falhei e fui disciplinado – e despertei como que de um sonho. Fui julgado e refleti sobre mim mesmo, e somente então descobri quão profunda era minha corrupção. Vivendo com esse caráter satânico, eu mentia e enganava com frequência; eu era desleixado e descuidado no cumprimento do meu dever. Fazia o que queria em todas as coisas; não buscava os princípios da verdade; fazia nada senão pregar doutrina e seguir regras, acreditando possuir a realidade da verdade. Eu era um hipócrita, pura e simplesmente. Eu não era alguém que obedecia a Deus; trabalhava apenas por status e privilégio, e minha entrada na vida era superficial. Analisei o que era ter o espírito de Pedro, mas isso estava fora do meu alcance e fiquei muito envergonhado.

2 Provações e tribulações mostraram que eu não era leal a Deus e que não amava a Deus. Eu me importava apenas com as perspectivas da carne, não dava nenhuma atenção ao coração de Deus e, ao cumprir o meu dever, eu sempre temia que fosse preso, que seria incapaz de resistir à tortura e de me tornar um judas. Eu desejava a vida e temia a morte, ganhando uma existência desonrosa e não cumpria corretamente o meu dever. Somente quando os fatos foram esclarecidos, descobri como eu era lamentável. Carecendo da realidade da verdade, eu estava fadado a trair a Deus; se meu coração não amava a Deus, como eu podia obedecer e ser leal a Deus? Eu lamentava que, nos anos de fé em Deus, eu só tinha cumprido um pouco o meu dever para ser abençoado. Se eu não praticasse a verdade, como poderia dar testemunho retumbante? Senti profundamente que estivera vivendo à beira do perigo havia muito tempo.

3 Por que, após acreditar em Deus por todos esses anos, eu não tinha vivido nada da realidade da verdade? Era inteiramente porque eu não amava a verdade e só buscava fortuna, prestígio e bênçãos. Ainda hoje não temo a Deus, nem obedeço a Ele de verdade. Refletindo sobre mim mesmo, percebo que figura lamentável eu sou por ter acreditado em Deus por tantos anos sem buscar a verdade: ainda tenho o rosto de Satanás, ainda desejo ser abençoado e entrar no reino dos céus, e sou tolo ao extremo. O caráter de Deus é justo e santo – como Ele poderia tolerar que aqueles que são corruptos entrem em Seu reino? Se eu continuar a não buscar a verdade, certamente serei abandonado por Deus. Devo a Deus por Sua graça, por seus esforços meticulosos, e decido imitar Pedro, buscar o amor de Deus e dar testemunho retumbante Dele.

Anterior: 228 O passado me perfura como uma espada

Próximo: 230 Indo a lugar nenhum longe das palavras de Deus

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro